Você está na página 1de 8

OSST

Nº XX-ANO

DE CRIAÇÃO

Logomarca

ORDEM DE SERVIÇO DE SEGURANÇA DO TRABALHO

NOME GRUPO

NOME EMPRESA

Revisões anteriores:

MÊS - ANO / NºREV - MÊS - ANO

Revisão atual:

DD/MM/AAAA

Nº XX ANO

Em atendimento a Lei 6514 de 22/12/77, ao Capítulo V Título II da CLT e Portaria 3214 de 08/06/78 - NR 1, item 1.7 Disposições Gerais, parágrafo “b” e demais Normas Regulamentadoras:

ATIVIDADE

“b” e demais Normas Regulamentadoras: ATIVIDADE SERVIÇOS À QUENTE – CORTE E SOLDA (OXIACETILENO E

SERVIÇOS À QUENTE CORTE E SOLDA (OXIACETILENO E ELÉTRICA)

COMPOSIÇÃO

01. - Objetivo

02. - Documentos Relacionados

03. - Descrição da Função

04. - Definições

05. - Instruções ( 5.1 Preparação, 5.2 Liberação, 5.3 Orientações, 5.4 Transporte de cilindros, 5.5 Armazenamento, 5.6 Verificações )

06. - Equipamentos de Proteção Individual

07. - Riscos Ocupacionais

08. - Sistemas de Proteção Coletiva

09. - Sinalização

10. - Direitos

11. - Responsabilidades

12. - Acidente do Trabalho

13. - Proibições

14. - Declaração

01. - OBJETIVO

Estabelecer instruções de segurança para a realização de trabalhos à quente, buscando a prevenção de incêndios, acidentes de trabalho e doenças ocupacionais.

2. - DOCUMENTOS RELACIONADOS

Política de Gestão de Segurança do Trabalho e Saúde Ocupacional

OSST Nº 51 Ordem de Serviço de Segurança do Trabalho nos serviços em altura

OSST Nº 52 Ordem de Serviço de Segurança do Trabalho nos serviços em espaço confinado

OSST Nº 53Ordem de Serviço de Segurança do Trabalho no serviço de movimentação de carga

OSST Nº 54 - Ordem de Serviço de Segurança do Trabalho no serviço de tração de carga

Chek-list para liberação de serviço a quente.

Normas Regulamentadoras: 01, 10, 18 e 33

LORCA / AL - Levantamento de Perigos Riscos e Controle Atividade Laboral

LPRC / CT - Levantamento de Perigos Riscos e Controle Condição de Trabalho

PSTTA Procedimento de Segurança do Trabalho para Trabalho em Altura

PSTTEC Procedimento de Segurança do Trabalho para Trabalho em Espaço Confinado

PSTAIE- Procedimento de Segurança do Trabalho em Ambiente Inflamável e Explosivo

PSTMC Procedimento de Segurança do Trabalho para Movimentação de Carga

PSTTC - Procedimento de Segurança do Trabalho para Tração de Carga

3. - DESCRIÇÃO DA FUNÇÃO

SAFRA / ENTRESSAFRA: Une e corta peças de ligas metálicas usando o processo de soldagem e corte por eletrodo revestido e conjunto de Oxiacetileno, preparam equipamentos, acessórios, consumíveis de soldagem e corte de peças a serem soldadas.

4. - DEFINIÇÕES

Serviço à quente é toda e qualquer operação temporária ou não que envolva chama ou que produza calor ou faísca,

5. - INSTRUÇÕES

5.1 Preparação da área do serviço

O

local a ser executado o serviço deverá ser avaliado pelo Supervisor, Encarregado ou Técnico de Segurança do Trabalho, em conjunto com o(s) colaborador(es) do local e o executor do serviço.

Os serviços de soldagem e corte à quente somente poderão ser realizados por trabalhadores habilitados, conforme CLT Consolidação das Leis do Trabalho (Lei 6.514) Cap. V, Portaria 3.214 NR 18.

Remova todos os produtos inflamáveis, principalmente os líquidos, dentro de um raio de ação de 11 metros.

Verifique os riscos em andares superiores e inferiores, onde deverão ser executados os serviços.

5.2 Liberação

Deverá ser solicitada a presença do Técnico de Segurança para que seja feita a liberação do serviço, após preenchimento do check-list para liberação de serviço a quente.

Nas operações de soldagem ou corte à quente de vasilhames, recipientes, tanques ou similares que envolvam geração de gases confinados, será solicitada a presença do Técnico de Segurança para avaliação.

A

liberação de serviço à quente após conformidade com os requisitos, deverá ser assinada pelo executante ou encarregado responsável pelo serviço, pelo Supervisor, Técnico de Segurança e Brigadista da área.

Será deixada uma cópia para o executante, que deverá apresentar a liberação toda vez que for solicitada pelo Técnico de Segurança, em suas inspeções.

O

Técnico de Segurança deverá adotar o seguinte procedimento para a liberação em tanques de armazenamento de líquidos inflamáveis: O Tanque deverá estar totalmente vazio, estar lavado e degasa, ter a atmosfera interna purgada com vapor durante 60 minutos, ventilar o interior do tanque, efetuar a medição de explosividade e atender as especificações de segurança.

Quando necessário o Técnico de Segurança solicitará dispositivos de proteção contra a projeção de fagulhas (tapumes, feltros umidecidos e outras barreiras de proteção).

Os trabalhos à quente somente deverão ser liberados após a instalação correta destes dispositivos.

5.3 - ORIENTAÇÕES

Não permitir a presença de pessoas estranhas ao serviço próximas aos locais da atividade;

É obrigatório o uso de todos os EPI's, inerentes à execução das atividades;

Sempre, ao levantar peso, dobre os joelhos e mantenha a coluna ereta, nunca dobre a coluna;

É

proibida, durante esta atividade, utilizar qualquer material combustível que facilite o início e/ou propagação de fogo;

Nunca confie nos próprios sentidos (ver, ouvir, sentir, etc), solicite ajuda quando necessário ou quando surgir dúvida;

Evite conversas desnecessárias com seus colegas de trabalho, ou com outras pessoas da área durante a execução dos serviços, pois tal fato pode gerar distrações e falta de concentração, expondo você e seus colegas de trabalho a riscos de acidentes que podem resultar em lesões graves e/ou morte.

Antes de iniciar qualquer atividade à quente, o colaborador deverá realizar uma inspeção prévia no equipamento, no local a ser executado o trabalho, avaliando as condições de segurança para si próprio e seus ajudantes.

Na execução dos serviços à quente, posicione o conjunto oxiacetileno e mangueiras de forma que não venham a ser atingidos por fagulhas, escórias ou chamas, tanto do conjunto quanto da máquina elétrica de solda, mantendo-os a uma distância mínima de 10 metros.

Todo conjunto oxiacetileno deve possuir válvula corta fluxo tanto na saída da válvula dos cilindros quanto na entrada da caneta.

As válvulas dos cilindros nunca devem ser abertas perto de serviços de solda, faíscas ou outra fonte de ignição.

As válvulas dos cilindros de acetileno nunca deverão ser abertas mais do que ¼ do seu curso total.

As válvulas dos cilindros deverão ser abertas vagarosamente e sempre certificando-se de que não há vazamentos.

Após fechar a válvula do cilindro, abra a válvula da caneta do maçarico e logo após, solte o parafuso de ajuste do regulador, mantendo a mangueira sempre despressurizada.

Jamais utilize isqueiros ou equipamentos similares para acendimento de maçaricos, utilize apenas acendedor de fricção (saci) para o acendimento do maçarico.

Fique atento à pressão de trabalho especificada no cilindro.

Todo conjunto de manômetro deve possuir selo de inspeção e prazo de validade da aferição, além dos lacres de verificação.

Todo serviço executado em altura superior a 1,5 metro, obrigatoriamente deverá ser feito com o uso do cinto de segurança, sempre com dois talabardes, ambos devidamente fixados, adotando o Procedimento de Segurança para Trabalhos em Altura e a OSST

 

Nº0050.

Quando houver necessidade do uso de andaimes, estes deverão estar devidamente montados, nivelados, calçados e fixados de modo a não permitir seu desmonte ou deslocamento acidental, devendo ainda possuir proteção telada contra queda de objetos/ferramentas e guarda corpo.

Sempre isole e sinalize as áreas adjacentes laterais, acime e abaixo ao local onde será realizado o serviço à quente, para evitar os respingos e fagulhas no ambiente, nos colaboradores do setor e riscos adicionais de incêndio.

Nunca permita que pessoas não treinadas e qualificadas operem as m´quinas de solda e conjuntos de maçarico.

Não realize manutenção em equipamentos elétricos ou componentes energizados.

Nunca realize serviços à quente em máquinas e equipamentos em funcionamento.

Quando houver necessidade de retirar as proteções de partes móveis/giratórias das máquinas e equipamentos para a realização de serviços à quente, estas deverão estar devidamente desligadas, desenergizadas, sinalizadas e lacradas, sendo que as proteções deverão ser recolocadas imediatamente aos seus respectivos lugares após o término do serviço, para depois ser restabelecida a energia elétrica.

Para os serviços com solda elétrica, manter o ambiente muito bem ventilado.

O

eletrodo deverá estar bem seco, com revestimento intacto e ser da especificação adequada ao tipo de serviço a ser executado.

O

porta-eletrodo deverá ter classe de isolamento adequado à máxima corrente elétrica possível de ser utilizada pelo equipamento.

A

máquina de solda deverá esta conectada ao terra da estrutura ou rede local.

O

cabo elétrico de alimentação, plugue e tomada da máquina, deverão estar em prefeitas condições de isolamento e atender às legislações pertinentes, como NR 10, ABNT, INMETRO, entre outras.

A

peça a ser soldada deverá estar aterrada com alicate terra adequado (grampo terra).

Os cabos condutores da máquina, as pinças e alicates de soldagem deverão ser mantidos distantes de locais com óleo, graxa, umidade, combustíveis, e deixados em descanso sobre superfícies isolantes.

Na operação de serviços de solda elétrica de vasilhame, recipiente, tanque ou similar, que envolvam a geração de gases (semi) confinados, é obrigatória a adoção das medidas preventivas de eliminação dos riscos de explosão e intoxicação, através do Procedimento de Segurança para Trabalho em Espaço Confinado e OSST Nº 0051.

Usar a tonalidade de lente filtrante para máscara de soldador conforme como segue: Serviço de solda elétrica ou corte, até 200A usar tonalidade 10 a 11, acima de 200A até 300A usar tonalidade 12.

Para realizar a operação de solda elétrica em altura e com risco de queda, é obrigatório a adoção do Procedimento de Segurança para Trabalhos em Altura e a OSST Nº0050.

Ao final do trabalho, realizar as seguintes tarefas sempre: limpar o local, recolher os cabos e demais ferramentas, desligar a máquina de solda, transportar todo o material para seu local de guarda.

Durante a centralização de peças ou tubos, nunca insira os dedos nos furos, flanges ou outro tipo de marcação, utilize apenas ferramentas adequadas.

Jamais faça improvisações técnicas (gambiarras).

Nos trabalhos a serem realizados em locais fechados ou mal ventilados, considerados como espaço confinado ou em área com risco de incêndio e explosão, deverá ser solicitada a presença do Técnico de Segurança do Trabalho para avaliar as condições do local, adotar as medidas de segurança cabíveis, registrados nos documentos apropriados à situação (PTQ Permissão de Trabalho a Quente / PEEC Permissão de Entrada em Espaço Confinado / PSEC Permissão de Solda em espaço Confinado / PSAIE Permissão de Solda em Ambiente Inflamável e Explosivo, etc.), orientar os colaboradores quanto aos PSTTEC, PSTAIE, OSST Nº0051, eliminar os riscos identificados e retornar às condições seguras adequadas, dando continuidade ao serviço a ser executado.

Na retirada de equipamentos pesados, utilizar equipamentos de apoio como talhas elétricas e manuais para facilitar a operação e garantir segurança, sempre respeitando os PSTMC, PSTTC, OSST Nº52 e OSST Nº53.

5.4 TRANSPORTE DE CILINDROS

Transporte os cilindros sempre na posição vertical.

Nunca role o cilindro sobre seu próprio corpo, movimente-o sobre seu próprio pé, rolando-o sobre sua base.

Não suspenda cilindros fazendo ponto de apoio nos capacetes protetores das válvulas ou na válvula.

Não utilize cilindros vazios ou cheios como roletes ou suporte.

Transporte os cilindros com capacete de proteção das válvulas atarrachados.

No transporte de cilindros com empilhadeiras,, estes deverão ser transportados em carregador apropriado, conforme modelo anexo (Anexo 1- Base transportadora de cilindros para empilhadeiras).

5.5 ARMAZENAMENTO

Armazene os cilindros no depósito de gases inflamáveis, conforme PSTAGI.

Os cilindros não poderão ser armazenados perto de fonte de calor ou de substâncias inflamáveis.

O armazenamento de acetileno não deve ser próximo do Oxigênio. Caso seja necessário, separar com uma parede de altura mínima de 1,5 metro de altura.

As válvulas dos cilindros deverão estar fechadas, mesmo quando o cilindro estiver vazio.

Os cilindros deverão ser armazenados na posição vertical e com os capacetes de proteção de válvulas atarraxados.

5.6 VERIFICAÇÕES DE SEGURANÇA

Certificar-se sempre para que as condições dos itens a seguir estejam sempre perfeitas:

Manômetro de alta e baixa pressão.

Válvula de bloqueio dos cilindros.

Regulador de Oxigênio.

Regulador de Acetileno.

Mangueira condutora de oxigênio sem emendas (cor verde).

Mangueira condutora de acetileno sem emendas (cor vermelha).

Válvula seca corta chamas na saída dos cilindros e entradas da caneta (oxigênio e acetileno). (Obs.: Conforme instruções do fabricante, dentro da válvula corta chama há um elemento responsável pelo corte da chama, e o mesmo não pode ser reparado ou testado em campo. A válvula corta chama deve ser substituída num período máximo de 5 anos ou dentro de prazo de garantia estabelecido pelo fabricante, sempre que apresentar descoloração por calor, maçarico apresentar baixo desempenho, fuligem em excesso na conexão de entrada, quando a válvula de retenção de fluxo fundir devido a presença de chama ou quando ocorrer princípio de incêndio nas válvulas reguladoras e/ou corta chamas.

Válvula de retenção (oxigênio e acetileno).

O carrinho de transporte de cilindros deve possuir quatro rodas em bom estado de funcionamento, travas em duas rodas , trava de fixação para amarrar os cilindros com corrente ou fita metálica, chapa de ¼ de polegada separando os cilindros de oxigênio e acetileno até a altura do cilindro de oxigênio, com largura do cilindro de acetileno mais 10 cm de cada lado e carretel para enrolar as mangueiras.

Todo carrinho deverá conter numeração e identificação do setor pertencente.

Todo carrinho deverá conter uma unidade extintora de incêndio do tipo CO², afixado na coluna da alça de transporte do mesmo (lado do cilindro de oxigênio).

Qualquer anomalia que venha a aparecer no carrinho e/ou cilindros, deverá ser interrompida a utilização do mesmo imediatamente e acionado o Técnico de Segurança do Trabalho, para avaliação e registro do acontecimento no Chek-list para liberação de serviço a quente.

Todo conjunto de oxiacetileno deverá estar sempre com as proteções das válvulas reguladoras.

6. - EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL

6.1 - DEFINIÇÃO

É o meio ou dispositivo de uso pessoal destinado a preservar e proteger a integridade física do usuário, durante o exercício do trabalho, conforme recomenda a Portaria 3.214 do MTE.

Cabe ao empregador fornecer os EPI's gratuitamente, treinar e cobrar o seu correto uso, sendo permitido o desconto deste conforme especificado em legislação pertinente.

Cabe ao empregado usar os EPI's de forma correta, zelar pela guarda e conservação, solicitar a troca do EPI sempre que ocorrer desgaste ou outro motivo, mediante apresentação do mesmo para avaliação.

6.2 USO OBRIGATÓRIO PARA TRABALHO COM OXIACETILENO

Óculos para maçariqueiro ou máscara eletrônica ou protetor facial de maçariqueiro para capacete.

Óculos de segurança incolor ou protetor facial incolor para capacete.

Protetor auricular plug ou kit concha para capacete.

Luva de raspa com forro térmico e punho de 20cm.

Avental de raspa tipo barbeiro com mangas , elástico nas costas e abertura nas axilas.

Perneira em raspa com protetor de metatarso.

Capacete de segurança completo.

Touca em raspa tipo ninja.

Botina de segurança com biqueira de aço ou composite e solado bidensidade.

Respirador descartável PFF2 VO, PFF3 VO ou semifacial em silicone com filtros químico e mecânico.

Creme dérmico C3 convencional ou com FPS 50.

Cinto de segurança tipo paraquedista com regulagem total e 02 talabardes em fita sintética anti chama com amortecedor de

impacto e atendimento a NR10.

Máscara facial de adução para trabalhos em espaço confinado.

6.3 USO OBRIGATÓRIO PARA TRABALHO COM SOLDA ELÉTRICA

Máscara eletrônica ou de celerom

Óculos de segurança incolor ou protetor facial incolor para capacete.

Protetor auricular plug ou kit concha para capacete.

Luva de raspa com forro térmico e punho de 20cm.

Avental de raspa tipo barbeiro com mangas , elástico nas costas e abertura nas axilas.

Perneira em raspa com protetor de metatarso.

Capacete de segurança completo.

Touca em raspa tipo ninja.

Botina de segurança com biqueira de aço ou composite e solado bidensidade.

Respirador descartável PFF2 VO, PFF3 VO ou semifacial em silicone com filtros químico e mecânico.

Creme dérmico 3 convencional ou com FPS 50.

Cinto de segurança tipo paraquedista com regulagem total e 02 talabardes em fita sintética anti chama com amortecedor de impacto, e atendimento a NR10.

Máscara facial de adução para trabalhos em espaço confinado.

7. RISCOS OCUPACIONAIS

FÍSICOS

Ruído: trauma acústico, surdez, estresse, alteração emocional, etc.

Calor: Cãibras, catarata ocular, prostração térmica, desmaio, etc.

Radiações não ionizantes: Queimaduras, catara ocular, fotofobia, conjuntivite, melanomas, etc.

QUÍMICOS

Poeiras, fumos metálicos de solda: Bronquite crônica, fibrose pulmonar, enfisema pulmonar, etc.

ERGONÔMICOS

Postura inadequada: Lombalgias, dor muscular, hernia cervical, etc.

DE ACIDENTES (MECÂNICO)

Projeção de partículas: Lesão ocular, lesão cutânea, contusão, perfuração, etc.

Batida contra objetos: Lesões, cortes, hematomas, contusões, etc.

Queda em diferença de nível: Politraumatismo, invalidez, óbito.

Princípio de incêndio: Queimaduras.

Contato com superfícies aquecidas: Queimaduras.

Choque elétrico: Queimaduras, contrações musculares, parada cárdio-respiratória, perda de consciência, quedas em nível e em diferença de nível.

Explosão: Queimaduras, politraumatismo, óbito.

8. SISTEMAS DE PROTEÇÃO COLETIVA

Utilizar sistema de exaustão geral em atividades de serviço a quente em locais confinados.

Utilizar sistema de exaustão localizada nos pontos de serviço a quente em ambientes internos (salas).

Utilizar ajudante com incêndio.

balde de água e unidade extintora de Água / CO² ou PQS-ABC (conforme necessidade), para áreas de risco de

Utilizar biombos de proteção constituídos de material não combustível e não transparente, com altura mínima

Utilizar biombos de proteção constituídos de material não combustível e não transparente, com altura mínima de 1,80 metro e em toda a periferia do posto de soldagem e acabamento com lixadeiras e esmerilhadeiras.

Presença obrigatória do carro pipa, durante a execução de serviços a quente em local de alto risco de incêndio.

Presença obrigatória do carro pipa, durante a execução de serviços a quente em local de alto

9. SINALIZAÇÃO

Observar e cumprir a sinalização existente na empresa.

Não obstruir ou danificar a sinalização.

Informar ao Técnico de Segurança do Trabalho, encarregado da área ou membro da CIPA, toda e qualquer irregularidade encontrada na sinalização de seu setor de trabalho.

Sempre sinalizar a área e o serviço que está sendo executado.

10. DIREITOS

Interromper suas tarefas sempre que constatar evidências que representem riscos graves e iminentes para sua segurança e saúde ou de terceiros, comunicando imediatamente o fato ao seu superior imediato, o qual dever´tomar as ações preventivas e corretivas imediatamente.

Ser informado sobre os riscos existentes no local de trabalho que possa afetar sua saúde e segurança.

11. RESPONSABILIDADES

É responsabilidade e obrigação da supervisão das áreas/setores, orientar todos os colaboradores quanto ao cumprimento desta OSST.

É responsabilidade das áreas envolvidas com serviços à quente preparar o local de trabalho mantendo-o limpo, bem como preparar e instalar os dispositivos de proteção para facilitar e agilizar a liberação dos trabalhos.

No caso de prestadores de serviço, é responsabilidade do responsável pela atividade orientá-los quanto ao cumprimento desta OSST na íntegra.

É responsabilidade e obrigação de cada colaborador, zelar por sua segurança e saúde, ou de terceiros que possam ser afetados por suas ações ou omissões no trabalho, colaborando com a empresa para o cumprimento das disposições legais e regulamentares, inclusive das normas internas de saúde e segurança.

É responsabilidade e obrigação de todos os colaboradores comunicar imediatamente ao superior imediato e Segurança do Trabalho, situações que possam representar riscos para sua saúde e segurança, e de terceiros.

É responsabilidade e obrigação de todos os colaboradores fazer uso obrigatório dos EPI's designados pelos membros da Segurança do Trabalho da empresa.

É responsabilidade e obrigação de todos os colaboradores submeterem-se aos exames médicos necessários, quando solicitado.

É responsabilidade e obrigação de todos realizar diariamente inspeção visual nos equipamentos e ferramentas na troca de turno, informando qualquer anomalia ou irregularidade ao colaborador que irá assumir o posto de trabalho.

É responsabilidade e obrigação de todos não permitir que colaboradores não autorizados e não treinados, operem máquinas e equipamentos.

É

responsabilidade e obrigação de todos, comunicar ao setor de Segurança do Trabalho toda situação irregular no posto de trabalho ou em qualquer outra área da empresa.

12. ACIDENTE DE TRABALHO

Se não estiver se sentindo bem de saúde, avise imediatamente o encarregado do setor ou o setor de Segurança do Trabalho, e dirija- se ao ambulatório da empresa.

Após a ocorrência de um acidente, comunique imediatamente a Segurança do Trabalho, Encarregado e Supervisor, Ambulatório, procurando fornecer todas as informações solicitadas. Na impossibilidade de fazer a comunicação, solicite a um colega que o faça.

Desligue todas as fontes de energia do equipamento ou máquina envolvida.

Nunca toque no acidentado.

Procure evitar o pânico, gritaria e correria.

Manter afastadas do local do acidente as pessoas estranhas às ações do socorro.

Prestar Primeiros Socorros ao acidentado somente se for apto (treinado, certificado e registrado) para este procedimento.

Somente remover o acidentado com ferimento grave com autorização do socorrista, Enfermaria ou Técnico de Segurança do Trabalho.

Providenciar uma maca.

Mesmo após a prestação do socorro, mantenha a área do acidente isolada até liberação por parte do setor de Segurança do Trabalho.

13. PROIBIÇÕES

Nunca utilize oxigênio como substituto do ar comprimido.

É expressamente proibido utilizar qualquer peça ou tubo de cobre ou latão para a circulação de acetileno.

É proibido utilizar mãos e ferramentas sujas de graxa ou material oleoso para fazer ajustes nos reguladores.

É proibido utilizar mangueiras com emendas.

É proibido Fumar próximo ao local de armazenamento de cilindros, ou do mesmos.

É proibido a utilização de acetileno acima de 01Kg/cm².

É proibido após o término de serviço à quente, fechar as válvulas e registro da caneta sem antes degasar a mangueira.

É proibido realizar serviços à quente em locais com cilindros, botijões, recipiente ou embalagem de combustível ou inflamável.

É proibido realizar serviço à quente em local com piso de material inflamável.

É proibido realizar serviço à quente na ocorrência da falta de qualquer EPI ou EPC mencionados nesta OSST.

É proibido realizar serviço a quente na ocorrência de condição anormal de trabalho.

É proibido realizar serviço a quente utilizando anéis, correntes ou qualquer outro adorno pessoal.

É proibido realizar serviço a quente utilizando lente de contato.

É proibido realizar serviço a quente com improvisação de aterramento.

É proibido utilizar jato de oxigênio para limpeza pessoal.

É proibido realizar serviço a quente utilizando cilindro ou caneta sem as válvulas corta chamas.

É proibido realizar serviço a quente com mangueiras remendadas.

14. DECLARAÇÃO

Declaro para todos os fins de direito, que recebi treinamento e tenho pleno conhecimento das orientações contidas nesta OSST.

Declaro ainda que, durante todo o tempo de execução das minhas atividades no trabalho, atenderei as Normas e Procedimentos de Segurança aqui apresentadas, acatando todas as recomendações do setor de Segurança do Trabalho, que a mim foram endereçadas de forma verbal, escrita e visual, tendo como objetivo minha segurança na prevenção de acidentes e doenças ocupacionais.

Declaro também saber que esta OSST não me dispensa das responsabilidades dadas pela Legislação Trabalhista e outras medidas e normas que venham a ser adotadas pela empresa, visando minha segurança, bem estar e bom andamento do trabalho em toda a empresa, e que a não observância e/ou transgressão ao disposto nesta OSST, caracteriza ato de indisciplina ou insubordinação, sujeitando-me, independente de meu nível hierárquico, à aplicação das penalidades disciplinares previstas na Legislação pertinente.

Setor:

Cargo:

Registro:

Nome

Data:

/

/

Assinatura:

ANEXO I