Você está na página 1de 3

Equaes Diferenciais Ordinrias

Ordem da EDO: A ordem de uma equao diferencial ordinria a da derivada de maior ordem contida na equao.
1 ordem:

2 ordem:

3 ordem:

EDO Linear
Pode envolver:

No envolve:

1) Potncias ou funes no lineares da varivel independente


2
(como x e cos x).
2) Produtos da varivel dependente (ou suas derivadas) com
3
4
-2
funes da varivel independente (como x y, x y ou e 2xy).

1) Qualquer potncia na varivel dependente e suas derivadas


3
2
(como y ou (y) ).
2) Qualquer produto das variveis dependentes e suas derivadas (como yy ou yy).
3) Qualquer outra funo no linear da varivel dependente
y
(como sen y ou e ).

Equao linear:
3x y 4xy + e2xy= 6x2

Equao no linear:
3(y)2 4yy + e2xy = 6x2

Potncia Produto Funo no linear

Forma geral de uma EDO:

() + 1 () (1) + + 1 () + () = ()

Uma equao diferencial linear denominada homognea se R(x) = 0 para todo x em considerao. Caso contrrio, ela no homognea.
Teorema da existncia e unicidade: Quando a equao possui as condies que permitem afirmar que uma equao diferencial tem soluo.
Tipos de solues:
As solues particulares so encontradas quando se dada uma condio
inicial que possibilita determinar o valor da constante.

Equao diferencial separvel


A equao diferencial dy/dx = f(x) dita separvel, uma vez que ela pode ser reescrita na forma dy = f(x)dx, na
qual as expresses x e y esto separadas de forma que todas as expresses envolvendo x esto direita e todas as
expresses envolvendo y esto esquerda. Depois de separadas, para encontrar a soluo, integramos ambos os
lados!

* as constantes de ambos os lados, tornam-se uma s!

Equaes diferenciais Lineares de 1 ordem


Homogneas
Soluo geral da equao homognea:

() = . ()
No-Homogneas
Mtodo do Fator Integrante:
Usado para encontrar uma soluo de uma equao linear multiplicando todos os membros da Eq. por um, fator integrante, que uma funo I=I(x) tal que:
. I(x)

(1)
(2)
(2) = (1)
Assim:
Assim:

Soluo da Equao linear de 1 ordem no homognea:

. [ (). () + ]
()

Onde: () = ()
p(x) = sempre quem acompanha o y
q(x) = sempre o x sozinho

Equaes diferenciais Exatas de 1 ordem


Uma equao diferencial de 1 ordem pode ser expressa na forma:
M(x, y) + N (x, y)y = 0
Ser chamada equao diferencial exata se existir funo S (x, y) tal que:
(,)

= (, ) e

(,)

= (, )

(, ) (, )
=
= (, )

Sendo que a soluo S sempre ser uma constante: S (x,y) = Cte


Dada a equao diferencial:

2xy + x2y = 0

M N
Como saber se uma EDO exata?
Sendo:

Sendo:

(, ) =

(, )

(, ) =

(, )

(, ) =

(, ) =

(, ) =

(, ) =

Ambos deram o mesmo resultado, logo EXATA!


Como descobrir a soluo S (x,y)?
Temos:

= + ()

Substituindo:

(, )
= (, )

Derivando em y:

= 2 + ()

2 ()
=
+

= 2 +

(, ) = (, )
(, ) = (, )
(, ) = 2

= 2

2
2

= + ()

= 2 +

()

2 = 2 +

()

()
= 2 2

()
=0

() = 0
() = 0
() =

* = 2
=
*Como S j uma
constante e a subtrao de constantes
outra constante, fica
apenas S!

Soluo final:
S (x,y) = yx2