Você está na página 1de 22
Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com ÍNDICE: AULA 01: O DÓ CENTRAL 01 AULA 02: A

Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

ÍNDICE:

AULA 01: O DÓ CENTRAL

01

AULA 02: A NOTA RÉ DEPOIS DO DÓ CENTRAL

03

O

COMPASSO DE TRÊS FORMAS

03

AULA 03: A NOTA MI DEPOIS DO DÓ CENTRAL

05

VALOR COMPARATIVO

05

AULA 04: A NOTA FÁ DEPOIS DO DÓ CENTRAL

07

AS TONALIDADES

07

OS ACIDENTES MUSICAIS

07

CICLO DE QUINTAS ASCENDENTES E DESCENDENTES

08

AULA 05: A NOTA SOL DEPOIS DO DÓ CENTRAL

11

A

DINÂMICA MUSICAL

11

AULA 06: A NOTA LÁ DEPOIS DO DÓ CENTRAL

12

TÉCNICAS DE CANTO: O RELAXAMENTO

12

TÉCNICAS DE CANTO: O ALONGAMENTO

13

TÉCNICAS DE CANTO: O AQUECIMENTO

13

AULA 07: A NOTA SI DEPOIS DO DÓ CENTRAL

16

CLASSIFICAÇÃO VOCAL

16

AULA 08: A NOTA DÓ OITAVADA

18

O

PONTO DE AUMENTO

18

TONS E SEMITONS NATURAIS

18

OS GRAUS DA ESCALA

19

AS QUIÁLTERAS

19

AULA 09: AS NOTAS SI, LÁ E SOL (GRAVES)

21

HARMONIZAÇÃO I: INTERVALOS DE TERÇA

21

AULA 10: AS NOTAS RÉ, MI, FÁ, SOL E LÁ (AGUDAS)

23

HARMONIZAÇAO II: INTERVALOS DE QUINTA

23

PARTITURAS: JUSTO ÉS SENHOR

25

AS TUAS MÃOS DIRIGEM MEU DESTINO

26

COM A MINHA VOZ CLAMO AO SENHOR

27

ESPÍRITO DO TRINO DEUS

28

DEUS ESTÁ NO TEMPLO

29

QUERO ESTAR AO PÉ DA CRUZ

30

REDENTOR ONIPOTENTE

31

Ó CRISTO, PÃO DA VIDA

32

CRISTO JÁ RESSUSCITOU

33

SALMO 23

34

DEUS

38

PALAVRAS DO AUTOR

42

Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

AULA 01:

É importante que o aluno de canto conheça bem o som do Dó Central, que

é a nota Dó que temos referência para acharmos as demais notas. Lembrando que a voz masculina, por natureza é uma oitava mais grave que

a voz feminina, então o Dó central na voz feminina é uma oitava acima em relação

à voz masculina. Por esse motivo temos dois tipos de partitura para cada tipo de voz;

motivo temos dois tipos de partitura para cada tipo de voz; escrevemos as vozes femininas na

escrevemos as vozes femininas na clave de sol ( ), e as vozes masculinas na clave

de fá (

na clave de sol ( ), e as vozes masculinas na clave de fá ( ).

). Escrita do Dó Central:

Voz feminina:

na clave de fá ( ). Escrita do Dó Central: Voz feminina: Voz masculina: Você deverá

Voz masculina:

( ). Escrita do Dó Central: Voz feminina: Voz masculina: Você deverá escutar o áudio que

Você deverá escutar o áudio que acompanha esta apostila e ter em mente

o som desta nota, pois servirá de modelo para as demais aulas.

Exercício Nº. 01:

(Semibreve) Você deverá executar cada dó em quatro tempos.

Você deverá executar cada dó em quatro tempos. Exercício Nº. 02: (Mínimas) Cada dó é executado

Exercício Nº. 02:

(Mínimas) Cada dó é executado em dois tempos.

Nº. 02: (Mínimas) Cada dó é executado em dois tempos. Pág. 01 Curso Básico de Canto

Pág. 01

Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

Exercício Nº. 03:

(Semínimas) Cada Dó é executado em um tempo.

Nº. 03: (Semínimas) Cada Dó é executado em um tempo. Exercício Nº. 04: (Colcheias) Em cada

Exercício Nº. 04:

(Colcheias) Em cada tempo são executadas duas notas. É só contar: um e dois e três e quatro e um e dois e

É só contar: um e dois e três e quatro e um e dois e Pág.

Pág. 02

Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

AULA 02:

Escrita da nota Ré:

AULA 02: Escrita da nota Ré: O COMPRASSO DE TRÊS FORMAS: QUARTENÁRIO (4/4), com quatro tempos;

O COMPRASSO DE TRÊS FORMAS:

QUARTENÁRIO (4/4), com quatro tempos; TERNÁRIO (3/4), com três e BINÁRIO (2/4), com dois. A mão ou o pé marca estes tempos, com os seguintes movimentos:

SISTEMA FRANCÊS:

estes tempos, com os seguintes movimentos: SISTEMA FRANCÊS: SISTEMA ITALIANO: Estes compassos são chamados de compassos

SISTEMA ITALIANO:

os seguintes movimentos: SISTEMA FRANCÊS: SISTEMA ITALIANO: Estes compassos são chamados de compassos simples, mais

Estes compassos são chamados de compassos simples, mais adiante iremos estudar os compassos compostos.

Pág. 03

Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

Exercício Nº. 05:

de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com Exercício Nº. 05: Exercício Nº. 06: Exercício Nº. 07: Exercício Nº. 08:

Exercício Nº. 06:

Exercício Nº. 05: Exercício Nº. 06: Exercício Nº. 07: Exercício Nº. 08: Pág. 04 Curso

Exercício Nº. 07:

Exercício Nº. 05: Exercício Nº. 06: Exercício Nº. 07: Exercício Nº. 08: Pág. 04 Curso Básico

Exercício Nº. 08:

Exercício Nº. 06: Exercício Nº. 07: Exercício Nº. 08: Pág. 04 Curso Básico de Canto

Pág. 04

Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

AULA 03:

Escrita da nota Mi:

AULA 03: Escrita da nota Mi: VALOR COMPARATIVO: Os compassos são representados por frações que indicam

VALOR COMPARATIVO:

AULA 03: Escrita da nota Mi: VALOR COMPARATIVO: Os compassos são representados por frações que indicam

Os compassos são representados por frações que indicam a quantidade e a figura que iremos ter por unidade de tempo. Exemplo 01:

3 (indica a quantidade de figuras no compasso)

4 (indica a figura que irá representar a unidade de tempo)

(Neste caso, o compasso é representado por três semínimas.).

Exemplo 02:

6

(indica a quantidade de figuras no compasso)

8

(indica a figura que irá representar a unidade de tempo)

(Neste caso, o compasso é representado por seis colcheias.).

Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

Pág. 05

Exercício Nº. 09:

wellyngtonjonathan@hotmail.com Pág. 05 Exercício Nº. 09: Exercício Nº. 10: Exercício Nº. 11: Obs.: ligadura de

Exercício Nº. 10:

Pág. 05 Exercício Nº. 09: Exercício Nº. 10: Exercício Nº. 11: Obs.: ligadura de duração (também

Exercício Nº. 11:

Obs.: ligadura de duração (também conhecida como ligadura de
Obs.:
ligadura de duração (também conhecida como ligadura de

prolongamento)= une o tempo das duas notas. Existe também a ligadura de

expressão (também conhecida como legato), quando duas ou mais notas expressam a mesma sílaba ou palavra.

Exercício Nº. 12:

expressam a mesma sílaba ou palavra. Exercício Nº. 12: Obs.: (fermata) = prolonga um pouco o

Obs.:

a mesma sílaba ou palavra. Exercício Nº. 12: Obs.: (fermata) = prolonga um pouco o tempo

(fermata) = prolonga um pouco o tempo da nota.

Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

Pág. 06

AULA 04:

Escrita da nota Fá:

AULA 04: Escrita da nota Fá: AS TONALIDADES: As tonalidades são indicadas no início de cada

AS TONALIDADES:

As tonalidades são indicadas no início de cada partitura. A tonalidade de Dó maior é a única que não possui acidentes musicais; os sustenidos (#) e os bemóis (b). A partir desta tonalidade conseguimos formar outras escalas que possuem esses acidentes. Quando subimos uma quinta em relação a dó, encontramos a nota sol, que irá possuir um acidente em sua escala, na nota que antecede sol, fá# . Se subirmos mais uma quinta, iremos encontrar a nota ré, que por sua vez terá em sua escala, dois sustenidos, o fá# que foi encontrado na escala de sol, e o dó#, por anteceder a nota ré. A isso damos o nome de ciclo de quintas ascendentes. Por outro lado, se descermos uma quinta em relação à nota dó, iremos encontrar a nota fá, que terá em sua escala um bemol, que será a sua quinta, a nota sib. Se descermos mais uma quinta em relação à nota fá, iremos encontrar a nota sib, que por sua vez, terá em sua escala dois bemóis, o sib e o mib, por ser a sua quinta. A isso damos o nome de ciclo de quinta descendentes. O ciclo de quinta organiza as escalas por número de acidentes musicais. A cada quinta teremos uma nova escala, que por sua vez irá representar as tonalidades na partitura.

OS ACIDENTES MUSICAIS

Sustenido (#) = altera a nota natural em meio tom acima. Bemol (b) = altera a nota natural em meio tom abaixo.

Bequadro (

(b) = altera a nota natural em meio tom abaixo. Bequadro ( ) = desfaz qualquer

) = desfaz qualquer alteração na nota acidentada.

Pág. 07 COMO ACHAR AS QUINTAS ASCENDENTES E DESCENDENTES

Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

DÓ, RÉ, MI, FÁ, SOL, LÁ, SI, DÓ.

1 2

3

4

5 (Sol é a quinta ascendente de dó)

DÓ, RÉ, MI, , SOL, LÁ, SI, DÓ.

5 4

3

2

1

(Fá é a quinta descente de dó)

CICLO DE QUINTAS ASCENDENTES

C

= DÓ, RÉ, MI, FÁ, SOL, LÁ, SI, DÓ.

G

= SOL, LÁ, SI, DÓ, , MI, FÁ#, SOL.

(1#)

D

= RÉ, MI, FÁ#, SOL, , SI, DÓ#, RÉ.

(2#)

A

= LÁ, SI, DÓ#, RÉ, MI, FÁ#, SOL#, LÁ.

(3#)

E

= MI, FÁ#, SOL#, LÁ, SI, DÓ#, RÉ#, MI.

(4#)

B

= SI, DÓ#, RÉ#, MI, FÁ#, SOL#, LÁ#, SI.

(5#)

F# = FÁ#, SOL#, LÁ#,SI, DÓ#, RÉ#, MI#,FÁ#.

(6#)

Obs.: Acima vemos que na escala de fá#, aparece a nota mi#, isso ocorre para diferenciar a escala de fá# da escala de si. Se não colocássemos o mi#, teríamos a escala de si, sendo que invertida na quinta posição (escala no modo mixolídio). O mi# equivale a nota fá (natural). Este fenômeno é conhecido como enarmonia; que é a representação de um mesmo som por notas diferentes. Ex.: dó# e réb

CICLO DE QUINTAS DESCENDENTES

C

= DÓ, RÉ, MI, , SOL, LÁ, SI, DÓ.

F

= FÁ, SOL, LÁ, Sib, DÓ, RÉ, MI, FÁ.

(1b)

Bb = Sib, DÓ, RÉ, Mib, FÁ, SOL, LÁ, Sib.

(2b)

Eb = Mib, FÁ, SOL, Láb, Sib, DÓ, RÉ, Mib.

(3b)

Ab = Láb, Sib, DÓ, Réb, Mib, FÁ, SOL, Láb.

(4b)

Db = Réb, Mib, Fá, Solb, Láb, Sib, DÓ, Réb.

(5b)

Gb = Solb, Láb, Sib, Dób, Réb, Mib, FÁ, Solb.

(6b)

Pág. 08

COMO IDENTIFICAR AS TONALIDADES NA PARTITURA

Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

Quando temos uma partitura com a escala em sustenidos, achamos a tonalidade subindo uma nota no último sustenido da armação da clave. Exemplos:

Tonalidade de Mi Maior:

da armação da clave. Exemplos: Tonalidade de Mi Maior: (O Ré# é o último sustenido) Tonalidade

(O Ré# é o último sustenido)

Tonalidade de Ré Maior:

(O Ré# é o último sustenido) Tonalidade de Ré Maior: (O Dó# é o último sustenido)

(O Dó# é o último sustenido)

Tonalidade de Sol Maior:

(O Dó# é o último sustenido) Tonalidade de Sol Maior: (O Fá# é o último sustenido)

(O Fá# é o último sustenido)

Tonalidade de Si Maior:

(O Fá# é o último sustenido) Tonalidade de Si Maior: (O Lá# é o último sustenido)

(O Lá# é o último sustenido)

Tonalidade de Lá Maior:

(O Lá# é o último sustenido) Tonalidade de Lá Maior: (O Sol# é o último sustenido)

(O Sol# é o último sustenido)

Tonalidade de Fá#:

Maior: (O Sol# é o último sustenido) Tonalidade de Fá#: (O Mi# é o último sustenido)

(O Mi# é o último sustenido)

Quando temos uma partitura com a escala em bemóis, achamos a tonalidade no penúltimo bemol da clave. Exemplos:

Tonalidade de Sib:

no penúltimo bemol da clave. Exemplos: Tonalidade de Sib: (O Sib é o penúltimo bemol) Tonalidade

(O Sib é o penúltimo bemol)

Tonalidade de Láb:

de Sib: (O Sib é o penúltimo bemol) Tonalidade de Láb: (O Láb é o penúltimo

(O Láb é o penúltimo bemol)

Tonalidade de Mib:

de Láb: (O Láb é o penúltimo bemol) Tonalidade de Mib: (O Mib é o penúltimo

(O Mib é o penúltimo bemol)

Exercício Nº. 13:

Tonalidade de Réb:

o penúltimo bemol) Exercício Nº. 13: Tonalidade de Réb: (O Réb é o penúltimo bemol) Pág.

(O Réb é o penúltimo bemol) Pág. 09

Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

09 Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com Exercício Nº. 14: Exercício Nº. 15: Exercício Nº. 16:

Exercício Nº. 14:

de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com Exercício Nº. 14: Exercício Nº. 15: Exercício Nº. 16: Pág. 10 Curso

Exercício Nº. 15:

Exercício Nº. 14: Exercício Nº. 15: Exercício Nº. 16: Pág. 10 Curso Básico de Canto

Exercício Nº. 16:

Exercício Nº. 14: Exercício Nº. 15: Exercício Nº. 16: Pág. 10 Curso Básico de Canto

Pág. 10

Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

AULA 05:

Escrita da nota Sol:

AULA 05: Escrita da nota Sol: A DINÂMICA MUSICAL É a forma em que cantamos um

A DINÂMICA MUSICAL

É a forma em que cantamos um determinado trecho de uma partitura, ou

nota musical; ou seja, a intensidade da voz na execução da(s) nota(s)

musical (ais). É a graduação da intensidade sonora.

A dinâmica varia do pianissíssimo (ppp), ao fortississimo (f ), passando

pelo pianíssimo (pp), piano (p), mezzo piano(mp), mezzo forte (mf), forte

(f), e fortíssimo ().

Exercício Nº. 17:

), forte ( f ), e fortíssimo ( ff ). Exercício Nº. 17: Exercício Nº. 18:

Exercício Nº. 18:

( ff ). Exercício Nº. 17: Exercício Nº. 18: Exercício Nº. 19: Pág. 11 Curso Básico

Exercício Nº. 19:

Exercício Nº. 17: Exercício Nº. 18: Exercício Nº. 19: Pág. 11 Curso Básico de Canto

Pág. 11

Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

AULA 06:

Escrita da nota Lá:

wellyngtonjonathan@hotmail.com AULA 06: Escrita da nota Lá: TÉCNICAS DE CANTO Hoje vamos falar um pouco sobre

TÉCNICAS DE CANTO

Hoje vamos falar um pouco sobre Relaxamento, Alongamento e Aquecimento: para cantarmos bem, necessitamos estar com a musculatura do corpo, principalmente a região dos ombros, costas e pescoço, relaxada, alongada e com as pregas vocais devidamente aquecidas. Para esse fim, existem inúmeros exercícios; abaixo, alguns dos mais usados:

O RELAXAMENTO:

1. Do corpo: de pé, pernas afastadas dois palmos, braços ao longo do

corpo; girar o tronco para esquerda e direita, lentamente, os braços acompanhando o movimento, a cabeça e o olhar também; o calcanhar direito levanta-se levemente e o joelho direito dobra um pouco quando o tronco gira para a esquerda, e vice-versa. Duração: dois minutos ou até sentir o corpo relaxado.

2. Ombros: de pé, pernas unidas, girar os ombros para trás algumas vezes e depois para frente, com os braços pendentes e articulando bem, lentamente. Duração: dois minutos ou até relaxar.

3. Massagem: com as pontas dos dedos, massagear suavemente a região do pescoço, rosto e couro cabeludo.

Pág. 12

Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

O ALONGAMENTO:

1. Do corpo: de pé, pernas unidas, braços ao longo, iniciar uma inspiração

pelo nariz, lentamente, ao mesmo tempo em que eleva os calcanhares e os braços (lateralmente). Ao findar a inspiração, as mãos devem estar unidas e os braços esticados para cima, os calcanhares elevados ao máximo. Feito

isto, prende-se a respiração por 03 segundos e solta-se o ar suavemente pela boca, em sopro, ao mesmo tempo em que descem os braços e calcanhares. 03 vezes seguidas.

2. Pescoço: de pé ou sentado, braços levantados lateralmente na altura dos

ombros, e mãos no peito; iniciar uma inspiração pelo nariz lentamente, ao mesmo tempo em que estica-se o pescoço à frente, até encostar o queixo no peito; prender o ar 3 segundos e voltar à posição inicial, soltando o ar suavemente em sopro e esticando o pescoço. 03 vezes seguidas.

3. Giro da Cabeça: suavemente, girar a cabeça para direita e esquerda,

depois tombando-a para ambos os lados, para frente e para trás, e produzir

o

giro completo, executando cada posição quatro ou cinco vezes, sentindo

o

alongamento da musculatura do pescoço.

4.

Rosto: inspirar e, com a boca fechada, produzindo um som em "m",

movimentar lenta e largamente os músculos da face, como se estivesse mastigando. 03 vezes até acabar, depois 03 vezes com a boca aberta.

O AQUECIMENTO:

1. Motorzinho: inspirar e soltar o ar produzindo um som gutural, como um

motor, retraindo o abdômen, abrindo bem a boca, até o ar acabar. 03 vezes.

2. Baforada: inspirar e soltar o ar como uma baforada, lentamente, como

um "A" sussurrado, até o ar acabar. Retrair o abdômen devagar e relaxar a garganta. 03 vezes.

3.

Língua: inspirar e produzir uma vibração com os lábios, em "TR", soltando

o

ar e sentindo a vibração da língua no céu da boca, sempre retraindo o

abdômen devagar, controlando o ar. 03 vezes.

Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

Pág.13

4. Lábios: inspirar e produzir uma vibração com os lábios, em "BR", até o ar

acabar, trabalhando abdômen. 03 vezes.

5. Ressonância: inspirar e produzir som de "DZ", com a ponta da língua

encostada nos dentes frontais da arcada superior, até o ar acabar, trabalhando o abdômen. 03 vezes.

6. Glissando: inspirar e produzir som com "TR" ou "BR", começando do

som mais grave e subindo gradativamente até o mais agudo da voz, voltando ao grave da mesma forma, como uma escala. 03 vezes.

Obs.: Todos os exercícios devem ser executados com muita atenção à respiração e o uso do diafragma, controlando o ar expirado, sem forçar a garganta. Além desses exercícios, o aquecimento com vocalizes, trabalhando vogais e consoantes com boa articulação, em escalas, tríades ou tétrades, também devem ser feitos ao menos uma hora antes de cantar, por vinte minutos no mínimo.

Pág. 14

Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

Exercício Nº. 20:

Exercício Nº. 20: Exercício Nº. 21: Exercício Nº. 22: Exercício Nº. 23: Exercício Nº. 24: Pág.

Exercício Nº. 21:

Exercício Nº. 20: Exercício Nº. 21: Exercício Nº. 22: Exercício Nº. 23: Exercício Nº. 24: Pág.

Exercício Nº. 22:

Exercício Nº. 20: Exercício Nº. 21: Exercício Nº. 22: Exercício Nº. 23: Exercício Nº. 24: Pág.

Exercício Nº. 23:

Exercício Nº. 21: Exercício Nº. 22: Exercício Nº. 23: Exercício Nº. 24: Pág. 15 Curso Básico

Exercício Nº. 24:

Exercício Nº. 22: Exercício Nº. 23: Exercício Nº. 24: Pág. 15 Curso Básico de Canto

Pág. 15

Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

AULA 07:

Escrita da nota Si:

wellyngtonjonathan@hotmail.com AULA 07: Escrita da nota Si: CLASSIFICAÇÃO VOCAL Existem seis tipos de vozes para o

CLASSIFICAÇÃO VOCAL

Existem seis tipos de vozes para o canto. Três para as vozes masculinas:

baixo, barítono e tenor; e três para as femininas: contralto, mezzo-soprano (ou meio-soprano) e o soprano.

Quando grave: contralto ou baixo; Quando médio: mezzo-soprano ou barítono; Quando agudo: soprano ou tenor.

Basicamente é assim, respectivamente:

soprano ou tenor. Basicamente é assim, respectivamente: Pág. 16 Curso Básico de Canto

Pág. 16

Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

Nas partituras para canto, basicamente só aparecem quatro destas vozes. Duas para as vozes femininas: soprano e contralto; e duas para as vozes masculinas: tenor e baixo. As vozes femininas são escritas na clave de sol e as vozes masculinas na clave de fá.

Então, teremos duas vozes em cada clave. Para diferenciarmos uma voz da outra, colocamos as notas que representam o soprano e o tenor voltadas para cima; e as notas que representam o contralto e o baixo, voltadas para baixo, veja:

o contralto e o baixo, voltadas para baixo, veja: Perceba que fica fácil de reconhecer cada

Perceba que fica fácil de reconhecer cada voz na partitura.

Exercício Nº. 25:

de reconhecer cada voz na partitura. Exercício Nº. 25: Exercício Nº. 26: Exercício Nº. 27: Pág.

Exercício Nº. 26:

voz na partitura. Exercício Nº. 25: Exercício Nº. 26: Exercício Nº. 27: Pág. 17 Curso Básico

Exercício Nº. 27:

Exercício Nº. 25: Exercício Nº. 26: Exercício Nº. 27: Pág. 17 Curso Básico de Canto

Pág. 17

Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

AULA 08:

Escrita da nota Dó (Oitavada):

AULA 08: Escrita da nota Dó (Oitavada): O PONTO DE AUMENTO Um ponto colocado à direita

O PONTO DE AUMENTO

Um ponto colocado à direita de uma figura serve para aumentar a metade do valor de duração dessa figura. É por isso chamado de PONTO DE AUMENTO:

dessa figura. É por isso chamado de PONTO DE AUMENTO: No exemplo acima a mínima pontuada

No exemplo acima a mínima pontuada está valendo uma Mínima e mais uma Semínima (metade da mínima), uma vez que o PONTO serve para aumentar a metade do valor da figura.

As pausas também podem ser pontuadas:

do valor da figura. As pausas também podem ser pontuadas: TONS E SEMITONS NATURAIS ESCALA DIATÔNICA

TONS E SEMITONS NATURAIS

ESCALA DIATÔNICA DE DÓ SUA FORMAÇÃO E SEUS GRAUS

SEMITOM É o menor intervalo existente entre dois sons que o ouvido Humano ocidental pode perceber e classificar.

TOM É o intervalo existente entre dois sons, formado por dois semitons.

ESCALA DIATÔNICA é a sucessão de 08 sons por graus conjuntos guardando, entre si intervalos de tom ou de semitom.

Pág. 18

Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

Exemplo:

Exemplo: Os tons e semitons contidos na escala diatônica são chamados de NATURAIS. A cada uma

Os tons e semitons contidos na escala diatônica são chamados de NATURAIS.

A cada uma das notas da escala, de acordo com a sua função na própria

escala, dá-se o nome de GRAU.

A

escala diatônica possui 8 graus, sendo o VIII a repetição do primeiro.

 

OS GRAUS DA ESCALA:

 

I grau

TÔNICA

II

grau

SUPERTÔNICA

III

grau

MEDIANTE

IV

grau

SUBDOMINANTE

V

grau DOMINANTE

VI

grau

SUPER

DOMINANTE

VII grau

SENSÍVEL

VIII grau

TÔNICA

(OITAVADA)

O

primeiro grau da escala é o mais importante. Todos os demais graus têm

com ele afinidade absoluta.

É o grau quem dá seu nome à escala e quem a termina de um modo completo, sem nada deixar a desejar.

QUIÁLTERAS

Quando as unidades de tempo e de compasso são subdivididas em grupos de notas e esses grupos de notas têm seus valores alterados, tomam o nome de QUIÁLTERAS.

Usa-se colocar sobre o grupo de QUIÁLTERAS o número de figuras que compõem a divisão alterada. Sobre esse número é comum colocar-se uma chave abrangendo todo o grupo de notas ou uma pequena ligadura não sendo, entretanto, imprescindível esse pormenor.

Pág. 19

Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

19 Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com Exercício Nº. 28: Exercício Nº. 29: Exercício Nº. 30:

Exercício Nº. 28:

de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com Exercício Nº. 28: Exercício Nº. 29: Exercício Nº. 30: Exercício Nº. 31:

Exercício Nº. 29:

Exercício Nº. 28: Exercício Nº. 29: Exercício Nº. 30: Exercício Nº. 31: Pág. 20 Curso

Exercício Nº. 30:

Exercício Nº. 28: Exercício Nº. 29: Exercício Nº. 30: Exercício Nº. 31: Pág. 20 Curso Básico

Exercício Nº. 31:

Exercício Nº. 29: Exercício Nº. 30: Exercício Nº. 31: Pág. 20 Curso Básico de Canto

Pág. 20

Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

AULA 09:

Escrita das notas graves:

AULA 09: Escrita das notas graves: HARMONIZAÇÃO I Harmonizar uma música é criar arranjos ou deixar

HARMONIZAÇÃO I

Harmonizar uma música é criar arranjos ou deixar com que a música fique mais bela. É mover o simples para o complexo.

HARMONIZAÇÃO EM INTERVALOS DE TERÇA:

O intervalo é o espaço musical entre dois sons. Iremos utilizar o intervalo

para harmonizar notas ou trechos musicais.

Existem dois tipos de intervalos de terça:

Terça Maior: Que é o espaço musical constituído por dois tons. Ex.:

Na tonalidade de Dó Maior, entre a nota Dó e Mi.

Então, enquanto alguém canta a nota Dó, iremos cantar a nota Mi. Isso irá criar uma harmonização.

Terça Menor: Que é o espaço musical constituído por um tom e meio. Ex.:

Ainda na tonalidade de Dó Maior, entre a nota Mi e Sol.

O processo é simples, basicamente é só subirmos duas notas em relação a

primeira pessoal que canta. Veja o trecho musical.

Dó, Ré, Mi, Fá, Sol.

Para harmonizarmos, basta começarmos a progressão pela nota Mi:

Mi, Fá, Sol, Lá, Si.

Pág. 21

Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

Exercício de Harmonização 01:

Exercício de Harmonização 01: Muitos chamam a harmonização de segunda voz. Exercício

Muitos chamam a harmonização de segunda voz.

Exercício Nº. 32:

chamam a harmonização de segunda voz. Exercício Nº. 32: Exercício Nº. 33: Exercício Nº. 34: Exercício

Exercício Nº. 33:

de segunda voz. Exercício Nº. 32: Exercício Nº. 33: Exercício Nº. 34: Exercício Nº. 35: Pág.

Exercício Nº. 34:

Exercício Nº. 32: Exercício Nº. 33: Exercício Nº. 34: Exercício Nº. 35: Pág. 22 Curso Básico

Exercício Nº. 35:

Exercício Nº. 33: Exercício Nº. 34: Exercício Nº. 35: Pág. 22 Curso Básico de Canto

Pág. 22

Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

AULA 10:

Escrita das notas agudas:

AULA 10: Escrita das notas agudas: HARMONIZAÇÃO II HARMONIZAÇÃO EM INTERVALOS DE QUINTA: Existem três tipos

HARMONIZAÇÃO II

HARMONIZAÇÃO EM INTERVALOS DE QUINTA:

Existem três tipos de intervalos de quinta:

Quinta Justa: é o espaço musical constituído por três tons e meio. Ex.:

Na tonalidade de Dó Maior, entre a nota Dó e Sol.

Quinta Aumentada: é o espaço musical constituído por quatro tons. Ex.:

Ainda na tonalidade de Dó maior, entre a nota DÓ e Sol#.

Quinta Diminuta: é o espaço musical constituído por três tons. Ex.:

Na tonalidade de Dó Maior, entre a nota Dó e Solb.

Exercício de Harmonização 02:

entre a nota Dó e Solb. Exercício de Harmonização 02: Pág. 23 Curso Básico de Canto

Pág. 23

Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

Exercício Nº. 36:

de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com Exercício Nº. 36: Exercício Nº. 37: Exercício Nº. 38: Exercício Nº. 39:

Exercício Nº. 37:

Exercício Nº. 36: Exercício Nº. 37: Exercício Nº. 38: Exercício Nº. 39: Exercício Nº. 40:

Exercício Nº. 38:

Exercício Nº. 36: Exercício Nº. 37: Exercício Nº. 38: Exercício Nº. 39: Exercício Nº. 40: Pág.

Exercício Nº. 39:

Exercício Nº. 37: Exercício Nº. 38: Exercício Nº. 39: Exercício Nº. 40: Pág. 24 Curso Básico

Exercício Nº. 40:

Exercício Nº. 38: Exercício Nº. 39: Exercício Nº. 40: Pág. 24 Curso Básico de Canto

Pág. 24

Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

01 - JUSTO ÉS SENHOR (DÓ MAIOR):

01 - JUSTO ÉS SENHOR (DÓ MAIOR): Pág. 25 Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com 02 -

Pág. 25

Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

02 - AS TUAS MÃOS DIRIGEM MEU DESTINO (DÓ MAIOR):

02 - AS TUAS MÃOS DIRIGEM MEU DESTINO (DÓ MAIOR): Pág. 26 Curso Básico de Canto

Pág. 26

Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

03 - COM A MINHA VOZ CLAMO AO SENHOR (RÉ MAIOR):

03 - COM A MINHA VOZ CLAMO AO SENHOR (RÉ MAIOR): Pág. 27 Curso Básico de

Pág. 27

Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

04 - ESPÍRITO DO TRINO DEUS (RÉ MAIOR):

04 - ESPÍRITO DO TRINO DEUS (RÉ MAIOR): Pág. 28 Curso Básico de Canto

Pág. 28

Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

05 - DEUS ESTÁ NO TEMPLO (SOL MAIOR):

05 - DEUS ESTÁ NO TEMPLO (SOL MAIOR): Pág. 29 Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com 06

Pág. 29

Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

06 - QUERO ESTAR AO PÉ DA CRUZ (FÁ MAIOR):

06 - QUERO ESTAR AO PÉ DA CRUZ (FÁ MAIOR): Pág. 30 Curso Básico de Canto

Pág. 30

Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

07 - REDENTOR ONIPOTENTE (FÁ MAIOR):

07 - REDENTOR ONIPOTENTE (FÁ MAIOR): Pág. 31 Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com 08 - Ó

Pág. 31

Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

08 - Ó CRISTO! PÃO DA VIDA (LÁ MENOR):

08 - Ó CRISTO! PÃO DA VIDA (LÁ MENOR): Pág. 32 Curso Básico de Canto

Pág. 32

Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

09 - CRISTO JÁ RESSUSCITOU (RÉ MAIOR):

09 - CRISTO JÁ RESSUSCITOU (RÉ MAIOR): Pag. 33 Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com 10 –

Pag. 33

Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

10 SALMO 23 (RÉ MAIOR) 1ª PARTE:

10 – SALMO 23 (RÉ MAIOR) – 1ª PARTE: Pág. 34 Curso Básico de Canto

Pág. 34

Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

10 SALMO 23 (RÉ MAIOR) 2ª PARTE:

10 – SALMO 23 (RÉ MAIOR) – 2ª PARTE: Pág. 35 Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

Pág. 35

Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

10 SALMO 23 (RÉ MAIOR) 3ª PARTE:

10 – SALMO 23 (RÉ MAIOR) – 3ª PARTE: Pág.36 Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

Pág.36

Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

10 SALMO 23 (RÉ MAIOR) 4ª PARTE:

10 – SALMO 23 (RÉ MAIOR) – 4ª PARTE: Pág. 37 Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

Pág. 37

Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

11 DEUS (SOL MAIOR) 1ª PARTE:

11 – DEUS (SOL MAIOR) – 1ª PARTE: Pág. 38 Curso Básico de Canto

Pág. 38

Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

11 DEUS (SOL MAIOR) 2ª PARTE:

11 – DEUS (SOL MAIOR) – 2ª PARTE: Pág. 39 Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com 11

Pág. 39

Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

11 DEUS (SOL MAIOR) 3ª PARTE:

11 – DEUS (SOL MAIOR) – 3ª PARTE: Pág. 40 Curso Básico de Canto

Pág. 40

Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

11 DEUS (SOL MAIOR) 4ª PARTE:

11 – DEUS (SOL MAIOR) – 4ª PARTE: Pág. 41 Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com PALAVRAS

Pág. 41

Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

PALAVRAS DO AUTOR:

Este trabalho foi desenvolvido para fins de estudo. Não tem fins lucrativos, e não poderá ser vendido.

Cada aula deverá ser estudada a cada semana para que os assuntos aqui deixados sejam aprendidos. O “Curso Básico de Canto” não é presencial, porém, com muita disciplina, o aluno poderá desenvolver a leitura e a divisão rítmica em cerca de 70% das partituras de canto que existem. Se você estudar uma aula por semana, e escutando os áudios, o curso terá a duração de dois meses e meio.

Quero lembrar que o objetivo principal é que o aluno após ter passado por todas as aulas deste “Curso Básico de Canto”, consiga ler partituras e executar a linha melódica com precisão.

A minha preocupação, neste momento, não é dividir as vozes (canto coral), mas que se consiga pelo menos cantar por partitura. Deixo no final do curso, onze partituras com divisão de vozes, pois, é importante que o aluno tenha a noção de que existem as quatro principais vozes e conheça suas diferenças; e quem sabe, execute-as, isso irá aperfeiçoá-lo na sua voz de origem.

Meu próximo trabalho estará voltado, agora sim, na divisão de vozes e no estudo de um importante instrumento no canto, o violão. É bom que o aluno de canto também conheça algum instrumento harmônico: violão, piano, acordeom, etc.

Mais uma vez, peço sua dedicação, e que se empenhe no estudo deste “Curso Básico de Canto”, que será essencial para seu aperfeiçoamento no cantar.

Qualquer dúvida, ou sugestão, favor enviar para meu e-mail, ou até mesmo me ligar: (82) 8846-3555/ 9914-7766.

Até mais e bons estudos

Curso Básico de Canto wellyngtonjonathan@hotmail.com

Wellyngton Melo

Pág. 42