Você está na página 1de 1

No perodo renascentista, temos um grande pensador - Nicolau Maquiavel que, apesar de mal interpretado por muitos, tambm trouxe

algumas mximas
de estratgia e planejamento. Quando ele disse que "Os fins justificam os
meios", no quis dizer que qualquer atitude justificada dependendo do seu
objetivo, mas que os fins determinam os meios. de acordo com o seu
objetivo, suas metas, que o administrador vai traar os planos para atingi-los.
Vocs certamente j ouviram falar desses conceitos!Ao lermos "O Prncipe",
manual dado ao Prncipe Lorenzo de Medici, composto de reflexes e anlises
da sociedade de sua poca, de forma objetiva e prpria, j traz alguns
conceitos que se aproveitam em todos os tempos e em diferentes sociedades.
Por exemplo, poltica - atividade constitutiva da existncia coletiva, devendo ter
certa prioridade sobre as outras esferas; Estado - regra as relaes entre os
homens, utilizando-os no que tm de bom e contendo-os no que tm de mal.
Que exemplos teramos em nosso quotidiano acerca desses dois conceitos
trazidos por Maquiavel? Podemos discutir aqui a finalidade do Estado e seus
limites. Para Maquiavel sua prpria grandeza e prosperidade, da a "razo de
Estado", trazendo motivos mais elevados que se sobrepem a qualquer outra
considerao. interessante aqui pensarmos - hoje - a traduo da "razo de
Estado" e o "interesse coletivo", quais os limites e relaes entre esses dois
conceitos. Para Maquiavel, o Estado se sobrepe inclusive prpria lei; para a
nossa sociedade, o interesse coletivo se sobrepe prpria lei? O interesse
coletivo o fundamento do prprio Estado? Por outro lado, Maquiavel
demonstra a necessidade de um certo grau de versatilidade que o governante
deve ter em relao ao seu modo de pensar, adaptando-se s circunstncias
do momento. Assim, o que "qualidade" (fora, oportunidade) pode-se mostrar
menos eficaz do que "defeito" (fraqueza/ameaa) para o atingimento dos
objetivos da Administrao. A esse respeito vocs j refletiram, que
contribuies poderiam trazer ao grupo?