Você está na página 1de 10
30? écadas se passaram e a fonte de alimentagao ajustével ainda continua sendo um instrumento inseparével do técnico. Apresentamos aqui uma fonte de alimentacéo de ex- celente performance tendo uma tensdo ajustével de zero a 40 Volts e com ajuste de corrente de saida até 5 Amperes. Carlos O. B. Filho DIAGRAMA EM BLOCOS Na figura 1 podemos ver o diagra- ma em blocos da Fonte Profissio- nal, onde analisaremos seu funci- onamento. A tenséo da rede deve ser reduzida por Trl para o bloco Fonte de Alimentagao (diodes D1 a D8) fazer seu trabalho juntamen- te com os capacitores C1, C7 e C8; Assim teremos tensdes tetificadas filtradas para os blocos seguin- tes. Para que o regulador permita o controle de tensao e corrente seré necessério retirar uma amostra da tensao principal (50V) e regula-la, trabalho feito pelo bloco de Refe- réncia de Tensao, resultando no controle de corrente de safda. Para que este controle funcione a contento sera necessdrio retirar uma amostra da corrente da fonte sendo esta feita pelo resistor R3, para entéo 0 potenciémetro P1 aproveitar esta referéncia para con- trolar a corrente que polariza o re- gulador (variando a corrente final de 0a 5A). O controle de tenséo desta fonte eI ELETRONICA N° 22/97 seré feita pelo bloco Amplificador de Ero onde o potenciémetro P2 controlaré a tensao da saida entre Oe 40V graca a amostra de tensdo retirada da propria saida. Para se conseguir a tensao de zero Volt na saida, torna-se necessario criar uma Referéncia de tenso Negati- va (mesmo nome do bloco), onde o ajuste de OV ¢ feito pelo trimpot RV1 O funcionamento do voltimetro dependera do bloco Fonte do Voltimetro, pois o mesmo precisa das tensdes de +5V para funcio- nar. ‘A comutacao de voltimetro para amperimetro é feita pelo bloco chaveador de tensao ou corrente através de relé RL FUNCIONAMENTO Veremos a seguir, mostrando os diagramas esquematicos, o funci- onamento de todo o equipamen- to, facilitande a compreenséo do Circuito e posterior montagem FONTE DE +5 e-5V A tensao da rede deveré passar por um fusivel de seguranca de 2A (fi- gura 2) para a protecao geral des- ta fonte. Temos ainda o controle de liga e desliga feito pela chave CHI, cabendo a chave CH2 a se- lec&o da tensdo que poderé ser aplicada ao primario de TR1. O secundario possui dois enrolamentos, sendo um de 36Vac e outro de 15+15Vac que sera aproveitado pelos diodos D7 e D8 PONTE _ JUSTAVED onde retificaremos uma tenséo um pouco maior de 15V sendo esta fil- trada no capacitor C7, e outra um pouco maior de -15V filtrada em ca. Os reguladores IC1 e IC2 reduzi- 180 e estabilizarao esta tensdo em +5V e -5V respectivamente, per- mitindo a correta polarizacéo do display. Havera um aquecimento razoavel sobre IC1, pois sera ele 0 responsavel pela polarizagao do display, sendo necessério 0 uso de dissipador. FONTE AJUSTAVEL / CON- TROLE DE TENSAO A tens&o de 36Vac seré retificada pela ponte composta pelos diodos D1 a D4 sendo filtrada logo em seguida pelo capacitor Cl de 4700uF. Para a coreta estabiliza- cao e regulagem da tensao de sai- da seré necessério uma polariza- co constante para os transistores darlington T4 (a, b, c), sendo de responsabilidade do diodo zener 2D1, R1 e T1. Teremos entao ten- so ¢ corrente estaveis no coletor deT1, mesmo que a tensao da rede vari Para que a tenso de safda varie corretamente de OV a 40V é preci- s0 que a tensdo de base e emissor do transistor T3 esteja abaixo de OV, ou seja, quando a tensao de saida for de OV a tensao de base do transfstor darlington sera de 1,2V sendo o mesmo para o coletor de T3. Com meios normais, nao conseguiriamos polarizar a base de T3 com uma tensao de saida de 5 [Montagem do més Super Fonte Ajustavel zero Volt, caso seu emissor fosse ligado a referencia massa. As- sim é necessario uma ALNENTAGKO pei ao ‘Be Tense Yaa Tabe Me tensdo negativa na base e emissor de T3, mantendo _ este transistor polarizado mesmo com a tensao de saida em zero Volt. Esta tensdo negativa é criada pelo diodo DS e capacitor C2, sendo estabilizada pelo diodo zener ZD2 de 12V, evitando qual- quer variacéo para a tensao de saida. A tensao no anodo de ZD2 sera de -12Vea tensao de emissor de T3 ficaré com -8,7V, pois estabilizamos esta tensao em cima de ZD3 com 0 auxilio do ConnenTe Teinsert oNTE 90. vorrmenno ronven.ca ecto FIGURA 1 - Diagrama em blocos do sistema, ‘cHavEennor sey ‘ETENSAO pun TB ter resistor RO. Para a polarizacao de base de T3 foi elaborado um divisor resistivo feito por R8, RVI, P2 e R6. Assim quando tivermos OV na saida esta malha garantira polarizacdo para a base de T3 mantendo-a estavel em -8V. AJUSTE DE OV NA SAIDA Deve-se ajustar primeiramente P2 no sentido anti-horario, ou seja, até que a tensdo caia o maximo possi- vel e entao ajustar RVI até que a iensdo de saida seja de OV. ESTABILIZACAO DA FONTE O transistor T3 deverd garantir a estabilidade desta fonte pois é ele quem comanda os reguladores darlington T4a, T4b e T4c (chama- remos apenas de T4), Para isto, T3 retira uma amostra da tenséo de saida e compara com as tensdes de 6 ZD2 e ZD3 (que nao variam) Quando a tensao da fonte subir por algum motivo (condugao ex- cessiva de T4 por aquecimento ou diminuicéo do consumo da carga, por exemplo), a tensdo da base de T3 também se elevara (na realida- dea corrente aumentaré pois a va- riagho de tensao é da ordem de milivolt’s sendo de dificil percep- 40), obrigando o mesmo a con- duzir mais, caindo sua tensao de coletor e diminuindo a corrente que vai para T4. Com isto obriga- se a cair a tensdo de emissor de T4, mantendo a estabilizacao. Se agora a tensao da saida cair tere- mos uma diminuigao da polariza- cao de base do transfstor T3 despolarizando-o, obrigando sua tensao de coletor a subir polarizan- do mais a base de T4. Assim a ten- sao de saida subiré novamente (a variagao da tens4o de saida desen- volvendo o controle de estabiliza- fo é inferior a 200mV) FONTE AJUSTAVEL: CON- TROLE DE CORRENTE Esta fonte permite o ajuste de cor- rente de 0 a 5A através do potenciémetro P1, mas para que funcione, ser necessério retirar- mos uma amostra da corrente para podermos controlé-la. O ajuste de corrente deve ser feito sob carga (com consumo), onde ajustaremos a tensao (P2) e a corrente (P1) de modo gradual conforme a neces- sidade da carga Toda a corrente consumida pela carga devera retornar para a fonte através do pélo negativo passan- do por R3 e D6. Assim o transistor T2 tera condigdes de controlar a corrente pois seu emissor esta liga- do ao pélo negative de C1 enquan- to sua base esta ligado no lado di- reito de R3 via PI. Entao a tensao