Você está na página 1de 28
Etec “João Gomes de Araújo” Ensino Médio Integrado ao Técnico de Logística Ana Clara de
Etec “João Gomes de Araújo” Ensino Médio Integrado ao Técnico de Logística Ana Clara de

Etec “João Gomes de Araújo”

Ensino Médio Integrado ao Técnico de Logística

Ana Clara de Castro

Isabela Bacic Heckmann

Nathália Heloisa Cirino

Richelle Mikaelle Avellar da Silva

Vitória dos Santos Ribeiro

A Importância da Administração de Estoque em uma Vidraçaria do Município de Pindamonhangaba-SP

Pindamonhangaba SP

2015

CEETEPS – CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO ETECNOLOGIA “PAULA SOUZA” ETEC “JOÃO GOMES DE ARAÚJO” Ana

CEETEPS CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO ETECNOLOGIA “PAULA SOUZA” ETEC “JOÃO GOMES DE ARAÚJO”

Ana Clara de Castro

Isabela Bacic Heckmann

Nathália Heloisa Cirino

Richelle Mikaelle Avellar da Silva

Vitória dos Santos Ribeiro

A Importância da Administração de Estoque em uma Vidraçaria do Município de Pindamonhangaba-SP

Trabalho de conclusão de curso apresentado ao CEETEPS - Centro Estadual de Educação e Tecnologia “Paula Souza” – ETEC João Gomes de Araújo como requisito parcial para a certificação do curso técnico em Logística. Prof. Orientador: Cláudia R. Corrêa

Pindamonhangaba SP

2015

Agradecemos a Deus por nos ter dado forças para superar as dificuldades. A professora Claudia

Agradecemos a Deus por nos ter dado forças para superar as dificuldades. A professora Claudia Rangel pela orientação, apoio e confiança e a todos os professores, familiares, as pessoas as quais contribuíram direta e indiretamente fazendo parte da nossa formação, assim expressamos nossao

muito obrigado.

as quais contribuíram direta e indiretamente fazendo parte da nossa formação, assim expressamos nossao muito obrigado.
“O insucesso é apenas uma oportunidade para recomeçar com mais inteligência” Henry Ford

“O insucesso é apenas uma oportunidade para recomeçar com mais inteligência”

Henry Ford

CASTRO, Ana Clara de; HECKMANN, Isabela Bacic; CIRINO, Nathália Heloisa; SILVA, RichelleMikaelle Avellar da; RIBEIRO,

CASTRO, Ana Clara de; HECKMANN, Isabela Bacic; CIRINO, Nathália Heloisa; SILVA, RichelleMikaelle Avellar da; RIBEIRO, Vitória dos Santos A Importância da Administração de Estoques em uma Vidraçaria no Município de Pindamonhangaba-SP 2015. 28 fls. Trabalho de conclusão de curso apresentado ao CEETEPS Centro Estadual de Educação e Tecnologia “Paula Souza” – ETEC “João Gomes de Araújo”, Curso Técnico em Logística.

RESUMO

O objetivo deste trabalho é analisar os processos de manuseio dentro do armazém ou departamento, com a finalidade de promover, sugerir um método, que possa resultar em melhoria, eficiência de administração, eficácia e otimização do espaço, layout, codificação e endereçamento. Através de pesquisas teóricas, práticas e conceitos, sendo identificado o melhor método para alcançar o objetivo. Resultando na redução de tempo, aumentando a produtividade, a eficiência dos processos e consequentemente aumentando a lucratividade. O espaço, as estratégias e as ferramentas na administração do estoque, quando bem utilizados, resultam em um melhor uso e aperfeiçoamento dos processos na movimentação de materiais e abastecimento.

Palavras-chaves: Armazenamento, Estoque, Eficiência,

CASTRO, Ana Clara de; HECKMANN, Isabela Bacic; CIRINO, Nathália Heloisa; SILVA, RichelleMikaelle Avellar da; RIBEIRO,

CASTRO, Ana Clara de; HECKMANN, Isabela Bacic; CIRINO, Nathália Heloisa; SILVA, RichelleMikaelle Avellar da; RIBEIRO, Vitória dos Santos A Importância da Administração de Estoques em uma Vidraçaria no Município de Pindamonhangaba-SP; 2015. 28 fls. Trabalho de conclusão de curso apresentado ao CEETEPS Centro Estadual de Educação e Tecnologia “Paula Souza” – ETEC “João Gomes de Araújo”, Curso Técnico em Logística.

ABSTRACT

The objective of this study is to analyze the handling processes within the warehouse or department, in order to promote, suggest a method that can result in improvement, management efficiency, effectiveness and optimization of space, layout, coding and addressing. Through theoretical research, practices and concepts, identified the best method to achieve the goal. Resulting in reduced time, increasing productivity, process efficiency and thereby increasing profitability. The space, strategies and tools in the management of stock, when properly used, result in better use and improvement of processes in material handling and supply.

Keywords: Storage, Stock, Efficiency,

LISTA DE FIGURAS Figura 1Área do estoque 1 Tabela 2 Área do estoque 2 24

LISTA DE FIGURAS

Figura 1Área do estoque 1 Tabela 2 Área do estoque 2

Figura 1Área do estoque 1 Tabela 2 Área do estoque 2

24

24

SUMÁRIO

SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 9 1.1 Objetivo 10 1.1.2 Objetivo Geral 10 1.1.3 Objetivo Específico

1.

INTRODUÇÃO

9

1.1

Objetivo

10

1.1.2 Objetivo Geral

10

1.1.3 Objetivo Específico

10

1.2 Justificativa

10

2. REVISÃO DA LITERATURA

12

 

2.1

A administração de estoques

14

3. METODOLOGIA

21

 

3.1

Tipos de pesquisa

21

3.1

instrumentos de pesquisa

22

4. DISCUSSÃO E RESULTADOS

23

5. CONSIDERAÇÕES FINAIS

25

APÊNDICE

 

26

REFERÊCIAS

27

9

1.INTRODUÇÃO

Atualmente é comum no Brasil o surgimento de microempresas e

uma das principais dificuldades encontradas por elas é o gerenciamento de

estoques.

As

empresas

possuem

gastos

com

compras

de

materiais

desnecessários

ou

com

a

depreciação

de

produtos

armazenados

incorretamente.

Por isso a principal proposta deste trabalho é analisar a

gestão de estoque de uma microempresa através de pesquisas teóricas e

trabalho prático, que possa resultar na melhoria da administração de estoque,

layout e otimização do espaço.

A empresa de instalação de vidros e corrimãos atua na cidade de

Pindamonhangaba e regiões próximas como Taubaté, Guaratinguetá e

Ubatuba. Está localizada no piso térreo da casa, e como o trabalho da empresa

é de prestação de serviço, aquela área funciona como um estoque de produtos

e materiais. Os vidros são armazenados, porém esse processo de estocagem é feito de maneira incorreta, sem organização. Quando realizado de maneira desorganizada, o processo pode acarretar diversos problemas, como o mau aproveitamento do tempo, o que leva a empresa a atender uma pequena

quantidade de clientes e assim obter uma baixa lucratividade. Através do uso de ferramentas e informações pode-se adquirir uma otimização no espaço de estocagem de vidros, proporcionando um gerenciamento do fluxo de informações mais eficientes.

A administração de estoque é muito importante para a empresa e

por isso é preciso que seja feita uma análise da demanda para que os clientes

estejam sempre sendo atendidos com os produtos que procuram, não fiquem insatisfeitos e nem procure empresas concorrentes.Também é preciso que a empresa tenha o controle dos produtos estocados, evitando assim compras desnecessárias.

O ponto principal deste trabalho é apontar os prováveis problemas

de estoque da empresa de vidros por meio das técnicas e conceitos de organização, layout e administração. Para alcançar esse propósito o projeto irá

10

envolver diversas áreas tais como: administração, organização do espaço, movimentação de materiais e informatização. Após o término desse trabalho a empresa poderá ser beneficiada com o aumento da lucratividade e eficiência. Além disso, existe a possibilidade de oferecer uma experiência prática, contribuindo para o aperfeiçoamento das habilidades adquiridas através do curso. Este trabalho aborda a gestão de estoques das microempresas e soluções para a melhoria dos processos. Utilizando como exemplo prático o caso da empresa de instalação de vidros. Espera-se como resultado que a empresa aumente a qualidade dos seus serviços, eficiência e compromisso. Ela será uma microempresa capaz de gerir seus processos de forma organizada e eficaz.

1.1 Objetivo

1.1.2 Objetivo Geral Analisar os processos operacionais em estoque de vidros.

1.1.3 Objetivo Específico

Analisar e identificar as fragilidades no processo de armazenagem

Analisar e identificar as formas de utilização do estoque

Analisar como a empresa se organiza no manuseio de materiais em processos

Analisar e identificar problemas de administração de estoque

Sugerir métodos de administração eficiente

Demonstrar a eficácia da utilização das ferramentas de estoques

1.2

Justificativa

Este trabalho foi feito para demonstrar a administração de estoques nas microempresas, que tem sido um problema para alguns microsempresários

11

pela falta de conhecimento logístico e pela defasagem de estudos e pesquisas sobre estoque em micro e pequenas empresas. Além de sua importância no âmbito acadêmico proporcionando conhecimento aos autores e ás pessoas que tiverem acesso a este trabalho, ele também proporcionará a microempresa a consciência da importância do gerenciamento do estoque, da organização do layout e da otimização do espaço para a melhoria dos processos como um todo.

12

2.REVISÃO DE LITERATURA

O termo empreendedorismo recebeu diversos significados e

explicações, Hisrich, Peters e Shepherd (2014) definem empreendedorismo

“indivíduo que assume riscos e inicia algo novo, juntamente com o crescimento dos negócios. Busca inovar, oportunidades, crescimento nos negócios e tem propensão a riscos”.

Os principais empreendimentos realizados são as microempresas ou

empresas de pequeno porte No Brasil, foi instituída a Lei Geral das Microempresas e Empresas de pequeno Porte em 2006. Essa lei delimitou o conceito de microempresa àquela cuja receita bruta seja igual ou inferior a trezentos e sessenta mil por ano. Esse tipo de empresa ocupa principalmente a atividade comercial e de prestação de serviços. Para a economia, esse tipo de empresa tem grande importância, pois é a principal parcela do mercado que absorve a mão de obra desempregada. É uma alternativa de trabalho para as pessoas que tem condição de desenvolver seu próprio negócio e uma oportunidade de emprego para uma grande parte da mão de obra excedente, principalmente para aquela com pouca qualificação e que não encontra emprego nas grandes empresas. Além disso, elas também são um fator essencial na geração de renda do país. As características gerais da microempresa são: baixa intensidade de capital, forte presença de proprietários nos negócios, poder de decisão centralizado, o dirigente da empresa assume múltiplas funções, sistemas de controle informais contratação de mão-de-obra não qualificada - ou semiqualificada-, baixo investimento em tecnologia, pouca capacidade produtiva, variedade de produtos limitados, dificuldade de acesso ao financiamento e relação de subordinação com as grandes empresas. As microempresas estão diretamente ligadas ao empreendedorismo. Na grande maioria os novos empreendimentos que surgem são devido à falta de reconhecimento de colaboradores dentro das empresas, motivando-os a desenvolverem seus próprios negócios. A empresa em questão é nova, está em serviço há três anos e atende uma demanda de aproximadamente 100 clientes por mês, porém

13

enfrenta desafios como: dificuldade em encontrar novos fornecedores; promoção e divulgação da empresa; organização do estoque e espaço físico. Para que se obtenham novos investimentos, precisa-se planejar um

novo projeto, onde consiste em uma representação teórica das atividades que

se pretende realizar para a solução de um problema, em determinado período.

Planejamento não é previsão, mas, sim, uma relação entre as atividades a serem executadas e o tempo disponível para tanto. É uma atividade sistêmica e interativa, pois envolve todos os componentes da empresa (humanos, materiais e financeiros) em etapas sucessivas permitindo uma coordenação mais racional e eficaz das atividades gerais de uma organização e possibilitando a introdução de mudanças e inovação.

(Soares, 2012, pag.20)

Faz-se necessário a criação de um plano onde encontra a definição

clara dos objetivos pretendidos: identificação das atividades, recursos e materiais a serem utilizados; elaboração de uma sequência ordenada de ações

o cálculo de tempo disponível para a realização do projeto. Tudo isso sendo representado por meio de um cronograma financeiro. Somente após a elaboração do projeto que começa a realizar as atividades do empreendimento pretendido, atentando-se para prazos e custos estabelecidos.

e

 

Existem três tipos de projetos, projeto de pesquisa, de financiamento

e

de investimento. O projeto de pesquisa tem o objetivo de solucionar problema

e

descobrir respostas das questões por meios científicos. O projeto de

investimento é trata de toda aplicação de capital em qualquer empreendimento

financeiro.

o

projeto

de

financiamento

é

elaborado

para

atender

ás

exigências

de

instituições

financeiras,

como

banco

de

investimento,

por

exemplo.

Este trabalho irá se basear em um Projeto de pesquisa, que trata das

soluções de problemas e das descobertas de respostas de determinadas questões através de métodos científicos. A elaboração de um empreendimento é longa e elaborada, portanto realizaremos um projeto onde o enfoque principal será a organização do estoque.

14

2.1 A administração de estoques

O estoque é definido como uma quantidade de material mantida em um determinado lugar por uma quantidade de tempo para ser utilizada posteriormente. O termo é utilizado para descrever qualquer recurso armazenado como, por exemplo, estoque de caixas, estoque de lâmpadas, etc. Esses espaços de armazenagem são necessários quando a taxa de entrada (suprimento) é diferente da taxa de saída\demanda. Os estoques geram custos com o espaço físico - para condicionar os materiais- e com a manutenção, também podem ser arriscados, pois os itens guardados podem se deteriorar e assim causar prejuízos. Em 1978, Ronald H Ballou afirmou que os inventários são mantidos

para:

Melhorar o serviço ao cliente: dando suporte ao marketing, pois ao criar a demanda precisa-se de material para vender

Economia de escala: os custos são geralmente menores quando

o produto é fabricado continuamente em quantidades constantes

Proteção contra mudanças de preço em tempo de inflação alta:

um grande volume de compras minimiza o impacto da subida de preços

Proteção contra mudanças na demanda e no tempo de entrega:

quando o comportamento de demanda dos clientes e quando o tempo de entrega dos fornecedores não são exatamente conhecidos e assim para atender os clientes é necessário possuir estoques de segurança Portanto a principal função do estoque é suprir a diferença do fluxo de entrada e de saída de materiais, maximizando as vendas e controlando a produção. Sem o estoque o fluxo de recebimento e de expedição de produtos deveria ser exatamente igual e assim as etapas de aquisição de insumos produção e vendas deveriam estar equilibradas e seguir sem variação de velocidade na execução dessas etapas. Um mau gerenciamento do armazém também pode comprometer o relacionamento com o cliente quando seu pedido não é atendido na quantidade certa e a entrega não é pontual. Contudo devido a imprevistos como atrasos ou longos prazos de entrega de fornecedores, quantidade mínima de produtos a serem adquiridos, variações nos pedidos e

15

prazos de entrega do cliente e outros fatores não possuir um estoque seria impossível. Entre os custos de uma empresa o estoque representa um dos maiores gastos. Esse campo ainda abriga matérias que tiveram um custo de aquisição e, portanto, também representa dinheiro parado e deve ser

controlado já que grande parte do capital da empresa está neste setor. Porém,

a gestão do estoque ainda é negligenciada. Devido à alta competitividade do

mercado a empresa que conseguir lidar com seus problemas e reduzir seus custos irão melhorar seus processos logísticos e assim terá vantagem competitiva. Tendo em mente a importância do estoque e o atual cenário competitivo é necessário avaliar e analisar os estoques das empresas pelo uso

da administração de estoque para atender a demanda de forma constante, dar

continuidade nas operações da empresa e evitar custos desnecessários. A função dos estoques é maximizar as vendas, aperfeiçoar o planejamento e controle de produção, quanto maior o investimento, maior será o

comprometimento e responsabilidade de cada departamento. Minimizar perdas

e custos, otimizar investimentos, reduzindo as necessidades de capital investido (DIAS, 2010). Pode-se definir então administração de estoques como supervisão e

controle dos pedidos, do armazenamento e das vendas dos itens que uma empresa compra e vende. De acordo com Dias (2009) a Gestão de Estoques é definida como o planejamento e controle de mercadorias para uma rápida reposição, desde a sua entrada, até a sua saída. Para isso, o gerente de estoques deve estar atento à: ao crescimento e redução da rotatividade de mercadorias; o aumento e diminuição da obsolescência e dos custos dos produtos estocados e a variação das vendas devido a estocagem de produtos necessários. Sua importância é conseguir controlar a entrada e saída de materiais

do armazém, pois quando não se gerencia adequadamente o estoque perde-se

qualidade de atendimento. A Gestão de Estoques é, também, um desafio para

a maioria das empresas, tanto que o lucro ou prejuízo de uma organização

pode ter como uma das causas sua capacidade de gerenciar seus estoques. Portanto as decisões tomadas na organização de estoques podem ter um impacto significativo no serviço ao cliente, nos processos e custos da empresa.

16

Para organizar o estoque, Segundo Dias (2009), é preciso primeiramente descrever e definir suas principais funções como:

Determinar “o quê” deve ser permanecido em estoque - número

de itens

Determinar “quando” devem ser reabastecidos os estoques

Determinar “quanto” de estoque será necessário para um período predeterminado

Receber, armazenar e atender os materiais estocados de acordo com as necessidades

Controlar os estoques em termos de quantidade e valor e

fornecer informações sobre a posição do estoque

Manter inventários periódicos para a avaliação das quantidades e

estados de materiais estocados

Identificar e retirar dos estoques os itens obsoletos e danificados

Além dessas etapas é possível incluir também nessa lista decisões de localização do armazém e o arranjo físico dentro das instalações As práticas da gestão do estoque vão de análises econômicas complexas até as regras simples com pouco fundamento teórico. Algumas empresas ao tentar mudar suas práticas de maneira radical não alcançaram suas expectativas. Isso se explica pelo fato de muitas dessas empresas tentarem implantar soluções com modernos sistemas de informações, sem primeiro analisar de forma adequada seus ambientes de negócios, além de não verificar se eram cumpridos os critérios necessários para o bom funcionamento dessas soluções. As principais metodologias para controlar o estoque são:

A curva ABC que classifica itens de maior e menor impacto e separando os grupos estocados. Assim será viável uma prevenção da perda ou da diminuição de custos daqueles artigos que sejam prioritários ou que exijam mais tempo de produção para o bom funcionamento do seu negócio. Uma classificação nestes termos terá efeitos positivos na produtividade, logística e distribuição dos bens em questão. É uma ferramenta que classifica os materiais e relaciona a quantidade de cada item no estoque e sua porcentagem de investimento. Sendo utilizada para identificar quais materiais influenciam os

17

custos mais significativos. Esse estudo surgiu com Vilfredo Pareto, um economista italiano, que observou a porcentagem de 80 % da riqueza da Itália concentrada em 20 % da população. Posteriormente esse método foi desenvolvido por Joseph Moses Juran que identificou que 80 % dos custos do estoque estão ligados a 20% dos materiais alocados. Assim se os itens mais importantes são em pequeno número e representam uma grande parcela do valor do estoque, esses materiais devem ser controlados. A classificação é feita em três grupos: o grupo A são os de maior importância e valor e correspondem a 20 % do total, o grupo B são de importância intermediária e correspondem a 30 % do total o grupo C são de menor importância e valor e correspondem a 50%. Essa classificação identifica quais são os produtos que devem ser mais controlados. Dessa forma será viável uma prevenção da perda ou da diminuição de custos daqueles artigos que sejam prioritários ou que exijam mais tempo de produção para o bom funcionamento do seu negócio. É possível organizar a classificação por preço de custo (separando os produtos de mais valor do estoque) ou por valor de venda (indicado os produtos com maior demanda). Assim a curva ABC permite também evitar erros comuns do estoque como a falta dos materiais com alta demanda e o excesso daqueles pouco vendidos. Uma classificação nestes termos terá efeitos positivos na produtividade, logística e distribuição dos bens em questão. O método de avaliação do estoque (PEPS e Custo Médio) a ser escolhido irá interferir no total do lucro calculado em um determinado período contábil. O método PEPS usa o lote mais antigo para atender a demanda até que se esgote e então parte para o segundo lote. Usa-se a média ponderada de todas as mercadorias e seus custos no método custo médio. Os estoques também podem ser classificados em cinco categorias:

Estoque de matérias primas: armazena todos os itens que a empresa compra e que serão utilizados nos processos produtivos iniciais. Os materiais desse estoque irão servir de insumos podendo ser incorporados ao produto final ou não - como, por exemplo, graxa para o mancal de certa máquina ou equipamento.

18

Estoque de produtos em processos: são todos os itens que já

entraram no processo produtivo, porém não são produtos finais ainda. São os materiais que sofreram alterações iniciais, mas não estão finalizados\concluídos.

Estoque de produtos acabados: são os itens que já estão

acabados e podem ser entregues ao consumidor. São os produtos finais da

empresa.

Estoque em trânsito: São os itens que já foram despachados e

estão sendo transportados de um local para outro.

Estoque em consignação: são os materiais que são propriedade

da empresa, mas está em terceiros Se a gestão eficiente dos estoques acarreta maior produtividade e dando maior suporte para a área de compras de matérias primas e vendas, o seu mal gerenciamento leva ao seu inverso. Devido ao fato de o gerenciamento do armazém ser um dos processos mais importantes na empresa, deve-se evitar os erros e estar consciente das principais falhas. Entre elas estão:

informações incompletas, não atualizar informações, não descrever e identificar os itens do estoque, comprar mais matérias do que o necessário, não realizar inventários periódicos, adquirir vários produtos com pouca saída, a falta de

comunicação entre o setor comercial e o de compras, possuir um controle de estoque sem integração e não realizar um planejamento a longo prazo. As motivações para armazenar um produto são a diminuição de custos ou aumento dos lucros. O estoque pode representar redução de custos com transporte (pois não haverá necessidade de se locomover várias vezes para aquisição de materiais), coordenação entre oferta e demanda, suporte para o fluxo de produção (como o estoque de matérias primas) e, em síntese, satisfação do cliente. Assim uma boa gestão do estoque está diretamente ligada ao sucesso da empresa. Como a administração de estoques procura evitar erros, deve-se escolher por um modelo de estoque, em atendimento das necessidades empresariais. Há quatro tipos de estoque: estoque isolador, estoque de ciclo, estoque de antecipação e estoque no canal de distribuição. Estoque isolador ou estoque de segurança tem como finalidade compensar as incertezas e imprevistos do fornecimento e da demanda

19

Quando uma ou mais etapas da produção não pode fornecer todos os tipos de itens que produz, sendo que apenas um tipo de material é fabricado de cada vez, portanto haverá um estoque para compensar o fornecimento irregular de cada tipo de produto. Esse tipo de estoque é denominado estoque de ciclo.

Estoque de antecipação ocorre quando a empresa possui uma demanda esperada e então antecipa sua produção e estoca. Essa situação está ligada quando há uma demanda sazonal. Em algumas situações, o material não pode ser transportado instantaneamente do local de fornecimento e produção para o ponto de demanda. Esse tipo de estoque é denominado estoque no canal de distribuição. Todo estoque em transito, portanto, é estoque no canal. Para o melhor funcionamento e aproveitamento de espaço da empresa, eliminação de desperdício de tempo e maior lucratividade e produtividade é necessário implantar o layout. Pois além de melhorar em todos esses fatores já citados, também melhora a estética do ambiente.

Segundo PAOLESCHI (2009) o layout procura harmonizar e integrar

equipamento,

administração e todos os itens que possibilitam uma atividade industrial. Layout, uma

palavra inglesa, que significa configuração de instalação e tem como sinônimo “arranjo físico” organiza o espaço da maneira mais agradável possível, onde se leva em consideração os equipamentos e maquinarias, a movimentação dos funcionários, quantidades de matérias-primas e produtos, e processos. A origem certa não se sabe, porém, segundo a história existe desde quando os homens realizavam o seu trabalho. Antes de se aplicar o layout, deve-se estudar o local onde será aplicado e tudo o que nele está. Discutido a melhor opção que mais se adequa as características do ambiente. E posteriormente é colocado em prática. Nas grandes empresas esses procedimentos podem ser complicados. Existem vários tipos de layout, os mais utilizados são:

estocagem,

mão

de

obra,

material,

áreas

de

movimentação,

Layout posicional: o material fica parado enquanto operadores e maquinas ficam a sua volta até estar pronto. É usado quando são produzidos em menor quantidade e de maiores volumes.

20

Layout funcional: são agrupados todos os processos semelhantes. Utilizados com produtos de pequeno volume. Layout linear: os equipamentos são fixados numa sequência e os materiais se movem sobre eles. Layout em grupo: as operações são agrupadas em uma mesma célula de máquinas. Serve para produtos em pequena quantidade.

O arranjo físico inserido corretamente traz muitos benefícios, mas o

contrário também traz malefícios. Por isso, é necessário analisar bem antes e

ver qual tipo de layout mais se encaixa.

É importante saber quando devem ser feitas reavaliações, para que

permanentemente tragam vantagens para a empresa.

21

3.METODOLOGIA

3.1 Tipos de Pesquisa

Dois tipos de pesquisa foram utilizados neste trabalho: pesquisa teórica ou bibliográfica e pesquisa empírica ou de campo. O início do trabalho envolveu pesquisa de autores sobre a gestão e administração de estoque. Foram explorados teorias e conceitos sobre o assunto de forma a obter possíveis ideias para melhorar as atividades do estoque da empresa. Foi utilizada também a pesquisa de campo para recolher informações sobre a empresa. Para isso foram aplicados o método quantitativo e qualitativo para recolher dados. O método quantitativo emprega a análise dos dados, instrumentos estatísticos enquanto a forma qualitativa é descritiva e a coleta de informações é por meio de entrevistas, observação e investigação. O método quantitativo foi feito por meio de contagem e verificação dos materiais no estoque para realizar um inventário, sendo os principais itens:

Cantoneira 3/4 (17 unidades), Cavalinho para porta (15 unidades) e Nylon par

11/14 (12 unidades) que são classificados cor, medidas e tipos e assim seria possível identificar a quantidade e o tipo de materiais estocados. Foi realizado

o método qualitativo por meio de entrevistas com o proprietário da empresa para ter conhecimento sobre a maneira que os processos do armazém são realizados.

O espaço de armazenagem irá ser organizado, separando ferramentas e acessórios, dividindo por tipo e espécie, utilizando móveis e espaços ociosos disponíveis na empresa.

Após realizar as pesquisas foram estabelecidas as possíveis soluções e foi definido um planejamento para poder implantar para provavelmente, contribuir para a redução de desperdício do tempo, diminuindo

a espera do cliente (desde o pedido a entrega do produto final); permitir a

22

eficácia da administração da empresa, aumentar a quantidade de clientes atendidos, reposições corretas do estoque e organização do espaço físico.

3.2 Instrumentos de Pesquisa

Para a realização desta pesquisa, foi feito um estudo sobre a gestão de estoques por meio de pesquisa bibliográfica (livros e revistas) e pesquisa de campo (entrevistas, discussões e planejamentos), sendo quantitativa e qualitativa. Através dessas pesquisas foi possível adquirir maior conhecimento sobre estoque de vidro.

23

4. DISCUSSÃO E RESULTADOS

Analisando as operações do estoque foi identificado as dificuldades no estoque da empresa sendo:

Escassa organização e controle de estoque

Falta de programa para catalogação

Desconhecimento sobre os materiais estocados

Objetos desnecessários

O layout da empresa estava desorganizado com objetos desnecessários atrapalhando no fluxo de materiais, os itens armazenados estavam alocados sem nenhum tipo de ordenação por tamanho, tipo ou cor. Não havia conhecimento sobre a quantidade e os tipos de produtos estocados e assim não havia controle sobre o estoque. Dessa forma não se sabia se seria necessário fazer um pedido de aquisição de peças ou não e por vezes adquiria-se produtos desnecessariamente causando um excesso de produtos no estoque que poderiam ser utilizados. Sem o conhecimento sobre os materiais estocados e sem um programa para catalogação o custo e o valor do estoque eram desconhecidos Por meio de entrevista foi possível perceber os processos de armazenagem da empresa e definir as prováveis dificuldades do estoque. Quando foi perguntado ao empresário qual o principal problema que ele havia para controlar o estoque a resposta foi: “O tempo. Às vezes não tenho tempo de conferir o produto”. Sendo possível notar então que seria necessário analisar o estoque da empresa e buscar soluções para agilizar e facilitar os processos de estocagem. Pode-se perceber que a empresa não possuía um controle específico e objetivo sobre a administração de materiais quando foi perguntado ao empresário se ele fazia um fluxo de caixa ou algum jeito de fazer entrada ou saída de materiais, obtendo como resposta: “Não. A gente faz um controle, mas não é detalhado”. Observa-se também que havia uma má arrumação do estoque pela resposta do empresário Temos uma organização

no estoque, não é bem arrumado, mas a gente sabe onde cada coisa tá”,

24

quando foi perguntado se ele se sentia satisfeito com a organização e a disposição dos materiais do estoque. Assim foram definidas possíveis soluções como: retirar os objetos desnecessários do armazém para não atrapalhar o fluxo de materiais e a passagem de pessoas; contabilizar e classificar os materiais para identificar a quantidade e tipos de itens; alocar os materiais separadamente por tipos e assim organizar os produtos e facilitar seu acesso e criar um sistema para controlar o fluxo de entrada e saída de materiais e então seria possível saber a quantidade de produtos no estoque. Para gerir o estoque é preciso definir o planejamento e o controle de mercadorias para não haver problemas com a reposição e gerir a rotatividade de mercadorias. Sendo importante manter inventários periódicos para analisar os produtos estocados. Pode-se notar que as ideias propostas possibilitaram maior organização no estoque da empresa ao notar a figura 1 (foto da área de estocagem em 01 de setembro) e comparar com a figura 2 (foto da área de estocagem em 05 de novembro.

a figura 2 (foto da área de estocagem em 05 de novembro. Figura 1 – Área
a figura 2 (foto da área de estocagem em 05 de novembro. Figura 1 – Área

25

5.CONSIDERAÇÕES FINAIS

Observou-se consequências positivas desse trabalho, a microempresa que adquiriu maior organização fazendo assim uma otimização nos seus processos logísticos utilizando menor tempo. Esta pesquisa contribuiu para o aprendizado de logística e para literatura ao apresentar um estudo de caso.

Assim os objetivos, tais como analisar as dificuldades do estoque da empresa, foram alcançados por meio de técnicas de administração de estoque

e análises dos processos da empresa. Através desse trabalho foi possível notar a importância da administração de estoque e como ela tem impacto nas micro e pequenas empresas. Com isso pode-se notar o aumento da produtividade a diminuição de custo e tempo. Considerando ideias e conceitos foi possível montar

soluções para tornar o estoque da empresa mais eficiente. Pode-se considerar

a aplicação e os benefícios da gestão do estoque pelos resultados obtidos na

implantação prática das ideias na empresa. É importante que a aprendizagem na logística inclua o estudo da gestão de estoque nas micro e pequenas

empresas.

No ambiente organizacional da empresa de vidros essa pesquisa influencia para uma melhora no layout do estoque e para o controle de materiais que reduz os custos e diminuição de tempo na procura desses. A relevância social deste trabalho seria o melhor gerenciamento das microempresas e assim melhoria dos seus serviços prestados. Pois ao melhorar a administração de estoque irá refletir na agilidade do processamento de pedidos, otimizando seus serviços prestados a sociedade e aumentando seus lucros que influenciariam na economia do país. Conforme o crescimento das atividades da empresa pode ser necessário a adequação da área de estocagem visando a segurança e a ergonomia. Além de aplicar o uso de tecnologias para o controle dos produtos como por exemplo o site Bling, pois com o aumento da produtividade haverá mais produtos e assim maior dificuldade de organização sendo necessário sistemas eletrônicos para catalogação.

26

Apêndice

Tabela 1 Cronograma de atividades

26 Apêndice Tabela 1 – Cronograma de atividades

27

REFERÊNCIAS

Artigos.

2015

objetivos

Estoques

-

conceitos

básicos

e

62/>. Acessado em 20 de outubro de 2015

BALLOU, RONALD H. Logística Empresarial: Transportes, Administração de Materiais, Distribuição Física. São Paulo. Atlas, 1993

Bling.<https://www.bling.com.br/home.php>. Acessado em 15 de outubro de

2015.

CONSALTER, Maria Alice Soares. Elaboração de Projetos: Da introdução a conclusão. São Paulo: Ibpex. 2012

DIAS, M. A. P. Administração de materiais: uma abordagem logística. São Paulo. Atlas, 2010

Gestão de estoques: otimizando a

logística e a cadeia de abastecimentos. Disponível em

outubro de 2015.

GARCIA, Eduardo Sagigioro et al.

Acesso

em

24

de

HISRICH, R.D.; PETERS, M.P.; SHEPHERD, D.A. Empreendedorismo. Porto Alegre. AMGH,2014.

MARTINS, Garcia Petrônio; ALT, Paulo Renato Campos. Administração de materiais e recursos patrimoniais. Saraiva, 2011.

Normas da ABNT: Citações e referencias Bibliográficas. Disponível em:

<http://www.leffa.pro.br/textos/abnt.htm#5.16>. Acessado em 01 de novembro de 2015.

PAOLESCHI, Bruno. Logística industrial integrada: Do planejamento,

produção, custo e qualidade à satisfação do cliente. São Paulo: Érica,

2009.

Portal educação. Tipos de estoque: Planejamento e controle de estoques.

planejamento-e-controle-de-estoques. Acessado em16 de outubro de 2015.

28

SLACK, Nigel et al. Administração da Produção. Tradução Ailton Bomfim Brandão. São Paulo: Atlas, 1999.

Total qualidade. Layout- os tipos mais comuns de arranjo físico de organização. <http://www.totalqualidade.com.br/2012/01/layout-os-tipos-de- arranjo-fisico-de.html>. Acessado em 16 de outubro de 2015.

Terpe. Saiba a importância de ter um bom layout na sua

empresa.<http://terpe.com.br/dicas/saiba-a-importancia-de-ter-um-bom-layout-

em-sua-empresa> Acessado em 16 de outubro de 2015.