Você está na página 1de 21

Escola

 Básica  de  S.  Vicente  de  Pereira,  Jusã/JI  


Disciplina:  Língua  Portuguesa/  Área  
de  Projecto  
Professora:  CrisMna  Calheiros  

O Principezinho
Antoine  Saint-­‐Exupéry  

Trabalho  realizado  por:  


Ana  Catarina  Pinho;  nº:  1  
9ºB  
Apresentação  da  obra  “O  Principezinho”  

Antoine-­‐Jean-­‐Bap4ste-­‐Marie-­‐Roger  Foscolombe  de  


Saint-­‐Exupéry  
29  de  Junho  de  1900,  Lyon  -­‐  31  de  Julho  de  1944,  Mar  Mediterrâneo  

•  Foi  escritor,  ilustrador  e  piloto  da  Segunda  Guerra  Mundial.  


•  Faleceu  durante  uma  missão  de  reconhecimento  sobre  Grenoble  e  Annecy.    
Correio  
do  Sul  
(1929)  
Piloto  de   Vôo  
guerra   noturno  
(1942)   Principais  obras   (1931)  
elementos  
comuns  à  
O   profissão,   como  a  
aviação,  a  guerra.       Terra  de  
Principe
homens  
zinho  
(1939)  
(1943)  
O  
aviador  
(1926)  

•  Também  escreveu  arMgos  para  várias  revistas  e  jornais  da  França  e  outros  países,  sobre  
muitos  assuntos,  como  a  guerra  civil  espanhola  e  a  ocupação  alemã  da  França.  
Língua  Portuguesa/  Área  de  Projecto  –  Maio  de  2010  
Apresentação  da  obra  “O  Principezinho”  

 O  Principezinho  (1943)  

 Foi  escrito  durante  o  exílio  nos  Estados  Unidos  


e  para  muitos  era  digcil  imaginar  que  um  livro  
assim  pudesse  ter  sido  escrito  por  um  homem  
como  ele.  
Foi  ilustrado  por  Antoine  de  Saint-­‐Exupéry  um  
ano  antes  de  sua  morte,  em  1944.  

Língua  Portuguesa/  Área  de  Projecto  –  Maio  de  2010  


Apresentação  da  obra  “O  Principezinho”  

O  Principezinho  
•  Narrador  -­‐  piloto  de  avião  

 “Uma  vez,  Mnha  eu  seis  anos,  vi  uma  imagem  magnífica…”  pág.  9    

“O  meu  desenho  
número  1.  Era  
assim:”,  pág.  9  

“O  meu  desenho  
número  2  ficou  
assim:”,  pág.10  

Língua  Portuguesa/  Área  de  Projecto  –  Maio  de  2010  


Narrador  
ParMcipante:  quando  o  narrador  narra  o  
seu  encontro  com  o  Principezinho.  

Não  -­‐  parMcipante:  quando  conta  a  história  


do  Principezinho.  
Apresentação  da  obra  “O  Principezinho”  

•  “Foi   assim   que   vivi   sempre   sozinho,  


sem   ter   ninguém   com   quem   falar,  
mas  falar  a  sério,  até  ao  dia  em  que,  
há   seis   anos,   Mve   uma   avaria   em  
pleno  deserto  do  Sara.”  pág.  11  

•  Certa   manhã,   é   acordado   pelo  


Principezinho,   que   lhe   pede:   “Por  
favor…desenha-­‐me   uma   ovelha?”  
pág.  11  

Língua  Portuguesa/  Área  de  Projecto  –  Maio  de  2010  


Apresentação  da  obra  “O  Principezinho”  

Pequeno  rapaz  loiro  

Língua  Portuguesa/  Área  de  Projecto  –  Maio  de  2010  


Apresentação  da  obra  “O  Principezinho”  

•  “Demorei   muito   tempo   a  


perceber  de  onde  é  que  ele  vinha.  
O   principezinho,   que   passava   o  
tempo   a   fazer   perguntas,   parecia  
nunca  ouvir  as  minhas.”  pág.  15  

Língua  Portuguesa/  Área  de  Projecto  –  Maio  de  2010  


Apresentação  da  obra  “O  Principezinho”  

•  2º   dia:   o   narrador   descobre   que   o  


Principezinho   vinha   de   um   pequeno  
planeta   chamado   Asteróide   324,   mas  
as   pessoas   na   Terra   chamam-­‐no   de  
Asteróide  B-­‐612.  

•  “Assim,   no   terceiro   dia,   soube   de  


tragédia  dos  embondeiros.”  pág.  21  

•  4º   dia:   o   narrador   fica   a   saber   que   o  


principezinho   gosta   muito   de   pores-­‐do-­‐
sol.  

Língua  Portuguesa/  Área  de  Projecto  –  Maio  de  2010  


Apresentação  da  obra  “O  Principezinho”  

•  “No   quinto   dia,   (…),   fiquei   a   saber   um  


segredo   da   vida   do   principezinho.”  
pág.27  

•  No   planeta   do   principezinho   exisMa  


uma   flor   muito   bela.   Ele   cuidava  
muito   bem   dela   e   tornaram-­‐se  
amigos.   Porém,   um   dia   ele  
apercebeu-­‐se   que   a   rosa   menMa-­‐lhe,  
logo   não   podia   confiar   nela.   Tornou-­‐
se  infeliz  e  decidiu  parMr.  

Língua  Portuguesa/  Área  de  Projecto  –  Maio  de  2010  


Apresentação  da  obra  “O  Principezinho”  

•  No  dia  da  parMda  deixou  tudo  em  ordem  


e  passou  a  manhã  a  cuidar  do  planeta.  

•  Decidiu   parMr,   apesar   de   se   ter  


reconciliado   com   a   rosa:   a   flor   pediu-­‐lhe  
desculpa,   mas   no   momento   da   parMda  
não   chorou   –   era   uma   flor   muito  
orgulhosa.  

•  O   principezinho   aproveitou   uma   migração  


de  pássaros  selvagens  para  fugir.  

Língua  Portuguesa/  Área  de  Projecto  –  Maio  de  2010  


Apresentação  da  obra  “O  Principezinho”  

•  “Como  vivia  numa  região  de  asteróides  325,  326,  327,  328,  329  e  330,  começou  
por  instruir-­‐se.”  pág.  36  

Língua  Portuguesa/  Área  de  Projecto  –  Maio  de  2010  


Apresentação  da  obra  “O  Principezinho”  

Todos  eles  vivem  sozinhos  e  estão  completamente  consumidos  pelas  suas  


acMvidades.  
Língua  Portuguesa/  Área  de  Projecto  –  Maio  de  2010  
Apresentação  da  obra  “O  Principezinho”  

•  Aprende   com   o   Geógrafo   que   as   flores  


não   duram   para   sempre   e   por   isso  
começa   a   senMr   saudades   da   rosa   que  
deixou  no  seu  planeta.  

•  Devido   à   sugestão   do   Geógrafo,   o  


Principezinho  visita  a  Terra.  

•  Ele   aterra   no   meio   do   deserto   e   não  


encontra  humanos.    

•  Conhece   uma   serpente   que   lhe   fala   em  


enigmas   e   insinua   que   se   ela   desejar  
devido   ao   seu   veneno   mortal   pode  
enviá-­‐lo  para  estrelas.  
Língua  Portuguesa/  Área  de  Projecto  –  Maio  de  2010  
Apresentação  da  obra  “O  Principezinho”  

•  Ele   encontra   um   jardim   de   rosa,   que   o  


surpreende  e  o  deprime  –  a  sua  rosa  Mnha-­‐lhe  
dito  que  ela  era  a  única  da  sua  espécie.    

•  O  Principezinho  CATIVOU  uma  raposa,  que  lhe  


ensina   que   as   coisas   importantes   são   visíveis  
ao   coração,   e   que   o   tempo   que   ele   esteve  
longe  da  rosa  faz  com  que  a  rosa  seja  especial  
para   ele   e   que   o   amor   torna   a   pessoa  
responsável  pelos  seres  que  ama.    

•  O   Principezinho   toma   consciência   que   apesar  


de  haver  muitas  rosas,  o  seu  amor  pela  rosa  faz  
com  que  ela  seja  única  e  que  ele  seja  por  isso  
responsável   por   ela.   Apesar   desta   revelação,  
ele   sente-­‐se   muito   sozinho   porque   está   tão  
afastado  da  sua  rosa.  
Língua  Portuguesa/  Área  de  Projecto  –  Maio  de  2010  
Apresentação  da  obra  “O  Principezinho”  

•  O  Príncipe  termina  a  sua  


história  descrevendo  os  
encontros  com  dois  homens:  
o  Agulheiro  e  o  Comerciante.    

•  “Íamos  no  oitavo  dia  da  minha  


avaria  no  deserto  e,  enquanto  
ouvia  a  história  do  vendedor,  
eu  Mnha  bebido  as  úlMmas  
gotas  de  água  da  minha  
provisão.”  pág.  77  

Língua  Portuguesa/  Área  de  Projecto  –  Maio  de  2010  


Apresentação  da  obra  “O  Principezinho”  

•  Devido   à   sugestão   do   pequeno   príncipe,  


eles  procuram  um  poço.  

•  A   água   alimenta   os   seus   coração   tal   como  


os   seus   corpos,   e   os   dois   parMlham   o  
momento   de   felicidades   à   medida   que  
ambos  concordam  que  muitas  pessoas  não  
vêem  que  o  que  é  realmente  importante  na  
vida.   Todavia,   o   Principezinho   apenas  
consegue  pensar  no  regresso  à  sua  rosa.  

•  Ele   começa   a   fazer   planos   com   a   serpente  


para   voltar   ao   seu   planeta,   enquanto   o  
narrador  conserta  o  avião.  

•  “Cheguei   às   ruínas   mesmo   a   tempo   de  


apanhar  o  meu  príncipe  no  ar,  branco  como  
a  neve.”  pág.  84  

•    O   narrador   consegue   consertar   o   seu  


avião.  

Língua  Portuguesa/  Área  de  Projecto  –  Maio  de  2010  


Apresentação  da  obra  “O  Principezinho”  

•  “Mas  ele  disse:  


 -­‐  Esta  noite  vai  fazer  um  ano.  A  minha  estrela  
há-­‐de   estar   precisamente   por   cima   do   lugar  
onde  eu  caí  no  ano  passado…”  pág.  87  

•  “Foi  só  um  clarão  amarelo  no  tornozelo.  Ficou  


parado   um   instante.   Não   gritou.   Caiu   de  
mansinho,  como  caem  as  árvores.  Nem  sequer  
fez  barulho,  por  causa  da  areia.”  pág.  91  

Língua  Portuguesa/  Área  de  Projecto  –  Maio  de  2010  


Apresentação  da  obra  “O  Principezinho”  

•  “Depois,   fui-­‐me   consolando.  


Enfim…quase.   Mas   tenho   a   certeza  
absoluta   de   que   o   principezinho  
voltou   para   o   planeta   dele:   ao  
nascer   do   dia,   não   encontrei   corpo  
nenhum.”  pág.  91O    

•  O   narrador   é   também   confortado  


pelas   estrelas,   nas   quais   ele   agora  
ouve  o  riso  do  seu  amigo.    

•  Muitas   vezes,   contudo,   ele   fica  


triste   e   pensa   se   a   ovelha   que   ele  
desenhou   terá   comido   a   rosa   do  
Principezinho.    

Língua  Portuguesa/  Área  de  Projecto  –  Maio  de  2010  


Apresentação  da  obra  “O  Principezinho”  

•  O  narrador  conclui  mostrando  aos  leitores…  

…e   pede   para   pararmos   por   uns   instantes  


debaixo   das   estrelas   se   por   acaso   esMvermos  
um   dia   em   África,   no   deserto,   e   para   avisá-­‐lo  
imediatamente  se  o  Principezinho  voltar.  
Língua  Portuguesa/  Área  de  Projecto  –  Maio  de  2010  
Apresentação  da  obra  “O  Principezinho”  

•  “Só  conhecemos  o  que  caMvamos”  pág.  69  

•  “…  só  se  vê  bem  com  o  coração.  O  essencial  


é  invisível  para  os  olhos…”  pág.  74  

LEIAM  COM  O  CORAÇÃO!  

Língua  Portuguesa/  Área  de  Projecto  –  Maio  de  2010  

Interesses relacionados