Você está na página 1de 119

MECÂNICA GERAL

EXERCICIOS RESOLVIDOS

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 1


MECÂNICA GERAL

O parafuso tipo gancho


está sujeito a duas forças
F1 e F2. Determine o
modulo a direção e o
sentido.

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 2


MECÂNICA GERAL

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 3


MECÂNICA GERAL

Vamos resolver utilizando a


metodologia aplicada em
sala de aula.

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 4


MECÂNICA GERAL

Vamos resolver utilizando


uma nova metodologia.

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 5


MECÂNICA GERAL

Calculo da força resultante


utilizando a lei do cosseno.

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 6


MECÂNICA GERAL

LEI DO COSSENO

Fr
Fr b
150

115°

a
100

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 7


MECÂNICA GERAL

Fr
b

Fr
150 a

115° 𝐹𝑟 = 1002 + 1502 − 2 × 100 × 150 × 𝑐𝑜𝑠115°

100 𝐹𝑟 = 212,6 𝑁

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 8


MECÂNICA GERAL

E qual o ângulo da força


Fr
resultante?

PHR

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 9


MECÂNICA GERAL

LEI DO SENO
B

Fr
c
a

PHR
C
A b

𝑎 𝑏 𝑐
= =
𝑠𝑒𝑛𝐴 𝑠𝑒𝑛𝐵 𝑠𝑒𝑛𝐶
2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 10
MECÂNICA GERAL

𝐹𝑟 = 212,6 𝑁

Fr = 212,6N 150

100

LEI DO SENO
𝑎 𝑏 𝑐
= =
𝑠𝑒𝑛𝐴 𝑠𝑒𝑛𝐵 𝑠𝑒𝑛𝐶
2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 11
MECÂNICA GERAL

𝐹𝑟 = 212,6 𝑁

LEI DO SENO

Fr = 212,6N 150 150 𝑁 212,6


=
𝑠𝑒𝑛𝜃 𝑠𝑒𝑛115°

115°

𝜃 = 39,8°
100

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 12


MECÂNICA GERAL

𝐹𝑟 = 212,6 𝑁

LEI DO SENO

Fr = 212,6N 150 150 𝑁 212,6


=
𝑠𝑒𝑛𝜃 𝑠𝑒𝑛115°

115°
𝜃 = 39,8°
100
15° PHR

𝜃 = 39,8° + 15°
𝜃 = 54,8°

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 13


MECÂNICA GERAL

Determine os componentes x e y de F1 e F2 que atuam sobre o componente


mecânico mostrado na figura e expresse cada força como vetor cartesiano.

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 14


MECÂNICA GERAL

Determine os componentes x e y de F1 e F2 que atuam sobre o componente


mecânico mostrado na figura e expresse cada força como vetor cartesiano.

𝐹1𝑋 = - 200 × sen30° N


𝐹1𝑋 = - 100 N
𝐹1𝑋 = 100 N ←
2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 15
MECÂNICA GERAL

Determine os componentes x e y de F1 e F2 que atuam sobre o componente


mecânico mostrado na figura e expresse cada força como vetor cartesiano.

𝐹1𝑋 = - 200 × sen30° N


𝐹1𝑋 = - 100 N
𝐹1𝑋 = 100 N ←

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 16


MECÂNICA GERAL

Determine os componentes x e y de F1 e F2 que atuam sobre o componente


mecânico mostrado na figura e expresse cada força como vetor cartesiano.

𝐹1𝑦 = 200 × cos30° N


𝐹1𝑦 = 173 N
𝐹1𝑦 = 173 N ↑
2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 17
MECÂNICA GERAL

Determine os componentes x e y de F1 e F2 que atuam sobre o componente


mecânico mostrado na figura e expresse cada força como vetor cartesiano.

𝐹1𝑦 = 200 × cos30° N


𝐹1𝑦 = 173 N
𝐹1𝑦 = 173 N ↑

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 18


MECÂNICA GERAL

Determine os componentes x e y de F1 e F2 que atuam sobre o componente


mecânico mostrado na figura e expresse cada força como vetor cartesiano.

𝐹2𝑦 = -100 N 𝐹2𝑥 = 240 N

𝐹2𝑦 = 100 N ↓ 𝐹2𝑥 = 240 N →

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 19


MECÂNICA GERAL

Determine os componentes x e y de F1 e F2 que atuam sobre o componente


mecânico mostrado na figura e expresse cada força como vetor cartesiano.

𝐹2𝑦 = -100 N 𝐹2𝑥 = 240 N

𝐹2𝑦 = 100 N ↓ 𝐹2𝑥 = 240 N →

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 20


MECÂNICA GERAL

Determine os componentes x e y de F1 e F2 que atuam sobre o componente


mecânico mostrado na figura e expresse cada força como vetor cartesiano.

𝐹1𝑦 = 173 N ↑ 𝐹1𝑋 = 100 N ←

𝐹2𝑦 = 100 N ↓ 𝐹2𝑥 = 240 N →

Como escrever a notação vetorial cartesiana?

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 21


MECÂNICA GERAL

Determine os componentes x e y de F1 e F2 que atuam sobre o componente


mecânico mostrado na figura e expresse cada força como vetor cartesiano.

j 𝐹1𝑋 = 100 N ← 𝐹1𝑦 = 173 N ↑

i 𝐹2𝑥 = 240 N → 𝐹2𝑦 = 100 N ↓

𝐹1 = { - 100i + 173j } N

𝐹2 = { 240i - 100j} N

𝐹𝑟 = { 140i + 73j} N

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 22


MECÂNICA GERAL

Expresse a força F como um vetor cartesiano

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 23


MECÂNICA GERAL

Regra dos cossenos

𝑪𝒐𝒔𝟐 𝜶 + 𝑪𝒐𝒔𝟐 𝜷 + 𝑪𝒐𝒔𝟐 𝜸 = 𝟏

𝐶𝑜𝑠 2 𝛼 + 𝐶𝑜𝑠 2 60° + 𝐶𝑜𝑠 2 45° = 1

𝐶𝑜𝑠 2 𝛼 = 1 − 𝐶𝑜𝑠 2 60° − 𝐶𝑜𝑠 2 45°

𝐶𝑜𝑠𝛼 = 1 − 𝐶𝑜𝑠 2 60° − 𝐶𝑜𝑠 2 45°

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 24


MECÂNICA GERAL

Regra dos cossenos

𝑪𝒐𝒔𝟐 𝜶 + 𝑪𝒐𝒔𝟐 𝜷 + 𝑪𝒐𝒔𝟐 𝜸 = 𝟏

𝐶𝑜𝑠𝛼 = 1 − (0,52 ) − (0,7072 )

𝐶𝑜𝑠𝛼 = 1 − 0,25 − 0,50

𝐶𝑜𝑠𝛼 = 0,25

𝐶𝑜𝑠𝛼 = ± 0,5

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 25


MECÂNICA GERAL

Regra dos cossenos

𝐶𝑜𝑠𝛼 = ± 0,5

𝛼 = 𝐶𝑜𝑠 −1 0,5 = 60°


ou
𝛼 = 𝐶𝑜𝑠 −1 (−0,5) = 120°

Como Fx está na direção +x o ângulo será 60°, logo temos:

𝐹𝑟 = 𝐹𝑐𝑜𝑠60° 𝑖 + 𝐹𝑐𝑜𝑠60° 𝑗 + 𝐹𝑐𝑜𝑠45° 𝑘


𝐹𝑟 = 200𝑐𝑜𝑠60° 𝑁 𝑖 + 200𝑐𝑜𝑠60° 𝑁 𝑗 + 200𝑐𝑜𝑠45° 𝑘

𝐹𝑟 = {100𝑖 + 100𝑗 + 141,4𝑘} N

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 26


MECÂNICA GERAL

Regra dos cossenos

𝐹𝑟 = 𝐹𝑐𝑜𝑠60° 𝑖 + 𝐹𝑐𝑜𝑠60° 𝑗 + 𝐹𝑐𝑜𝑠45° 𝑘


𝐹𝑟 = 200𝑐𝑜𝑠60° 𝑁 𝑖 + 200𝑐𝑜𝑠60° 𝑁 𝑗 + 200𝑐𝑜𝑠45° 𝑘

𝐹𝑟 = {100𝑖 + 100𝑗 + 141,4𝑘} N

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 27


MECÂNICA GERAL

Regra dos cossenos

𝐹𝑟 = {100𝑖 + 100𝑗 + 141,4𝑘} N

Vamos calcular a prova real?

𝐹𝑟 2 = 1002 + 1002 + 141,42

𝐹𝑟 = 1002 + 1002 + 141,42

𝐹𝑟 = 200 𝑁

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 28


MECÂNICA GERAL

Determine a intensidade e os ângulos diretores coordenados da força resultante


que atua sobre o parafuso olhal.

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 29


MECÂNICA GERAL

Determine a intensidade e os ângulos diretores coordenados da força resultante


que atua sobre o parafuso olhal.

Como as forças estão representadas como vetor


cartesiano, a força resultante será:

𝐹𝑟 = 𝐹 = 𝐹1 + 𝐹2

𝐹1 = 60𝑗 + 80𝑘
+ 𝐹2 = 50𝑖 − 100𝑗 + 100𝑘

𝐹𝑟 = 50𝑖 − 40𝑗 + 180𝑘

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 30


MECÂNICA GERAL

Determine a intensidade e os ângulos diretores coordenados da força resultante


que atua sobre o parafuso olhal.

𝐹1 = 60𝑗 + 80𝑘
𝐹𝑟 = 𝐹 = 𝐹1 + 𝐹2 + 𝐹2 = 50𝑖 − 100𝑗 + 100𝑘

𝐹𝑟 = 50𝑖 − 40𝑗 + 180𝑘

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 31


MECÂNICA GERAL

Determine a intensidade e os ângulos diretores coordenados da força resultante


que atua sobre o parafuso olhal.

𝐹1 = 60𝑗 + 80𝑘
+ 𝐹2 = 50𝑖 − 100𝑗 + 100𝑘

𝐹𝑟 = 50𝑖 − 40𝑗 + 180𝑘

A intensidade (escalar) da força resultante é calculada pela equação:

𝐹𝑟 2 = (50)2 +(−40)2 +(180)2

𝐹𝑟 2 = 2500 + 1600 + 32400 𝐹𝑟 ≅ 191 𝑙𝑏


𝐹𝑟 = 36500

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 32


MECÂNICA GERAL

Determine a intensidade e os ângulos diretores coordenados da força resultante


que atua sobre o parafuso olhal.

A intensidade (escalar) da força resultante é calculada pela equação:

𝐹𝑟 2 = (50)2 +(−40)2 +(180)2

𝐹𝑟 2 = 2500 + 1600 + 32400 𝐹𝑟 ≅ 191 𝑙𝑏


𝐹𝑟 = 36500

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 33


MECÂNICA GERAL

Determine a intensidade e os ângulos diretores coordenados da força resultante


que atua sobre o parafuso olhal.

𝐹𝑟 = 50𝑖 − 40𝑗 + 180𝑘 𝑙𝑏 − 𝐹𝑜𝑟ç𝑎 𝑣𝑒𝑡𝑜𝑟𝑖𝑎𝑙

𝐹𝑟 = 191 𝑙𝑏 − 𝐹𝑜𝑟ç𝑎 𝑒𝑠𝑐𝑎𝑙𝑎𝑟

Os ângulos das coordenadas α, β, γ são determinados pelos componentes do


vetor unitário que atua na direção de Fr, logo:

𝐹𝑟 (𝑉𝑒𝑡𝑜𝑟𝑖𝑎𝑙) 50 40 180
𝑈𝐹𝑟 = 𝑈𝐹𝑟 = 𝑖 − 𝑗 + 𝑘
𝐹𝑟 (𝐸𝑠𝑐𝑎𝑙𝑎𝑟) 191 191 191

𝑈𝐹𝑟 = 0,2617𝑖 − 0,2094𝑗 + 0,9422𝑘

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 34


MECÂNICA GERAL

Determine a intensidade e os ângulos diretores coordenados da força resultante


que atua sobre o parafuso olhal.

𝐹𝑟 = 50𝑖 − 40𝑗 + 180𝑘 𝑙𝑏 − 𝐹𝑜𝑟ç𝑎 𝑣𝑒𝑡𝑜𝑟𝑖𝑎𝑙 𝐹𝑟 = 191 𝑙𝑏 − 𝐹𝑜𝑟ç𝑎 𝑒𝑠𝑐𝑎𝑙𝑎𝑟

Os ângulos das coordenadas α, β, γ são determinados pelos componentes do


vetor unitário que atua na direção de Fr, logo:

𝐹𝑟 (𝑉𝑒𝑡𝑜𝑟𝑖𝑎𝑙) 50 40 180
𝑈𝐹𝑟 = 𝑈𝐹𝑟 = 𝑖 − 𝑗 + 𝑘
𝐹𝑟 (𝐸𝑠𝑐𝑎𝑙𝑎𝑟) 191 191 191

𝑈𝐹𝑟 = 0,2617𝑖 − 0,2094𝑗 + 0,9422𝑘

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 35


MECÂNICA GERAL

Determine a intensidade e os ângulos diretores coordenados da força resultante


que atua sobre o parafuso olhal.

𝑈𝐹𝑟 = 0,2617𝑖 − 0,2094𝑗 + 0,9422𝑘

Logo, para calcular o ângulo diretor:

cos 𝛼 = 0,2617 cos𝛽 = −0,2094 cos𝛾 = 0,9422


𝛼 = cos −1 0,2617 𝛽 = cos −1 (−0,2094) 𝛾 = cos −1 0,9422
𝛼 = 74,8° 𝛽 = 102° 𝛾 = 19,6°

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 36


MECÂNICA GERAL

1 – Considerando que a barra seja de seção circular e de aço SAE-1020,


determinar o diâmetro que deve ter para suportar com segurança uma carga “P”
de 5000 kg estática à tração.

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 37


MECÂNICA GERAL

1 – Considerando que a barra seja de seção circular e de aço SAE 1020,


determinar o diâmetro que deve ter para suportar com segurança uma carga “P”
de 5000 kg estática à tração.

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 38


MECÂNICA GERAL

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 39


MECÂNICA GERAL

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 40


5

MECÂNICA GERAL

1 – Considerando que a barra seja de seção circular e de aço SAE 1020,


determinar o diâmetro que deve ter para suportar com segurança uma carga “P”
de 5000 kg estática à tração.

Para o SAE1020, os valores são:

σR = 4200kgf/cm²
Fator de Segurança =5

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 41


5

MECÂNICA GERAL

1 – Considerando que a barra seja de seção circular e de aço SAE 1020,


determinar o diâmetro que deve ter para suportar com segurança uma carga “P”
de 5000 kg estática à tração.
A tensão admissível será:

 R  kgf 
4200
  2

F  cm  5

 kgf 
  840 2 
 cm 
2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 42
5

MECÂNICA GERAL

1 – Considerando que a barra seja de seção circular e de aço SAE 1020,


determinar o diâmetro que deve ter para suportar com segurança uma carga “P”
de 5000 kg estática à tração.

A tensão admissível é
𝟖𝟒𝟎 𝒌𝒈𝒇/𝒄𝒎𝟐

Então, a área da seção necessária para suportar a


carga com segurança será de:

P
S  cm 

 
5000
840
2
 
S  6 cm 2

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 43


5

MECÂNICA GERAL

1 – Considerando que a barra seja de seção circular e de aço SAE 1020,


determinar o diâmetro que deve ter para suportar com segurança uma carga “P”
de 5000 kgf estática à tração.

 
S  6 cm 2

Isto significa que para suportar


a carga de 5000kgf esta barra deve possuir no
mínimo 6cm² de área na seção metálica.

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 44


5

MECÂNICA GERAL

1 – Considerando que a barra seja de seção circular e de aço SAE 1020,


determinar o diâmetro que deve ter para suportar com segurança uma carga “P”
de 5000 kgf estática à tração.  
S  6 cm 2

Para o cálculo o diâmetro da barra a partir de sua seção,


será necessário:

 d2  d2
S
4
cm   6 
2

24 d  7,639 
d 2

 d  2,76cm
2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 45
5

MECÂNICA GERAL

1 – Considerando que a barra seja de seção circular e de aço SAE 1020,


determinar o diâmetro que deve ter para suportar com segurança uma carga “P”
de 5000 kgf estática à tração.

Isto significa que para suportar a carga de 5000kgf


esta barra deve possuir no mínimo 2,76cm ou
27,6mm de diâmetro.

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 46


5

MECÂNICA GERAL

2 – A peça mostrada na figura abaixo é constituída de uma parte com diâmetro


maior de 30mm e outra com diâmetro de 20mm. Calcular a carga “P”, intermitente,
que poderá ser aplicada à peça, considerando que a mesma é feita de aço
estrutural.

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 47


5

MECÂNICA GERAL
3 – No sistema representado na figura abaixo, determinar:
a) O diâmetro “d” da peça;
b) A quantidade de parafusos necessários para a fixação da peça.

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 48


5
P  7,5tf   7500kgf 
MECÂNICA GERAL
3 – No sistema representado na figura abaixo, determinar: a) O diâmetro “d” da
peça; b) A quantidade de parafusos necessários para a fixação da peça.

Para o SAE1020, os valores de


σR = 4200kgf/cm²
Fator de Segurança =5

A tensão admissível será:

a) Cálculo do diâmetro “d” da peça:


 R  kgf 
4200
P  7,5tf   7500kgf    2

F  cm  5

 kgf 
  840 2 
 cm 
2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 49
5

MECÂNICA GERAL
3 – No sistema representado na figura abaixo, determinar: a) O diâmetro “d” da
peça; b) A quantidade de parafusos necessários para a fixação da peça.

A tensão admissível será:

 kgf 
  840 2 
 cm 

Significa que a tensão admissível para o material neste caso será de


840kgf/cm²

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 50


5

MECÂNICA GERAL
3 – No sistema representado na figura abaixo, determinar: a) O diâmetro “d” da
peça; b) A quantidade de parafusos necessários para a fixação da peça.

 kgf  Então, a área da seção necessária


  840
 cm 
2
para suportar a carga com segurança
P  7500kgf  será de:

P
S  cm 

 
7500
840
2

 
S  8,93 cm 2

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 51


5

MECÂNICA GERAL
3 – No sistema representado na figura abaixo, determinar: a) O diâmetro “d” da
peça; b) A quantidade de parafusos necessários para a fixação da peça.

  840
 kgf  Isto significa que para suportar a carga de
 cm 
2
7.500 kgf esta barra deve possuir no mínimo

P  7500kgf  8,93cm² de área na seção metálica.

 
S  8,93 cm 2
Para o cálculo do diâmetro da barra:

 d2
8,93   35,71    d 2  d 2 35,71

4 
d  3,37cm
2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 52
5

MECÂNICA GERAL
3 – No sistema representado na figura abaixo, determinar: a) O diâmetro “d” da
peça; b) A quantidade de parafusos necessários para a fixação da peça.

d  3,37cm

Significa que para suportar a carga de 7500kgf esta barra deve possuir
no mínimo 3,37cm ou 33,7mm de diâmetro.

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 53


5

MECÂNICA GERAL
3 – No sistema representado na figura abaixo, determinar: a) O diâmetro “d” da
peça; b) A quantidade de parafusos necessários para a fixação da peça.

Cálculo da quantidade de parafusos

Diâmetro interno di = 15mm = 1,5cm

P  7500kgf 

Para o SAE1040, os valores de


A tensão admissível será
σR = 5800kgf/cm²
 R  kgf  5800
Fator de Segurança =4   2

F  cm  4

 kgf 
  1450 2 
 cm 
2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 54
5

MECÂNICA GERAL
3 – No sistema representado na figura abaixo, determinar: a) O diâmetro “d” da
peça; b) A quantidade de parafusos necessários para a fixação da peça.

A tensão admissível será


 kgf 
  1450
 cm 
2

A área total da seção metálica a ser distribuída pelos parafusos


necessária para suportar a carga com segurança será de:


P
St 
P

cm  2
St 
7500
 
cm 2  
St  5,17 cm 2
St 1450

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 55


5

MECÂNICA GERAL
3 – No sistema representado na figura abaixo, determinar: a) O diâmetro “d” da
peça; b) A quantidade de parafusos necessários para a fixação da peça.

St  5,17 cm   2

Isto significa que para suportar a carga de 7500kgf a área total a ser distribuída
entre os parafusos deve possuir no mínimo 5,17cm² de área na seção metálica.

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 56


5

MECÂNICA GERAL
3 – No sistema representado na figura abaixo, determinar: a) O diâmetro “d” da
peça; b) A quantidade de parafusos necessários para a fixação da peça.

 
St  5,17 cm 2

Para o cálculo a área de cada parafuso:

 d  1,5
cm  
2 2

Sp  2 Sp  
4 4

Sp  1,767 cm   2

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 57


5

MECÂNICA GERAL
3 – No sistema representado na figura abaixo, determinar: a) O diâmetro “d” da
peça; b) A quantidade de parafusos necessários para a fixação da peça.

 
St  5,17 cm 2 Isto significa que cada parafuso
possui 1,767cm² de área metálica.
Sp  1,767cm 
2

Como a área total a ser distribuída entre os parafusos é de 5,17cm² então:

St 5,17
Qt  Qt  Qt  2,93...  3 parafusos
Sp 1,767

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 58


5

MECÂNICA GERAL

4 – Na figura abaixo, duas barras de aço SAE-1020, de 2m de comprimento cada e


articuladas nas extremidades deverão suportar com segurança uma carga estática
de 2tf. Considerando que o ângulo älfa” seja de 120 graus, determinar:
a) O diâmetro das barras;
b) O deslocamento do ponto “0” ao ser aplicada a carga.

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 59


5

MECÂNICA GERAL
4 – Na figura abaixo, duas barras de aço SAE-1020, de 2m de comprimento cada e articuladas nas extremidades deverão
suportar com segurança uma carga estática de 2tf. Considerando que o ângulo älfa” seja de 120 graus, determinar:
a) O diâmetro das barras;

Inicialmente, é necessário traçar o Diagrama de Corpo Livre do sistema:

Para calcular as forças “P1”, será necessário


calcular a resultante da somatória das forças
no eixo “Y”, que é o eixo de interesse:

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 60


5

MECÂNICA GERAL
4 – Na figura abaixo, duas barras de aço SAE-1020, de 2m de comprimento cada e articuladas nas extremidades deverão
suportar com segurança uma carga estática de 2tf. Considerando que o ângulo älfa” seja de 120 graus, determinar:
a) O diâmetro das barras;

Inicialmente, é necessário traçar o Diagrama de Corpo Livre do sistema:

F y 0
  P  P1  cos 600  P1  cos 60 0  0

  P  2 * P1  cos 600  0 
 2000  2  ( P1  0,5)  0
2000
 P1  0,5 
2
 P1  0,5  1000

 P1  2000kgf 
1000
 P1 
0,5
2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 61
5

MECÂNICA GERAL
4 – Na figura abaixo, duas barras de aço SAE-1020, de 2m de comprimento cada e articuladas nas extremidades deverão
suportar com segurança uma carga estática de 2tf. Considerando que o ângulo älfa” seja de 120 graus, determinar:
a) O diâmetro das barras;

Inicialmente, é necessário traçar o Diagrama de Corpo Livre do sistema:

Isto significa que a força P1 exercida em cada uma


das barras será de 2000kgf.

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 62


5

MECÂNICA GERAL
4 – Na figura abaixo, duas barras de aço SAE-1020, de 2m de comprimento cada e articuladas nas extremidades deverão
suportar com segurança uma carga estática de 2tf. Considerando que o ângulo älfa” seja de 120 graus, determinar:
a) O diâmetro das barras;

a) Cálculo do diâmetro das barras “P1”:

Para o SAE1020 temos:


σR =4200kgf/cm²
Fator de Segurança =5

P1 = 2000 kgf

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 63


5

MECÂNICA GERAL

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 64


5

MECÂNICA GERAL

Aço macio

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 65


5

MECÂNICA GERAL
4 – Na figura abaixo, duas barras de aço SAE-1020, de 2m de comprimento cada e articuladas nas extremidades deverão
suportar com segurança uma carga estática de 2tf. Considerando que o ângulo älfa” seja de 120 graus, determinar:
a) O diâmetro das barras;

a) Cálculo do diâmetro das barras “P1”: A tensão admissível será:


Para o SAE1020 temos:
 R  kgf 
σR =4200kgf/cm²
 
Fator de Segurança =5 F  cm 2 
4200
 
5
 kgf 
   840  2 
 cm 
P1 = 2000 kgf
Isto significa que a tensão admissível para o material
neste caso será de 840kgf/cm².

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 66


5

MECÂNICA GERAL
4 – Na figura abaixo, duas barras de aço SAE-1020, de 2m de comprimento cada e articuladas nas extremidades deverão
suportar com segurança uma carga estática de 2tf. Considerando que o ângulo älfa” seja de 120 graus, determinar:
a) O diâmetro das barras;

A área da seção necessária para suportar a


a) Cálculo do diâmetro das barras “P1”: carga com segurança será de:

Para o SAE1020 temos:


σR =4200kgf/cm²
Fator de Segurança =5 S
P1

cm  2

2000
S
840
 S1  2,38 cm 2
 
P1 = 2000 kgf
Isto significa que para suportar a carga de 2.000 kgf
esta barra deve possuir no mínimo 2,38cm² de área na
seção metálica.

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 67


5

MECÂNICA GERAL
4 – Na figura abaixo, duas barras de aço SAE-1020, de 2m de comprimento cada e articuladas nas extremidades deverão
suportar com segurança uma carga estática de 2tf. Considerando que o ângulo älfa” seja de 120 graus, determinar:
a) O diâmetro das barras;

cálculo do diâmetro das barras “P1”:


a) Cálculo do diâmetro das barras “P1”:

 d
cm 
Para o SAE1020 temos:
2
σR =4200kgf/cm² S 2

Fator de Segurança =5 4
 d 2
 2,38 
4
 9,52    d 2
P1 = 2000 kgf 9,52
d  2


2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 68
5

MECÂNICA GERAL
4 – Na figura abaixo, duas barras de aço SAE-1020, de 2m de comprimento cada e articuladas nas extremidades deverão
suportar com segurança uma carga estática de 2tf. Considerando que o ângulo älfa” seja de 120 graus, determinar:
a) O diâmetro das barras;

cálculo do diâmetro das barras “P1”:


a) Cálculo do diâmetro das barras “P1”:

Para o SAE1020 temos:


9,52
σR =4200kgf/cm² d  2
Fator de Segurança =5 
 d  3,03 2

 d  3,03
 d  1,74cm
P1 = 2000 kgf
Isto significa que para suportar a carga de 2.000 kgf
esta barra deve possuir no mínimo 2,38cm² de área na
seção metálica.

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 69


MECÂNICA GERAL
4 – Na figura abaixo, duas barras de aço SAE-1020, de 2m de comprimento cada e articuladas nas extremidades deverão
suportar com segurança uma carga estática de 2tf. Considerando que o ângulo älfa” seja de 120 graus, determinar:
a) O deslocamento do ponto “0” ao ser aplicada a carga.

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 70


(
MECÂNICA GERAL
4 – Na figura abaixo, duas barras de aço SAE-1020, de 2m de comprimento cada e articuladas nas extremidades deverão
suportar com segurança uma carga estática de 2tf. Considerando que o ângulo älfa” seja de 120 graus, determinar:
a) O deslocamento do ponto “0” ao ser aplicada a carga.

Inicialmente, será necessário calcular o


alongamento das barras:

Para o aço, o valor de E  2,1  10 6  2 


kgf
 cm 

 L 840  200
L  cm   L  0,08cm
E 2,1  10 6

Significa que o alongamento em cada barra “P1” provocado pela


força foi de 0,08cm ou 0,8mm.

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 71


(
MECÂNICA GERAL
4 – Na figura abaixo, duas barras de aço SAE-1020, de 2m de comprimento cada e articuladas nas extremidades deverão
suportar com segurança uma carga estática de 2tf. Considerando que o ângulo älfa” seja de 120 graus, determinar:
a) O deslocamento do ponto “0” ao ser aplicada a carga.

Agora é possível calcular o deslocamento no


ponto “0”:

L
h 0
cm  0,08
 h  0,16cm
sen30 0,5
ou

L
h 0
cm  0,08
 h  0,16cm
cos 60 0,5

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 72


MECÂNICA GERAL

Na figura abaixo, determinar o diâmetro da barra “1” de aço SAE1020


sujeita a compressão e o diâmetro do tirante “2” do mesmo material,
sujeito a tração, para suportar com segurança uma carga estática de 5tf.
O ângulo entre as barras “1”e “2” é de 30 graus.

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 73


MECÂNICA GERAL
Na figura abaixo, determinar o diâmetro da barra “1” de aço SAE1020 sujeita a compressão e o diâmetro do tirante “2” do
mesmo material, sujeito a tração, para suportar com segurança uma carga estática de 5tf. O ângulo entre as barras “1”e “2” é
de 30 graus.

Inicialmente, é necessário traçar o Diagrama de


Corpo Livre do sistema

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 74


MECÂNICA GERAL
Na figura abaixo, determinar o diâmetro da barra “1” de aço SAE1020 sujeita a compressão e o diâmetro do tirante “2” do
mesmo material, sujeito a tração, para suportar com segurança uma carga estática de 5tf. O ângulo entre as barras “1”e “2” é
de 30 graus.

5000
 Fy  0   P  P1  cos 60 0  0  P   P1  cos 60 0  5000   P1  0,5   P1  0,5

P1  10000kgf 

Isto significa que a força P1 exercida na barra “1” é de compressão e têm


intensidade de 10000kgf.
2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 75
MECÂNICA GERAL
Na figura abaixo, determinar o diâmetro da barra “1” de aço SAE1020 sujeita a compressão e o diâmetro do tirante “2” do
mesmo material, sujeito a tração, para suportar com segurança uma carga estática de 5tf. O ângulo entre as barras “1”e “2” é
de 30 graus.

5000
 Fy  0   P  P1  cos 60 0  0  P   P1  cos 60 0  5000   P1  0,5   P1  0,5

P1  10000kgf 

Isto significa que a força P1 exercida na barra “1” é de compressão e têm


intensidade de 10000kgf.
2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 76
MECÂNICA GERAL
Na figura abaixo, determinar o diâmetro da barra “1” de aço SAE1020 sujeita a compressão e o diâmetro do tirante “2” do
mesmo material, sujeito a tração, para suportar com segurança uma carga estática de 5tf. O ângulo entre as barras “1”e “2” é
de 30 graus.

F x  0   P2  P1  cos 30 0  0  P2   P1  cos 30 0  P2   10000  0,866  P2  8660kgf 

Isto significa que a força P2 exercida na barra “2” é de tração e têm


intensidade de 8660kgf.
2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 77
 Rc
F=5

MECÂNICA GERAL
Na figura abaixo, determinar o diâmetro da barra “1” de aço SAE1020 sujeita a compressão e o diâmetro do tirante “2” do
mesmo material, sujeito a tração, para suportar com segurança uma carga estática de 5tf. O ângulo entre as barras “1”e “2” é
de 30 graus.

b) Cálculo do diâmetro da barra “1”, sendo que P1 = 10000kgf;

Para o SAE1020, os valores de


σR= 4200kgf/cm²
Fator de Segurança =5

A tensão admissível será:

 R c  kgf 
4200  kgf 
c   2 
   c  840 2 
F  cm  5  cm 

Isto significa que a tensão admissível para o material neste caso será de
840kgf/cm².
2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 78
 Rc
F=5

MECÂNICA GERAL
Na figura abaixo, determinar o diâmetro da barra “1” de aço SAE1020 sujeita a compressão e o diâmetro do tirante “2” do
mesmo material, sujeito a tração, para suportar com segurança uma carga estática de 5tf. O ângulo entre as barras “1”e “2” é
de 30 graus.

Então, a área da seção necessária para suportar a carga com


segurança será de:

S1 
P1
c
cm   10000
2

840
S 1  
 11,9 cm 2

Isto significa que para suportar a carga de 10000kgf esta barra deve possuir no
mínimo 11,9cm² de área na seção metálica.

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 79


 Rc
F=5

MECÂNICA GERAL
Na figura abaixo, determinar o diâmetro da barra “1” de aço SAE1020 sujeita a compressão e o diâmetro do tirante “2” do
mesmo material, sujeito a tração, para suportar com segurança uma carga estática de 5tf. O ângulo entre as barras “1”e “2” é
de 30 graus.

Para o cálculo do diâmetro da barra “1”:

 d2  d2
 S1 
4
cm   11,9 
2

4
47,6
 47,6    d  d  2 2


 d 2  15,16
 d  15,16  d  3,89cm

Isto significa que para suportar a carga de 10000kgf esta barra deve possuir no
mínimo 3,89cm ou 38,9mm de diâmetro.
2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 80
 Rc
F=5

MECÂNICA GERAL
Na figura abaixo, determinar o diâmetro da barra “1” de aço SAE1020 sujeita a compressão e o diâmetro do tirante “2” do
mesmo material, sujeito a tração, para suportar com segurança uma carga estática de 5tf. O ângulo entre as barras “1”e “2” é
de 30 graus.

c) Cálculo do diâmetro da barra “2”

Sendo que P2 = 8660kgf;

S2 
c
P2
cm 
8660
840
 
 S 2  10,31 cm 2
2
 

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 81


 Rc
F=5

MECÂNICA GERAL
Na figura abaixo, determinar o diâmetro da barra “1” de aço SAE1020 sujeita a compressão e o diâmetro do tirante “2” do
mesmo material, sujeito a tração, para suportar com segurança uma carga estática de 5tf. O ângulo entre as barras “1”e “2” é
de 30 graus.

c) Cálculo do diâmetro da barra “2”

 d2 41,2
cm  d  2
S2  2

4
 d 2
 d 2  13,13
 10,31 
4  d  13,13
 41,2    d 2
 d  3,62cm

Isto significa que para suportar a carga de 8660kgf esta barra deve possuir no
mínimo 3,62cm ou 36,2mm de diâmetro.
2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 82
MECÂNICA GERAL

Na figura abaixo, determinar o diâmetro da barra “1” de aço SAE1020 sujeita a


compressão e o diâmetro do tirante “2” do mesmo material, sujeito a tração, para
suportar com segurança uma carga estática de 750kgf. O ângulo entre as barras
“1”e “2” é de 30 graus.

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 83


MECÂNICA GERAL

Determine o diâmetro de um rebite de aço SAE-1015 que deve suportar com


segurança uma força intermitente, de natureza cortante pura a cisalhamento que
possui intensidade de 1.000 kgf.

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 84


MECÂNICA GERAL
Determine o diâmetro de um rebite de aço SAE-1015 que deve suportar com segurança uma força
intermitente, de natureza cortante pura a cisalhamento que possui intensidade de 1.000 kgf.

A tensão admissível será:


Para o SAE-1015
 R  s  kgf 
σR-s= 2.880 kgf/cm² s 
F  cm 2 
Fator de Segurança = 6
2880
s 
6
 kgf 
  s  480  2 
 cm 

Isto significa que a tensão admissível para o material neste caso será de
480 kgf/cm².
2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 85
MECÂNICA GERAL
Determine o diâmetro de um rebite de aço SAE-1015 que deve suportar com segurança uma força
intermitente, de natureza cortante pura a cisalhamento que possui intensidade de 1.000 kgf.

Então, a área da seção necessária para


suportar a carga com segurança será de:
Para o SAE-1015
σR= 2.880 kgf/cm²
Fator de Segurança = 6
S
P
s
cm 2

1000
S
480
 S  2,08 cm 2  

Isto significa que para suportar a carga de 1.000 kgf este rebite deve possuir no
mínimo 2,08cm² de área na seção metálica.
2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 86
MECÂNICA GERAL
Determine o diâmetro de um rebite de aço SAE-1015 que deve suportar com segurança uma força
intermitente, de natureza cortante pura a cisalhamento que possui intensidade de 1.000 kgf.

Para o cálculo do diâmetro do rebite:

Para o SAE-1015
σR= 2.880 kgf/cm²
8,3
 d d  2
Fator de Segurança = 6
cm 
2
S 2

4
 d 2  2,65
 d 2
 2,08 
4  d  2,65
 8,3    d 2  d  1,63cm

Isto significa que para suportar a carga de 1000kgf este rebite deve possuir no
mínimo 1,63cm ou 16,3mm de diâmetro.
2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 87
MECÂNICA GERAL

Determine o diâmetro do pino no sistema de articulação de aço SAE-1040 que deve


suportar com segurança a um cisalhamento puro, uma força de 1.000 kgf sujeito a
variação brusca.

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 88


MECÂNICA GERAL
Determine o diâmetro do pino no sistema de articulação de aço SAE-1040 que deve suportar
com segurança a um cisalhamento puro, uma força de 1.000 kgf sujeito a variação brusca.

Para o SAE1040, os valores de σR-S = 4.350 kgf/cm² e


Fator de Segurança =12

A tensão admissível será:

 R s  kgf 
4350  kgf 
s   2 
   s  362 2 
F  cm  12  cm 

Isto significa que a tensão admissível para o material neste caso será de 362kgf/cm²
2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 89
MECÂNICA GERAL
Determine o diâmetro do pino no sistema de articulação de aço SAE-1040 que deve suportar
com segurança a um cisalhamento puro, uma força de 1.000 kgf sujeito a variação brusca.

A partir daí, pode-se calcular a área resistente


total necessária para suportar a carga:

St 
P
s
cm   S
2
t 
1000
362
 
 S t  2,76 cm 2

Isto significa que o pino deverá ter no mínimo 2,76cm² de seção resistente nestas
condições de trabalho.

Como pode ser observado, neste tipo de construção o pino têm duas seções
resistentes, pois é montado sobre dois apoios. Assim sendo, cada seção recebe
apenas a metade da carga total. Portanto:

 
St  1,38 cm 2
2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 90
MECÂNICA GERAL
Determine o diâmetro do pino no sistema de articulação de aço SAE-1040 que deve suportar
com segurança a um cisalhamento puro, uma força de 1.000 kgf sujeito a variação brusca.

O diâmetro do pino é dada por:

 d2  d2
S
4
cm   1,38 
2

4
 5,52    d 2  d 2 
5,52

 d 2  1,757 

d  1,757  d  1,33cm 

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 91


MECÂNICA GERAL
Determine o diâmetro do pino no sistema de articulação de aço SAE-1040 que deve suportar
com segurança a um cisalhamento puro, uma força de 1.000 kgf sujeito a variação brusca.

O diâmetro do pino é dada por:

 d2  d2
S
4
cm   1,38 
2

4
 5,52    d 2  d 2 
5,52

 d 2  1,757 

d  1,757  d  1,33cm 

Isto significa que o pino deverá ter no mínimo 1,33cm ou 13,3mm de diâmetro
nestas condições de trabalho.
2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 92
MECÂNICA GERAL
Uma barra de aço SAE-1020 engastada numa das extremidades deverá suportar com segurança
uma carga estática de 500 kgf concentrada na extremidade livre. Determine o diâmetro da barra
sabendo-se que seu comprimento é de 0,5m.

Para o SAE-1020, os valores de σR = 4.200 kgf/cm²


e Fator de Segurança =5

A tensão admissível será:

 R  kgf  4200  kgf 


f   2 
   f  840 2 
F  cm  5  cm 

Isto significa que a tensão admissível para o material neste caso será de
840kgf/cm²
2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 93
MECÂNICA GERALpara o presente cas será:

Uma barra de aço SAE-1020 engastada numa das extremidades deverá suportar com segurança
uma carga estática de 500 kgf concentrada na extremidade livre. Determine o diâmetro da barra
sabendo-se que seu comprimento é de 0,5m.

Cálculo do momento fletor e do módulo de


resistência:

A carga está concentrada na extremidade da viga,


portanto, o momento fletor máximo

 kgf   Mf  P  Lkgf  cm


 f  840 2 
 cm   Mf  500  50
 Mf  25.000kgf  cm

Isto significa que o momento fletor agindo sobre esta viga é de 25000kgf.cm

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 94


MECÂNICA GERALpara o presente cas será:

Uma barra de aço SAE-1020 engastada numa das extremidades deverá suportar com segurança
uma carga estática de 500 kgf concentrada na extremidade livre. Determine o diâmetro da barra
sabendo-se que seu comprimento é de 0,5m.

Cálculo do momento fletor e do módulo de


resistência:

A carga está concentrada na extremidade da viga,


portanto, o momento fletor máximo

 kgf   Mf  P  Lkgf  cm


 f  840 2 
 cm   Mf  500  50
 Mf  25.000kgf  cm

Isto significa que o momento fletor agindo sobre esta viga é de 25000kgf.cm

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 95


MECÂNICA GERALpara o presente cas será:

Uma barra de aço SAE-1020 engastada numa das extremidades deverá suportar com segurança
uma carga estática de 500 kgf concentrada na extremidade livre. Determine o diâmetro da barra
sabendo-se que seu comprimento é de 0,5m.

Então o módulo de resistência será:

Mf  kgf 
 f 
W  cm 2 

 kgf  W 
Mf
cm3
f
 
 f  840 2 
 cm 
25000
W 
840
 W  29,76 cm3 
Isto significa que o módulo de resistência desta viga é de 29,76 cm³

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 96


MECÂNICA GERAL para o presente cas será:

Uma barra de aço SAE-1020 engastada numa das extremidades deverá suportar com segurança
uma carga estática de 500 kgf concentrada na extremidade livre. Determine o diâmetro da barra
sabendo-se que seu comprimento é de 0,5m.
 kgf 
 f  840
 cm 
2

Do ANEXOS_RESMAT para uma barra


redonda temos que:

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 97


MECÂNICA GERAL
Uma barra de aço SAE-1020 engastada numa das extremidades deverá suportar com segurança
uma carga estática de 500 kgf concentrada na extremidade livre. Determine o diâmetro da barra
sabendo-se que seu comprimento é de 0,5m.
 kgf 
 f  840
 cm 
2

Do ANEXOS_RESMAT para uma barra


redonda temos que:
W  29,76 cm3  

 d3
cm 
952,32
W  3 d  3

32 
 d 3
 d 3  303,13
 29,76 
32  d  3 303,13
 952,32    d 3  d  6,72cm

Isto significa que para suportar a flexão da carga de 500kgf esta barra deve
possuir no mínimo 6,72cm ou 67,2mm de diâmetro.
2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 98
MECÂNICA GERAL
Uma barra de aço SAE-1020 engastada numa das extremidades deverá suportar com segurança
uma carga estática de 500 kgf concentrada na extremidade livre. Determine o diâmetro da barra
sabendo-se que seu comprimento é de 0,5m.
 kgf 
 f  840
 cm  Do ANEXOS_RESMAT para uma barra
2

redonda temos que:


d  6,72cm


W  29,76 cm3 

Para resolução do problema, também poderá ser consultada tabela para barras
redondas constante do ANEXOS_RESMAT, onde a partir do módulo de resistência
calculado, pode-se selecionar o diâmetro da barra correspondente e que esteja
disponível no mercado. Neste caso:

Para W=29,76cm³ calculado, pode-se selecionar as seguintes barras: W=30,87cm³, barra diâmetro 68mm;
caso esta barra não esteja disponível no mercado, utilizar W=33,47, barra diâmetro 2 ¾”.

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 99


MECÂNICA GERAL
Uma barra de aço SAE-1020 engastada numa das extremidades deverá suportar com segurança
uma carga estática de 500 kgf concentrada na extremidade livre. Determine o diâmetro da barra
sabendo-se que seu comprimento é de 0,5m.
 kgf 
 f  840
 cm 
2

Cálculo da flecha máxima

Temos que a flecha máxima admitida para


este tipo de carregamento é dada por:

W  29,76 cm3  d  6,72cm
PL
f  cm
3 E  I
 kgf 
Para o aço, o valor de E  2,1  10 6  2 
 cm 

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 100


MECÂNICA GERAL
Uma barra de aço SAE-1020 engastada numa das extremidades deverá suportar com segurança
uma carga estática de 500 kgf concentrada na extremidade livre. Determine o diâmetro da barra
sabendo-se que seu comprimento é de 0,5m.
 kgf 
 f  840 Cálculo da flecha máxima
 cm 
2

PL
 kgf 
E  2,1  10 6  2  f  cm
 cm  3 E  I

W  29,76 cm3  d  6,72cm

 d4   6,72 4
I
64
cm  4

64
 I  100,1 cm 4 

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 101


MECÂNICA GERAL
Uma barra de aço SAE-1020 engastada numa das extremidades deverá suportar com segurança
uma carga estática de 500 kgf concentrada na extremidade livre. Determine o diâmetro da barra
sabendo-se que seu comprimento é de 0,5m.
 kgf 
 f  840
 cm 
2
 
I  100,1 cm 4
Cálculo da flecha máxima

PL
 kgf 
E  2,1 106  2 
 cm  f  cm
3 E  I

W  29,76 cm3  d  6,72cm

P  L3 500  50 3
f  cm  
62500000
 f  0,1cm
3 E  I 
3  2,1  10  100,1
6

630630000

Isto significa que para estas condições, a flecha máxima na extremidade da viga
será de 0,1cm ou 1mm
2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 102
MECÂNICA GERAL

Para uma barra de aço SAE-1020 engastada numa das


extremidades, 40mm de diâmetro e 1m de comprimento,
determinar a carga estática que pode ser aplicada com segurança
na extremidade livre. Qual a flecha máxima na barra?

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 103


MECÂNICA GERAL
Um parafuso especial de uma junta aparafusada necessita de um torque de
500kgf.cm; Pede-se dimensionar uma chave fixa a fim de obter o torque
necessário ao parafuso, aplicando-se uma força brusca de 20kgf na
extremidade. A chave é de aço SAE3130 e o lado “h” é o triplo de “b”.
Determinar:
a) As dimensões “b”e “h”;
b) O comprimento do cabo;
c) a deflexão no cabo ao aplicar a máxima força.

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 104


MECÂNICA GERAL
Um parafuso especial de uma junta aparafusada necessita de um torque de 500kgf.cm; Pede-se dimensionar
uma chave fixa a fim de obter o torque necessário ao parafuso, aplicando-se uma força brusca de 20kgf na
extremidade. A chave é de aço SAE3130 e o lado “h” é o triplo de “b”. Determinar:
a) As dimensões “b”e “h”;
b) O comprimento do cabo;
c) a deflexão no cabo ao aplicar a máxima força.

a) Cálculo do comprimento “L”


Neste caso, o momento fletor é igual ao momento torsor:

 Mt  Mf  P  Lkgf  cm

L
Mf
kgf 
P
500

20
 L  25cm
2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 105
MECÂNICA GERAL
Um parafuso especial de uma junta aparafusada necessita de um torque de 500kgf.cm; Pede-se dimensionar
uma chave fixa a fim de obter o torque necessário ao parafuso, aplicando-se uma força brusca de 20kgf na
extremidade. A chave é de aço SAE3130 e o lado “h” é o triplo de “b”. Determinar:
a) As dimensões “b”e “h”;
b) O comprimento do cabo;
c) a deflexão no cabo ao aplicar a máxima força.

a) Cálculo do comprimento “L”


Neste caso, o momento fletor é igual ao momento torsor:

 Mt  Mf  P  Lkgf  cm

L
Mf
kgf 
P Isto significa que o comprimento do
cabo para este torque será 25cm ou
500 250mm

20
 L  25cm
2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 106
MECÂNICA GERAL
Um parafuso especial de uma junta aparafusada necessita de um torque de 500kgf.cm; Pede-se dimensionar
uma chave fixa a fim de obter o torque necessário ao parafuso, aplicando-se uma força brusca de 20kgf na
extremidade. A chave é de aço SAE3130 e o lado “h” é o triplo de “b”. Determinar:
a) As dimensões “b”e “h”;
b) O comprimento do cabo;
c) a deflexão no cabo ao aplicar a máxima força.

b) Cálculo das dimensões do cabo “b”e “h”:

Para o SAE3130, os valores de σR= 6800kgf/cm² e Fator de Segurança = 12


Inicialmente, calcularemos a tensão admissível à flexão.
 R  kgf 
 f 
F  cm 2 
Isto significa que a tensão admissível
6800 para o material neste caso será de
 f  566,7kgf/cm².
12
 kgf 
  f  566,7  2 
 cm 
2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 107
MECÂNICA GERAL
Um parafuso especial de uma junta aparafusada necessita de um torque de 500kgf.cm; Pede-se dimensionar
uma chave fixa a fim de obter o torque necessário ao parafuso, aplicando-se uma força brusca de 20kgf na
extremidade. A chave é de aço SAE3130 e o lado “h” é o triplo de “b”. Determinar:
a) As dimensões “b”e “h”;
b) O comprimento do cabo;
c) a deflexão no cabo ao aplicar a máxima força.

A partir daí, pode-se calcular o módulo de resistência.

Mf  kgf 
 f   cm 2 
W  
W 
Mf
f
cm 3

Isto significa que a tensão admissível


para o material neste caso será de
500
W  566,7kgf/cm².
566,7
 W  0,882 cm3  
2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 108
MECÂNICA GERAL
Um parafuso especial de uma junta aparafusada necessita de um torque de 500kgf.cm; Pede-se dimensionar
uma chave fixa a fim de obter o torque necessário ao parafuso, aplicando-se uma força brusca de 20kgf na
extremidade. A chave é de aço SAE3130 e o lado “h” é o triplo de “b”. Determinar:
a) As dimensões “b”e “h”;
b) O comprimento do cabo;
c) a deflexão no cabo ao aplicar a máxima força.

A partir daí, pode-se calcular o módulo de resistência.  kgf 


 f  566,7 
 cm 
2

A partir do ANEXOS_RESMAT; para uma barra retangular é dado que:

W
b  h2
6
 
cm 3 E a proporção entre os lados impostos pelo problema é: h  3  bcm

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 109


MECÂNICA GERAL
EXERCÍCIO 1

1) Determine as forças que atuam em todos os elementos da treliça mostrada na


figura e indique se os elementos estão sob tração ou compressão.

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 110


MECÂNICA GERAL
SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO 1
EQUAÇÕES DE EQUILÍBRIO NÓ B

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 111


MECÂNICA GERAL
SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO 1
EQUAÇÕES DE EQUILÍBRIO NÓ C

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 112


MECÂNICA GERAL
SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO 1
EQUAÇÕES DE EQUILÍBRIO NÓ A

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 113


MECÂNICA GERAL
SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO 1
Representação dos esforços
nos elementos da treliça.

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 114


MECÂNICA GERAL
EXERCÍCIO 2
2) Determine as forças que atuam em todos os elementos da treliça mostrada na
figura e indique se os elementos estão sob tração ou compressão.

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 115


MECÂNICA GERAL
SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO 2
CÁLCULO DAS REAÇÕES DE APOIO

𝑀𝐶 = 0

600𝑁 × 4𝑚 + 400𝑁 × 3𝑚 − 𝐴𝑦 × 6 = 0

−𝐴𝑦 × 6 = −(600𝑁 × 4𝑚 + 400𝑁 × 3𝑚)

(600𝑁 × 4𝑚 + 400𝑁 × 3𝑚)


𝐴𝑦 =
6

𝐴𝑦 = 600𝑁 ↑

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 116


MECÂNICA GERAL
SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO 2
CÁLCULO DAS REAÇÕES DE APOIO

𝐹𝑥 = 0

600𝑁 − 𝐶𝑥 = 0

𝐶𝑥 = 600𝑁 ←

𝐹𝑦 = 0

600𝑁 − 400𝑁 − 𝐶𝑦 = 0

𝐶𝑦 = 600𝑁 − 400 𝑁

𝐶𝑦 = 200𝑁 ↓
2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 117
MECÂNICA GERAL
SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO 2
EQUAÇÕES DE EQUILÍBRIO NÓ A

200 N

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 118


MECÂNICA GERAL
SOLUÇÃO DO EXERCÍCIO 2
EQUAÇÕES DE EQUILÍBRIO NÓ A

200 N

2015 Prof. MSc. Wandercleiton da Silva Cardoso wandercleitom@yahoo.com.br 119