Você está na página 1de 6

ANÁLISE DE SWOT

2009
1-DEFINIÇÃO:

A Análise S.W.O.T. Ou também denominada análise F.O.F.A. (português) é uma ferramenta


estrutural da administração usada na análise do ambiente interno, com a finalidade de formulação
de estratégias. Nesta análise identificamos as Forças e Fraquezas da empresa, extrapolando então
Oportunidades e Ameaças internas para a mesma.

2-SURGIMENTO: SWOT é uma sigla do idioma inglês, e representa : Forças (Strengths),


Fraquezas (Weaknesses), Oportunidades (Opportunities) e Ameaças (Threats).

Sua origem desse tipo de análise, não é bem explicada, mas, o que os estudiosos aceitam é
que a análise SWOT foi fundamentada por dois professores da Harvard Business School: Kenneth
Andrews e Roland Christensen.

3-APLICAÇÃO:

A aplicação se divide em ambiente interno (Forças e Fraquezas) e ambiente externo


(Oportunidades e Ameaças).

As forças e fraquezas são avaliadas pela observação da situação atual da organização, em


geral avaliadas , a fatores internos.
As oportunidades e ameaças são previsões futurísticas e estão intimamente ligada a fatores
externos.

O ambiente interno é um meio supervisionado e controlado pelos dirigentes da organização,


pois essa supervisão e controle é o próprio resultado das estratégias de atuação empresarial
Na análise os pontos fortes, são enfatizados ao máximo; e um ponto fraco,quando evidente, deverá
os dirigentes da empresa proceder a objetivos estratégicos que irão reduzir ou minimizá-los.

4-ANÁLISE DE SWOT , o que observar para dar certo:


1. A análise SWOT deverá ver o hoje da empresa e previsões do amanhã.
2. A análise SWOT é específica.
3. A análise é focada as empresas que competem com a sua.
4. A análise de SWOT é curta e simples e subjetiva.

5-MATRIZ DE SWOT- FOFA:


6-FUNCIONALIDADE DE CADA PONTO:

1) Internos – situações em que a organização influencia


forças – elementos da Organização que primam pela situação vantajosa.
fraquezas – inconformidades, objetivos da empresa que podem ser melhorados.
2) Externos – situações que advém de fora da organização , e logo não podem influenciá-lo
oportunidades – tudo o que podemos enfatizar para melhorar ainda mais.
Ameaças – tudo que dificultarão a obtenção de lucratividade por parte da empresa.

7-SEGUNDO PORTER- MATRIZ DE SWOT-REPRESENTAÇÃO DAS CINCO FORÇAS

Ilustração 1: MATRIZ DE SWOT-PORTER 5


FORÇAS

Modelo das 5 Forças de Porter


1. Determinantes da rivalidade das empresas na indústria
2. Poder negocial dos fornecedores
3. Poder negocial dos clientes
4. Ameaça de entrada de novos concorrente
5. Ameaça de produtos substitutos

1-Determinantes da rivalidade das empresas e indústrias


(Crescimento da indústria)
- Número de concorrentes;
- Custos fixos elevados;
- Reduzida diferenciação;
- Custos de mudança;
- Sobrecapacidade intermitente;
- Diversidade de concorrentes;
- Importância estratégica de
negócio;
- Barreiras à saída:
Ativos específicos;
Custos fixos de saída;
Relações estratégicas;
Barreiras emocionais;
Restrições sociais/governamentais.

2-Poder Negocial dos fornecedores


- Concentração de fornecedores;
- (Inexistência de) produtos substitutos;
- Diferenciação das entradas;
- Custos de mudança de fornecedores;
- Importância do volume do fornecedor;
- Custo em relação ao total comprado na
indústria;
- Riscos de integração a jusante

3-Poder Negocial dos clientes


- Concentração;
- Volume das suas compras;
- Inexistência de diferenciação;
- Custo de mudança:
Reduzidos (p/cliente);
Elevados (p/ empresa).
- Ameaça de integração a montante;
- Informações disponíveis (sobre
preços, procura, etc);
- Produtos substitutos.

4-Ameaças de novos concorrentes


(Barreiras à entrada)
- Economia de escala;
- Diferenciação do produto;
- Imagem de marca;
- Necessidades de fundos;
- Custos de mudanças;
- Acesso aos canais de distribuição;
- Know-how (patentes, …);
- Acesso favorável a matérias-primas;
- Curva da experiência;
- Política do governo;
- Retaliação esperada

5- Ameaça de produtos substitutos


- Relação preço/rendimento
(desempenho);
- Custo de mudança;
- Propensão do comprador para
aquisição de produtos substitutos.
8-COMO CONSTRUIR A ANÁLISE DE SWOT- Como fazer a análise SWOT

A análise SWOT deve ser confeccionada e interpretada de maneira integrada, unindo as


peças chaves, que são os elementos da análise interna e externa, por que vão formar o diagnóstico e
este deve ser confiável e com suporte de uma boa fonte de informação, e que esteja integrado as
necessidades da gestão estratégica, pois estas vão fundamentar o futuro a médio e longo prazo da
organização.
O ambiente interno é de inteira responsabilidade dos dirigentes da organização, pois resulta
de estratégias de atuação idealizadas por esta equipe de dirigentes. Todos os pontos fortes serão
destacar de maneira enfática; porém ao identificarmos um ponto fraco, devemos agir imediatamente
a fim de controlá-lo ou, reduzir seu efeito. O ambiente externo está fora de nosso controle , na
organização. Portanto, podemos não ter seu controle , mas a monitorização deve ser realizada
procurando avaliar as oportunidades de modo mais eficiente, e sempre que for possível, evitar o
máximo as ameaças.
REFERÊNCIAS:

PORTER, Michael E. Estratégia competitiva. Rio de Janeiro: Ed. Campus, 1998.

TARAPANOFF, K. (org). Inteligência Organizacional e Competitiva. Brasília: Editora UNB, 2001


Goldschmidt, A., “Análise SWOT na captação de recursos – avaliação de oportunidades, ameaças,
pontos fortes e pontos fracos”, retirado de: http://integracao.fgvsp.br/ano6/06/financiadores.htm

Links Úteis:
http://books.google.com
http://executivos.online.pt
http:/gestãowordexpress.com.