Você está na página 1de 22

Resultados 2T07

Metalfrio divulga crescimento de 98,0% da Receita Líquida no


Trimestre, com R$ 141,4 milhões e inicia reestruturação de sua
operação na Europa
São Paulo, Brasil, 14 de agosto de 2007 - A Metalfrio Solutions S.A. (“Metalfrio”) (FRIO3), uma das
maiores fabricantes mundiais de equipamentos de refrigeração comercial do tipo Plug-in, líder neste
segmento na América Latina, anuncia seus resultados do 2T07. As informações financeiras e
operacionais a seguir, exceto onde indicado, são apresentadas de acordo com a legislação Societária
Brasileira e em Reais (R$). As comparações referem-se aos resultados do 2T06 ou conforme indicado.
Durante o 2T06 os resultados da Metalfrio Solutions S.A. não contavam com a consolidação de suas
subsidiárias. As operações de assistência técnica da Life Cycle, operações na Dinamarca, Rússia,
Turquia e Estados Unidos, só passaram a ser consolidadas a partir de dezembro de 2006, quando tais
empresas tornaram-se subsidiárias da controladora Metalfrio Solutions S.A. Desta forma a comparação
dos números consolidados de 2T07 com o mesmo período de 2006 deve ser feita com cautela.

Destaques do Período
Receita líquida de R$ 141,4 milhões com crescimento de
Contato Relações com Investidores
98,0% em relação ao 2T06 e 24,1% em relação ao 1T07.
Luiz Eduardo Moreira Caio Número de unidades vendidas aumentou 15,7% em relação à
(Diretor de Relações com Investidores) 1T07 e 88,0% contra 2T06. Destaques de crescimento de
Tel.: +55 11 6333-9002
Fax.: +55 11 6333-9196
receita são o Brasil com 15,6% sobre 1T07 (36,4% com
ri@metalfrio.com.br relação à 2T06), a Rússia com 73,0% e a Turquia com 507,4%
www.metalfrio.com.br/ri ambas sobre 1T07.
Av. Abrahão Gonçalves Braga, 412 Vila Avanço no ramp-up de nossas operações principalmente na
Livieiro – 04186-220 Rússia e também na Turquia. O volume de unidades vendidas
São Paulo – SP – Brasil na Rússia aumentou 110,0% de 4,3 mil unidades no 1T07 para
9,1 mil unidades neste trimestre. A maior escala de produção
Teleconferência de Resultados permitiu um aumento de margem EBITDA de negativa em
0,7% para positivo em 10,5%. Na Turquia o volume produzido
Em Português neste trimestre atingiu 3,1 mil unidades contra 0,6 mil unidades
Data: 15 de agosto de 2007 (quarta-feira)
Horário: 11h00 (horário de Brasília) / em 1T07 e a margem EBITDA foi negativa em 9,6% no
10h00 (horário de NY) período, sendo que esperamos que se torne positiva com
aumentos de volume e escala.
Telefone de conexão:
+55 (11) 2188-0188 Nosso EBITDA ajustado, depois de descontados itens não
Código de acesso: Metalfrio recorrentes 1 foi de R$ 6,5 milhões. O destaque positivo deste
Telefone para replay: resultado é a operação da Metalfrio Brasil com EBITDA de
+55 (11) 2188-0188
R$8,4 milhões (margem de 8,6%) e a virada da operação na
Em Inglês Rússia. Também contamos com dois meses de resultado da
Data: 15 de agosto de 2007 (quarta-feira) Metalfrio México (Nieto, adquirida em abril de 2007). O
Horário: 10h00 (horário de Brasília) /
09h00 (horário de NY)
destaque negativo veio da Dinamarca com EBITDA negativo
de R$1,4 milhões. Além disso, o atraso de ramp-up da Turquia
Telefone de conexão: gerou EBITDA negativo de R$0,4 milhão.
+1 (973) 935-8893
Código de acesso: 9021016 Com o ramp-up de Rússia e Turquia em fase avançada e
Telefone para replay: devido às dificuldades de redução de custo de nossa planta na
+1 (973) 341-3080 Dinamarca, decidimos encerrar nossas atividades de produção
neste país e transferir a produção principalmente para Rússia
onde temos linha de horizontais com capacidade ociosa.
Provisionamos despesas de R$11,4 milhões para esta
mudança.
Iniciamos a produção no México de unidades “véu de noiva”.
As primeiras 200 unidades foram despachadas em julho.
Atualmente estes produtos são despachados do Brasil com
altos custos. Tivemos um total de R$4,0 milhões de despesas
de frete no 2T07.

1
EBITDA ajustada para R$1,7 milhão de benefício fiscal, R$18,3 milhões de reclassificação de despesas de IPO, R$0,9 milhão de
variação cambial de equivalência patrimonial, R$1,5 milhão de resultado de hedge, R$270 mil de despesa de frete e impostos
extraordinário de exportação do Brasil, R$11,4 milhões de provisão de fechamento da Dinamarca, R$1,1 milhão de ajuste de preço da
compra da Dinamarca e R$150 mil de ajuste de preço da aquisição do México.

1 de 22
Resultados 2T07

Destaques do Resultado Consolidado

Receita Líquida, Unidades Vendidas e Preço Médio

Nossa Receita Líquida do segundo trimestre de 2007 (“2T07”) aumentou 98,0% em


comparação com o segundo trimestre de 2006 (“2T06”), passando de R$71,4 milhões no 2T06
para R$141,4 milhões no 2T07. Parte deste aumento das vendas é resultado da consolidação
das novas operações na Europa, Estados Unidos e México, além da operação de assistência
técnica da Life Cycle no Brasil que não faziam parte consolidada da companhia no 2T06.

Evolução da Receita Líquida (em R$ milhões)


2T06 vs. 2T07 1T07 vs. 2T07

141,4 141,4
8,0 8,0
98,0% 24,1%
1,8 113,9 1,8
4,2 4,2
7,1 7,1
20,3 0,7 4,1 1,1 20,3
2,6 21,1 2,6
36,4% 15,6%
2,6

97,4 97,4
84,3
71,4

2T06 2T07 1T07 2T07


Brasil Life Cycle Dinamarca Rússia Turquia EUA México Brasil Life Cycle Dinamarca Rússia Turquia EUA México

1S06 vs. 1S07 Quebra da Receita entre Operações no 2T07 (em R$


milhões e em % do total)

255,3 Turquia; 4,2;


3% EUA; 1,8; 1% México; 8; 6%
8,0
4,9 11,2 2,9
91,5% Rússia; 7,1;
41,4
5,3 5%
36,3%

Dinamarca;
181,7 20,3; 14%
133,3
Life Cycle;
2,6; 2%
Brasil; 97,4;
1S06 1S07
69%
Brasil Life Cycle Dinamarca Rússia Turquia EUA México

2 de 22
Resultados 2T07

Unidades Vendidas (mil) Preço Médio (R$/unidade)


1T07 2T07 1S07 1T07 2T07 1S07
Brasil 79,8 81,5 161,2 Brasil 1.056 1.196 1.127
Dinamarca 20,8 20,9 41,7 Dinamarca 1.016 971 994
Rússia 4,3 9,1 13,4 Rússia 947 781 834
Turquia 0,6 3,1 3,7 Turquia 1.175 1.374 1.342
USA 0,7 1,6 2,3 USA 1.590 1.135 1.270
México n/a 6,8 6,8 México n/a 1.185 1.185
Total 106,2 122,8 229,0 Total 1.073 1.152 1.115

Brasil
As operações das plantas do Brasil (São Paulo-SP e Três Lagoas-MS) tiveram crescimento da
Receita Líquida em 36,4%, alcançando R$97,4 milhões no 2T07 contra R$71,4 milhões no
2T06. No 2T07 foram vendidos 81,5 mil equipamentos, volume 25,8% superior ao mesmo
período de 2006. A Receita Líquida da operação Brasil no 2T06 representou 24,6% da venda
total do ano, enquanto as vendas da primeira metade do ano representaram 45,9% das vendas
totais do ano.
Um dos drivers de crescimento das vendas do Brasil foi, entretanto, o atendimento à demanda
Mexicana, advinda do contrato que celebramos para o fornecimento de “véus de noiva”
localmente. No 2T07 exportamos 18,1 mil equipamentos verticais “véus de noiva” para o
México.
O preço médio por unidade vendida no Brasil passou de R$1.056/ unidade no 1T07 para R$
1.196/unidade no 2T07. Isso representa um crescimento de 13,3% do 2T07 contra 1T07 e se
deve basicamente pela mudança de mix de produtos, com a venda de produtos de alto valor
agregado “véu de noiva”.

Dinamarca
Em 2006, consolidamos apenas um mês de operações européias, sendo que o volume de
vendas consolidado daquele ano foi de apenas 5 mil unidades. Em 2007 nossa planta da
Dinamarca obteve vendas de 21 mil e 21 mil unidades do 1T07 e 2T07 respectivamente. Com
esse volume de vendas, a Receita Líquida foi de R$20,3 milhões no 2T07 contra R$21,1
milhões no 1T07, queda de 4,1%.
O preço médio das unidades vendidas na Dinamarca foi de R$1.016/unidade no 1T07 e
R$971/unidade no 2T07. O valor médio por unidade na Dinamarca foi 18% mais baixo que o do
Brasil, devido ao mix de produtos dinamarqueses, que inclui basicamente a venda de produtos
horizontais.
A produção dos produtos comercializados pela Dinamarca deverá ser transferida para nossas
plantas da Rússia e Turquia até o final de 2007 como parte do nosso plano de reestruturação
de nossas operações européias.

Rússia
Nossa operação da Rússia teve uma evolução favorável neste trimestre, com aumento de
73,0% na Receita Líquida, para R$7,1 milhões no 2T07 contra R$4,1 milhões no 1T07. O preço
médio das unidades vendidas na Rússia passou de R$947/unidade no 1T07 para
R$781/unidade no 2T07. Essa redução de aproximadamente 17% no preço de venda deve-se
ao sucesso da transformação da produção de CKDs para produção integral viabilizando assim
um aumento considerável nas vendas.

3 de 22
Resultados 2T07

Turquia
Nossa operação na Turquia, que fabrica atualmente equipamentos verticais e alguns modelos
especiais, teve seu início efetivo com a fabricação de lotes comerciais no 2T07. Neste trimestre
a Turquia teve receita de R$4,2 milhões, com 3,1 mil unidades vendidas, contra R$0,7 milhão
vendido no 1T07 na forma de vendas-teste para alguns clientes. O preço médio das unidades
vendidas na Turquia passou de R$1.175/unidade no 1T07 para R$1.374/unidade no 2T07.

México
Consolidamos apenas dois meses de operações do México, com 6,8 mil unidades vendidas em
2T07. A planta tem capacidade de produção de cerca de 59 mil unidades por ano,
considerando operação em um turno. Em 2006 a Nieto vendeu 33,5 mil unidades de freezers e
refrigeradores horizontais. A aquisição da Nieto nos permitirá produzir de forma mais
competitiva produtos hoje exportados para o México a partir do Brasil, além de constituir uma
melhor base de exportação para os países do Pacto Andino e América do Norte. Em julho
tivemos a produção do primeiro lote piloto e devemos ter a planta pronta para atender o
mercado local já no 4T07. O preço médio das unidades vendidas no México foi de
R$1.185/unidade no 2T07 e deve aumentar com a inserção da produção dos “véus de noiva”
localmente.

EUA
O reforço nos estoques e a proximidade do verão contribuíram para o aumento das vendas de
nosso centro de distribuição nos Estados Unidos que teve Receita Líquida de R$1,8 milhão
com venda de 1,6 mil unidades no 2T07, 63,6% acima das vendas de R$1,1 milhão do 1T07. O
preço médio das unidades vendidas nos EUA caiu de R$1.590/unidade no 1T07 para R$1.135
no 2T07. Essa queda de 28% deve-se em parte à desvalorização do dólar norte americano e
em parte ao mix de produtos mais variado.

4 de 22
Resultados 2T07

COMPOSIÇÃO DAS % do Total no % do Total no % do Total no


2T06 1T07 2T07
VENDAS LÍQUIDAS 2T06 1T07 2T07

Receita Líquida
(em milhões de reais)
Horizontais 20,5 53,8 58,8 28,7% 47,2% 41,6%
Verticais 37,2 44,7 71,1 52,1% 39,2% 50,2%
Especiais 10,1 6,0 4,3 14,1% 5,3% 3,0%
Outros 3,6 9,4 7,3 5,0% 8,3% 5,2%
Total 71,4 113,9 141,4 100,0% 100,0% 100,0%

Unidades Vendidas
(em milhares)
Horizontais 28,8 68,6 71,1 44,1% 64,6% 57,5%
Verticais 31,3 34,5 47,9 47,9% 32,8% 39,5%
Especiais 5,2 3,1 3,8 8,0% 2,9% 3,1%
Total 65,3 106,2 122,8 100,0% 100,0% 100,0%

Preço Líquido Médio (em


reais)
Horizontais 710 784 826 65,0% 73,1% 72,3%
Verticais 1.188 1.295 1.457 108,8% 119,7% 127,5%
Especiais 1.950 1.949 1.132 178,6% 180,1% 99,0%
Médio 1.038 984 1.084 95,1% 91,7% 94,8%
Média Total 2 1.092 1.073 1.143 100,0% 100,0% 100,0%

2
Média Total igual a Receita Líquida total dividido pelo número de unidades de equipamentos horizontais, verticais e
especiais. Portanto incluindo receita de serviços e partes de manutenção.

5 de 22
Resultados 2T07

Custo do Produto Vendido, Lucro Bruto e Margem Bruta

O Lucro Bruto aumentou 39,5% em relação ao mesmo período do ano passado, de R$12,4
milhões no 2T06 para R$17,3 milhões no 2T07. Este aumento se deve ao aumento das vendas
e da consolidação das operações da Life Cycle, Europa, EUA e México.
A Margem Bruta consolidada caiu de 17,4% no 2T06 para 12,2% no 2T07 em função dos
resultados das subsidiárias, principalmente da Dinamarca.

Evolução do Lucro Bruto e Margem Bruta Consolidados


(2T07 vs. 1T07 e 2T06 em R$ milhões)
Margem Bruta por País (% da Receita Líquida)
17,3 1T07 2T07 1S07
17,4%
15,5
Brasil 18,4% 17,1% 17,7%
13,6%
12,4 12,2% Dinamarca 7,8% 2,8% 5,4%
Rússia 5,2% 10,6% 8,6%
Turquia -39,6% -10,5% -14,6%
USA 32,5% 23,6% 26,9%
México n/a 11,6% 11,6%
Total 13,6% 12,2% 12,9%
2T06 1T07 2T07

Brasil
A margem bruta das operações brasileiras no 2T07 foi de 17,1%, em linha com a margem bruta
do 1T07 de 18,4%. Entretanto, parte das exportações foram asseguradas com hedge na forma
de ACCs, além disso tivemos custo extraordinário de R$150 mil relacionados a imposto de
importação na Croácia, portanto, ajustando o Lucro Bruto com R$1,5 milhão de resultado deste
hedge e R$150 mil do custo extraordinário, tivemos Margem Bruta de 18,8%, 0,4p.p. acima do
trimestre anterior.
O aumento da produção em Três Lagoas foi um dos fatores que contribuíram para a melhora
na margem bruta. No 2T07 foram fabricadas e faturadas por Três Lagoas 9,8 mil unidades,
contra 6,3 mil unidades no 1T07. No 2T07 iniciamos o projeto de expansão da fábrica de Três
Lagoas o que nos proporcionará aumentar a produção em um ambiente de custos mais
competitivos.

Dinamarca
A margem bruta das operações da Dinamarca no 2T07 foi de 2,8%, abaixo do 1T07 que foi de
7,8%. Tal efeito deveu-se a um custo extraordinário de R$1,1 milhão decorrente de um ajuste
de preço em função do contrato de aquisição da Caravell/Derby. Ao excluir este evento não
recorrente, nossa margem bruta seria de 8,0%, em linha com a margem bruta do 1T07.
Esta planta apresenta custos industriais muito altos se comparados com nossas outras plantas.
Tendo em vista a dificuldade de redução de tais custos, a positiva evolução das operações na
Rússia e Turquia e a existência de capacidade ociosa nestas plantas, decidimos antecipar o
encerramento das atividades de produção neste país e transferi-la para a Rússia e Turquia.
Assim, planejamos o fechamento da fábrica na Dinamarca até o final de 2007. Seus
equipamentos serão enviados para nossas outras unidades da Europa. O custo deste
encerramento será de R$11,4 milhões e está provisionado no balanço do 2T07.

6 de 22
Resultados 2T07

Rússia
Nossa operação na Rússia tem demonstrado uma evolução muito positiva com crescimento de
receita e melhoria de margem. No 2T07 tivemos Lucro Bruto de R$0,8 milhão, 4x o resultado
do 1T07, com melhoria de margem de 5,2% no 1T07 para 10,6% no 2T07.

Turquia
A margem bruta das operações da Turquia no 2T07 foi negativa em 10,5%, mostrando melhora
frente à margem bruta negativa em 39,6% do 1T07, basicamente em função do baixo volume,
pois a planta encontra-se em fase de ramp-up. Além disso, também tivemos na Turquia o
impacto negativo do uso de componentes importados da Dinamarca. No 1T07, estimamos que
cerca de 90% do custo dos nossos produtos vinham da Dinamarca. No 2T07 reduzimos para
85% e esperamos que a grande maioria dos componentes passe a ser obtido diretamente de
fornecedores locais a partir de 4T07.

México
Nos dois meses de operação da companhia no 2T07 tivemos Lucro Bruto de R$0,9 milhão,
com margem de 11,6%. Este resultado foi prejudicado por R$150 mil derivados de ajuste de
valores de estoque relacionados com nosso processo de aquisição da Nieto, desconsiderando
esse custo extraordinário, nossa Margem Bruta teria sido de 13,5%.
Com os atuais investimentos para a fabricação local de produtos da plataforma Metalfrio
devemos migrar para lá a produção dos equipamentos “véus de noiva”, exportados atualmente
do Brasil, o que implicaria em aumento de eficiência de custos.

EUA
A margem bruta das operações dos EUA no 2T07 foi de 23,6%, mostrando decréscimo frente à
margem bruta do 1T07, de 32,5%. A compressão da margem é uma combinação de mix de
produtos mais variado com produtos de menor valor agregado, e de desvalorização do Dólar
norte americano frente ao Real.

7 de 22
Resultados 2T07

Despesas Operacionais (SG&A)

Despesas de Venda como Percentual da Receita Líquida Despesas Gerais e Administrativas como Percentual da
por País (2T07 vs. 1T07) Receita Líquida por País (2T07 vs. 1T07)
Despesas de Vendas Despesas Gerais e Administrativas
1T07 2T07 1S07 1T07 2T07 1S07
Brasil 7,0% 10,0% 8,6% Brasil 1,6% 1,7% 1,6%
Dinamarca 7,4% 9,2% 8,3% Dinamarca 6,5% 4,5% 5,5%
Rússia 0,0% 0,0% 0,0% Rússia 7,8% 6,6% 7,0%
Turquia n/a 10,2% 8,8% Turquia n/a 8,9% 7,6%
USA 3,7% 1,5% 2,3% USA 49,2% 33,9% 39,6%
México n/a 7,9% 7,9% México n/a 5,9% 5,9%
Total 6,6% 9,6% 8,2% Total 3,8% 3,2% 3,5%

Brasil
A Despesa com Venda do Brasil no 2T07 reflete o custo adicional de transporte dos
equipamentos “véu de noiva”. No 2T07 vendemos 18,1 mil equipamentos para o mercado
Mexicano partindo do Brasil (24,8 mil equipamentos no ano até então), incorrendo em R$ 4,0
milhões de custo de frete somente para esses produtos. Também tivemos R$120 mil de
despesas extraordinárias de frete para um cliente na Europa. Expurgando essas despesas
extraordinárias e de frete para o Mexico, nossa Despesa com Venda seria de R$5,7 milhões no
2T07, representando 5,8% das vendas, uma melhora de 1,2p.p.em relação ao trimestre
anterior. As Despesas Administrativas do Brasil foram de R$1,6 milhão no 2T07, um pouco
acima dos R$1,4 milhão em 1T07 e também em 2T06. A valorização do Real no 2T07 nos
causou R$0,9 milhão de perdas cambiais sobre nossos investimentos no exterior, que foram
lançados como outras despesas operacionais. Também tivemos a reclassificação das
despesas de IPO, registramos R$18,3 milhões como outras despesas operacionais, sendo
R$2,4 milhões efetivamente relativas ao 2T07.

Dinamarca
A despesa de vendas como percentual da Receita Líquida das operações da Dinamarca no
2T07 foi de 9,2% contra 7,4% em 1T07. As despesas gerais e administrativas das operações
da Dinamarca no 2T07 representaram 4,5% da receita líquida mostrando melhora em relação
ao 1T07 quando foram de 6,5%. Em função de nossa decisão de fechamento da fábrica da
Dinamarca e transferência da produção, provisionamos R$11,4 milhões alocados em Outras
Despesas Operacionais.

Rússia
As despesas gerais e administrativas da Rússia no 2T07 representaram 6,6% da receita líquida
contra 7,8% no 1T07. Este efeito deveu-se basicamente do aumento de volume e conseqüente
diluição das despesas.

Turquia
A despesa de vendas como % da receita líquida das operações da Turquia no 2T07 foi de
10,2%, valor bastante alto devido ao baixo volume vendido.
As despesas gerais e administrativas como % da receita líquida das operações da Turquia no
2T07 foram de 8,9%, também devido aos baixo nível de produção.

8 de 22
Resultados 2T07

México
As Despesas com Vendas foram de R$0,6 milhão, representando 7,9% das vendas, em linha
com nossa operação do Brasil. Já as Despesas Administrativas foram de R$0,5 milhão,
representando 5,9% das vendas. Além disso, tivemos outras receitas operacionais de R$0,2
milhão.

EUA
Nosso centro de distribuição nos Estados Unidos teve R$0,7 milhão de despesas operacionais
no 2T07, representando 40,3% das vendas, contra R$0,6 milhão do 1T07, ou 59,4% das
vendas. Por se tratar de um centro de distribuição, a maior parte de suas despesas são
puramente administrativas e pouco variáveis, sendo de R$0,6 milhão no 2T07 contra R$0,5 no
1T07. As Despesas de Vendas somaram R$27 mil, e o Honorário da Administração
reconhecido nesta operação somou mais R$89 mil no 2T07.

9 de 22
Resultados 2T07

EBITDA, EBITDA Ajustado e Margem EBITDA

Nosso EBITDA Ajustado após itens Não-recorrentes foi de R$6,5 milhões no 2T07, contra
R$5,8 milhões no 2T06 e R$5,0 milhões no 1T07. O EBITDA Ajustado após itens Não-
recorrentes acumulado do ano é de R$11,5 milhões, contra R$9,8 milhões no 1S06.

Reconciliação do EBITDA e EBITDA Ajustado após itens Não-recorrentes:


2T06 2T07 1T07 2T07
EBITDA (em milhões de reais) Op. Brasil Op. Brasil Consolidado Consolidado

Resultado Operacional 3 4,5 (15,8) 3,6 (31,6)


Depreciação e Amortização 1,1 1,5 1,4 2,7
EBITDA 5,6 (14,3) 5,0 (28,9)
Benefício Fiscal 0,2 1,7 0,0 1,7
Despesas IPO 0,0 18,3 0,0 18,3
Variação Cambial sobre Equivalência Patrimonial 0,0 0,9 0,0 0,9
EBITDA Ajustado 5,8 6,6 5,0 (8,0)
Resultado de Hedge 0,0 1,5 0,0 1,5
Despesa Não-recorrente de Frete e Importação Brasil 0,0 0,3 0,0 0,3
Despesa Não-recorrente de Fechamento Dinamarca 0,0 0,0 0,0 11,4
Ajuste de Preço de Aquisição da Dinamarca 0,0 0,0 0,0 1,1
Ajuste de Preço de Aquisição do México 0,0 0,0 0,0 0,2
EBITDA Ajustado após itens Não-recorrentes 5,8 8,4 5,0 6,5

Margem EBITDA (%) 7,9% 4,0% 4,4% (7,5)%


Mrg. EBITDA Ajustado após itens Não-recorrentes (%) 8,1% 8,6% 4,4% 4,6%

Composição do EBITDA Ajustado da Companhia (R$ milhões) sem a provisão da Dinamarca


Composição no 1T07 Composição no 2T07

(0,9)
(1,2)
(1,4) (0,4)
0,7 (0,3) 0,4
(1,4)
0,0 0,0 (0,3)
7,9 8,4
6,5
5,0

Brasil Life Cycle Dinamarca Rússia Turquia EUA Total Brasil Life Cycle Dinamarca Rússia Turquia EUA México Total

Brasil
O EBITDA das operações brasileiras, ajustado em R$1,7 milhão de benefício fiscal, R$18,3
milhões de despesas de IPO (reclassificadas no 2T07), R$1,5 milhão de resultado de hedge,
R$0,9 milhão de variação cambial sobre equivalência patrimonial, além de R$270 mil de frete e
imposto de importação não-recorrentes, foi de R$8,4 milhões neste trimestre com margem de
8,6%, 0,5p.p. acima da margem do 1T07.

Dinamarca
O EBITDA da operação da Dinamarca, ajustado para R$11,4 milhões de provisão para
fechamento da planta e R$1,1 milhão de ajuste de preço de aquisição no 2T07 foi negativo em
R$1,4 milhão, com margem EBITDA negativa em 6,7%, comparado com 1T07 que foi negativa
em 6,5%. Essa margem baixa se deve à baixa Margem Bruta desta planta aliada às suas
elevadas despesas gerais e administrativas.

3
Considera despesa de R$1,5 milhão de despesa intercompany com a Life Cycle para o Brasil.

10 de 22
Resultados 2T07

Rússia
No 2T07 esta planta produziu EBITDA positivo de R$0,7 milhão, representando Margem
EBITDA de 10,5%. Vale ressaltar que a planta da Rússia ainda encontra-se em fase de ramp-
up e novas melhorias, visando maior eficiência de custos e melhora de infra-estrutura para
recebimento da produção antes efetuada na Dinamarca, devem ser implementadas em breve.

Turquia
Nossa planta na Turquia se tornou operacional apenas neste trimestre, o nível de vendas ainda
foi baixo para a configuração da operação, e ainda sofremos no 2T07 pelo custo envolvido com
a dependência do fornecimento de matérias primas da Dinamarca. Assim o EBITDA da Turquia
foi negativo em R$0,4 milhão e a margem de EBITDA no 2T07 foi negativa em 9,6%.

México
O EBITDA ajustado em R$150 mil referentes a ajuste de preços de estoques relativos a
aquisição foi de R$0,4 milhão neste trimestre em que consolidamos apenas 2 meses de
operação desta empresa. Assim, a margem EBITDA ajustada foi de 4,4% devido a um volume
de vendas no México ainda baixo. Entretanto, com o início da produção local dos produtos da
plataforma Metalfrio, principalmente dos produtos “véu de noiva”, esta operação deve começar
a agregar mais significativamente ao EBITDA consolidado a partir do ultimo trimestre deste
ano.

EUA
A operação do nosso centro de distribuição nos Estados Unidos teve EBITDA negativo em
R$0,3 milhão no 2T07, praticamente o mesmo do trimestre anterior, negativo em R$0,3 milhão.
Tal fato se deve ao baixo volume de vendas e altas despesas administrativas fixas. O EBITDA
do centro de distribuição dos EUA deverá se tornar positivo à medida que ganhemos escala
com o aumento da venda de produtos.

Life Cycle
Nossa subsidiária Life Cycle, presta serviços de manutenção para terceiros bem como absorve
os custos de manutenção relativos às garantias dos produtos vendidos pela controladora.
A contribuição do EBITDA da Life Cycle para o EBITDA consolidado da companhia neste
trimestre foi negativa em R$0,9 milhão tendo em vista que parte do resultado da empresa é por
meio de prestação de serviços de assistência técnica intercompany para a controladora, pelo
qual a Life Cycle recebe R$1,5 milhão de receita por trimestre. No 1T07 a contribuição do
EBITDA da Life Cycle para o EBITDA consolidado da companhia foi negativa em R$1,2 milhão.
Os resultados da Life Cycle estão abaixo do esperado. Desta forma em junho de 2007
iniciamos uma reavaliação do modelo de operação da empresa que incluiu a contratação de
um novo responsável pela empresa.

Resultado Financeiro

No 2T07 tivemos Resultado Financeiro Líquido positivo de R$6,9 milhões, 9,4x maior que no
2T06, quando tivemos R$0,7 milhão de Receita Financeira Líquida. O aumento do Resultado
Financeiro é natural uma vez que tivemos captação de R$289,0 milhões (líquido de comissões)
no começo de Abril, terminando o trimestre com caixa líquido de R$137,4 milhões.
Devido ao grande volume de exportação da operação Brasil neste trimestre, como de costume
procuramos assegurar os preços de venda das exportações com instrumentos de hedge,
incluindo certos tipos de dívida como Adiantamentos de Contrato de Câmbio (ACCs). Estes

11 de 22
Resultados 2T07

instrumentos, além de adiantar recursos financeiros para a companhia, também funcionam


como instrumentos de hedge tendo resultado compensatório caso haja valorização da moeda
local como ocorreu neste trimestre. Os ACCs geraram nestes trimestre um resultado positivo
de R$1,5 milhão em variação cambial.
Também destacamos a manutenção de alto nível de caixa na operação da Turquia (R$51,9
milhões no final do 2T07) para aproveitar a alta taxa de juros local. No 2T07 tivemos R$1,0
milhão de receita financeira nesta operação.

Lucro Líquido

Tivemos prejuízo líquido de R$9,9 milhões, contra lucro de R$3,6 milhões no 2T06.
Ajustando para (i) as despesas adicionais de IPO de R$1,9 milhão, líquidas de imposto de
renda diferido e (ii) a subvenção para investimento referente ao incentivo fiscal de nossa
fábrica de Três Lagoas, de R$1,7 milhão; e (iii) a provisão de encerramento da Dinamarca,
nosso Lucro Líquido consolidado do 2T07 foi de R$5,1 milhões, comparado com R$3,8 milhões
no 2T06 (com R$0,2 milhão de incentivo fiscal).

12 de 22
Resultados 2T07

Capital Circulante

O Capital Circulante Líquido (“CCL”) no final do 2T07 era de R$353,4 milhões, contra R$58,7
milhões de CCL no final do 1T07. Excluindo o caixa líquido, que teve aumento significativo em
função dos recursos do IPO, o Capital Circulante Líquido aumentou R$51,6 milhões, sendo de
R$125,1 milhões no 2T07 contra R$73,5 milhões no 1T07. Esse aumento deveu-se,
principalmente, ao aumento do saldo de contas a receber de clientes em R$11,8 milhões e
aumento do estoque em R$26,5 milhões, com diminuição do saldo de Fornecedores em R$7,5
milhões, além da diminuição de outras contas do Passivo Circulante.

Var. $ 2T07 Var. $ 2T07


CAPITAL CIRCULANTE (em R$ milhões) 2T06 1T07 2T07 vs. 1T07 vs.2T06

Ativo circulante:
Caixa e equivalentes 52,1 48,6 267,4 218,8 215,3
Contas a receber de clientes 40,6 97,3 109,1 11,8 68,5
Estoque 26,9 69,1 95,6 26,5 68,7
Outros 21,5 23,2 26,5 3,3 5,0
A) Total 141,1 238,2 501,6 260,4 357,5
B) Ativo circulante (menos caixa) 89,0 189,6 231,2 41,6 142,2

Passivo circulante:
Fornecedores 35,4 71,5 64,0 -7,5 28,6
Dívida financeira de curto prazo 32,7 63,4 39,1 -24,3 6,4
Outros 13,6 44,6 42,1 -2,5 28,5
C) Total 81,7 179,5 145,2 -34,3 63,5
D) Passivo circulante (menos dívida) 49,0 116,1 106,1 -10 57,1

Capital Circulante Líquido (A-C) 59,4 58,7 353,4 294,7 294,0


Capital Circulante Líquido (menos caixa
líquido) (B-D) 40,0 73,5 125,1 51,6 85,1

Liquidez corrente 1,7x 1,3x 3,5x n/a n/a

Composição de Caixa e Equivalentes (2T07 em R$ Composição de Contas a Receber de Clientes (2T07 em


milhões) R$ milhões)

0,3 0,8 1,1 6,0


63,6
4,4 36,0

2,2
267,4 109,1
198,2
63,9

Brasil Life Cycle Europa EUA Mexico Total Brasil Life Cycle Europa EUA Mexico Total

13 de 22
Resultados 2T07
Composição de Estoques (2T07 em R$ milhões) Composição de Contas a Pagar a Fornecedores (2T07
em R$ milhões)

0,2 2,9
12,3 15,4
10,5 0,4

38,7 64,0
95,6
45,2

34,2

Brasil Europa EUA Mexico Total Brasil Life Cycle Europa EUA Mexico Total

Caixa e Equivalentes

A Metalfrio possuía no final do 2T07 um saldo total de caixa de R$267,4 milhões, contra
R$48,6 milhões no final de Março de 2007, conseqüência de nossa oferta pública (IPO) em
abril de 2007, com captação bruta total de R$302,3 milhões, e líquida de comissões de
R$289,0 milhões.
A maior parte do Caixa advento do IPO está aplicada na controladora no Brasil, entretanto no
final do 2T07 mantínhamos um saldo de R$51,6 milhões na Turquia.

Contas a Receber de Clientes

Comparado ao saldo do 1T07, houve aumento das Contas a Receber de Clientes 4 da ordem de
R$11,8 milhões no 2T07, de R$97,3 no 1T07 para R$109,1 milhões no final do 2T07.
Considerando-se a operação Brasil, a evolução das Contas a Receber de Clientes foi de
R$66,9 milhões no final do 1T07 para R$63,9 milhões no 2T07, redução de R$3,0 milhões
mesmo com o aumento da Receita Líquida no período para, R$95,7 milhões contra R$84,3
milhões no 1T07.
Considerando-se as operações de Life Cycle, Europa e Estados Unidos, o aumento das Contas
a Receber de Clientes foi de R$30,4 milhões no final do 1T07 para R$39,3 milhões, aumento
de R$8,9 milhões principalmente em decorrência do ramp-up das operações da Rússia e
Turquia com aumento de vendas.
O aumento no saldo das Contas a Receber de Clientes deve-se também a consolidação da
companhia adquirida no México, com R$6,0 milhões no final do trimestre.
O prazo médio de recebimento 5 na operação do Brasil tem evoluído positivamente, sendo de
59 dias no 2T07 comparado com 73 dias no 1T07. Já o prazo médio de recebimento da
operação da Dinamarca e Rússia estão estáveis num nível maior que o da operação brasileira,
com 105 dias no 2T07 comparado com 100 dias no 1T07. A operação da Turquia apresentou
prazo médio de recebimento de 81 dias no 2T07 e a operação do México apresentou prazo
médio de 46 dias no final do 2T07.

Estoques

Comparado ao saldo do final do 1T07, os Estoques do final do 2T07 aumentaram de R$69,1


milhões para R$95,6 milhões, aumento de R$26,5 milhões.

4
Líquidas de Provisão para Devedores Duvidosos (PDD).
5
Prazo médio de recebimento calculado como o saldo de contas a receber de clientes no final do período dividido
pelas vendas do período, multiplicado pelos dias do perído.

14 de 22
Resultados 2T07

Na operação brasileira, o nível de Estoques permaneceu praticamente constante com R$34,1


milhões no final do 1T07 e R$34,2 milhões no final do 2T07, aumento de R$0,1 milhão. A
evolução de estoque no Brasil é positiva dado o nível de vendas do 2T07 15,5% maior do que
no 1T07.
Considerando-se as operações da Europa e Estados Unidos, o aumento do estoque foi de
R$35,0 milhões no 1T07 para R$49,2 milhões no final do 2T07, aumento de R$14,2 milhões.
Os Estoques na Europa aumentaram de R$29,5 milhões no 1T07 para R$38,7 milhões no
2T07. Já os Estoques em nosso centro de distribuição nos Estados Unidos foram reforçados
em R$5,0 milhões no 2T07 visando diminuir o lead-time para nossos clientes.
Além disso, consolidamos no 2T07 R$12,6 milhões de Estoques em nossa nova operação no
México.
O prazo médio de estoques 6 na operação do Brasil diminuiu neste trimestre, sendo de 45 dias
no 1T07 e 39 dias no 2T07. A operação da Dinamarca e Rússia continuaram com nível alto de
estoque, com prazo médio de 92 dias no 1T07 e 100 dias no 2T07.

Fornecedores

Nosso saldo com fornecedores no final do 2T07 era de R$64,0 milhões comparado com
R$71,5 milhões no 1T07, queda de R$7,5 milhões.
O saldo com Fornecedores no Brasil caiu R$4,6 milhões sendo de R$45,2 milhões no 2T07
contra R$49,8 milhões no 1T07. Enquanto o saldo com Fornecedores das operações européias
diminuíram em R$5,5 milhões, com R$15,4 milhões no 2T07 contra R$20,9 milhões no 1T07.
Já o saldo com Fornecedores das operações da Life Cycle e do centro de distribuição nos
Estados Unidos caíram em R$0,3 milhão, com R$0,6 milhão no 2T07 contra R$0,9 no final do
1T07.
Além disso tivemos a consolidação de saldo a pagar para Fornecedores da nova operação no
Mexico, com R$2,9 milhões.

Capitalização e Liquidez

No final do 2T07 tínhamos um saldo de Dívida total de R$130,0 milhões, sendo R$39,1 milhões
de Curto Prazo e R$90,9 milhões de Longo Prazo, e saldo de Caixa de R$267,4 milhões,
implicando Caixa Líquido de R$137,4 milhões. No final do 1T07, ainda sem os recursos de
nossa oferta pública de ações, apresentamos um saldo de Dívida total de R$132,8 milhões,
com caixa de R$48,6 milhões, implicando Dívida líquida de R$84,2 milhões.
Nossa relação de Dívida total sobre Patrimônio Líquido diminuiu de 3,6x no 1T07 para 0,4x no
final do 2T07 graças ao aumento de nosso Patrimônio Líquido com a oferta primária de ações e
a ligeira redução do saldo de dívida em R$2,7 milhões.

6
Prazo médio de estoques calculado com o saldo final de estoques dividido pelo custo do produto vendido do período
multiplicado pelos dias do período.

15 de 22
Resultados 2T07

Dívida Líquida e PL (2T07 em R$ milhões) Estrutura de Capital (2T07 a valor de livros)

Dívida Total
28%
334,9

90,9 267,4

39,1 Patrimônio
Líq.
Dívia de C.P. Dívida de L.P. Caixa & Equiv. Dívida Líq. Patrimônio Líq.
72%
-137,4

INDICADORES DE LIQUIDEZ (em R$ Var. $ 2T07/ Var. $ 2T07/


2T06 1T07 2T07
milhões) 1T07 2T06

Caixa e equivalentes 52,1 48,6 267,4 218,8 215,3


Dívida de Curto Prazo (CP) 32,7 63,4 39,1 -24,3 6,4
Dívida de Longo Prazo (LP) 30,1 69,4 90,9 21,5 60,8
Dívida em USD 54,2 118,3 113,1 -5,2 58,9
Dívida em BRL ou Outra Moeda 8,5 14,5 16,9 -2,4 8,4
Dívida Bruta 62,8 132,8 130,0 -2,8 67,2
Dívida Líquida / (Caixa Líquido) 10,7 84,2 (137,4) -221,6 -148,1
Patrimônio Líquido (PL) 50,7 38,0 332,0 296,9 284,2

Caixa e equivalentes/ Dívida de CP 1,6x 0,8x 6,8x n/a n/a


Dívida de CP / (CP + LP) 52,1% 47,8% 30,1% n/a n/a
Dívida Líquida / PL 0,2x 2,2x n/a n/a n/a
Dívida Líquida / (Dívida Líquida + PL) 17,4% 68,9% n/a n/a n/a

Caixa e Aplicações Financeiras

Os recursos financeiros em caixa e aplicações financeiras aumentaram em R$218,8 milhões,


de R$48,6 milhões no final do 1T07 para R$267,4 milhões no final do 2T07, em função,
principalmente dos recursos de nossa oferta pública (IPO).

Dívida Financeira

Nossa dívida total diminuiu no 2T07 em R$2,8 milhões, com R$130,0 milhões contra R$132,8
milhões no 1T07. Além da redução da Dívida total também houve uma mudança positiva de
perfil com o alongamento do prazo médio.
Nossa dívida de curto de prazo caiu de R$63,4 milhões no 1T07 para R$39,1 milhões no 2T07,
queda de 38,4% ou R$24,3 milhões. A dívida de longo prazo aumentou em R$21,6 milhões, de
R$69,3 milhões no 1T07 para R$90,9 milhões no 2T07.
Parte relevante de nossa dívida é contraída em função da exportação de produtos e podem ter
a função de hedge das exportações, como Adiantamentos de Contrato de Cambio (ACCs),
portanto variam no curso natural do nosso negócio com o aumento ou queda no volume
exportado.
No final do 2T07 tínhamos R$113,1 milhões de dívidas denominadas em USD, representando
87,0% de nossa dívida total e R$ 16,9 milhões em outras moedas. A dívida em USD e
composta de R$16,0 milhões em ACCs, R$38,6 milhões em Pré-pagamento de Exportação e
R$58,5 milhões em outros tipos de dívidas denominadas em USD

16 de 22
Resultados 2T07

No final do 1T07, 89,1,1% de nossa dívida total era denominada em USD, com R$118,3
milhões. Sendo R$33,9 milhões em ACCs, R$47,4 milhões em Pré-pagamento de Exportação
e R$37,0 milhões em outros tipos de dívidas denominadas em USD.

Patrimônio Líquido

Com a emissão de ações em nossa oferta pública, o Capital Social de nossa controladora
aumentou em R$302,3 milhões (valor bruto dos recursos do IPO), evoluindo de R$37,7 milhões
no 2T07 para R$340,0 milhões no 2T07.
O Patrimônio Líquido consolidado aumentou de R$38,0 milhões no 1T07 para R$332,0 milhões
no 2T07.

Investimentos

Os investimentos em Imobilizado no 2T07 ATIVO FIXO (em R$ 1T07 2T07


Var. $ 1T07
milhões) vs. 2T07
cresceram R$13,0 milhões comparados com
crescimento de R$2,2 milhões no 2T07. Imobilizado 38,5 51,5 +13,0
O destaque deste investimento foi a aquisição Intangível 7,8 7,9 +0,1
Diferido 5,8 8,3 +2,5
da companhia mexicana Nieto, em 27 de Abril Total 52,1 67,7 +15,6
de 2007.
Esta transação envolveu a aquisição da totalidade das ações da empresa por US$4,7 milhões;
pagamento de US$0,7 milhão pelo direito de uso das marcas Nieto e Silverfox por um período
de três anos; pagamento de US$4,5 milhões (aproximadamente R$9,0 milhões) pelos edifícios
e instalações industriais; além da assunção de dívida de curto prazo de US$3,6 milhões,
totalizando US$13,5 milhões, ou R$27,4 milhões 7, representando aproximadamente 9,5% dos
recursos líquidos do IPO.
Assim, com a consolidação do imobilizado e dos edifícios adquiridos no México, agregamos
R$11,2 milhões ao Ativo Imobilizado.
Investimos também R$0,7 milhão em máquinas e instalações na Turquia; e R$0,6 milhão em
máquinas na planta da Rússia contribuindo para o aperfeiçoamento da linha de montagem em
Kaliningrado.
Também tivemos R$0,1 milhão adicionado ao ativo Intangível e ainda R$2,5 milhões ao Ativo
Diferido durante o segundo trimestre. O crescimento do Ativo Diferido foi função principalmente
da compra do direito de uso das marcas Nieto e Silverfox por US$0,7 milhão, ou R$ 1,4 milhão
bem como de despesas pré-operacionais relacionados às expansões das fábricas na Rússia e
no Mato Grosso do Sul.

7
Considerando câmbio de 2,031 (BRL/USD) de 27 de abril de 2007.

17 de 22
Resultados 2T07

Sobre a Metalfrio

Metalfrio Solutions S.A. (Bovespa: FRIO3) – Somos uma das maiores fabricantes mundiais
de equipamentos de refrigeração comercial do tipo Plug-in, líder deste setor no Brasil e na
América Latina. Nosso portfólio de produtos é composto de 234 modelos de refrigeradores e
freezers verticais e horizontais do tipo Plug-in, para refrigeração de cervejas, refrigerantes,
sorvetes e alimentos congelados e resfriados em geral. Por meio de distribuição direta ou
através de distribuidores e representantes comerciais, localizados em 77 países nos cinco
continentes, fornecemos nossos produtos para clientes que estão entre os maiores fabricantes
mundiais de bebidas e comidas resfriadas ou congeladas. Operamos seis unidades industriais,
duas localizadas no Brasil, uma na Dinamarca, uma na Turquia, uma na Rússia e uma no
México, além de um centro de distribuição próprio nos Estados Unidos da América.

18 de 22
Resultados 2T07

Demonstração do Resultado Consolidado

DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS (em % da rec. % da rec. % da rec.


R$ milhões) 2T06 líq. 1T07 líq. 2T07 líq.

Receita Bruta 101,5 142% 143,1 126% 172,8 122%


Vendas no mercado nacional 91,8 129% 96,0 84% 109,6 77%
Vendas no mercado externo 9,7 14% 47,1 41% 63,2 45%

Deduções de Receitas:
Impostos incidentes sobre vendas (28,9) -40% (27,9) -24% (29,7) -21%
Devoluções e abatimentos (1,2) -2% (1,3) -1% (1,6) -1%
Receita Líquida de Produtos e Serviços 71,4 100% 113,9 100% 141,4 100%
Custo dos produtos vendidos e serviços
prestados (58,9) -82% (98,3) -86% (124,2) -88%

Lucro Bruto 12,4 17% 15,5 14% 17,3 12%

Despesas Operacionais:
Despesas com vendas (6,3) -9% (7,5) -7% (13,5) -10%
Despesas administrativas e gerais (1,4) -2% (4,3) -4% (4,5) -3%
Honorários - Diretoria (0,2) 0% (0,3) 0% (0,3) 0%
Outras despesas operacionais - 0% 0,1 0% (30,6) -22%
Total das Despesas Operacionais (7,9) -11% (12,0) -11% (48,9) -35%

Lucro Operacional Antes Do Resultado


Financeiro 4,5 6% 3,6 3% (31,6) -22%

Resultado Financeiro Líquido 0,6 1% 1,0 1% 6,9 5%


Lucro Operacional 5,1 7% 4,5 4% (24,7) -17%

Resultado Não Operacional - 0% (17,4) -15% 16,1 11%


Lucro Antes Do Imposto De Renda
e Da Contribuição Social 5,1 7% (12,8) -11% (8,6) -6%

Imposto De Renda E Contribuição Social (1,5) -2% 4,1 4% (1,3) -1%


Lucro Líquido Do Exercício antes
da Participação dos Minoritários 3,6 5% (8,8) -8% (9,9) -7%

Participação dos Minoritários 0,0 0% 0,0 0% 0,0 0%


Lucro Líquido Do Exercício 3,6 5% (8,8) -8% (9,9) -7%

19 de 22
Resultados 2T07

Balanço Patrimonial Consolidado

BALANÇO PATRIMONIAL (em R$ Var. % 2T07/ Var. % 2T07/


milhões) 2T06 1T07 2T07 1T07 2T06

Ativos

Disponibilidades e Aplicações financeiras 52,1 48,6 267,5 450% 413%


Contas a receber de clientes 40,6 97,3 109,1 12% 169%
Estoques 26,9 69,1 95,6 38% 255%
Impostos a recuperar 7,6 10,1 18,8 86% 147%
Imposto de renda e contribuição social
diferidos - 7,0 3,2 -54% 100%
Partes relacionadas 13,0 0,0 0,0 0% -100%
Outras contas a receber 1,0 6,2 4,4 -29% 340%
Total do circulante 141,2 238,2 498,6 109% 253%

Imposto de renda e contribuição social


diferidos - 0,8 1,5 88% 100%
Impostos a Recuperar 0,2 3,0 4,5 50% 2150%
Total do realizável a longo prazo 0,2 3,8 6,0 58% 2900%

Investimentos 5,7 0,0 1,8 100% -68%


Imobilizado, líquido 21,4 38,5 51,7 34% 142%
Intangível 0,5 7,8 9,1 17% 100%
Diferido 4,0 5,8 6,7 16% 68%
Total do permanente 31,6 52,1 68,2 31% 116%

Total do ativo 173,0 294,2 574,0 95% 232%

Passivos e Patrimônio líquido

Fornecedores 35,4 71,5 64,0 -10% 81%


Empréstimos e financiamentos 32,7 63,4 39,1 -38% 20%
Obrigações tributárias 6,4 8,1 7,0 -14% 9%
Salários e encargos sociais a recolher 2,5 7,0 7,3 4% 192%
Provisões diversas 1,4 23,6 20,4 -14% 1357%
Imposto de renda e contribuição social 0%
diferidos 4,2 1,9 3,3 74% -21%
Partes relacionadas - - 0%
Outras contas a pagar 2,2 4,0 4,1 2% 86%
Total do circulante 84,8 179,5 145,2 -19% 71%

Empréstimos e financiamentos 30,1 69,3 90,9 31% 202%


Obrigações tributárias 1,9 1,2 1,6 33% -16%
Imposto de renda e contribuição social
diferidos sobre reavaliação 3,8 2,6 2,4 -8% -37%
Provisão para contingências 0,2 0,4 0,5 25% 150%
Outras contas a pagar 1,6 2,9 1,1 -62% -31%
Total do exigível a longo prazo 37,6 76,4 96,5 26% 157%

Participação de Minoritários - 0,3 0,2 -33% 0%

Capital social 24,8 37,7 340,0 802% 1271%


Reserva de capital 1,0 2,4 4,0 67% 300%
Reserva de reavaliação 7,4 6,4 6,1 -5% -18%
Lucros (prejuízos) acumulados 17,4 (8,5) (18,1) 113% -204%
Total do patrimônio líquido 50,6 38,0 332,0 774% 556%

Total do Passivo e Patrimônio líquido 173,0 294,2 574,0 95% 232%

20 de 22
Resultados 2T07

Fluxo de Caixa Consolidado

FLUXO DE CAIXA (em R$ milhões) 2T06 2T07

Lucro líquido do exercício 7,9 (18,7)


Itens que não afetam o capital circulante líquido:
Depreciação e amortização 2,2 4,1
Provisão para contingências 0,1 0,1
Provisões diversas (1,3) 16,0
Variações cambiais de empréstimos de longo prazo 0,2 0,0
Subvenção para investimentos 0,4 1,7
Imposto de renda e contribuição social diferidos 3,6 (2,9)
13,2 0,3

(AUMENTO) REDUÇÃO DOS ATIVOS


Circulante:
Contas a receber de clientes (6,2) (22,8)
Estoques (8,7) (41,2)
Impostos a recuperar (1,7) (18,0)
Contas a receber de partes relacionadas (13,4) (1,5)
Outras contas a receber (0,7) (0,7)
(30,6) (84,2)

AUMENTO (REDUÇÃO) DOS PASSIVOS


Circulante:
Fornecedores 8,9 (1,8)
Impostos e contribuições a recolher (0,2) (4,3)
Salários e encargos sociais a recolher 1,0 1,9
Outras contas a pagar 0,8 (3,9)
Exigível a Longo Prazo:
Obrigações tributárias (0,4) 0,1
Outras contas a pagar 1,6 (3,7)
11,6 (11,5)
CAIXA LÍQUIDO GERADO NAS ATIVIDADES OPERACIONAIS (5,7) (95,4)

ATIVIDADES DE INVESTIMENTOS
Adições do ativo imobilizado (1,8) (16,9)
Adições do ativo intangível (0,0) (1,6)
Adições do ativo diferido (2,6) (0,8)
Valor pago na aquisição de empresas (9,6)
Aumento de capital nas investidas (5,7)
CAIXA LÍQUIDO UTILIZADO NAS ATIVIDADES DE INVESTIMENTO (10,1) (28,9)

ATIVIDADES DE FINANCIAMENTO
Aumento (Redução) dos empréstimos a curto prazo 24,5 2,9
Pagamentos de principal no curto prazo (5,2) (2,8)
Captações de empréstimos no longo prazo 0,5 29,1
Aumento de capital social 315,2
Pagamento de dividendos (25,5)
Juros sobre o capital próprio (1,0)
Outras 0,6 0,0
CAIXA LÍQUIDO UTILIZADO (APLICADO) NAS ATIVIDADES DE
FINANCIAMENTO 19,4 318,9

AUMENTO (REDUÇÃO) LÍQUIDO DAS DISPONIBILIDADES DE


FINANCIAMENTO 3,5 194,5

Saldo final das disponibilidades e aplicações financeiras 52,1 267,4


Saldo inicial das disponibilidades e aplicações financeiras 48,6 72,9

INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES
Pagamento de Juros Sobre o Capital Próprio 2,1 3,4
Pagamento de Imposto de Renda e Contribuição Social 3,2 2,7

21 de 22
Resultados 2T07

As informações no relatório de desempenho não diretamente derivadas das demonstrações financeiras como, por
exemplo, informações sobre o mercado, quantidades produzidas e comercializadas, capacidades produtivas e cálculo
do EBITDA ajustado após itens não recorrentes não foram objeto de revisão especial pelos auditores independentes.
Nós fazemos declarações sobre eventos futuros que estão sujeitas a riscos e incertezas. Tais declarações têm como
base crenças e suposições de nossa Administração e informações a que a Companhia atualmente tem acesso.
Declarações sobre eventos futuros incluem informações sobre nossas intenções, crenças ou expectativas atuais, assim
como aquelas dos membros do Conselho de Administração e Diretores da Companhia. As ressalvas com relação a
declarações e informações acerca do futuro também incluem informações sobre resultados operacionais possíveis ou
presumidos, bem como declarações que são precedidas, seguidas ou que incluem as palavras "acredita", "poderá",
"irá", "continua", "espera", "prevê", "pretende", "planeja", "estima" ou expressões semelhantes. As declarações e
informações sobre o futuro não são garantias de desempenho. Elas envolvem riscos, incertezas e suposições porque
se referem a eventos futuros, dependendo, portanto, de circunstâncias que poderão ocorrer ou não. Os resultados
futuros e a criação de valor para os acionistas poderão diferir de maneira significativa daqueles expressos ou sugeridos
pelas declarações com relação ao futuro. Muitos dos fatores que irão determinar estes resultados e valores estão além
da capacidade de controle ou previsão da Metalfrio.

22 de 22