Você está na página 1de 18
POLO PRÉ-SAL DA BACIA DE SANTOS A CONSOLIDAÇÃO DE UMA INFRAESTRUTURA PRODUTIVA Solange Guedes Diretora

POLO PRÉ-SAL DA BACIA DE SANTOS

POLO PRÉ-SAL DA BACIA DE SANTOS A CONSOLIDAÇÃO DE UMA INFRAESTRUTURA PRODUTIVA Solange Guedes Diretora do

A CONSOLIDAÇÃO DE UMA INFRAESTRUTURA PRODUTIVA

POLO PRÉ-SAL DA BACIA DE SANTOS A CONSOLIDAÇÃO DE UMA INFRAESTRUTURA PRODUTIVA Solange Guedes Diretora do
POLO PRÉ-SAL DA BACIA DE SANTOS A CONSOLIDAÇÃO DE UMA INFRAESTRUTURA PRODUTIVA Solange Guedes Diretora do
POLO PRÉ-SAL DA BACIA DE SANTOS A CONSOLIDAÇÃO DE UMA INFRAESTRUTURA PRODUTIVA Solange Guedes Diretora do
POLO PRÉ-SAL DA BACIA DE SANTOS A CONSOLIDAÇÃO DE UMA INFRAESTRUTURA PRODUTIVA Solange Guedes Diretora do

Solange Guedes Diretora do E&P

PRÉ-SAL: confirma sua posição de província petrolífera de classe

mundial

Grandes reservatórios de petróleo e gás natural, situados entre 5.000 e 7.000 metros abaixo do nível do mar e a 300 km da costa.

Localizada em profundidade de água que supera 2.000 metros e com ocorrência abaixo de uma camada de sal com espessura de até 2.000 metros.

Óleo mais leve (30°API) do que a Bacia de Campos (maior proporção de gás).

onde

o sucesso da exploração registrou índices superiores a 90%

2006

2007

2008

2009

2010

2011

2012

2013

2006: Lula 2007: Lapa 2008: Júpiter 2008: Sapinhoá 2009: Lula – Área de Iracema 2010:
2006: Lula
2007: Lapa
2008: Júpiter
2008: Sapinhoá
2009: Lula – Área de Iracema
2010: Búzios
2011: Libra
2012: Sépia
2012: Sul de Sapinhoá
2012: Carcará
2013: Itapu
2013: Sagitário
2013: Sul de Lula

2008: Berbigão/Sururu/Oeste de Atapu

2013: Norte de Berbigão/Sul de Berbigão/Norte de Sururu/Sul de Sururu/Atapu

Blocos de Concessão2013: Norte de Berbigão/Sul de Berbigão/Norte de Sururu/Sul de Sururu/Atapu Cessão Onerosa Partilha da Produção 3

Cessão OnerosaNorte de Berbigão/Sul de Berbigão/Norte de Sururu/Sul de Sururu/Atapu Blocos de Concessão Partilha da Produção 3

Partilha da ProduçãoAtapu 2013: Norte de Berbigão/Sul de Berbigão/Norte de Sururu/Sul de Sururu/Atapu Blocos de Concessão Cessão Onerosa

A PETROBRAS e outras 14 empresas têm feito investimentos significativos na camada Pré-Sal

BACIA DE CAMPOS BACIA DE CAMPOS CONCESSÃO CONCESSÃO 7 campos em produção 4 blocos não
BACIA DE CAMPOS
BACIA DE CAMPOS
CONCESSÃO
CONCESSÃO
7 campos em produção
4 blocos não operados
em exploração
(100%)
BACIA DE SANTOS
CONCESSÃO
2 campos em produção
*
BACIA DE SANTOS
3 blocos em exploração
PARTILHA DE PRODUÇÃO
1 bloco em exploração
*
PPSA
Blocos em Concessão
BACIA DE SANTOS
CONCESSÃO
Cessão Onerosa
Partilha de Produção

* BG E&P Brasil Ltda - companhia subsidiária da Royal Dutch Shell plc

1 bloco não operado em exploração
1 bloco não operado
em exploração
BACIA DE SANTOS CESSÃO ONEROSA (100%)
BACIA DE SANTOS
CESSÃO ONEROSA
(100%)

4

o que fez a produção diária de petróleo superar 900 mil barris por dia, em dezembro de 2015.

MIL BPD Produção Acumulada Recorde diário Camada Pré-Sal 942 mil bpd 14/12/15 2014-2015 56% 882
MIL BPD
Produção
Acumulada
Recorde diário Camada Pré-Sal
942 mil bpd
14/12/15
2014-2015
56%
882 milhões
de boe
2013-2014
63%
2012-2013
79%
2011-2012
42%
2010-2011
190%
2009-2010
2008-2009
166%
402%
Produção de petróleo

A marca de 1 milhão de barris de óleo+gás vem sendo superada desde julho de 2015

Qual o destaque do pré-sal da Bacia de Santos? A produtividade dos poços e o tamanho dos reservatórios

Comparação do tempo necessário para atingir 650 mil barris de petróleo por dia

Terra e Águas Rasas

1953 36 anos 1989 5.748 poços 110 barris/poço
1953
36 anos
1989
5.748 poços
110 barris/poço

Aguas Profundas

1974 23 anos 1997 392 poços 1.600 barris/poço
1974
23 anos
1997
392 poços
1.600 barris/poço
1974 23 anos 1997 392 poços 1.600 barris/poço Polo Pré-Sal da Bacia de Santos 2006 9

Polo Pré-Sal da Bacia de Santos

2006 9 anos 2015 25 poços 26.000 barris/poço
2006
9 anos
2015
25 poços
26.000 barris/poço

jun/14

abr/14

ago/14

jun/10

out/14

dez/14

abr/10

fev/14

ago/10

out/10

dez/10

fev/10

jun/09

abr/09

jun/11

abr/11

ago/09

jun/12

abr/12

out/09

dez/09

ago/11

jun/15

abr/15

out/11

ago/12

dez/11

jun/13

fev/11

abr/13

out/12

dez/12

ago/15

fev/12

out/15

ago/13

dez/15

fev/15

out/13

dez/13

fev/13

Polo Pré-Sal da Bacia de Santos em fevereiro de 2016

Entrada em operação do sétimo grande sistema definitivo de produção

2009 - Lula FPSO Cid. São Vicente 2010 - Lula FPSO Cid. Angra dos Reis
2009 - Lula
FPSO Cid.
São Vicente
2010 - Lula
FPSO Cid.
Angra dos
Reis
2010-Sapinhoá
2013-Sapinhoá
2014-Sapinhoá
Dynamic
Producer
FPSO Cid. de
São Paulo
2013 - Lula
FPSO Cid.
de Paraty
2014-Iracema
2015-Iracema
FPSO Cid. de
Mangaratiba
FPSO Cid. de
Ilhabela
FPSO Cid. de
Itaguaí
2016 - Lula
FPSO Cid. de
Maricá
FPSO Cid. de Itaguaí 2016 - Lula FPSO Cid. de Maricá 17 meses 2 meses 25

17 mesesFPSO Cid. de Itaguaí 2016 - Lula FPSO Cid. de Maricá 2 meses 25 meses 5

2 meses
2 meses

25 meses2016 - Lula FPSO Cid. de Maricá 17 meses 2 meses 5 meses 16 meses 1 2016 - Lula FPSO Cid. de Maricá 17 meses 2 meses 5 meses 16 meses 1

5 meses 16 meses 1 mês
5 meses
16 meses
1 mês
8 meses
8 meses
7 meses
7 meses

Recorde diário

665 kbpd

16/12/15

mil bpd

700

600

500

400

300

200

100

Média de 1 grande sistema de produção a cada 9 meses.

100 Média de 1 grande sistema de produção a cada 9 meses. Produção de Petróleo Mai/09
Produção de Petróleo Mai/09 abr/09 jun/09 ago/09 out/09 dez/09 fev/10 abr/10 jun/10 Out/10 ago/10 Dez/10
Produção de Petróleo
Mai/09
abr/09
jun/09
ago/09
out/09
dez/09
fev/10
abr/10
jun/10
Out/10
ago/10
Dez/10
out/10
dez/10
fev/11
abr/11
jun/11
ago/11
out/11
dez/11
fev/12
abr/12
jun/12
ago/12
Jan/13
out/12
dez/12
fev/13
Jun/13
abr/13
jun/13
ago/13
out/13
dez/13
fev/14
abr/14
Out/14
jun/14
ago/14
Nov/14
out/14
dez/14
Jul/15
fev/15
abr/15
jun/15
ago/15
Fev/16
out/15
dez/15

Recorde diário 28 MM m ³/d

18/12/15

Fev/16 out/15 dez/15 Recorde diário 28 MM m ³/d 18/12/15 Produção de Gás Natural - MM
Produção de Gás Natural
Produção de Gás Natural
-
-

MM m³/d

30

25

20

15

10

5

0

7

Projeto Lula Alto

Antecipação do início de operação em 3 semanas, apesar da complexidade de execução

1º Poço – 36 mil bopd Construção de poços NS-39 - Ocean Rig Mykonos Completação:
1º Poço – 36 mil bopd
Construção de poços
NS-39 - Ocean Rig Mykonos
Completação: Inspeção na BAP do LL-12
PlataformaUEP Chegada do Casco e Içamento no Estaleiro CXG China Módulos e Chegada do FPSO
PlataformaUEP
Chegada do Casco e Içamento no Estaleiro
CXG China
Módulos e Chegada do FPSO no Estaleiro
Brasa Brasil
Içamento dos Módulos
Sistema Submarino Saída do Estaleiro Brasa e Ancoragem Instalação de mais de 4 Km de
Sistema Submarino
Saída do Estaleiro Brasa e Ancoragem
Instalação de mais de 4 Km de Linhas
Barcos PLSV utilizados na instalação

8

Poço Lula 12: mais um marco na trajetória de superação dos desafios de águas ultra profundas

1º Campo descoberto na Bacia de Campos

Premio OTC 1992
Premio
OTC
1992

1º FPSO em Produção

Premio OTC 2001
Premio
OTC
2001

1ª Descoberta

comercial do

Pré-sal

Premio OTC 2015
Premio
OTC
2015

7º Sistema do Pré-sal da BS

Representação 3D do arranjo submarino do FPSO Cidade de Maricá sobre o Edifício Sede da PETROBRAS

FPSO Cidade de Maricá sobre o Edifício Sede da PETROBRAS Produção Injeção de Gás Injeção de

Produção Injeção de Gás Injeção de Água Serviço Umbilical Linhas de Ancorage Gasoduto

Outro marco relevante: início da operação do maior gasoduto

submarino no país

TECAB (Cabiúnas) Rota 2  401 km de extensão UTGCA (Caraguatatuba)  18 a 24
TECAB
(Cabiúnas)
Rota 2
 401 km de extensão
UTGCA
(Caraguatatuba)
 18 a 24 polegadas de diâmetro
Rota 2
 Profundidade d'água de 2.250 m
 13 milhões de m³/dia
Uruguá / Tambaú
Mexilhão
Iracema Norte
1º óleo: Julho 2015
Rota 1
Iracema Sul
1º óleo: : Outubro 2014
Piloto Lula NE
1º óleo: Junho 2013
Sapinhoá Norte
1º óleo: Novembro 2014
Lula Alto
1º óleo: Fevereiro 2016
Piloto de Lula
1º óleo: Outubro 2010
Piloto de Sapinhoá
1º óleo: Janeiro 2013
Piloto de Lula 1º óleo: Outubro 2010 Piloto de Sapinhoá 1º óleo: Janeiro 2013 11 Mapa

11

Mapa Esquemático sem escala

Rota 2: gasoduto submarino de maior extensão no Brasil

Rota 2
Rota 2
TECAB TIE-IN SPOOL ROTA 3 FPSOs Cid. Mangaratiba e Cid. Itaguaí ROTA 3 LDA: 100
TECAB
TIE-IN SPOOL
ROTA 3
FPSOs Cid.
Mangaratiba
e Cid. Itaguaí
ROTA 3
LDA: 100 m
LDA: 1509 m
LDA: 2.229 m
LDA: 2.189 m
Cid. Mangaratiba e Cid. Itaguaí ROTA 3 LDA: 100 m LDA: 1509 m LDA: 2.229 m

401 km de extensão

Cid. Mangaratiba e Cid. Itaguaí ROTA 3 LDA: 100 m LDA: 1509 m LDA: 2.229 m

Consolidação de uma robusta infraestrutura de escoamento de gás Rota 1 e Rota 2: 23 milhões de m³/d de capacidade instalada

Rota Rota Rota
Rota
Rota
Rota

TECAB

(Cabiúnas)

1 2 3 COMPERJ UTGCA (Caraguatatuba) Rota 3 Rota 2 Uruguá / Tambaú Mexilhão Iracema
1
2 3
COMPERJ
UTGCA
(Caraguatatuba)
Rota 3
Rota 2
Uruguá / Tambaú
Mexilhão
Iracema Norte
1º óleo: Julho 2015
Rota 1
Iracema Sul
1º óleo: : Outubro 2014
Operando
Piloto Lula NE
1º óleo: Junho 2013
Em construção / Estudo
Sapinhoá Norte
1º óleo: Novembro 2014
Lula Alto
1º óleo: Fevereiro 2016
Capacidade(milhões m³/d)
Status
Piloto de Lula
1º óleo: Outubro 2010
Rota 1 - Caraguatatuba
10
Em operação
Piloto de Sapinhoá
1º óleo: Janeiro 2013
Rota 2 - Cabiúnas
13
Em operação
Rota 3 - COMPERJ
21
Em implantação
13
Total
44
Rota 2 - Cabiúnas 13 Em operação Rota 3 - COMPERJ 21 Em implantação 13 Total

Mapa Esquemático sem escala

Aumento da oferta de gás ao mercado brasileiro

Rota 2 + TECAB  Expansão da capacidade de processamento de gás: 23 para 28,4
Rota 2 + TECAB
 Expansão da capacidade de
processamento de gás: 23 para
28,4 milhões m³/d;
 Maior participação do gás nos
negócios da Petrobras.

Planta de Processamento no Terminal de Cabiúnas

14

Segurança como valor e eficiência operacional como meta

Bacia de Santos Coleta e Contenção Poços Submarinos Workshop de Resposta à Emergência 8-12 de
Bacia de Santos
Coleta e Contenção
Poços Submarinos
Workshop de Resposta à Emergência
8-12 de Junho de 2015
Hotel Windsor Barra
Rio de Janeiro

Eficiência Operacional 2015

Junho de 2015 Hotel Windsor Barra Rio de Janeiro Eficiência Operacional 2015 ROTA 1|UTGCA TECAB 99,9%|98,7%
ROTA 1|UTGCA TECAB 99,9%|98,7% 95,4%
ROTA 1|UTGCA
TECAB
99,9%|98,7%
95,4%

15

A competitividade dos projetos do pré-sal assume outro patamar numa região

onde há resultados materiais entregues e infraestrutura disponível.

redução e produtividade de 9% redução de 57% Mais de 170 poços perfurados no pré-sal
redução
e produtividade
de 9%
redução de 57%
Mais de 170 poços
perfurados no pré-sal da
Bacia de Santos em 10
anos

Combinação de novas tecnologias com aceleração da curva de aprendizado:

gestão com foco em custos

16

A PETROBRAS dedica estes resultados a todos os empregados e colaboradores

A PETROBRAS dedica estes resultados a todos os empregados e colaboradores — 17

ONTEM, HOJE E SEMPRE

O DESAFIO É A NOSSA ENERGIA

ONTEM, HOJE E SEMPRE O DESAFIO É A NOSSA ENERGIA