Você está na página 1de 1

O trabalho dignifica o homem.

Essa frase liberal representa a ideologia


disseminada entre as sociedades que buscavam os meios industriais de
produo, a partir da Primeira Revoluo Industrial, no sculo XVIII. A
construo identitria do trabalho, antes vista negativamente, se fez
necessrio para impulsionar a populao aderir o modelo de produo
moderno, como forma de se obter a mo de obra operria. Porm, as
consequncias que essa ideologia e esse novo modelo de produo
fomentaram na vida social, determinaram a alienao trabalhista vigente at
os dias atuais.
Em primeiro lugar, a experincia do trabalho originada na sociedade
moderna tem como fundamento a inter-relao entre a vida social e a
profissional. A partir da revoluo, se trabalha como forma de se obter outra
necessidades, em detrimento do que o trabalho em si produz. O
assalariamento proporciona o investimento em reas de interesse, em
contrapartida o trabalho se torna algo obrigatrio e indesejvel, afinal se
torna o nico meio de adquirir ou atuar os bens almejados.
Alm disso, na sociedade moderna, o homem perde o controle do tempo.
As horas direcionadas ao trabalho ocupam maior parte do seu cotidiano.
Alm do tempo que lhe explorado em seus expedientes, ocasiona-se a
preparao, quando fora dela, para a prxima jornada, evidente na
disciplinaridade do perodo de sono ou at mesmo no deslocamento do
indivduo para o local de emprego. O resultado dessa rotina o desgaste da
qualidade de vida do proletariado, que vive a opresso do trabalho
exploratrio, em que lhe retirado o tempo precioso para o exercimento de
suas atividades cobiadas.
Portanto, a ideologia dignificatria ostentada, a partir da Revoluo
Industrial, diante do trabalho se torna divergente quando referenciada pelas
questes acima tratadas. Com o objetivo de solucionar essas problemticas,
a fomentao intervencionista deve focar no tempo de atuao do
profissional em seu trabalho, diminuindo sua carga horria atravs de
consensos com os seus respectivos sindicatos, afim de dispor uma
priorizao do tempo do indivduo para o exercimento de sua cidadania e de
suas reas de interesse pessoal.