Você está na página 1de 92

A filha de Chiquita Bacana

Caetano Veloso
Eu sou a filha da chiquita bacana
nunca entro em cana
porque sou família demais
puxei à mamãe
não caio em armadilha
e distribuo banana com os animais
na minha ilha
yeh yeh yeh
que maravilha
yeh yeh yeh
eu transo todas
sem perder o tom
e a quadrilha toda grita
yeh yeh yeh
viva a filha de chiquita
yeh yeh yeh
entre para "women's liberation front"

http://caetano-veloso.letras.terra.com.br/letras/43872/

A luz de Tieta
Caetano Veloso
Todo dia é o mesmo dia,
a vida é tão tacanha
nada novo sob o sol
tem que se esconder no escuro
quem na luz se banha
por debaixo do lençol
nessa terra a dor é grande
e a ambição pequena
carnaval e futebol
quem não finge,
quem não mente,
quem mais goza e pena
é que serve de farol
existe alguém em nós
em muitos dentre nós
esse alguém
que brilha mais do que
milhões de sóis
e que a escuridão
conhece também
existe alguém aqui
fundo no fundo de você,
de mim
que grita para quem quiser ouvir
quando canta assim:
eta,
eta, eta, eta,
é a lua, é o sol é a luz de tieta,
eta, eta!
Toda noite é a mesma noite,
a vida é tão estreita
nada de novo ao luar
todo mundo quer saber
com quem você se deita
nada pode prosperar
é domingo, é fevereiro,
é sete de setembro,
futebol e carnaval
nada muda, é tudo escuro
até onde eu me lembro
uma dor que é sempre igual.

A Tua Presença Morena
Caetano Veloso
A tua presença
Entra pelos sete buracos da minha cabeça
A tua presença
Pelos olhos, boca, narinas e orelhas
A tua presença
Paralisa meu momento em que tudo começa
A tua presença
Desintegra e atualiza a minha presença
A tua presença
Envolve meu tronco, meus braços e minhas pernas
A tua presença
É branca verde, vermelha azul e amarela
A tua presença
É negra, negra, negra
Negra, negra, negra
Negra, negra, negra
A tua presença
Transborda pelas portas e pelas janelas
A tua presença
Silencia os automóveis e as motocicletas
A tua presença
Se espalha no campo derrubando as cercas
A tua presença
É tudo que se come, tudo que se reza
A tua presença
Coagula o jorro da noite sangrenta
A tua presença é a coisa mais bonita em toda a natureza
A tua presença
Mantém sempre teso o arco da promessa
A tua presença
Morena, morena, morena
Morena, morena, morena
Morena

sem documento. amor eu vou por que não. guerrilhas em cardinales bonitas eu vou em caras de presidentes em grandes beijos de amor em dentes. bandeiras bomba e brigitte bardot o sol nas bancas de revista me enche de alegria e preguiça quem lê tanta notícia eu vou por entre fotos e nomes os olhos cheios de cores o peito cheio de amores vãos eu vou por que não. sem documento nada no bolso ou nas mãos eu quero seguir vivendo. Alegria Caetano Veloso Caminhando contra o vento sem lenço. eu vou eu tomo uma coca-cola ela pensa em casamento e uma canção me consola eu vou por entre fotos e nomes sem livros e sem fuzil sem fome sem telefone no coração do brasil ela nem sabe até pensei em cantar na televisão o sol é tão bonito eu vou sem lenço. por que não ela pensa em casamento e eu nunca mais fui à escola sem lenço. pernas. por que não. espaçonaves. .Alegria... sem documento no sol de quase dezembro eu vou o sol se reparte em crimes.

longe Dm9/7 Alguém cantando muito Bb7+ Alguém cantando bem G7 Bb/C C9/7 Alguém cantando é bom de se ouvir Dm9/7 G7 Alguém cantando alguma canção Dm9/7 G7/5A voz de alguém nessa imensidão Dm9/7 A voz de alguém que canta Bb7+ A voz de um certo alguém G7 Bb/C C9/7 Que canta como que pra ninguém F G7 A voz de alguém quando vem do coração Bb F C7 De quem mantém toda a pureza Dm7 Da natureza Eb Bb F Onde não há pecado nem perdão Eb Bb F .Alguém Cantando Caetano Veloso Dm9/7 G7 Alguém cantando longe daqui Dm9/7 G7/5Alguém cantando longe.

Amanhã Guilherme Arantes Amanhã Será um lindo dia Da mais louca alegria Que se possa imaginar Amanhã Redobrada a força pra cima Que não cessa Há de vingar Amanhã Mais nenhum mistério Acima do ilusório O astro rei vai brilhar Amanhã A luminosidade Alheia a qualquer vontade Há de imperar Há de imperar Amanhã Está toda esperança Por menor que pareça Existe e é pra vicejar Amanhã Apesar de hoje Será a estrada que surge Pra se trilhar Amanhã Mesmo que uns não queiram Será de outros que esperam ver o dia raiar Amanhã Ódios aplacados Temores abrandados Será pleno Será pleno. .

que é do outro lado do lado de lá do lado que é lá do lado de lá o sol é seu o som é meu quero morrer quero morrer já o som é seu o sol é meu quero viver quero viver lá nem quero saber se o diabo nasceu. Foi na bahia o trio elétrico o sol rompeu no meio-dia no meio-dia ..Atrás do trio elétrico Caetano Veloso Atrás do trio elétrico só não vai quem já morreu quem já botou pra rachar aprendeu.. foi na bahi .

b13 Am7 Abmaj7 Gmaj7 e essa estrada vai dar no mar Gm7 C7.da G6 C#m7.b13 Am7 D7.9 Gmaj7 vai fazer o dia nascer E7.b9 qualquer canção.b5 E7.da G6 C#m7.b5 F#7 vamos andando na estrada Bm7.9 Am7.Avarandado Caetano Veloso (Gmaj7) E7. quase nada Gm7.b13 Am7.b13 Am7 Cada palmeira na estrada D7.9 Gm7.9 C7.9 Gdim Gmaj7 eu e minha namora .9 Gdim Gmaj7 tem uma moça recosta .9 D7.b13 Am7 Namorando a madrugada D7.9/Bb Abmaj7 D7.b13 vai fazer o sol levantar Gm7.b5 E7.b5 E7.9 Bm7. parada Eb7.9 D7.b13 que vai dar no avarandado do amanhecer Am7 D7.9 no avarandado do amanhecer .b5 F#7 uma é minha namorada Bm7.b5 E7.9/G Cada palma enluarada F7 Fm6 tem que estar quieta.b13 no avarandado do amanhecer D7.9 Bm7.

Baby Caetano Veloso Você precisa saber da piscina. Ouvir aquela canção do Roberto Baby. I love you Baby. comigo vai tudo azul Contigo vai tudo em paz Vivemos na melhor cidade Da América do Sul Da América do Sul Você precisa. baby. baby. andar com gente Me ver de perto. da gasolina Você precisa saber de mim Baby. da Margarina. há quanto tempo Você precisa aprender inglês Precisa aprender o que eu sei E o que eu não sei mais E o que eu não sei mais Não sei. leia na minha camisa Baby. eu sei que é assim Você precisa tomar um sorvete Na lanchonete. baby. baby. da Carolina. você precisa Não sei. baby. baby. há quanto tempo Baby. I love you . eu sei que é assim Baby.

Tudo É Muito Elegante Manda Botar Fina Palha Da Costa E Que Tudo Se Trance Todos Os Búzios Todos Os Ócios Não Me Amarra Dinheiro Não Mas Os Mistérios Beleza Pura Dinheiro Não Beleza Pura Boca Do Rio Beleza Pura Federação Beleza Pura O Ilê-Aiê Beleza Pura E Do Badauê Beleza Pura . Toda Delícia Não Me Amarra Dinheiro Não Mas Elegância Não Me Amarra Dinheiro Não Mas A Cultura Dinheiro Não A Pele Escura Dinheiro Não A Carne Dura Dinheiro Não Moço Lindo Do Badauê Beleza Pura Do Ilê-Aiê Beleza Pura Dinheiro Iê Beleza Pura Dinheiro Não Dentro Daquele Turbante Dos Filhos De Gandhi É O Que Há Tudo É Chique Demais.Beleza pura Caetano Veloso Não Me Amarra Dinheiro Não Mas Formosura Dinheiro Não A Pele Escura Dinheiro Não A Carne Dura Dinheiro Não Moça Preta Do Curuzu Federação Boca Do Rio Beleza Pura Beleza Pura Beleza Pura Dinheiro Não Quando Essa Preta Começa A Tratar Do Cabelo É De Se Olhar Toda A Trama Da Trança Da Transa Do Cabelo Conchas Do Mar Ela Manda Buscar Pra Botar No Cabelo Toda Minúcia.

Cajuína Caetano Veloso Existirmos a que será que se destina Pois quando tu me deste a rosa pequenina Vi que és um homem lindo e que se acaso a sina do menino infeliz não se nos ilumina Tão pouco turva-se a lágrima nordestina E apenas a matéria viva (vida) era tão fina E éramos olharmo-nos intacta retina Da cajuína cristalina em Teresina .

Canto de um Povo de um Lugar Caetano Veloso Todo dia o sol levanta E a gente canta O sol de todo dia Fim da tarde a terra cora E a gente chora Porque finda a tarde Quando a noite a lua amansa E a gente dança Venerando a noite .

Cavaleiro de Jorge (Caetano Veloso) Cavaleiro de Jorge Seu chapéu azul Cruzeiro do sul No peito Cavaleiro de Jorge Sem medo nenhum O número um Direito Sempre firme sobre o cavalo Impávido – turquesa Entrada ou mesa de bar Sempre mil pavões – força Beleza pura e simples Como uma onda do mar Cavaleiro de Jorge Potência de amar Senhor do lugar Inteiro .

Chuva. suor e cerveja Caetano Veloso não se perca de mim não se esqueça de mim não desapareça que a chuva tá caindo e quando a chuva começa eu acabo perdendo a cabeça não saia do meu lado segure o meu pierrot molhado e vamos embolar ladeira abaixo acho que a chuva ajuda a gente a se ver venha veja deixa beija seja o que deus quiser a gente se embala se embola se embola só pára na porta da igreja a gente se olha se beija se molha de chuva suor e cerveja .

simplesmente. nada mais . É dar vida a um defeito Que se extingue com a razão Estranha no meu peito Estranha na minha alma Agora eu tenho calma Não te desejo mais Podemos ser amigos simplesmente Amigos. do presente Repetem velhos temas tão banais Ressentimentos passam como o vento São coisas de momento São chuvas de verão Trazer uma aflição dentro do peito.Chuvas de Verão Caetano Veloso Podemos ser amigos simplesmente Coisas do amor nunca mais Amores do passado.

Circuladô de Fulô Caetano Veloso Composição: Haroldo de Campos circuladô de fulô ao deus ao demodará que deus te guie porque eu não posso guiá eviva quem já me deu circuladô de fulô e ainda quem falta me dá soando como um shamisen e feito apenas com um arame tenso um cabo e uma lata velha num fim de festafeira no pino do sol a pino mas para outros não existia aquela música não podia porque não podia popular aquela música se não canta não é popular se não afina não tintina não tarantina e no entanto puxada na tripa da miséria na tripa tensa da mais megera miséria física e doendo doendo como um prego na palma da mão um ferrugem prego cego na palma espalma da mão coração exposto como um nervo tenso retenso um renegro prego cego durando na palma polpa da mão ao sol circuladô de fulô ao deus ao demodará que deus te guie Am C porque eu não posso guiá eviva quem já me deu D/C C circuladô de fulô e ainda quem falta me dá F7/9 o povo é o inventalínguas na malícia da maestria no matreiro da maravilha no visgo do improviso tenteando a travessia azeitava o eixo do sol C D/C C D/C circuladô de fulô ao deus ao demodará que deus te guie Am C porque eu não posso guiá eviva quem já me deu D/C C circuladô de fulô e ainda quem falta me dá F7/9 e não peça que eu te guie não peça despeça que eu te guie desguie que eu te peça promessa que eu te fie me deixe me esqueça me largue me desamargue que no fim eu acerto que no fim eu reverto que no fim eu conserto e para o fim me reservo e se verá que estou certo e se verá que tem jeito e se verá que está feito que pelo torto fiz direito que quem faz cesto faz cento se não guio não lamento pois o mestre que me ensinou já não dá ensinamento C D/C C D/C circuladô de fulô ao deus ao demodará que deus te guie Am C porque eu não posso guiá eviva quem já me deu .

engoliu Comeu o meu Ela comeu meu coração Mascou. degustou. mastigou. sorveu. deglutiu Comeu o meu Ela comeu meu coraçãozinho de galinha num xinxim Ai de mim Ela comeu meu coraçãozão de leão naquele sonho medonho E ainda me disse que é assim que se faz Um grande poeta Uma loura tem que comer seu coração Não. moeu. um mito da multidão Mas ela não entendeu minha intenção Tragou. um pateta. triturou. mordeu.Comeu Caetano Veloso Ela comeu meu coração Trincou. ingeriu . eu só quero ser um campeão da canção Um ídolo.

tudo Tudo mudou não me iludo e contudo A mesma porta sem trinco. o mesmo teto E a mesma lua a furar nosso zinco Meu amor Tudo em volta está deserto tudo certo Tudo certo como dois e dois são cinco (2x) Cinco! . tudo Tudo é igual quando eu canto e sou mudo Mas eu não minto não minto Estou longe e perto Sinto alegrias tristezas e brinco Meu amor Tudo em volta está deserto tudo certo Tudo certo como dois e dois são cinco Quando você me ouvir chorar Tente não cante não conte comigo Falo não calo não falo deixo sangrar Algumas lágrimas bastam pra consolar Tudo vai mal.Como Dois e Dois Caetano Veloso Quando você Me ouvir cantar Venha não creia eu não corro perigo Digo não digo não ligo. deixo no ar Eu sigo apenas porque eu gosto de cantar Tudo vai mal.

Coqueiro de Itapoã (Dorival Caimi) Coqueiro de Itapoã Coqueiro Areia de Itapoã Areia Morena de Itapoã Morena Saudade da Itapoã Me deixa Oh vento que faz cantiga nas folhas No alto do coqueiral Oh vento que ondula as águas Eu nunca tive saudade igual Me traga boas noticias Daquela terra toda manhã E jogue uma flor no colo De uma morena de Itapoã. .

aqui estou Vem buscar-me que ainda sou teu! . vou roubar Embora a tristezas me causes mulher Provar quero eu que te quero Venero os teus olhos teu porte. teu ser Mais diga tua ordem espero Por ti não importa matar ou morrer E ela disse ao campônio a brincar Se é verdade tua louca paixão Partes já e pra mim vá buscar De tua mãe inteiro o coração E a correr o campônio partiu Como um raio na estrada sumiu E sua amada quão ficou A chorar na estrada tombou Chega subleme o campônio Encontra a mãezinha ajoelhada a rezar Rasga-lhe o peito o demônio Tombando a velhinha aos pés do altar Tira do peito sagrando da velha mãezinha O pobre coração e volta a correr proclamando Vitória.Coração Materno Caetano Veloso Composição: Vicente Celestino Disse o campônio a sua amada Minha idolatrada digas o que quer? Por ti vou matar. vitória tem minha paixão Mais em meio da estrada caiu E na queda uma perna partiu E a distância saltou da mão Sobre a terra o pobre coração Nesse instante uma voz ecoou Magoou-se pobre filho meu Vem buscar-me filho.

Coração vagabundo Caetano Veloso MEU CORAÇÃO NÃO SE CANSA DE TER ESPERANÇA DE UM DIA SER TUDO O QUE QUER MEU CORAÇÃO DE CRIANÇA NÃO É SÓ A LEMBRANÇA DE UM VULTO FELIZ DE MULHER QUE PASSOU POR MEUS SONHOS SEM DIZER ADEUS E FEZ DOS OLHOS MEUS UM CHORAR MAIS SEM FIM MEU CORAÇÃO VAGABUNDO QUER GUARDAR O MUNDO EM MIM MEU CORAÇÃO VAGABUNDO QUER GUARDAR O MUNDO EM MIM .

Debaixo dos Caracóis dos Seus Cabelos Caetano Veloso Um dia a areia branca Seus pés irão tocar E vai molhar seus cabelos A água azul do mar Janelas e portas vão se abrir Pra ver você chegar E ao se sentir em casa Sorrindo vai chorar Estribilho: Debaixo dos caracóis dos seus cabelos Uma história pra contar De um mundo tão distante Debaixo dos caracóis dos seus cabelos Um soluço e a vontade De ficar mais um instante As luzes e o colorido Que você vê agora Nas ruas por onde anda Na casa onde mora Você olha tudo e nada Lhe faz ficar contente Você só deseja agora Voltar pra sua gente Estribilho Você anda pela tarde E o seu olhar tristonho Deixa sangrar no peito Uma saudade um sonho Um dia vou ver você Chegando num sorriso Pisando a areia branca Que é seu paraíso Estribilho .

no quando agora em mim Cantando eu mando a tristeza embora (Repete tudo acima) O samba ainda vai nascer.Desde que o Samba é Samba Caetano Veloso A tristeza é senhora. o samba é o filho da dor O grande poder transformador . O samba ainda não chegou O samba não vai morrer. veja o dia ainda não raiou O samba é o pai do prazer. a noite e a chuva que cai lá fora Solidão apavora. Desde que o samba é samba é assim A lágrima clara sobre a pele escura. tudo demorando em ser tão ruim Mas alguma coisa acontece.

eu sou mais leve. . muitas rolhas Disparadas nos pescoços das Chandon Não cabe um terço de meu berço de menino Você se chama grã-fino e eu afino Tanto quanto desafino do seu tom Pois francamente meu amor Meu ambiente é o que se instaura de repente Onde quer que chegue. minha roda Brinco entre o que deve e o que não deve ser E pulo sobre as bolhas da champanhe que você bebe E bailo pelo alto de sua montanha de neve Eu sou primeiro.Diamante Verdadeiro Caetano Veloso Nesse universo todo de brilhos e bolhas Muitos beijinhos. só por eu chegar Como pessoa soberana nesse mundo Eu vou fundo na existência E para nossa convivência Você também tem que saber se inventar Pois todo toque do que você faz e diz Só faz fazer de Nova Iorque algo assim como Paris Enquanto eu invento e desinvento moda Minha roupa. eu sou mais eu Do mesmo modo como é verdadeiro O diamante que você me deu.

para a palavra de ordem Atenção para o samba exaltação Atenção Tudo é perigoso Tudo é divino maravilhoso Atenção para o refrão É preciso estar atento e forte Não temos tempo de temer a morte (2x) Atenção para as janelas no alto Atenção ao pisar o asfalto. precisa ter olhos firmes Pra este sol. quantos anos você tem? Atenção. o mangue Atenção para o sangue sobre o chão Atenção Tudo é perigoso Tudo é divino maravilhoso Atenção para o refrão É preciso estar atento e forte . para esta escuridão Atenção Tudo é perigoso Tudo é divino maravilhoso Atenção para o refrão É preciso estar atento e forte Não temos tempo de temer a morte (2x) Atenção para a estrofe e pro refrão Pro palavrão.Divino Maravilhoso Caetano Veloso Atenção ao dobrar uma esquina Uma alegria. atenção menina Você vem.

Dom de Iludir Caetano Veloso Não me venha falar da malícia de toda mulher Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é Não me olhe como se a polícia andasse atrás de mim Cale a boca e não cale na boca notícia ruim Você sabe explicar Você sabe entender tudo bem Você está Você é Você faz Você quer Você tem Você diz a verdade e a verdade é o seu dom de iludir Como pode querer que a mulher vá viver sem mentir .

aquele amor morrer Nossa caminha dura. cama de tatame Pela vida afora Drão os meninos são todos sãos Os pecados são todos meus Deus sabe a minha confissão Não há o que perdoar Por isso mesmo é que há De haver mais compaixão Quem poderá fazer. Drão . aquele amor morrer Nossa caminha dura Dura caminhada. aquele amor morrer Se o amor é como um grão Morre nasce trigo Vive morre pão Drão. o amor da gente é como um grão Uma semente de ilusão Tem que morrer pra Plantar n'algum lugar Ressucitar no chão nossa semeadura Quem poderá fazer. pela estrada escura Drão não pense na separação Não despedace o coração O verdadeiro amor é vão Entende-se infinito. imenso monolito Nossa arquitetura Quem poderá fazer.Drão Caetano Veloso Composição: Gilberto Gil Drão.

No maior show da terra Será que eu serei o dono dessa festa Um rei No meio de uma gente tão modesta Eu vim descendo a serra Cheio de euforia para desfilar O mundo inteiro espera Hoje é dia do riso chorar Levei o meu samba pra mãe de santo rezar Contra o mal olhado eu carrego meu patuá Eu levei! Acredito Acredito ser o mais valente nessa luta do rochedo com o mar E como ar! É hoje o dia da alegria E a tristeza.É Hoje Caetano Veloso Composição: Didi e Maestrinho A minha alegria atravessou o mar E ancorou na passarela Fez um desembarque fascinante. nem pode pensar em chegar Diga espelho meu! Diga espelho meu Se há na avenida alguém mais feliz que eu Diga espelho meu Se há na avenida alguém mais feliz que eu .

Ela e Eu Caetano Veloso Ela nem olhou pra mim. ela nem olhou pra mim passei horas no espelho me arrumando o dia inteiro e nem se quer olhou pra mim Como quem guarda lembrança me agarrei na esperança confiei num grande amor me arrumei o dia inteiro tomei até banho de cheiro parecendo um sonhador Quando fui na euforia coração de alegria gritou mais que um bandolim chegou feito uma princesa coroada de beleza e nem se quer olhou pra mim .

. quando ela surge Ela vem e instaura o seu cosmético caótico Você começa a olhar com um olho gótico De cristão legítimo Mas eu sou preto. se tantos. Meus deuses são cabeças de bebês sem touca Era um momento sem medo e sem desejo Ele me deu um beijo na boca E eu correspondi àquele beijo. existencialistas. punks. nem isso Apenas alguns santos. meu nego Eu sei que isso não nega e até ativa O velho ritmo mulato E o leão ruge O fato é que há um istmo Entre meu deus E seus deuses Eu sou do clã do Djavan Você é fã do Donato E não nos interessa a tripé cristã De Dilan Zimerman E ele ainda diria mais Mas a canção tem que acabar E eu respondi: O deus que você sente é o deus dos santos: A superfície iridescente da bola oca. Menahem Begin Política é o fim E a crítica que não toque na poesia O Time Magazine quer dizer que os Rolling Stones Já não cabem no mundo do Time Magazine Mas eu digo (ele disse) Que o que já não cabe é o Time Magazine No mundo dos Stones for ever rockin’ and rollin’ Porque forjar desprezo pelos vivos E fomentar desejos reativos Apaches. mas sim. mas não. hippies. Margareth Tatcher. beatniks Do todos os tempos uni-vos E eu disse sim.Ele me deu um beijo na boca (Caetano Veloso) Ele me deu um beijo na boca e me disse A vida é oca como a touca De um bebê sem cabeça E eu ri à beça E ele: como uma toca de raposa bêbada E eu disse: chega da sua conversa De poça sem fundo Eu sei que o mundo É um fluxo sem leito E é só no oco do seu peito Que corre um rio Mas ele concordou que a vida é boa Embora seja apenas a coroa: A cara é o vazio E ele riu e riu e riu e ria E eu disse: basta de filosofia A mim me bastava que o prefeito desse um jeito Na cidade da Bahia Esse feito afetaria toda gente da terra E nós veríamos nascer uma paz quente Os filhos da guerra fria Seria um antiacidente Como uma rima Desativando a trama daquela profecia Que o Vicente me contou Segundo a astronomia Que em novembro do ano que inicia Sete astros se alinharão em escorpião Como só no dia da bomba de Hiroshima E ele me olhou De cima e disse assim pra mim Delfim. nos seus cantos E sozinhos Mas ele me falou: você ta triste Porque a tua dama te abandona E você não resiste.

Elegia Caetano Veloso Deixa que minha mão errante adentre Em cima. entre Minha América. em baixo. meu selo gravo Nudez total: todo prazer provém do corpo (Como a alma sem corpo) sem vestes Como encadernação vistosa Feita para iletrados. a mulher se enfeita Mas ela é um livro místico e somente A alguns a que tal graça se consente É dado lê-la aiqp . minha terra à vista Reino de paz se um homem só a conquista Minha mina preciosa. meu império Feliz de quem penetre o teu mistério Liberto-me ficando teu escravo Onde cai minha mão.

Esse Cara Caetano Veloso Ah! Que esse cara tem me consumido A mim e a tudo que eu quis Com seus olhinhos infantis Como os olhos de um bandido Ele está na minha vida porque quer Eu estou pra o que der e vier Ele chega ao anoitecer Quando vem a madrugada ele some Ele é quem quer Ele é o homem Eu sou apenas uma mulher .

tava na bahia No Beaubourg no Bronx. boa boa boa boa boa Eu tava com graça. não era nada Bunda de mulata. pare.. era fantasia Escola de samba na televisão Cruz no fim do túnel. uma interrogação Olha que coisa mais que coisa à toa. melodia. Tava por acaso ali. uma lente.. muque de peão Tava em Madureira. via o que não via O que a poesia e a profecia não vêem mas vêem. becos sem saída E eu era a saída. vêem. no Brás e eu e eu e eu e eu A me perguntar: Eu sou neguinha? Era uma mensagem lia uma mensagem Parece bobagem mas não era não Eu não decifrava. eu não conseguia Mas aquilo ia e eu ia e eu ia e eu ia e eu ia e eu ia Eu me perguntava: era um gesto hippie. um desenho estranho Homens trabalhando. vêem.Eu sou neguinha? Caetano Veloso Eu tava encostad'ali minha guitarra No quadrado branco vídeo papelão Eu era o enigma. meio-dia dia dia Era o que dizia: Eu sou neguinha? Mas via outras coisas: via o moço forte E a mulher macia den'da escuridão Via o que é visível. acham solução E que o mesmo signo que eu tenho ler e ser É apenas um possível ou impossível em mim em mim em mil em mil em mil E a pergunta vinha: Eu sou neguinha? Eu sou neguinha? . era uma visão Totalmente terceiro sexo totalmente terceiro mundo terceiro milênio carne nua nua nua nua nua nua nua Era tão gozado Era um trio elétrico. É o que parecia Que as coisas conversam coisas surpreendentes Fatalmente erram. era uma esperança E era dança e dança ou não ou não ou não ou não ou não tava perguntando: Eu sou neguinha? Eu sou neguinha? Eu sou neguinha? Eu tava rezando ali completamente Um crente. contramão E era uma alegria. vêem. vêem.

Feelings. wo-o-o feelings. you'll never come again. I wish I've never met you. wo-o-o. Feelings. trying to forget my feelings of love. wo-o-o feelings. Feelings. girl. trying to forget my feelings of love. for all my life I'll feel it. Feelings.. feel you again in my arms. feelings like I've never lost you and feelings like I've never have you again in my life.Feelings Composição: Morris Albert / Louis Gaste Feelings. I wish I've never met you. feelings again in my arms. Feelings. feelings like I've never lost you and feelings like I've never have you again in my heart. you'll never come again. Feelings. girl. nothing more than feelings. wo-o-o. for all my life I'll feel it. Feelings. Teardrops rolling down on my face. (repeat & fade) ..

Felicidade Caetano Veloso Composição: Lupiscinio Rodrigues Felicidade foi se embora E a saudade no meu peito ainda mora E é por isso que eu gosto lá de fora Porque sei que a falsidade não vigora A minha casa fica lá de traz do mundo Onde eu vou em um segundo quando começo a cantar O pensamento parece uma coisa à toa mas como é que a gente voa quando começa a pensar .

. Escuras coxas duras tuas duas de acrobata mulata Tua batata da perna morena. é total Alguma coisa está fora da ordem Fora da nova ordem mundial. é muito.Fora de Ordem Caetano Veloso Vapor barato... parece. . a ponte o viaduto ganindo pra lua Nada continua E o cano da pistola que as crianças mordem Reflete todas as cores da paisagem da cidade que é muito Mais bonita e Muito mais intensa do que no cartão postal Alguma coisa está fora da ordem Fora da nova ordem mundial.. vêm colocar-se plumas de um velho cocar Estou de pé em cima do monte de imundo lixo baiano Cuspo chicletes do ódio no esgoto exposto do Leblon Mas retribuo a piscadela do garoto de frente do Trianon Eu sei o que é bom Eu não espero pelo dia em que todos os homens concordem Apenas sei de diversas harmonias possíveis sem juízo final Alguma coisa está fora da ordem Fora da nova ordem mundial... um show de Jorge Benjor dentro de nós É muito. a trupe intrépida em que fluis Te encontro em Sampa de onde mal se vê quem sobe ou desce arampa Alguma coisa em nossa transa é quase luz forte demais Parece pôr tudo à prova. Meu canto esconde-se como um bando de Ianomâmis na floresta Na minha testa caem. um mero serviçal do narcotráfico Foi encontrado na ruína de uma escola em construção Aqui tudo parece que é ainda construção e já é ruína Tudo é menino e menina no olho da rua O asfalto. parece paz Parece paz Pletora de alegria. parece fogo.

Eu vi muitos cabelos brancos na fronte do artista o tempo não pára no entanto ele nunca envelhece. é o tempo. é o sol sobre a estrada. Por isso é que eu canto. o jogo das coisas que são. Por isso essa voz tamanha. Eu vi a mulher preparando outra pessoa O tempo parou pra eu olhar para aquela barriga. Por isso é que eu canto. Ouvi seus gritos Estive no fundo de cada vontade encoberta. Por isso uma força me leva a cantar. por isso essa força estranha. . eu pus os meus pés no riacho. A vida é amiga da arte É a parte que o sol me ensinou. É o sol. não posso parar. Aquele que conhece o jogo. E acho que nunca os tirei. O sol ainda brilha na estrada que eu nunca passei. O sol que atravessa essa estrada que nunca passou. Por isso essa voz tamanha. Não vale um caminho sob o sol. Eu vi muitos homens brigando. Por isso uma força me leva a cantar. por isso essa força estranha. é o pé e é o chão.Força Estranha Caetano Veloso Eu vi um menino correndo eu vi o tempo brincando ao redor do caminho daquele menino. É o sol sobre a estrada. é a estrada. não posso parar. é o sol. é a coisa mais certa de todas as coisas.

dia Assim passou a haver Dizem que existe uma tribo De gente que sabe o modo De ver esse fato todo Diz que existe essa tribo De gente que toma um vinho Num determinado dia E vê a cara da jia Gente que toma um vinho Dizem que tudo é sagrado Devem se adorar as jias E as coisas que não são jias Diz que tudo é sagrado E não havia nada Espírito de tudo Dando o primeiro pulo Assim passou a haver Diz que existe essa tribo Gente que toma um vinho Diz que tudo é sagrado .Gênesis (Caetano Veloso) Primeiro não havia nada Nem gente nem parafuso O céu era então confuso E não havia nada O espírito de tudo Quando ainda não havia Tomou forma de uma jia Espírito de tudo E dando o primeiro pulo Tornou-se o verso e o reverso De tudo que é universo Dando o primeiro pulo Assim passou a haver O que ainda não havia Tempo. peixe. pedra.

João Gente é pra brilhar. Zezé Gente espelho da vida. Dolores. Roberto. doce mistério . só mesmo o amor Maurício. Gracinha. Moreno. Leilinha. Francisco. Ivonete.Gente Caetano Veloso Gente olha pro céu Gente quer saber o um Gente é o lugar De se perguntar o um Das estrelas se perguntarem se tantas são Cada. quer crescer. Suzana. Gildásio. reflexo do esplendor Se as estrelas são tantas. Caetano. Gilberto. brilhando estrelas na noite Gente quer comer Gente que ser feliz Gente quer respirar ar pelo nariz Não. Dedé Gente viva. não pra morrer de fome Gente deste planeta do céu de anil Gente. Lucila. Agripino. meu nego. não entendo gente nada nos viu Gente espelho de estrelas. não traia nunca essa força não Essa força que mora em seu coração Gente lavando roupa amassando pão Gente pobre arrancando a vida com a mão No coração da mata gente quer prosseguir Quer durar. Bethânia. gente quer luzir Rodrigo. Renata. estrela se espanta à própria explosão Gente é muito bom Gente deve ser o bom Tem de se cuidar De se respeitar o bom Está certo dizer que estrelas estão no olhar De alguém que o amor te elegeu pra amar Marina.

mas qualquer mesmo. ou quase brancos quase pretos de tão pobres E pobres são como podres e todos sabem como se tratam os pretos E quando você for dar uma volta no Caribe E quando for trepar sem camisinha E apresentar sua participação inteligente no bloqueio a Cuba Pense no Haiti. ninguém é cidadão Se você for a festa do pelô. reze pelo Haiti O Haiti é aqui / O Haiti não é aqui . pobres e mulatos E quase brancos quase pretos de tão pobres são tratados E não importa se os olhos do mundo inteiro Possam estar por um momento voltados para o largo Onde os escravos eram castigados E hoje um batuque um batuque Com a pureza de meninos uniformizados de escola secundária Em dia de parada E a grandeza épica de um povo em formação Nos atrai.Haiti Caetano Veloso Com Gilberto Gil Quando você for convidado pra subir no adro Da fundação casa de Jorge Amado Pra ver do alto a fila de soldados. ao furar o sinal. Nem o disco de Paul Simon Ninguém. qualquer Plano de educação que pareça fácil Que pareça fácil e rápido E vá representar uma ameaça de democratização Do ensino do primeiro grau E se esse mesmo deputado defender a adoção da pena capital E o venerável cardeal disser que vê tanto espírito no feto E nenhum no marginal E se. nos deslumbra e estimula Não importa nada: Nem o traço do sobrado Nem a lente do fantástico. e se você não for Pense no Haiti. mas presos são quase todos pretos Ou quase pretos. reze pelo Haiti O Haiti é aqui / O Haiti não é aqui E na TV se você vir um deputado em pânico mal dissimulado Diante de qualquer. o velho sinal vermelho habitual Notar um homem mijando na esquina da rua sobre um saco Brilhante de lixo do Leblon E quando ouvir o silêncio sorridente de São Paulo Diante da chacina 111 presos indefesos. quase todos pretos Dando porrada na nuca de malandros pretos De ladrões mulatos e outros quase brancos Tratados como pretos Só pra mostrar aos outros quase pretos (E são quase todos pretos) E aos quase brancos pobres como pretos Como é que pretos. qualquer.

quero ver Irene rir Quero ver Irene dar sua risada (2x) Irene ri.Irene Caetano Veloso Eu quero ir. Irene ri. Irene ri. Irene Quero ver Irene dar sua risada . eu não sou daqui Eu não tenho nada. minha gente. Irene Irene ri.

feliz É também um pouco de uma raça que não tem medo de fumaça. não Olha o jeito nas 'cadeira' que ela sabe dar Olha só o remelexo que ela sabe dar Morena boa que me faz penar bota a sandália de prata e vem pro samba sambar pro = para o cadeira(s) = nádegas. iá iá desse Brasil que canta e é feliz. 'bunda' remelexo = movimento das 'cadeiras' penar = sofrer. ai ai e não se entrega. feliz.Isto Aqui O Que é Caetano Veloso (Ary Barroso) Isto aqui ô ô é um pouquinho de Brasil. passar duras 'penas' .

eu poderia abrir as portas que dão pra dentro Percorrer correndo os corredores em silêncio Perder as paredes aparentes do edifício Penetrar no labirinto O labirinto de labirintos Dentro do apartamento Sim eu poderia procurar por dentro a casa Cruzar uma por uma as sete portas. eu poderia em cada quarto rever a mobília Em cada uma matar um membro da família Até que a plenitude e a morte coincidissem um dia O que aconteceria de qualquer jeito Mas eu prefiro abrir as janelas prá que entrem todos os insetos . fêmea de língua gelada Língua gelada como nada Sim. as sete moradas Na sala receber o beijo frio em minha boca Beijo de uma deusa morta Deus morto.Janelas Abertas Nº2 Caetano Veloso Sim.

Jorge de Capadócia Caetano Veloso Composição: Jorge Ben Jorge sentou praça na cavalaria eu estou feliz porque eu também sou da sua companhia (2X) Eu estou vestido com as roupas e as armas de Jorge Para que meus inimigos tenham mãos e não me toquem Para que meus inimigos tenham pés e não me alcancem Para que meus inimigos tenham olhos e não me vejam E nem mesmo o pensamento eles possam ter para me fazerem mal Armas de fogo meu corpo não alcançarão Facas e espadas se quebrem sem o meu corpo tocar Cordas e correntes se arrebentem sem o meu corpo amarrar pois eu estou vestido com as roupas e as armas de Jorge Jorge é de Capadócia .

Kalu Esse oiá despois do que se assucedeu Com franqueza só não tendo coração Fazê tar judiação Você tá mangando di eu Com franqueza só não tendo coração Fazê tar judiação Você tá mangando di eu .Kalu Caetano Veloso Composição: Humberto Teixeira Kalu. Kalu Tira o verde desses óios di riba d'eu Não me tente se você já me esqueceu Kalu.

Leãozinho
Caetano Veloso
Gosto muito de te ver, leãozinho, caminhando sob o sol
Gosto muito de você, leãozinho
Para desentristecer, leãozinho, o meu coração tão só
Basta eu encontrar você no caminho
Um filhote de leão, raio da manhã
Arrastando o meu olhar como um imã
O meu coração é o sol, pai de toda cor
Quando ele lhe doura a pele ao léu
Gosto de te ver ao sol, leãozinho, de te ver entrar no mar
Tua pele, tua luz, tua juba
Gosto de ficar ao sol, leãozinho, de molhar minha juba
De estar perto de você e entrar numa

Língua
Caetano Veloso
Gosto de sentir a minha língua roçar
A língua de Luís de Camões
Gosto de ser e de estar
E quero me dedicar
A criar confusões de prosódia
E um profusão de paródias
Que encurtem dores
E furtem cores como camaleões
Gosto do Pessoa na pessoa
Da rosa no Rosa
E sei que a poesia está para a prosa
Assim como o amor está para a amizade
E quem há de negar que esta lhe é superior
E quem há de negar que esta lhe é superior
E deixa os portugais morrerem à míngua
Minha pátria é minha língua
Fala Mangueira
Fala!
Flor do Lácio Sambódromo
Lusamérica latim em pó
O que quer
o que pode
O |Esta língua
(3X)|-Vamos atentar para a sintaxe paulista
E o falso inglês relax dos surfistas
Sejamos imperialistas
Cadê? Sejamos imperialistas
Vamos na velô da dicção choo de Carmem Miranda
E que o Chico Buarque de Hollanda resgate
E Xeque-mate, explique-nos Luanda
Ouçamos com atenção os deles e os delas da TV Globo
Sejamos o lobo do lobo do homem
Sejamos o lobo do lobo do homem
Adoro nomes
Nomes em Ã
De coisa como rã e ímã...
Nomes de nomes como Scarlet Moon Chevalier
Glauco Mattoso e Arrigo Barnabé, Maria da Fé
Arrigo Barnabé
ESTRIBILHO
Incrível
É melhor fazer uma canção
Está provado que só é possível filosofar em alemão
Se você tem uma idéia incrível
É melhor fazer uma canção

Está provado que só é possível
Filosofar em alemão
Blitz quer dizer corisco
Hollywood quer dizer Azevedo
E o recôncavo, e o recôncavo, e o recôncavo
Meu medo!
A língua é minha Pátria
E eu não tenho Pátria: tenho mátria
Eu quero frátria
Poesia concreta e prosa caótica
Ótica futura
Samba-rap, chic-left com banana
Será que ele está no Pão de Açúcar
Tá craude brô, você e tu lhe amo
Qué que'u faço, nego?
Bote ligeiro
Nós canto falamos como quem inveja negros
Que sofrem horrores no Gueto do Harlem
Livros, discos, vídeos à mancheia
E deixa que digam, que pensem, que falem.

pólo Sul Meu azul. do que sou Minha dor. isto pra mim é viver Céu de Brasília. música de preto Gosto tanto dela assim Essa desmesura de paixão É loucura do coração Minha Foz do Iguaçu. meu azul Luz do sentimento nu Esse imenso desmedido amor Vai além de seja o que for Vai além de onde eu vou Do que sou minha dor Minha linha do Equador Mas é doce morrer neste mar De lembrar e nunca esquecer Se eu tivesse mais alma pra dar Eu daria.Linha do equador Caetano Veloso Com Djavan Luz das estrelas Laço do infinito Gosto tanto dela assim Rosa amarela Voz de todo grito Gosto tanto dela assim Esse imenso desmedido amor Vai além de seja o que for Vai além de onde eu vou Do que sou minha dor Minha linha do Equador Esse imenso desmedido amor Vai além de seja o que for Passa mais além do céu de Brasília Traço do arquiteto Gosto tanto dela assim Gosto de filha Música de preto Gosto tanto dela assim Essa desmesura de paixão É loucura do coração Minha Foz do Iguaçu Pólo sul. traço do arquiteto Gosto tanto dela assim Gosto de filha. minha linha do Equador Mas é doce morrer neste mar de lembrar E nunca esquecer Se eu tivesse mais alma pra dar Eu daria. luz do sentimento blue Esse imenso desmedido amor Vai além de seja o que for Vai além de onde eu for. isto pra mim é viver .

years. nowhere to go While my eyes go looking for flying saucers in the sky (2x) Oh Sunday. Monday. and it's ok Green grass. choose no way I just happen to be here. and I agree While my eyes go looking for flying saucers in the sky (2x) I choose no face to look at. at least. London Caetano Veloso I'm wandering round and round. at least And it's so good to live in peace And Sunday. and I agree He seems so pleased. blue eyes.London. Autumn pass by me And people hurry on so peacefully A group approaches a policeman He seems so pleased to please them It's good to live. Monday. grey sky 2x| D Bm God bless silent pain and happiness I came around to say yes. London is lovely so I cross the streets without fear Everybody keeps the way clear I know I know no one here to say hello I know they keep the way clear I am lonely in London without fear I'm wandering round and round. and I say While my eyes go looking for flying saucers in the sky . nowhere to go I'm lonely in London.

Louco por você Caetano Veloso TUDO O QUE RESSALTA QUER ME VER CHORAR LOUCO POR VOCÊ NADA ESQUECE DE ARMAR UMA LÁGRIMA QUE ÀS VEZES VEM BATER NA CARA ONDA DO MAR ATÉ GRITAR DE FELICIDADE TARDE CINZA. SOM. PALAVRA MÁ PORQUE NÃO SEI DIZER SAIBA DIGA VOCÊ AGORA É TARDE FELICIDADE VEM . LÁGRIMA PRISMÁTICA LOUCO POR VOCÊ COR MULTIPLICADA.

MEU AMOR. NÃO TENHO OUTRO VÍCIO SE O MUNDO É UM LIXO. LOVE . LOVE ABSURDO. EU NÃO SOU EU SOU BONITINHO COM MUITO CARINHO É O QUE DIZ MINHA VOZ DE CANTOR POR NOSSO SENHOR. TE AMO PELO MUNDO INTEIRO EU CHAMO ESSA CHAMA QUE MOVE PELÉ DISSE LOVE. LOVE. MEU AMOR. NADA MAL PODE SER UM ABSURDO MAS ELE NÃO É SURDO O BRASIL TEM OUVIDO MUSICAL QUE NÃO É NORMAL. LOVE. LOVE NA MARÉ DA UTOPIA BANHAR TODO DIA A BELEZA DO CORPO CONVÉM OLHA O PULO DA JIA. love Caetano Veloso EU CANTO NO RITMO.Love. DESEJO PELO MUNDO INTEIRO EU VEJO QUE NÃO TEM QUEM PROVE PELÉ DISSE LOVE. TE QUERO PELO MUNDO INTEIRO EU ESPERO A VISÃO QUE COMOVE PELÉ DISSE LOVE. LOVE. MEU AMOR. LOVE NA DENSA FLORESTA FELIZ. LOVE. PRECISO PELO MUNDO INTEIRO AVISO OLHA O NOVENTA E NOVE PELÉ DISSE LOVE. O BRASIL PODE SER UM ABSURDO ATÉ AÍ TUDO BEM. NÃO TENDO UTOPIA NÃO PIA A BELEZA TAMBÉM DIGO PRA NINGUÉM. PLORIFERA A LINHAGEM DA FERA FEROZ CICLONES DE ESTRELAS DESENHAM-SE LIVRES E FORTES DIANTE DE NÓS E EU COM MINHA VOZ MEU AMOR. love.

IRMÃ E FILHA DE TODO ESPLENDOR LUA DE SÃO JORGE BRILHA NOS ALTARES BRILHA NOS LUGARES ONDE ESTOU E VOU LUA DE SÃO JORGE BRILHA SOBRE OS MARES BRILHA SOBRE O MEU AMOR LUA DE SÃO JORGE LUA SOBERANA NOBRE PORCELANA SOBRE A SEDA AZUL LUA DE SÃO JORGE LUA DA ALEGRIA NÃO SE VÊ O DIA CLARO COMO TU LUA DE SÃO JORGE SERÁS MINHA GUIA NO BRASIL DE NORTE A SUL .Lua de São Jorge Caetano Veloso LUA DE SÃO JORGE LUA DESLUMBRANTE AZUL VERDEJANTE CALDA DE PAVÃO LUA DE SÃO JORGE CHEIA BRANCA INTEIRA OH MINHA BANDEIRA SOLTA NA AMPLIDÃO LUA DE SÃO JORGE LUA BRASILEIRA LUA DO MEU CORAÇÃO LUA DE SÃO JORGE LUA MARAVILHA MÃE.

noite é bem tarde Penso em você. diz como eu te encontro Mas deixa o destino. deixe ao acaso Quem sabe eu te encontro De noite no Baixo Brilho da lua oh oh oh. noite é bem tarde Penso em você. nesse espelho Que é nossa cidade Quem é você.Lua e Estrela Caetano Veloso Composição: Vinicius Cantuária Menina do anel de lua e estrela Raios de sol no céu da cidade Brilho da lua oh oh oh. qual o seu nome Conta pra mim. fico com saudade Manhã chegando Luzes morrendo. fico com saudade .

em luz . em luz céu azul que venha até onde os pés tocam na terra e a terra inspira e exala seus azuis reza.Luz do Sol Caetano Veloso luz do sol que a folha traga e traduz em verde de novo em folha. rio pro mar reza correnteza . reza o rio . em força. em vida em força. rio pro mar reza correnteza roça a beira a doura areia marcha o homem sobre o chão leva no coração uma ferida acesa dono do sim e do não diante da visão de infinita beleza finda por ferir com a mão essa delicadeza a coisa mais querida a glória da vida luz do sol que a folha traga e traduz em verde de novo em folha . em vida. em vida. em graça . em luz reza. em graça. roça a beira a doura areia marcha um homem sobre o chão leva no coração uma ferida acesa dono do sim e do não diante da visão da infinita beleza finda por ferir com a mão essa delicadeza coisa mais querida a glória da vida luz do sol que a folha traga e traduz em verde de novo em folha. córrego pro rio. reza o rio córrego pro rio . em força . em graça.

Marinheiro Só Caetano Veloso EU NÃO SOU DAQUI MARINHEIRO SÓ EU NÃO TENHO AMOR MARINHEIRO SÓ EU SOU DA BAHIA MARINHEIRO SÓ DE SÃO SALVADOR MARINHEIRO SÓ LÁ VEM. MARINHEIRO MARINHEIRO MARINHEIRO SÓ Ô. QUEM TE ENSINOU A NADAR MARINHEIRO SÓ OU FOI O TOMBO DO NAVIO MARINHEIRO SÓ OU FOI O BALANÇO DO MAR MARINHEIRO SÓ . LÁ VEM MARINHEIRO SÓ COMO ELE VEM FACEIRO MARINHEIRO SÓ TODO DE BRANCO MARINHEIRO SÓ COM O SEU BONEZINHO MARINHEIRO SÓ Ô.

tô no pé de onde dera ra rara Bima berimba a mim que diga taco de arame. dão são Bento. tô no pé de onde dera rara ra Verdadeiro ra ra ra. cabeça. dão São Bento. grandes homens de movimento Nunca foi um marginal sumiu na praça a tempo Caminhando contra o vento sobre a prata capital . capoeira ra ra ra. dom. barriga São dim. Derradeiro rara ra Não me impede de cantar ra ra ra ra. Poeira ra ra ra Terça-Feira. grandes homens de movimento Martelo do tribunal sumiu na mata adentro Foi pego sem documento no terreiro regional Poeira ra ra ra.Meia Lua Inteira Caetano Veloso Composição: Carlinhos Brown Meia Lua inteira sopapo na cara do fraco Estrangeiro gozador Cocar de coqueiro baixo quando engano se enganou São dim. dom.

boca de mel. feiticeira vamo-nos embora C Bm7 E7 Am7 D7/9 É meio-dia. pela porta. carnuda. e de tua glória G E7 Pois se é noite de completa escuridão Am7 Cm6 Provo do favo de teu mel Bm7 F7 E7 A7 Cavo a direita claridade do céu D7/9 G G7 E agarro o sol com a mão C Bm7 E7 Am7 D7/9 G É meio-dia.Mel Caetano Veloso G Bb° Am7 D7/9 Ó abelha rainha faz de mim G E7 Um instrumento do seu prazer Bm7 E7 Am7 D7/9 Sim. é meia-noite. na fresta da telha E7 Bm7 E7 Am7 Pela escada. faz zumzum na testa Am7 D7/9 Bm7 Na janela. pela estrada toda a fora D7/9 Am7 Anima de vida o seio da floresta D7/9 Bm7 E7 Bm7 E7 O amor empresta a praia deserta zumbe na orelha. é toda hora F#m7 B7 Em Dm7 G7 Lambe olhos. é meia-noite. vermelha Bb° Am7 D7/9 G E7 Ó abelha rainha faz de mim um instrumento do seu prazer Bm7 E7 Am7 D7/9 G E7 Am7 D7/9 G . concha domar Am7 D7/9 Am7 D7/9 G Ó abelha. carmin. torce cabelos.

quando tua luz se acenda A minha voz comporá tua lenda E por um momento haverá mais futuro do que jamais houve Mas ouve a nossa harmonia. por um lapso. um corpo azul-dourado Um porto alegre é bem mais que um seguro Na rota das nossas viagens no escuro Menino Deus. dando sentido aos mundos E aos corações sentimentos profundos de terna alegria no dia Do menino Deus Do menino Deus Do menino Deus No dia do menino Deus .Menino Deus Caetano Veloso Menino Deus. se encontrar no anexo Ligando os breus. a eletricidade ligada no dia Em que brilharias por sobre a cidade Menino Deus. quando a flor do teu sexo Abrir as pétalas para o universo E então.

Menino do Rio Caetano Veloso MENINO DO RIO CALOR QUE PROVOCA ARREPIO DRAGÃO TATUADO NO BRAÇO CALÇÃO. CORPO ABERTO NO ESPAÇO CORAÇÃO DE ETERNO FLERTE ADORO VER-TE MENINO VADIO TENSÃO FLUTUANTE DO RIO EU CANTO PRA DEUS PROTEGER-TE O HAVAÍ SEJA AQUI TUDO O QUE SONHARES TODOS OS LUGARES AS ONDAS DOS MARES POIS QUANDO EU TE VEJO EU DESEJO O TEU DESEJO MENINO DO RIO CALOR QUE PROVOCA ARREPIO TOMA ESTA CANÇÃO COMO UM BEIJO .

Meu Bem. meu bem. Meu Mal Caetano Veloso Você é meu caminho Meu vinho. meu mal . meu vício Desde o início estava você Meu bálsamo benígno Meu signo. meu guru Porto seguro onde eu voltei Meu mar e minha mãe Meu medo e meu champagne Visão do espaço sideral Onde o que seu sou se afoga Meu fumo e minha ioga Você é minha droga Paixão e carnaval Meu zem.

nem cansam de esperar E o coração que é soberano e que é senhor Não cabe na escravidão.Milagres do Povo Caetano Veloso Quem é ateu e viu milagres como eu Sabe que os deuses sem Deus Não cessam de brotar. não cabe no seu não Não cabe em si de tanto sim É pura dança e sexo e glória. e paira para além da história Ojuobá ia lá e via Ojuobahia Xangô manda chamar Obatalá guia Mamãe Oxum chora lagrimalegria Pétalas de Iemanjá Iansã-Oiá ia Ojuobá ia lá e via Ojuobahia Obá É no xaréu que brilha a prata luz do céu E o povo negro entendeu que o grande vencedor Se ergue além da dor Tudo chegou sobrevivente num navio Quem descobriu o Brasil? Foi o negro que viu a crueldade bem de frente E ainda produziu milagres de fé no extremo ocidente Ojuobá ia lá e via Ojuobahia .

Muito Romântico Caetano Veloso Não tenho nada com isso nem vem falar Eu não consigo entender sua lógica Minha palavra cantada pode espantar E a seus ouvidos parecer exótica Mas acontece que eu não posso me deixar Levar por um papo que já não deu Acho que nada restou pra guardar Do muito ou pouco que ouve entre você e eu Nenhuma força virá me fazer calar Faço no tempo soar minha sílaba Canto somente o que pede pra se cantar Sou o que soa eu não douro a pílula Tudo o que eu quero é um acorde perfeito maior Com todo o mundo podendo brilhar no cântico Canto somente o que não pode mais se calar Noutras palavras sou muito romântico .

da aranha e a minha Muita gente desconhece Muita gente desconhece. olará. olará. o sol tem rastro vermelho É o lago um grande espelho onde os dois vão se mirar Rosa amarela quando murcha perde o cheiro O amor é bandoleiro. olará. viu Todo mundo quer cheirar Todo mundo quer cheirar. a lua abre um claro Eu assubo nos aro. tá? Muita gente desconhece A lua é clara.Na Asa do Vento Caetano Veloso Composição: João do Vale e Luiz Vieira Deu meia noite. tá? Todo mundo quer cheirar . olará. vou brincar no vento leste A aranha tece puxando o fio da teia A ciência da abeia. viu? Muita gente desconhece Muita gente desconhece. pode inté custar dinheiro É fulô que não tem cheiro e todo mundo quer cheirar Todo mundo quer cheirar.

Não Enche Caetano Veloso Me larga. vampira. mesquinha. me deixa gozar. nem vai ver Meu lado. não vai dar Quadrada. me deixa cantar. piranha. Minha energia é que mantém você suspensa no ar Pra rua! se manda. aranha Sabedoria de rapina e de enredar. me deixa viver. de enredar Perua. demente A melodia do meu samba põe no lugar Me larga. de frente É que você nunca quis ver. me deixa gozar Vagaba. . me deixa viver Cuidado. não enche Você não entende nada e eu não vou te fazer entender Me encara. Eu vou vou viver mil. Eu vou viver cem. Sai do meu sangue sanguessuga. me deixa cantar Eu vou Clarificar A minha voz Gritando: nada mais de nós! Mando meu bando anunciar Vou me livrar de voce Harpia. me deixa gozar. não enche Me deixa viver. Eu vou viver sem você. O que eu herdei da minha gente e nunca posso perder Me larga. nem tente Manter as coisas como estão porque não dá. na minha. malandra Me deixa gozar. Começa uma outra história aqui na luz deste dia Na boa. me deixa viver. meu jeito. não vai querer. não enche Me deixa cantar. O velho esquema desmorona desta vez pra valer Tarada. pensa que é a dona e eu lhe pergunto:quem lhe deu tanto axé? À-toa. que só sabe sugar Pirata. oxente ! Está no meu querer poder fazer vocêr desabafar Do salto. vadia. Eu vou vivez dez. me deixa cantar.

Não Identificado Caetano Veloso Eu vou fazer uma canção prá ela Em A4/7 A7 D Uma canção singela. brasileira GDG Para lançar depois do carnaval D G Bm Eu vou fazer um iê-iê-iê romântico Em A4/7 A7 D Um anticomputador sentimental GC Eu vou fazer uma canção de amor Cm7 Em Cm7 (A7) Para gravar num disco voador Uma canção dizendo tudo a ela Que ainda estou sozinho. apaixonado Para lançar no espaço sideral Minha paixão há de brilhar na noite No céu de uma cidade do interior GC Como um objeto não identificado Cm7 G C Que ainda estou sozinho e apaixonado Como um objeto não identificado Para gravar num disco voador Eu vou fazer uma canção de amor .

ó doce namorada Seguirmos firmes na estrada Que leva nenhuma dor Minha doce e triste namorada Minha amada. salva o nosso amor .Nenhuma Dor Caetano Veloso Minha namorada tem segredos Tem nos olhos mil brinquedos De magoar o meu amor Minha namorada. idolatrada Salva. muito amada Não entende quase nada Nunca vem de madrugada Procurar por onde estou É preciso.

cheirava mal Afora isto ia indo. seguindo Nem chorando nem sorrindo Sozinho pra Capital Nem chorando nem sorrindo Sozinho pra Capital Sozinho pra Capital Sozinho pra Capital Sozinho pra Capital… . atravessando.No Dia Em Que Eu Vim-me Embora Caetano Veloso No dia em que eu vim-me embora Minha mãe chorava em ai Minha irmã chorava em ui E eu nem olhava pra trás No dia que eu vim-me embora Não teve nada de mais Mala de couro forrada com pano forte brim cáqui Minha vó já quase morta Minha mãe até a porta Minha irmã até a rua E até o porto meu pai O qual não disse palavra durante todo o caminho E quando eu me vi sozinho Vi que não entendia nada Nem de pro que eu ia indo Nem dos sonhos que eu sonhava Senti apenas que a mala de couro que eu carregava Embora estando forrada Fedia.

em segundos Nossa gente é quem bem diz é quem mais dança Os gringos se afinavam na folia Os deuses igualando todo o encanto toda a transa Os rataplans dos tambores gratificam Quem fica não pensa em voltar Afeição a primeira vista O beijo-batom que não vai mais soltar A expressão do rosto identifica Avisa lá. em segundos Nossa gente é quem bem diz é quem mais dança Os gringos se afinavam na folia Os deuses igualando todo o encanto toda a transa Os rataplans dos tambores gratificam Quem fica não pensa em voltar Afeição a primeira vista O beijo-batom que não vai mais soltar A expressão do rosto identifica Avisa lá. avisa lá ô ô Avisa lá que eu vou Avisa lá que eu vou chegar mais tarde. avisa lá. avisa lá. avisa lá ô ô . avisa lá ô ô Avisa lá que eu vou Avisa lá. avisa lá ô ô Avisa lá que eu vou Avisa lá. o yê Vou me juntar ao Olodum que é da alegria É denominado de vulcão O estampido ecoou nos quatro cantos do mundo Em menos de um minuto. avisa lá.Nossa Gente Caetano Veloso Avisa lá que eu vou chegar mais tarde. o yê Vou me juntar ao Olodum que é da alegria É denominado de vulcão O estampido ecoou nos quatro cantos do mundo Em menos de um minuto. avisa lá.

Nosso Estranho Amor Caetano Veloso Não quero sugar todo seu leite Nem quero você enfeite do meu ser Apenas te peço que respeite O meu louco querer Não importa com quem você se deite Que você se deleite seja com quem for Apenas te peço que aceite O meu estranho amor Ah! Mainha deixa o ciúme chegar Deixa o ciúme passar e sigamos juntos Ah! Neguinha deixa eu gostar de você Prá lá do meu coração não me diga Nunca não Teu corpo combina com meu jeito Nós dois fomos feitos muito pra nós dois Não valham dramáticos efeitos Mas o que está depois Não vamos fuçar nossos defeitos Cravar sobre o peito as unhas do rancor Lutemos mas só pelo direito Ao nosso estranho amor (Refrão) .

Nu com minha música
Penso ficar quieto um pouquinho lá no meio do som
Peço salamaleicam carinho bênção aché shalon
Passo devagarinho o caminho que vai de tom a tom
Posso ficar pensando no que é bom
Vejo uma trilha clara pro meu brasil apesar da dor
Vertigem visionária que não carece de seguidor
Nu com a minha música afora isso somente amor
Vislumbro certas coisas de onde estou
Nu com meu violão madrugada nesse quarto de hotel
Logo mais sai o ônibus pela estrada embaixo do céu
O estado de são paulo é bonito penso em você e eu
Cheio dessa esperança que deus deu
Quando eu cantar pra turba de araçatuba verei você
Já em barretos eu só via os operários do abc
Quando eu chegar em americana não sei o que vai ser
Às vezes é solitário viver
Deixo fluir tranqüilo naquilo tudo que não tem fim
Vaca manacá nuvem saudade cana café capim
Coragem grande é poder dizer que sim

O Ciúme
Caetano Veloso
Dorme o sol à flor do Chico, meio-dia
Tudo esbarra embriagado de seu lume
Dorme ponte, Pernambuco, Rio, Bahia
Só vigia um ponto negro: o meu ciúme
O ciúme lançou sua flecha preta
E se viu ferido justo na garganta
Quem nem alegre nem triste nem poeta
Entre Petrolina e Juazeiro canta
Velho Chico vens de Minas
De onde o oculto do mistério se escondeu
Sei que o levas todo em ti, não me ensinas
E eu sou só, eu só, eu só, eu
Juazeiro, nem te lembras dessa tarde
Petrolina, nem chegaste a perceber
Mas, na voz que canta tudo ainda arde
Tudo é perda, tudo quer buscar,
Tanta gente canta, tanta gente cala
Tantas almas esticadas no curtume
Sobre toda estrada, sobre toda sala
Paira, monstruosa, a sombra do ciúme

O Estrangeiro
Caetano Veloso
O pintor Paul Gauguin amou a luz da Baía de Guanabara
O compositor Cole Porter adorou as luzes na noite dela
A Baía de Guanabara
O antropólogo Claude Levy-strauss detestou a Baía de Guanabara:
Pareceu-lhe uma boca banguela.
E eu menos a conhecera mais a amara?
Sou cego de tanto vê-la, te tanto tê-la estrela
O que é uma coisa bela?
O amor é cego / Ray Charles é cego / Stevie Wonder é cego
E o albino Hermeto não enxerga mesmo muito bem
Uma baleia, uma telenovela, um alaúde, um trem? Uma arara?
Mas era ao mesmo tempo bela e banguela a Guanabara
Em que se passara passa passará o raro pesadelo
Que aqui começo a construir sempre buscando o belo e o amaro
Eu não sonhei que a praia de Botafogo era uma esteira rolante de areia branca e de óleo diesel
Sob meus tênis
E o Pão de Açúcar menos óbvio possível
À minha frente
Um Pão de Açúcar com umas arestas insuspeitadas
À áspera luz laranja contra a quase não luz quase não púrpura
Do branco das areias e das espumas
Que era tudo quanto havia então de aurora
Estão às minhas costas um velho com cabelos nas narinas
E uma menina ainda adolescente e muito linda
Não olho pra trás mas sei de tudo
Cego às avessas, como nos sonhos, vejo o que desejo
Mas eu não desejo ver o terno negro do velho
Nem os dentes quase não púrpura da menina
(pense Seurat e pense impressionista
Essa coisa de luz nos brancos dentes e onda
Mas não pense surrealista que é outra onda)
E ouço as vozes / Os dois me dizem / Num duplo som
Como que sampleados num sinclavier:
"É chegada a hora da reeducação de alguém
Do Pai do Filho do espírito Santo amém
O certo é louco tomar eletrochoque
O certo é saber que o certo é certo
O macho adulto branco sempre no comando
E o resto ao resto, o sexo é o corte, o sexo
Reconhecer o valor necessário do ato ipócrita
Riscar os índios, nada esperar dos pretos"
E eu, menos estrangeiro no lugar que no momento
Sigo mais sozinho caminhando contra o vento
E entendo o centro do que estão dizendo
Aquele cara e aquela: É um desmascaro
Singelo grito: "O rei está nu"
Mas eu desperto porque tudo cala frente ao fato de que o rei é mais bonito nu
E eu vou e amo o azul, o púrpura e o amarelo
E entre o meu ir e o do sol, um aro, um elo.
("Some may like a soft Brazilian singer
but I’ve given up all attempts at perfection").

eu sou o chão E onde pisas o chão. bruta flor ... sou coqueiro E onde queres dinheiro. mansidão Onde queres um lar. nada falta E onde voas bem alto. talvez E onde vês eu. sou mulher Onde queres prazer. eu sou tesão Onde queres o livre.. querendo-te.. revolução E onde queres bandido. sou herói Eu queria querer-te e amar o amor Construir-nos dulcíssima prisão Encontrar a mais justa adequação Tudo métrica e rima e nunca dor Mas a vida é real e de viés E vê só que cilada o amor me armou Eu te quero e não queres como sou Não te quero e não queres como és Ah! Bruta flor do querer / Ah! Bruta flor. flipper-vídeo E onde queres romance. queres não E onde não queres nada. garanhão E onde queres o sim e o não. sou obus O quereres e o estares sempre a fim Do que em mim é de mim tão desigual Faz-me querer-te bem.O quereres (Caetano Veloso) Onde queres revólver. aprender o total Do querer que há e do que não há em mim . fevereiro E onde queres coqueiro. sou maluco E onde queres romântico. sou paixão Onde queres descanso. querer-te mal Bem a ti. eu sou espírito E onde queres ternura. burguês Onde queres Leblon. sou Pernambuco E onde queres eunuco. sou o que doi Onde queres tortura. o inseticídio Onde queres miséria. minha alma salta E ganha liberdade na amplidão Onde queres família. bruta flor . não vislumbro razão Onde queres o lobo. sou irmão E onde queres cowboy. decassílabo E onde buscas o anjo. eu sou a luz E onde queres um canto. o mundo inteiro Onde queres quaresma. sou desejo E onde sou só desejo. mal ao quereres assim Infinitivamente pessoal E eu querendo querer-te sem ter fim E. Onde queres o ato. rock’n’roll Onde queres a lua. eu sou o sol E onde a pura natura. Onde queres comício. eu sou chinês Ah! Bruta flor do querer / Ah! Bruta flor.

9 Canto e danço dara .9 Minha cara minha cuca ficar odara Am7 D7.9 Em7.9 Em7.Odara Caetano Veloso Deixa eu dançar pro meu corpo ficar odara Am D7.9 C#m Deixa eu cantar que é pro mundo ficar odara C7+ Bm7 Pra ficar tudo jóia rara E7.9 Am7 Qualquer coisa que se sonhara D7.

Que alegria Não ter sido em vão que ela expediu As Ciatas pra trazerem o samba pra o Rio (Pois o mito surgiu dessa maneira). Estação primeira do Brasil Ao ver a Mangueira nela inteira se viu. Exibiu-se sua face verdadeira. .Onde O Rio É Mais Baiano Caetano Veloso A Bahia. todo ano Na festa de Iemanjá Presente no dois de fevereiro Nós aqui e ele lá Isso é a confirmação de que a Mangueira É onde o Rio é mais baiano. E agora estamos aqui Do outro lado do espelho Com o coração na mão Pensando em Jamelão no Rio Vermelho Todo ano.

Oração ao Tempo Caetano Veloso Es um senhor tão bonito Quanto a cara do meu filho Tempo tempo tempo tempo Vou te fazer um pedido Tempo tempo tempo tempo Compositor de destinos Tambor de todos os ritmos Tempo tempo tempo tempo Entro num acordo contigo Tempo tempo tempo tempo Por seres tão inventivo E pareceres contínuo Tempo tempo tempo tempo És um dos deuses mais lindos Tempo tempo tempo tempo Que sejas ainda mais vivo No som do meu estribilho Tempo tempo tempo tempo Ouve bem o que eu te digo Tempo tempo tempo tempo Peço-te o prazer legítimo E o movimento preciso Tempo tempo tempo tempo Quando o tempo for propício Tempo tempo tempo tempo De modo que o meu espírito Ganhe um brilho definitivo Tempo tempo tempo tempo E eu espalhe benefícios Tempo tempo tempo tempo O que usaremos pra isso Fica guardado em sigilo Tempo tempo tempo tempo Apenas contigo e comigo Tempo tempo tempo tempo E quando eu tiver saído Para fora do teu círculo Tempo tempo tempo tempo Não serei nem terás sido Tempo tempo tempo tempo Ainda assim acredito Ser possível reunirmo-nos .

Tempo tempo tempo tempo Num outro nível de vínculo Tempo tempo tempo tempo Portanto peço-te aquilo E te ofereço elogios Tempo tempo tempo tempo Nas rimas do meu estilo .

viver não é preciso Am Bm5-/7 E7 Am C Bm5-/7 O barco. nada C#m B7 E7 A Navegar é preciso. madrugada B7 E7 Am Bm5-/7 E7 Am O riso. alegria GC Meu coração não contenta C#m5-/7 E7 Am Bm5-/7 E7 Am F G A O dia. meu coração. o charco.Os Argonautas Caetano Veloso O barco. noite no céu tão bonito E7 F Sorriso solto perdido G7 C Horizonte. o barulho C Do meu dente em tua veia E7 Am Bm5-/7 E7 Am O sangue. o porto. barulho lento FGA O porto silêncio C#m B7 E7 A Navegar é preciso. da madrugada FGA O porto. o marco. o automóvel brilhante F G7 O trilho solto. C#m B7 E7 A Navegar é preciso. meu coração não agüenta E7 F Tanta tormenta. o arco. viver não é preciso não (2x) (2x) (2x) . viver não é preciso Am Bm5-/7 E7 Am C Bm5-/7 E7 O barco.

peixe luz Doce bárbaro Jesus Sabe quem é otário Peixe no aquário nada Alto astral. cordões Avançando através dos grossos portões Nossos planos são muito bons Com a espada de Ogum E a benção de Olorum Como num raio de Iansã Rasgamos a manhã vermelha Tudo ainda é tal e qual E no entanto nada é igual Nós cantamos de verdade E é sempre outra cidade velha . aves. astronaves. altas transas. lindas canções Afoxés.Os Mais Doces Bárbaros Caetano Veloso Com amor no coração Preparamos a invasão Cheios de felicidade Entramos na cidade amada Peixe Espada.

okê. espacial Projeitinho. mais. tudo azul e furta-cor Tudo meu amor. dicha louca Neca desse sono de nunca jamais nem never more Sim. orgasmaravalha-me Logun Homenina nel paraís de felicidadania: Outras palavras . tudo amor e ouro e sol Na televisão. tudo céu. a palavra estou em mim E fora de mim quando você parece que não dá Você diz que diz em silêncio o que eu não desejo ouvir Tem me feito muito infeliz mas agora minha filha: Outras palavras Quase João. tu sais de cor Tinjo-me romântico mas sou vadio computador Só que sofri tanto que grita porém daqui pra a frente: Outras palavras Parafins. no átimo. dizer que sim pra Cilu. palávoras. pra Dedé. no chão Quero essa mulher solamente pra mim. muito mais Rima. corações Hiperestesia. Ben. palavra. ciumortevida. máquina. cris. mas tudo dor. muito bem mas barroco como eu Cérebro. tamanho trem Como na palavra. Buarque. sexonhei da guerrapaz Ouraxé. vem que tem coração. driz. tudo mel. gatins. alphaluz. vivavid Lambetelho. frúturo. na palavra. palavras. pra Dadi e Dó Crista do desejo o destino deslinda-se em beleza: Outras palavras Tudo seu azul. voilá. amor e gozo: Outras palavras Nem vem que não tem.Outras Palavras Caetano Veloso Nada dessa cica de palavra triste em mim na boca Travo. sentidos. alma buena. imanso. trava mãe e papai. pra que faz tanto. Gil.

tinha o mundo inteiro Mas achou muito engraçado me botar cabreiro Na barriga da miséria nasci batuqueiro Eu sou do Rio de Janeiro Jesus Cristo ainda me paga. Deus dará Deus é um cara gozador. ô nega E se Deus não dá. adora brincadeira Pois prá me jogar no mundo. Deus dará. quase sem recheio Mas se alguém me desafia e bota a mãe no meio Dou paulada a três por quatro e nem me despenteio Que eu já tô de saco cheio . diz que dá. não vou duvidar. ô nega?. como é que vai ficar. dar uma canjica Que prá ver se alguém me amarra ao ronco da cuíca E aquele abraço prá quem fica Deus me deu mão de veludo prá fazer carícia Deus me deu muita saudade e muita preguiça Deus me deu perna cumprida e muita malícia Prá correr atrás da bola e fugir da polícia Um dia ainda sou notícia Deus me fez um cara fraco. Deus dará.Partido Alto Caetano Veloso Composição: Chico Buarque de Holanda Diz que deu. não vou duvidar. diz que Deus dará. Deus dará Diz que deu. diz que dá. desdentado e feio Pele e osso simplesmente. eu vou me indignar e chegar. ô nega E se Deus negar. diz que Deus dará. um dia ainda me explica Como é que pôs no mundo essa pobre coisica Vou correr o mundo afora.

.Queixa (Caetano Veloso) Um amor assim delicado Você pega e despreza Não devia ter despertado Ajoelha e não reza Dessa coisa que mete medo Pela sua grandeza Não sou o único culpado Disso eu tenho a certeza Princesa Surpresa Você me arrasou Serpente Nem sente que me envenenou Senhora e agora Me diga onde eu vou Senhora Serpente Princesa Um amor assim violento Quando torna-se mágoa É o avesso de um sentimento Oceano sem água Ondas: desejos de vingança Nessa desnatureza Batem forte sem esperança Contra a tua dureza Princesa Surpresa Você me arrasou Serpente Nem sente que me envenenou Senhora e agora Me diga onde eu vou Senhora Serpente Princesa Um amor assim delicado Nenhum homem daria Talvez tenha sido um pecado Apostar na alegria Você pensa que eu tenho tudo E vazio me deixa Mas Deus não quer que eu fique mudo E eu te grito essa queixa Princesa Surpresa Você me arrasou Serpente Nem sente que me envenenou Senhora e agora Me diga onde eu vou Amiga Me diga.

querer-te mal. flipper vídeo. e onde queres coqueiro eu sou obus O quereres e o estares sempre a fim do que em mim é de mim tão desigual Faz-me querer-te bem. tudo métrica e rima e nunca dor Mas a vida é real e de viés. e onde queres tortura. ah. e onde queres romance. bruta flor. e vê só que cilada o amor me armou E te quero e não queres como sou. construirmos dulcíssima prisão E encontrar a mais justa adequação. e onde voas bem alta eu sou o chão E onde pisas no chão minha alma salta. fevereiro. e onde queres ternura eu sou tesão o livre decassílabo. bruta flor Onde Onde Onde Onde queres queres queres queres o ato eu sou o espírito. mansidão o lar. burguês Onde queres Leblon sou Pernambuco. onde queres dinheiro sou paixão Onde queres descanso sou desejo. e ganha liberdade na amplidão Onde queres família sou maluco. e onde queres bandido eu sou o herói Eu queria querer-te e amar o amor. e onde queres cowboy eu sou chinês Ah. garanhão E onde queres o sim e o não. onde a pura natura. mal ao quereres assim Infinitivamente pessoal. bem a ti. o inseticídeo E onde queres mistério eu sou a luz. e eu querendo querer-te sem ter fim E querendo te aprender o total do querer que há e do que não há em mim . e onde sou só desejo queres não E onde não queres nada. revolução. bruta flor do querer. não te quero e não queres como és REFRÃO Onde queres comício. e onde queres romântico.Quereres Caetano Veloso Onde queres revólver sou coqueiro. onde queres um canto. o mundo inteiro Onde queres quaresma. talvez. e onde queres eunuco. e onde buscas o anjo eu sou mulher prazer sou o que dói. rock'n roll Onde queres a lua eu sou o sol. onde vês eu não vislumbro razão Onde queres o lobo eu sou o irmão. nada falta.

Sete mil vezes (Caetano Veloso) Sete mil vezes Eu tornaria a viver assim Sempre contigo Transando sob as estrelas Sempre cantando A música doce que o amor Pedir pra eu cantar Noite feliz Todas as coisas são belas Sete mil vezes E em cada uma outra vez querer Sete mil outras Em progressão infinita Quando uma hora é grande e bonita Assim. quer se multiplicar Quer habitar Todos os cantos do ser Quarto crescente para sempre Um constante quando Eternamente o presente você me dando Sete mil vidas Sete milhões e ainda um pouco mais É o que desejo e o que deseja esta noite Noite de calma e vento Momento de prece e de carnavais Noite de amor Noite de fogo e de paz .

crescendo. mais carinho.Sonhos (Peninha) Tudo era apenas uma brincadeira E foi crescendo. não Eu só quero que você se encontre Saudade até que é bom É melhor que caminhar vazio A esperança é um dom Que eu tenho em mim Não tem desespero não Você me ensinou milhões de coisas Tenho um sonho em minhas mãos Amanhã será um novo dia Certamente eu vou ser mais feliz . eu não me acho Vi um grande amor gritar dentro de mim como eu sonhei um dia Quando o meu mundo era mais mundo E todo mundo admitia Uma mudança muito estranha Mais pureza. mais calma mais alegria No meu jeito de me dar Quando a canção se fez mais forte e mais sentida Quando a poesia fz folia em minha vida Você veio me falar dessa paixão inesperada Por outra pessoa Mas não tem revolta. me absorvendo E de repente eu me vi assim completamente seu Vi a minha força amarrada no seu passo Vi que sem você não há caminho.

..... LUZ ACESA CERTEZA ....... QUE SAUDADE VERDADE ... JÁ CHEGOU ENTÃO VEM CÁ .....Surpresa (João Donato e Caetano Veloso) QUE SURPRESA BELEZA ..............

ser tua comida Todo amor que houver nessa vida E algum remédio que me dê alegria.Todo amor que houver nessa vida Frejat/Cazuza Eu quero a sorte De um amor tranqüilo Com sabor de fruta mordida Mordida Nós na batida No embalo da rede Matando a sede na saliva Ser teu pão. mão e a tua mente não Ser teu pão. nuca. ser tua comida Todo amor que houver nessa vida E algum trocado pra dar garantia E ser artista No nosso convívio Pelo inferno e céu De todo dia Pra poesia que a gente não vive Transformar o tédio Em melodia Ser teu pão. ser tua comida Todo amor que houver nessa vida E algum veneno antimonotonia E se eu achar a tua fonte escondida Te alcanço em cheio O mel e a ferida E o corpo inteiro feito um furacão Boca. .

Trem das cores (Caetano Veloso) A franja da encosta Cor de laranja Capim rosa-chá O mel desses olhos luz Mel de cor impar O ouro ainda não bem verde da serra A prata do trem A lua e a estrela Anel de turquesa Os átomos todos dançam Madruga Reluz neblina Crianças cor de romã Entram no vagão O oliva da nuvem chumbo ficando Pra trás da manhã E a seda azul do papel Que envolve a maçã As casas tão verde e rosa Que vão passando ao nos ver passar Os dois lados da janela E aquela num tom de azul Quase inexistente azul que não há Azul que é pura memória de algum lugar Teu cabelo preto Explícito objeto Castanhos lábios Ou pra ser exato Lábios cor de açaí E aqui trem das cores Sábios projetos Tocar na central E o céu de um azul Celeste celestial. .

.Um canto de afoxé para o bloco do ilê (Caetano Veloso e Moreno Veloso) Ilê Ilê Ilê Ilê aiê aiê aiê aiê como você é bonito de se ver que beleza mais bonita de se ter sua beleza se transforma em você que maneira mais feliz de viver.

Pi. Punks Picassos movem-se por Londres Bahia onipresentemente Rio e belíssimo horizonte Ê Vaca de divinas tetas La leche buena toda em mi garganta La mala leche para los “puretas” Quero que pinte um amor Bethânia Stevie Wonder. as “ramblas” do planeta “Orchata de Chufa. longe da cruz Mas em composição cubista Meu mundo Telonius Monk’s blues Ê Vaca das divinas tetas Seu bom só para o oco. Pau. põe teus cornos Pra fora e acima da manada Ê Dona das divinas tetas Derrama o leite bom na minha cara E o leite mal na cara dos caretas Segue a “movida madrileña” Também te mata Barcelona Napoli Pino. si us plau” Ê Deusa de assombrosas tetas Gotas de leite bom na minha cara Chuva do mesmo bom sobre os caretas .Vaca profana (Caetano Veloso) Respeito muito minhas lágrimas Mas ainda mais minha risada Inscrevo assim minhas palavras Na voz de uma mulher sagrada Vaca profana. que é meu bem/meu mal No mais. andaluz Como o que tive em Tel Aviv Perto do mar. minha falta E o resto inunde as almas dos caretas Sou tímido espalhafatoso Torre traçada por Gaudi São Paulo é como o mundo todo No mundo um grande amor perdi Caretas de Paris e New York Sem mágoas estamos aí! Ê Dona das divinas tetas Quero teu leite todo em minha alma Nada de leite mau para os caretas Mas eu também sei ser careta De perto ninguém é normal Às vezes segue em linha reta A vida.

Interesses relacionados