Você está na página 1de 3

"O que Deus espera do jovem; o que o jovem espera de Deus".

Podemos dizer que não há da parte de Deus algo diferente para o


jovem, das coisas que Ele espera de qualquer um. Não há um
tratamento vip porque se é jovem. Há, aliás, uma universalização
da humanidade em relação a Deus: “Porque todos pecaram e
destituídos estão da glória de Deus” (Rm 3.23).

Em razão dessa universalização do pecado, a consequência é


igualitária, isto é, condenação e absolvição, são igualmente para
todos (Rm 6.23).

Deus chama a todos, mas salva apenas os que atendem ao seu


chamado. Fazer parte de uma igreja evangélica não garante que o
indivíduo tenha sido chamado. Existem muitos evangélicos por
tradição; tais pessoas não são diferentes daqueles que cresceram
em uma tradição católica. Assim como muitos católicos têm
resistência em deixar o catolicismo, muitos evangélicos têm de
deixar as igrejas nas quais cresceram. Isso é fato, é constatação!

Podemos falar também do juízo de Deus sobre todos. O juízo não é


estabelecido por faixa etária. A base do juízo é Romanos 6.23. Não
há que se esperar que Deus seja menos grave com os mais jovens
e mais duro, rígido com os de mais idade. Em razão de tal certeza,
Deus espera do jovem, a compreensão das realidades eternas.
Quando o jovem deixar esta vida, vai se deparar com o futuro que
ele mesmo escolheu. Então, Deus espera que o jovem saiba
escolher a vida e não a morte. Pregando no Salmo 119.9 no mês da
juventude de 2009, eu disse:

1. A juventude é o tempo das definições e indefinições. Foi assim

com todos os que passaram por essa fase. Alguns decidiram

1
com mais firmeza o seu próprio caminho; outros viveram
incertezas diante das muitas possibilidades e dos diversos
conselhos.
2. Desde muito pequenos somos induzidos à escolha dos
melhores caminhos. Não raro os pais dizem para os seus
pequenos: “Não passe por aí; passe por ali”. São as primeiras
escolhas, e elas, por indução.
3. Mas nós crescemos, e os nossos pais já não nos induzem

como faziam. Começamos assim, a decidir pelo que julgamos


ser o melhor para nós mesmos.

Deus espera que os jovens só façam boas escolhas. Mas as


escolhas acontecem no meu julgamento particular, no máximo,
deixo alguém dizer alguma coisa; mas no final de tudo, eu decido.
O que o jovem espera de Deus? O jovem não deve esperar de
Deus coisas que Ele não disse que faria. O jovem mesmo deve
buscar conhecer a vontade de Deus (Rm 12.2). A dica paulina, para
que se comece uma boa história com Deus é: “Não se amoldem ao
padrão deste mundo” (NVI). O jovem que quiser receberá de Deus
direcionamento. Digo ‘que quiser’, porque Deus não violentará a
vontade, que é pessoal, intransferível e responsabilizadora. O que
você decidir será eternamente respeitado.
O jovem que espera algo de Deus deve querer ouvi-Lo. Muitas
vezes temos medo das respostas de Deus, então, fugimos da Sua
presença para tomarmos as nossas decisões sem interferências
externas.
Confesso que não sei o que o jovem espera de Deus. Nem sei se o
próprio jovem sabe. Também não sei o quanto de tempo o jovem
para pensar sobre Deus e a Sua vontade. Arrisco-me em dizer o
seguinte: é até possível que algum jovem já nem creia em Deus.
Espero que não seja o caso de alguém que está aqui hoje!

2
Terminado, eu até entendo que um tema interessante para
pensarmos futuramente será: "O que a igreja espera do jovem; o
que o jovem espera da igreja".

Fim.

Pr. Eli da Rocha Silva