Você está na página 1de 9
a RUDOLF LABAN a DOMINIO DO apna, causa MOVIMENTO edicdo organizada por Lisa Ullmann Laban, Rudolf, 18701968. Lima "Dominio de movimento \ agda por Lisa Ullmann Fate por Vecchi e ‘Maria Silvia Mourdo, Neto Barros, Jenies de Anoa Maria Barros De Vecchi). — ‘Soo Paulo + Summ, 1978 / Rudolf Laban; ed. organ (eedugio de Anna Maria 1. Dangas — Marcagso 2. Movimento (Repre sentacdo teatral) 1. Ullmann, Tisa, IL. Titulo epp-198.22 792.028 Indices para eatélogo slatemético 8.2 72.008 1, Arte do movimento : Marcagio : Dance 4}: Mlavimentos + Arles da representacdo 3 Movimentos : MareagSo : Dang 3 Mori Movimentos do corpo : Dangs 788.32 CORRELAGAO ENTRE AQOES CORPORAIS E ESFORCO Conforme j4 mencionamos anteriormente, o.esforco se manifesta nas acdes corporais através dos elementos de Peso, Tempo, Espaco e Fluéncia, Nao so todos estes fatores do movimento que so sempre significa- tivos e, conforme o modo de se combinarem, produzem graduagies particulares de ago. 0 Peso, 0 Tempo eo Espago foram quase que exclusivamente usados nas consideragées anteriores. Isto ocorreu porque estévamos estudando um impulso particular de movimento do ser humano, a saber, a ‘Acdo. O impulso para a aco é caracierizado pela execucdo de uma-funcao de efeito concreto no espaco no tempo, por intermédio do uso da energia ou forga muscular. Num ‘ser humano, tais acdes sempre comportam elementos expressivos, o que significa no poderem elas ser determinadas pelo raciocinio légico, nem tampouco apreendidas apenas por meio de fatores mensurdveis, Estdo totalmente entremeadas por elementos que tra zem & tona a qualidade e os atributos daquela espécie em particular. Enguanto que os movimentos dos animais so ins- tintivos e basicamente realizados em resposta a esti- mulagao exterior, os do homem encontram-se caracteri- zados por qualidades humanas; por intermédio deles. © homem se expressa e comunica algo de seu ser inte rior. Tem ele a faculdade de tomar consciéncia dos padrées que seus impulsos criam e de aprender a desenvolvé-los, remodelé-los e usé-los. © ator. 0 bailarino e 0 mimico, cujo trabalho é 0 de apresentar pensamentos, sentimentos/sensacdes € experiéncias, de modo conciso, através de agdes cor- porais, devem nao somente deter o dominio desses padrées, como também entender seus significados. Deste modo, enriquece-se a imaginagdo e aprimora-se a expressdo. B A seguinte seqiiéncia de movimentos serviré como introdugo aos termos basicos de uma andlise de movi- mentos necesséria 4 compreensio mais profunda do movimento, que ndo é apenas a matéria-prima do ator- bailarino, mas também se constitui num fenémeno fun- damental & vida. - ‘Num corpo humano inerte, a tinica movimentagio observavel resulta da respiragao. O levantar e 0 abai- xar alternados do peso do peito ocorre no espago. Tam- ‘bém podemos ouvir essa respiracdo nos suspiros. Tanto © levantar quanto 0 abaixar do peito, como os sons da respiraco, tém uma certa duragio de tempo. 0 movi: mento todo que ai se observa esté fluindo continuamen- te, ndo havendo qualquer interrupeao perceptivel. Se sentirmos 0 pulso, ou se colocarmos 0 ouvido no peito de um corpo em repouso, detectaremos um outro movi mento continuo: os batimentos cardiacos. Ao erguer: ‘se, 0 corpo exibe um estado de movimento crescente. ‘A respiracdo era até entéo apenas um leve movimento; ‘agora, porém, que aumentou o peso a ser levantado, h4 maior tens4o muscular enquanto 0 corpo todo é erguido e esticado verticalmente. © estorgo feito para levantarmos, no entanto, nao 6 apenas composto por tensdes musculares fortes ou fracas; & também constitufdo de formas espaciais va- riadas. No primeiro movimento — 0 de erguer-se —, 0 ‘corpo se dobra e torce, apresentando conseaiientemente flexibilidade de todas as suas articulagdes; o segundo movimento — o de esticar-se — 6 direto, Os movimen- tos flexiveis se valem de varias diregdes espaciais simultaneas, enquanto que o de esticar-se para cima emprega menor numero delas até usar apenas uma direcdo: para cima. A duragdo do ato de se levantar pode ser curta ou longa: pode tratar-se de um pulo siibito para o alto ou de um movimento sustentado no sentido de por-se na posicao ereta. movimento répi- do nfo leva mais do que uma respiraco ou um bati- ‘mento cardiaco; j& 0 controlado soerguer do corpo us ocupa mais tempo, durante muitas respiragSes ou batt- memos eardlacos. O fluit do movimento todo pode ser livre como na respiracdo regular, ou intermitente, como se a pessoa estivesse sem folego. ‘Peso, Espago, Tempo ¢ Fluéneia s&o os fatores de movimento peranie os\quais a pessoa adota uma ati- tude definida. O conjunto das varias atitudes poderia ser 0 seguinte: — uma atitude relaxada ou uma atitude enérgica, quanto ao peso; — uma atitude linear ou uma atitude flexivel, no espaco; — uma atitude curta ou uma atitude’prolongada, frente ao tempo; — uma atitude liberta ou uma atitude contfolada, em relacdo & fluéncia. +» Em todas as ages observamos uma combinacéo especifica de varios destes cito elementos da movimen- tagdo; esta combinagio particular é mais evidente nas assim chamadas agbes bésicas, nas quais os fatores Espaco, Tempo e Peso discerniveis sio principalmente considerados. ‘Mo quatro as acdes que usamos em geral, quando de uma pronta reagdo de nossa parte a um estimulo externo: ‘um soco* forte e direto, um talhar* forte e flexivel, um pontuar* leve e direto, um sacudir* leve e flexivel. No caso de haver resisténcia externa, ou de ocorrer hesitacdo interna, a acéo seré retardada e mantida, assumindo conseqentemente as quatro seguintes mo- dalidades: uma presso forte e direta, um torcer forte e flexivel. Sendo mais fraca a resisténcia, poderéo acontecer: um deslizar leve e direto, um flutuar leve e flexivel. Os movimentos seguintes podem ser considerados como derivagées das agées bAsicas: Ago bdsica Agdo derivada soca empurrar, chutar, cutucar talhar ater, atirar, chicotear ou acoitar pontuar palmadinha, ‘pancadinha, abanar sacudir _, Togar, agitar, tranco pressio _,* prensar, partir, apertar * torcer arrancar, colher, esticar deslizar alisar, lambuzar, borrar flutuar espalhar, mexer, bragada (remada) As aces nas quais estejam quase que completamente ausentes, ou fracamente marcados, um ou dois dos elementos Tempo, Espaco e Peso, séo tidas como ages, elementares incompletas. Nos movimentos causais que no sejam sustentados e nem stibitos, o elemento tempo néo tem importancia fisica; tais movimentos parecem compor-se apenas dos elementos Peso e Espaco. Isto significa que no hé, por parte da pessoa qué se move, uma atitude defi- nida referente ao fator tempo. Séo agdes elementares incompletas que freqiientemente podem ser considera- das como modalidades de transigao entre agies bési- cas. Por exemplo, uma pessoa erguendo um saco muito pesado para os seus ombros iniciaré um movimento com uma espécie de talhar que se transformaré num movimento de toredo. Pade-se observar, entre o talhar sabito e o torcer sustentado, uma fase de transi¢io durante a qual mantém-se os dois elementos do esforco ‘que s4o comuns tanto no talhar quanto no torcer, & us saber, forga e flexibilidade, ao passo que desaparece qualquer énfase que a qualidade de tempo possa ter, significando isto que néo se percebe nem a subitanei dade, nem a sustentacéo do movimento. A torcio que vai se transformando em talhar, como é possfvel obser- varmos num gesto vigoroso de rasgar, produz o mesmo tipo intermediério de esforco. Esses movimentos inter- medifrios sfo descritos como ficando entre duas acdes basicas. Em relac&o ao exemplo acima, as agées inter- medidrias recairéo entre “‘torcer e talhar", ou descri- tas resumidamente como “torcer-talhar”. Ha mais trés agdes incompletas que surgem fre- ‘Uentemente no cotidiano: © pontuar-deslizar & um esforco transicional que ‘corre nos casos em que 0 pontuar se desenvolve em deslizar como, por exemplo, quando se escova um ‘objeto leve. Poderé acontecer 0 mesmo tipo interme- didrio de esforgo quando o deslizar desenvolve-se em pontuar como ao fecharmos uma pequena gaveta ou quando introduzimos uma ficha num arquivo. Sacudir-flutuar acompanhar& pequenos movimentos giratérios, como os que ocorrem quando ficamos giran- do os dedos, ou quando jogamos longe pequenos objetos. 0 soco-pressdo, que acontece quando 0 soco se de- senvolve em pressio, pode muitas vezes ser visto em movimentos de reunir ou de modelar, Estas agoes incompletas podem aparecer no somen- te na qualidade de degraus entre duas agdes bisicas, mas também como movimentos cardiais. Por exemplo,: equenos movimentos que acompanham a fala muitas vvezes so esforgos incompletos nos quais é neutra a ati- tude relativa a um ou outro dos fatores de movimento. Se alguém diz “Ah, no tem importéncia”, o ator poder& acompanhar suas palavras com um gesto diminuto que provavelmente seré circular (flexivel) e sibito. Deve- se, porém, acrescentar que h4 duas formas de movi- us ‘mentos silbitos e flexiveis: um deles talhar, que é forte; © outro, sacudir, que €leve. O pequeno gesto que acom: panha as palavras “Ah, no tem importancia”. dificil mente sera um talhar forte, ou um sacudir bem leve, mas alguma coisa entre 0s dois movimentos. Essa alguma coisa poderé ser descrita como “entre talhar sacudir", ou mais resumidamente, como “‘talhar-sacu- dir”, 0 que significa que o elemento peso mantém-se em segundo plano cu, na terminologia técnica, sem énfase. ‘Vejamos a seguir rapidamente as oito agées bési- eas de esforgo* e depois as agGes elementares incom- pletas, bem como os impulsos para o movimento. Reco- nheceremos em todos eles os componentes mensurdveis que jé vém sendo amplamente considerados ao longo do texto. E vamos agora, também, prestar um pouco de atengio aqueles elementos humanos sempre ineren- tes a qualquer arranjo de esforgo, ndo importando se este serve ou ndo a propésites ‘préticos, ou se sua natureza € expressiva. Agdes BAsicas DE EsvoRcO As oito acdes basicas de esforco representam uma ordenagao dentre as combinagdes possiveis dos elemen- tos Peso, Tempo e Espaco, a qual é estabelecida de acordo com duas atitudes mentais principais que envol- vem, por um lado, uma fungdo objetiva e, por outro, a sensacéo do movimento. Embora nenhuma delas se dé na total auséncia da outra, devido A unidade de esforco, cada uma delas pode tornar-se tio dominante que, por motives de ordem pratica, cabe consideré-las em separado. As duas atitudes foram anteriormente denominadas de “‘lutantes” ou “resistentes” e como “indulgente” ou “‘complacente’ Eo io colin dctthadenente em Moder Eductond Dene de 2, Lata Pe Eo e Re abun © PC. Lawes (19), woe Dibitedn por MacDonald Evams uw A acéo bisica decorrente de uma atitude de luta é ~ firme, sibita e dire- ta, tal como encontramos nos movimentos de empurrar violentamente, socar, apunhalar, trespassar, etc. A aco basica que esté totalmente desvinculada desta e que surge de uma atitude indulgente é —" toque suave ou leve, sustentado flexivel, & semethanga do que se dé nos movimentos de flutuar, de agitar levemente, de voar, de arrastar, de despertar, etc. Cada uma das duas acdes de. esforgo anteriores formam um centro ao qual, trés das outras seis acBes, estéo estreitamente relacionadas. Quando substitui- ‘mos um elemento de cada vez por outro diferente, ou seja, por um que se origina de outra atitude, a acto original modifica-se. Neste sentido, socot {—" pode ve transtormar, substituindo 0 seu elemento Peso, no seguinte: um “gentil" empurréo ou panca- [— J dina, beijocas ou bicar (pés- a ‘saros) caricia de tapinhas ou, co- mo geralmente se fala, pontuar. ou ccc (ear. Se substituirmos seu elemento Tempo, ocorreré a seguinte modificagao: mer, prensar, abarrotar, ou como normalmente se ‘fala, ( ‘um soco “‘sustentado" ou espre- pressdo, E trocando-se 0 seu elemento Espaco: um soco “flexivel ou chicotear, agoitar, arrebatar ou como vi- mos denominando-o talhar. Pontuar, presséo e talhar configuram um grupo de 1 1 agdes basicas de esforco intimamente relacionado com soco (vide [A] a seguir). (A) (B) fe. [ No outro grupo, torcer, sacudir e deslizar esto ‘muito préximos a flutuar e remexer (vide [B]) e desen- volvem-se da seguinte maneira J flutuar _” pode tornar-se: us de seu elemento arrebatar, parafusar ou, como pela substituic&o {i agitar “firme”, ou torcer, Peso: =f [denominacao usual, torcer. pela substituigo (um agitar, “‘stibito” ou palpitar, de seu elemento ou bater asas, ou dar uma esco- ‘Tempo: vadela, ou como geralmente se — (diz, sacudir. pela substituicao de seu elemento Espago: um agitar “direto", ou escor- regar, alisar, acariciar ou, como normalmente se denomina, des lizar. ANALISE DOS ELEMENTOS DO ESFORCO Podemos detinir os varios elementos do esforgo do seguinte modo, na tentativa de analisélos; hé em cada uum deles dois’ componentes, sendo que um deles & operativo e mensurével objetivamente e o outro, pessoal e classificdvel: Peso: elemento “firme” do esforgo consiste de uma resisténcia forte ao peso e de uma sensagio de movimento, pesada, ou sen- sagdo de peso. © elemento “toque suave” ou “leve” do esforco consiste de uma resisténcia fraca ‘ao peso e de uma sensac&o de movimento Teve, ou auséncia de peso. 0 elemento de esforgo “stibito” consiste de luma velocidade rdpida e de uma sensa- go de movimento, de um espaco curto de tempo, ot sensacdo de instantaneidade. © elemento de esforco “sustentado” consis. te de uma velocidade lenta e de uma sen- sagio do movimento de longa duracao, ‘ou sensagao sem fim. Tempo: ry 0 elemento de esforco “‘direto” consiste de uma linha reta quanto a direcdo e da sen- saco do movimento como uma linha es- tendida no espaco, ou sentimento de es- treiteza, Espaco: © elemento de esforgo “flexivel” consiste de uma linha ondulante quanto & direcao e da sensac&o de movimento de uma ex- tensdo flezivel no espago, ou sensagao de estar em toda parte. Enquanto que nas aces funcionais a sensacdo do movimento nao passa de um fator secundério, nas situagées expressivas, onde a experiéncia psicossomé- tica é da maior importdncia, sua relevancia cresce. Em tais situacdes, temos condigées de observar mudan- cas de énfase dentro dos fatores Peso, Tempo e Espaco das agGes corporais. Aparece também todo um conjunto de aspectos além dos de Resisténcia, Velocidade e Di: reco, o qual se torna particularmente importante para as sensagées dos movimentos. So os seguintes os aspectos pertinentes, do Fator Peso é 0 de Pesado ou Leveza,—» do Fator Tempo é 0 de Duragao ou Passagem, do Fator Espaco é o de Expansdo ou Plasticidade. Tendo em vista os propésitos da anSlise das acées corporais, ¢ util examinarmos concisamente as varia- das qualidades da experiéncia psicossomética. Estas podem ser coligidas e organizadas de modo semelhante 20 que se usou com as oito ages bésicas e referir-nos- emos a elas como as oito sensacdes bésicas dos movi- mentos. ma sewsactns Dos sovmsNTos ‘As duas fundamentals si 2 visto como uma agho de esforgo, trata-se i do flutuar e a sensac&o do movimento —" que Ihe é inerente & aquela que pode- ramos chamar de suspensa. No movimento acima, a experiéncia psicosso- mftica: da leveza é leve, como se se estivesse boi- ando em cima, da duracio ¢ longa, como se se estivesse existindo num tempo intermindvel, da expansio é fleztoel, como se se esti- vesse enrugada no espago. >» enquanto agho de esforgo é soco, cuja ‘sensago de movimento que Ihe é intrin- seca é a que se pode chamar de deizar cair, ‘Neste caso, estio todas diminufdas as experién- cias psicossométicas acima mencionadas: a de leveza se tora pesada, como se fosse arrastada para baixo; a de duragéo se torna curta, como se se estivesse existindo num nico ins- tante; a da extensio se torna filiforme, como se fosse conduzida através de uma abertura longa e uniforme no espago. Fe As trés sensagées basicas dos movimentos que mais de perto se Telacionam & sensaco “‘suspensa” podem ser descritas do seguinte modo: relazada: nesta, a sensagio de Peso se alterou e tor- nou-se pesada; por conseguinte, seus trés ‘componentes so: pesado — flexivel — longo. excitada: nesta, a sensagho do Tempo se alterou e tornou-se curta; por conseguinte, seus trés ‘componentes so: leve — flexivel — curto. euférica: nesta, a sensacSo do Espaco se alterou e tomnou-se filiforme: por conseguinte, seus trés componentes so: leve — filiforme — longo. As outras trés sensagées que se relacionam intima- mente a sensagio “deixar cair” sio as seguintes: estimulada: _ nesta, a sensagao de Peso se alterou e tornow-se leve; por conseguinte, seus trés componentes séo: leve — filiforme — curto. ‘afundando: nesta, a sensagio do Tempo se alte- rou e tornou-se longa; por conseguin- te, seus trés componentes so: pesado —filiforme — longo. desmoronando: nesta, a sensac&o do Espaco se alte- rou e tornou-se flerivel; por conse- uinte, seus trés componentes séo: pesado — flexivel — curto, rr As sensacdes de movimentos que propiciam expe- rigncias psicossométicas sao passiveis de observagdo has ages corporais. Séo destituidas de propriedades objetivamente mensurdveis e podem téo-somente ser classificadas no tocante as suas qualidades, as suas intensidades e seus ritmos de desenvolvimento, Séo esta- dos de espirito ou de humor que conferem as acies corporais um colorido especial. © PATOR DE MOVIMENTO-PLUENCIA Consideremos agora, com mais mindcia, 0 fator de movimento-fluéncia. Desempenha este um’ papel bas- tante importante em toda a expresso pelo movimento, pois que estabelece relacionamentos e entra em comuni- cac&o por via de sua corrente interna e externa. O flu- xo tem principalmente a ver com o grau de iberagéo Produzido no movimento, no importando se este ¢ con- siderado do ponto de vista de sua dualidade subjetiva- objetiva ou dos contrastes de ser “livre na’” — “livre da fluéncia do movimento. Ao descrevermos a fluéncia incluimos na sua caracterizacdo a sua negativa total: ‘a parada ou pausa. A fluéncia* ainda comporta os movi- mentos de resisténcia e de contra-movimento; cada um destes & diferente em estado de espirito, e em signifi- ado, nfo se referindo ambos nem a direcfo, nem & velocidade, nem a forca. Consideramos mais atrés a propriedade basica do ‘movimento, que é seu fluxo natural. E observamos entao ‘que, num de seus extremos, a fluéncia pode ser conti- ‘nua, ou absolutamente parada. Agora que vamos tentar definir 0 fator de movimento-fluéneia, bem como seus elementos “livre” e “‘controlada”, devemos levar igual- mente em consideragdo a sensacdo de fluir do movi- mento. Esta sensaco se relaciona a facilidade de mudan- TR WT — Flow © fancy focus aden por Sutace sempre que « vermnclga de ovinen ain 0 eg = ~ m4 ¢¢a, tal como a que ocorre no movimento de uma subs- tancia fluida. Quando vai sendo atenuada a sensacdo da continuidade do fluir, pode-se falar talvez de uma “pausa", na qual percebemos ainda a continuidade, embora j& mais controlada. O elemento de esforgo de fluéncia ‘'con- trolada" ou obstruida, consiste na pron- — ‘| tiddo para se interromper o fluxo normal ena sensacdo de movimento de pausa. sta talvez seja uma concepedo algo dificil. Pode- ra, contudo, ajudar se percebermos que a sensacéo de fluéncia, o sentimento de ser carregada, nfo cessa na ausa, sendo, porém, controlada ao extremo, Fluéncia controlada, portanto, quando associada a outros elementos do esforco, tais como o forte e o direto, confere ao movimento qualidade de restringir. Origi na-se numa prontidéo interna para parar a acho a qualquer momento dado. A fluéncia parece fluir para trds, ou seja, numa direco contréria A da aco. © elemento de esforco de fluéncia “li _—'| vre" consiste num fluxo libertado e na semsagdo de fluidez do movimento, ‘A qualidade de esforco da fluéncia livre nao deve- ria, porém, ser confundida com a mera sensagdo de continuar no movimento, Esta sensaco é uma expres- So de esforco ativada pela libertacéo do fluxo, que, dotado de uma capacidade emissora, auxilia o fluir para fora, ou seja, progressivo, caracteristica da fluén- cia livre, Agora jé ser4 possivel tabular os quatro fatores do ‘movimento, bem como seus elementos de esforgo, além de enumerar os aspectos contidos em cada fator, 0 que aparece na Tabela VI. 1 STA) a Tabela VI ESFORCO Verificagao dos Aspectos de Peso, Tempo, Espaco € Fluéncia Necessdrios 4 Compreensdo do Esforco cnkrico to maronco ‘Representando os qua tro Fatores de Movt- ‘mento, cada um dos gquais com seus dels Aspectos classficdvets (sensagao do ‘movimento) Tavera lve (ou graus pesado) Duragle ongo 0 ‘graus menores até curto) Expansiio fexivel_ (ou ‘sraus menores até fitorme) Flutocia Flutncia }eontre- fuivre | parado (ou _ | flulda (ou ed ‘Eraus menores | graus menores até libertado) | até parando) ‘Tempo | sabito | susten: ado Bspago |aiceto | exivel

Você também pode gostar