Você está na página 1de 155

IBADEP Instituto Bíblico da Assembléia de Deus - Ensino e pesquisa

IBADEP - Instituto Bíblico da Assembléia de Deus -

Ensino e Pesquisa Av. Brasil. S/N° - Eletrosul - Cx. Postal 24S 85980-000 - Guaíra - PR

Fone/Fax: (44) 3642-2581

3642-6961 ' 3642-5431

E-maíl: ibadep u íbadep com

Site: w~ww.ibadep.com

índice

Lição

1

- 0

Mundo

13

Lição

2

- Geografia Física daP ales tina...................

39

Lição

3

-

Geografia

Econômica

e

Humana

da

 

71

Lição

4 - Geografia Política da Pales tina.................

95

Lição

5

-

A

Ásia

Menor

e

as

Viagens

do Apóstolo

 

P a u lo

 

119

Referências Bibliográficas........................................141

Mapas Bíblicos

143

Lição 1

O Mundo Bíblico

 

O mundo

bíblico situa-se

no atual Oriente

Médio

e

terras

do

contorno

do

Mar

Mediterrâneo,

mais

entre

precisamente

 

na

Mesopotâmia,

nas planícies

os rios Tigres

e Eufrates.

É ele

o berço

da

raça

humana.

 

Na dispersão

das raças

após

o dilúvio

(Gn

10

e

11):

 

t

Sem povoou o sudoeste

da Ásia;

 

t

Cão

povoou

 

a

África,

Canaã

e

a

Península

Arábica;

 

í

Jafé povoou

a Europa

e parte

da Ásia.

 
 

O Fértil Crescente

 
 

Se traçarmos

uma

linha curva

partindo do

Egito, passando

 

pela

Palestina

e

a

Síria

Mediterrânea,

e,

 

seguindo

depois

até

ao

Golfo

Pérsico,

 

teremos

uma

meia

lua

razoavelmente

perfeita.

 

quatro

 

mil

anos,

esse

poderoso

semicírculo

em

redor

do

deserto

da

Arábia,

denominado

"Fértil

Crescente"

abrigava

 

grande

número

 

de

cultura

 

e

civilizações

ligadas

umas

às

outras

como

pérolas

e

um

colar.

Dela

irradiou

luz

clara

para

toda

humanidade.

Ali

foi

o

centro

de

civilizações desde a chamada "Idade da Pedra

até

a

Idade do Ouro" da cultura greco-romana.

13

 

Como

vimos,

 

a

faixa

de

terra

estreita

que

vai

de

Ur,

no

sul

da

antiga

Caldéia,

até

as

proximidades

do

Nilo,

é

chamado

então

de

Fértil

Crescente^

 

Em

algum

ponto

dessa

imensa

região,

a

humanidade

teve

o

seu

berço,

antes

e

depois

do

dilúvio.

Civilizações importantes,

 

tais

como

a

Suméria,

a

Acádia

e

a

Aramita,

deram

inicio

ao

progresso e os levaram

para outras partes da terra.

 

Tigre e Eufrates,

no Oriente

e no Ocidente,

ligavam-se

por

estradas

reais,

que

passavam

por

Harã,

Alepo,

Damasco,

 

Jerusalém

e

alcançavam

o

Egito.

 

Caldéia,

Assíria

 

e

Egito

se

tornaram

potências. Essas potências disputavam em campo de

batalha o domínio do mundo. Canaã estava

 

no centro

dessas potências entre a Mesopotâmia e o Nilo.

 
 

A

terra

de Canaã

era

uma

 

passagem

obrigatória

para assírios,

caldeus e egípcios.

Sendo

assim,

Canaã se tornou

o centro do Fértil Crescente,

terras disputadas pelas potências do Mundo Antigo.

Por

isto,

o Velho Testamento

registra

muitas vezes

Israel

sendo ameaçado pelos assírios

e

caldeus,

recorrendo ao poder militar do Egito e vice-versa.

 
 

Quando

 

Napolassar, auxiliado

por

Ciaxiares, rei dos persas, destruiu

Nínive e sepultou

o

grande

Império

Assírio

e

lançou

as

bases

do

Império

Caldeu,

com

capital

em

Babilônia,

todas

estas

potências

perseguiram

 

Israel

e

atacaram

o

Egito,

e o Egito

revidou

também

com suas tropas.

 

Do

poder dos

gregos,

Judá

não

 

se

livrou;

os romanos subjugaram

IsraeJ

e

destruíram

Jerusalém

em

70

d.C.

e

foi

restaurado o Estado

Judaico em 1948 d.C.

 
 

Desde

que

os judeus

se

implantaram

na

Palestina,

no meado

do

século

passado,

 

o

mundo

todo

passou a se despertar pelo Oriente

Médio,

e até

14

mesmo os árabes, esquecidos por séculos, passaram

a ocupar um lugar proem inente1 entre as nações.

Os

árabes

se

impõem

 

pelo

petróleo

e

os judeus

pelo

valor espiritual.

 
 

Israel

retornou

à

terra

que

Deus

deu

a

Abraão

e

à

sua

descendência

em

possessão

perpétua,

conduzido

pelo

braço

do

Senhor,

porque

lhe

está

reservado

 

por

profecias,

papel

importante

nos

acontecimentos

que

 

precederão

ao

arrebatamento

da

Igreja,

 

à

Gna_ad_e

Tribulação,

à

Volta

de

Cristo

e

o

Milênio.

Israel

mais

uma

vez,

ocupando

o

centro

das

atenções

da

terra

e

Jerusalém, sendo a coroa

para todos os povos.

Limites do Mundo Bíblico

Em termos

gerais pode-se delinear a área

do Mundo Antigo da seguinte maneira:

^

Ao norte: começa

na Espanha,

passa pelo

norte

da Itália

e Mar

Negro

e vai

até

ao

Mar Cáspio;

 

Ao

leste:

 

uma

linha

reta

que

parte

do

Mar

Cáspio,

e passando

pelo Golfo

Pérsico vai

até

o

Mar Arábico;

 

@

Ao

sul:

uma

linha

reta

que,

partindo

do

Mar

Arábico,

 

vai

à

direção

oeste,

passando

pela

Etiópia

e

terminando

 

no

deserto

da

Líbia,

no

continente africano;

 

®

Ao

oeste:

 

uma

linha

reta

que

parte

do

sul

do

deserto

 

da

Líbia

e

termina

na

Espanha,

abrangendo

o

Egito

e

as

regiões

do

norte

da

África.

 

Em termos mais específicos diríamos que a

referida área fica situada entre longitude

5o oeste

55° leste,

e entre

10°

e 45°

latitude norte.

e

1 Que

se alteia

acima

do

que

o circunda;

que sobressai.

15

A Extensão do Mundo Bíblico

 

No

Mundo

Bíblico

encontram-se

diversas

regiões, áreas,

 

países

e

acidentes

naturais.

Citaremos

apenas

 

alguns

casos,

dado

o

limitado

espaço que temos.

 

** Mesopotâmia

(Gn 24.10;

Dt 23.4;

At 2.9).

 
 

Berço da humanidade.

Não é verdade

o que

muitos

manuais

 

de

História

Geral

declaram

ser

o

Egito

o

berço

da

humanidade.

A

verdade

está

na

Bíblia. Aqui existiu o Éden Adamico. Na Mesopotâmia destacam-se dois países:

s

Babilônia, de

capital

do

mesmo

nome.

Outros

nomes antigos:

Caldéia

(Ez

11.24);

 

Sinear (Gn

14.1); Sumer.

É o sul

da Mesopotâmia.

•/

Assíria

(Gn

2.14;

10.11).

É

o

norte

da

Mesopotâmia.

É

hoje

parte

do

Iraque.

Capital:

Nínive, destruída

em

607 a.C.

Ao oeste ficava

o

Reino

de

Mari.

Os mitânios habitavam

em volta

de Haran,

ao Norte

da Assíria.

 

Arábia.

Capital:

Petra

(gr.)

e Sela

(hb.).

Vai

da

foz

do

Nilo

ao

Golfo

Pérsico.

Local

onde

Israel

peregrinou

à procura

de Canaã_,

A parte

da

Península

do Sinai era chamada Arábia Pétrea.

 
 

A

Lei

foi

dada

nessa terra

e o tabernáculo

foi erigido

pela primeira vez nesse

lugar.

A região

de

Ofir,

fornecedora

de

ouro

ficava

possivelmente

na

Arábia

(1 Rs

9.28).

 
 

Pérsia.

Documentos

desenterrados

nas

últimas

décadas

revelam-nos

existirem

duas

 

Pérsias.

A

Grande

Pérsia,

localizada

no

sudeste

de

Elã

é

16

atualmente

o

Irã

e

a Pequena

Pérsia

limitava-se,

ao

norte, pela Magna Média.

 
 

Em

um

sentido

 

amplo,

o território

persa

compreendia

 

o

Planalto

do

Irã,

toda

a

região

confinada

pelo Golfo Pérsico,

os vales

do Tigre

e

do

Ciro,

o Mar Cáspio

e os

rios

Oxus,

Jaxartes

e Indo.

No tempo de Assuero,

marido de Ester,

as

possessões

persas

estendiam-se

da

índia

à Grécia,

do Danúbio

ao

Mar Negro,

e

do

Monte

Cáucaso

 

ao

Mar Cáspio

ao

norte

e atingia,

ainda,

o deserto

da

Arábia e Núbia.

 

m'

Elão.

Região

além

do

Tigre,

ao

 

oriente

 

da

Babilônia,

limitada

ao norte

pela Síria

e

pela

Média;

ao

sul

pelo Golfo

Pérsico,

ao oriente

e

ao

sudeste,

pela

Pérsia.

Hoje

incorporado

no

Irã.

Capital:

Susã

(Gn

14.1;

At 2.9).

 

*"

Média.

Esta

região

ficava

ao

norte

de

Elão,

ao

leste

da Assíria,

ao

sul

do

Mar Cáspio

e

partes

da

Armênia,

e ao

oeste

da

Pártia.

 
 

uma

única

menção dos partas na Bíblia,

em

Atos

2.9,

onde

se

faz

referência

aos

povos

representados em Jerusalém no dia de Pentecostes.

Armênia.

 

Em

sua

parte

encontra-se

 

o

planalto

chamado antigamente de Ararate

(Gn

8.4)

que

por

sua vez,

localiza-se na Ásia Ocidental.

É

o

lugar

das

nascentes dos rios Eufrates, Tigre e Aras.

Síria.

Capital:

Mesmo que Arã

(Não confundir com Harã).

Damasco

(Is

7.8).

Seu

território

não

é

o

mesmo da Síria moderna

(At 11.26).

17

 

Nos

dias

de

Jesus

tornara-se

sede

da

província romana, da qual fazia

parte a Palestina

(Lc

2.2).

A capital dessa

província era Antioauia. A Síria

era na época governada por um legado1 romano.

 

•*" Fenícia.

 
 

Atualmente

é

o Líbano,

em

parte.

Cidades

principais: Tiro e Sidon. Os fenícios eram navegantes

famosos

 

e

primitivos

exploradores;

 

fundaram

Cartago,

na África

do Norte (hoje Túnis).

 

Nosso

alfabeto

vem

dos fenícios

cerca

de

1500

a.C.

( IRs 9.26-28;

Mt 11.22;

15.21).

 
 

Egito.

 
 

É

o

país

mais

citado

na

Bíblia

depois da

Palestina.

Em

hebraico

seu

nome

é

Mizraim

(Gn

10.6).

Teve

várias

capitais

nos

tempos

bíblicos.

Parte do seu futuro, profeticamente falando, está em

Ezequiel 29.15.

Fica

ao norte

da África.

 

•' Etiópia.

 
 

Fica

ao

sul

do

Egito.

Segundo

Gênesis

2.13, existia outra

 

Etiópia

na

região

norte

da

Mesopotâmia - a chamada Terra de Cush (hebraico).

 

A profecia

em Salmos 68.31

a respeito

da

Etiópia, teve seu cumprimento

a partir

de

Atos

8.26-

39, quando

a

cristã

foi

ali

introduzida.

É

país

de

princípios cristãos

até

hoje.

A

Etiópia

da

Bíblia

compreende hoje a Abissínia e a Somália.

m'

Líbia.

 
 

Extensa

região da África

do Norte.

Simão,

o

que

ajudou

Jesus

a

levar

a

cruz,

era

natural

de

Cirene -

cidade da Líbia

(Mt 27.32).

 

1

Na

antiga

Roma,

comissário

do

Senado

encarregado

de

fiscalizar a administração das províncias.

18

Igualmente, no dia de Pentecostes estavam cireneus em Jerusalém (At 2.10).

Ásia.

A

Ásia

dos tempos

bíblicos

não era

como

o

 

asiático

atual,

era

uma

província

atual continente romana situada

na parte ocidental

da chamada Ásia

Menor ou Anatólia (At 6.9;

19.22; 27.2;

IPe

1.1;

Ap

1.4,11). Capital dessa província: Éfeso.

 

Toda

a

região

dessa

antiga

Ásia

Menor

compreende hoje o território da Turquia.

Grécia ou Hélade

(At 20.2).

No Antigo Testamento, em hebraico, é Java

ou Iônia

(Gn

10.4,5).

A maior parte

da Grécia

Antiga

 

era conhecida pelo nome de Acaia„(At 18.12);

nome

esse derivado dos aqueus -

povo

que a habitou.

 
 

Na época do Novo Testamento a Grécia

era

constituída

de

estados

isolados

sob

os

romanos.

 

Nesse

tempo,

sua

capital

política

era

Corinto,

não

Atenas. Em Corinto residia o procônsul romano.

Macedônia (At 19.21).

 
 

Ficava

ao

norte

da

Grécia.

A

antiga

 

Macedônia

é

hoje

parte

do

território

 

de

vários

países,

a

saber:

norte da

Grécia,

sul

da

Bulgária,

Iugoslávia e parte da Turquia.

 
 

O

ministério do apóstolo

Paulo ocorreu

na

Ásia

Menor,

Grécia

e Macedônia,

principalmente.

A

capital da Macedônia era Pella.

 

Ilírico (Rm 15.19).

 
 

Região

européia

onde

Paulo

ministrou

a

Palavra

de

Deus.

É

hoje

a

Albânia

e

parte

da

Iugoslávia. A parte principal da Iugoslávia

de

hoje

é

a antiga Dalmácia de 2Timóteo 4.10.

19

Itália (At 27.1;

Hb 13.24).

País banhado pelo Mediterrâneo, situado

ao

sul

da Europa.

Em Roma,

sua

capital,

foi fundado

um diminuto

reino em

753 a.C.,

que

mais tarde viria

a ser senhor absoluto do mundo conhecido

-

O

Império Romano.

Para

a Itália

Paulo viajou e pregou

o Evangelho como prisioneiro.

*■

Espanha (Rm 15.24,28).

 

Paulo

manifestou

o

propósito

de

viajar

para

a Espanha.

Segundo os estudiosos da Bíblia,

a

cidade de Társis mencionada em Jonas

1.3;

4.2;

ficava

ao

sul

da Espanha., sendo

no tempo

de Jonas

o

extremo do mundo conhecido do povo comum.

 

Foi

a

Espanha

grande

perseguidora

dos

cristãos

durante

a

Idade

Média,

especialmente

através dos tribunais da sinistra Inquisição.

Palestina ou Canaã.

 

Região

banhada

 

pelo

Mediterrâneo

ao

oeste, tendo

ao norte

a Fenícia

e a Síria,

e ao

leste

e

sul

da Arábia,

sendo

que

ao

sui

também

fica

parte

do

Egito.

As

suas

características

serão

estudadas

detalhadamente mais adiante neste livro.

 
 

Ilhas dos Gentios

ou Ilhas

do

Mar.

 

É designação aplicada

na Bíblia

às ilhas

do

Mediterrâneo

e

Mar

Egeu,

das

quais

as

principais

são:

Creta,

Chipre,

Rodes,

Patmos,

Mitilene,

Samotrácia

e

talvez

Malta

e

Sicília,

bem

como

de

regiões mais remotas1, pouco conhecidas nos tempos

bíblicos.

 

1 Muito afastado no espaço; distante, distanciado.

20

Montanhas

Uma vez que vamos estudar separadamente

- trataremos neste

na

lição

2 deste

livro

-

a Geografia

tópico

das

da Palestina,

montanhas

extrapalestínicas do Mundo Antigo relacionadas com

a

história

bíblica.

Destas,

 

as

quatro

 

mais

importantes são as seguintes:

 

*'

Ararate.

 

no sudeste

da Armênia;

 

célebre

pelo

Fica encalhe da arca

de

IMoé; tem

cerca

de 5.000

metros

de altitude.

Devemos notar, entretanto, que o texto

bíblico

em Gênesis

8.4

diz

que

a

arca

parou

sobre

"os montes

de Ararate".

Portanto

ignora-se

o

local

exato do pouso

da arca, embora

a tradição

aponte a

montanha

mais alta

da

região

como tal

 

e

cujo

nome

é Ararate.

 
 

Sinai ou Horebe.

 

Localizado

no

extremo

sudoeste

da

Ásia,

na Península1 do Sinai,

que

tem

forma

 

triangular e

que

é

banhado

por

dois

braços

 

do

Mar

Vermelho

chamados

Golfo

de

Suez

e

Golfo

de Ácaba,

ficando

este

do

lado oriental

da península

e aquele

do

lado

ocidental.

 

A península duas partes:

da

sua

natureza divide-se

em

s

Uma

ao

norte,

predominante,

deserta

e

com

leves elevações;

s

Outra

ao

sul,

na

qual

predominam

 

a topografia

montanhosa,

de

elevações

entre

1000

e

2000

metros

de

altitude

cortada

por

vales

de

dimensões

variadas,

 

cobertas

 

de

alguma

1 Porção

de

terra

cercada

de

água

por

todos

os

lados,

menos

um,

pelo qual

se

liga

a outra

terra.

 

21

vegetação em certas

épocas

do

ano.

 

É

nesta

 

região

sul da península

que

se

localiza

o monte

Sinai, também chamado Horebe.

 
 

No monte Sinai Moisés recebeu

a

Lei

com

a

qual

se

firmou

 

o

pacto

entre

Deus

e

o

povo

de

Israel,

originando-se,

 

assim,

a

nacionalidade

hebraica com seus aspectos religioso e civil.

 
 

No mesmo monte,

uns poucos anos antes,

Moisés

teve

a

visão

da

sarça

ardente

-

quando

apascentava

os

rebanhos

do

seu

sogro

-

e

seis

séculos depois

Elias, o profeta,

teve

a visão

de Deus

( lR s

19)

em

que

lhe

foi

revelado

que,

 

apesar

da

idolatria de Israel havia

muitos joelhos em seu meio

que não se haviam dobrado a^Baal.

 
 

Hoje

o

Sinai

é

conhecido

pelo

 

nome

de

Jebel-Musa, que significa "monte de Moisés".

 

*■ Líbanos.

 
 

A

cordilheira1 dos

montes

Líbanos,

 

que

corre paralelamente à costa

 

oriental

do

Mediterrâneo,

 

fica

na

parte

ocidental

 

da

Síria,

ao

norte da Palestina, e apresenta-se em duas divisões:

Líbano e Antelíbano.

Esta divisão não é conhecida nas Escrituras

Sagradas,

mas vem

desde os tempos da dominação

grega e persiste até hoje. A cadeia de montanhas

 

que fica

ao oeste

é

conhecida

como

Líbano

e

a

que

fica

ao

leste

como

Antelíbano.

A

altitude

de

ambas

as

cadeias

varia

entre

1.900

e

3.300

metros.

A

sua

extensão

na

direção norte-sul é de aproximadamente 180km e na

direção oeste-leste varia entre aérea.

20

e

30

km

em

linha

1 Sistema de altas montanhas que se desenvolvem em grande extensão, geralmente paralelas e próxim as ao litoral, lançando cadeias de montanhas secundárias.

22

 

0

vale

que

 

separa

as

duas

cadeias

de

montanhas toma nomes diferentes:

 

v'

Ao

sul

é

chamado

vale

do

Leontes,

por

onde

corre

o rio

do

mesmo

nome;

 

•/

Pouco

 

mais

para

o

norte

é conhecido

como

o

vale

de

Mispá.

que

se

estende

por

entre

os

contrafortes das duas cadeias;

 

^

E

do

centro

para

 

o

norte

toma

o

nome

 

de

vale

do

Orontes,

pois

serve

de

leito

para

o

rio

do

mesmo nome.

 
 

No

tempo

de Josué

o

vale

era

conhecido

simplesmente como vale do Líbano.

Era famoso pela

sua

fertilidade.

Nas

encostas

 

dos

Líbanos

cresciam

os famosos

cedros

e

as

esbeltas

faias,

madeiras

empregadas na construção do templo de Salomão, cobertura de navios, palácios dos reis, instrumentos

musicais, enfim,

por serem

de grande

duração.

Os

montes Líbanos são freqüentemente citados Escrituras.

nas

^~ Seir.

 

Na realidade

Seir

não

é

um

monte

isolado

e

sim

uma serra

de montanhas que corre

na direção

norte-sul

na

região

de

Edom,

na

Arábia

Ocidental

(durante

a

dominação

romana

denominada Arábia

Pétrea),

entre

o

sul

do

Mar Morto

e

o estremo

norte

do Golfo Ácaba, cuja altitude varia metros na encosta leste.

entre

300

e 2.000

 

Um

pouco

afastado

da

serra,

mas

pertencendo

ao

mesmo

sistema,

fica

o

monte

Hor,

onde morreu Arão,

irmão

de

Moisés,

durante

a

peregrinação

de

Israel

em

demanda1 à

terra

da

promessa. Nas montanhas de Seir, provavelmente na

sua parte norte, habitava

Esaú,

na região central dos

1 Em

busca

de;

à procura

de.

23

montes Seir onde ficava a cidade-fortaleza Petra, também conhecida como Selá. posto militar guardião das fronteiras meridionais do Império Romano.

Questionário

f

Assinale com "X" as alternativas corretas

1.

O Mundo Bíblico situa-se no atual:

  • a) CH Continente Asiático e parte da Oceania

b)

H

Oriente

Médio

e

terras

do

contorno

do

Ma

Mediterrâneo

  • c) D Ocidente, precisamente no continente europeu

e africano

d)

D

Oriente

Ácaba

Próximo

e

terras

do

litoral

do

Golfo

  • 2. Na Mesopotamia, berço da humanidade, destacam- se dois países: a)

0

Fenícia e Egito

  • b) CU Egito e Babilônia

  • c) fx] Babilônia e Assíria

d)

D Espanha e Palestina

3.

Célebre

pelo

encalhe

sudeste a) da Armênia.

EH Monte

Seir

b)

[J Monte Sinai

c)

D Monte Horebe

d)

[x] Monte Ararate

da

arca

de

Noé;

fica

no

y*

Marque "C" para Certo

e "E"

para

Errado

4.ICI A faixa

de terra estreita

que

vai

de

antiga

Caldéia,

até

as

proximidades

Ur,

no

sul

do

Nilo,

da

é

chamado então de Fértil Crescente 5

5

O

Egito

foi

o

local

procura de Canaã

onde

Israel

peregrinou

à

24

Rios

Na

vasta

área

do

Mundo

Antigo

podemos

considerar quatro rios importantes:

Nilo,

Tigre

Eufrates e Jordão.

*•" Nilo.

 

Com cerca

de 6.500

km de comprimento, é

0 primeiro

rio do continente ajricano

 

e o segundo

do

mundo,

tendo suas nascentes na região dos grandes

lagos da África Equatorial,

 

por onde se estende

seus

dois

braços chamados Nilo Branco

e Nilo

Azul

e

seus

afluentes.

 
 

O

Nilo

corre

na

direção

sul-norte

através

do Egito, desaguando no Mediterrâneo através de um

vasto estuário1 de 250

km

de

largura,

formado

pelo

os

três

braços

 

(que

antigamente

eram

 

sete),

denominado delta.

 
 

As

chuvas

produzidas

 

pelas

 

nuvens

formadas

sobre

o

Oceano

Índico

 

e

levadas

pelos

ventos

sobre

as

cordilheiras

da

África

Oriental

e

Equatorial faziam

 

transbordar

o

Nilo

e

seus

afluentes, levando para o Egito a aluvião12 fertilizante das vertentes das montanhas.

 

O transbordamento

do

Nilo

nas

regiões

áridas

do

Egito

 

e

conseqüentes

 

abundância

das

colheitas,

notadamente

na

região

 

do

delta,

era

considerado

pelos

 

egípcios

obras

dos

seus

deuses.

Caráter sagrado que o povo atribuía ao rio.

 

A

parte

navegável

ia

até

a

Ilha

Elefantina,

antigamente chamada Yeb,

1.145

km

ao

sul

de

Cairo,

junto

da

primeira

 

catarata.

 

mais

cinco

1 Tipo

de

foz

em

que

o

curso

de

água

se

abre

mais

ou

menos

largamente.

 

2 Depósito

de

cascalho,

areia

e

argila

que

 

se

forma

junto

às

margens

ou

à

foz

dos

rios,

proveniente

do t rabalho

de erosão;

alúvio.

25

outras

cataratas

no

alto

Nilo

que

não

permitem

a

navegação.

 
 

Além

de

ser

o

ponto

final

 

da

rota

comercial,

a

Ilha

Elefantina

também

era

o

posto

militar mais avançado do governo egípcio na direção

sul,

pois

as

escavações

nela

efetuada

 

mostram

vestígios

de fortificações

que abrigavam

 

guarnições

militares.

Provas

iguais

nos

oferecem

as

ruínas

da

cidade

de

Siene

(moderna

Assuã),

referida

em

Ezequiel 29.10, que fica em frente da ilha.

 
 

Na

mesma

ilha

ainda

foram

encontradas

ruínas de colônias judaicas e documentos em papiro

em

grande

quantidade

que

relatam

acontecimentos

entre 400

e 525 a.C., oferecendo

novos dados sobre

a dispersão

dos

judeus

pelo

mundo

 

de

então,

suplementando, assim, a narrativa bíblica relativa ao

assunto.

 

Tigre (gr.) ou Hidéquel

(hb.).

 

Este

é

o

rio

que

nasce

nas montanhas da

Armênia,

corre na direção sudeste

banhando o lado

oriental

da

Mesopotâmia

até

juntar-se

com

o

rio

Eufrates,

cerca de

 

160

km antes

do Golfo

Pérsico.

Devido

à mudança

do

leito

do

rio através

dos tempos

-

pelos os meios naturais (inundações),

e artificiais

(canalização)

-

e também

preferências

de suas diversas nascentes, o percurso total do Tigre

varia entre

1.780

e

2.300

km

segundo

os

dados

oferecidos pelos diversos autores. Nos tempos remotos ele desaguava

diretamente no Golfo Pérsico, mas, devido ao aluvião

formado

na

baixa

Mesopotâmia,

hoje

despeja

as

águas

no Eufrates

que

daí para

frente

recebe o nome

de Shat-el-Arab.

 

Em sua margem esquerda,

na altura

de

seu

terço

superior,

ficam

as

ruínas

da antiguíssima

26

cidade

de

Nínive,

cuja

história

começa

no

terceiro

milênio

a.C.,

e

no

seu

terço

inferior,

na

margem

direita,

fica

a

cidade

de

Bagdá.

Fora

os

primeiros

capítulos

de

Gênesis,

pouquíssimas

são

as

referências bíblicas ao Tigre.

 

Eufrates, o "Grande Rio".

 
 

As

suas

nascentes

acham-se

no

maciço