Você está na página 1de 6
Universidade Federal da Bahia Instituto de Geociências Departamento de Oceanografia Disciplina Paleontologia Introdução

Universidade Federal da Bahia Instituto de Geociências Departamento de Oceanografia Disciplina Paleontologia

Departamento de Oceanografia Disciplina Paleontologia Introdução à Paleontologia Prof a Simone Moraes
Departamento de Oceanografia Disciplina Paleontologia Introdução à Paleontologia Prof a Simone Moraes

Introdução à Paleontologia

Prof a Simone Moraes

(smoraes@ufba.br)

Paleontologiaà Paleontologia Prof a Simone Moraes (smoraes@ufba.br)  Objetivos o Compreender a evolução biológica dos

Objetivos

o

Compreender a evolução biológica dos seres vivos

o

Estimar a idade de eventos geológicos

o

Reconstruir ambientes antigos

o

Auxiliar na reconstituição da história da Terra

o

Identificar rochas em que ocorrem substâncias de importância econômica

Ramos da Paleontologiaem que ocorrem substâncias de importância econômica  Paleobotânica o Estudo das características e

Paleobotânica

o Estudo das características e evolução dos grupos vegetais

Estudo das características e evolução dos grupos vegetais Floresta no Carbonífero (354-290 Ma) Paleontologia Grego:

Floresta no Carbonífero (354-290 Ma)

dos grupos vegetais Floresta no Carbonífero (354-290 Ma) Paleontologia Grego: palaios (antigo)+ontos (ser)+logos

Paleontologia

Grego: palaios (antigo)+ontos (ser)+logos (estudo)

 

Geologia

Biologia

 

Mudanças na superfície do planeta

Mudanças climáticas

Apogeu e extinção de organismos

Scotese (2002)
Scotese (2002)
Apogeu e extinção de organismos Scotese (2002) Ramos da Paleontologia  Paleozoologia o Estudo das
Apogeu e extinção de organismos Scotese (2002) Ramos da Paleontologia  Paleozoologia o Estudo das

Ramos da PaleontologiaApogeu e extinção de organismos Scotese (2002)  Paleozoologia o Estudo das características e

Paleozoologia

o Estudo das características e evolução dos animais

o Estudo das características e evolução dos animais Ambiente recifal no Devoniano Médio (390-375 Ma)

Ambiente recifal no Devoniano Médio (390-375 Ma)

animais Ambiente recifal no Devoniano Médio (390-375 Ma) Vertebrados do Mesozóico (248- 65 Ma) Ramos da

Vertebrados do Mesozóico (248- 65 Ma)

Médio (390-375 Ma) Vertebrados do Mesozóico (248- 65 Ma) Ramos da Paleontologia  Micropaleontologia o Estudo

Ramos da Paleontologia

Micropaleontologia

o Estudo dos microfósseis tomando por base o tamanho dos fósseis e a técnica para sua separação do sedimento

dos fósseis e a técnica para sua separação do sedimento Foraminífero planctônico na agulha Nanofóssil na

Foraminífero planctônico na agulha

para sua separação do sedimento Foraminífero planctônico na agulha Nanofóssil na abertura bucal do foraminífero 1

Nanofóssil na abertura bucal do foraminífero

Wolff et al. (2009) doi:10.1371/journal.pone.0007288

Wolff et al. (2009) doi:10.1371/journal.pone.0007288 Ramos da Paleontologia  Paleoicnologia o Estudo dos icnofósseis

Ramos da Paleontologia

Paleoicnologia

o Estudo dos icnofósseis (=vestígios do comportamento dos animais no passado)

90μm
90μm

Rádula de

gastrópode

dos animais no passado) 90μm Rádula de gastrópode Bioerosão causada pela rádula de gastrópode ou quíton

Bioerosão causada pela rádula de gastrópode ou quíton do Plioceno (5,3-1,8 Ma) na concha de um molusco bivalve

do Plioceno (5,3-1,8 Ma) na concha de um molusco bivalve Pista de locomoção de Trilobitas Ramos
do Plioceno (5,3-1,8 Ma) na concha de um molusco bivalve Pista de locomoção de Trilobitas Ramos

Pista de locomoção de Trilobitas

Ramos da Paleontologiade um molusco bivalve Pista de locomoção de Trilobitas  Paleopatologia o Estudo das doenças dos

Paleopatologia

o Estudo das doenças dos organismos e suas causas

o Estudo das doenças dos organismos e suas causas Hemangioma (= tumor vascular ósseo) entre duas

Hemangioma (= tumor vascular ósseo) entre duas vértebras caudais de um Apatosaurus (dinossauro saurópode) mantendo firmemente unidos os dois ossos numa massa sólida. Todos os traços de articulação intervertebral estão perdidos.

os traços de articulação intervertebral estão perdidos. Mandíbula e reconstituição de Tyrannosaurus rex com

Mandíbula e reconstituição de Tyrannosaurus rex com infecção por Trichomonas (protozoário).

rex com infecção por Trichomonas (protozoário). Relação com outras ciências Geologia Econômica

Relação com outras ciências

Trichomonas (protozoário). Relação com outras ciências Geologia Econômica Engenharia civil Climatologia Educação

Geologia Econômica

Engenharia civil

Climatologia

ciências Geologia Econômica Engenharia civil Climatologia Educação Turismo Ramos da Paleontologia  Tafonomia o

Educação

Turismo

Econômica Engenharia civil Climatologia Educação Turismo Ramos da Paleontologia  Tafonomia o Compreende o estudo

Ramos da Paleontologia

Tafonomia

o Compreende o estudo das condições e processos que possibilitaram a preservação de restos ou vestígios de organismos pretéritos

de restos ou vestígios de organismos pretéritos Diplocynodon darwini, um crocodilo que explodiu durante a

Diplocynodon darwini, um crocodilo que explodiu durante a decomposição quando os gases formaram-se em seus intestinos

Ramos da Paleontologiaquando os gases formaram-se em seus intestinos  Paleoecologia o Estudo das relações entre os

Paleoecologia

o Estudo das relações entre os organismos e os respectivos ambientes de época

entre os organismos e os respectivos ambientes de época Interação entre animais e plantas no Mesozóico

Interação entre animais e plantas no Mesozóico (248-65 Ma)

entre animais e plantas no Mesozóico (248-65 Ma) Fundamentos da Paleontologia Teixeira et al. (2000) Camadas

Fundamentos da Paleontologia

Teixeira et al. (2000)
Teixeira et al. (2000)

Camadas em

posição normal

Teixeira et al. (2000) Camadas em posição normal Falha  Lei da Superposição de Camadas o

Falha

Teixeira et al. (2000) Camadas em posição normal Falha  Lei da Superposição de Camadas o

Lei da Superposição de Camadas

o

Nas seqüências de rochas que não forem deformadas, cada camada se superpõe a anterior em ordem cronológica

o

Importância

Permite a reconstrução dos acontecimentos, colocando os eventos em ordem cronológica

Dobra

Sciencephoto (2007)

Nobre e Carvalho (2004)

Fundamentos da PaleontologiaSciencephoto (2007) Nobre e Carvalho (2004)  Princípio do Atualismo o Os mesmos processos e leis

Princípio do Atualismo

o

Os mesmos processos e leis naturais que são observados no presente ocorreram no passado

o

Importância

Permite interpretar eventos antigos e compará-los aos atuais Permite a reconstrução de antigos ambientes a partir das adaptações que os fósseis apresentavam

a partir das adaptações que os fósseis apresentavam Trilobitas – habitavam águas rasas, claras e tinham
a partir das adaptações que os fósseis apresentavam Trilobitas – habitavam águas rasas, claras e tinham
a partir das adaptações que os fósseis apresentavam Trilobitas – habitavam águas rasas, claras e tinham

Trilobitas habitavam águas rasas, claras e tinham predadores

Procedimentos de pesquisa– habitavam águas rasas, claras e tinham predadores  Coleta de fósseis o Estudos in loco

Coleta de fósseis

o Estudos in loco coleta de dados e elaboração de diagramas e fotografias do fóssil e do afloramento

de diagramas e fotografias do fóssil e do afloramento Estudos in loco João Dourado 17/9/2009 C

Estudos in loco

e fotografias do fóssil e do afloramento Estudos in loco João Dourado 17/9/2009 C o l

João Dourado 17/9/2009

Coleta de dados

Dourado 17/9/2009 C o l e t a d e d a d o s Brejões
Dourado 17/9/2009 C o l e t a d e d a d o s Brejões
Dourado 17/9/2009 C o l e t a d e d a d o s Brejões

Brejões 26 a 29/9/2009

l e t a d e d a d o s Brejões 26 a 29/9/2009 Procedimentos

Procedimentos de pesquisa

Prospecção - identificação dos sítios a partir de revisão bibliográfica (análise de mapas e informações geológicas da área de estudo)

de mapas e informações geológicas da área de estudo) Bacias sedimentares do Brasil Procedimentos de pesquisa

Bacias sedimentares do Brasil

Procedimentos de pesquisada área de estudo) Bacias sedimentares do Brasil  Coleta de fósseis o Liberação do fóssil

Coleta de fósseis

o Liberação do fóssil do local de deposição

fósseis o Liberação do fóssil do local de deposição Quijingue 2009 e 2011 Fóssil incrustado Liberação
fósseis o Liberação do fóssil do local de deposição Quijingue 2009 e 2011 Fóssil incrustado Liberação
fósseis o Liberação do fóssil do local de deposição Quijingue 2009 e 2011 Fóssil incrustado Liberação

Quijingue 2009 e 2011

Fóssil incrustado

Liberação do fóssil

Procedimentos de pesquisa2009 e 2011 Fóssil incrustado Liberação do fóssil Procedimentos de pesquisa  Coleta de fósseis o

incrustado Liberação do fóssil Procedimentos de pesquisa Procedimentos de pesquisa  Coleta de fósseis o

Procedimentos de pesquisa

Coleta de fósseis

o Proteção do fóssil para transporte Brejões 26 a 29/9/2009 Bandagem e Gesso
o
Proteção do fóssil para transporte
Brejões 26 a 29/9/2009
Bandagem e Gesso

Preparação de macrofósseis

o

Preparação mecânica desgaste ou fratura da matriz

o

Preparação química dissolução da matriz com ácidos

química – dissolução da matriz com ácidos Preparação química Leal e Brito (2004)   Quijingue
química – dissolução da matriz com ácidos Preparação química Leal e Brito (2004)   Quijingue
química – dissolução da matriz com ácidos Preparação química Leal e Brito (2004)   Quijingue

Preparação

química

Leal e Brito (2004)
Leal e Brito (2004)
 

Quijingue 2011

Preparação

Preparação para o transporte

Poliuretano

mecânica

Procedimentos de pesquisa  Preparação de microfósseis Serra de mão Serra e desgaste da rocha

Procedimentos de pesquisa

Preparação de microfósseis

Serra de mãoProcedimentos de pesquisa  Preparação de microfósseis Serra e desgaste da rocha Serra de mesa Esmeril

Serra e desgaste da rochade pesquisa  Preparação de microfósseis Serra de mão Serra de mesa Esmeril Lâminas Preparação de

Serra de mesa
Serra de mesa

EsmerilSerra de mão Serra e desgaste da rocha Serra de mesa Lâminas Preparação de lâminas petrográficas

Lâminas
Lâminas

Preparação de lâminas petrográficas

Pulverização Ataque ácido
Pulverização
Ataque ácido

Preparação de amostras

Procedimentos de pesquisaPulverização Ataque ácido Preparação de amostras  Técnicas para o estudo o Luz ultravioleta Superfície

Técnicas para o estudo

o

Luz ultravioleta

de pesquisa  Técnicas para o estudo o Luz ultravioleta Superfície de uma laje do calcário
de pesquisa  Técnicas para o estudo o Luz ultravioleta Superfície de uma laje do calcário

Superfície de uma laje do calcário Solnhofen do Jurássico da Alemanha vista:

Sob a luz natural (esquerda) mostrando somente dendritos de pirolusita (óxido de manganês)

Sob a luz ultra-violeta (direita) revelando uma larva de um crustáceo decápode.

(direita) revelando uma larva de um crustáceo decápode. Procedimentos de pesquisa  Técnicas para o estudo

Procedimentos de pesquisa

Técnicas para o estudo

o Microscopia óptica

pesquisa  Técnicas para o estudo o Microscopia óptica Análise e identificação de microfósseis ao microscópio
pesquisa  Técnicas para o estudo o Microscopia óptica Análise e identificação de microfósseis ao microscópio

Análise e identificação de microfósseis ao microscópio

Análise e identificação de microfósseis ao microscópio Lâmina de perfuração de inseto em madeira Procedimentos
Análise e identificação de microfósseis ao microscópio Lâmina de perfuração de inseto em madeira Procedimentos

Lâmina de perfuração de inseto em madeira

ao microscópio Lâmina de perfuração de inseto em madeira Procedimentos de pesquisa  Técnicas para o

Procedimentos de pesquisa

Técnicas para o estudo

o Radiografia - permite revelar

o interior do fóssil sem danificá-lo

partes moles que são invisíveis a olho nu

 partes moles que são invisíveis a olho nu Ramo branquial Apêndice locomotor Morfologia dos Trilobitas

Ramo branquial

Apêndice locomotor
Apêndice locomotor

Morfologia dos Trilobitas

Ramo branquial Apêndice locomotor Morfologia dos Trilobitas Imagem em raios-X de um trilobita com um conjunto

Imagem em raios-X de um trilobita com um conjunto completo de apêndices preservados. Espécime do Folhelho Hünsruck, do Devoniano da Alemanha.

Procedimentos de pesquisaEspécime do Folhelho Hünsruck, do Devoniano da Alemanha.  Técnicas para o estudo o Luz infravermelha

Técnicas para o estudo

o

Luz infravermelha

de pesquisa  Técnicas para o estudo o Luz infravermelha Abertura Teca Estipe Um exemplar do
Abertura Teca
Abertura
Teca

Estipe

para o estudo o Luz infravermelha Abertura Teca Estipe Um exemplar do graptólito Diplograptus gracilis observado

Um exemplar do graptólito Diplograptus gracilis observado em luz normal (esquerda) e sob a luz infravermelha.

em luz normal (esquerda) e sob a luz infravermelha. Procedimentos de pesquisa  Técnicas para o

Procedimentos de pesquisa

Técnicas para o estudo

o Microscopia eletrônica

110X
110X

Microscopia eletrônica da carapaça do ostracode recente Carinocythereis aff. carinata da baía de Nápoles, Itália.

1000X
1000X

Azevedo, Carvalho e Santos (2004); Kellner (2013)

Azevedo, Carvalho e Santos (2004); Kellner (2013) Procedimentos de pesquisa  Técnicas para o estudo o

Procedimentos de pesquisa

Técnicas para o estudo

o Tomografia computadorizada

 Técnicas para o estudo o Tomografia computadorizada Tomógrafo Tomografia Reconstruções volumétricas 4cm

Tomógrafo

para o estudo o Tomografia computadorizada Tomógrafo Tomografia Reconstruções volumétricas 4cm

Tomografia

Reconstruções

volumétricas

4cm
4cm

Reconstituição de órgãos: regiões do cérebro do dinossauro Citipati osmolskae [bulbo olfativo (laranja), lobo óptico (rosa), cerebelo (azul), telencéfalo (verde) e tronco encefálico (amarelo)]

(azul), telencéfalo (verde) e tronco encefálico (amarelo)] Prototipagem Procedimentos de pesquisa  Trabalho de

Prototipagem

(verde) e tronco encefálico (amarelo)] Prototipagem Procedimentos de pesquisa  Trabalho de gabinete o
(verde) e tronco encefálico (amarelo)] Prototipagem Procedimentos de pesquisa  Trabalho de gabinete o

Procedimentos de pesquisa

Trabalho de gabinete

o Curadoria de Museus preparação para a exposição

o Curadoria de Museus – preparação para a exposição Reconstituições de Mastodonte no Museu Geológico da
o Curadoria de Museus – preparação para a exposição Reconstituições de Mastodonte no Museu Geológico da

Reconstituições de Mastodonte no Museu Geológico da Bahia

Reconstituição através de réplicas

Geológico da Bahia Reconstituição através de réplicas Procedimentos de pesquisa  Trabalho de gabinete o

Procedimentos de pesquisa

Trabalho de gabinete

o Estudo, interpretação e publicação das informações

o Estudo, interpretação e publicação das informações Representação de um ambiente no lago Pebas (há 1,6

Representação de um ambiente no lago Pebas (há 1,6 milhões de anos) onde se vê o gigante Purussaurus brasiliensis (15m) caçando um Podocnemys.

Purussaurus brasiliensis (15m) caçando um Podocnemys . Reconstituição através de paleoilustrações

Reconstituição através de paleoilustrações

Podocnemys . Reconstituição através de paleoilustrações Procedimentos de pesquisa  Trabalho de gabinete o

Procedimentos de pesquisa

Trabalho de gabinete

o Curadoria de Museus proteção, arquivamento e manutenção da coleção de fósseis

Fósseis de interesse científico devem preferencialmente ficar guardados em instituições de pesquisa como museus e universidades, onde são numerados e catalogados

museus e universidades, onde são numerados e catalogados Procedimentos de pesquisa  Trabalho de gabinete o
museus e universidades, onde são numerados e catalogados Procedimentos de pesquisa  Trabalho de gabinete o

Procedimentos de pesquisamuseus e universidades, onde são numerados e catalogados  Trabalho de gabinete o Estudo, interpretação e

Trabalho de gabinete

o Estudo, interpretação e publicação das informações

o Estudo, interpretação e publicação das informações Reconstituição através de dioramas Diorama da Liaoning

Reconstituição através de dioramas

Diorama da Liaoning Forest (Mesozoico) no Cleveland Museum of Natural History em Cleveland, EUA.

no Cleveland Museum of Natural History em Cleveland, EUA. Procedimentos de pesquisa  Trabalho de gabinete

Procedimentos de pesquisa

Trabalho de gabinete

o Estudo, interpretação e publicação das informações

 Trabalho de gabinete o Estudo, interpretação e publicação das informações Publicações científicas 5
 Trabalho de gabinete o Estudo, interpretação e publicação das informações Publicações científicas 5

Publicações científicas

 Trabalho de gabinete o Estudo, interpretação e publicação das informações Publicações científicas 5
 Conceitos Referências o o o o o o o o o ANELLI, L.E.; OYAKAWA,

Conceitos

Referências

o

o

o

o

o

o

o

o

o

ANELLI, L.E.; OYAKAWA, J.; FIGUEIREDO, S.S.C.; CALÇA, C.P. Moldagem e

replicação de fósseis. In: CARVALHO, I.S. (ed.). Paleontologia. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora Interciência, 2004. v. 2, cap. 6.

AZEVEDO, S.A.K; CARVALHO, L.B.; SANTOS, D.D. Metodologias digitais

aplicadas ao estudo de vertebrados. In: CARVALHO, I.S. (ed.). Paleontologia. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora Interciência, 2004. v. 2, cap. 5.

CASSAB, R.C.T. Objetivos e princípios. In: CARVALHO, I.S. (ed.).

Paleontologia. 2. ed. Rio de Janeiro: Interciência, 2004. v. 1, cap. 1.

LEAL, M.E.C.; BRITO, .M. Técnicas de preparação química para vertebrados

fósseis. In: CARVALHO, I.S. (ed.). Paleontologia. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora Interciência, 2004. v. 2, cap. 4.

MENDES, J.C. Paleontologia geral. São Paulo: EdUSP, 1977.

MENDES, J.C. Paleontologia básica. São Paulo: EdUSP, 1988.

NOBRE, P.H.; CARVALHO, I.S. Fósseis: coleta e métodos de estudo. In:

CARVALHO, I.S. (ed.). Paleontologia. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora Interciência, 2004. v. 2, cap. 3.

LABOURIAL, M. L. SALGADO. História ecológica da terra. 2. ed. São Paulo:

Edgard Blucher, 1994.

WANDERLEY, M.D. Técnicas de preparação de microfósseis. In: CARVALHO,

I.S. (ed.). Paleontologia. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora Interciência, 2004. v. 2, cap. 2.

Rio de Janeiro: Editora Interciência, 2004. v. 2, cap. 2.  Figuras Referências o DOCKNER, M.

Figuras

Referências

o

DOCKNER, M. The use of computer tomography in paleontologic research: an example concerning recent and fossil hyenas. 2006. Disponível em:

<http://www.oeaw.ac.at/kfq/hyaenas/doris_oeaw.html>. Acesso em: 01 mar.

2009.

o

KELLNER, A. Sobre tomografia e o cérebro das aves. Ciência Hoje On-line, 09 ago. 2013. Disponível em: http://cienciahoje.uol.com.br/colunas/cacadores-de- fosseis/sobre-tomografia-e-o-cerebro-das-aves.

o

SCOTESE, C. R. PALEOMAP Project. 2002. Disponível em:

<http://www.scotese.com/ earth.htm>. Acesso em: 15 nov. 2008.

o

SCIENCE PHOTO LIBRARY. Disponível em: <http://www.sciencephoto.com>. Acesso em: 25 ago. 2007

o

TEIXEIRA, W.; TOLEDO, M.C.M.; FAIRCHILD, T.R.; TAIOLI, F. (org.). Decifrando a Terra. São Paulo: Oficina de Textos, 2001.