Você está na página 1de 6

Série Gênesis – Passos tortos pelo caminho reto – Mensagem 9

Série Gênesis – Passos tortos pelo Caminho reto – Mensagem 9a

A aliança da bênção.
(Texto: Gn 12:1~9)

1. Introdução.

A primeira parte de Gênesis se encerra no capítulo 11. Depois do incidente da torre de


Babel, os diversos grupos humanos se espalham cada qual formando tribos, clãs, nações.
A atenção de Gênesis está sobre a linhagem de Sem, porque dele sairia aquele que Deus
escolheria para dar continuidade ao seu plano de salvação. Enfim, chegamos à história
de Abraão.

A palavra principal desse texto é "bênção". Essa é uma palavra muito usada por todos
nós, mas que carrega um significado muito grande. Quem não deseja ser abençoado?
Garanto que todos que estão aqui querem. Existem pessoas que vivem em função de
bênção, ou seja, são pessoas que pensam que Deus existe somente para abençoar. Outras,
por sua vez, têm uma aversão muito grande a qualquer tipo de bênção, pensando que
Deus não deseja nos abençoar.

O que precisamos saber, para início de conversa, que bênção é algo vindo de Deus,
como presente, para aqueles que Ele quiser. Não podemos nem pender de um lado nem
de outro. Devemos ter a consciência, sim, de que Deus nos abençoa, mas que devemos
estar no centro de sua vontade para que as suas maravilhas promessas de bênção
venham a se realizar em nossas vidas. Logo, nós buscamos Àquele que abençoa, e não à
benção que Ele pode nos conceder. Não é possível descasar a bênção do abençoador.

O interessante a história de Abraão vai nos mostrar é que, com o passar da narrativa,
parece que aquilo que Deus prometeu nunca se realizará. É como se Deus estivesse
sendo cruel: Ele promete algo, mas aquilo não vem. Deus promete um filho, mas Abrão
tem setenta e cinco anos e sua mulher é estéril. Deus promete uma terra, mas Ele manda
Abraão sair da sua terra natal. O relato pode parecer muito irônico, mas a grande lição
que Abraão tem a nos mostrar é revelada justamente nesses detalhes.

Abraão, aquele conhecido como amigo de Deus e pai da fé, ao contrário do que muitas
pessoas pensam, também foi um homem cheio de problemas e dilemas, que em muitos
casos se precipitou não esperando o cumprimento da vontade de Deus... Abraão é o
exato reflexo da nossa vida cristã cotidiana. E Deus aparece a esta pessoa, imperfeita, e
lhe propõe uma aliança, uma aliança de bênção!

Você deseja ser abençoado em tudo? Esse texto nos ensina como devemos agir diante
das maravilhosas bênçãos de Deus. Abraão é um exemplo vivo de que as bênçãos de
Deus são boas e chegam exatamente na hora certa. Mais uma vez, nós não devemos
correr atrás das bênçãos de Deus, porém, quando nos entregamos a Ele, as bênçãos
passam a ser conseqüência natural do nosso relacionamento com Ele!

Uma ordem e uma promessa. Uma ordem que é condição para a promessa. A promessa
que é uma bênção. Esta é a primeira história de Abraão, ou melhor, Abrão.

a
Pregado no MEP dia 14 de março de 2010.

Paulo Sung Ho Won – www.sunghojd.blogspot.com


1
Série Gênesis – Passos tortos pelo caminho reto – Mensagem 9

2. O texto (Gn 12:1~4)


1
Então o SENHOR disse a Abrão: “Saiab da sua terra, do meio dos seus parentes
e da casa de seu pai, e vá para a terra que eu lhe mostrarei.
2
“Farei de você um grande povo,
e o abençoarei.
Tornarei famoso o seu nomec,
e você será uma bênção.
3
Abençoarei os que o abençoarem
e amaldiçoarei os que o amaldiçoarem;
e por meio de você
todos os povos da terra
serão abençoados”.
4
Partiu Abrão, como lhe ordenara o SENHOR, e Ló foi com ele. Abrão tinha
setenta e cinco anos quando saiu de Harã.5 Levou sua mulher Sarai, seu sobrinho Ló,
todos os bens que haviam acumulado e os seus servos, comprados em Harã; partiram
para a terra de Canaã e lá chegaram. 6 Abrão atravessou a terra até o lugar do carvalho
de Moré, em Siquém. Naquela época os cananeus habitavam essa terra.
7
O SENHOR apareceu a Abrão e disse: “À sua descendência darei esta terra”.
Abrão construiu ali um altar dedicado ao SENHOR, que lhe havia aparecido. 8 Dali
prosseguiu em direção às colinas a leste de Betel, onde armou acampamento, tendo
Betel a oeste e Ai a leste. Construiu ali um altar dedicado ao SENHOR e invocou o nome
do SENHOR. 9 Depois Abrão partiu e prosseguiu em direção ao Neguebe.
3. Exposição do texto.

1. A vontade de Deus é sempre clara!

"Então o SENHOR disse a Abrão: “Saia da sua terra, do meio dos seus parentes e da
casa de seu pai, e vá para a terra que eu lhe mostrarei." (v. 1).

Dois verbos muito importantes que estão no imperativo presente: "Saia" e "vá". Deus vê
Abraão, o escolheu para um grande projeto e o chama. Porém esse chamado é seguido
de uma ordem. Abrão deveria deixar a sua terra natal e ir para um lugar que nem ele
sabia onde era. Só Deus sabia em sua mente para onde Abrão deveria ir.

O direcionamento do Senhor é bem claro: Abrão deveria sair da sua terra, do meio de
sua família e da casa de seu pai. Não restavam dúvidas do que Deus estava falando.
Deus é sempre claro naquilo que Ele quer. Ele não deixa dúvidas quanto ao seu desejo.
Por isso, uma grande maneira de sabermos se algo é ou não da vontade de Deus é se
esta vontade é específica, ou seja, clara, ou dúbia e nebulosa.

Muitas pessoas pensam que Deus os dirige a fazer algumas coisas. Mas nem elas
mesmas sabem ao certo o que estão fazendo, com que propósito, etc. Será que realmente
essas pessoas ouviram a voz de Deus? Deus, quando quer algo, é claro e explícito. É a
maneira pela qual Deus ordenou que Abrão saísse de sua terra.

b
Esse comando inicial de Deus é um imperativo direto, %l;h', do verbo %l,. É seuigo pela preposição lamed
com o sufixo pronominal $'l. enfatizando o sujeito do imperativo, ou seja, "Sai você!".
c
Ou cf. outras versões, "farei seu nome grande".

Paulo Sung Ho Won – www.sunghojd.blogspot.com


2
Série Gênesis – Passos tortos pelo caminho reto – Mensagem 9

Outra coisa interessante é que Deus sempre traça uma direção clara. A vontade de Deus
e a direção dessa vontade não deixam dúvidas. Abrão deveria sair de sua terra e ir para a
terra que Deus mostrasse. Não era para Abrão pegar suas coisas e andar sem rumo, mas
sim, ir para onde Deus quisesse que ele fosse.

Será que hoje, ao ouvirmos à Palavra de Deus e à Sua vontade, identificamos clareza
naquilo que Deus quer de nossas vidas? Para obedecermos, devemos saber o que
obedecer.

2. A conseqüência de ser obedecer é ser abençoado!

“Farei de você um grande povo,


e o abençoarei.
Tornarei famoso o seu nomed,
e você será uma bênção.
Abençoarei os que o abençoarem
e amaldiçoarei os que o amaldiçoarem;
e por meio de você
todos os povos da terra
serão abençoados”.

Se a vontade de Deus é clara e a direção também, o seu propósito também é conhecido:


benção!

Deus faz uma série de promessas para Abrão relacionadas ao seu futuro, ou seja, a partir
do momento em que Abrão obedecesse à ordem de Deus, uma série de bênçãos
aconteceria em sua vida. Quatro vezes só nesse trecho encontramos o verbo "abençoar".
Isso indica que Deus chamou Abrão para abençoá-lo.

Porém essa benção não era algo egoísta. Muito pelo contrário. Deus estava começando a
revelar o seu plano de salvação de toda a humanidade a começar por uma pessoa, uma
família e uma futura nação. Deus tornaria o nome de Abrão famoso não para o seu
próprio deleite, mas sim, para que Abrão se tornasse um referencial, uma placa de
sinalização viva de um Deus maravilhoso, que deseja abençoar todos aqueles que o
temem e o buscam.

"você será uma bênção" (v. 2). Abrão não seria uma bênção no sentido de ser a fonte da
bênção. Abrão em si não tinha nenhuma benção a oferecer a ninguém. Porém, essa
expressão significa que Abraão e seu povo seriam uma grande referência, um grande
exemplo, de pessoas abençoadas, para que os demais, ouvindo de sua fama sigam o seu
exemplo olhando e obedecendo a um Deus que pode abençoar àqueles que o amam. Por
isso aqueles que não seguissem o exemplo de Abraão seriam abençoados, porque a
fonte de toda a bênção era o Deus a quem Abrão servia e obedecia. Não olhar para Deus,
em si, já é uma grande madição!

"e por meio de você todos os povos da terra serão abençoados" (v. 3). A bênção que
Deus estava oferecendo a Abrão não era algo que durava tanto tempo durasse a sua vida

d
Ou cf. outras versões, "farei seu nome grande".

Paulo Sung Ho Won – www.sunghojd.blogspot.com


3
Série Gênesis – Passos tortos pelo caminho reto – Mensagem 9

e não se restringia apenas a ele. Muito pelo contrário, essa bênção teria validade para
muito além de sua existência. As bênçãos que o Senhor concede em nossa vida nunca
terminam em um momento, mas sempre tem extensão para o futuro. Por meio de Abrão,
através de sua linhagem e de seu povo, Deus já estava com o plano de enviar ao mundo
seu Filho Jesus, para que todos os povos pudessem ser abençoados através Dele. Repare
como um simples ato de obediência ecoa na história...

Não pense que a sua vida cristã não terá reflexos para além de sua existência. Da mesma
forma que Deus queria que Abrão fosse referência da verdadeira bênção que só tem
quem serve a Deus, nós também somos chamados hoje para isso. A minha vida cristã,
minha devoção e obediência produzem bênçãos que alcançam meus amigos, minha
família, igreja e também todos os meus futuros descendentes. Um exemplo disso é o
segundo mandamento do decálogo:

"Não terás outros deuses além de mim.


“Não farás para ti nenhum ídolo, nenhuma imagem de qualquer coisa no céu,
na terra, ou nas águas debaixo da terra. Não te prostrarás diante deles nem lhes
prestarás culto, porque eu, o SENHOR, o teu Deus, sou Deus zeloso, que castigo os
filhos pelos pecados de seus pais até a terceira e quarta geração daqueles que me
desprezam, mas trato com bondade até mil gerações aos que me amam e obedecem aos
meus mandamentos." (Êx 20:3~6).

Deixe a sua marca na história como Abrão: ter sido abençoado por andar com Deus!

3. Mas até a bênção chegar, tem chão!

"Partiu Abrão, como lhe ordenara o SENHOR, e Ló foi com ele. Abrão tinha setenta e
cinco anos quando saiu de Harã. Levou sua mulher Sarai, seu sobrinho Ló, todos os
bens que haviam acumulado e os seus servos, comprados em Harã; partiram para a
terra de Canaã e lá chegaram. Abrão atravessou a terra até o lugar do carvalho de
Moré, em Siquém. Naquela época os cananeus habitavam essa terra." (v. 4~6).

Abraão, como todo bom crente faz, obedeceu a Deus. Deus falou "vai" e ele "partiu",
"como lhe ordenara o Senhor". Mas a bíblia parece que faz questão em nos dizer em que
condições Abraão partiu obedecendo ao que o Senhor dissera. Em primeiro lugar,
Abraão "tinha setenta e cinco anos quando saiu de Harã" (v. 4). Seria uma idade onde
todos estariam começando a encerrar a vida. A idade a Abrão não foi obstáculo para ele.
Deus ordenou e ele obedeceu. Abrão sabia que da mesma maneira que Deus ordenara a
ele, o Senhor também daria condições para que Abrão conseguisse obedecer cabalmente
à ordem dada.

Outro fato importante é que sua mulher Sarai era estéril. Repare no tremendo paradoxo:
Deus apareceu a Abrão prometendo-lhe descendência sendo que a sua mulher não
poderia ter filhos! Por que Deus prometeria algo que não aconteceria? Com certeza, isso
fazia parte do processo em que Deus estava colocando: Deus estava começando a
ensinar a Abrão ter fé!

Outro familiar problemático que Abrão levou consigo era Ló, seu sobrinho. Se vermos
mais adiante, Ló era uma pessoa egoísta, que trouxe diversos problemas para Abrão.

Paulo Sung Ho Won – www.sunghojd.blogspot.com


4
Série Gênesis – Passos tortos pelo caminho reto – Mensagem 9

Alem da sua idade, sua mulher estéril, Abrão levou consigo um parente problemático.
Todos sabemos como é ter a companhia de uma pessoa assim!

A última problemática é que a terra para onde Deus estava enviando Abrão já era
habitada pelos cananeus: "Naquela época os cananeus habitavam essa terra" (v. 6).
Chegando lá, a primeira coisa que Abrão percebeu que a terra já tinha dono e que eles
eram "intrusos". Deus estava enviando Abrão para um lugar, dentro de condições
totalmente fora daquilo que qualquer um esperaria encontrar em se tratando da
promessa de Deus.

A partir do momento em que Deus promete algo, até o seu cumprimento, há chão e um
longo caminho a ser percorrido. Deus, antes de nos dar algo, nos fará vasos capazes de
receber estas bênçãos! A história de Abrão parece ser uma tremenda ironia, mas no
fundo, é o modelo de treinamento usado para tornar simples pessoas em grandes
homens de Deus!

4. Quando tudo parece dar errado, olhe para Deus

"O SENHOR apareceu a Abrão e disse: “À sua descendência darei esta terra”. Abrão
construiu ali um altar dedicado ao SENHOR, que lhe havia aparecido. Dali prosseguiu
em direção às colinas a leste de Betel, onde armou acampamento, tendo Betel a oeste e
Ai a leste. Construiu ali um altar dedicado ao SENHOR e invocou o nome do SENHOR.
Depois Abrão partiu e prosseguiu em direção ao Neguebe." (v. 7~9).

Imagine a situação de Abrão diante da promessa e da aliança de Deus. Nada que Deus
falava fazia sentido para Abrão naquele momento: nem descendência, nem terra, nem
bênção. Até parece que Deus estava sendo cruel colocando a tona todos os pontos de
fraqueza e dificuldade de Abrão. Porém, uma atitude de Abrão que deve ser imitada por
todos nós é esta: levantar altares a Deus, mesmo em situações totalmente adversas.

Para onde Abrão ia, ele fazia uma coisa em primeiro lugar: levantava uma altar de
adoração a Deus. Na época do Antigo Testamento, os sacrifícios animais eram feitos em
altares de pedra. Essa era a forma de adorar a Deus e ser perdoado dos pecados. Em
todos os lugares, Abrão se lembrava e recordava da constante presença de Deus em sua
vida.

Ainda que tudo o que Deus prometera pareça impossível de ser realizado, mesmo assim,
porque Deus falou, Abrão cria que Ele era capaz de tornar todas aquelas promessas em
realidade! Quando tudo parecer dar errado, olhe para Deus, é a lição que Abrão nos
mostra.

Abrão invocou ao Senhor. Abrão adorou ao Senhor, porque Abrão sabia que mesmo
nada acontecesse, Deus continuaria sendo Deus digno de ser adorado. Abrão era uma
pessoa que adorava a Deus não somente pelos benefícios e bênçãos, mas
prioritariamente porque Abrão cria em Deus toda a sua vida fazia sentido.

Conclusão.

Paulo Sung Ho Won – www.sunghojd.blogspot.com


5
Série Gênesis – Passos tortos pelo caminho reto – Mensagem 9

Bênção! É algo que certamente Deus quer derramar a todos os seus filhos. Mas
devemos tomar muito cuidado para que essas bênçãos não sejam a motivação e o
propósito de adorarmos a Deus.

A demora no cumprimento, a situação de total incompatibilidade histórica com a


promessa divina foram meios usados por Deus para que Abrão confiasse primeiro na
pessoa de Deus, para depois receber o cumprimento das promessas. Primeiro Abrão
obedeceu, depois tudo se cumpriu, e essa bênção de Abrão tem ecos até em nossas vidas
hoje!

Que possamos amar a pessoa de Deus, porque bênção é conseqüência!

Paulo Sung Ho Won – www.sunghojd.blogspot.com


6