Você está na página 1de 15

PSICOPATOLOGIA – 1° SEMESRTE

PROFESSORA MARLENE

AULA DO DIA 19/02/2010

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

- Entrevista psiquiátrica (visita a uma clínica no sábado com a professora);


- Funções psíquicas e suas alterações;
- Transtornos psicóticos;
- Transformações de humor;
- Sensopercepção: (1)Sensação, (2)Percepção, (3)Representação;
- Consciência e orientação;
- Pensamento;
- Atenção e memória;
- Valição e psicomotricidade;
- Efetividade.

BIBLIOGRAFIA

- Dalga Larrondo, Paulo. Psicopatologia e Semiótica dps Transtornos Mentais. Porto Alegre: Artmed,
2008 (usaremos muito este livro)

- Kaplan, Haorld; Sadock, B.J; Sadock, V.A. Manual de Psiquiatria Clínica. Porto Alegre: Artmed, 2008
(comprar caso queira seguir carreira hospitalar)

- Paim, Isaías. Curso de Psicopatologia. São Paulo. EPU, 2006

AULA DO DIA 26/02/2010

DEFINIÇÃO DE PSICOPATOLOGIA

- Campbell (1986) – Com o ramo das ciências que trata da natureza essencial da doença mental – suas
causas, as mudanças estruturais e funcionais associados a ela e suas formas de manifestação.
- Conjunto de conhecimentos referente ao adoecimento mental do ser humano
- Psicopatólogo: Não julga moralmente, apenas observa, identifica e compreende (usa termos técnicos);
- Tem boa parte de suas raízes na tradição médica, mas nutre-se de uma tradição humanística (literatura,
arte, filosofia e a psicanálise)
- Karl Jaspers (1883-1969): É uma ciência básica, que serve de auxilio à psiquiatria.

CONCEITO DE NORMALIDADE EM PSICOPATOLGIA

01 - Psiquiatria legal ou forense – implicações legais, criminais e éticas – destino social, institucional e
legal (Ex: TPM, depressão, etc, diminui a penalidade)
02 - Epidemiologia Psiquiátrica: Objeto de trabalho e pesquisa – estudar a doença na população.
03 - Psiquiatria cultural e etmopsiquiatria – contexto sociocultural (o contexto influi na normalidade do
fenômeno)
04 - Planejamento em saúde mental e políticas de saúde – demandas assistenciais – necessidades de
serviços.
05 - Orientação e capacitação profissional – Capacidade e adequação para exercer uma profissão (um
psicótico não pode ser piloto).
06 - Prática Clínica – Capacidade de discriminar, avaliar e intervir (será que essa pessoa vai se matar?)
CRITÉRIOS DE NORMALIDADE

01 – Normalidade com a ausência de doença – ausência de sintomas


02 – Normalidade ideal – utopia – sadio mais evoluído (as pessoas não mudam, não serão ideais)
03 – Normalidade estatística – Norma e freqüência
04 – Normalidade com o bem estar – OMS (Org. Mundial de Saúde) bem estar físico, mental e social.
05 – Normalidade funcional – disfuncional – sofrimento
06 – Normalidade com o processo – desenvolvimento psicossocial – períodos etários
07 – Normalidade subjetiva
08 – Normalidade com liberdade – Liberdade sobre o mundo e sobre o próprio destino (eles podem fazer
qualquer coisa? São limitados?)
09 – Normalidade Operacional

INDICAÇÕES DE FILMES RELACIONADOS A MATÉRIA

- Bicho de Sete Cabeças; A Ponte; Uma Mente Brilhante; Estamira; K-PAX; Spider; Leolo; Efeito
Borboleta; Os Possuídos; Ray; Quando um Homem Ama Uma Mulher; Mr. Jones; Estranho no Ninho

DIFERENÇAS:
Doença mental: Não há nada orgânico comprovado, geralmente se dá durante ou depois da adolescência.
Deficiência mental: Não desenvolvimento psico-motor, geralmente já se nasce com.

ESTÁGIO

LOCAIS PARA REALIZAÇÃO DO ESTÁGIO:


- Instituições que tenham doença mental como tema;
- Clínica de recuperação (Ex: CPR Clínica Paulista de Recuperação);
- Comunidade terapêutica;
- Ambulatório de psiquiatria;
- CAPS;
- CECCO;
- Hospital Geral – Ala psiquiátrica;
- Grupo de auto-ajuda (vale só 3 horas);
- ABRE – Associação dos Brasileiros Portadores de Esquizofrenia;
- SOS;
- Abrata;
- Astoc;
- Fenix;
- Peça teatral – Ex: TOC-TOC (Vale só uma peça);
- Entrevista com profissionais;
- Observar reuniões de equipe;
- Entrevista com paciente psiquiárico;
- Asilo, Casa de repouso;
- Observação de atividades terapêuticas/Oficinas

- TOTAL: 30 HORAS.
- Ao final do estágio fazer um relatório se aprofundando em um tema e relacionando a teoria com a
prática

AULA DO DIA 05/03/2010


**Não teve aula

AULA DO DIA 12/03/2010


ATITUDES QUE DEVEMOS EVITAR NUMA ENTREVISTA

01 – Posturas rígidas e estereotipadas – diferente de flexível;


02 – Atitude excessivamente neutra ou fria;
03 – Reações exageradamente emotivas ou artificialmente calorosas;
04 – Comentários valorativos ou emitir julgamento;
05 – Reações emocionais intensas de pena ou compaixão;
06 – Responder com hostilidade ou agressão;
07 – Entrevistas excessivamente prolixas;
08 – Fazer muitas anotações.

SERVIÇOS DE SAÚDE MENTAL

01 – Hospital Geral
02 – Hospital psiquiátrico
03 – CAPS
04 – CECCO
05 – Ambulatório de psiquiatria
**Pesquisas onde tem esse lugares na região, fazer buscas e trazer em duas semanas.

ENTREVISTA PSIQUIÁTRICA

01 – Identificação;
02 – Queixa principal e história da moléstia (doença) atual (O que sente, desde quando, já procurou ajuda,
houve internação psiquiátrica...);
03 – Interrogatório sintomatológico complementar;
04 – Antecedentes mórbidos (prejudiciais) pessoais (Se já houve tentativa de suicídio);
05 – Hábitos (se existem compulsões, manias doentias, qual a freqüência, o prejuízo..);

AULA DO DIA 19/03/2010


ENTREVISTA PSIQUIÁTRICA (CONTINUAÇÃO)

06 – Antecedentes patológicos familiares (saber se tem algo que possa ser genético);
07 – Relacionamento e dinâmica familiar (como esse relacionamento afeta o indivíduo, dependendo tem
que mexer nessa dinâmica);
08 – Exame físico (coisas que o médico indica pra fazer, como medir pressão);
09 – Exame neurológico (o neurologista vai ver se tem causa neurológica);
10 – Exame psíquico: Mini Mental (observar comportamento e verificar sua orientação no tempo, espaço
e com objetos;;
11 – História de vida: Anamnese (entrevista a família também);
12 – Resultados de avaliações complementares (se fez algum exame);
13 – Hipóteses diagnosticas: HD (é o que vai ser pedido na prova);
14 – Planejamento terapêutico (indicar tratamento, se vai fazer terapia em grupo, em família, etc).

**Simulação em classe de uma entrevista psiquiátrica.

AULA DO DIA 26/03/2010


SENSOPERCEPÇÃO

**Sensopercepção é uma junção da sensação, percepção e representação.

SENSAÇÃO: Fenômeno elementar gerado por estímulos físicos, químicos ou biológicos variados,
originados fora ou dentro do organismo, que produzem alterações nos órgãos receptores, estimulando-os.
- É algo sensorial, o indivíduo nasce com. Trata-se de como os estímulos chegam, como são
decodificados e como reagem.
- Esses estímulos podem ser visual, tátil, gustativo, auditivo, olfativo, cenestésico

PERCEPÇÃO: Tomada de consciência, pelo individuo, do estimulo sensorial


- Dimensão propriamente neuropsicológica e psicológica do processo, à transformação de estímulos
puramente sensoriais, em fenômenos perceptivos conscientes
- É quando associo, tomo consciência da sensação.
REPRESENTAÇÃO: É a representação de uma imagem na consciência sem a presença real, extrema,
do objeto que num primeiro momento gerou uma imagem sensorial.
- A imaginação/idéia do objeto fica, mesmo sem a presença desse objeto, mesmo que ele não seja
percebido sensorialmente (ex: quando falamos a palavra maçã, já imaginamos o objeto maçã mesmo sem
vê-lo naquele momento, só temos sua imagem na consciência).

ALTERAÇÃO DA SENSOPERCEPÇÃO

SENSAÇÃO
HIPERESTESIA: Aumento normal da sensação. Ex: Na enxaqueca a sensibilidade aumenta.
HIPOESTESIA: Diminuição na sensação. Ex: Na depressão os alimentos não tem gosto e “a vida perde a
cor”
ANALGESIA: Perda da capacidade de sentir dor, como quando se usa um analgésico para dor de cabeça.
Ex: Na histeria a dor pode desaparecer.
ANESTESIA: Perda da capacidade de sentir o órgão, como quando toma uma anestesia e passa a não
sentir mais o lado esquerdo.

PERCEPÇÃO
AGNOSIA: Perda da capacidade de reconhecer o objeto. A pessoa descreve perfeitamente aquele objeto
mas não sabe definir do que se trata.
ILUSÃO: É a percepção deformada de um objeto real e presente. Ele olha um objeto mas de fato vê outro
objeto. Ex: Olha uma calculadora mas jura que é uma aranha, porque de fato ele está vendo uma aranha.
ABERRAÇÕES CROMÁTICAS: Começa a ver as cores se moverem, elas ganham vida.
PERDA DA SINTESE PERCEPTIVA: Não percebe mais os estímulos exteriores. Ex: atravessa uma rua
e não percebe que ali podem ter carros passando.
ALUCINAÇÃO: É a percepção clara e definida de um objeto (voz, ruído, imagem) sem a presença do
objeto real

**Diferença:
- Alucinação: Cria um objeto que não existe
- Ilusão: Deforma objeto existente.

TIPOS DE ALUCINAÇÃO:
Alucinação auditiva: é a mais comum, pode ser dividida em três partes:
- Vozes que dialogam: Houve vozes que falam com ele.
- Vozes de comando: Houve vozes que o manda fazer algo, geralmente lhe diz coisas ruins e
obscenas.
- Eco do pensamento: Ouve seu pensamento e pensa que todos conseguem ouvir o que ele pensou.
Alucinação visual: Visualiza pessoas ou objetos
Alucinação tátil: Sente coisas no seu corpo, e vê bichos (como escorpiões) andando pelo seu corpo
Alucinação olfativa/gustativa: Sente gosto de veneno, cheiro de carne podre, de cadáver, de sangue, etc.
Alucinação autoscópia: Quando o indivíduo vê um duplo de si mesmo. Ex: Olha para o lado e vê sua
própria cabeça, ou até mesmo ele por inteiro.
Alucinação extra-campinas: Indivíduo percebe algo que não está no seu campo visual. Ex: Há alguém
do outro lado da parede chamando ele, Há alguém atrás dele, ou os alunos da outra sala estão falando
dele.
Alucinação liliputiana: Vê seres pequenos, como duendes por aí.
Alucinação anestésica: Tem a ver com a gravidade, sente o chão afundar, ou vê seu braço se esticar até
chegar a parede do outro lado.
Alucinação cinestésica: Indivíduo sente coisas se movimentando pelo corpo. Ex: sente seu fígado se
mover, ou o seu rim apodrecer.

CONSCIENCIA E SUAS ALTERAÇÕES

1) DEFINIÇÃO NEUROPSICOLÓGICA: Estado vigil, que de certa forma iguala a consciência ao


grau de clareza do sensório, estar desperto, acordado, lúcido.
2) DEFINIÇÃO PSICOLÓGICA: Soma total das experiências conscientes, dimensão subjetivada,
atividade psíquica
ALTERAÇÕES QUANTITATIVAS – REBAIXAMENTO DA CONSCIENCIA

01) OBNUBILAÇÃO:
- Rebaixamento da consciência em grau leve e moderado.
- Claramente sonolento ou derperto
- Diminuição do grau de clareza do sensório, lentidão da compreensão e dificuldade de concentração
- Quando fica sonolento, pescando, ou quando mesmo acordado, não consegue se concentrar nos
estímulos que aparecem.

02) SOPOR:
- Estado marcante de turvação da consciência
- Despertado por senérgico, de natureza dolorosa
- Incapaz de qualquer reação
- Só acorda com estímulos bruscos, geralmente dolorosos.

03) COMA
- Grau mais profundo de rebaixamento do nível da consciência.
- Não é possível qualquer atividade voluntária.

ALTERAÇÕES QUALITATIVAS

01) ESTADOS CREPUSCULARES


- Estruturamento transitório do campo da consciência, afunilamento, atos automáticos.
- Surge e desaparece de forma abrupta
- Atos explosivoa, violentos e episódios de descontrole emocional
- Ex: Epilepsia ou histeria

02) DISSOCIAÇÃO DA CONSCIÊNCIA


- Divisão do campo da consciência
- Perda da unidade psíquica
- Duram minutos/horas

03) TRANSE
-

Lição de casa:
Pesquisar exemplos dessas alucinações e de ilusões.

AULA DO DIA 16/04/2010

ORIENTAÇÃO

- É a capacidade de situar-se quanto a si mesmo e ao ambiente, é um elemento básico da atividade mental


(se o indivíduo não estiver orientado, não conseguirá se relacionar com o meio).
- Pode ser divida em autopsíquica e alopsíquica

ORIENTAÇÃO AUTOPSÍQUICA: CONSCIENCIA DO EU


- É a orientação do indivíduo em relação a si mesmo (se identificar, entender quem ele é).
- IDENTIDADE DO EU: Indivíduo sabe quem ele é, seu nome, seus dados pessoais únicos, suas
características que tem a ver unicamente com ele mesmo.
Alteração: Acreditar que é Jesus Cristo
- UNIDADE DO EU: Indivíduo sabe que não há outro senão ele com suas características, a
ciência de que ele é o único.
Alteração: Acreditar que existe um outro de si, um outro igual a ele.
- ATIVIDADE DO EU: Indivíduo tem a plena noção de que é dono de seus atos e atitudes, o faz
por sua vontade, sem que ninguém o controle. Ainda que tome uma atitude a mando de outro, sabe
que tem a possibilidade de acatar ou não.
Alteração: Delírios de influencia: achar que suas atitudes são influenciadas/mandadas por outro.
Não acreditar que é ele próprio quem quer fazer aquilo.
- OPOSIÇÃO DO EU: É a noção que o indivíduo tem dos limites do seu eu e do externo. Pode ter
um pensamento e achar que aquilo é bobagem/fantasia.
Alteração: Pensamento público, telepatia: Mistura fantasia com realidade. Pode achar que sabe o
que os outros pensam ou que os outros sabem o que ele pensa.

ORIENTAÇÃO ALOPSÍQUICA
- Capacidade de orientar-se em relação ao mundo, quanto ao tempo (orientação temporal) e quanto ao
espaço (orientação espacial)
- ORIENTAÇÃO TEMPORAL: Mais sofisticada, é adquirida mais tardiamente, exige a
integração de estímulos ambientais de forma mais elaborada (ex: dia, mês, ano).
- ORIENTAÇÃO ESPACIAL: Mais simples, estar orientado sobre o espaço (ex: bairro, cidade,
país).

ALTERAÇÃO/DESORIENTAÇÃO

- Desorientação por redução do nível de consciência: Indivíduo está com sono, ou mesmo sem sono ele
não sabe onde está.
- Desorientação por déficit de memória de fixação: Indivíduo tem alzhreimer, ou ele troca os nomes das
pessoas.
- Desorientação por apatia/desinteresse profundo: Faz as coisas por fazer, não tem motivação.
- Desorientação delirante: Construção fantasiosa, indivíduo cria algo e acredita naquilo
- Desorientação oligofrênica: déficit cognitivo, como a síndrome de down.
- Desorientação histérica: Pessoa com histeria que não sabe quem é ou onde está.
- Desorientação por desagregação: Fala as coisas fragmentadas, não consegue montar frases com sentido,
diz coisas que não tem nada a ver com outras.
- Desorientação quanto a própria idade: Realmente acha que tem aquela outra idade.

ATENÇÃO

- Direção da consciência, o estado de concentração da atividade mental sobre determinado objeto.


Atenção Voluntária: Exprime a concentração ativa e intencional da consciência sobre o objeto.
Tipos:
Atenção Espontânea: Suscitada pelo interesse momentâneo, que desperta este ou aquele objeto.

Externa (Órgãos dos sentidos)


Direção:
Interna (reflexiva)

Atenção Focal
Amplitude:
Atenção Dispersa

ANORMALIDADES DA ATENÇÃO

- HIPOPROSEXIA: Diminuição da capacidade global de atenção


- APROSEXIA: Abolição da capacidade de pensar
- HIPERPROSEXIA: Estado exacerbado da tendência de obstinar-se, permanecer sobre certos objetos
com surpreendente infatigabilidade.
- DISTRAÇÃO: É um sinal de superconcentração ativa da atenção sobre um objeto, com inibição de
todos os outros.

DISTRAIBILIDADE

- Estado patológico, mobilidade acentuada da atenção voluntária, com dificuldade para se fixar ou se
manter em qualquer coisa que implique no esforço produtivo. A atenção é desviada com facilidade.
TABELA PARA FIXAÇÃO
FUNÇÃO PSÍQUICA ALTERAÇÃO PSÍQUICA
- Hiperestesia
- Hipoestesia
Sensação
- Analgesia
- Anestesia
- Agnosia
- Ilusão
Percepção
Sensopercepção

- Aberrações cromáticas
- Perda da síntese perceptiva
- Auditiva
- Visual
- Tátil
- Olfativa/Gustativa
Representação - Alucinação - Autoscópica
- Extra Campinas
- Liliputiana
- Cinestésica
- Cenestésica
- Obinubilação
- Quantitativas - Sopor
- Coma
Consciência
- Estados Crepusculares
- Qualitativas - Dissociação da Consciência
- Transe
- Identidade do eu - Redução do nível de
consciência
- Unidade do eu - Déficit de memória de
- Autopsíquica fixação
- Atividade do eu - Apatia/Desinteresse profundo
Orientação Desorientação
- Oposição do eu - Delirante
- Oligofrênica
- Temporal - Histérica
- Alopsíquica - Espacial - Desagregação
- Quanto a própria idade
- Hipoprosexia
- Voluntária
- Aprosexia
Atenção Anormalidades
- Hiperprosexia
- Espontânea
- Distração
- Retenção Hipermnésia
- Amnésia Psicogênica
Memória - Fixação
- Amnésia Orgânica
Amnésia
- Amnésia Anterógrada
- Evocação
- Amnésia Retrógrada

- Impulso
Vontade/Volição
- Compulsão
- Agitação psicomotora
Psicomotricidade
- Tiques

TABELA PARA FIXAÇÃO


FUNÇÃO PSÍQUICA ALTERAÇÃO PSÍQUICA
Alterações no - Desintegração dos conceitos
- Conceito
conceito - Condensação dos conceitos
- Juízo Alteração no juízo - Juízo deficiente ou prejudicado
- Pensamento mágico
- Pensamento derreísta
- Pensamento concreto
- Constitutivos - Pensamento inibido
- Pensamento vago
Alterações no
- Raciocínio - Pensamento prolixo
Raciocínio
- Pensamento deficitário
- Pensamento demencial
- Pensamento confusional
- Pensamento desagregado
- Pensamento obsessivo
Pensamento - Aceleração do pensamento
- Lentificação do pensamento
- Curso Alterações no curso
- Bloqueio do pensamento
- Roubo do pensamento
- Fuga de idéias
- Dissociação do pensamento
- Forma Alterações na forma
- Descarrilhamento
- Processo de
- Desagregação do pensamento
pensar
- De perseguição
- Depreciativos
- Religiosos
Alterações no
- Conteúdo - Sexuais
Conteúdo
- De poder, riqueza ou grandeza.
- De ruína ou culpa
- Hipocondríacos
- Distimia
- Humor triste
- Disforia
- Depressão Disfórica
- Humor Alterações do humor - Euforia ou alegria patológ.
- Estado de elação
- Puerilidade
- Estado de êxtase
- Irritabilidade
- Emoções - Apatia
- Hipomodulação do afeto
Afetividade
- Inadequação do afeto ou paratimia
- Pobreza de sentimentos
- Embotamento/devastação afetiva
- Sentimento de falta de sentimento
- Alegria Alteração da emoção
- Anedonia
e sentimentos
- Sentimentos - Atração - Labilidade afetiva
- Perigo - Ambivalência afetiva
- Narcísico - Neotimia
- Afeto - Medo
- Paixões - Fobia
- Pânico

AULA DO DIA 30/04/2010


MEMÓRIA
- É a capacidade de registrar, manter e evocar os fatos já ocorridos.
- Memória cognitiva – conjunto de informações registradas e potencialidade “recuperáveis” pelo sistema
imunológico de um ser vivo.

Divisão da memória
-fase de percepção, registro e fixação (perceber é interpretar os estímulos sensoriais);
-fase de retenção e conservação;
-fase de reprodução e evocação.

O processo de fixação depende:


.nível de consciência
.atenção global
.sensopercepção
.interesse emocional
.conhecimento anterior
.capacidade de compoens
.organização temporal das repetição

A conservação depende:
.Repetição
.Associação (cadeia)

Evocação é a capacidade de recuperar e atualizar os dados fixados – aprender mais acerca daquilo que
você já sabe, atualizar-de.
Esquecimento – impossibilidade de evocar e recordar.
Reconhecimento – é a capacidade de identificar o conteúdo mnêmica da lembrança e diferencia-la de
representações atuais – identificar o conteúdo aprendido e diferencia-lo dos demais.

A Neuropsicologia dividi a memória em 4 fases ou tipos

1- Memória imediata capacidade de reter o material


2- Memória recente ou de curto prazo( capacidade de reter informações por período curto)
(minutos/horas)
3- Memória remota ou de longo prazo: (capacidade de evocar informações do passado.(meses/anos)

O esquecimento tem três vias

1- Esquecimento normal (desinteresse ou desuso)


2- Esquecimento por represão (desagradável)( volta a recordar)
3- Esquecimento por recalque (insuportáveis)

Tipos específicos de memórias

1-Memória explícita ou declarante: processo de registrar e evocar de forma consciente e voluntária


informações referente pessoa e eventos.
2-Memória implícita, não-declarante ou de procedimento: automática ou reflexa, não depende de fatores
conscientes e voluntários.Ex:bicicleta, datilografar.
3-Memória de trabalho (Working memory), memória operante ou executiva: amplo conjunto de
habilidades cognitivas. Capacidade de reter, mantendo ativas informações durante curto período de
tempo.
4-Memória episódica: recordação consciente de fatos reais
5-Memória semântica: registro e retenção de conteúdos em força do significado que tem.Ex:almoço

ALTERAÇÕES PATOLÓGICAS DA MEMÒRIA

- Hipermnésias – as repetições afluem rapidamente. Ex: Todas as cenas de uma experiência anterior se
passam rapidamente na recordação do sujeito.
- Amnésias – perda da memória, seja da capacidade de fixar ou da capacidade de manter e evocar antigos
conteúdos. Tipos de amnésia:
1- Amnésias Psicogênicas: perda de elementos mnêmicos focais, que valor psicológico específico
(valor simbólico, afetivo).Ex:esqueçe um evento, mas lembra de tudo ao redor (estado hipnótico
– lembra). Ex: Lembra de tudo em sua formatura menos de que seu pai estava lá.
2- Amnésia Orgânica: menos seletiva. Perde a capacidade de fixação e depois perde conteúdos
antigos. Ex: Alzhreimer
3- Amnésia Anterógrada : indivíduo não fixa elementos a partir momento que houve o dano
cerebral.
4- Amnésia Retrógrada – indivíduo perde a memória para fatos ocorridos antes do início da
doença(trauma).
Qualitativas
5- Ilusões Mnêmicas: acréscimo de elementos falsos a um núcleo verdadeiro de memória.Ex:tive
centena de filho.
6- Alucinações Mnêmicas:criações imaginativas.
7- Fabulações : imagens produzidas pela fantasia (preenche o vazio) (examinados pode estimular)
8- Criptomnésias: conta com algo novo
9- Ecmnésia: visão panorâmica da vida (proximidade da vida e morte)
10- Lembrança Obsessiva: idéia fixa “representação prevalente”....

PENSAMENTO E SUAS ALTERAÇÕES

ELEMENTO CONSTITUTIVOS DO PENSAMENTO:

1-OS CONCEITOS:
-Formam-se a partir das representações
-é puramente cognitivo, intelectivo
-exprimem-se apenas os caracteres mais gerais dos objetos e fenômenos
Ex. Cadeira preta, de madeira,, bonita ou feia, etc. Conceitualizo cadeira como objeto de quatro pés,
móvel utilizado para sentar, estou suprimindo a dimensão sensorial. Um bebê já sabe o que é mamar
quando a mamãe diz essa palavra, ele tem o conceito disso formado.
O conceito é o elemento estrutural básico do pensamento, exprime os caracteres essenciais dos objetos e
fenômenos da natureza.

2-OS JUÍZOS:
-É o processo que conduz ao estabelecimento de relações significativas entre conceitos básicos
-O juízo consiste na afirmação de relação entre dois conceitos.
Ex: cadeira + utilidade = A cadeira é útil

3-O RACIOCÍNIO
-É a função que relaciona os juízos, um modo especial de ligação entre os conceitos, de seqüências de
juízos, de encadeamento de conhecimentos, derivando um do outro.
- Relaciona de forma coerente, para que tenha um sentido.

O PROCESSO DO PENSAR

1-O CURSO DO PENSAMENTO: É o modo como o pensamento flui, a sua velocidade e ritmo ao
longo do tempo, pensar rápido ou devagar;

2-A FORMA DO PENSAMENTO: É a sua estrutura básica, a sua arquitetura, preenchida pelos
conteúdos e interesse do individuo. É a forma como cada um organiza seus pensamentos. Ex: Pessoa fala
e ninguém entende pois acham que essa pessoa não está sendo clara, não acompanham sua linha de
raciocínio.

3-O CONTEÚDO DO PENSAMENTO: Pode ser definido como aquilo que da substância ao
pensamento, os seus temas predominantes, o assunto em si.

ALTERAÇÕS DOS ELEMENTOS CONSTITUTIVOS DO PENSAMENTO

ALTERAÇÕES DOS CONCEITOS:


1-Desintegração dos conceitos: a perda do seu significado, os conceitos se desfazem e uma mesma
palavra passa a ter significados cada vez mais diversos;a idéia de determinado objeto e a palavra que
normalmente a designa passam a não mais coincidir
Ex .ateu --- a teu comando—a comando de Deus (desintegra o sentido)

2-Condensação dos conceitos: dois ou mais conceitos são fundidos, junta-se duas ou mais palavras e cria
uma nova (neologismo)

ALTERAÇÕES DOS JUÍZOS:

1-Juízo deficiente ou prejudicado: juízo falso, os conceitos são inconsistentes e o raciocínio é pobre e
defeituoso, são simplistas, não conseguem aprimorar, são concretos e sujeitos á influência do meio social.

ALTERAÇÕES DO RACIOCÍNIO:

1-Pensamento mágico: fere o princípio da lógica formal, não respeita a realidade, segue os desejos,
fantasias e temores do sujeito, conscientes ou inconscientes, adequando a realidade ao pensamento, e não
ao contrário. Ex: Mulher que mora sozinha, ouve barulhos a noite e acredita que é o demônio.

2-Pensamento derreísta: opõe-se radicalmente ao pensamento realista,obedece à lógica e à realidade só


naquilo que interesse ao desejo do indivíduo, distorcendo a realidade para que ele se adapte aos
anseios.volta-se muito mais ao mundo interno do sujeito, suas fantasias e sonhos, tudo é possível.

3-Pensamento concreto ou concretismo; não ocorre a distinção entre uma dimensão abstrata e simbólica
e uma dimensão concreta e imediata dos fatos, não entende metáforas, ironias, nas entrelinhas e duplo
sentido. Ex.demência, esquizofrenia graves.

3-Pensamento inibido: inibição de raciocínio, diminuição da velocidade e dos números de conceitos,


pensamento lento, pouco produtivo, não consegue fazer planos. Ex: depressão.

4-Pensamento vago: imprecisão nas relações conceituais e na formação dos juízos, falta de clareza e
precisão, não consegue organizar. Ex esq., demência.

5-Pensamento prolixo: não chega a conclusão sobre o tema, a não ser depois de muito tempo, falta de
capacidade de síntese, não consegue ser objetivo no que quer chegar.

6-Pensamento deficitário: estrutura pobre e rudimentar, raciocínio concreto, conceitos escassos, há


pouca flexibilidade na aplicação dos conceitos e regras aprendidas, não diferencia essencial de supérfluo,
imaginário de concreto, decora números. Decora as coisas com facilidade, mas não consegue elaborar
nem abstrair.

7-Pensamento demencial: pobre e desigual, as vezes elaborações mais sofisticadas, mas imperfeito,
irregular, sem unidade e congruência, evita adjetivos e os substantivos específicos. Ex aquela coisa,
aquilo lá.

8-Pensamento confusional: turvação da consciência, incoerente, não aprende de forma clara, não diz
coisa com coisa, não sabe o que está dizendo. Ex: síndromes confusionais, abstinência de álcool.

9-Pensamento desagregado: radicalmente incoerente, mistura aleatória de palavras, salada de palavras.


Ex: esquizofrenia.

10-Pensamento obsessivo: conteúdo absurdo ou repulsivo que impõe à consciência de modo persistente
e incontrolável. É uma luta constante entre idéias obsessivas, que voltam de forma recorrente à
consciência e o indivíduo que se esforça para bani-las. Ex. Pacientes obsessivos

ALTERAÇÕES DO PROCESSO DE PENSAR

CURSO DO PENSAMENTO
1-Aceleração do pensamento: flui de forma acelerada, uma idéia se sucedendo a outra. Ex quadros de
mania, esquizofrenia, estados de ansiedade intensa, depressão.

2-Lentificação do Pensamento: progride lentamente, de forma dificultosa. Ex: depressão grave,


intoxicações, rebaixamento da consciência

3-Bloqueio ou intercepção do pensamento: no meio de uma conversa brusca e repentinamente


interrompe seu pensamento, sem motivo, dá um branco. Ex: esquizofrenia

4-Roubo do pensamento: sensação que seu pensamento foi roubado de sua mente por uma força ou ente
estranho, pessoa pára de falar porque acha que seu pensamento foi sulgado. Ex: esquizofrenia.

FORMA DO PENSAMENTO

1-Fuga de idéias: a associações entre as palavras deixam de seguir uma lógica ou finalidade do
pensamento e passa a ocorrer por assonância (amor, flor, cor, objetos da sala) Ex: Síndromes maníacas.

2-Dissociação do pensamento: desorganização, pensamento não segue uma seqüência lógica e bem
organizada, os juízos não se articulam.

3-Descarrilhamento do pensamento: extravia do seu curso, tomam atalhos colaterais, desvios,


distraibilidade. Ex: Esquizofrenia.

4-Desagregação do pensamento: profunda e radical perda dos enlaces associativos, total perda de
coerência do pensamento, não tem seqüência lógica. Ex: esquizofrenia.

CONTEÚDO DO PENSAMENTO:

1-DE PERSEGUIÇÃO (paranóia);


2-DEPRECIATIVOS (ninguém quer saber de mim);
3-RELIGIOSOS;
4-SEXUAIS;
5-DE PODER, RIQUEZA OU GRANDEZA;
6-DE RUÍNA OU CULPA;
7-CONTEÚDOS HIPOCONDRÍACOS

AFETIVIDADE

-Dimensão psíquica que da cor a vida, brilho e calor a todas as vivencias humanas.
- Modalidades: Há cinco tipos básicos de vivencias afetivas:
1-HUMOR: tônus afetivo do indivíduo, estado emocional basal e difuso
-disposição afetiva de fundo que penetra toda a experiência psíquica
-lente afetiva que dá as vivências do sujeito, pode ter oscilações
2-EMOÇÕES: reações afetivas agudas, momentâneas, desencadeadas por estímulos significativos
-estado afetivo intenso, de curta duração, reação do indivíduo a certas excitações internas ou
externas, conscientes ou inconscientes.
3-SENTIMENTOS: são estados e configurações afetivas a estáveis; em relação às emoções, são
mais atendidos em sua intensidade e menos reativos a estímulos passageiros
-conteúdos intelectuais, valores, representações
- Classificação dos sentimentos:
-Sentimentos da esfera da tristeza(melancolia, saudade, tristeza, nostalgia,
vergonha, impotência, aflição, culpa, remorso, autodepreciação etc).
-Sentimentos da esfera da alegria: euforia, júbilo, contentamento, satisfação,
confiança, gratificação, esperança, expectativa, etc.
-Sentimentos relacionados à atração pelo outro: amor,atração, tesão, apreço,
estima, carinho, gratidão, amizade, apego, estima, respeito, consideração, admiração,
etc.
-Sentimentos associados ao perigo: temor, receio, desamparo, abandono, rejeição,
etc.
-Sentimentos de tipo narcísico: vaidade, orgulho, onipotência, superioridade,
empatia, prepotência, etc.
4-AFETOS: qualidade e o tônus emocional que acompanham uma idéia ou representação mental
-qualquer estado de humor, sentimento ou emoção
5-PAIXÕES: um estado afetivo extremamente intenso, que domina, a atividade psíquica como um
todo, captando e dirigindo a atenção e o interesse do indivíduo em uma só direção, inibindo os
outros interesses
- liga a algo idealizado e não permite enxergar o real.

**CATATIMIA
-importante influência que a vida afetiva, o estado de humor, as emoções, sentimentos e paixões exercem
sobre as demais funções psíquicas:
REAÇÃO AFETIVA: EU  MUNDO
- Tem duas dimensões:
- sintonização afetiva: capacidade do indivíduo ser influenciado por estímulos externos
- irradiação afetiva: capacidade que o indivíduo tem de transmitir, irradiar ou contaminar os outros com
seu estado afetivo momentâneo

RIGIDEZ AFETIVA
-Indivíduo não deseja, tem dificuldade ou impossibilidade tanto de sintonizar como de irradiação afetiva,
não produz reações afetivas nos outros e nem reage.

ASPECTOS PSICODINÂMICOS DA AFETIVIDADE

CONCEPÇÃO FREUDIANA
ANGÚSTIA - afeto básico emergindo do eterno conflito entre o indivíduo e seus impulsos instintivos
primordiais, seus desejos e necessidades por um lado, e por outro, as exigências de comportamento
civilizado, restrições (não desejar a mulher do próximo)
-transformação da libido não descarregada
-sinal de perigo, de desprazer que suscitaria da parte do eu uma reação de defesa passiva ou ativa,
ativando o recalque ou outros mecanismos de defesa, a fim de evitar uma situação de perigo mais
importante.

DEPRESSÃO OU MELANCOLIA - modo particular de elaboração inconsciente de perdas reais ou


simbólicas.
EU  Identidade.narcísica.  OBJETO
(objeto amado e odiado) ----introjeção-----
-Acusações, sentimento de culpa e fracasso, autopunição, descuido próprio., perda do apetite e idéias
suicidas

CONCEPÇÃO DE MELANIE KLEIN


VIDA AFETIVA- associados a fantasias primitivas e as relações de objetos
-afetos primários(ódio, inveja, medo de ser retaliado)
-outros afetos(gratidão, reparação, amor)

ALTERAÇÕES PATOLÓGICAS DA AFETIVIDADE

HUMOR
-Distimia: alteração básica do humor, inibição ou exaltação, depressão leve.
-Humor triste e ideação suicida: humor depressivo (desesperança e angústia), idéias relacionadas à morte,
idéias suicidas, planos suicidas, atos e tentativas
-Disforia: distimia, tonalidade afetiva desagradável, mal-humorada
-Depressão disforica: quadro de depressão ou mania mais componente de irritação, amargura, desgosto ou
agressividade
-Euforia ou alegria patológica: humor, morbidam/e exagerado, estado de alegria intensa e desproporcional
às circunstâncias.
-Estado de elação: alegria patológica, expansão do eu, sensação subjetiva de grandeza e poder
- Puerilidade: aspecto infantil, simplório, regredido. Indivíduo ri ou chora por motivos banais. Ex. esq
hebefrenica, histéricos
-Estados de êxtase: experiência de beatitude, sensação de dissolução do eu no todo, compartilhamento
íntimo do estado afetivo interior c/o mundo exterior. Ex. contexto religioso, esq., mania
-Irritabilidade: patológica: hiperreatividade desagradável, hostil, agressividade a Ss

ANSIEDADE, ANGÚSTIA E MEDO


ANSIEDADE: - Estado de humor desconfortável, apreensão, negativa em relação ao futuro,
inquietação interna desagradável.
-dispnéia, taquicardia, tensão muscular, tremores
-apreensão, desconforto mental
ANGÚSTIA: sensação de aperto no peito e na garganta, compressão, sufocamento (mais corporal,
passado)
MEDO: refere-se a um objeto mais ou menos preciso

ANGÚSTIA E ANSIEDADE NA ESCOLA PSICANALÍTICA

1-Angústia de castração
2-Angústia de morte ou de Aniquilamento
3-Ansiedade depressiva
4-Ansiedade persecutória ou paranóide
5-Angústia de separação

NA ESCOLA EXISTENCIAL

6-Angústia existência

NAS ESCOLAS COMPORTAMENTAIS E COGNITIVAS

7-Ansiedade de desempenho
8-Ansiedade antecipatória

ALTERAÇÕES DAS EMOÇÕES E DOS SENTIMENTOS

1-Apatia-diminuição da excitabilidade emotiva e afetiva(nem alegria, nem tristeza)


2-Hipomodulação do afeto: incapaci// de modular a resposta afetiva de acordo c/ a situação
3-Inadequação do afeto ou paratimia: reação incongruente da esfera ideativa e a afetiva
4-Pobreza de sentimentos e distanciamento afetivo: perdas das vivências afetivas
5-Embotamento afetivo e devastação afetiva: perda profunda de todo tipo de vivência
afetiva(observável)
6- Sentimento de falta de sentimento: incapaci// p/ sentir emoções(se sente morto, estado vazio)
7-Anedonia: incapaci// de sentir prazer com as coisas
8-Labilidade afetiva; mudanças súbitas e imotivadas do humor
9-Ambivalência afetiva: sent/os em relação a um mesmo S ou obj.
10-Neotimia: sent/os e experiências afetivas novas(estranhos e bizarros)
11-Medo: estado de progressiva insegurança e angústia, impotência e invalidez crescentes
12-Fobias: medos psicopatológica/e desproporcionais e incompatíveis c/ as possibidades de perigo real
*fobia simples(barata, sapo)
*fobia social(contato)
*agorafobia(espaços amplos e aglomerados)
*claustrofobia(espaços fechados)
13-Pânico: reação de medo intenso, de pavor, ligado ao perigo(original) imaginário de morte iminente,
descontrole ou desintegração. Sentimento primário de desamparo