UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS – UNISINOS

BACHARELADO ADMINISTRAÇÃO: ÊNFASE EM GESTÃO PARA INOVAÇÃO E
LIDERANÇA

Contexto Político Contemporâneo e Seus Impactos na Inovação Industrial do País
Moacir Bilhar Costa Junior
INTRODUÇÃO
No dia 16 de Maio foi realizado um encontro na Universidade do Vale do Rio dos
Sinos – UNISINOS, que reuniu dois economistas com visões distintas sobre os fatores que
causaram a atual crise econômica brasileira. O curso de Gestão para Inovação e Liderança
teve a oportunidade de prestigiar o evento, que reuniu os palestrantes Cristiano e Robert. Com
base no tema abordado, foi proposta a tarefa de analisar os impactos da atual crise econômica
no processo de inovação no país.
A CRISE ECONÔMICA E SEUS IMPACTOS
O cenário econômico atual é preocupante e crítico por diversos fatores. O índice de
desemprego bateu o recorde histórico de 9,5% no primeiro trimestre de 2016. Além disso, o
país encontra-se com a indústria defasada, sem força competitiva, e endividada. O consumidor
em geral criou uma cultura de crédito e parcelamento, que agora vê suas dívidas acertadas por
uma taxa de juros excepcionalmente alta (SELIC em 14,25% ao ano). Esta taxa de juros alta
ainda estimula o investimento em títulos bancários ou do governo, tornando atrativo a
investidores que retenham suas sobras de capital, recebendo juros para tanto, e abrindo mão
de investimentos como na indústria, que estimulam a economia e fazem crescer a indústria.
Para as empresas o cenário está ainda pior, o crescimento de pedidos de recuperação judicial
do primeiro bimestre de 2016 foi de 116,5% em relação ao ano anterior, sendo esta a maior
taxa já registrada desde que o índice começou a ser calculado.
O brasileiro tem fama de ser empreendedor, e diversas pesquisas realizadas no país
comprovam este conceito. Culturalmente, o empreendedorismo é bem visto no país, e muitos
jovens costumam tentar esta prática aqui. Este é o primeiro ponto no qual a crise econômica
está impactando. Com um cenário econômico instável, o incentivo ao empreendedorismo é
reduzido, visto que diminuem as perspectivas de consumo da população em geral. Além disso,
os custos para tomar crédito no mercado também estão elevados, devido a uma elevação na
taxa de juros que busca diminuir o consumo, e por consequência, a inflação – advinda de um
excesso da demanda em relação à oferta, causado pela incapacidade produtiva da indústria.
Outro fator preocupante é a diminuição da indústria em investimentos. Visto que
estas começam a enxergar os impactos da crise em seu balanço comercial, o movimento é de
conter gastos e reter capital. Isto faz com que o empresário diminua o investimento em
Pesquisa e Desenvolvimento, pois dificulta ao mesmo ter uma perspectiva de um futuro
cenário econômico, no qual deseja lançar seus produtos/serviços pesquisados e desenvolvidos.
No ano de 2015, foi registrada a diminuição de 37% nos investimentos globais da
indústria, que somaram o valor de 109,9 bilhões de reais em 2015. Além disso, o valor
investido em Inovação diminuiu 18%, chegando a 17,5 bilhões de reais. Em Pesquisa e
Desenvolvimento, a diminuição foi de 25%, chegando a 12,3 bilhões de reais. Já no Rio
Grande do Sul, em 2015 a indústria apresentou a menor proporção de investimento dos
últimos seis anos. Essa diminuição de investimentos no país desestimula a busca por melhoria
de processos ou produtos, defasando a indústria e dificultando sua competitividade no cenário
internacional. Além disso, é necessário o constante investimento em tecnologia, buscando
baratear processos, desenvolver produtos e tornar a indústria globalmente competitiva.
CONCLUSÃO

devem ser simplificados e facilitados os pagos tributários das empresas ao fisco. que hoje têm seus valores elevados. e o investimento empresarial na Pesquisa e Desenvolvimento de novos processos. Cortes nos gastos governamentais também devem ser feitos no intuito de conter a inflação. contendo o aumento de preços. faz com que se diminuam os investimentos na indústria. Como passo posterior. e que as linhas de crédito às empresas sejam mais caras. diminuindo também a taxa de juros. Tudo isso desestimula o empreendedor. O investimento em tecnologia. pesquisa e desenvolvimento é justamente o que pode tornar o país competitivo novamente. . É contraditório como a solução para a crise possa estar sendo afetada por ela. e tornando o crédito à empresa mais acessível. A retenção de capital por sua vez. melhoria em processos podem tornar os custos da indústria mais baratos. desvalorizando a moeda e contribuindo para um resultado negativo na balança comercial. e estimulando a retenção e capital. contribuindo para uma melhora na balança comercial e uma valorização na moeda. Além disso. causando a diminuição na taxa de juros e um maior poder de compra à população. a incapacidade da indústria de suprir com a demanda – mesmo esta também tendo diminuído – gera inflação. faz com que as empresas diminuam a alocação de capital em novos maquinários. diminuindo sua competitividade internacional. O endividamento da população faz com que o consumo diminua.UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS – UNISINOS BACHARELADO ADMINISTRAÇÃO: ÊNFASE EM GESTÃO PARA INOVAÇÃO E LIDERANÇA Um cenário instável impacta o desenvolvimento industrial nos mais variados níveis econômicos. Além disso. e faz com que as taxas de juros sejam aumentadas – aumentando novamente o endividamento da população. seu processo burocrático e mal fiscalizados.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful