Você está na página 1de 39
PresidênciadaRepública CasaCivil SubchefiaparaAssuntosJurídicos LEICOMPLEMENTARNº123,DE14DEDEZEMBRODE2006

PresidênciadaRepública

CasaCivil

SubchefiaparaAssuntosJurídicos

(Republicaçãoematendimentoaodispostonoart.5ºdaLeiComplementarnº139,de10denovembrode2011.)

Vigência

InstituioEstatutoNacionaldaMicroempresaedaEmpresadePequenoPorte; alteradispositivosdasLeisn o 8.212e8.213,ambasde24dejulhode1991,da ConsolidaçãodasLeisdoTrabalho­CLT,aprovadapeloDecreto­Lein o 5.452,de 1 o de maio de 1943, da Lei n o 10.189, de 14 de fevereiro de 2001, da Lei Complementarn o 63,de11dejaneirode1990;erevogaasLeisn o 9.317,de5

dedezembrode1996,e9.841,de5deoutubrode1999.

OPRESIDENTEDAREPÚBLICAFaçosaberqueoCongressoNacionaldecretaeeusancionoaseguinteLeiComplementar:

CAPÍTULOI

DISPOSIÇÕESPRELIMINARES

Art. 1 o Esta Lei Complementar estabelece normas gerais relativas ao tratamento diferenciado e favorecido a ser dispensado às microempresas e empresasdepequenoportenoâmbitodosPoderesdaUnião,dosEstados,doDistritoFederaledosMunicípios,especialmentenoqueserefere:

I ­ à apuração e recolhimento dos impostos e contribuições da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, mediante regime único de arrecadação,inclusiveobrigaçõesacessórias;

II­aocumprimentodeobrigaçõestrabalhistaseprevidenciárias,inclusiveobrigaçõesacessórias;

III ­ ao acesso a crédito e ao mercado, inclusive quanto à preferência nas aquisições de bens e serviços pelos Poderes Públicos, à tecnologia, ao

associativismoeàsregrasdeinclusão.

§1 o CabeaoComitêGestordoSimplesNacional(CGSN)apreciaranecessidadederevisão,apartirde1 o dejaneirode2015,dosvaloresexpressosem

moedanestaLeiComplementar.

§2 o (VETADO).

o Ressalvado o disposto no Capítulo IV, toda nova obrigação que atinja as microempresas e empresas de pequeno porte deverá apresentar, no

§3

§4 o Naespecificaçãodotratamentodiferenciado,simplificadoefavorecidodequetratao§3 o ,deveráconstarprazomáximo,quandoforemnecessários

procedimentosadicionais,paraqueosórgãosfiscalizadorescumpramasmedidasnecessáriasàemissãodedocumentos,realizaçãodevistoriaseatendimento dasdemandasrealizadaspelasmicroempresaseempresasdepequenoportecomoobjetivodecumpriranovaobrigação. (IncluídopelaLeiComplementar

§5 o Casooórgãofiscalizadordescumpraosprazosestabelecidosnaespecificaçãodotratamentodiferenciadoefavorecido,conformeodispostono§4 o ,

§6 o Aausênciadeespecificaçãodotratamentodiferenciado,simplificadoefavorecidooudadeterminaçãodeprazosmáximos,deacordocomos§§3 o e

4 o ,tornaráanovaobrigaçãoinexigívelparaasmicroempresaseempresasdepequenoporte.

§7 o Ainobservânciadodispostonos§§3 o a6 o resultaráematentadoaosdireitosegarantiaslegaisasseguradosaoexercícioprofissionaldaatividade

empresarial.

Art. 2 o O tratamento diferenciado e favorecido a ser dispensado às microempresas e empresas de pequeno porte de que trata o art. 1 o desta Lei Complementarserágeridopelasinstânciasaseguirespecificadas:

I­ComitêGestordoSimplesNacional,vinculadoaoMinistériodaFazenda,compostopor4(quatro)representantesdaSecretariadaReceitaFederaldo

Brasil,como representantesdaUnião,2(dois)dosEstadosedoDistritoFederale2(dois)dosMunicípios,paratratardosaspectostributários;e

II ­ Fórum Permanente das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte, com a participação dos órgãos federais competentes e das entidades vinculadasaosetor,paratratardosdemaisaspectos,ressalvadoodispostonoincisoIIIdocaputdesteartigo;

­ Comitê para Gestão da Rede Nacional para a Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios, vinculado ao Ministério do

Desenvolvimento,IndústriaeComércioExterior,compostoporrepresentantesdaUnião,dosEstadosedoDistritoFederal,dosMunicípiosedemaisórgãosde apoioederegistroempresarial, naformadefinidapeloPoderExecutivo, paratratardoprocessoderegistroedelegalizaçãodeempresários edepessoas jurídicas.

III

III­ComitêparaGestãodaRedeNacionalparaSimplificaçãodoRegistroedaLegalizaçãodeEmpresaseNegócios­CGSIM,vinculadoàSecretariada

MicroePequenaEmpresadaPresidênciadaRepública,compostoporrepresentantes daUnião, dos Estados edoDistritoFederal, dos Municípios edemais órgãos deapoioederegistroempresarial, naformadefinidapeloPoderExecutivo, paratratardoprocessoderegistroedelegalizaçãodeempresários ede pessoasjurídicas. (RedaçãopelaLeiComplementarnº147,de2014)

§1º OsComitêsdequetratamosincisosIeIIIdocaputdesteartigoserãopresididosecoordenadosporrepresentantesdaUnião.

§2º OsrepresentantesdosEstadosedoDistritoFederalnosComitêsreferidosnosincisosIeIIIdocaputdesteartigoserãoindicadospeloConselho NacionaldePolíticaFazendária­CONFAZeosdosMunicípiosserãoindicados,umpelaentidaderepresentativadasSecretariasdeFinançasdasCapitaise outropelasentidadesderepresentaçãonacionaldosMunicípiosbrasileiros.

§3º AsentidadesderepresentaçãoreferidasnoincisoIIIdocaputeno§2ºdesteartigoserãoaquelasregularmenteconstituídashápelomenos1(um)

anoantesdapublicaçãodestaLeiComplementar.

§4º OsComitêsdequetratamosincisosIeIIIdocaputdesteartigoelaborarãoseusregimentosinternosmedianteresolução.

§5 o OFórumreferidonoincisoIIdocaputdesteartigo,quetemporfinalidadeorientareassessoraraformulaçãoecoordenaçãodapolíticanacionalde desenvolvimento das microempresas e empresas de pequeno porte, bem como acompanhar e avaliar a sua implantação, será presidido e coordenado pelo MinistériodoDesenvolvimento,IndústriaeComércioExterior.

§5 o OFórum referidonoincisoII docaputdesteartigotem porfinalidadeorientareassessoraraformulaçãoecoordenaçãodapolíticanacional de desenvolvimentodas microempresas eempresas depequenoporte, bem comoacompanhareavaliarasuaimplantação, sendopresididoecoordenadopela SecretariadaMicroePequenaEmpresadaPresidênciadaRepública. (RedaçãodadapelaLeinº12.792,de2013)

§6º AoComitêdequetrataoincisoIdocaputdesteartigocompeteregulamentaraopção,exclusão,tributação,fiscalização,arrecadação, cobrança, dívida ativa, recolhimento e demais itens relativos ao regime de que trata o art. 12 desta Lei Complementar, observadas as demais disposições desta Lei Complementar.

§7º AoComitêdequetrataoincisoIIIdocaputdesteartigocompete,naformadalei,regulamentarainscrição,cadastro,abertura,alvará,arquivamento, licenças,permissão,autorização,registrosedemaisitensrelativosàabertura,legalizaçãoefuncionamentodeempresáriosedepessoasjurídicasdequalquer porte,atividadeeconômicaoucomposiçãosocietária.

§8º OsmembrosdosComitêsdequetratamosincisosIeIIIdocaputdesteartigoserãodesignados,respectivamente,pelosMinistrosdeEstadoda FazendaedoDesenvolvimento,IndústriaeComércioExterior,medianteindicaçãodosórgãoseentidadesvinculados.

§8 o OsmembrosdosComitêsdequetratamosincisosIeIIIdocaputdesteartigoserãodesignados,respectivamente,pelosMinistrosdeEstadoda FazendaedaSecretariadaMicroePequenaEmpresadaPresidênciadaRepública,medianteindicaçãodosórgãoseentidadesvinculados. (Redaçãopela

§9 o OCGSNpoderádeterminar,comrelaçãoàmicroempresaeàempresadepequenoporteoptantepeloSimplesNacional,aforma,aperiodicidadeeo

prazo:

I­deentregaàSecretariadaReceitaFederaldoBrasil­RFBdeumaúnicadeclaraçãocomdados relacionados afatos geradores, basedecálculoe valoresdacontribuiçãoparaaSeguridadeSocialdevidasobrearemuneraçãodotrabalho,inclusiveadescontadadostrabalhadoresaserviçodaempresa,do FundodeGarantiadoTempodeServiço­FGTSeoutrasinformaçõesdeinteressedoMinistériodoTrabalhoeEmprego­MTE,doInstitutoNacionaldoSeguro

Social­INSSedoConselhoCuradordoFGTS,observadoodispostono§7 o desteartigo;e

II­dorecolhimentodascontribuiçõesdescritasnoincisoIedoFGTS.

§10. OrecolhimentodequetrataoincisoII do§9 o desteartigopoderásedardeformaunificadarelativamenteaos tributos apurados naformado

SimplesNacional.

§11. AentregadadeclaraçãodequetrataoincisoIdo§9 o substituirá,naformaregulamentadapeloCGSN,aobrigatoriedadedeentregadetodasas informações, formulários e declarações a que estão sujeitas as demais empresas ou equiparados que contratam trabalhadores, inclusive relativamente ao recolhimentodoFGTS,àRelaçãoAnualdeInformaçõesSociaiseaoCadastroGeraldeEmpregadoseDesempregados. (IncluídopelaLeiComplementarnº

§12. NahipótesederecolhimentodoFGTSnaformadoincisoIIdo§9 o desteartigo,deve­seasseguraratransferênciadosrecursosedoselementos

identificadoresdorecolhimentoaogestordessefundoparacréditonacontavinculadadotrabalhador.

§13. OdocumentodequetrataoincisoI do§9 o temcaráterdeclaratório, constituindoinstrumentohábil esuficienteparaaexigênciados tributos, contribuiçõesedosdébitosfundiáriosquenãotenhamsidorecolhidosresultantesdasinformaçõesneleprestadas. (IncluídopelaLeiComplementarnº147,

CAPÍTULOII

DADEFINIÇÃODEMICROEMPRESAEDEEMPRESADEPEQUENOPORTE

Art.3º Paraos efeitos destaLei Complementar, consideram­semicroempresas ouempresas depequenoporte, asociedadeempresária, asociedade simples,aempresaindividualderesponsabilidadelimitadaeoempresárioaqueserefereoart.966daLein o 10.406,de10dejaneirode2002(CódigoCivil), devidamenteregistradosnoRegistrodeEmpresasMercantisounoRegistroCivildePessoasJurídicas,conformeocaso,desdeque:

I­nocasodamicroempresa,aufira,emcadaano­calendário,receitabrutaigualouinferioraR$360.000,00(trezentosesessentamilreais);e

II­nocasodaempresadepequenoporte,aufira,emcadaano­calendário,receitabrutasuperioraR$360.000,00(trezentosesessentamilreais)eigualou

inferioraR$3.600.000,00(trêsmilhõeseseiscentosmilreais).

§1º Considera­sereceitabruta,parafinsdodispostonocaputdesteartigo,oprodutodavendadebenseserviçosnasoperaçõesdecontaprópria,o preçodosserviçosprestadoseoresultadonasoperaçõesemcontaalheia,nãoincluídasasvendascanceladaseosdescontosincondicionaisconcedidos.

§2º Nocasodeiníciodeatividadenopróprioano­calendário,olimiteaqueserefereocaputdesteartigoseráproporcionalaonúmerodemesesemquea microempresaouaempresadepequenoportehouverexercidoatividade,inclusiveasfraçõesdemeses.

§3º O enquadramento do empresário ou da sociedade simples ou empresária como microempresa ou empresa de pequeno porte bem como o seu desenquadramentonãoimplicarãoalteração,denúnciaouqualquerrestriçãoemrelaçãoacontratosporelasanteriormentefirmados.

§4ºNãopoderásebeneficiardotratamentojurídicodiferenciadoprevistonestaLei Complementar, incluídooregimedequetrataoart. 12destaLei Complementar,paranenhumefeitolegal,apessoajurídica:

I­decujocapitalparticipeoutrapessoajurídica;

II­quesejafilial,sucursal,agênciaourepresentação,noPaís,depessoajurídicacomsedenoexterior;

III­decujocapitalparticipepessoafísicaquesejainscritacomoempresárioousejasóciadeoutraempresaquerecebatratamentojurídicodiferenciado

nostermosdestaLeiComplementar,desdequeareceitabrutaglobalultrapasseolimitedequetrataoincisoIIdocaputdesteartigo;

IV­cujotitularousócioparticipecommaisde10%(dezporcento)docapitaldeoutraempresanãobeneficiadaporestaLeiComplementar,desdequea

receitabrutaglobalultrapasseolimitedequetrataoincisoIIdocaputdesteartigo;

V­cujosóciooutitularsejaadministradorouequiparadodeoutrapessoajurídicacomfinslucrativos,desdequeareceitabrutaglobalultrapasseolimite

dequetrataoincisoIIdocaputdesteartigo;

VI­constituídasobaformadecooperativas,salvoasdeconsumo;

VII­queparticipedocapitaldeoutrapessoajurídica;

VIII­queexerçaatividadedebancocomercial,deinvestimentosededesenvolvimento,decaixaeconômica,desociedadedecrédito,financiamentoe

investimentooudecréditoimobiliário,decorretoraoudedistribuidoradetítulos,valoresmobiliáriosecâmbio,deempresadearrendamentomercantil,deseguros

privadosedecapitalizaçãooudeprevidênciacomplementar;

IX­resultanteouremanescentedecisãoouqualqueroutraformadedesmembramentodepessoajurídicaquetenhaocorridoemumdos5(cinco)anos­

calendárioanteriores;

X­constituídasobaformadesociedadeporações.

XI ­cujos titulares ousócios guardem, cumulativamente, com ocontratantedoserviço, relaçãodepessoalidade, subordinaçãoehabitualidade.

§5 o OdispostonosincisosIVeVIIdo§4 o desteartigonãoseaplicaàparticipaçãonocapitaldecooperativasdecrédito,bemcomoemcentrais de

compras,bolsasdesubcontratação,noconsórcioreferidonoart.50destaLeiComplementarenasociedadedepropósitoespecíficoprevistanoart.56destaLei

Complementar,eemassociaçõesassemelhadas,sociedadesdeinteresseeconômico,sociedadesdegarantiasolidáriaeoutrostiposdesociedade,quetenham

comoobjetivosocialadefesaexclusivadosinteresseseconômicosdasmicroempresaseempresasdepequenoporte.

§6º Nahipótesedeamicroempresaouempresadepequenoporteincorreremalgumadas situaçõesprevistasnosincisosdo§4 o ,seráexcluídado tratamentojurídicodiferenciadoprevistonestaLei Complementar, bem comodoregimedequetrataoart. 12, com efeitos apartirdomês seguinteaoque incorridaasituaçãoimpeditiva.

§7 o Observadoodispostono§2 o desteartigo,nocasodeiníciodeatividades,amicroempresaque,noano­calendário,excederolimitedereceitabruta

anualprevistonoincisoIdocaputdesteartigopassa,noano­calendárioseguinte,àcondiçãodeempresadepequenoporte.

§8 o Observadoodispostono§2 o desteartigo,nocasodeiníciodeatividades,aempresadepequenoporteque,noano­calendário,nãoultrapassaro

limitedereceitabrutaanualprevistonoincisoIdocaputdesteartigopassa,noano­calendárioseguinte,àcondiçãodemicroempresa.

§9º Aempresadepequenoporteque,noano­calendário,excederolimitedereceitabrutaanualprevistonoincisoIIdocaputdesteartigoficaexcluída,

nomêssubsequenteàocorrênciadoexcesso,dotratamentojurídicodiferenciadoprevistonestaLeiComplementar,incluídooregimedequetrataoart.12,para

todososefeitoslegais,ressalvadoodispostonos§§9 o ­A,10e12.

§9

o ­A. Os efeitos daexclusãoprevistano§9 o dar­se­ãonoano­calendáriosubsequenteseoexcessoverificadoem relaçãoàreceitabrutanãofor

superiora20%(vinteporcento)dolimitereferidonoincisoIIdocaput.

§10. Aempresadepequenoportequenodecursodoano­calendáriodeiníciodeatividadeultrapassarolimiteproporcionaldereceitabrutadequetratao §2 o estaráexcluídadotratamentojurídicodiferenciadoprevistonestaLeiComplementar,bemcomodoregimedequetrataoart.12destaLeiComplementar, comefeitosretroativosaoiníciodesuasatividades.

§11. NahipótesedeoDistritoFederal,osEstadoseosrespectivosMunicípiosadotaremumdoslimitesprevistosnosincisosIeIIdocaputdoart.19e noart.20, casoareceitabrutaauferidapelaempresaduranteoano­calendáriodeiníciodeatividadeultrapasse1/12(um dozeavos)dolimiteestabelecido multiplicadopelonúmerodemesesdefuncionamentonesseperíodo,aempresanãopoderárecolheroICMSeoISSnaformadoSimplesNacional,relativosao estabelecimentolocalizadonaunidadedafederaçãoqueoshouveradotado,comefeitosretroativosaoiníciodesuasatividades.

§12. Aexclusãodequetratao§10nãoretroagiráaoiníciodasatividadesseoexcessoverificadoemrelaçãoàreceitabrutanãoforsuperiora20% (vinteporcento)dorespectivolimitereferidonaqueleparágrafo,hipóteseemqueosefeitosdaexclusãodar­se­ãonoano­calendáriosubsequente.

§13. Oimpedimentodequetratao§11nãoretroagiráaoiníciodasatividadesseoexcessoverificadoemrelaçãoàreceitabrutanãoforsuperiora20% (vinteporcento)dosrespectivoslimitesreferidosnaqueleparágrafo,hipóteseemqueosefeitosdoimpedimentoocorrerãonoano­calendáriosubsequente.

§14. Parafinsdeenquadramentocomoempresadepequenoporte,poderãoserauferidasreceitasnomercadointernoatéolimiteprevistonoincisoIIdo caputouno§2 o ,conformeocaso,e,adicionalmente,receitas decorrentes daexportaçãodemercadorias, inclusivequandorealizadapormeiodecomercial

exportadoraoudasociedadedepropósitoespecíficoprevistanoart.56destaLeiComplementar,desdequeasreceitasdeexportaçãotambémnãoexcedamos

referidoslimitesdereceitabrutaanual.

§14. Parafins deenquadramentocomomicroempresaouempresadepequenoporte, poderãoserauferidas receitas nomercadointernoatéolimite previstonoincisoIIdocaputouno§2 o ,conformeocaso,e,adicionalmente,receitasdecorrentesdaexportaçãodemercadoriasouserviços,inclusivequando realizadapormeiodecomercialexportadoraoudasociedadedepropósitoespecíficoprevistanoart. 56destaLei Complementar, desdequeas receitas de exportaçãotambémnãoexcedamosreferidoslimitesdereceitabrutaanual. (RedaçãodadapelaLeiComplementarnº147,de2014) (Produçãodeefeito)

§15. Nahipótesedo§14,parafinsdedeterminaçãodaalíquotadequetratao§1 o doart.18,dabasedecálculoprevistaemseu§3 o edasmajorações

dealíquotasprevistasemseus§§16,16­A,17e17­A,seráconsideradaareceitabrutatotaldaempresanosmercadosinternoeexterno.

§15. Nahipótesedo§14,parafinsdedeterminaçãodaalíquotadequetratao§1 o doart.18,dabasedecálculoprevistaemseu§3 o edasmajorações de alíquotas previstas em seus §§ 16, 16­A, 17 e 17­A, serão consideradas separadamente as receitas brutas auferidas no mercado interno e aquelas decorrentesdaexportação. (RedaçãodadapelaLeiComplementarnº147,de2014) (Produçãodeefeito)

§16. OdispostonesteartigoseráregulamentadoporresoluçãodoCGSN.

Art.3 o ­A. Aplica­seaoprodutorruralpessoafísicaeaoagricultorfamiliarconceituadonaLein o 11.326,de24dejulhode2006,comsituaçãoregularna PrevidênciaSocialenoMunicípioquetenhamauferidoreceitabrutaanualatéolimitedequetrataoincisoIIdocaputdoart.3 o odispostonosarts.6 o e7 o ,nos

Art.3 o ­B. OsdispositivosdestaLeiComplementar,comexceçãodosdispostosnoCapítuloIV,sãoaplicáveisatodasasmicroempresaseempresasde pequenoporte,assimdefinidaspelosincisosIeIIdocapute§4 o doart.3 o ,aindaquenãoenquadradasnoregimetributáriodoSimplesNacional,porvedação ouporopção. (IncluídopelaLeiComplementarnº147,de2014)

CAPÍTULOIII

DAINSCRIÇÃOEDABAIXA

Art.4 o Naelaboraçãodenormasdesuacompetência,osórgãoseentidadesenvolvidosnaaberturaefechamentodeempresas,dos3(três)âmbitosde governo, deverão considerar a unicidade do processo de registro e de legalização de empresários e de pessoas jurídicas, para tanto devendo articular as competênciasprópriascomaquelas dos demais membros,ebuscar,emconjunto,compatibilizareintegrarprocedimentos,demodoaevitaraduplicidadede exigênciasegarantiralinearidadedoprocesso,daperspectivadousuário.

§1 o Oprocessodeabertura,registro,alteraçãoebaixadoMicroempreendedorIndividual(MEI)dequetrataoart.18­AdestaLeiComplementar,bem como qualquer exigência para o início de seu funcionamento, deverão ter trâmite especial e simplificado, preferencialmente eletrônico, opcional para o empreendedornaformaaserdisciplinadapeloCGSIM,observadooseguinte:

§1 o Oprocessodeabertura,registro,alteraçãoebaixadamicroempresaeempresadepequenoporte,bemcomoqualquerexigênciaparaoiníciodeseu

I­poderãoserdispensadosousodafirma,comarespectivaassinaturaautógrafa,ocapital,requerimentos,demaisassinaturas,informaçõesrelativasao

estadocivileregimedebens,bemcomoremessadedocumentos,naformaestabelecidapeloCGSIM;e

­ o cadastro fiscal estadual ou municipal poderá ser simplificado ou ter sua exigência postergada, sem prejuízo da possibilidade de emissão de documentosfiscaisdecompra,vendaouprestaçãodeserviços,vedada,emqualquerhipótese,aimposiçãodecustospelaautorizaçãoparaemissão,inclusive namodalidadeavulsa.

II

§3ºFicamreduzidosa0(zero)osvaloresreferentesataxas,emolumentosedemaiscustosrelativosàabertura,àinscrição,aoregistro,aoalvará,à

licença,aocadastroeaosdemaisitensrelativosaodispostonos§§1ºe2ºdesteartigo.

§3 o RessalvadoodispostonestaLeiComplementar,ficamreduzidosa0(zero)todososcustos,inclusiveprévios,relativosàabertura,àinscrição,ao

registro, ao funcionamento, ao alvará, à licença, ao cadastro, às alterações e procedimentos de baixa e encerramento e aos demais itens relativos ao Microempreendedor Individual, incluindo os valores referentes a taxas, a emolumentos e a demais contribuições relativas aos órgãos de registro, de licenciamento, sindicais, de regulamentação, de anotação de responsabilidade técnica, de vistoria e de fiscalização do exercício de profissões regulamentadas. (RedaçãodadapelaLeiComplementarnº147,de2014)

§3 o ­A. Oagricultorfamiliar,definidoconformeaLeinº11.326,de24dejulhode2006,eidentificadopelaDeclaraçãodeAptidãoaoPronaf­DAPfísicaou

jurídica,bemcomooMEIeoempreendedordeeconomiasolidáriaficamisentosdetaxaseoutrosvaloresrelativosàfiscalizaçãodavigilânciasanitária.

§4 o NocasodoMEI,dequetrataoart.18­AdestaLeiComplementar,acobrançaassociativaouofertadeserviçosprivadosrelativosaosatosdeque

tratao§3 o deste artigo somente poderá ser efetuada a partir de demanda prévia do próprio MEI, firmado por meio de contrato com assinatura autógrafa, observando­seque: (IncluídopelaLeiComplementarnº147,de2014)

I ­paraaemissãodeboletos decobrança, os bancos públicos eprivados deverãoexigirdas instituições sindicais eassociativas autorizaçãoprévia

específicaaseremitidapeloCGSIM;

II­odesrespeitoaodispostonesteparágrafoconfigurarávantagemilícitapeloinduzimentoaoerroemprejuízodoMEI,aplicando­seassançõesprevistas

emlei.

§5 o (VETADO).

Art.5 o Osórgãoseentidadesenvolvidosnaaberturaefechamentodeempresas,dos3(três)âmbitosdegoverno,noâmbitodesuasatribuições,deverão manteràdisposiçãodos usuários, deformapresencialepelaredemundialdecomputadores, informações, orientações einstrumentos, deformaintegradae consolidada,quepermitampesquisas prévias às etapas deregistroouinscrição,alteraçãoebaixadeempresários epessoas jurídicas, demodoaproverao usuáriocertezaquantoàdocumentaçãoexigívelequantoàviabilidadedoregistroouinscrição.

Parágrafoúnico. Aspesquisaspréviasàelaboraçãodeatoconstitutivooudesuaalteraçãodeverãobastaraqueousuáriosejainformadopelosórgãose entidadescompetentes:

I­dadescriçãooficialdoendereçodeseuinteresseedapossibilidadedeexercíciodaatividadedesejadanolocalescolhido;

II­detodososrequisitosaseremcumpridosparaobtençãodelicençasdeautorizaçãodefuncionamento,segundoaatividadepretendida,oporte,ograu

deriscoealocalização;e

III­dapossibilidadedeusodonomeempresarialdeseuinteresse.

Art. 6 o Os requisitos de segurança sanitária, metrologia, controle ambiental e prevenção contra incêndios, para os fins de registro e legalização de empresáriosepessoasjurídicas,deverãosersimplificados,racionalizadoseuniformizadospelosórgãosenvolvidosnaaberturaefechamentodeempresas,no âmbitodesuascompetências.

§1 o Os órgãos eentidades envolvidos naaberturaefechamentodeempresas quesejam responsáveis pelaemissãodelicenças eautorizações de funcionamento somente realizarão vistorias após o início de operação do estabelecimento, quando a atividade, por sua natureza, comportar grau de risco compatívelcomesseprocedimento.

§2 o Osórgãoseentidadescompetentesdefinirão,em6(seis)meses,contadosdapublicaçãodestaLeiComplementar,asatividadescujograuderisco

sejaconsideradoaltoequeexigirãovistoriaprévia.

§

CGSIM.

3 o Na falta de legislação estadual, distrital ou municipal específica relativa à definição do grau de risco da atividade aplicar­se­á resolução do

§4 o Aclassificaçãodebaixograuderiscopermiteaoempresárioouàpessoajurídicaaobtençãodolicenciamentodeatividademedianteosimples fornecimentodedados easubstituiçãodacomprovaçãopréviadocumprimentodeexigências erestrições pordeclarações dotitularouresponsável.

§5 o Odispostonesteartigonãoéimpeditivodainscriçãofiscal.

Art.7 o Excetonos casos emqueograuderiscodaatividadesejaconsideradoalto,os Municípios emitirãoAlvarádeFuncionamentoProvisório, que permitiráoiníciodeoperaçãodoestabelecimentoimediatamenteapósoatoderegistro.

Parágrafoúnico. Noscasosreferidosnocaputdesteartigo,poderáoMunicípioconcederAlvarádeFuncionamentoProvisórioparaomicroempreendedor individual,paramicroempresaseparaempresasdepequenoporte:

I­instaladasemáreasdesprovidasderegulaçãofundiárialegaloucomregulamentaçãoprecária;ou

II­emresidênciadomicroempreendedorindividualoudotitularousóciodamicroempresaouempresadepequenoporte,nahipóteseemqueaatividade

nãogeregrandecirculaçãodepessoas.

Art. 8 o Seráasseguradoaos empresários entradaúnicadedados cadastrais ededocumentos, resguardadaaindependênciadas bases dedados e observadaanecessidadedeinformaçõesporpartedosórgãoseentidadesqueasintegrem.

Art.8 o Seráasseguradoaosempresáriosepessoasjurídicas:

I­entradaúnicadedadosedocumentos;

a)sequenciamentodasseguintesetapas:consultapréviadenomeempresarialedeviabilidadedelocalização,registroempresarial,inscriçõesfiscaise

licenciamentodeatividade;

b)criaçãodabasenacionalcadastralúnicadeempresas;

§1 o OsistemadequetrataoincisoIIdocaputdevegarantiraosórgãoseentidadesintegrados:

I­compartilhamentoirrestritodosdadosdabasenacionalúnicadeempresas;

§2 o Aidentificaçãonacionalcadastralúnicasubstituiráparatodososefeitosasdemaisinscrições,sejamelasfederais,estaduaisoumunicipais,apósa implantaçãodosistemaaqueserefereoincisoIIdocaput,noprazoenaformaestabelecidospeloCGSIM. (IncluídopelaLeiComplementarnº147,de

§3 o É vedado aos órgãos e entidades integrados ao sistema informatizado de que trata o inciso II do caput o estabelecimento de exigências não

previstasemlei.

Art. 9 o O registro dos atos constitutivos, de suas alterações e extinções (baixas), referentes a empresários e pessoas jurídicas em qualquer órgão envolvido no registro empresarial e na abertura da empresa, dos 3 (três) âmbitos de governo, ocorrerá independentemente da regularidade de obrigações tributárias, previdenciárias ou trabalhistas, principais ou acessórias, do empresário, da sociedade, dos sócios, dos administradores ou de empresas de que participem,semprejuízodasresponsabilidadesdoempresário,dossóciosoudosadministradoresportaisobrigações,apuradasantesouapósoatodeextinção.

Art.9 o Oregistrodosatosconstitutivos,desuasalteraçõeseextinções(baixas),referentesaempresáriosepessoasjurídicasemqualquerórgãodos3 (três) âmbitos degovernoocorreráindependentementedaregularidadedeobrigações tributárias, previdenciárias outrabalhistas, principais ouacessórias, do empresário,dasociedade,dossócios,dosadministradoresoudeempresasdequeparticipem,semprejuízodasresponsabilidadesdoempresário,dostitulares, dossóciosoudosadministradoresportaisobrigações,apuradasantesouapósoatodeextinção. (RedaçãodadapelaLeiComplementarnº147,de2014)

§1 o O arquivamento, nos órgãos de registro, dos atos constitutivos de empresários, de sociedades empresárias e de demais equiparados que se enquadraremcomomicroempresaouempresadepequenoportebemcomooarquivamentodesuasalteraçõessãodispensadosdasseguintesexigências:

I­certidãodeinexistênciadecondenaçãocriminal,queserásubstituídapordeclaraçãodotitularouadministrador,firmadasobaspenasdalei,denão

estarimpedidodeexerceratividademercantilouaadministraçãodesociedade,emvirtudedecondenaçãocriminal;

II­provadequitação,regularidadeouinexistênciadedébitoreferenteatributooucontribuiçãodequalquernatureza.

§2 o Nãoseaplicaàsmicroempresaseàsempresasdepequenoporteodispostono§2 o doart.1 o daLein o 8.906,de4dejulhode1994.

§ 3º No caso de existência de obrigações tributárias, previdenciárias ou trabalhistas referidas no caput, o titular, o sócio ou o administrador da

microempresaedaempresadepequenoportequeseencontresemmovimentohámaisde12(doze)mesespoderásolicitarabaixanosregistrosdosórgãos

públicos federais, estaduais e municipais independentemente do pagamento de débitos tributários, taxas ou multas devidas pelo atraso na entrega das

respectivasdeclaraçõesnessesperíodos,observadoodispostonos§§4ºe5º.

§3 o (Revogado).

§4º Abaixareferidano§3ºnãoimpedeque,posteriormente,sejamlançadosoucobradosimpostos,contribuiçõeserespectivaspenalidades,decorrentes da simples falta de recolhimento ou da prática comprovada e apurada em processo administrativo ou judicial de outras irregularidades praticadas pelos empresários,pelasmicroempresas,pelasempresasdepequenoporteouporseustitulares,sóciosouadministradores.

§4 o A baixadoempresáriooudapessoajurídicanãoimpedeque, posteriormente, sejam lançados oucobrados tributos, contribuições erespectivas penalidades, decorrentes da falta do cumprimento de obrigações ou da prática comprovada e apurada em processo administrativo ou judicial de outras irregularidades praticadas pelos empresários, pelas pessoas jurídicas ou por seus titulares, sócios ou administradores. (Redação dada pela Lei

períododeocorrênciadosrespectivosfatosgeradores.

§5 o A solicitaçãodebaixadoempresáriooudapessoajurídicaimportaresponsabilidadesolidáriados empresários, dos titulares, dos sócios edos

administradoresnoperíododaocorrênciadosrespectivosfatosgeradores.

§6º Osórgãosreferidosnocaputdesteartigoterãooprazode60(sessenta)diasparaefetivarabaixanosrespectivoscadastros.

§7ºUltrapassadooprazoprevistono§6ºdesteartigosemmanifestaçãodoórgãocompetente,presumir­se­áabaixadosregistrosdasmicroempresase

adasempresasdepequenoporte.

§ 8º Excetuado o disposto nos §§ 3º a 5º deste artigo, na baixa de microempresa ou de empresa de pequeno porte aplicar­se­ão as regras de responsabilidadeprevistasparaasdemaispessoasjurídicas.

§8 o (Revogado).

§9ºParaos efeitos do§3ºdesteartigo, considera­sesem movimentoamicroempresaouaempresadepequenoportequenãoapresentemutação patrimonialeatividadeoperacionaldurantetodooano­calendário.

§9 o (Revogado).

§10. Nocasodeexistência de obrigações tributárias, previdenciárias ou trabalhistas, principais ouacessórias, o MEI poderá, a qualquermomento, solicitar a baixa nos registros independentemente do pagamento de débitos tributários, taxas ou multas devidas pelo atraso na entrega das respectivas

declaraçõesnessesperíodos,observadoodispostonos§§1ºe2º.

§10. (Revogado).

§11. Abaixareferidano§10nãoimpedeque,posteriormente,sejamlançadosoucobradosdotitularimpostos,contribuiçõeserespectivaspenalidades, decorrentesdasimplesfaltaderecolhimentooudapráticacomprovadaeapuradaemprocessoadministrativooujudicialdeoutrasirregularidadespraticadaspela empresaouporseutitular.

§11. (Revogado).

§12. Asolicitaçãodebaixanahipóteseprevistano§10importaassunçãopelotitulardasobrigaçõesalidescritas.

§12. (Revogado).

Art.10. Nãopoderãoserexigidospelosórgãoseentidadesenvolvidosnaaberturaefechamentodeempresas,dos3(três)âmbitosdegoverno:

I­excetuadososcasosdeautorizaçãoprévia,quaisquerdocumentosadicionaisaosrequeridospelosórgãosexecutoresdoRegistroPúblicodeEmpresas

MercantiseAtividadesAfinsedoRegistroCivildePessoasJurídicas;

II­documentodepropriedadeoucontratodelocaçãodoimóvelondeseráinstaladaasede,filialououtroestabelecimento,salvoparacomprovaçãodo

endereçoindicado;

III­comprovaçãoderegularidadedeprepostosdosempresáriosoupessoasjurídicascomseusórgãosdeclasse,sobqualquerforma,comorequisitopara

deferimentodeatodeinscrição,alteraçãooubaixadeempresa,bemcomoparaautenticaçãodeinstrumentodeescrituração.

Art.11. Ficavedadaainstituiçãodequalquertipodeexigênciadenaturezadocumentalouformal,restritivaoucondicionante,pelosórgãosenvolvidosna aberturaefechamentodeempresas, dos 3(três)âmbitos degoverno, queexcedaoestritolimitedos requisitos pertinentes à essência do ato de registro, alteraçãooubaixadaempresa.

CAPÍTULOIV

DOSTRIBUTOSECONTRIBUIÇÕES

SeçãoI

DaInstituiçãoeAbrangência

Art.12. FicainstituídooRegimeEspecialUnificadodeArrecadaçãodeTributoseContribuiçõesdevidospelasMicroempresaseEmpresasdePequeno Porte­SimplesNacional.

Art.13. OSimplesNacionalimplicaorecolhimentomensal,mediantedocumentoúnicodearrecadação,dosseguintesimpostosecontribuições:

I­ImpostosobreaRendadaPessoaJurídica­IRPJ;

II­ImpostosobreProdutosIndustrializados­IPI,observadoodispostonoincisoXIIdo§1 o desteartigo;

III­ContribuiçãoSocialsobreoLucroLíquido­CSLL;

IV­ContribuiçãoparaoFinanciamentodaSeguridadeSocial­COFINS,observadoodispostonoincisoXIIdo§1 o desteartigo;

V­ContribuiçãoparaoPIS/Pasep,observadoodispostonoincisoXIIdo§1 o desteartigo;

destaLeiComplementar;

VII­ImpostosobreOperaçõesRelativasàCirculaçãodeMercadoriaseSobrePrestaçõesdeServiçosdeTransporteInterestadualeIntermunicipalede

Comunicação­ICMS;

VIII­ImpostosobreServiçosdeQualquerNatureza­ISS.

§1 o Orecolhimentonaformadesteartigonãoexclui aincidênciados seguintes impostos oucontribuições, devidos naqualidadedecontribuinteou responsável,emrelaçãoaosquaisseráobservadaalegislaçãoaplicávelàsdemaispessoasjurídicas:

I­ImpostosobreOperaçõesdeCrédito,CâmbioeSeguro,ouRelativasaTítulosouValoresMobiliários­IOF;

II­ImpostosobreaImportaçãodeProdutosEstrangeiros­II;

III­ImpostosobreaExportação,paraoExterior,deProdutosNacionaisouNacionalizados­IE;

IV­ImpostosobreaPropriedadeTerritorialRural­ITR;

V­ImpostodeRenda,relativoaosrendimentosouganhoslíquidosauferidosemaplicaçõesderendafixaouvariável;

VI­ImpostodeRendarelativoaosganhosdecapitalauferidosnaalienaçãodebensdoativopermanente;

VII­ContribuiçãoProvisóriasobreMovimentaçãoouTransmissãodeValoresedeCréditoseDireitosdeNaturezaFinanceira­CPMF;

VIII­ContribuiçãoparaoFundodeGarantiadoTempodeServiço­FGTS;

IX­ContribuiçãoparamanutençãodaSeguridadeSocial,relativaaotrabalhador;

X­ContribuiçãoparaaSeguridadeSocial,relativaàpessoadoempresário,naqualidadedecontribuinteindividual;

XI­ImpostodeRendarelativoaospagamentosoucréditosefetuadospelapessoajurídicaapessoasfísicas;

XII­ContribuiçãoparaoPIS/Pasep,CofinseIPIincidentesnaimportaçãodebenseserviços;

XIII­ICMSdevido:

a)nasoperaçõesouprestaçõessujeitasaoregimedesubstituiçãotributária;

a) nas operações sujeitas ao regime de substituição tributária, tributação concentrada em uma única etapa (monofásica) e sujeitas ao regime de antecipaçãodorecolhimentodoimpostocomencerramentodetributação,envolvendocombustíveiselubrificantes;energiaelétrica;cigarroseoutros produtos

derivados dofumo; bebidas; óleos eazeites vegetais comestíveis; farinha de trigo e misturas de farinha de trigo; massas alimentícias; açúcares; produtos lácteos; carnes e suas preparações; preparações à base de cereais; chocolates; produtos de padaria e da indústria de bolachas e biscoitos; sorvetes e preparadosparafabricaçãodesorvetesemmáquinas;cafésemates,seusextratos,essênciaseconcentrados;preparaçõesparamolhosemolhospreparados; preparaçõesdeprodutosvegetais;raçõesparaanimaisdomésticos;veículosautomotivoseautomotores,suaspeças,componenteseacessórios;pneumáticos; câmarasdeareprotetoresdeborracha;medicamentoseoutrosprodutosfarmacêuticosparausohumanoouveterinário;cosméticos;produtosdeperfumariae dehigienepessoal; papéis; plásticos;canetas emalas;cimentos;caleargamassas;produtos cerâmicos; vidros; obras demetaleplásticoparaconstrução; telhasecaixasd’água;tintasevernizes;produtoseletrônicos,eletroeletrônicoseeletrodomésticos;fios;caboseoutroscondutores;transformadoreselétricose reatores;disjuntores;interruptoresetomadas;isoladores;para­raioselâmpadas;máquinaseaparelhosdear­condicionado;centrifugadoresdeusodoméstico; aparelhoseinstrumentosdepesagemdeusodoméstico;extintores;aparelhosoumáquinasdebarbear;máquinasdecortarocabelooudetosquiar;aparelhosde depilar,commotorelétricoincorporado;aquecedoreselétricosdeáguaparausodomésticoetermômetros;ferramentas;álcooletílico;sabõesempóelíquidos pararoupas;detergentes;alvejantes;esponjas;palhasdeaçoeamaciantesderoupas;vendademercadoriaspelosistemaportaaporta;nasoperaçõessujeitas aoregimedesubstituiçãotributáriapelasoperaçõesanteriores;enasprestaçõesdeserviçossujeitasaosregimesdesubstituiçãotributáriaedeantecipaçãode

recolhimentodoimpostocomencerramentodetributação;

b)porterceiro,aqueocontribuinteseacheobrigado,porforçadalegislaçãoestadualoudistritalvigente;

c)naentrada,noterritóriodoEstadooudoDistritoFederal, depetróleo, inclusivelubrificantes ecombustíveis líquidos egasosos delederivados, bem comoenergiaelétrica,quandonãodestinadosàcomercializaçãoouindustrialização;

d)porocasiãododesembaraçoaduaneiro;

e)naaquisiçãooumanutençãoemestoquedemercadoriadesacobertadadedocumentofiscal;

f)naoperaçãoouprestaçãodesacobertadadedocumentofiscal;

g)nasoperaçõescombensoumercadoriassujeitasaoregimedeantecipaçãodorecolhimentodoimposto,nasaquisiçõesemoutrosEstadoseDistrito

Federal:

1.comencerramentodatributação,observadoodispostonoincisoIVdo§4ºdoart.18destaLeiComplementar;

2.semencerramentodatributação,hipóteseemqueserácobradaadiferençaentreaalíquotainternaeainterestadual, sendovedadaaagregaçãode qualquervalor;

h)nasaquisiçõesemoutrosEstadosenoDistritoFederaldebensoumercadorias,nãosujeitasaoregimedeantecipaçãodorecolhimentodoimposto,

relativoàdiferençaentreaalíquotainternaeainterestadual;

XIV­ISSdevido:

a)emrelaçãoaosserviçossujeitosàsubstituiçãotributáriaouretençãonafonte;

b)naimportaçãodeserviços;

XV­demaistributosdecompetênciadaUnião,dosEstados,doDistritoFederaloudosMunicípios,nãorelacionadosnosincisosanteriores.

§2 o Observadaalegislaçãoaplicável,aincidênciadoimpostoderendanafonte,nahipótesedoincisoVdo§1 o desteartigo,serádefinitiva.

§3 o As microempresas e empresas de pequeno porte optantes pelo Simples Nacional ficam dispensadas do pagamento das demais contribuições instituídaspelaUnião,inclusiveascontribuiçõesparaasentidadesprivadasdeserviçosocialedeformaçãoprofissionalvinculadasaosistemasindical,deque

trataoart.240daConstituiçãoFederal,edemaisentidadesdeserviçosocialautônomo.

§4 o (VETADO).

§5º AdiferençaentreaalíquotainternaeainterestadualdequetratamasalíneasgehdoincisoXIIIdo§1ºdesteartigoserácalculadatomando­sepor baseasalíquotasaplicáveisàspessoasjurídicasnãooptantespeloSimplesNacional.

§6º OComitêGestordoSimplesNacional:

I­disciplinaráaformaeascondiçõesemqueseráatribuídaàmicroempresaouempresadepequenoporteoptantepeloSimplesNacionalaqualidadede

substitutatributária;e

II­poderádisciplinaraformaeascondiçõesemqueseráestabelecidooregimedeantecipaçãodoICMSprevistonaalíneagdoincisoXIIIdo§1ºdeste

artigo.

§7 o OdispostonaalíneaadoincisoXIIIdo§1 o serádisciplinadoporconvêniocelebradopelosEstadosepeloDistritoFederal,ouvidosoCGSNeos

representantesdossegmentoseconômicosenvolvidos.

§ 8 o Em relação às bebidas não alcóolicas, massas alimentícias, produtos lácteos, carnes e suas preparações, preparações à base de cereais, chocolates,produtosdepadariaedaindústriadebolachasebiscoitos,preparaçõesparamolhosemolhospreparados,preparaçõesdeprodutosvegetais,telhas eoutrosprodutoscerâmicosparaconstruçãoedetergentes,aplica­seodispostonaalíneaadoincisoXIIIdo§1 o aosfabricadosemescalaindustrialrelevante emcadasegmento,observadoodispostono§7 o . (IncluídopelaLeiComplementarnº147,de2014) (Produçãodeefeito)

Art.14. Consideram­seisentosdoimpostoderenda,nafonteenadeclaraçãodeajustedobeneficiário,osvaloresefetivamentepagosoudistribuídosao titularousóciodamicroempresaouempresadepequenoporteoptantepeloSimplesNacional,salvoosquecorresponderemapró­labore,aluguéisouserviços prestados.

§2 o Odispostono§1 o desteartigonãoseaplicanahipótesedeapessoajurídicamanterescrituraçãocontábileevidenciarlucrosuperioràquelelimite.

Art.15. (VETADO).

Art.16. AopçãopeloSimplesNacionaldapessoajurídicaenquadradanacondiçãodemicroempresaeempresadepequenoportedar­se­ánaformaaser estabelecidaematodoComitêGestor,sendoirretratávelparatodooano­calendário.

§1 o ParaefeitodeenquadramentonoSimplesNacional,considerar­se­ámicroempresaouempresadepequenoporteaquelacujareceitabrutanoano­ calendárioanterioraodaopçãoestejacompreendidadentrodoslimitesprevistosnoart.3 o destaLeiComplementar.

§1º­A. AopçãopeloSimplesNacionalimplicaaceitaçãodesistemadecomunicaçãoeletrônica,destinado,dentreoutrasfinalidades,a:

I­cientificarosujeitopassivodequaisquertiposdeatosadministrativos,incluídososrelativosaoindeferimentodeopção,àexclusãodoregimeeaações

fiscais;

II­encaminharnotificaçõeseintimações;e

III­expediravisosemgeral.

§1º­B. Osistemadecomunicaçãoeletrônicadequetratao§1 o ­AseráregulamentadopeloCGSN,observando­seoseguinte:

I­ascomunicaçõesserãofeitas,pormeioeletrônico,emportalpróprio,dispensando­seasuapublicaçãonoDiárioOficialeoenvioporviapostal;

II­acomunicaçãofeitanaformaprevistanocaputseráconsideradapessoalparatodososefeitoslegais;

III­aciênciapormeiodosistemadequetratao§1 o ­Acomutilizaçãodecertificaçãodigitaloudecódigodeacessopossuiráosrequisitosdevalidade;

IV­considerar­se­árealizadaacomunicaçãonodiaemqueosujeitopassivoefetivaraconsultaeletrônicaaoteordacomunicação;e

V­nahipótesedoincisoIV,nos casos emqueaconsultasedêemdianãoútil,acomunicaçãoseráconsideradacomorealizadanoprimeirodiaútil seguinte.

§1º­C. A consultareferidanos incisos IV eV do§1º­B deveráserfeitaem até45(quarentaecinco)dias contados dadatadadisponibilizaçãoda

comunicaçãonoportalaqueserefereoincisoIdo§1º­B,ouemprazosuperiorestipuladopeloCGSN,sobpenadeserconsideradaautomaticamenterealizada

nadatadotérminodesseprazo.

§1º­D. Enquantonãoeditadaaregulamentaçãodequetratao§1 o ­B,osentes federativos poderãoutilizarsistemas decomunicaçãoeletrônica, com

regraspróprias,paraasfinalidadesprevistasno§1º­A,podendoareferidaregulamentaçãopreveraadoçãodessessistemascomomeioscomplementaresde

comunicação.

§2 o Aopçãodequetrataocaputdesteartigodeveráserrealizadanomêsdejaneiro,atéoseuúltimodiaútil,produzindoefeitosapartirdoprimeirodia doano­calendáriodaopção,ressalvadoodispostono§3 o desteartigo.

§3 o Aopçãoproduziráefeitosapartirdadatadoiníciodeatividade,desdequeexercidanostermos,prazoecondiçõesaseremestabelecidosnoatodo ComitêGestoraqueserefereocaputdesteartigo.

§4 o SerãoconsideradasinscritasnoSimplesNacional,em1 o dejulhode2007,asmicroempresaseempresasdepequenoporteregularmenteoptantes peloregimetributáriodequetrataaLein o 9.317,de5dedezembrode1996,salvoasqueestiveremimpedidasdeoptarporalgumavedaçãoimpostaporestaLei Complementar.

§5 o OComitêGestorregulamentaráaopçãoautomáticaprevistano§4 o desteartigo.

§6 o OindeferimentodaopçãopeloSimples Nacional seráformalizadomedianteatodaAdministraçãoTributáriasegundoregulamentaçãodoComitê Gestor.

SeçãoII

DasVedaçõesaoIngressonoSimplesNacional

Art.17. NãopoderãorecolherosimpostosecontribuiçõesnaformadoSimplesNacionalamicroempresaouaempresadepequenoporte:

I­queexploreatividadedeprestaçãocumulativaecontínuadeserviçosdeassessoriacreditícia,gestãodecrédito,seleçãoeriscos,administraçãode contas a pagare a receber, gerenciamentodeativos (assetmanagement), compras dedireitos creditórios resultantes de vendas mercantis a prazo ou de prestaçãodeserviços(factoring

II­quetenhasóciodomiciliadonoexterior;

III­decujocapitalparticipeentidadedaadministraçãopública,diretaouindireta,federal,estadualoumunicipal;

IV­(REVOGADO)

V­quepossuadébitocomoInstitutoNacionaldoSeguroSocial­INSS,oucomasFazendasPúblicasFederal,EstadualouMunicipal,cujaexigibilidade

nãoestejasuspensa;

VI­quepresteserviçodetransporteintermunicipaleinterestadualdepassageiros;

VI­quepresteserviçodetransporteintermunicipaleinterestadualdepassageiros,excetoquandonamodalidadefluvialouquandopossuircaracterísticas detransporteurbanooumetropolitanoourealizar­sesobfretamentocontínuoem áreametropolitanaparaotransportedeestudantes outrabalhadores; (RedaçãodadapelaLeiComplementarnº147,de2014) (Produçãodeefeito)

VII­quesejageradora,transmissora,distribuidoraoucomercializadoradeenergiaelétrica;

VIII­queexerçaatividadedeimportaçãooufabricaçãodeautomóveisemotocicletas;

IX­queexerçaatividadedeimportaçãodecombustíveis;

X­queexerçaatividadedeproduçãoouvendanoatacadode:

a)cigarros,cigarrilhas,charutos,filtrosparacigarros,armasdefogo,muniçõesepólvoras,explosivosedetonantes;

b)bebidasaseguirdescritas:

1­alcoólicas;

2­refrigerantes,inclusiveáguassaborizadasgaseificadas;

2.(Revogado

3­preparaçõescompostas,nãoalcoólicas(extratosconcentradosousaboresconcentrados),paraelaboraçãodebebidarefrigerante,comcapacidadede

diluiçãodeaté10(dez)partesdabebidaparacadapartedoconcentrado;

3.(Revogado

4­cervejassemálcool;

XI­quetenhaporfinalidadeaprestaçãodeserviçosdecorrentesdoexercíciodeatividadeintelectual,denaturezatécnica,científica,desportiva,artística oucultural, queconstituaprofissãoregulamentadaounão, bemcomoaquepresteserviços deinstrutor, decorretor, dedespachanteoudequalquertipode intermediaçãodenegócios;

XI­(Revogado

XII­querealizecessãooulocaçãodemão­de­obra;

XIII­querealizeatividadedeconsultoria;

XIII­(Revogado

XIV­quesedediqueaoloteamentoeàincorporaçãodeimóveis.

XV­querealizeatividadedelocaçãodeimóveispróprios,excetoquandosereferiraprestaçãodeserviçostributadospeloISS.

XVI­comausênciadeinscriçãooucomirregularidadeemcadastrofiscalfederal,municipalouestadual,quandoexigível.

§ 1º As vedações relativas a exercício de atividades previstas no caput deste artigo não se aplicam às pessoas jurídicas que se dediquem exclusivamenteàsatividadesreferidasnos§§5 o ­Ba5 o ­Edoart.18destaLeiComplementar,ouasexerçamemconjuntocomoutrasatividadesquenãotenham sidoobjetodevedaçãonocaputdesteartigo.

I­(REVOGADO)

II­(REVOGADO)

III­(REVOGADO)

IV­(REVOGADO)

V­(REVOGADO)

VI­(REVOGADO)

VII­(REVOGADO)

VIII­(REVOGADO)

IX­(REVOGADO)

X­(REVOGADO)

XI­(REVOGADO)

XII­(REVOGADO)

XIII­(REVOGADO)

XIV­(REVOGADO)

XV­(REVOGADO)

XVI­(REVOGADO)

XVII­(REVOGADO)

XVIII­(REVOGADO)

XIX­(REVOGADO)

XX­(REVOGADO)

XXI­(REVOGADO)

XXII­(VETADO);

XXIII­(REVOGADO)

XXIV­(REVOGADO)

XXV­(REVOGADO)

XXVI­(REVOGADO)

XXVII­(REVOGADO)

XXVIII­(VETADO).

§2 o TambémpoderáoptarpeloSimplesNacionalamicroempresaouempresadepequenoportequesedediqueàprestaçãodeoutrosserviçosquenão

tenhamsidoobjetodevedaçãoexpressanesteartigo,desdequenãoincorraemnenhumadashipótesesdevedaçãoprevistasnestaLeiComplementar.

§3 o (VETADO).

§4º NahipótesedoincisoXVIdocaput,deveráserobservado,paraoMEI,odispostonoart.4 o destaLeiComplementar.

SeçãoIII

DasAlíquotaseBasedeCálculo

Art. 18. O valor devido mensalmente pela microempresa e empresa de pequeno porte comercial, optante pelo Simples Nacional, será determinado medianteaplicaçãodatabeladoAnexoIdestaLeiComplementar.

Art. 18. O valor devido mensalmente pela microempresa ou empresa de pequeno porte, optante pelo Simples Nacional, será determinado mediante aplicaçãodasalíquotasconstantesdastabelasdosAnexosIaVIdestaLeiComplementarsobreabasedecálculodequetratao§3 o desteartigo,observadoo dispostono§15doart.3 o . (RedaçãodadapelaLeiComplementarnº147,de2014) (Produçãodeefeito)

 

§1

o Paraefeitodedeterminaçãodaalíquota, osujeitopassivoutilizaráareceitabrutaacumuladanos 12(doze)meses anteriores aodoperíodode

apuração.

 

§2

o Emcasodeiníciodeatividade,osvaloresdereceitabrutaacumuladaconstantesdastabelasdosAnexosIaVdestaLeiComplementardevemser

proporcionalizadosaonúmerodemesesdeatividadenoperíodo.

§2 o Emcasodeiníciodeatividade,osvaloresdereceitabrutaacumuladaconstantesdastabelasdosAnexosIaVIdestaLeiComplementardevemser

proporcionalizadosaonúmerodemesesdeatividadenoperíodo.

§3 o Sobreareceitabrutaauferidanomêsincidiráaalíquotadeterminadanaformadocaputedos§§1 o e2 o desteartigo,podendotalincidênciasedar,

àopçãodocontribuinte,naformaregulamentadapeloComitêGestor,sobreareceitarecebidanomês,sendoessaopçãoirretratávelparatodooano­calendário.

§4

I­asreceitasdecorrentesdarevendademercadorias;

II­asreceitasdecorrentesdavendademercadoriasindustrializadaspelocontribuinte;

III­asreceitasdecorrentesdaprestaçãodeserviços,bemcomoadelocaçãodebensmóveis;

IV­asreceitasdecorrentesdavendademercadoriassujeitasasubstituiçãotributáriaetributaçãoconcentradaemumaúnicaetapa(monofásica),bem

o Ocontribuintedeveráconsiderar,destacadamente,parafimdepagamento:

como,emrelaçãoaoICMS,antecipaçãotributáriacomencerramentodetributação;

­ as receitas decorrentes da exportação de mercadorias para o exterior, inclusive as vendas realizadas por meio de comercial exportadora ouda

V

sociedadedepropósitoespecíficoprevistanoart.56destaLeiComplementar.

III­prestaçãodeserviçosdequetratao§5 o ­Bdesteartigoedosserviçosvinculadosàlocaçãodebensimóveisecorretagemdeimóveisdesdeque

V ­locaçãodebens móveis, queserãotributadas naformadoAnexoIII destaLei Complementar, deduzidaaparcelacorrespondenteaoISS;

VI ­ atividade com incidência simultânea de IPI e de ISS, que serão tributadas na forma do Anexo II desta Lei Complementar, deduzida a parcela

a) sob encomenda para entrega posterior ao adquirente, em caráter pessoal, mediante prescrições de profissionais habilitados ou indicação pelo farmacêutico, produzidos nopróprioestabelecimentoapós oatendimentoinicial, queserãotributadas naformadoAnexoIII destaLei Complementar;

b)nosdemaiscasos,quandoserãotributadasnaformadoAnexoIdestaLeiComplementar.

§4

o ­A. Ocontribuintedeverásegregar,também,asreceitas:

I­decorrentesdeoperaçõesouprestaçõessujeitasàtributaçãoconcentradaemumaúnicaetapa(monofásica),bemcomo,emrelaçãoaoICMS,queo

II­sobreasquaishouveretençãodeISSnaformado§6 o desteartigoe§4 o doart.21destaLeiComplementar,ou,nahipótesedo§22­Adesteartigo,

sejadevidoemvalorfixoaorespectivomunicípio;

III ­ sujeitas à tributação em valor fixo ou que tenham sido objeto de isenção ou redução de ISS ou de ICMS na forma prevista nesta Lei

Complementar;

IV­decorrentesdaexportaçãoparaoexterior,inclusiveasvendasrealizadaspormeiodecomercialexportadoraoudasociedadedepropósitoespecífico

previstanoart.56destaLeiComplementar;

§5º AsatividadesindustriaisserãotributadasnaformadoAnexoIIdestaLeiComplementar

I­(REVOGADO)

II­(REVOGADO)

III­(REVOGADO)

IV­(REVOGADO)

V­(REVOGADO)

VI­(REVOGADO)

VII­(REVOGADO).

§5º­A AsatividadesdelocaçãodebensmóveisserãotributadasnaformadoAnexoIIIdestaLeiComplementar,deduzindo­sedaalíquotaopercentual correspondenteaoISSprevistonesseAnexo.

§5 o ­A. (Revogado).

§5º­B Semprejuízododispostono§1ºdoart.17destaLeiComplementar,serãotributadasnaformadoAnexoIIIdestaLeiComplementarasseguintes atividadesdeprestaçãodeserviços:

I­creche, pré­escolaeestabelecimentodeensinofundamental, escolas técnicas, profissionais edeensinomédio, delínguas estrangeiras, deartes,

cursostécnicosdepilotagem,preparatóriosparaconcursos,gerenciaiseescolaslivres,excetoasprevistasnosincisosIIeIIIdo§5º­Ddesteartigo;

II­agênciaterceirizadadecorreios;

III­agênciadeviagemeturismo;

IV­centrodeformaçãodecondutoresdeveículosautomotoresdetransporteterrestredepassageirosedecarga;

V­agêncialotérica;

VI­(REVOGADO)

VII­(REVOGADO)

VIII­(REVOGADO)

IX­serviçosdeinstalação,dereparosedemanutençãoemgeral,bemcomodeusinagem,solda,tratamentoerevestimentoemmetais;

X­(REVOGADO)

XI­(REVOGADO)

XII­(REVOGADO)

XIII­transportemunicipaldepassageiros;

XIV­escritóriosdeserviçoscontábeis,observadoodispostonos§§22­Be22­Cdesteartigo.

XV­produçõescinematográficas,audiovisuais,artísticaseculturais,suaexibiçãoouapresentação,inclusivenocasodemúsica,literatura,artescênicas,

artesvisuais,cinematográficaseaudiovisuais.

XVI­fisioterapia;

XVII­corretagemdeseguros.

§5º­C Semprejuízododispostono§1ºdoart.17destaLeiComplementar,asatividadesdeprestaçãodeserviçosseguintesserãotributadasnaforma

doAnexoIVdestaLeiComplementar,hipóteseemquenãoestaráincluídanoSimplesNacionalacontribuiçãoprevistanoincisoVIdocaputdoart.13destaLei

Complementar,devendoelaserrecolhidasegundoalegislaçãoprevistaparaosdemaiscontribuintesouresponsáveis:

I­construçãodeimóveiseobrasdeengenhariaemgeral,inclusivesobaformadesubempreitada,execuçãodeprojetoseserviçosdepaisagismo,bem

comodecoraçãodeinteriores;

II­(REVOGADO)

III­(REVOGADO)

IV­(REVOGADO)

V­(REVOGADO)

VI­serviçodevigilância,limpezaouconservação.

VII­serviçosadvocatícios.

§5º­D Semprejuízododispostono§1 o doart.17destaLeiComplementar,asatividadesdeprestaçãodeserviçosseguintesserãotributadasnaforma doAnexoVdestaLeiComplementar:

I­cumulativamenteadministraçãoelocaçãodeimóveisdeterceiros;

I­administraçãoelocaçãodeimóveisdeterceiros;

II­academiasdedança,decapoeira,deiogaedeartesmarciais;

III­academiasdeatividadesfísicas,desportivas,denataçãoeescolasdeesportes;

IV­elaboraçãodeprogramasdecomputadores,inclusivejogoseletrônicos,desdequedesenvolvidosemestabelecimentodooptante;

V­licenciamentooucessãodedireitodeusodeprogramasdecomputação;

VI­planejamento,confecção,manutençãoeatualizaçãodepáginaseletrônicas,desdequerealizadosemestabelecimentodooptante;

VII­(REVOGADO)

VIII­(REVOGADO)

IX­empresasmontadorasdeestandesparafeiras;

X­(REVOGADO)

XI­(REVOGADO)

XII­laboratóriosdeanálisesclínicasoudepatologiaclínica;

XIII­serviçosdetomografia,diagnósticosmédicosporimagem,registrosgráficosemétodosóticos,bemcomoressonânciamagnética;

XIV­serviçosdepróteseemgeral.

§5º­E Semprejuízododispostono§1ºdoart.17destaLeiComplementar,asatividadesdeprestaçãodeserviçosdecomunicaçãoedetransportes interestadualeintermunicipaldecargasserãotributadasnaformadoAnexoIII,deduzidaaparcelacorrespondenteaoISSeacrescidaaparcelacorrespondente aoICMSprevistanoAnexoI.

o ­E. Semprejuízododispostono§1 o doart.17destaLeiComplementar,asatividadesdeprestaçãodeserviçosdecomunicaçãoedetransportes

interestadualeintermunicipaldecargas,edetransportesautorizadosnoincisoVIdocaputdoart.17,inclusivenamodalidadefluvial,serãotributadasnaforma

§5

§5º­FAs atividades deprestaçãodeserviços referidas no§2º do art. 17destaLeiComplementarserãotributadas naformadoAnexoIII destaLei Complementar,salvose,paraalgumadessasatividades,houverprevisãoexpressadetributaçãonaformadosAnexosIVouVdestaLeiComplementar.

§5

o ­F. As atividades deprestaçãodeserviços referidas no§2 o doart. 17destaLeiComplementarserãotributadas naformadoAnexoIII destaLei

Complementar,salvose,paraalgumadessasatividades,houverprevisãoexpressadetributaçãonaformadosAnexosIV,VouVIdestaLeiComplementar. (RedaçãodadapelaLeiComplementarnº147,de2014) (Produçãodeefeito)

§5 o ­G.As atividades com incidênciasimultâneadeIPI edeISS serãotributadas naformadoAnexoII destaLei Complementar, deduzidaaparcela

correspondenteaoICMSeacrescidaaparcelacorrespondenteaoISSprevistanoAnexoIIIdestaLeiComplementar.

§5

o ­G. (Revogado).

§5

o ­H. AvedaçãodequetrataoincisoXIIdocaputdoart.17destaLeiComplementarnãoseaplicaàsatividadesreferidasno§5 o ­Cdesteartigo.

§5

o ­I. Semprejuízododispostono§1 o doart.17destaLeiComplementar,asseguintesatividadesdeprestaçãodeserviçosserãotributadasnaforma

doAnexoVIdestaLeiComplementar:

I­medicina,inclusivelaboratorialeenfermagem;

II­medicinaveterinária;

III­odontologia;

VI ­arquitetura, engenharia, medição, cartografia, topografia, geologia, geodésia, testes, suporteeanálises técnicas etecnológicas, pesquisa, design,

desenhoeagronomia;

VIII­perícia,leilãoeavaliação;

X­jornalismoepublicidade;

XI­agenciamento,excetodemãodeobra;

XII ­ outras atividades do setor de serviços que tenham por finalidade a prestação de serviços decorrentes do exercício de atividade intelectual, de naturezatécnica,científica,desportiva,artísticaoucultural,queconstituaprofissãoregulamentadaounão,desdequenãosujeitasàtributaçãonaformados

AnexosIII,IVouVdestaLeiComplementar.

§6 o Nocasodos serviços previstos no§2 o doart.6 o daLeiComplementarn o 116,de31dejulhode2003,prestados pelas microempresas epelas empresas de pequeno porte, o tomador do serviço deverá reter o montante correspondente na forma da legislação do município onde estiver localizado, observadoodispostono§4 o doart.21destaLeiComplementar.

§7 o Asociedadedepropósitoespecíficodequetrataoart.56destaLeiComplementarquehouveradquiridomercadoriasdemicroempresaouempresade pequenoportequesejasuasócia,bemcomoaempresacomercialexportadoraquehouveradquiridomercadoriasdeempresaoptantepeloSimplesNacional,

comofimespecíficodeexportaçãoparaoexterior,que,noprazode180(centoeoitenta)dias,contadodadatadaemissãodanotafiscalpelavendedora,não

comprovaroseuembarqueparaoexteriorficarásujeitaaopagamentodetodososimpostosecontribuiçõesquedeixaramdeserpagospelaempresavendedora,

acrescidosdejurosdemoraemulta,demoraoudeofício,calculadosnaformadalegislaçãoqueregeacobrançadotributonãopago,aplicávelàsociedadede

propósitoespecíficoouàprópriacomercialexportadora.

§7 o Asociedadedepropósitoespecíficodequetrataoart.56destaLeiComplementarquehouveradquiridomercadoriasdemicroempresaouempresa de pequeno porte que seja sua sócia, bem como a empresa comercial exportadora que houveradquirido mercadorias ou serviços de empresa optante pelo

SimplesNacional,comofimespecíficodeexportaçãoparaoexterior,que,noprazode180(centoeoitenta)dias,contadodadatadaemissãodanotafiscalpela

vendedora,nãocomprovaroseuembarqueparaoexteriorficarásujeitaaopagamentodetodososimpostosecontribuiçõesquedeixaramdeserpagospela empresavendedora, acrescidos dejuros demoraemulta, demoraoudeofício, calculados naformadalegislaçãorelativaàcobrançadotributonãopago, aplicávelàsociedadedepropósitoespecíficoouàprópriacomercialexportadora. (RedaçãodadapelaLeiComplementarnº147,de2014) (Produçãode efeito)

§8 o Paraefeitododispostono§7 o desteartigo,considera­sevencidooprazoparaopagamentonadataemqueaempresavendedoradeveriafazê­lo, casoavendahouvessesidoefetuadaparaomercadointerno.

§9 o Relativamenteàcontribuiçãopatronalprevidenciária, devidapelavendedora, asociedadedepropósitoespecíficodequetrataoart. 56destaLei Complementarouacomercialexportadoradeverãorecolher,noprazoprevistono§8 o desteartigo,ovalorcorrespondentea11%(onzeporcento)dovalordas mercadoriasnãoexportadasnostermosdo§7 o desteartigo.

§10. Nahipótesedo§7 o desteartigo, asociedadedepropósitoespecíficodequetrataoart. 56 desta Lei Complementar ou a empresa comercial exportadoranãopoderãodeduzirdomontantedevidoqualquervaloratítulodecréditodeImpostosobreProdutosIndustrializados­IPIdaContribuiçãoparao PIS/PASEPoudaCOFINS,decorrentedaaquisiçãodasmercadoriaseserviçosobjetodaincidência.

§11.Nahipótesedo§7 o desteartigo,asociedadedepropósitoespecíficoouaempresacomercialexportadoradeverãopagar,também,osimpostose contribuiçõesdevidosnasvendasparaomercadointerno,caso,porqualquerforma,tenhamalienadoouutilizadoasmercadorias.

§12.Naapuraçãodomontantedevidonomêsrelativoacadatributo,ocontribuintequeapurereceitasmencionadasnosincisosIVeVdo§4odeste

artigoterádireitoareduçãodovaloraserrecolhidonaformadoSimplesNacionalcalculadanostermosdos§§13e14desteartigo.

§12. Naapuraçãodomontantedevidonomêsrelativoacadatributo,paraocontribuintequeapurereceitasmencionadasnosincisosIaIIIeVdo§4 o ­A

desteartigo,serãoconsideradasasreduçõesrelativasaostributosjárecolhidos,ousobreosquaistenhahavidotributaçãomonofásica,isenção,reduçãoou,no

casodoISS,queovalortenhasidoobjetoderetençãoousejadevidodiretamenteaoMunicípio.

§13.Paraefeitodedeterminaçãodareduçãodequetratao§12desteartigo,asreceitasserãodiscriminadasemcomerciais,industriaisoudeprestação

deserviçosnaformadosAnexosI,II,III,IVeVdestaLeiComplementar.

§13. Paraefeitodedeterminaçãodareduçãodequetratao§12desteartigo,asreceitasserãodiscriminadasemcomerciais,industriaisoudeprestação

§14.AreduçãonomontanteaserrecolhidodoSimplesNacionalnomêsrelativoaosvaloresdasreceitasdequetratamosincisosIVeVdo§4 o deste artigocorresponderá:

§14. AreduçãonomontanteaserrecolhidonoSimplesNacionalrelativoaosvaloresdasreceitasdecorrentesdaexportaçãodequetrataoincisoIVdo§

4 o ­AdesteartigocorresponderátãosomenteaospercentuaisrelativosàCofins,àContribuiçãoparaoPIS/Pasep,aoIPI,aoICMSeaoISS,constantesdos

AnexosIaVIdestaLeiComplementar.

I­nocasoderevendademercadorias:

a)aopercentual queincidiriasobreomontantetotal dereceita, casonãohouvessenenhumaredução, previstonoAnexo I desta Lei Complementar, relativoàCOFINS,aplicadosobrearespectivaparceladereceitareferidanosincisosIVouVdo§4 o desteartigo,conformeocaso; b)aopercentual queincidiriasobreomontantetotal dereceita, casonãohouvessenenhumaredução, previstonoAnexo I desta Lei Complementar, relativoàContribuiçãoparaoPIS/PASEP,aplicadosobrearespectivaparceladereceitareferidanosincisosIVouVdo§4 o desteartigo,conformeocaso; c)aopercentual queincidiriasobreomontantetotal dereceita, casonãohouvessenenhumaredução, previstonoAnexo I desta Lei Complementar, relativoaoICMS,aplicadosobrearespectivaparceladereceitareferidanosincisosIVouVdo§4 o desteartigo,conformeocaso;

I­(Revogado

II­nocasodevendademercadoriasindustrializadaspelocontribuinte:

a)aopercentualqueincidiriasobreomontantetotal dereceita, casonãohouvessenenhumaredução, previstonoAnexoII destaLei Complementar, relativoàCOFINS,aplicadosobrearespectivaparceladereceitareferidanosincisosIVouVdo§4 o desteartigo,conformeocaso; b)aopercentualqueincidiriasobreomontantetotal dereceita, casonãohouvessenenhumaredução, previstonoAnexoII destaLei Complementar,

relativoàContribuiçãoparaoPIS/PASEP,aplicadosobrearespectivaparceladereceitareferidanosincisosIVouVdo§4 o desteartigo,conformeocaso; c)aopercentualqueincidiriasobreomontantetotal dereceita, casonãohouvessenenhumaredução, previstonoAnexoII destaLei Complementar, relativoaoICMS,aplicadosobrearespectivaparceladereceitareferidanosincisosIVouVdo§4 o desteartigo,conformeocaso; d)aopercentualqueincidiriasobreomontantetotal dereceita, casonãohouvessenenhumaredução, previstonoAnexoII destaLei Complementar, relativoaoIPI,aplicadosobrearespectivaparceladereceitareferidanosincisosIVouVdo§4 o desteartigo,conformeocaso.

II­(Revogado).

§15.SerádisponibilizadosistemaeletrônicopararealizaçãodocálculosimplificadodovalormensaldevidoreferenteaoSimplesNacional.

§15­A. Asinformaçõesprestadasnosistemaeletrônicodecálculodequetratao§15:

I­têmcaráterdeclaratório,constituindoconfissãodedívidaeinstrumentohábilesuficienteparaaexigênciadostributosecontribuiçõesquenãotenham

sidorecolhidosresultantesdasinformaçõesneleprestadas;e

II­deverãoserfornecidasàSecretariadaReceitaFederaldoBrasilatéovencimentodoprazoparapagamentodostributosdevidosnoSimplesNacional

emcadamês,relativamenteaosfatosgeradoresocorridosnomêsanterior.

§16. Nahipótesedo§12doart.3 o ,aparceladereceitabrutaqueexcederomontantedeterminadono§10daqueleartigoestarásujeitaàsalíquotas

máximasprevistasnosAnexosIaVdestaLeiComplementar,proporcionalmenteconformeocaso,acrescidasde20%(vinteporcento).

§16. Nahipótesedo§12doart.3 o ,aparceladereceitabrutaqueexcederomontantedeterminadono§10daqueleartigoestarásujeitaàsalíquotas máximasprevistasnosAnexosIaVIdestaLeiComplementar,proporcionalmenteconformeocaso,acrescidasde20%(vinteporcento). (Redaçãodada

§16­A. Odispostono§16aplica­se,ainda,àshipótesesdequetratao§9 o doart.3 o ,apartirdomêsemqueocorreroexcessodolimitedareceitabruta anualeatéomêsanterioraosefeitosdaexclusão.

§17. Nahipótesedo§13doart.3 o ,aparceladereceitabrutaqueexcederosmontantesdeterminadosno§11daqueleartigoestarásujeita,emrelação aospercentuais aplicáveis aoICMS eaoISS, às alíquotas máximas correspondentes aessas faixas previstas nos Anexos I aV destaLei Complementar,

proporcionalmenteconformeocaso,acrescidasde20%(vinteporcento).

§17. Nahipótesedo§13doart.3 o ,aparceladereceitabrutaqueexcederosmontantesdeterminadosno§11daqueleartigoestarásujeita,emrelação aos percentuais aplicáveis aoICMS eaoISS, às alíquotas máximas correspondentes aessas faixas previstas nos Anexos I aVI destaLeiComplementar, proporcionalmenteconformeocaso,acrescidasde20%(vinteporcento). (RedaçãodadapelaLeiComplementarnº147,de2014) (Produçãodeefeito)

§17­A. Odispostono§17aplica­se,ainda,àhipótesedequetratao§1 o doart.20,apartirdomêsemqueocorreroexcessodolimitedareceitabruta anualeatéomêsanterioraosefeitosdoimpedimento.

§18. OsEstados,oDistritoFederaleosMunicípios,noâmbitodesuasrespectivascompetências,poderãoestabelecer,naformadefinidapeloComitê Gestor, independentemente da receita bruta recebida no mês pelo contribuinte, valores fixos mensais para o recolhimento do ICMS e do ISS devido por

microempresaqueaufirareceitabruta,noano­calendárioanterior,deatéR$120.000,00(centoevintemilreais),ficandoamicroempresasujeitaaessesvalores

durantetodooano­calendário.

§18. Os Estados, oDistritoFederal eos Municípios, noâmbitodas respectivas competências, poderãoestabelecer, naformadefinidapeloComitê Gestor, independentemente da receita bruta recebida no mês pelo contribuinte, valores fixos mensais para o recolhimento do ICMS e do ISS devido por microempresaqueaufirareceitabruta,noano­calendárioanterior,deatéolimitemáximoprevistonasegundafaixadereceitas brutas anuais constantesdos AnexosIaVI,ficandoamicroempresasujeitaaessesvaloresdurantetodooano­calendário,ressalvadoodispostono§18­A. (RedaçãodadapelaLei Complementarnº147,de2014) (Produçãodeefeito)

§18­A. A microempresaque, noano­calendário, excederolimitedereceitabrutaprevistono§18ficaimpedidaderecolheroICMS ouoISS pela sistemática de valorfixo, a partirdo mês subsequente à ocorrência do excesso, sujeitando­se à apuração desses tributos na forma das demais empresas optantespeloSimplesNacional. (IncluídopelaLeiComplementarnº147,de2014) (Produçãodeefeito)

§19. Osvaloresestabelecidosno§18desteartigonãopoderãoexcedera50%(cinqüentaporcento)domaiorrecolhimentopossíveldotributoparaa faixadeenquadramentoprevistanatabeladocaputdesteartigo,respeitadososacréscimosdecorrentesdotipodeatividadedaempresaestabelecidosno§5 o desteartigo.

§20. NahipóteseemqueoEstado,oMunicípioouoDistritoFederalconcedamisençãooureduçãodoICMSoudoISSdevidopormicroempresaou

empresadepequenoporte,ouaindadeterminerecolhimentodevalorfixoparaessestributos,naformado§18desteartigo,serárealizadareduçãoproporcional

ouajustedovaloraserrecolhido,naformadefinidaemresoluçãodoComitêGestor.

§20­A. Aconcessãodosbenefíciosdequetratao§20desteartigopoderáserrealizada:

I­mediantedeliberaçãoexclusivaeunilateraldoEstado,doDistritoFederaloudoMunicípioconcedente;

II­demododiferenciadoparacadaramodeatividade.

§20­B. AUnião,osEstadoseoDistritoFederalpoderão,emleiespecíficadestinadaàMEouEPPoptantepeloSimplesNacional,estabelecerisenção

§21. Ovaloraserrecolhidonaformadodispostono§20desteartigo,exclusivamentenahipótesedeisenção,nãointegraráomontanteaserpartilhado comorespectivoMunicípio,EstadoouDistritoFederal.

§22. (REVOGADO)

§22­A. AatividadeconstantedoincisoXIVdo§5º­BdesteartigorecolheráoISSemvalorfixo,naformadalegislaçãomunicipal.

§22­B. Osescritóriosdeserviçoscontábeis,individualmenteoupormeiodesuasentidadesrepresentativasdeclasse,deverão:

I–promoveratendimentogratuitorelativoàinscrição,àopçãodeque trataoart.18­AdestaLeiComplementareàprimeiradeclaraçãoanualsimplificada da microempresa individual,podendo,paratanto,pormeiodesuasentidadesrepresentativasdeclasse,firmarconvênioseacordoscomaUnião,osEstados,o DistritoFederaleosMunicípios,porintermédiodosseusórgãosvinculados;

II–fornecer,naformaestabelecidapeloComitêGestor,resultadosdepesquisasquantitativasequalitativasrelativasàsmicroempresaseempresasde

pequenoporteoptantespeloSimplesNacionalporelesatendidas;

III–promovereventosdeorientaçãofiscal,contábiletributáriaparaasmicroempresaseempresasdepequenoporteoptantespeloSimplesNacionalpor

elesatendidas.

§22­C. Nahipótesededescumprimentodasobrigaçõesdequetratao§22­Bdesteartigo,oescritórioseráexcluídodoSimplesNacional,comefeitosa partirdomêssubseqüenteaododescumprimento,naformaregulamentadapeloComitêGestor.

§24.ParaefeitodeaplicaçãodoAnexoVdestaLeiComplementar,considera­sefolhadesalários,incluídosencargos,omontantepago,nos12(doze)

mesesanterioresaodoperíododeapuração,atítuloderemuneraçõesapessoasfísicasdecorrentesdotrabalho,incluídasretiradasdepró­labore,acrescidosdo

montanteefetivamenterecolhidoatítulodecontribuiçãopatronalprevidenciáriaeparaoFGTS.

§24. ParaefeitodeaplicaçãodosAnexosVeVIdestaLeiComplementar,considera­sefolhadesalários,incluídosencargos,omontantepago,nos12 (doze) meses anteriores ao do período de apuração, a título de remunerações a pessoas físicas decorrentes do trabalho, incluídas retiradas de pró­labore, acrescidosdomontanteefetivamenterecolhidoatítulodecontribuiçãopatronalprevidenciáriaeparaoFGTS. (RedaçãodadapelaLeiComplementarnº147, de2014) (Produçãodeefeito)

§26. Nãosãoconsiderados,paraefeitododispostono§24,valorespagosatítulodealuguéisededistribuiçãodelucros,observadoodispostono§1 o

doart.14.

Art. 18­A. OMicroempreendedorIndividual ­MEI poderáoptarpelorecolhimentodos impostos econtribuições abrangidos peloSimples Nacional em valoresfixosmensais,independentementedareceitabrutaporeleauferidanomês,naformaprevistanesteartigo.

nãoestejaimpedidodeoptarpelasistemáticaprevistanesteartigo.

§2º Nocasodeiníciodeatividades,olimitedequetratao§1 o serádeR$5.000,00(cincomilreais)multiplicadospelonúmerodemesescompreendido entreoiníciodaatividadeeofinaldorespectivoano­calendário,consideradasasfraçõesdemesescomoummêsinteiro.

§3ºNavigênciadaopçãopelasistemáticaderecolhimentoprevistanocaputdesteartigo:

I–nãoseaplicaodispostono§18doart.18destaLeiComplementar;

II–nãoseaplicaareduçãoprevistano§20doart.18destaLeiComplementarouqualquerdeduçãonabasedecálculo;

III­nãoseaplicamasisençõesespecíficasparaasmicroempresaseempresasdepequenoporteconcedidaspeloEstado,MunicípioouDistritoFederala partirde1 o dejulhode2007queabranjamintegralmenteafaixadereceitabrutaanualatéolimiteprevistono§1º;

IV–aopçãopeloenquadramentocomoMicroempreendedorIndividualimportaopçãopelorecolhimentodacontribuiçãoreferidanoincisoXdo§1 o doart.

13destaLeiComplementarnaformaprevistano§2ºdoart.21daLeinº8.212,de24dejulhode1991;

V –oMicroempreendedor Individual recolherá, na forma regulamentada pelo Comitê Gestor, valor fixo mensal correspondente à soma das seguintes

parcelas:

a)R$45,65(quarentaecincoreaisesessentaecincocentavos),atítuloda contribuiçãoprevistanoincisoIVdesteparágrafo;

b)R$1,00(umreal),atítulodoimpostoreferidonoincisoVIIdocaputdoart.13destaLeiComplementar,casosejacontribuintedoICMS;e

c)R$5,00(cincoreais),atítulodoimpostoreferidonoincisoVIIIdocaputdoart.13destaLeiComplementar,casosejacontribuintedoISS;

VI–semprejuízododispostonos§§1 o a3 o doart.13,oMEIteráisençãodostributosreferidosnosincisosIaVIdocaputdaqueleartigo,ressalvadoo

dispostonoart.18­C.

§4 o NãopoderáoptarpelasistemáticaderecolhimentoprevistanocaputdesteartigooMEI:

I –cujaatividadesejatributadapelos Anexos IV ou V desta Lei Complementar, salvoautorizaçãorelativa a exercício de atividade isolada na forma regulamentadapeloComitêGestor;

I­cujaatividadesejatributadanaformadosAnexosVouVIdestaLeiComplementar,salvoautorizaçãorelativaaexercíciodeatividadeisoladanaforma

regulamentadapeloCGSN;

II­quepossuamaisdeumestabelecimento;

III­queparticipedeoutraempresacomotitular,sócioouadministrador;ou

IV­quecontrateempregado.

§4º­A. Observadasasdemaiscondiçõesdesteartigo,poderáoptarpelasistemáticaderecolhimentoprevistanocaputoempresárioindividualqueexerça atividadedecomercializaçãoeprocessamentodeprodutosdenaturezaextrativista.

§4º­B. O CGSNdeterminaráasatividadesautorizadasaoptarpelasistemáticaderecolhimentodequetrataesteartigo,deformaaevitarafragilização dasrelaçõesdetrabalho,bemcomosobreaincidênciadoICMSedoISS.

§5º Aopçãodequetrataocaputdesteartigodar­se­ánaformaaserestabelecidaematodoComitêGestor,observando­seque:

I­seráirretratávelparatodooano­calendário;

II­deveráserrealizadanoiníciodoano­calendário,naformadisciplinadapeloComitêGestor,produzindoefeitosapartirdoprimeirodiadoano­calendário

daopção,ressalvadoodispostonoincisoIII;

III­produziráefeitosapartirdadatadoiníciodeatividadedesdequeexercidanostermos,prazoecondiçõesaseremestabelecidosematodoComitê

Gestoraqueserefereocaputdesteparágrafo.

§6º OdesenquadramentodasistemáticadequetrataocaputdesteartigoserárealizadodeofíciooumediantecomunicaçãodoMEI.

§7º OdesenquadramentomediantecomunicaçãodoMEIàSecretariadaReceitaFederaldoBrasil­RFBdar­se­á:

I­poropção,quedeveráserefetuadanoiníciodoano­calendário,naformadisciplinadapeloComitêGestor,produzindoefeitosapartirde1ºdejaneirodo

ano­calendáriodacomunicação;

II­obrigatoriamente,quandooMEIincorreremalgumadassituaçõesprevistasno§4ºdesteartigo,devendoacomunicaçãoserefetuadaatéoúltimodia

útildomêssubseqüenteàqueleemqueocorridaasituaçãodevedação,produzindoefeitosapartirdomêssubseqüenteaodaocorrênciadasituaçãoimpeditiva;

III ­ obrigatoriamente, quando o MEI exceder, no ano­calendário, o limite de receita bruta previsto no § 1º deste artigo, devendo a comunicação ser efetuadaatéoúltimodiaútildomêssubseqüenteàqueleemqueocorridooexcesso,produzindoefeitos:

a)apartirde1ºdejaneirodoano­calendáriosubseqüenteaodaocorrênciadoexcesso,nahipótesedenãoterultrapassadooreferidolimiteemmaisde

20%(vinteporcento);

b)retroativamentea1ºdejaneirodoano­calendáriodaocorrênciadoexcesso,nahipótesedeterultrapassadooreferidolimiteemmaisde20%(vintepor

cento);

IV­obrigatoriamente,quandooMEIexcederolimitedereceitabrutaprevistono§2ºdesteartigo,devendoacomunicaçãoserefetuadaatéoúltimodia

útildomêssubseqüenteàqueleemqueocorridooexcesso,produzindoefeitos:

a)apartirde1ºdejaneirodoano­calendáriosubseqüenteaodaocorrênciadoexcesso,nahipótesedenãoterultrapassadooreferidolimiteemmaisde

20%(vinteporcento);

b)retroativamenteaoiníciodeatividade,nahipótesedeterultrapassadooreferidolimiteemmaisde20%(vinteporcento).

§8º Odesenquadramentodeofíciodar­se­áquandoverificadaafaltadecomunicaçãodequetratao§7ºdesteartigo.

§9º OEmpresárioIndividualdesenquadradodasistemáticaderecolhimentoprevistanocaputdesteartigopassaráarecolheros tributos devidos pela

regrageraldoSimplesNacionalapartirdadatadeiníciodosefeitosdodesenquadramento,ressalvadoodispostono§10desteartigo.

§10. NashipótesesprevistasnasalíneasadosincisosIIIeIVdo§7ºdesteartigo,oMEIdeverárecolheradiferença,semacréscimos,emparcela única,juntamentecomadaapuraçãodomêsdejaneirodoano­calendáriosubseqüenteaodoexcesso,naformaaserestabelecidaematodoComitêGestor.

§11. OvalorreferidonaalíneaadoincisoVdo§3 o desteartigoseráreajustado,naformaprevistaemleiordinária,namesmadatadereajustamentodos benefíciosdequetrataaLein o 8.213,de24dejulhode1991,deformaamanterequivalênciacomacontribuiçãodequetratao§2ºdoart.21daLeinº8.212,

§13. OMEIestádispensado,ressalvadoodispostonoart.18­CdestaLeiComplementar,de:

II­apresentaraRelaçãoAnualdeInformaçõesSociais(Rais);e

III­declararausênciadefatogeradorparaaCaixaEconômicaFederalparaemissãodaCertidãodeRegularidadeFiscalperanteoFGTS.

§14. OComitêGestordisciplinaráodispostonesteartigo.

§15. Ainadimplênciadorecolhimentodovalorprevistonaalínea“a”doincisoVdo§3 o temcomoconsequênciaanãocontagemdacompetênciaem atrasoparafinsdecarênciaparaobtençãodosbenefíciosprevidenciáriosrespectivos.

§15­A. Ficam autorizados os Estados, oDistritoFederal eos Municípios apromoveraremissãodos débitos decorrentes dos valores previstos nas

alíneasbecdoincisoVdo§3 o ,inadimplidosisoladaousimultaneamente.

§15­B. OMEIpoderátersuainscriçãoautomaticamentecanceladaapósperíodode12(doze)mesesconsecutivossemrecolhimentooudeclarações,

§16. OCGSNestabelecerá,paraoMEI,critérios,procedimentos,prazoseefeitosdiferenciadosparadesenquadramentodasistemáticadequetrataeste artigo,cobrança,inscriçãoemdívidaativaeexclusãodoSimplesNacional.

§ 17. A alteração de dados no CNPJ informada pelo empresário à Secretaria da Receita Federal do Brasil equivalerá à comunicação obrigatória de desenquadramentodasistemáticaderecolhimentodequetrataesteartigo,nasseguinteshipóteses:

I­alteraçãoparanaturezajurídicadistintadeempresárioindividualaqueserefereoart.966daLein o 10.406,de10dejaneirode2002(CódigoCivil);

II­inclusãodeatividadeeconômicanãoautorizadapeloCGSN;

III­aberturadefilial.

§18. OsMunicípiossomentepoderãorealizarocancelamentodainscriçãodoMEIcasotenhamregulamentaçãoppriadeclassificaçãoderiscoeo

§19. FicavedadaaosconselhosrepresentativosdecategoriaseconômicasaexigênciadeobrigaçõesdiversasdasestipuladasnestaLeiComplementar

parainscriçãodoMEIemseusquadros,sobpenaderesponsabilidade.

§20. Osdocumentosfiscaisdasmicroempresaseempresasdepequenoportepoderãoseremitidosdiretamenteporsistemanacionalinformatizadoe

§21. Assegurar­se­áoregistronoscadastrosoficiaisaoguiadeturismoinscritocomoMEI.

§22. Ficavedadoàsconcessionáriasdeserviçopúblicooaumentodastarifaspagas peloMEIporcontadamodificaçãodasuacondiçãodepessoa

físicaparapessoajurídica.

§23. (VETADO).

§24. Aplica­seaoMEIodispostonoincisoXIdo§4 o doart.3 o .

§25.OMEIpoderáutilizarsuaresidênciacomosededoestabelecimento,quandonãoforindispensávelaexistênciadelocalpróprioparaoexercícioda

atividade.

Art. 18­B. A empresa contratante de serviços executados por intermédio do MEI mantém, em relação a esta contratação, a obrigatoriedade de recolhimentodacontribuiçãoaqueserefereoincisoIIIdocaputeo§1 o doart.22daLein o 8.212,de24dejulhode1991,eocumprimentodasobrigações

acessóriasrelativasàcontrataçãodecontribuinteindividual.

§1º Aplica­seodispostonocaputemrelaçãoaoMEIqueforcontratadoparaprestarserviçosdehidráulica,eletricidade,pintura,alvenaria,carpintariae demanutençãooureparodeveículos.

§1 o Aplica­seodispostonesteartigoexclusivamenteemrelaçãoaoMEI queforcontratadoparaprestarserviços dehidráulica, eletricidade, pintura,

alvenaria,carpintariaedemanutençãooureparodeveículos.

§2º Odispostonocaputeno§1 o nãoseaplicaquandopresentes os elementos darelaçãodeemprego, ficandoacontratantesujeitaatodas as obrigaçõesdeladecorrentes,inclusivetrabalhistas,tributáriaseprevidenciárias.

Art.18­C. Observadoodispostonoart.18­A,eseusparágrafos,destaLeiComplementar,poderáseenquadrarcomoMEIoempresárioindividualque

possuaumúnicoempregadoquerecebaexclusivamente1(um)saláriomínimoouopisosalarialdacategoriaprofissional.

§1º Nahipótesereferidanocaput,oMEI:

I­deveráretererecolheracontribuiçãoprevidenciáriarelativaaoseguradoaseuserviçonaformadalei,observadosprazoecondiçõesestabelecidos

peloCGSN;

II­éobrigadoaprestarinformaçõesrelativasaoseguradoaseuserviço,naformaestabelecidapeloCGSN;e

III­estásujeitoaorecolhimentodacontribuiçãodequetrataoincisoVI docaputdoart. 13,calculadaàalíquotade3%(trêsporcento)sobreosaláriode contribuiçãoprevistonocaput,naformaeprazosestabelecidospeloCGSN.

§2º ParaoscasosdeafastamentolegaldoúnicoempregadodoMEI,serápermitidaacontrataçãodeoutroempregado,inclusiveporprazodeterminado, atéquecessemascondiçõesdoafastamento,naformaestabelecidapeloMinistériodoTrabalhoeEmprego.

§3º OCGSNpoderádeterminar,comrelaçãoaoMEI,aforma,aperiodicidadeeoprazo:

I­deentregaàSecretariadaReceitaFederaldoBrasildeumaúnicadeclaraçãocomdadosrelacionadosafatosgeradores,basedecálculoevaloresdos tributos previstos nos arts. 18­A e18­C, dacontribuiçãoparaaSeguridadeSocial descontadadoempregadoedoFundodeGarantiadoTempodeServiço (FGTS),eoutrasinformaçõesdeinteressedoMinistériodoTrabalhoeEmprego,doInstitutoNacionaldoSeguroSocial(INSS)edoConselhoCuradordoFGTS, observadoodispostono§7 o doart.26;

II ­ do recolhimento dos tributos previstos nos arts. 18­A e 18­C, bem como do FGTS e da contribuição para a Seguridade Social descontada do empregado.

§4 o AentregadadeclaraçãoúnicadequetrataoincisoIdo§3 o substituirá,naformaregulamentadapeloCGSN,aobrigatoriedadedeentregadetodas

as informações, formulários e declarações a que estão sujeitas as demais empresas ou equiparados que contratam empregados, inclusive as relativas ao recolhimentodoFGTS,àRelaçãoAnualdeInformaçõesSociais(Rais)eaoCadastroGeraldeEmpregadoseDesempregados(Caged).

§5 o NahipótesederecolhimentodoFGTSnaformadoincisoIIdo§3 o ,deve­seasseguraratransferênciadosrecursosedoselementosidentificadores

dorecolhimentoaogestordessefundoparacréditonacontavinculadadotrabalhador.

§6 o OdocumentodequetrataoincisoIdo§3 o desteartigotemcaráterdeclaratório,constituindoinstrumentohábilesuficienteparaaexigênciados tributosedosdébitosfundiáriosquenãotenhamsidorecolhidosresultantesdasinformaçõesneleprestadas. (IncluídopelaLeiComplementarnº147,de

Art.18­D. AtributaçãomunicipaldoimpostosobreimóveisprediaisurbanosdeveráassegurartratamentomaisfavorecidoaoMEIpararealizaçãodesua

atividadenomesmolocalemqueresidir,medianteaplicaçãodamenoralíquotavigenteparaaquelalocalidade,sejaresidencialoucomercial,nostermosdalei,

semprejuízodeeventualisençãoouimunidadeexistente.

Art. 18­E. O instituto do MEI é uma política pública que tem por objetivo a formalização de pequenos empreendimentos e a inclusão social e

previdenciária.

§3 o OMEIémodalidadedemicroempresa.

§4 o É vedadoimporrestrições aoMEI relativamenteaoexercíciodeprofissãoouparticipaçãoem licitações, em funçãodasuarespectivanatureza

jurídica.

Art.19.SemprejuízodapossibilidadedeadoçãodetodasasfaixasdereceitaprevistasnosAnexosIaVdestaLeiComplementar,osEstadospoderão

optarpelaaplicaçãodesublimiteparaefeitoderecolhimentodoICMSnaformadoSimplesNacionalemseusrespectivosterritórios,daseguinteforma:

Art.19. SemprejuízodapossibilidadedeadoçãodetodasasfaixasdereceitaprevistasnosAnexosIaVIdestaLeiComplementar,osEstadospoderão optarpelaaplicaçãodesublimiteparaefeitoderecolhimentodoICMSnaformadoSimplesNacionalemseusrespectivosterritórios,daseguinteforma:

I ­os Estados cujaparticipaçãonoProdutoInternoBrutobrasileirosejadeaté1% (um porcento)poderãooptarpelaaplicação, em seus respectivos

territórios,dasfaixasdereceitabrutaanualaté35%(trintaecincoporcento),ouaté50%(cinquentaporcento),ouaté70%(setentaporcento)dolimiteprevisto

noincisoIIdocaputdoart.3 o ;

II­osEstadoscujaparticipaçãonoProdutoInternoBrutobrasileirosejademaisde1%(umporcento)edemenosde5%(cincoporcento)poderãooptar

pelaaplicação,emseusrespectivosterritórios,dasfaixasdereceitabrutaanualaté50%(cinquentaporcento)ouaté70%(setentaporcento)dolimiteprevisto

noincisoIIdocaputdoart.3 o ;e

III­osEstadoscujaparticipaçãonoProdutoInternoBrutobrasileirosejaigualousuperiora5%(cincoporcento)ficamobrigadosaadotartodasasfaixas

dereceitabrutaanual.

§1 o AparticipaçãonoProdutoInternoBrutobrasileiroseráapuradalevandoemcontaoúltimoresultadodivulgadopeloInstitutoBrasileirodeGeografiae

Estatísticaououtroórgãoqueosubstitua.

§2 o AopçãoprevistanosincisosIeIIdocaput,bemcomoaobrigatoriedadeprevistanoincisoIIIdocaput,surtiráefeitossomenteparaoano­calendário

subsequente,salvodeliberaçãodoCGSN.

§3 o Odispostonesteartigoaplica­seaoDistritoFederal.

Art.20.Aopçãofeitanaformadoart.19destaLeiComplementarpelosEstadosimportaráadoçãodomesmolimitedereceitabrutaanualparaefeitode

recolhimentonaformadoISSdosMunicípiosnelelocalizados,bemcomoparaodoISSdevidonoDistritoFederal.

§1ºAempresadepequenoportequeultrapassaroslimitesaquesereferemosincisosIouIIdocaputdoart.19estaráautomaticamenteimpedidade

recolheroICMSeoISSnaformadoSimplesNacional,apartirdomêssubsequenteaoquetiverocorridooexcesso,relativamenteaosseusestabelecimentos localizadosnaunidadedaFederaçãoqueoshouveradotado,ressalvadoodispostonos§§11e13doart.3 o .

§1º­A. Osefeitosdoimpedimentoprevistono§1ºocorrerãonoano­calendáriosubsequenteseoexcessoverificadonãoforsuperiora20%(vintepor cento)doslimitesreferidos.

§2

o Odispostono§1 o desteartigonãoseaplicanahipótesedeoEstadooudeoDistritoFederaladotarem,compulsoriamenteouporopção,aaplicação

defaixadereceitabrutasuperioràquevinhasendoutilizadanoano­calendárioemqueocorreuoexcessodareceitabruta.

o NahipóteseemqueorecolhimentodoICMSoudoISSnãoestejasendoefetuadopormeiodoSimplesNacionalporforçadodispostonesteartigoe

noart.19destaLeiComplementar,asfaixasdereceitadoSimplesNacionalsuperioresàquelaquetenhasidoobjetodeopçãopelosEstadosoupeloDistrito

Federalsofrerão,paraefeitoderecolhimentodoSimplesNacional,reduçãonaalíquotaequivalenteaospercentuaisrelativosaessesimpostosconstantesdos

AnexosIaVdestaLeiComplementar,conformeocaso.

§3

§3 o NahipóteseemqueorecolhimentodoICMSoudoISSnãoestejasendoefetuadopormeiodoSimplesNacionalporforçadodispostonesteartigoe

noart.19destaLeiComplementar,asfaixasdereceitadoSimplesNacionalsuperioresàquelaquetenhasidoobjetodeopçãopelosEstadosoupeloDistrito

Federalsofrerão,paraefeitoderecolhimentodoSimplesNacional,reduçãonaalíquotaequivalenteaospercentuaisrelativosaessesimpostosconstantesdos

AnexosIaVIdestaLeiComplementar,conformeocaso.

§4 o OComitêGestorregulamentaráodispostonesteartigoenoart.19destaLeiComplementar.

SeçãoIV

DoRecolhimentodosTributosDevidos

Art.21. Ostributosdevidos,apuradosnaformadosarts.18a20destaLeiComplementar,deverãoserpagos:

I­pormeiodedocumentoúnicodearrecadação,instituídopeloComitêGestor;

II­(REVOGADO)

III­enquantonãoregulamentadopeloComitêGestor,atéoúltimodiaútildaprimeiraquinzenadomêssubseqüenteàqueleaquesereferir;

IV­embancointegrantedaredearrecadadoradoSimplesNacional,naformaregulamentadapeloComitêGestor.

§1

o Na hipótese de a microempresa ou a empresa de pequeno porte possuir filiais, o recolhimento dos tributos do Simples Nacional dar­se­á por

intermédiodamatriz.

§2 o PoderáseradotadosistemasimplificadodearrecadaçãodoSimplesNacional,inclusivesemutilizaçãodaredebancária,medianterequerimentodo

Estado,DistritoFederalouMunicípioaoComitêGestor.

§3 o Ovalornãopagoatéadatadovencimentosujeitar­se­áàincidênciadeencargoslegaisnaformaprevistanalegislaçãodoimpostosobrearenda.

§4º A retençãonafontedeISS das microempresas oudas empresas depequenoporteoptantes peloSimples Nacional somente será permitida se observadoodispostonoart.3 o daLeiComplementarn o 116,de31dejulhode2003,edeveráobservarasseguintesnormas:

I–aalíquotaaplicávelnaretençãonafontedeveráserinformadanodocumentofiscalecorresponderáaopercentualdeISSprevistonosAnexosIII,IVou

VdestaLeiComplementarparaafaixadereceitabrutaaqueamicroempresaouaempresadepequenoporteestiversujeitanomêsanterioraodaprestação;

I­aalíquotaaplicávelnaretençãonafontedeveráserinformadanodocumentofiscalecorresponderáaopercentualdeISSprevistonosAnexosIII,IV,V ou VI desta Lei Complementar para a faixa de receita bruta a que a microempresa ou a empresa de pequeno porte estiver sujeita no mês anterior ao da prestação; (RedaçãodadapelaLeiComplementarnº147,de2014) (Produçãodeefeito)

II–nahipótesedeoserviçosujeitoàretençãoserprestadonomêsdeiníciodeatividadesdamicroempresaouempresadepequenoporte,deveráser

aplicadapelotomadoraalíquotacorrespondenteaopercentualdeISSreferenteàmenoralíquotaprevistanosAnexosIII,IVouVdestaLeiComplementar;

II­nahipótesedeoserviçosujeitoàretençãoserprestadonomêsdeiníciodeatividadesdamicroempresaouempresadepequenoporte,deveráser aplicada pelo tomador a alíquota correspondente ao percentual de ISS referente à menor alíquota prevista nos Anexos III, IV, V ou VI desta Lei Complementar; (RedaçãodadapelaLeiComplementarnº147,de2014) (Produçãodeefeito)

III – na hipótese do inciso II deste parágrafo, constatando­se que houve diferença entre a alíquota utilizada e a efetivamente apurada, caberá à

microempresaouempresadepequenoporteprestadoradosserviçosefetuarorecolhimentodessadiferençanomêssubseqüenteaodoiníciodeatividadeem

guiaprópriadoMunicípio;

IV–nahipótesedeamicroempresaouempresadepequenoporteestarsujeitaàtributaçãodoISSnoSimplesNacionalporvaloresfixosmensais,não

caberáaretençãoaqueserefereocaputdesteparágrafo;

V–nahipótesedeamicroempresaouempresadepequenoportenãoinformaraalíquotadequetratamosincisosIeIIdesteparágrafonodocumento

fiscal,aplicar­se­áaalíquotacorrespondenteaopercentualdeISSreferenteàmaioralíquotaprevistanosAnexosIII,IVouVdestaLeiComplementar;

V­nahipótesedeamicroempresaouempresadepequenoportenãoinformaraalíquotadequetratamosincisosIeIIdesteparágrafonodocumento fiscal,aplicar­se­áaalíquotacorrespondenteaopercentualdeISSreferenteàmaioralíquotaprevistanosAnexosIII,IV,VouVIdestaLeiComplementar; (RedaçãodadapelaLeiComplementarnº147,de2014) (Produçãodeefeito)

VI–nãoseráeximidaaresponsabilidadedoprestadordeserviçosquandoaalíquotadoISSinformadanodocumentofiscalforinferioràdevida,hipótese

emqueorecolhimentodessadiferençaserárealizadoemguiaprópriadoMunicípio;

VII–ovalorretido,devidamenterecolhido,serádefinitivo,nãosendoobjetodepartilhacomosmunicípios,esobreareceitadeprestaçãodeserviçosque

sofreuaretençãonãohaveráincidênciadeISSaserrecolhidonoSimplesNacional.

§4 o ­A. NahipótesedequetratamosincisosIeIIdo§4 o ,afalsidadenaprestaçãodessasinformaçõessujeitaráoresponsável,otitular,ossóciosouos administradoresdamicroempresaedaempresadepequenoporte,juntamentecomasdemaispessoasqueparaelaconcorrerem,àspenalidadesprevistasna legislaçãocriminaletributária.

§5 o OCGSNregularáacompensaçãoearestituiçãodosvaloresdoSimplesNacionalrecolhidosindevidamenteouemmontantesuperioraodevido.

§6 o OvaloraserrestituídooucompensadoseráacrescidodejurosobtidospelaaplicaçãodataxareferencialdoSistemaEspecialdeLiquidaçãoede Custódia(Selic)paratítulos federais, acumuladamensalmente, apartirdomês subsequenteaodopagamentoindevidoouamaiorqueodevidoatéomês

anterioraodacompensaçãoourestituição,ede1%(umporcento)relativamenteaomêsemqueestiversendoefetuada.

§7 o Osvalorescompensadosindevidamenteserãoexigidoscomosacréscimosmoratóriosdequetrataoart.35.

§8 o Nahipótesedecompensaçãoindevida,quandosecomprovefalsidadededeclaraçãoapresentadapelosujeitopassivo,ocontribuinteestarásujeitoà multaisoladaaplicadanopercentualprevistonoincisoIdocaputdoart.44daLein o 9.430,de27dedezembrode1996,aplicadoemdobro,eterácomobasede cálculoovalortotaldodébitoindevidamentecompensado.

§9 o ÉvedadooaproveitamentodecréditosnãoapuradosnoSimplesNacional,inclusivedenaturezanãotributária,paraextinçãodedébitosdoSimples Nacional.

§10. OscréditosapuradosnoSimplesNacionalnãopoderãoserutilizadosparaextinçãodeoutrosdébitosparacomasFazendasPúblicas,salvopor ocasiãodacompensaçãodeofíciooriundadedeferimentoemprocessoderestituiçãoouapósaexclusãodaempresadoSimplesNacional.

§11. NoSimplesNacional,épermitidaacompensaçãotãosomentedecréditosparaextinçãodedébitosparacomomesmoentefederadoerelativosao mesmotributo.

§13. ÉvedadaacessãodecréditosparaextinçãodedébitosnoSimplesNacional.

§14. Aplica­seaosprocessosderestituiçãoedecompensaçãooritoestabelecidopeloCGSN.

§15. CompeteaoCGSNfixarcritérios,condiçõespararescisão,prazos,valoresmínimosdeamortizaçãoedemaisprocedimentosparaparcelamentodos

recolhimentosematrasodosdébitostributáriosapuradosnoSimplesNacional,observadoodispostono§3ºdesteartigoenoart.35eressalvadoodispostono

§19desteartigo.

§16. Osdébitosdequetratao§15poderãoserparceladosematé60(sessenta)parcelasmensais,naformaecondiçõesprevistaspeloCGSN.

§17. Ovalordecadaprestaçãomensal, porocasiãodopagamento, seráacrescidodejuros equivalentes àtaxareferencial doSistemaEspecial de LiquidaçãoedeCustódia(Selic)paratítulosfederais,acumuladamensalmente,calculadosapartirdomêssubsequenteaodaconsolidaçãoatéomêsanteriorao

dopagamento,ede1%(umporcento)relativamenteaomêsemqueopagamentoestiversendoefetuado,naformaregulamentadapeloCGSN.

§18. Seráadmitidoreparcelamentodedébitosconstantesdeparcelamentoemcursoouquetenhasidorescindido,podendoserincluídosnovosdébitos, naformaregulamentadapeloCGSN.

§ 19. Os débitos constituídos de forma isolada por parte de Estado, do Distrito Federal ou de Município, em face de ausência de aplicativo para lançamentounificado,relativoatributodesuacompetência,quenãoestivereminscritosemDívidaAtivadaUnião,poderãoserparceladospeloenteresponsável pelolançamentodeacordocomarespectivalegislação,naformaregulamentadapeloCGSN.

§20. Opedidodeparcelamentodeferidoimportaconfissãoirretratáveldodébitoeconfiguraconfissãoextrajudicial.

§21. Serãoaplicadas naconsolidaçãoas reduções das multas delançamentodeofícioprevistas nalegislaçãofederal, conformeregulamentaçãodo CGSN.

§22. Orepasseparaosentesfederadosdosvalorespagosedaamortizaçãodosdébitosparceladosseráefetuadoproporcionalmenteaovalordecada tributonacomposiçãodadívidaconsolidada.

§23. Nocasodeparcelamentodedébitoinscritoemdívidaativa,odevedorpagarácustas,emolumentosedemaisencargoslegais.

§24. Implicaráimediatarescisãodoparcelamentoeremessadodébitoparainscriçãoemdívidaativaouprosseguimentodaexecução,conformeocaso, atédeliberaçãodoCGSN,afaltadepagamento:

I­de3(três)parcelas,consecutivasounão;ou

II­de1(uma)parcela,estandopagastodasasdemais.

Art.21­A. AinscriçãodemicroempresaouempresadepequenoportenoCadastroInformativodoscréditosnãoquitadosdosetorpúblicofederal­CADIN,

somenteocorrerámediantenotificaçãopréviacomprazoparacontestação.

Art.21­B. OsEstadoseoDistritoFederaldeverãoobservar,emrelaçãoaoICMS,oprazomínimode60(sessenta)dias,contadoapartirdoprimeirodia domêsdofatogeradordaobrigaçãotributária,paraestabeleceradatadevencimentodoimpostodevidoporsubstituiçãotributária,tributaçãoconcentradaem uma única etapa (monofásica)e porantecipação tributária com ou sem encerramento de tributação, nas hipóteses em que a responsabilidade recair sobre operaçõesouprestaçõessubsequentes,naformaregulamentadapeloComitêGestor. (IncluídopeleLeiComplementarnº147,de2014)

SeçãoV

DoRepassedoProdutodaArrecadação

Art.22. OComitêGestordefiniráosistemaderepassesdototalarrecadado,inclusiveencargoslegais,parao:

I­MunicípioouDistritoFederal,dovalorcorrespondenteaoISS;

II­EstadoouDistritoFederal,dovalorcorrespondenteaoICMS;

III­InstitutoNacionaldoSeguroSocial,dovalorcorrespondenteàContribuiçãoparamanutençãodaSeguridadeSocial.

Parágrafoúnico. EnquantooComitêGestornãoregulamentaroprazoparaorepasseprevistonoincisoIIdocaputdesteartigo,esseseráefetuadonos prazosestabelecidosnosconvênioscelebradosnoâmbitodocolegiadoaqueserefereaalíneagdoincisoXIIdo§2 o doart.155daConstituiçãoFederal.

SeçãoVI

DosCréditos

Art.23. AsmicroempresaseasempresasdepequenoporteoptantespeloSimplesNacionalnãofarãojusàapropriaçãonemtransferirãocréditosrelativos aimpostosoucontribuiçõesabrangidospeloSimplesNacional.

§1º AspessoasjurídicaseaquelasaelasequiparadaspelalegislaçãotributárianãooptantespeloSimplesNacionalterãodireitoacréditocorrespondente ao ICMS incidente sobre as suas aquisições de mercadorias de microempresa ou empresa de pequeno porte optante pelo Simples Nacional, desde que destinadas àcomercializaçãoouindustrializaçãoeobservado, comolimite, oICMS efetivamentedevidopelas optantes peloSimples Nacional em relaçãoa essasaquisições.

§2º Aalíquotaaplicávelaocálculodocréditodequetratao§1ºdesteartigodeveráserinformadanodocumentofiscalecorresponderáaopercentualde ICMSprevistonosAnexosIouIIdestaLeiComplementarparaafaixadereceitabrutaaqueamicroempresaouaempresadepequenoporteestiversujeitano mêsanterioraodaoperação.

§3º NahipótesedeaoperaçãoocorrernomêsdeiníciodeatividadesdamicroempresaouempresadepequenoporteoptantepeloSimplesNacional,a

alíquotaaplicávelaocálculodocréditodequetratao§1ºdesteartigocorresponderáaopercentualdeICMSreferenteàmenoralíquotaprevistanosAnexosIou

IIdestaLeiComplementar.

§4º Nãoseaplicaodispostonos§§1ºa3ºdesteartigoquando:

I­amicroempresaouempresadepequenoporteestiversujeitaàtributaçãodoICMSnoSimplesNacionalporvaloresfixosmensais;

II­amicroempresaouaempresadepequenoportenãoinformaraalíquotadequetratao§2ºdesteartigonodocumentofiscal;

III­houverisençãoestabelecidapeloEstadoouDistritoFederalqueabranjaafaixadereceitabrutaaqueamicroempresaouaempresadepequenoporte

estiversujeitanomêsdaoperação.

IV­oremetentedaoperaçãoouprestaçãoconsiderar,poropção,queaalíquotadeterminadanaformadocaputedos§§1 o e2 o doart.18destaLei Complementardeveráincidirsobreareceitarecebidanomês.

§ 5º Mediante deliberação exclusiva e unilateral dos Estados e do Distrito Federal, poderá ser concedido às pessoas jurídicas e àquelas a elas equiparadaspelalegislaçãotributárianãooptantespeloSimplesNacionalcréditocorrespondenteaoICMSincidentesobreosinsumosutilizadosnasmercadorias adquiridasdeindústriaoptantepeloSimplesNacional,sendovedadooestabelecimentodediferenciaçãonovalordocréditoemrazãodaprocedênciadessas mercadorias.

§6º OComitêGestordoSimplesNacionaldisciplinaráodispostonesteartigo.

Art.24. AsmicroempresaseasempresasdepequenoporteoptantespeloSimplesNacionalnãopoderãoutilizaroudestinarqualquervaloratítulode incentivofiscal.

Parágrafoúnico. Nãoserãoconsideradas quaisqueralterações embases decálculo, alíquotas epercentuais ououtros fatores quealteremovalorde imposto ou contribuição apurado na forma do Simples Nacional, estabelecidas pela União, Estado, Distrito Federal ou Município, exceto as previstas ou autorizadasnestaLeiComplementar.

SeçãoVII

DasObrigaçõesFiscaisAcessórias

Art.25.AmicroempresaouempresadepequenoporteoptantepeloSimplesNacionaldeveráapresentaranualmenteàSecretariadaReceitaFederaldo

Brasil declaração única e simplificada de informações socioeconômicas e fiscais, que deverá ser disponibilizada aos órgãos de fiscalização tributária e

previdenciária,observadosprazoemodeloaprovadospeloCGSNeobservadoodispostono§15­Adoart.18.

§1 o A declaração de que trata o caput deste artigo constitui confissão de dívida e instrumento hábil e suficiente para a exigência dos tributos e contribuiçõesquenãotenhamsidorecolhidosresultantesdasinformaçõesnelaprestadas.

§2 o Asituaçãodeinatividadedeveráserinformadanadeclaraçãodequetrataocaputdesteartigo,naformaregulamentadapeloComitêGestor.

§3 o Paraefeitododispostono§2 o desteartigo, considera­seem situaçãodeinatividadeamicroempresaouaempresadepequenoportequenão apresentemutaçãopatrimonialeatividadeoperacionaldurantetodooano­calendário.

dedeclaraçõesadicionaisemdecorrênciadareferidaLeiComplementar.

§5 o Adeclaraçãodequetrataocaput,apartirdasinformaçõesrelativasaoano­calendáriode2012,poderáserprestadapormeiodadeclaraçãodeque

tratao§15­Adoart.18destaLeiComplementar,naperiodicidadeeprazosdefinidospeloCGSN.

Art.26. AsmicroempresaseempresasdepequenoporteoptantespeloSimplesNacionalficamobrigadasa:

I­emitirdocumentofiscaldevendaouprestaçãodeserviço,deacordocominstruçõesexpedidaspeloComitêGestor;

II­manteremboaordemeguardaosdocumentosquefundamentaramaapuraçãodosimpostosecontribuiçõesdevidoseocumprimentodasobrigações acessórias aqueserefereoart. 25destaLei Complementarenquantonãodecorridooprazodecadencial enãoprescritas eventuais ações quelhes sejam pertinentes.

§1º OMEIfaráacomprovaçãodareceitabrutamedianteapresentaçãodoregistrodevendasoudeprestaçãodeserviçosnaformaestabelecidapelo CGSN,ficandodispensadodaemissãododocumentofiscalprevistonoincisoIdocaput,ressalvadasashipótesesdeemissãoobrigatóriaprevistaspeloreferido Comitê.

I­(REVOGADO)

II­(REVOGADO)

III­(REVOGADO)

§2 o Asdemaismicroempresaseasempresasdepequenoporte,alémdodispostonosincisosIeIIdocaputdesteartigo,deverão,ainda,manterolivro­ caixaemqueseráescrituradasuamovimentaçãofinanceiraebancária.

§3 o Aexigênciadedeclaraçãoúnicaaqueserefereocaputdoart.25destaLeiComplementarnãodesobrigaaprestaçãodeinformaçõesrelativasa terceiros.

o Asmicroempresaseempresasdepequenoportereferidasno§2 o desteartigoficamsujeitasaoutrasobrigaçõesacessóriasaseremestabelecidas

§4

peloComitêGestor,comcaracterísticasnacionalmenteuniformes,vedadooestabelecimentoderegrasunilateraispelasunidadespolíticaspartícipesdosistema.

§4 o ÉvedadaaexigênciadeobrigaçõestributáriasacessóriasrelativasaostributosapuradosnaformadoSimplesNacionalalémdaquelasestipuladas

peloCGSNeatendidaspormeiodoPortaldoSimplesNacional,bemcomo,oestabelecimentodeexigênciasadicionaiseunilateraispelosentesfederativos,

excetoosprogramasdecidadaniafiscal.

§4 o ­A. AescrituraçãofiscaldigitalouobrigaçãoequivalentenãopoderáserexigidadamicroempresaouempresadepequenoporteoptantepeloSimples

Nacional,salvose,cumulativamente,houver:

I­autorizaçãoespecíficadoCGSN,queestabeleceráascondiçõesparaaobrigatoriedade;

§

4 o ­B. A exigência de apresentação de livros fiscais em meio eletrônico aplicar­se­á somente na hipótese de substituição da entrega em meio

convencional,cujaobrigatoriedadetenhasidopréviaeespecificamenteestabelecidapeloCGSN.

§4 o ­C. Até a implantação de sistema nacional uniforme estabelecido pelo CGSN com compartilhamento de informações com os entes federados,

permaneceválidanormapublicadaporentefederadoatéoprimeirotrimestrede2014quetenhaveiculadoexigênciavigentedeamicroempresaouempresade

pequenoporteapresentarescrituraçãofiscaldigitalouobrigaçãoequivalente.

§5 o Asmicroempresaseempresasdepequenoporteficamsujeitasàentregadedeclaraçãoeletrônicaquedevaconterosdadosreferentesaosserviços

prestadosoutomadosdeterceiros,naconformidadedoquedispuseroComitêGestor.

§6º Nahipótesedo§1ºdesteartigo:

I ­ deverão ser anexados ao registro de vendas ou de prestação de serviços, na forma regulamentada pelo Comitê Gestor, os documentos fiscais comprobatóriosdasentradasdemercadoriaseserviçostomadosreferentesaoperíodo,bemcomoosdocumentosfiscaisrelativosàsoperaçõesouprestações realizadaseventualmenteemitidos;

II­seráobrigatóriaaemissãodedocumentofiscalnasvendasenasprestaçõesdeserviçosrealizadaspeloMEIparadestinatáriocadastradonoCadastro

NacionaldaPessoaJurídica(CNPJ),ficandodispensadodestaemissãoparaoconsumidorfinal.

§7 o CabeaoCGSNdisporsobreaexigênciadacertificaçãodigitalparaocumprimentodeobrigaçõesprincipaiseacessóriasporpartedamicroempresa,

inclusiveoMEI,ouempresadepequenoporteoptantepeloSimplesNacional,inclusiveparaorecolhimentodoFGTS.

§8 o OCGSNpoderádisciplinarsobreadisponibilização,noportaldoSIMPLESNacional,dedocumentofiscaleletrônicodevendaoudeprestaçãode

serviçoparaoMEI,microempresaouempresadepequenoporteoptantepeloSimplesNacional.

§9 o Odesenvolvimentoeamanutençãodassoluçõesdetecnologia,capacitaçãoeorientaçãoaosusuáriosrelativasaodispostono§8 o ,bemcomoas

§10. Oatodeemissãoouderecepçãodedocumentofiscalpormeioeletrônicoestabelecidopelasadministraçõestributárias,emqualquermodalidade,de

entrada,desaídaoudeprestação,naformaestabelecidapeloCGSN,representasuaprópriaescrituraçãofiscaleelementosuficienteparaafundamentaçãoea

constituiçãodocréditotributário.

§11. Osdadosdosdocumentosfiscaisdequalquerespéciepodemsercompartilhados entreas administrações tributárias daUnião,Estados,Distrito FederaleMunicípios e, quandoemitidos pormeioeletrônico, naformaestabelecidapeloCGSN, amicroempresaouempresadepequenoporteoptantepelo SimplesNacionalficadesobrigadadetransmitirseusdadosàsadministraçõestributárias. (IncluídopelaLeiComplementarnº147,de2014)

§12. AsinformaçõesaseremprestadasrelativasaoICMSdevidonaformaprevistanasalíneasa,gehdoincisoXIIIdo§1 o doart.13serãofornecidas

pormeiodeaplicativoúnico.

§13. FicaestabelecidaaobrigatoriedadedeutilizaçãodedocumentosfiscaiseletrônicosestabelecidospeloConfaznasoperaçõeseprestaçõesrelativas

§14. Osaplicativosnecessáriosaocumprimentododispostonos§§12e13desteartigoserãodisponibilizados,deformagratuita,noportaldoSimples

Nacional.

§15. OCGSNregulamentaráodispostonesteartigo.

Art.27. AsmicroempresaseempresasdepequenoporteoptantespeloSimplesNacionalpoderão,opcionalmente,adotarcontabilidadesimplificadapara osregistrosecontrolesdasoperaçõesrealizadas,conformeregulamentaçãodoComitêGestor.

SeçãoVIII

DaExclusãodoSimplesNacional

Art.28. AexclusãodoSimplesNacionalseráfeitadeofíciooumediantecomunicaçãodasempresasoptantes.

Parágrafoúnico. AsregrasprevistasnestaseçãoeomododesuaimplementaçãoserãoregulamentadospeloComitêGestor.

Art.29. AexclusãodeofíciodasempresasoptantespeloSimplesNacionaldar­se­áquando:

I­verificadaafaltadecomunicaçãodeexclusãoobrigatória;

II­foroferecidoembaraçoàfiscalização,caracterizadopelanegativanãojustificadadeexibiçãodelivrosedocumentosaqueestiveremobrigadas,bem comopelonãofornecimentodeinformações sobrebens, movimentaçãofinanceira, negócioouatividadequeestiveremintimadas aapresentar, enas demais hipótesesqueautorizamarequisiçãodeauxíliodaforçapública;

III­foroferecidaresistênciaàfiscalização,caracterizadapelanegativadeacessoaoestabelecimento,aodomicíliofiscalouaqualqueroutrolocalonde

desenvolvamsuasatividadesouseencontrembensdesuapropriedade;

IV­asuaconstituiçãoocorrerporinterpostaspessoas;

V­tiversidoconstatadapráticareiteradadeinfraçãoaodispostonestaLeiComplementar;

VI­aempresafordeclaradainapta,naformadosarts.81e82daLein o 9.430,de27dedezembrode1996,ealteraçõesposteriores;

VII­comercializarmercadoriasobjetodecontrabandooudescaminho;

VIII­houverfaltadeescrituraçãodolivro­caixaounãopermitiraidentificaçãodamovimentaçãofinanceira,inclusivebancária;

IX­forconstatadoqueduranteoano­calendárioovalordasdespesaspagassuperaem20%(vinteporcento)ovalordeingressosderecursosnomesmo

período,excluídooanodeiníciodeatividade;

X­forconstatadoqueduranteoano­calendárioovalordasaquisiçõesdemercadoriasparacomercializaçãoouindustrialização, ressalvadas hipóteses

justificadasdeaumentodeestoque,forsuperiora80%(oitentaporcento)dosingressosderecursosnomesmoperíodo,excluídooanodeiníciodeatividade;

XI­houverdescumprimentoreiteradodaobrigaçãocontidanoincisoIdocaputdoart.26;

XII­omitirdeformareiteradadafolhadepagamentodaempresaoudedocumentodeinformaçõesprevistopelalegislaçãoprevidenciária,trabalhistaou

tributária,seguradoempregado,trabalhadoravulsooucontribuinteindividualquelhepresteserviço.

§1 o NashipótesesprevistasnosincisosIIaXIIdocaputdesteartigo,aexclusãoproduziráefeitosapartirdoprópriomêsemqueincorridas,impedindoa

opçãopeloregimediferenciadoefavorecidodestaLeiComplementarpelospróximos3(três)anos­calendárioseguintes.

§2 o Oprazodequetratao§1 o desteartigoseráelevadopara10(dez)anoscasosejaconstatadaautilizaçãodeartifício,ardilouqualqueroutromeio fraudulentoqueinduzaoumantenhaafiscalizaçãoemerro,comofimdesuprimiroureduziropagamentodetributoapurávelsegundooregimeespecialprevisto nestaLeiComplementar.

§3 o AexclusãodeofícioserárealizadanaformaregulamentadapeloComitêGestor,cabendoolançamentodostributosecontribuiçõesapuradosaos respectivosentestributantes.

§4 o (REVOGADO)

§5 o AcompetênciaparaexclusãodeofíciodoSimplesNacionalobedeceaodispostonoart.33,eojulgamentoadministrativo,aodispostonoart.39, ambosdestaLeiComplementar.

§6º Nashipótesesdeexclusãoprevistasnocaput,anotificação:

I­seráefetuadapeloentefederativoquepromoveuaexclusão;e

II­poderáserfeitapormeioeletrônico,observadaaregulamentaçãodoCGSN.

§7º (REVOGADO)

§8º Anotificaçãodequetratao§6ºaplica­seaoindeferimentodaopçãopeloSimplesNacional.

§9º Considera­sepráticareiterada,parafinsdodispostonosincisosV,XIeXIIdocaput:

I­aocorrência,em2(dois)oumaisperíodosdeapuração,consecutivosoualternados,deidênticasinfrações,inclusivedenaturezaacessória,verificada

emrelaçãoaosúltimos5(cinco)anos­calendário,formalizadasporintermédiodeautodeinfraçãoounotificaçãodelançamento;ou

II ­asegundaocorrênciadeidênticas infrações, casosejaconstatadaautilizaçãodeartifício, ardil ouqualqueroutromeiofraudulentoqueinduzaou mantenhaafiscalizaçãoemerro,comofimdesuprimiroureduziropagamentodetributo.

Art.30. AexclusãodoSimplesNacional,mediantecomunicaçãodasmicroempresasoudasempresasdepequenoporte,dar­se­á:

I­poropção;

II­obrigatoriamente,quandoelasincorrerememqualquerdassituaçõesdevedaçãoprevistasnestaLeiComplementar;ou

III­obrigatoriamente,quandoultrapassado,noano­calendáriodeiníciodeatividade,olimiteproporcionaldereceitabrutadequetratao§2 o doart.3 o ;

IV­obrigatoriamente,quandoultrapassado,noano­calendário,olimitedereceitabrutaprevistonoincisoIIdocaputdoart.3 o ,quandonãoestivernoano­ calendáriodeiníciodeatividade.

§1 o AexclusãodeverásercomunicadaàSecretariadaReceitaFederal:

I­nahipótesedoincisoIdocaputdesteartigo,atéoúltimodiaútildomêsdejaneiro;

II­nahipótesedoincisoIIdocaputdesteartigo,atéoúltimodiaútildomêssubseqüenteàqueleemqueocorridaasituaçãodevedação;

III­nahipótesedoincisoIIIdocaput:

a)atéoúltimodiaútildomêsseguinteàqueleemquetiverultrapassadoemmaisde20%(vinteporcento)olimiteproporcionaldequetratao§10doart.

3

o ;ou

b)atéoúltimodiaútildomêsdejaneirodoano­calendáriosubsequenteaodeiníciodeatividades,casooexcessosejainferiora20%(vinteporcento)do

respectivolimite;

IV­nahipótesedoincisoIVdocaput:

a)atéoúltimodiaútildomêssubsequenteàultrapassagememmaisde20%(vinteporcento)dolimitedereceitabrutaprevistonoincisoIIdocaputdo

art.3 o ;ou

b)atéoúltimodiaútildomêsdejaneirodoano­calendáriosubsequente,nahipótesedenãoterultrapassadoemmaisde20%(vinteporcento)olimitede

receitabrutaprevistonoincisoIIdocaputdoart.3 o .

§2 o Acomunicaçãodequetrataocaputdesteartigodar­se­ánaformaaserestabelecidapeloComitêGestor.

§3º A alteraçãodedados noCNPJ, informadapelaME ouEPP àSecretariadaReceitaFederal doBrasil, equivaleráàcomunicaçãoobrigatóriade exclusãodoSimplesNacionalnasseguinteshipóteses:

I ­alteraçãodenaturezajurídicaparaSociedadeAnônima, SociedadeEmpresáriaem ComanditaporAções, Sociedadeem ContadeParticipaçãoou Estabelecimento,noBrasil,deSociedadeEstrangeira;

II­inclusãodeatividadeeconômicavedadaàopçãopeloSimplesNacional;

III­inclusãodesóciopessoajurídica;

IV­inclusãodesóciodomiciliadonoexterior;

V­cisãoparcial;ou

VI­extinçãodaempresa.

Art.31. AexclusãodasmicroempresasoudasempresasdepequenoportedoSimplesNacionalproduziráefeitos:

I­nahipótesedoincisoIdocaputdoart.30destaLeiComplementar,apartirde1 o dejaneirodoano­calendáriosubseqüente,ressalvadoodispostono§ 4 o desteartigo;

II­nahipótesedoincisoIIdocaputdoart.30destaLeiComplementar,apartirdomêsseguintedaocorrênciadasituaçãoimpeditiva;