Você está na página 1de 13

UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS, AGRÁRIAS E DAS
ENGENHARIAS CURSO ENGENHARIA CIVIL / CAMPUS TUBARÃO

Disciplina/UA: Ciências do Ambiente
Professora: Patrícia Menegaz de Farias, Dra.
Acadêmicos: Artur Silvestre, Gustavo Borges Azocar, Kamila Fernandes Prestes, Monique
Marcelino da Silva

ESTUDO DE CASO
Diagnóstico ambiental de uma construção civil
INTRODUÇÃO
O projeto para a construção do complexo hoteleiro Ponta dos Corais em
Florianópolis está a 7 anos tramitando pelos órgãos públicos devido a impasses
ambientais e sociais.
A idealização inicial do empreendimento pretendia dar continuidade na
revitalização da Avenida Beira-mar Norte com a implantação de um parque público
que contemplaria diversos equipamentos urbanos, como ciclovias, passeios, praças,
estacionamentos, área verdes de lazer, aparelhos públicos de ginástica e recreação.
O projeto também engloba a substituição e construção de novas marinas, visando
melhorar as condições da comunidade pesqueira existente no local. Por último, a
instalação de um complexo hoteleiro contemplando área de hospedagem, de
eventos, comercial, de alimentação e de serviços.
A área em questão, um terreno de 15 mil metros quadrados, pertencia a
União até a década de 80, sendo usada pela Marinha no século 18 como posto de
vigia no sistema de defesa da ilha; como local de armazenamento e distribuição de
óleo na década de 20, por iniciativa privada; e como Abrigo de Menores –
Educandário 25 de Novembro – entre a década de 40 a 70 sob o domínio da União.
O principal impasse ambiental está na realização de um aterramento de
até 36 mil metros quadrados no entorno do terreno para viabilização da construção
do parque público. Além da alteração da paisagem e da orla e a revitalização do
espaço
Conforme audiência pública, os moradores também são contra a
construção do empreendimento, alegando que o empreendimento não trará

O projeto ainda prevê a construção de um posto combustível para abastecimento das embarcações. implantado sobre uma área total de 14. contendo 224 apartamentos. de 27 de julho de 2005. A Área de Influência Direta do novo empreendimento é uma região amplamente urbanizada. destaca-se também que a área prevista no Estudo para realocação dos pescadores seria uma área onde o aterro previsto para o empreendimento abrange. com tamanho máximo de 60 pés e a área prevista de implantação da marina apresenta profundidade média de 2.9 ha.71 m² e de um parque público construído sobre um aterro mecânico. O complexo hoteleiro consiste de uma edificação de 9. prevê abrigar até 247 embarcações de esporte e lazer. 924 m³ de pedra de mão e 308 m³ de brita para o enrocamento da margem.78 m. do tipo flutuante.605. comercial.000 m³. de 34. A marina ocupará extensão de 5. de alimentação e de serviços – de uma marina e de um parque público. CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO O projeto consiste na instalação de um complexo hoteleiro – que envolve a área de hospedagem. de eventos.1 metros na baixa-mar. alterou o zoneamento de AVL para ATE-2 em parte da área onde está situado o imóvel em questão e autorizou o aterramento de uma faixa de 33 metros.benefícios a sociedade e reivindicam a construção de área de lazer ou um projeto aberto para a comunidade.000 m³ de pedra detonada.959. adjacente à Ponta do Coral.74 m². A marina projetada.645. onde não é autorizado aterro pela lei nº180/2005. destaca-se que a Lei Complementar nº180/2005.45 m². ou seja.000 m² em solo com altura de 91. Outro tópico citado pela comunidade é a alteração da orla e da marina e a diminuição das atividades pesqueiras no local. O volume de material necessário para o aterro é de aproximadamente 140.74 ha de área e a edificação do hotel uma área de aproximadamente 0. que chegarão ao local via terrestre ou marinha. apresentando uma completa gama de equipamentos . totalizando 49. a ser empreendido pela Hantei Construções e Incorporações Ltda. no entanto o aterro previsto para o empreendimento difere daquele indicado em lei. serão também movimentados 15. Em relação à área aterrada.

urbanos. 2014. como praças. comércios de pequeno a médio porte. totalmente inserido em terreno alodial. Fonte: Arquitetos Associados. além de áreas não edificadas. A concepção do edifício pode ser observada pelas perspectivas abaixo: Figura 01: Ilustração da fachada do Resort em diferentes ângulos. . áreas verdes de lazer e áreas destinadas ao lazer e recreação. os quais são triviais a um município deste porte socioeconômico. A locação do empreendimento é apresentada pelo mapa abaixo: Figura 02: Projeto do Hotel. A tipologia das edificações é composta por residências unifamiliares e condomínios verticais multifamiliares. Estes ranchos estão organizados sob a coordenação da APPC (Associação dos Pescadores da Ponta do Coral). Além desta configuração. há ainda um conjunto de ranchos de pesca.

Conforme os dados do Estudo Ambiental Complementar da HANTEI Construções e Incorporações Ltda. inicia outro ciclo de geração de resíduos a partir dos habitantes.70 m de solo perfurado. O resultado da sondagem é dado pela tabela abaixo: Tabela 01: Síntese dos resultados de classificação do subsolo do terreno da Ponta do Coral realizado pela Furo & Solo Perfuração. Pode-se também observar os impactos ambientais na forma de poluição sonora e visual devido principalmente aos maquinários. é de 1. a geração de resíduos por dia resulta em 784 Kg. Adotando-se uma população estimada de 896 habitantes para o edifício. o índice de geração de resíduos domésticos per capita. O relevo é basicamente plano observando o afloramento da rocha na superfície. dos serviços e da manutenção da obra. Nas etapas de implantação e execução. Nos estudos de sondagem e caracterização do solo foram executados 10 furos realizados pela empresa Furo & Solo Perfurações Ltda. como referencial a população de Florianópolis.Fonte: Arquitetos Associados. 2014. Ao término da construção.01 Kg/hab. somando um total de 138.dia. na etapa de utilização. observa-se a geração de resíduos desde a instalação do canteiro de obras em forma de resíduos sólidos pelos materiais utilizados e resíduos orgânicos e líquidos produzidos pelas atividades humanas e maquinários. poluição atmosfera e alterações do perfil do solo. .

Fonte: RIMA FATMA ALTERAR. A Área de Influência Direta (AID) da obra idealizada é uma região amplamente urbanizada. . ALTERAR Com os dados foi possível concluir que o terreno em estudo pode ser considerado como estável e apresentando um baixo potencial erosivo dos solos. onde ocorre o afloramento da rocha garantindo boa resistência ao solo. 2014. sistema de coleta de resíduos sólidos. destacam-se: redes públicas de abastecimento de água e energia elétrica. Fonte: Furo & Solo Perfurações Ltda. Isso deve-se principalmente devido à localização na ponta da costa. Figura 03: Localização dos furos de sondagem STP perfurados na Ponta do Coral. Dentre esses equipamentos. apresentando uma completa série de equipamentos urbanos.

também. a AID apresenta alto índice de atendimento através da CASAN. incluindo a presença de diversos tipos de equipamentos urbanos. Em se tratando da drenagem urbana. Ressalta-se que o empreendimento possuirá uma rede de tubulação que irá destinar as águas pluviais coletadas para a rede de drenagem da prefeitura municipal. o que influi diretamente na caracterização do entorno do empreendimento. constatou-se que a grande maioria das ruas são atendidas com a rede de drenagem existente. apresentando muitos elementos de infraestrutura. visto que esses foram resolvidos por trabalhos técnicos de campo. impossibilitando a obtenção das informações. sendo que o empreendimento já possui atestado de viabilidade de coleta de esgotos. A grande parte das ruas foi vistoriada. Por se tratar de uma região próxima à porção central do município. já protocolados na FATMA. salienta-se que a fim de minimizar a interferência no tráfego da principal via de acesso (Av. exceto algumas ruas com alta declividade. também houve ruas que não apresentaram o equipamento ou possuíam algum tipo de obstrução e/ou impedimento. As ruas da AID apresentam coleta de resíduos efetuada pela COMCAP. toda a AID possui atendimento. A respeito do sistema viário. conforme exposto no parecer desta Companhia sobre a viabilidade de fornecimento expresso anteriormente. todavia. Continuando a parte em que se refere aos equipamentos urbanos. Irineu Bornhausen). toda a AID é abastecida por meio da CELESC. pois. Quanto à disponibilidade de energia elétrica.ruas pavimentadas com asfalto em sua grande maioria e sistema de drenagem urbana implantada. o empreendimento será abastecido com a energia elétrica provinda da CELESC. podemos obter à conclusão de dados. A coleta de resíduos. será construída uma alça de acesso e saída de veículos (automóveis e caminhões) com destino ao Hotel Ponta do Coral. representadas pelas bocasde-lobo e pela rede coletora subterrânea. realizado em conjunto com esse estudo. Os resíduos sólidos gerados pelo empreendimento receberão o devido tratamento conforme o Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos. não fora considerado na tabela. Gov. em 2013. . a taxa de urbanização é alta. pelos órgãos públicos federais. Assim. Em relação ao abastecimento de água e o esgoto sanitário.

dando preferência à violência do local. Fonte: Furo & Solo Perfurações Ltda. ano de 2011. hoje permanece a carência de segurança. ano de 2011. uso e cobertura da terra da AID do empreendimento. arredor do terreno em estudo. abordadas na pesquisa realizada no ano de 2011. um conjunto de ranchos de pesca. alguns locais menos movimentados são passíveis e vulneráveis à ação de bandidos. Fonte: Furo & Solo Perfurações Ltda.O meio socioeconômico se resume a essas ideias. uso e cobertura de terra. ALTERAR . além de favorecerem a permanência de moradores de rua e de usuários de drogas. onde. logo. foi destacado o aumento de áreas de lazer para a população como também o aumento de fluxo de turistas na capital. Ainda mais que. fazendo com que o meio econômico desenvolva. No local possui um casebre. ALTERAR Figura 04: Representação das áreas das classes de ocupação. segundo mapa de ocupação. uma vez que não há postos de polícia localizados nas proximidades da localidade e. Tabela 02: Dimensão das classes de ocupação. A cobertura do solo presente na região pode ser previstas nas dimensões das classes de ocupação. uso e cobertura da terra na AID do empreendimento. com o planejamento do projeto.

Dinamização das atividades econômicas. Pressão sobre a infraestrutura urbana. Alteração no cotidiano da população. Consolidação da ocupação urbana. Ambos são divididos pelas etapas da construção do empreendimento. Impactos positivos na fase de operação . Possibilidade de Contaminação do solo. Geração de conhecimento técnico e científico.RELATO DA SITUAÇÃO IMPACTOS Os impactos podem ser classificados como de ordem negativa e positiva. Geração de efluentes. Supressão de vegetação. Processos erosivos. Geração de efluentes. Risco de interferência no patrimônio histórico. Impactos negativos na fase de implantação Pressão sobre a infraestrutura urbana. Impactos negativos na fase de operação Geração de resíduos sólidos. Impactos positivos na fase de implantação Geração de emprego e renda. são os seguintes: Impactos positivos na fase de planejamento Geração de emprego e renda. Dinamização das atividades econômicas. Deslocamento da fauna. Aumento dos níveis de ruídos. onde nessa obra. Os aspectos apontados como impactos positivos. Aumento da arrecadação tributária. Geração de resíduos sólidos e da construção civil. Alteração da qualidade do ar. Impermeabilização do solo. Podemos selecionar os seguintes aspectos como sendo classificado como impacto negativo: Impactos negativos na fase de planejamento Geração de expectativas e incertezas na população local. de implantação e de ocupação seguindo as orientações da Resolução CONAMA nº 001/1986. Alteração da paisagem. foram divididos em impactos de planejamento. Aumento da arrecadação tributária. artístico e cultural. Aumento dos níveis de ruído. Possibilidade de Contaminação do solo. Modificação de habitats terrestres. Risco de acidentes. Risco de acidentes. Possibilidade de alteração da qualidade das águas superficiais.

Durante as atividades de dobramento dos pontões que servirão de apoio para o píer e a Marina. Acessibilidade a Ponta do Coral. Valorização dos imóveis. Aumento da arrecadação tributária. além de divulgar as penalidades legais resultantes destas práticas. podemos prever como as ações solicitadas. pode-se idealizar alguns parâmetros. Alteração das relações sociais.  Conscientizar funcionários envolvidos na obra. medidas envolvendo parte ambiental e social. com relação à necessidade de preservação dos animais da região.  Suprimir somente a vegetação estritamente necessária. Para as medidas ambientais. Alteração no cotidiano da população.  Providenciar o acompanhamento por um profissional habilitado em Biologia durante as atividades de retirada da vegetação e terraplanagem. para que estes não alcancem o meio aquático. MEDIDAS MITIGATÓRIAS E COMPENSATÓRIAS O principal objetivo dessa análise de impactos é planejar ações mitigatórias e compensatórias para que se possam prever benefícios aos afetados.Geração de emprego e renda.  Realizar monitoramento da fauna que vai se desenvolver no local e avaliar a evolução desses novos habitats da fauna marinha no entorno da Ponta do Coral. Acessibilidade a Ponta do Coral. buscando conter qualquer tipo de agressão à fauna.  Implantar um processo de reconhecimento e conscientização dos empregados envolvidos. Para esses casos citados. no qual citaremos a seguir:  Adotar medidas de controle ambiental para reduzir ou compensar os impactos sobre os organismos que vivem no fundo do mar. deverão ser construídas abas de madeira ao redor do local para proteção e contenção de resíduos sólidos. Dinamização das atividades econômicas com ênfase ao turismo. Aumento da capacidade hoteleira de Florianópolis. .

.Atendimento à demanda por serviços de hotelaria e turismo. que buscam integração com a natureza. habilitada e reconhecidamente capacitada para a discussão e a elaboração do projeto da Ponta do Coral. fragmentação e redução de habitats será mitigado e compensado por meio da implantação de vegetação nativa. evitando a produção de um impacto com deslocamento de pessoal. Para as medidas sociais.  A contratação de mão de obra local dever ser priorizada e a capacitação e qualificação profissional dos colaboradores já está prevista com a criação do Instituto Hantei – Ponta do Coral. para que os impostos fiquem no município. buscando harmonizar o empreendimento com a região. . O objetivo será reduzir o número de trabalhadores externos. incluindo espécies arbóreas.  Para potencializar os efeitos positivos deste impacto.  Implantação de um empreendimento hoteleiro seguindo as diretrizes de uso do solo do município. no qual citaremos a seguir:  O projeto paisagístico tem muito a contribuir na recuperação da paisagem degradada que predomina atualmente no local e deve ser elaborado em conjunto com o projeto executivo.  Na fase de planejamento deve-se contratar equipe técnica especializada.  Disciplinar o uso e ocupação do solo. o planejamento do empreendimento deve ser formulado preservando os ecossistemas e atendendo às expectativas dos vários segmentos do mercado turístico. resultante da nova demanda por comércio e serviço que o empreendimento irá causar à região. pode-se idealizar alguns parâmetros. como também. O impacto da destruição. por meio de uma fiscalização rigorosa por parte do poder público.  Para potencializar ainda mais este impacto positivo sugere-se que o empreendedor invista em programas de apoio às atividades produtivas locais para a capacitação da comunidade.

segurança (pública e privada). alavancando a economia da cidade. aumentando a especulação imobiliária dos terrenos lindeiros.  Prestar apoio aos Pescadores Tradicionais. incluindo parques e áreas verdes livres para lazer.  Incentivar a cultura. para que seja mantida a atividade pesqueira tradicional após a realocação dos pescadores. O projeto da revitalização é composto pela construção de um complexo hoteleiro. já visando essas ações. Cada um desses programas possuem uma série de fatores informando os procedimentos necessários para manter o propósito. a arrecadação tributária. através do Programa de Valorização da Cultura Local. a geração de emprego e. ANÁLISE A construção do complexo hoteleiro surge como uma alternativa para a revitalização do espaço localizado na Ponta do Coral que está a anos sob total descaso do poder público. recomenda-se o monitoramento de todas as ações adotadas. A principal característica positiva do empreendimento é o incentivo ao turismo no bairro Agronômica. A execução de um aterro de 34 mil m³ e os problemas com a geração de . A paralização do projeto ocorre devido a impasses de natureza ambiental e social. ações relacionadas principalmente à iluminação pública. A empresa responsável. Como toda construção. com restaurantes e centros comerciais. pode-se formar programas para que não percam o foco durante a aplicação desses benefícios. ligação com o passeio público e a ciclovia da Beira-Mar Norte poderão ser implementadas.  Para melhorar e aumentar o acesso e o uso da Ponta do Coral. planejaram alguns programas englobando as ações ambientais e sociais. assim. em geral. para que nenhum ponto saia no prejuízo. Desenvolver o Cadastramento e apoio aos Pescadores Tradicionais. Para as ações citadas. por meio do Programa de Valorização da Cultura Local.

por meio do reflorestamento. visto que a movimentação de veículos já se encontra em situação crítica.licenças ambientais estão entre os principais problemas englobando os impasses ambientais. A integridade ambiental e paisagística será bem cuidada devido ao grande porte do investimento. os impactos negativos podem ser minimizados com a aplicação de atividades mitigatórias e compensatórias e com o controle ambiental. temos os movimentos populares contrários ao empreendimento. sendo eles o Movimento Ponta do Coral 100% Pública e a própria comunidade. A integridade ambiental e paisagística do local leva a população a discordar com empreendimento. o maior problema seria o fluxo de trânsito. A atividade pesqueira é uma característica histórica da Ponta do Coral sendo considerada pela comunidade a principal geração de renda para algumas famílias. e a valorização e o resgate da história de cultura da região. O fluxo de trânsito é um fator preocupante para moradores da região. a demanda de veículos aumentaria. principalmente em horários de pico. . A implantação do projeto preocupa a população gerando a incerteza de que essa atividade possa vir a se extinguir. Ponta do Goulart e Ponta do Lessa. a qual será a principal afetada pelos impactos da construção. Nos impasses sociais. Avaliando os argumentos apontados como negativos pela população e as oportunidades que o projeto tem a oferecer. englobando a Ponta do Coral. defendendo a sua preservação e a implantação de projetos públicos para a conservação e incentivo a preservação. gestão e educação ambiental. garantindo um aspecto arquitetônico do edifício e paisagístico do local de alta qualidade. a partir de oficinas e eventos culturais. No âmbito ambiental. A parcela que defende a conservação do local e a não construção do complexo argumentam que o mesmo não trará os benefícios idealizados pelos empreendedores para a população local. As principais propostas do projeto são: a valorização e conservação do ecossistema. Com a instalação do empreendimento. agravando a situação. O Movimento Ponta do Coral 100% conta com um projeto chamado Parque Cultural das 3 Pontas como uma solução para a conservação da Baía do Norte. no entanto é uma consequência que está fora da alçada da construtora.

BIBLIOGRAFIA JÉSICA MAIA (Santa Catarina) (Ed. possamos concluir que a construção do empreendimento poderá ser sim uma forma de alavancar a área colaboradora.br/florianopolis/noticias/193552-audiencia-publica-discuteestudo-complementar-do-hotel-ponta-do-coral-em-florianopolis.). Por conseguinte. STEPANSKI. desde que. Florianópolis. no aumento das oportunidades de empregos. 2014. Relatório do Impacto ao Meio Ambiente: Parque Hotel Marina Ponta do Coral. Acesso em: 08 jun. O que é necessário para perfeito funcionamento é uma mediação entre as partes para que as duas possam tirar o melhor proveito da área sem pôr em risco integridade da Ponta do Coral.com. Disponível em: <http://ndonline. Seja na parte econômica. AMBIENS (Santa Catarina) (Org. na renda e possibilitando uma melhor segurança na região. Elaine. em Florianópolis. . 2016.). Audiência pública discute estudo complementar do Hotel Ponta do Coral. seja feito um controle de vantagens fornecidos pela empreiteira. no lazer.cabendo ao poder público impor essas medidas e fiscalizá-las para que a construtora as cumpram corretamente. Florianópolis: Fábrica de Comunicação. Estudo Ambiental Complementar: Reavaliação de impactos ambientais em virtude da readequação do projeto. pensando na maior probabilidade de benefícios na região.html>. 2014. 2014.