Você está na página 1de 33

Faz de conta

que o mundo

real

Ainda bem que a tua escola é uma Escola


Promotora de Saúde!

Coordenadora da Educação para a Saúde:

Goretti Moreira
[“FAZ DE CONTA QUE O MUNDO É REAL”] 2008/2009

Índice:

1. Caracterização do Agrupamento de Escolas de Vilar Formoso p2

2. Fundamentação p
13

3. Objectivos Gerais p 18

4. Objectivos Específicos p
19

5. Operacionalização p 22

Coordenadora da Educação para a Saúde: Goretti Moreira Página 2


[“FAZ DE CONTA QUE O MUNDO É REAL”] 2008/2009

1. Caracterização do Agrupamento de Escolas de Vilar Formoso:

“Faz de conta que o mundo é real” é um projecto que pretende implementar a promoção da Educação
para Estilos de Vida Saudáveis, no âmbito da rede das Escolas Promotoras de Saúde (EPS),
destinando-se à comunidade educativa do Agrupamento de Escolas de Vilar Formoso.
O Agrupamento integra a escola sede, EB2,3/S de Vilar Formoso, bem como três escolas do 1º CEB
e um Jardim de Infância, abaixo caracterizadas.

Estruturas e serviços da Escola E. B. 2,3/S de Vilar Formoso – Escola sede do


Agrupamento

As instalações da Escola Sede do Agrupamento de Escolas de Vilar Formoso, Escola do Ensino


Básico dos 2º e 3º ciclos com Secundário de Vilar Formoso, datam de 2001/2002. No ano lectivo de
2008/2009 a Escola Sede do Agrupamento irá albergar os alunos dos 4º ao 12º anos de escolaridade,
permanecendo nas escolas do 1º CEB os alunos do 1º ao 3º anos de escolaridade. A Escola de 1º
CEB da Malhada Sorda não continuará a funcionar. A oferta pedagógica do Agrupamento encontra-
se descrita no Projecto Educativo da Escola, destacando-se como importantes para este projecto PES
as ofertas de enriquecimento e complemento curricular e os projectos em desenvolvimento
destacados a seguir:

• Actividade Física e Desportiva (engloba natação e equitação) nas AEC do 1º CEB


• Clube de Jornalismo (responsável pela edição do Jornal Escolar “Entre Nós”)
• Clube do Desporto Escolar
• Oficina de História e Arqueologia (OHA)
• PROSEPE – Clube da Floresta
• Clube da Protecção Civil
• Clube da Solidariedade
• Núcleo de Música
• Biblioteca Escolar/CRE (a Escola integra a Rede Nacional das Bibliotecas Escolares)
• Vilar Formoso em forma(ção)

Coordenadora da Educação para a Saúde: Goretti Moreira Página 3


[“FAZ DE CONTA QUE O MUNDO É REAL”] 2008/2009

• Segurança Escolar
• Abandono e Absentismo Escolar
• APTE (Aproveitamento pleno dos tempos escolares)
• PNL (Plano nacional de Leitura)
• Actividades de enriquecimento curricular do 1º CEB

Instalações:

As instalações que compõem a Escola Sede do Agrupamento são as seguintes:

Obs.
Bloco Tipo de Espaço Nº

Sala de Aula 6

Sala EVT 1

Uma adaptada a Sala de Electricidade


Sala Ed. Tecnológica 2
Uma adaptada a sala de Ed. Visual

Sala de Informática 1

A
Biblioteca 1 Com ligação à Internet

Sala de Trabalho 2 Salas de aula

Seminário 2 Salas de aula

Com ligação à Internet e material de


Sala de Grandes Grupos 1
vídeo e som

Sala de Funcionários 1

Material de Limpeza e Didáctico;


Arrecadações 7
Salas específicas

WC 5

Bloco Tipo de Espaço Nº Obs.

Coordenadora da Educação para a Saúde: Goretti Moreira Página 4


[“FAZ DE CONTA QUE O MUNDO É REAL”] 2008/2009

Sala de Aula 2

Sala de Desenho 1 Funciona como sala de Geografia

Sala de Ciências 2 Funcionam como salas de aula

Sala Ed. Visual 1 Funciona como sala de Ed. Musical

Sala anexa à sala de Professores/Com


Sala de Trabalho 1
ligação à Internet

Sala de Professores 1 Com ligação à Internet

Um funciona como gabinete do órgão


Gabinetes de Trabalho 2 de gestão (1º Ciclo e Pré-Escolar); Um
funciona como Departamento

Sala Convívio Alunos 1

B
Papelaria 1

Bufete 2

Serviços Administrativos 1 Com Gabinete de Chefe de Serviços

Sala D.T./Atendimento
Encarregados de 1
Educação

Arquivo 1

Conselho Executivo 1

Gabinete Médico 1

Reprografia 1

WC 4

Arrecadação (vários Material Limpeza; Geral; Salas


9
Tipos) Específicas

Bloco Tipo de Espaço Nº Obs.

Coordenadora da Educação para a Saúde: Goretti Moreira Página 5


[“FAZ DE CONTA QUE O MUNDO É REAL”] 2008/2009

Sala de Aula 4 Uma sala de grandes grupos

Sala Ciências Natureza 1 Funciona como sala de aula

Sala Informática 1

Um funciona como sala de aula;


Sala de Trabalho 3
Um funciona como Departamento

C
Laboratório Biologia 1 Com salas anexas

Laboratório Física 1

Laboratório
1
Físico/Química

Câmara escura 1

Salas específicas; Material Limpeza;


Arrecadação 12
Material Áudio -Visual

WC 3

Bloco Tipo de Espaço Nº Obs.


Refeitório 1

D
Despensas 1

WC 3

Casa das Máquinas 1

Bloco Tipo de Espaço Nº Obs.


Campo de Jogos 1

Sala de Ginástica 1
Pavilhão
Gimno- Balneários 3
Desporti Sala de Professores 1
vo
WC 3

Central Térmica 1

Coordenadora da Educação para a Saúde: Goretti Moreira Página 6


[“FAZ DE CONTA QUE O MUNDO É REAL”] 2008/2009

Tipo de Espaço Nº Obs.


Campo de jogos 1

Balneários exteriores 2
Exterior WC 2

Central Térmica 1

Arrecadação 1

(Dados retirados do Projecto Educativo do Agrupamento)

As outras escolas do Agrupamento

A Escola do 1º CEB Albino Monteiro de Vilar Formoso

A Escola nº 1 de Vilar Formoso, Escola Albino Monteiro, habitualmente conhecida por «Escola do
Povo», é uma das duas escolas de Vilar Formoso, vila que dista 15Km da sede do concelho, Almeida.
Situa-se na parte da vila designada por «Povo», parte mais antiga da povoação, junto à
EstradaNacional nº16.
É uma Escola semi-urbana, sem tipo específico. É um edifício antigo, com uma construção robusta e
arquitectonicamente bem concebida que resultou da iniciativa benemérita de dois elementos da
comunidade. A entrada fica virada a nascente para a Rua dos Cancelões. A poente dispõe de um
amplo espaço livre destinado a actividades recreativas e jardinagem. A Escola tem um recinto
coberto e um pátio exterior espaçoso, amplo, arejado, com muro e gradeamento a toda a volta, onde,
se expandem as crianças nas suas actividades lúdicas, recreativas e desportivas. Dispõe de duas salas
de aula, e mais duas divisões que intercomunicam entre si, onde funcionam uma sala de recursos
com equipamentos multimédia, adquiridos através do Projecto TEIP, e uma sala para o ensino
especial. Há ainda três casas de banho, uma arrecadação e a caldeira de aquecimento. Dispõe, ainda,
de mais três salas, que funcionam como sala de recursos. A Escola possui, também, um computador
com ligação à Internet e uma impressora que foi cedido pela autarquia local. O estado de
conservação da escola é bom e a higiene e limpeza é considerada boa. As salas de aula são aquecidas

Coordenadora da Educação para a Saúde: Goretti Moreira Página 7


[“FAZ DE CONTA QUE O MUNDO É REAL”] 2008/2009

com caldeira a lenha. O regime de funcionamento é normal: no período da manhã das 9h15m às
12h30m e no período da tarde das 14h00m às 15h45m. As actividades de enriquecimento curricular
(Ensino da Música, Actividade Física/Desportiva, Ensino do Inglês, T.I.C., Actividades de Expressão
Plástica/Dramática e Apoio ao Estudo) desenvolvem-se até às 17h45m, algumas delas
desenvolvendo-se na Escola Sede do Agrupamento.

A Escola do 1º CEB da Imaculada de Vilar Formoso

A Escola nº 2 de Vilar Formoso, Escola da Imaculada, habitualmente conhecida por «Escola da


Estação», é uma das duas escolas de Vilar Formoso, vila que dista 15Kms da sede do concelho,
Almeida. A Escola situa-se na principal artéria comercial da vila, na Rua do Comércio. É uma escola
com arquitectura Raul Lino, com duas salas de aula e uma sala de recursos no rés-do-chão, com
equipamentos multimédia, adquiridos através do Projecto TEIP, e duas salas de aula e uma sala de
professores no 1º andar. A Escola possui, também, um computador com ligação à Internet e uma
impressora que foi cedido pela autarquia local. O recinto é espaçoso mas desprovido de qualquer
equipamento lúdico, desportivo ou outro. O estado de conservação da escola é satisfatório e a higiene
e limpeza é considerada boa. A escola foi equipada na década de noventa com mobiliário novo,
atraente, funcional, de utilização individual, adequado ao espaço das salas de aula e facilitador da
prática pedagógica. Falta um espaço exterior coberto. As salas de aulas são aquecidas com caldeira a
lenha. A Escola insere-se numa comunidade com características muito específicas devido à sua
localização numa vila fronteiriça com Espanha. O regime de funcionamento é normal: no período da
manhã das 9h15m às 12h30m e no período da tarde das 14h00m às 15h45m. As actividades de
enriquecimento curricular (Ensino da Música, Actividade Física/Desportiva, Ensino do Inglês, T.I.C.,
Actividades de Expressão Plástica/Dramática e Apoio ao Estudo) desenvolvem-se até às 17h45m,
algumas delas desenvolvendo-se na Escola Sede do Agrupamento.

A Escola do 1º CEB de S. Pedro do Rio Seco

Coordenadora da Educação para a Saúde: Goretti Moreira Página 8


[“FAZ DE CONTA QUE O MUNDO É REAL”] 2008/2009

A Escola de S. Pedro do Rio Seco, situa-se na zona limítrofe, lado Sul da freguesia de S. Pedro do
Rio Seco. Á semelhança da região trata-se duma zona essencialmente rural com as vantagens e
desvantagens que daí decorrem. Por um lado, pode-se desfrutar do sossego e tranquilidade e por
outro, a existência duma exploração pecuária nas imediações da escola, sujeita a população escolar
aos característicos inconvenientes. O edifício é do tipo Plano Centenário rural, de uma só sala,
encontra-se num estado regular. Possui um terreno com razoáveis dimensões, com vedação, parque e
um jardim na zona frontal à escola. O material didáctico é escasso e ultrapassado, existe um
computador, (com ligação à Internet) impressora e uma multifunções. A Escola funciona em regime
normal: no período da manhã das 9h15m às 12h30m e no período da tarde das 14h00m às 15h45m.
As actividades de enriquecimento curricular (Ensino da Música, Actividade Física/Desportiva,
Ensino do Inglês, T.I.C., Actividades de Expressão Plástica/Dramática e Apoio ao Estudo)
desenvolvem-se até às 17h30m, sendo que os alunos às 3ª e 5ª feiras se deslocam à Escola Sede do
Agrupamento para desenvolver algumas destas actividades.

O Jardim-de-Infância de Nave de Haver

Nave de Haver é uma aldeia situada no meio rural, a 30 Kms de Almeida, sede do concelho, e 15km
de Vilar Formoso. A sua população, constituída por cerca de cinco centenas de habitantes, tem como
principal actividade a agricultura de subsistência e alguma indústria artesanal de enchidos regionais,
pelo que, os pais de alguns alunos têm emprego noutras localidades vizinhas. O nível de vida dos
agregados familiares é médio, havendo, no entanto, situações de famílias verdadeiramente
carenciadas. A sala do Jardim-de-Infância está inserida no edifício da antiga Escola do 1º CEB. A
Escola, do Plano Centenário Rural, integrada numa área habitacional, está edificada numa zona verde
e silenciosa, bem orientada e com boa luminosidade. Possui quatro salas de aula, duas das quais, no
1º piso, devolutas, instalações sanitárias e uma boa área de recreio. A escola tem um recinto coberto e
um pátio exterior, sem equipamento recreativo, com muro baixo a toda a volta. A sala do Jardim é
uma sala ampla, bem iluminada e funcional. Denota bom estado de conservação. A nível de material
didáctico está relativamente bem equipada, tendo também algum equipamento tecnológico,
designadamente computador, impressora, televisor e vídeo cedidos pela autarquia local. O regime de
funcionamento é o normal, no período da manhã das 9h30m às 12h30m e, no período da tarde, das

Coordenadora da Educação para a Saúde: Goretti Moreira Página 9


[“FAZ DE CONTA QUE O MUNDO É REAL”] 2008/2009

13h30m às 15h30m. As actividades de animação e de apoio à família decorrem no período das


15h30m às 17h00m.
(Dados retirados do Projecto Educativo do Agrupamento)

Alunos do Agrupamento e sua distribuição em 2007/2008:

Alunos do Pré-escolar e 1º CEB

Estabelecimentos do Pré- JI 1ºAno 2º Ano 3º Ano 4ºAno Totais


Escolar e 1º CEB

Albino Monteiro - V. Formoso 35 35

Imaculada – V. Formoso 26 22 25 73

S. Pedro Rio Seco 1 4 4 4 13

Malhada Sorda 2 1 3 3 9

JI de Nave de Haver 12 12

Totais 12 142

Alunos do 2º, 3º CEB e Secundário

A Escola sede do Agrupamento serve a população em idade escolar da Vila de Vilar Formoso e das
aldeias vizinhas. Cerca de meia centena de alunos deslocam-se em transportes públicos a partir das
aldeias mais próximas do concelho, (Poço Velho, Nave de Haver, Malhada Sorda, Freineda, Aldeia
de S. Sebastião, Castelo Bom, Castelo Mendo, Alto Leomil, Senouras, Freixo, Ade, Monteperobolso,
Coordenadora da Educação para a Saúde: Goretti Moreira Página 10
[“FAZ DE CONTA QUE O MUNDO É REAL”] 2008/2009

S. Pedro do Rio Seco e Almeida), e também de Fuentes de Onõro, localidade espanhola, fronteiriça.
No ano lectivo de 2007/2008, frequentam esta escola, 219 alunos, assim distribuídos:

Ano de N.º de N.º de


Turmas Alunos
Escolaridade
5.º Ano 2 23

6.º Ano 2 31

Total 4 54
7º Ano 2 25

8.º Ano 1 25

9.º Ano 2 31

1 7
CEF

Total 7 88
10.º Ano 2 30

11.º Ano 1 21

12.º Ano 2 26

Total 5 77

Total geral 15 219

(Dados retirados do Projecto Educativo do Agrupamento)

Protocolos/Parcerias

Para o desenvolvimento da sua acção o Agrupamento articula ainda a sua intervenção com vários
actores sociais e institucionais locais e regionais, pois é cada vez mais necessário um investimento
em acções integradas e uma optimização de recursos. Assim, tem protocolos/parcerias com:

• Câmara Municipal de Almeida (CLAS e CME)

Coordenadora da Educação para a Saúde: Goretti Moreira Página 11


[“FAZ DE CONTA QUE O MUNDO É REAL”] 2008/2009

• Centro Lúdico de Vilar Formoso


• Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra
• Escola Superior de Educação da Guarda
• ASTA – Associação Sócio-Terapêutica de Almeida
• Centro de Formação de Professores do Concelho de Almeida (FOCPAL)
• Empresas locais que asseguram estágios em contexto de trabalho a
alunos dos Cursos CEF e Tecnológico
• Junta de Freguesia de Vilar Formoso
• Núcleo Empresarial da Guarda – NERGA
• Associação de Desenvolvimento ISACE
• Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Almeida
• Centro de Saúde de Almeida/Extensão de Saúde de Vilar Formoso
• (Gabinete de Atendimento ao Adolescente)

(Dados retirados do Projecto Educativo do Agrupamento)

Levantamento de problemas/necessidades do agrupamento relevantes para o


projecto:

• Necessidade da elaboração de um projecto PES abrangente, funcional e pouco


burocrático, incidente nas quatro áreas prioritárias nos moldes definidos pelo Ministério
da Educação;
• Necessidade de criação de uma equipa de PES;
• Necessidade de representação dessa mesma equipa no Conselho Pedagógico;
• Necessidade de formação base aos intervenientes no e aplicadores do projecto PES;
• Fraco nível de conhecimentos relativamente às temáticas da saúde, como o tabagismo,
os maus hábitos alimentares e o consumo de álcool e de drogas, bem como de outros
problemas relacionados com a sexualidade e o planeamento familiar;
• Pouca participação dos Encarregados de Educação na vida escolar dos seus educandos
em específico e nas actividades da comunidade educativa em geral;

Coordenadora da Educação para a Saúde: Goretti Moreira Página 12


[“FAZ DE CONTA QUE O MUNDO É REAL”] 2008/2009

• Comportamentos desajustados de alguns alunos;


• Pouca articulação interdisciplinar e transdisciplinar;
• Alguma falta de material didáctico e informático;

2. Fundamentação:

Na sequência das actividades desenvolvidas pelo GTES - Grupo de Trabalho de Educação Sexual e
do Despacho n.º 25 995/2005 do Gabinete da Ministra, no dia 7 de Fevereiro foi assinado um
Protocolo entre o Ministério da Educação e o Ministério da Saúde (em http://sitio.dgidc.min-
edu.pt/saude/Documents/ProtocoloME_MS.pdf), que estabelece com clausula segunda que “o
primeiro outorgante compromete-se a dinamizar no sistema educativo os princípios e as práticas da
promoção da saúde em meio escolar nomeadamente através de:

Coordenadora da Educação para a Saúde: Goretti Moreira Página 13


[“FAZ DE CONTA QUE O MUNDO É REAL”] 2008/2009

a) Estudo, reorganização e revitalização dos curricula do ensino pré-escolar, do ensino


básico e do ensino secundário, na perspectiva do desenvolvimento curricular da
educação para a saúde nos projectos de escola e de turma;

b) Sensibilização das Direcções Regionais e dos órgãos de gestão dos Agrupamentos/


Escolas para a inclusão da promoção da saúde nos Projectos Educativos;

c) Adopção, por parte das Escolas, de políticas e práticas condizentes com a Promoção da
Saúde, nomeadamente nas questões de saúde mental, das relações interpessoais, da
educação alimentar, da educação sexual, da prevenção do consumo de substâncias lícitas
e/ou ilícitas, da prevenção do VIH/Sida e outras IST, da segurança ao nível das
instalações e equipamentos e da actividade física;

d) Aproveitamento das áreas curriculares não disciplinares para a abordagem da


promoção da saúde sob a forma de projecto passível de avaliação;

f) Designação pelo órgão de gestão dos Agrupamentos/ Escolas de uma equipa,


coordenada por um professor responsável pela área da promoção e educação para a saúde,
que se articula com as estruturas de saúde escolar e a restante comunidade;

g) Rentabilização, nos Agrupamentos/Escolas, dos Serviços Especializados de Apoio


Educativo, integrando técnicos de Promoção da Saúde para apoio aos alunos;
h) Criação, nas Escolas Secundárias, de um Gabinete de Apoio aos alunos no âmbito da
educação sexual;

i) Implementação, nos estabelecimentos do ensino básico e secundário, de um programa de


educação sexual. Este programa será desenvolvido numa perspectiva interdisciplinar e nas
áreas disciplinares não curriculares. Será adequado aos diferentes níveis etários e utilizará
um modelo pedagógico compreensivo, envolvendo a comunidade educativa e dinamizado em
colaboração estreita com os serviços de saúde, associações de pais e encarregados de

Coordenadora da Educação para a Saúde: Goretti Moreira Página 14


[“FAZ DE CONTA QUE O MUNDO É REAL”] 2008/2009

educação, associações de estudantes e outras entidades externas devidamente credenciadas.”


(p 2-3)

A implementação do programa de Educação Sexual nos termos referidos na alínea i) respeitará


obrigatoriamente os conteúdos mínimos estabelecidos no Relatório do GTES de 2007 (disponível no
site da DGIDC), abaixo transcritos, devendo-se incluir o equivalente a uma sessão mensal na área
específica da sexualidade (no total de 8 sessões) e realizar avaliação específica e obrigatória aos
conteúdos em causa em todas as turmas:

 Primeiro Ciclo (1º ao 4º ano):

• Noção de Corpo

• O corpo em harmonia com a Natureza

• Noção de Família

• Diferenças entre rapazes e raparigas

• Protecção do corpo e noção dos limites, dizendo não às aproximações abusivas, e disso dando
conhecimento à família e/ou professor/a

 Segundo Ciclo (5º e 6º anos)

• Puberdade: aspectos biológicos e emocionais

• O corpo em transformação

• Caracteres sexuais secundários. Normalidade e importância e frequência das suas variantes


bio-psicológicas

• Diversidade, tolerância

• Sexualidades e género

• Reprodução humana e crescimento. Contracepção e planeamento familiar

 Terceiro Ciclo (7º ao 9º anos)

Coordenadora da Educação para a Saúde: Goretti Moreira Página 15


[“FAZ DE CONTA QUE O MUNDO É REAL”] 2008/2009

Compreendendo três anos lectivos, no 3º ciclo pode haver alguma heterogeneidade nos grupos
etários entre as diversas turmas e dentro das próprias turmas. As indicações que se seguem são
apenas orientações gerais. Podem e devem ser adaptadas pela escola e por cada professor/a
justamente em função das idades, de circunstâncias locais, regionais ou nacionais que o justifiquem e
das necessidades específicas dos adolescentes. A respectiva abordagem deve ser feita em colaboração
com os Centros de Saúde, podendo ser feita ou não em colaboração com diversas ONGs e/ou outras
instituições.

Em qualquer caso sublinha-se que, tratando-se de conteúdos mínimos, em circunstância alguma


devem estes conteúdos ser omitidos ou reduzidos, qualquer que seja a forma e a sequência pela qual
sejam abordados.

De uma forma geral sugere-se que os conteúdos 1 a 5 sejam abordados nos 7º e 8º anos e que os
conteúdos 6 e 7 no 9º ano:

1. Compreender a fisiologia geral da reprodução humana

2. Compreender o ciclo menstrual e ovulatório

3. Compreender a sexualidade como uma das componentes mais sensíveis da pessoa humana,
no contexto de um projecto de vida que integre valores (ex: afectos, ternura, crescimento e
maturidade emocional, capacidade de lidar com frustrações, compromissos, abstinência
voluntária) e uma dimensão ética

4. Compreender a prevalência, uso e acessibilidade dos métodos contraceptivos e conhecer,


sumariamente, os mecanismos de acção e tolerância (efeitos secundários)

5. Compreender a epidemiologia e prevalência das principais infecções sexualmente


transmitidas em Portugal e no mundo (incluindo infecção por VIH/Vírus da Imunodeficiência
Humana – VPH/Vírus do Papiloma Humano – e suas consequências) bem como métodos de
prevenção

6. Conhecer as taxas e tendências nacionais da maternidade em geral e da adolescência em


particular e compreender o respectivo significado

7. Conhecer as taxas e tendências das interrupções voluntárias de gravidez, suas sequelas e


respectivo significado

8. Compreender a noção de parentalidade no quadro de uma saúde sexual e reprodutiva


saudável e responsável

 Ensino Secundário

 Gabinete de Apoio
Coordenadora da Educação para a Saúde: Goretti Moreira Página 16
[“FAZ DE CONTA QUE O MUNDO É REAL”] 2008/2009

 Educação Física (nomeadamente 10 e 11º anos)

 Área de Projecto (12º ano)

• Género, família, parentalidade, interacção no namoro, respeito/violência, dizer “não” a


pressões emocionais e sexuais, interacção inter pares, comportamentos sexuais virtuais
veiculados pela Internet, maus tratos (abuso físico e psicológico), sexualidade e projecto de
vida

• Tendências na idade de início das relações sexuais, métodos contraceptivos disponíveis e


utilizados, razões do seu falhanço e não uso, evolução e consequência nas taxas de gravidez e
aborto (entre nós e na EU), aspectos relacionados com a incidência e sequelas das IST
(incluindo a infecção por VIH e HPV, sua prevenção e suas consequências)

• Compreensão do ciclo menstrual em geral, com particular atenção à identificação, quando


possível, do período ovulatório, em função das características dos ciclos menstruais.
Analogamente em relação à espermatogénese.

(Relatório GTES, p 19-23)

No geral são consideradas áreas prioritárias da Educação para a Saúde os temas Alimentação e
Actividade Física, Consumo de Substâncias Psicoactivas (SPA’s), Sexualidade, Infecções
Sexualmente Transmissíveis (IST), Violência em Meio Escolar/Saúde Mental, todas elas a abordar
no projecto PES do Agrupamento, com maior ou menor profundidade, de acordo com as
necessidades e os problemas diagnosticados.

Coordenadora da Educação para a Saúde: Goretti Moreira Página 17


[“FAZ DE CONTA QUE O MUNDO É REAL”] 2008/2009

3. Objectivos Gerais:

Alimentação e Actividade Física:


 Melhorar o estado de saúde global dos jovens.
 Inverter a tendência crescente de perfis de doença associadas a uma deficiente nutrição.
 Promover a saúde dos jovens, especificamente em matéria de alimentação saudável e actividade
física

Educação Sexual:
 Contribuir para uma melhoria dos relacionamentos afectivo-sexuais entre os jovens.
 Contribuir para a redução das possíveis consequências negativas dos comportamentos sexuais, tais
como a gravidez não planeada e as Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST).
 Contribuir para a tomada de decisões saudáveis na área da sexualidade.
 Dotar o aluno de competências que o tornem capaz de “relacionar harmoniosamente o corpo com o
espaço, numa perspectiva pessoal e interpessoal promotora da saúde e da qualidade de vida”.

Consumo de Substâncias Psicoactivas:


 Melhorar o estado de saúde global dos jovens.
 Contribuir para a definição de políticas claras em matéria de consumos de substâncias psicoactivas.
 Prevenir o consumo destas substâncias em meio escolar através de debates, sessões de sensibilização
e outras estratégias de trabalho continuado com os alunos e envolvendo toda a comunidade
educativa.

Violência em Meio Escolar:


 Identificar os vários tipos de comportamentos relacionados com a violência.
 Promover uma intervenção eficaz baseada em conhecimento.
(Direcção Geral de Inovação e Desenvolvimento Curricular)

Coordenadora da Educação para a Saúde: Goretti Moreira Página 18


[“FAZ DE CONTA QUE O MUNDO É REAL”] 2008/2009

4. Objectivos Específicos

Organização:

 Criar uma Equipa de Promoção de Educação para a Saúde (EPES);


 Implementar o presente projecto no ano lectivo de 2008/2009;
 Representar a Educação para a Saúde no Conselho Pedagógico, no sentido de uma
implementação e divulgação mais funcionais do projecto, evitando reuniões paralelas com os
vários intervenientes no processo (Coordenadores de Directores de Turma/Professores Titulares
de Turma, Associação de Estudantes, Associação de Pais, etc),
 Criar um espaço de divulgação online;
 Proceder a uma avaliação regular e, em caso que justifique, proceder ainda a
adaptações/reformulações do projecto.

Educação Sexual:

 Aumentar o número de conhecimentos dos elementos da comunidade escolar nesta área.


 Prevenir (e, se necessário, mudar) comportamentos no sentido da prevenção das IST e da
gravidez na adolescência, contribuindo para uma melhoria dos relacionamentos afectivo-sexuais
entre os jovens.
 Implementar a leccionação dos conteúdos mínimos obrigatórios estabelecidos pelo Relatório do
GTES nas áreas curriculares disciplinares (ACD) e não disciplinares (ACND);
 Aumentar o recurso dos adolescentes ao Gabinete de Apoio a Adolescentes e Jovens do Centro
de Saúde Jovem;
 Criar o Gabinete de Apoio para a Educação Sexual na escola.

Alimentação e Actividade Física:

 Aumentar o número de conhecimentos dos elementos da comunidade escolar nesta área;

Coordenadora da Educação para a Saúde: Goretti Moreira Página 19


[“FAZ DE CONTA QUE O MUNDO É REAL”] 2008/2009

 Fomentar o tratamento de conteúdos das áreas da alimentação saudável e segurança alimentar no


pré-escolar e nas ACND dos 1º e 2º Ciclos;
 Prevenir (e, se necessário, mudar) comportamentos no sentido da prevenção de doenças
relacionadas com dietas alimentares inadequadas e a falta de actividade física regular entre os
elementos da comunidade educativa;
 Proceder a rastreios regulares de IMC (Índice de Massa Corporal), Glicemia e Tensão Arterial,
entre outros;
 Manter o registo actualizado desses rastreios, actuando em situações problema identificadas,
sempre que necessário (formação, encaminhamento médico, etc)
 Monitorizar a implementação do estabelecido no manual de HACCP;
 Organizar formação dirigida aos manuseadores de alimentos;
 Aumentar o consumo de alimentos saudáveis no refeitório e no bufete, nomeadamente a sopa, a
fruta e o leite simples, entre outros;
 Adquirir uma máquina de venda automática para usufruto exclusivo da escola com produtos do
bufete da escola;
 Aumentar a oferta de alimentos saudáveis no bufete da escola (fruta, sumos naturais, etc);
 Reorganizar o espaço Refeitório de modo a proporcionar um ambiente mais agradável e menos
barulhento na hora da refeição;
 Proporcionar actividades complementares de Educação Física a elementos da comunidade
educativa com risco de obesidade;
 Proporcionar momentos de actividade física espontânea e não espontânea em colaboração com o
conselho de docência de Educação Física;
 Disponibilizar informação (panfletos, brochuras, etc) sobre a área no espaço do Gabinete de
Apoio.

Consumo de Substâncias Psicoactivas:

 Aumentar o número de conhecimentos dos elementos da comunidade escolar nesta área;


 Prevenir (e, se necessário, mudar) comportamentos no sentido da prevenção do consumo de
substâncias psicoactivas;

Coordenadora da Educação para a Saúde: Goretti Moreira Página 20


[“FAZ DE CONTA QUE O MUNDO É REAL”] 2008/2009

 Organizar debates, sessões de sensibilização e outras estratégias de trabalho continuado com os


alunos e envolvendo toda a comunidade educativa;
 Disponibilizar informação (panfletos, brochuras, etc) sobre a área no espaço do Gabinete de
Apoio.

Violência em Meio Escolar:

 Proceder a um levantamento de situações de indisciplina e violência em meio escolar;


 Actuar na área da prevenção de comportamentos agressivos através da promoção de estilos de
vida saudáveis, nomeadamente nas áreas da alimentação e actividade física, e da envolvência dos
alunos na reorganização do espaço físico à sua disposição;
 Proceder a uma intervenção eficaz em situações problemáticas;
 Organizar debates, sessões de sensibilização e outras estratégias de trabalho envolvendo toda a
comunidade educativa sobre temas como Violência, Bullying, Estratégias de Resolução de
Conflitos, etc;
 Disponibilizar informação (panfletos, brochuras, etc) sobre a área no espaço do Gabinete de
Apoio.

Coordenadora da Educação para a Saúde: Goretti Moreira Página 21


5. Operacionalização:

Encontra-se descrito, nas grelhas seguintes (organizadas pelas áreas referidas nos objectivos
específicos), o modo de operacionalização e implementação do projecto, referindo os objectivos, os
conteúdos, as estratégias, as actividades, os destinatários e intervenientes, bem como os indicadores
de avaliação.

As sessões de esclarecimento temáticas e os debates referidos no projecto serão decididos e


organizados pela Equipa da Promoção da Educação para a Saúde, quando esta estiver em
funcionamento (a partir de Setembro de 2008), conforme necessidades/pedidos da comunidade
educativa.

Organização:
Objectivos Conteúdos Estratégias Actividades Destinatários Dinamizadores
Específicos
- Coordenadora
Criar uma Equipa Análise de perfis, da Educação
- Criação da EPES
de Promoção de Implementação tendo em conta as Comunidade para a Saúde
- Elaboração de um Ma
Educação para a do projecto PES áreas relevantes para Educativa (CES)
regimento interno
Saúde (EPES) o projecto - Conselho
Executivo
Implementar o Implementação - Cumprimento das - As previstas no Comunidade EPES 20
presente projecto no do projecto PES actividades previstas projecto Educativa
ano lectivo de
2008/2009 - Informação à - Divulgação através Comunidade EPES 20
Comunidade dos meios disponíveis Educativa
(CP, Jornal da Escola,
Internet, etc)

- Representação no - Representar a EPES Comunidade CES A


Conselho Pedagógico no CP Educativa do
- Colaborar com das Comunidade CES A
várias estruturas da Educativa do
comunidade educativa

- Colaboração com e - Reuniões do CP Comunidade - CES A


acompanhamento dos - Outras reuniões e/ou Educativa - EPES do
intervenientes sessões de
esclarecimento/debate
- Criação e manutenção Comunidade EPES A
de um blog (Clube da Educativa do
Saúde)

Utilizar as novas - Criação de um Fórum Comunidade - CES Se


Áreas
Criar um espaço de tecnologias ao online Educativa - EPES
prioritárias
divulgação online; serviço da Educação
definidas
para a Saúde
- Elaboração de Comunidade EPES A
materiais e recursos a Educativa do
disponibilizar na
plataforma Moodle
- Reuniões regulares
Conteúdos A
Avaliação das - Debate EPES CES
Avaliar o projecto constantes do d
actividades - Análise dos dados
projecto
fornecidos
Educação Sexual:
Objectivos Conteúdos Estratégias Actividades Destinatários Dinamizadores Data Avaliação
Específicos
Aumentar o número - Preenchimento de
- Educação Ao longo
de conhecimentos Comunidade - EPES questionários iniciais e finais
Sexual Informação A definir pela EPES do ano
da comunidade Educativa - Técnicos - Nº de participantes
-IST lectivo
educativa - Elaboração de relatório
- Levantamento dos - Preenchimento de Conselhos de CES Maio 2008 - Nº de grelhas preenchidas
conteúdos mínimos uma grelha por parte Docência e - Elaboração de relatório sobre
da Educação Sexual dos Conselhos de Professores dados obtidos
passíveis de serem Docência e Professores Titulares de
tratados Titulares de Turma Turma
Conteúdos
Implementar a
mínimos - Planificação dos - Elaboração do PCT - Professores da Set. 2008 Nº de conteúdos planificados
Educação Sexual
obrigatórios conteúdos nos Planos disciplina
nas áreas
definidos em Curriculares de - Conselho de Set. 2008 Nº de conteúdos mínimos
curriculares
Relatório do Turma (PCT) dos 1º Turma (CT) e incluídos nas ACD
disciplinares (ACD)
GTES ao 9º e 12º anos e na Professores
disciplina de - Implementação do - Todos os Titulares de Ao longo - Grelhas/Fichas (alunos)
Educação Física nos PCT Alunos Turma (PTT) do ano - Relatório (CT/PPT)
10º e 11º anos lectivo - Relatório CD de Ed. Física

Implementar a Estabelecidos - Sensibilização - Reunião informativa Coord. CES Abril 2008


Educação Sexual por Conselho de da CES com os DT/PTT
nas áreas Turma, Coordenadores de
DT/PTT
- Reunião preparatória Prof. AP EPES Set. 2008
com os professores de
AP

- Trabalho de - Selecção dos Conselhos de Coordenadores Set. 2008 - Grelha de distribuição de


Projecto conteúdos a trabalhar e DT/PTT DT/PTT conteúdos
conforme formas de apresentação
programas e ano por ano de escolaridade
curriculares não
de escolaridade de cada ciclo
disciplinares
com base no
(ACND)
relatório do - Integração nos PCT CT/CPTT CT/CPTT Set. 2008 - PCT
GTES
- Planificação da AP do Alunos - Alunos Set 2008 - Planificações
2º período - Professores da
AP

- Implementação dos Alunos - Alunos e 2º período - A definir conforme cada


projectos - Prof. da AP projecto
- C. de Saúde
Aumentar o recurso - Continuação da - Realização de sessões Alunos dos 5º CES Ao longo
dos adolescentes ao parceria com o GAAJ de esclarecimento pelo ao 12º anos do ano
Gabinete de Apoio Divulgação do GAAJ junto dos alunos lectivo
a Adolescentes e GAAJ da escola
Jovens do Centro
de Saúde Jovem - Divulgação junto da - Referências no blog Comunidade - EPES Ao longo Comparação do nº de visitas ao
comunidade do PES Educativa - GAAJ do ano GAAJ do ano lectivo de
educativa lectivo 2007/2008 com 2008/2009

- Referências no Alunos - EPES Ao longo


Gabinete de Apoio - GAAJ do ano
lectivo
- Arranjar um espaço - até Julho
propício para 2008
atendimento dos alunos
- Equipar o espaço com Alunos do - EPES - até Out.
um PC com ligação à Agrupamento, - CE 2008
Criar e garantir o Internet e literatura em especial os - GAAJ
Aplicação do
funcionamento do informativa do ensino - AE
disposto no Criação do Gabinete
Gabinete de Apoio - Definir horários, secundário - Set. 2008 - Nº de horas semanais de
Relatório do de Apoio
para a Educação equipas e estratégias de funcionamento do gabinete
GTES
Sexual na escola apoio

- Atendimento dos Ao longo - Nº de visitas ao gabinete


alunos do ano - Nº de dúvidas esclarecidas/
lectivo casos encaminhados
- feedback dos alunos
1 de Dez. - Participação da Comunidade
Sensibilizar a
Assinalar os dias Dia Mundial da Comunidade (a assinalar educativa
comunidade A definir pela EPES EPES
comemorativos SIDA Educativa a 2 de - Nº de comentários
educativa
Dez.)
Alimentação e Actividade Física:
Objectivos Conteúdos Estratégias Actividades Destinatários Dinamizadores Data Avaliação
Específicos
- Educação
Alimentar
Aumentar o número - Preenchimento de
- Segurança e - Sessões de Ao longo
de conhecimentos Comunidade - EPES questionários iniciais e finais
Higiene Esclarecimento A definir pela EPES do ano
da comunidade Educativa - Técnicos - Nº de participantes
Alimentar - Debates lectivo
educativa - Elaboração de relatório
- Actividade
Física
Fomentar o - Actividade - Actividades lúdicas - A definir pela EPES Alunos do EPES 7 de Abril - Observação directa
tratamento de Física para o pré-escolar Pré-escolar de 2008 - Relatório
conteúdos das áreas (Dia
da alimentação Mundial da
saudável, segurança Saúde)
alimentar e - Educação - Utilização do
importância da Alimentar e software - Reunião informativa Alunos dos 1º Professores de Ao longo - Avaliação do PCT
actividade física no Segurança e disponibilizado pela com os professores de e 2º ciclos FC/AP do ano - Avaliação dos exercícios
pré-escolar e nas Higiene DGIDC relativo a FC/AP lectivo propostos no software
ACND dos 1º e 2º Alimentar segurança e higiene - Integração nos PCT
Ciclos alimentar
- Índice de - Formação dos -Dois rastreios Comunidade EPES Set. 2008 e - Nº de rastreios realizados
Massa Corporal alunos pertencentes à Educativa Maio 2009 - Relatório
EPES
Proceder a rastreios - Realização de
regulares de IMC rastreios
(Índice de Massa
Corporal), Glicemia, - Realização de - Dois rastreios Comunidade Centro de Saúde (DM da - Nº de rastreios realizados
Glicemia, Colesterol e rastreio Educativa Diabetes/ - Relatório
Hemoglobina e Hemoglobina Mês do
Tensão Arterial Coração)

- Realização de - Registo semanal Comunidade EPES 4ªfeira à - Nº de registos efectuados


Tensão Arterial rastreio semanal Educativa tarde - Relatório Final
Monitorizar a Segurança e Verificar a aplicação Acompanhar os Utilizadores EPES Ao longo - Cumprimento das regras de
implementação do Higiene do HACCP manuseadores de dos serviços do ano higiene e segurança alimentar
alimentos do refeitório - Problemas detectados e
estabelecido no
Alimentar e dos bufetes lectivo resolvidos
manual de HACCP

Segurança e Organizar acções de Ao longo Necessidades de formação


Organizar formação
Higiene formação a realizar por do ano detectadas e solucionadas
dirigida aos Manuseadores - EPES
Alimentar Formação elementos da DREC, lectivo
manuseadores de de alimentos - DREC
sempre que necessário
alimentos

- Sensibilização dos - Concurso para o - Alunos, EPES Vencedore - Nº de participantes


alunos e Pais/EE mascote do refeitório Pais/EE anunciados
(equipas com pelo a 7 de
Aumentar o
menos um EE) Abril (DM
consumo de
da Saúde)
alimentos saudáveis
no refeitório e no
- Aumento da oferta - Protocolo com a - Utilizadores - EPES 1º período - Adesão aos produtos
bufete,
Alimentação de fruta e sumos empresa “Maçã de de serviço - CE oferecidos
nomeadamente o
naturais nos bufetes Alcobaça”
peixe, a sopa, a
fruta e o leite
- Inclusão de sumos Oferta de opção de - Utilizadores EPES Ao longo - Adesão aos produtos
simples, entre
naturais no refeitório consumo de sumo de serviço do ano oferecidos
outros
natural no refeitório
perante apresentação
de senha suplementar
Adquirir uma Alimentação Contacto com - Aquisição da máquina Utilizadores EPES Ao longo - Sucesso na aquisição
máquina de venda empresa de venda em - Colocação da de serviço do ano - Nº de produtos vendidos
automática para leasing máquina no átrio de
usufruto exclusivo entrada do Bloco B
com produtos do bufete
da escola com
(sandes, fruta, água,
produtos do bufete
bolachas, leite, sumos
da escola
naturais)
- Concurso para nome - Comunidade EPES 1º período Nº de participantes
do “restaurante Educativa
escolar”
Reorganizar o
espaço Refeitório Redefinir o conceito
- Caixa de Sugestões Utilizadores EPES Ao longo Nº de sugestões
de modo a de cantina escolar,
do serviço do ano
proporcionar um tornando a sua
Alimentação - Colocação de toalhas
ambiente mais frequência mais
nas mesas Utilizadores - EPES Set. 2008 Inquérito
agradável e menos agradável para os
do serviço - CE
barulhento na hora utilizadores
da refeição
- Decoração do Espaço Utilizadores - EPES Ao longo - Nº de alterações efectuadas
do serviço - AP do ano - Inquérito no final do ano

Proporcionar
Proporcionar aos
actividades
elementos da
complementares de
comunidade Duas sessões semanais
Educação Física a Actividade Comunidade Ao longo - Nº de participantes
educativa com índice de actividade física EPES
elementos da Física Educativa do ano - Assiduidade
de obesidade uma dirigida
comunidade
prática regular e
educativa com risco
dirigida da actividade
de obesidade
física
Proporcionar - Aumentar as A definir pela EPES Comunidade - EPES Ao longo - Nº de actividades
momentos de situações de Educativa - CD de Ed. do ano - Nº de participantes
actividade física actividade física Física lectivo
espontânea e não espontânea
Actividade
espontânea em
Física
colaboração com o - Articular o PES com A definir pela EPES Alunos - EPES Ao longo - Nº de actividades
conselho de o DE - DE do ano - Nº de participantes
docência de lectivo
Educação Física
Dia Mundial do - Sensibilização da A definir pela EPES Comunidade EPES 29 de - Participação da Comunidade
Coração comunidade Educativa Setembro educativa
educativa - Nº de comentários

Dia Mundial da - Sensibilização da A definir pela EPES e Comunidade - EPES 16 de - dependente da actividade
Alimentação comunidade com o CD de CN Educativa - CD de CN Outubro
Assinalar os dias educativa CN
comemorativos
Dia Mundial da - Rastreio da (referida em cima) 14 de
Diabetes Glicemia/Hemoglobi Novembro
na/Colesterol
Dia Mundial - Sensibilização da A definir pela EPES Comunidade EPES 15 de - Participação da Comunidade
dos Direitos do comunidade Educativa Março educativa
Consumidor educativa - Nº de comentários
Consumo de Substâncias Psicoactivas:
Objectivos Conteúdos Estratégias Actividades Destinatários Dinamizadores Data Avaliação
Específicos
Aumentar o número - Preenchimento de
Substâncias Ao longo
de conhecimentos Comunidade - EPES questionários iniciais e finais
Psicoactivas Prevenção Universal A definir pela EPES do ano
da comunidade Educativa - Técnicos - Nº de participantes
(SPA’s) lectivo
educativa - Elaboração de relatório
Fomentar o - Reunião informativa - EPES
Ao longo
tratamento de Dependências com os professores de Alunos do 3º - Professores de - Avaliação do PCT
Utilização das ACND do ano
conteúdos nas de SPA’s FC/AP Ciclo FC/AP - Fichas/Grelhas
lectivo
ACND do 3º Ciclo - Integração nos PCT
Dia Mundial do 17 de
Não Fumador Novembro

Dia Mundial da Sensibilizar a 24 de - Participação da Comunidade


Assinalar os dias Comunidade
Tuberculose comunidade A definir pela EPES EPES Março educativa
comemorativos Educativa
educativa - Nº de comentários
Dia Mundial da 26 de
Luta Contra a Junho
Droga

Violência em Meio Escolar:


Objectivos Conteúdos Estratégias Actividades Destinatários Dinamizadores Data Avaliação
Específicos
Aumentar o número - Sessões de Sensibilizar a A definir pela EPES Comunidade - EPES Ao longo - Preenchimento de
de conhecimentos questionários iniciais e finais
Esclarecimento comunidade do ano
da comunidade Educativa - Técnicos - Nº de participantes
- Debates educativa lectivo
educativa - Elaboração de relatório
Proceder a um
levantamento de
Indisciplina e Levantamento de Inquérito ao CE e aos - CE Junho - Nº de inquéritos devolvidos
situações de EPES
Violência situações DT - DT 2008 - Relatório
indisciplina e
violência
Fomentar o - Violência - EPES
- Reunião informativa
tratamento de - Indisciplina - Professores de Ao longo
com os professores de Alunos dos 2º - Avaliação do PCT
conteúdos nas - Bullying Utilização das ACND FC/AP do ano
FC/AP e 3º Ciclos - Fichas/Grelhas
ACND dos 2º e 3º - Violência lectivo
- Integração nos PCT
Ciclos Doméstica
Dia Europeu da 11 de
Vítima Fevereiro
Sensibilizar a - Participação da Comunidade
Assinalar os dias Dia Mundial das Comunidade
comunidade A definir pela EPES EPES educativa
comemorativos Crianças vítimas Educativa 4 de Junho
educativa - Nº de comentários
inocentes de
agressão