Você está na página 1de 39

Motricidade.

Via piramidal; do córtex motor até aos motoneurónios do tronco cerebral e das pontas anteriores da medula. Neurónio motor ou segundo neurónio ou neurónio motor periférico: do tronco cerebral/pontas anteriores da medula espinhal até à placa neuromuscular (músculo estriado).

(“pensar o

movimento”); funções do córtex parietal associativo, córtex pré-motor e área motora suplementar.

Sistema extrapiramidal.

Mecanismos

processamento

movimento

para

do

Funções dos gânglios da base do cérebro; inibição do tónus motor. Função de "escala" e de "timing" do movimento. Neostriado: início e controle dos movimentos intencionais simples; globus pallidus: controle dos movimentos axiais e das cinturas escapular e pélvica - função de "suporte" do movimento.

O cerebelo.

– Funções cerebelosas ("coordenação cinética") - inibição dos músculos agonistas e excitação dos antagonistas, função amortecedora do movimento, capacidade de prever o movimento imediato, função de planeamento do movimento e dos sinais visuais e auditivos.

Áreas primárias e secundárias (ou associativas) da motricidade e da sensibilidade

Áreas primárias e secundárias (ou associativas) da motricidade e da sensibilidade

Via piramidal

Via piramidal ou via da motricidade voluntária

Via piramidal ou via da motricidade voluntária

Via piramidal

• Tem dois neurónios:

– 1º neurónio: Córtico-tronco cerebral ou córticoespinhal (com origem na circunvolução frontal ascendente ou área primária motora) – 2º neurónio: Neurónio motor (dos núcleos dos nervos craneanos motores ou das pontas anteriores da medula espinhal até ao músculo estriado)

• Lesão do 1º neurónio (por exemplo, no AVC):

– Parésia (ou plegia) extensa (e.g., hemiparésia)

– Pouca atrofia muscular (apenas por desuso)

– Reflexos miotáticos (da zona correspondente à via atingida) hiperactivos

– Sinal de Babinski

• Lesão do 2º neurónio:

– Parésia mais localizada (de um músculo ou grupo muscular)

– Intensa atrofia muscular (o 2º neurónio é trófico)

– Reflexos miotáticos (na área deste 2º neurónio) hipoactivos ou abolidos

• Pensamento motor na área sensorial integrativa ou associativa. Daqui partem feixes nervosos para as áreas pré-motoras

• Área pré-motora conjugação ou coordenação de movimentos; semi-automatização dos movimentos; daqui saem feixes nervosos para a área motora primária

• Área motora primária execução dos movimentos ou das ordens motoras

• Movimento complexo, pensado => área sensorial associativa (contém os programas motores)

• Automatização do movimento, coordenando-o e conjugando-o => área pré-motora

• Execução do movimento => área motora primária

Treino e funções motoras

• Treino:

– Desenvolvimento de programas motores

– Melhor coordenação do movimento

– Automatização do movimento (cada vez haverá menor necessidade de pensar o movimento) movimento mais rápido e perfeito

• Treino:

– Aumento das ramificações e sinapses dos neurónios motores (devido à plasticidade neuronal!)

Sistema extrapiramidal

Núcleos da base do cérebro e estruturas subtalâmicas (circuito principal: córtico-estrio- pálido-tálamo-cortical)

Gânglios da base do cérebro e tálamo

Gânglios da base do cérebro e tálamo

Sistema extrapiramidal

• Funções:

– Análise do programa motor (recebe-o do córtex sensorial, analisa-o (neoestriado e globus pallidus) e envia-o para o córtex motor (principalmente para o córtex pré-motor)

– Suporte do movimento

– Execução de movimentos elementares

• Treino:

– Correcções sucessivas do programa motor (aperfeiçoando-o)

– Desenvolvimento das melhores posturas para o suporte do movimento,aumentando-lhe a precisão

Cerebelo

Cerebelo

Cerebelo

Cerebelo

Cerebelo

Cerebelo

Vias aferentes do cerebelo

Vias aferentes do cerebelo

Vias aferentes do cerebelo: vias espinhocerebelosas

Vias aferentes do cerebelo: vias espinhocerebelosas

Vias eferentes do cerebelo

Vias eferentes do cerebelo

Vias motoras descendentes

Vias motoras descendentes

Vias aferentes e eferentes do cerebelo coordenação motora (cinética) pelo cerebelo

Vias aferentes e eferentes do cerebelo coordenação motora (cinética) pelo cerebelo

Cerebelo

• Responsável pela coordenação cinética (do movimento) => coordena o movimento quando já está a ser realizado

• Recebe o programa motor (via córtico-ponto- cerebelosa) => compara-o com a execução

• Recebe informação da execução do programa motor (vias espinho-cerebelosas) =>compara-a com o programa motor

• Detecta o erro entre o programa e a execução

• Envia as correcções para o córtex cerebral e para a periferia

• Cerebelo também faz previsões de movimentos sucessivos e também torna o movimento preciso e suave quando já está a ser realizado

Cerebelo e treino

• Treino:

– Torna menor a diferença entre o programa motor e a sua execução (diminui o erro)

– Torna mais preciso o movimento (a atingir um alvo)

– Movimento sem oscilações (suave) e mais rápido (previsão mais rápida do movimento seguinte)

Interacção entre áreas do SNC

Interacção entre áreas do SNC

Sumário: reflexos

Noção de um reflexo.

• Reflexos miotáticos, tendinosos, flexores, extensores cruzados, posturais, da marcha, de defesa.

Órgãos sensitivos do tónus muscular (células musculares fusais)

Órgãos sensitivos do tónus muscular (células musculares fusais)

Distensão do fuso neuromuscular estimulação nervosa aferente

Distensão do fuso neuromuscular estimulação nervosa aferente

Reflexo miotático

Reflexo miotático Distensão do fuso neuromuscular flexão do músculo (contribui para o tónus muscular)

Distensão do fuso neuromuscular flexão do músculo (contribui para o tónus muscular)

Aumento de tensão a nível do tendão de inserção do músculo relaxamento do músculo (mecanismo de protecção do músculo)

Reflexo tendinoso

do tendão de inserção do músculo relaxamento do músculo (mecanismo de protecção do músculo) Reflexo tendinoso

Reflexos contralaterais: reflexo extensor cruzado

Reflexos contralaterais: reflexo extensor cruzado É um reflexo de protecção contra elementos agressores (nocicepção)

É um reflexo de protecção contra elementos agressores (nocicepção)

Organização hierárquica do controlo do movimento

Organização hierárquica do controlo do movimento
Treino Melhora das: -Vias energéticas -Músculos -Sistema nervoso -Aparelho cardiocirculatório -Aparelho

Treino

Melhora das:

-Vias energéticas

-Músculos

-Sistema nervoso

-Aparelho

cardiocirculatório

-Aparelho respiratório

-Outros órgãos