Você está na página 1de 115
Os Atos dos cmissdrios de Yeshua, 0 Messias Atos Crriruco | 1 O primeiro livro é o Evangelho de Lucas, que também foi escrito para Teofilo (veja Lc 1:1&N). Esse “segundo livro” poderia ser chamado de “Lucas, Parte I", Todas as coisas que Yeshua comecou a fazer e a ensinar compdem o conleddo do Evangetho de Lucas. O assunto tratado por Lucas no livro de Atos sdo as realizacGes dos cristdos primitivos, em particular como eles tiveram éxilo em trazer os gentios para a estrutura da fé crista sem a necessidade de converté-los ao judaismo: assim, crer em Yeshua nao estava restrito aos judeus. Hoje o problema é exatamente o contrario: a superestrutura da fé em Yeshua, o Messias judaico, foi tao intensamente gentilizada que a maioria dos judeus acha dificil crer que 0 Novo Testamento serve tanto para eles quanto para os gentios; veja 11:18&N, 15:1&N. Quanto ao nome "Yeshua" (Jesus), veja Mt 1:1N. 2 Veja Le 24:44-52. Emissarios. Veja Mt 10:2-4&N. 3 [Ele] Ihes deu muitas provas convincentes de que estava vivo. Veja 1 Co 15:3-8@NN; e também Mattityahu 28, Marcos 16, Lucas 24 e Yochanan 20-21. Ele lhes falava a respeito do Reino de Deus. Esse era 0 tema central dos ensinos de Yeshua depois de ter ressuscitado. Veja vv. 6-7&N; veja também Mt 3:2N quanto ao “reino dos céus”. S Imergir ou “batizar’. Veja Mt 3:1N. O batismo por imersao de Yacha- nan purificava 0 corpo dos chozrim bitshuvah (“as pessoas que se afastam do pecado e se aproximam de Deus em arrependimento’), A imersao no Espirito 244 Atos Santo prometida por Yeshua traria o poder de Deus para continuar vivendo uma vida santa, ¢ seria elicaz ao levar 0 evangelho as pessoas. Esse verso resume Le 3:16 6-7 Autonomia. De acordo com A Greek-English Lexicon of the New Tes- tament [Um dicionario greco-britanico do Novo Testamento] de Arndt e Gingri ch, o grego tén basileian nesse trecho significa "o reinado, poder real, governo real’, e ndo o “reino” no sentido de territorio deminado por um ret. Senhor, é nesse tempo que vocé vai restaurar a autonomia a Yisra’el? A expectativa de praticamente todas os judeus era de que, quando o Messias viesse, ele libertaria [srael da opressdo romana ¢ se tornaria rei sobre 0 judeus. Seria uma nacdo unida e soberana, assim como 0 foi sob o reinado de Saul, David e Salaman, ¢ novamente no governo dos macabeus (veja Yn 10:22N) @ seus descendentes asmonianos (164-63 E.C.). Isso se vé com clareza em Yn 6:15, quando “eles estavam a ponto de agarra-In (Yeshua) e fazer dele o rei’, a ponto de forcar o cumprimento da promessa de Deus a respeito do Messias, de que ‘o governo recaira sobre seus ombros” (Isaias 9:5-6(6-7), Le 1-79N). Nin guém captou o ensino de que a primeira vinda de Yeshua nao tinha o objetivo de fazé-lu reinar, mas de morrer "em resgate de muitos” e ser ressuscitade no terceiro dia (Mc 10:33-34, 35). Até mesmo seus talmidim interpretaram de for- ma errada, e continuaram a fazé-lu depois que os eventos ocorreram, Nos wv. 7- 8 Yeshua preencheu a lacuna que havia no conhecimento deles, concentrando a atengao ndo em sua volta, mas na tarefa que eles tinham; ¢ percebemos depois (3:21) que Kefa compreendeu a inensagem. No entanto, ha outro aspecto que muitos cristaos precisam aprender des- sa resposta dada por Yeshua, a saber, que Deus de fato devolvera a Israel 0 governo autonomo. Ha um antigo ensino cristo que é pernicioso e esta disse- minado: a igreja é 0 Israel "Novo" ou “Espiritual”, e que assumiu o lugar de Israel como povo de Deus. Nessa interpretacdo - conhecida por diversos nomes, tais come tealogia da substituicao, teologia do Reino Ja, dominacionismo, recons trucionismo e restauracionismo (na Inglaterra) — as promessas feitas por Deus a Israel foram anuladas quando "os judeus” se recusaram a aceitar Jesus (¢ quem se importa com o fato de que todos os primeiros seguidores de Jesus eram ju- dcus?), Essa teologia falsa, que contradiz o carater de Neus por sugerir que ele nao mantém suas promessas, deu uma justificativa aparente para muitas aces anti-semitas dentro da igreja. Essa interpretagdo também esta por tras de mui- tos protestos que negam importancia teolgica ou biblica ao reajuntamento do povo Judeu na terra de fsrael. Para a pergunta “ele restauraria a Israel a autonomia?’, feita por seus dis- cipulos, a resposta é: "Voces nao precisam saber as datas ou os tempos; 0 Pai os mantém sob sua autoridade.” Com isso aprendemos que, ao contrario do que afirma a teologia da substituicao, o reino certamente serd resiautado a Israel. A unica pergunta ¢ quando, e neste momento nao nos cabe conhecer as datas. “As coisas secretas pertencem a Adonai, nosso Senhor” (Deuteronomio 29:28(29))., Para uma descricao atual da heresia da teologia da substitui¢do, veja Pa- ise Restored {Paraiso restaurado] de David Chilton (Fort Worth, TX: Domi- niof Press, 1985). Um livro escrito por um conhecido autor cristéo que refuta © recanstrucionismn e revela seu anti-semitismo € The Road to Holocaust [0 caminhg-para o Holocausto} de Hal Lindsey (New York; Bantam Books, 1989), outta tefutacio foi feita por H. Wayne Hause ¢ Thomas Ice em Dominion Theo- Atos no a logy: Blessing or Curse? [Dominio da teologia: béncao ou maldicao?), (Portland, Oregon: Multaumah Press, 1988). 8 Ser testemunha de Yeshua em palavras e atos significa comunicar 0 conteudo verbal do evangelho e viver a vida do jeito de Deus, nao do nosso pré- prio jeito (Le 9:23-254N). Essa é tarefa principal do povo de Deus, mas que so pode ser realizada com o poder que vem do Ruach HaKodesh. Compare coma Grande Comissao (Mt 28:18-20, Mc 16:15-18, Le 24:47-49, Yn 20:21-23). Os talmidim devem comecar a evangelizacdo onde se encontram, em Ye- rushalayim, a capital do povo judeu. Depois devem mover-se na direcao de toda a Y'hudah (Judéia. o interior do territério judeu) e Shomron (Samaria. habitada por judeus miscigenados; veja Yn 4:9N), e, finalmente, na verdade, ir até os confins da terra, ou seja, aleancar ns povas gentias. Fese versicula serve como uma espécie de indice para o livro de Atos. Os capitulos 1-6 tratam a respeito de Yerushalayim; 6:1-8:3 mostra que a comunidade de Yerushalayim foi obrigada a fugir para as regides vizinhas; e os capitulos 8-9 incluem diversas exemplos de ministérios cm Y'hudah ¢ Shomron. Comegando no capitulo 10, somos infor smados sobre a propagacao gradual do evangelho entre os gentios, inicialmente ‘por meio de Kefa, mas especialmente por meio de Sha‘ul. Exitos numerosos sao frelatados, € no fim do livro encontramos Sha'ul comunicando com sucesso 0 evangelho no proprio coracdo e centro da Civilizacado gentia, Roma. __ Os membros do Corpo do Messias, em sua maior parte, nao levaram a sé- -io a ordem de Yeshua para comunicar o evangetho em primeiro lugar ao povo judeu; veja Rm 1:16&N. Em certo sentido, o evangelho ja atingiu os confins da terra — a Biblia, ou pelo menos partes dela, ja foi traduzida para cerca de 2.000 linguas. Mas isso nao justifica 0 que tem sido, de modo geral, um fracasso da comunidade messianica em Jevar 0 evangelho ao povo judeu. A Igreja, em vez de desenvolver uma teologia equivocada para justificar essa negligéncia (Yn 14:6N), ou de se exasperar quando os judeus rejeitam sua mensagem, deveria transmitir o amor e a verdade de Deus ao mesmo tempo em que busca sua sa- bedoria para tratar das questdes que 0 povo judeu levanta em relacao a Yeshua, 0 Novo Testamento, o cristianismo e a religiao em geral. Os livros que escrevo, incluindo esse, tem o objetivo de fomentar esse empreendimento. 9-11 Uma nuvem o encobriu (...) Yeshua (...) voltaré do mesmo modo, cumprindo Daniel 7:13 € as previsdes de Yeshua (Mt 26°64; Mc 14:62; Le 21:27: Rv 1:7, 13; 14:14). No Tanakh, uma nuvem normalmente expressa a gloria de Deus (exemple, a coluna de nuvem, Exudy 13.21), sua Sh’khinah (pre: senca manifesta’, JM 1:12-3N). A resposta dos dois homens vestidos de branco, que evidentemente eram anjos (veja 7:53N, JM 13:2N), da apoio a nossa esperanca (Tt 2:13) de que Yeshua esta voltando e, ao mesmo tempo, implica uma resposta parcial a pergun- ta feita pelos discipulos no v. 6: Yeshua restaurara a autonomia a Israel e trara paz a terra quando ele voltar do mesmo modo que o viram subir ao céu. 12 A distancia permitida no Shabat, do monte das Oliveiras até Ye- rushalayim. 0 monte das Oliveiras fica a leste do que hoje se chama Cidade Antiga. © que corresponde (com grande aproximacao) os limites antigos de Yerushalayim. As regras rahinicas para o Shabat, com certas excecées, limitam as caminhadas fora dos muros da cidade a 2.000 citbitos (cerca de 917 metros). De acordo com Le 24:50-51, Yeshua deixou seus talmidim e subiu de Beit-Anyah, que é um dos decli- 246 -—— Atos ves no lado sul da montanha, para o céu. O olival no jardim de Gat-Sh'manim, no declive que fica no lado ocste, tem arvores que possivelmente estao vivas desde a época de Yeshua. A tradicao judaica, baseada em Zacarias 14:3-5, diz que o Mesias, aparecera uo monte das Oliveitas, os vv. 9-12 vinculam a primeira vinda de Yeshua e sua partida com o reaparecimento que atendera essa expectativa. 13 O aposento do andar superior onde estavam acomodados, tal- vez o mesmo de Lc 22:12, possivelmente outra casa ou apartamento na cidade (2:2, adiante), ou provavelmente um aposento no complexo do Templo disponi- bilizado para reunides (Lc 24:53), Os nomes tradicionalmente atribuidos aos 11 emissarios sao: Pedro, Tia- go, Joo, André, Filipe, Tomé, Bartolomeu, Mateus, Tiago filho de Alfeu, Simao 0 zelote e Tadeu 0 irmao (ou filho) de Tiago. 14 Com a mesma disposicao. Do grego omothumadon, usado dez ve- zes em Atos. A comunidade dos crentes deve ter coracdo e mente unidos, para que a oracao tenha poder. A palavra é usada na Septuaginta em Fxodo 19:8, em que 0 povo de Israel “respondeu em unissono [do hebraico yachday, do grego omothumadonl, ‘Tudo que Adonai disser, isso faremos'.” Com algumas mulheres. 0 judaismo sempre concedeu um lugar de importancia as mulheres; entretanto, na sinagoga cra tradigio separar os ho- mens das mulheres por uma parede ou cortina que os dividia (m’chitzah; veja Ef 2:14N). A razao € que isso diminui a atengdo e a paixdo sexuais, que interferem na oracao. Mas, em uma reunidc de oracdo poderosa, tais preocupacées desa- parecem, a medida que tudo se volta para Deus. Além do mais, esse grupo fun- cionava mais como uma familia do que como um ajuntamento congregacional. Entretanto, ndo esta claro se a expressdo “com algumas mulheres” implica que mulheres e homens estavam juntos. Miryam, a mae de Yeshua, e com os irmaos dele. Veja Mt 1:16-2:11, Le 1:26-2:52, Yn 2:4, 7:3-5 ¢ as notas ali encontradas. Os familiares de Yeshua, nao importa quao duvidosos tenham ficado antes, estavam persuadidos da messianidade de Yeshua apés a ressurteicao. 18 Caiu de cabeca e morren (ou: “inchou e se derramou’). Em Mt 27:3 10 lemos que os kohanim compraram o campo e 0 usaram como cemitério para estrangeiros, dai seu nome (v. 19), e que Whudah de K'riot morreu ao se enforcar. As diferencas entre os dois relatos podem ser resolvidas da seguinte forma: os kohanim consideraram que o dinheiro devolvido por Y'hudah era dele mesmo e compraram 0 campo em seu nome. O grego para “cai ¢ morreu’ significa literalmente “tendo se tornado propenso”. Agostino harmoniza a pas sagem sugerindo que ele se enforcou e depois caiu. 19 Hakal-D'ma é um termo aramaico. Lingua deles. As pessoas falavam aramaico e hebraico; 0 Novo Testa- mento cita palavras das duas linguas. .., Campo de sangue, comprado com dinheiro obtide com sangue, onde dah derramou seu proprio sangue, e/ou onde os estrangeiros eram sepul- ta As trés explicacdes sdo apropriadas. * '33.vosef Bar-Sabba, cognominado Justo. Como muitos judeus de hoje, ele tinha nm nome gentilico (em latim), que significa “justo”. e um nome judaico Atos 9 ---—- ~—_—_______ 247 {em aramaico), que significa “filho do anciao’, ou, possivelmente, era traduzido por "Bar-Shabba", "filho de Shabat’. 24 Senhor, Veja Ml 1:208N, 7:208N. 26 Entao lancaram sortes. isso era reconhecido como uma maneira de certificar-se da vontade de Deus. Provérbios 16:33 diz: "A sorte é lancada no colo, mas a deciséo vem de Adonai,” O significado disso é: aquilo que se atribui ao acaso, destino, sorte ou coincidéncia é determinado por Deus. E assim que Albert Finstein se expressa quando faz objecdes ao uso que a teoria quantica faz da matematica probabilistica: "Deus nao joga dados com o universo.” Esse segundo Mattityahu (o primeiro encontramos em Mt 9:9) foi acrescentado aos onze emissarios, nao Sha’ul (Paulo) como alguns cristaos supdem. De fato, Sha'ul foi um emissario (veja o primeiro versiculo na maioria de suas cartas), mas nao um dos Doze, pois ele nao preenchia os requisitos (wv. 21-22), & Crriruco 2 3 1A Festa de Shavuot (Semanas) é um dos trés regalim (festa de pere * grinagao), quando todos os homens judeus vao a Yerushalayim (veja Mt 20.17- 19N). As outras so Pesach e Sucot, veja Mt 26:2N: Yn 2:13N, 7:2N. : O nome “Shavu'or’ vem de Exodo 34:22 e de Deuterondmio 16:9-10. Junto com Levitico 23:15-16, essas passagens determinam que a festa deve acontecer sete semanas depois do inicio da Pesach. A Biblia também diz: "Contem cin- qiienta dias” (Levitico 23:16); assim, no Novo Testamento, o nome grego para as celebracées é "pentékostés’, que significa “cinquenta” e normalmente é translite- rado para o portugués como “Pentecoste’. Dois outros nomes para o festival se encontram no Tanakh: “Yom-HaBikkurim” (‘Dia das primicias", Numeros 28:26) e “Chag-HaKatzir’ ("Festa da colheita”. Exodo 23:16). No Shavu’ot os primeiros frutos da colheita do trigo eram apresentado a Adonai no Templo. A oferta consistia em dois paes assados, feitns com farinha e fermento (Levitico 23:17). Assim celebrava-se a providéncia de Deus no comeco da temporada do trigo. Além do aspecto agricola, que é 0 mais importante, 0 Shavu‘ot posterior: mente passou a ser compreendido como uma comemoracdo da entrega da Tord a Moisés. As primeiras referéncias a essa reinterpretacdo datam dos séculos II eI E.C. (Talmud: Shabat 86b, Pesachim G8b). Mas Louis Jacobs, valendo-se do material organizado por Louis Finkelstein em The Pharisees (Os fariseus], teo- riza que “a Wransformacao em uma festa historica aconteceu antes da era atual” tEncyclopedia Judaica 14:1420-1421]. Exodo 19:1 afirma que os israelitas foram a pé até o monte Sinai “no terceiro més”; a partir desse e de outros dados bi- blicos, os rabinos deduziram que Deus realmente entregou a Tord no Shavu'ot. Assim, cada Festa de Peregrinacao estava associado a um evento historico mar- cante na formacao do povo judeu, e também a um tema religioso marcante. Pe- Sach, que celebra o Exodo do Egito, tem na criagdo seu tema, a criacéo do povo judeu. O tema do Shavu'ot é a revelacao; e o tema do Sucot é a redencao, pois esta associado aos quarenta anos em que o povo vagou no deserto, e que culmi- naram com a entrada na Terra Prometida. Esses trés temas ~ criacdo, revelacdo e redencdo - reaparecem em outros aspectos da vida judaica; por exemplo, nas trés refeicdes do Shabat (vaja Rm 11:36N). 248 ——________- Atos —— Pelo fata de o Shavuot rememorar a revelagao que Deus faz de si mesmo, de seu poder e da Tord ao povo judeu, as leituras conduzidas na sinagoga nesse feriado incluem Exodo 19-20 (Moisés subindo ao monte Sinai e os Dez Manda- mentos) e duas passagens que celebram outras teufaitias (Rvarigées de Deus): Ezequiel 1-2 e Habacuque 3. Lé-se também o livro de Rute nessa festa, leitura apropriada, pois é uma historia sobre colheita. Mas, além disso, j4 que conta a hist6ria de Rute, uma mulher moabita que se une ao povo de Deus, fornece uma remez ("alusio”; veja Mt 2:15N) a respeito do aspecto futuro da obra de Deus na terra, 05 gentios sendo unidos aos judeus, 0 povo de Deus, por meio do Messias Yeshua. Por fim, 0 Shavu'ot é tradicionalmente a data em que 0 rei David morreu, um fato a ser lembrado quando se lé vv. 25-32; veja 29&N. E dentro desse contexto do pensamento e costumes judaicos - no qual © Shavu'ot € celebrado como festa da colheita e da Tord - que os eventos de Atos 2 devem ser entendidos. Por Dens ter a pretensio de levar a Nova Alianca judaica (Jeremias 31:30-33(31-34)) ao povo judeu com roupagens judaicas, ele tirou mAximo proveito das festas judaicas para transmitir as novas verdades que enfatizam suas ligacdes com as velhas verdades (veja Mt 13:528N). Assim Deus prometeu por meio de Jeremias: “Escreverei minha Tord no coracao deles.” Isso ele faz enquanto da seu Espirito Santo (v. 4). 0 mesmo Deus concede a Turd e vu Espirito (que, em certo sentido, séo a mesma coisa) no mes- mo feriado, Shavu‘ot, a0 mesmo povo, 0 povo judeu. Isso se estende ao longo de uma historia que comec¢a no fogo do monte Sinai e desernboca nas linguas de fogo em Yerushalayim (vv. 2-3&N). O proprio Yeshua é chamado de “primicias” em 1Co 15:23 (compare com Rm 8:29), e fala de uma “colheita” de pessoas com coracées prontos em Mt 9:37-38 e em Yn 4:35. Adiante nesse mesmo capitulo, no v. 41, trés mil pessoas tornam-se “as primicias" da atividade dos talmidim de Yeshua, que receberam poder do Espirito; apesar disso, o que se diz que os crentes agora tém do Espi- Tito Santo é somente as “primicias” em comparacdo com o que ha de vir. Yeshua referiu-se a si mesmo como 0 “pao da vida" (Yn 6:35). Jé que coi- sas fermentadas (hamet7) simbolizam o pecado no Tanakh, Yeshua apresentou a si mesmo como alguém sem pecado. Fez isso quando usou o pao sem fermen- to, 0 matzd, para inaugurar a Nova Alianga (Le 22:20&N). A oferta de pao no Shavu'ot é de pao fermentado, simbolizando 0 pecado do povo de Deus diante da morte expiatoria de Yeshua, Mais tarde, Sha'ul escreve 4 comunidade messia nica em Corinto que “na verdade vocé esto sem fermento. Pois nosso cordeiro de Pesach, o Messias, foi sacrificado” (1Co 5:6-8&N; veja 1¥n 1:5 10&N). Os dois paes da oferta podem agora ser interpretados como uma representacao do pove de Deus, que agora est4 maior, pois é coimposto por judeus e gentios (veja Yn 10:16N, Rim 11:17-268NN, GI 3:288N, Ef 2: 14&N). U livro de Rute indica uma li¢ao que nao se deve ignorar. Rute, 4 mua- bita, foi incluida no povo judeu com uma confissdo nobre: “Seu povo sera meu povo, e seu Deus sera meu Deus” (Rute 1:16). Essa mulher, que entrou na,genealogia de Yeshua (Mt 1:5), expressou sua lealdade ao povo judeu an- tes\mesmo de mencionar Deus. Mas ao longo dos séculos, muitos do que se ‘aenominam cristéos fizeram exatamente 0 oposto, odiando os judeus, acu sando-os de deicidio, ignorando as adverténcias do Novo Testamento para nao'se, vangloriarem diante da raiz judaica (Rm 11:16-26). O livro de Atos mostra que os gentios agora podem tornar-se povo de Deus sem se tornarem judeus. Mas nenhum gentil pode tarnar-se cristo se n&o for capaz de dizer Atos 249 aos judeus “Seu povo sera meu povo" ao mesmo tempo em que afirma “Seu Deus sera meu Deus". Tambem nao é acidenta! o fato de Deus ter escolhido o feriado ligado @ Tora para enviar 0 Ruach HaKodesh, 0 Espirito Santo, para dar poder a vida de cada talmide & toda Comunidade Messianica. O epigrama de Achad Ha’Am ~“Mais do que Israel guardou 0 Shabat, foi o Shabat que sustentou Israel” ~ implica que foi o poder da Tord que preservou 0 povo judeu ao longo dos séculos. Da mesma forma, foi o poder do Espirito Santo que mudou a vida de milhées para melhor, ¢ que os capacitou a testificar sobre o poder de Deus que transforma vidas, mesmo sob intensa perseguicdo. $6 é preciso comparar a propria ineficiéncia de Kefa antes de receber 0 Ruach HaKodesh (Mt 16:21-23, 26:69-75: Yn 21:15-17) com o sermdo inspirador que é citado nesse capitulo (vv. 14-40). Assim como a Tord (a palavra hebraica significa “ensino’, nao “lei") ensina a vercade de Deus, da mes- ma forma o Espirito Santo ensina a verdade de Deus (Yn 14:26, 15:26, 16:13). A verdade da Tord que é estabelecida no Tanakh nao é diferente da verdade da Tord estabelecida no Novo Testamento. A Tord do Messias nao é diferente da Tord do Tanakh, c nem lhe serve como methoramento, pois “a Tord do Adonai é perfcita” jfSalmo 19:7) e nao precisa de aperfeicoamento, Sha’ul diz que ela é “santa, justa “fe boa” (Rm 7:12), que mais se poderia pedir? A diferenga reside na receptivi- fdade daqueles para quem a Tord se dirige, pois esses tém um espirito novo e .¥ um coracao de carne (Ezequiel 36:26) sobre o qual a Tord esta escrita Jeremias 3;82(33)), um coracdo receptivo ao Espirito Santo (1Co 2:14). Assim, o Espirito , $anto na vida do crente torna a Jord ainda mais real para ele (2Co 3:6-18), € 0 Ruach Hakodesh recebido no Shavu‘ot somente aumenta a importancia da Tord recebida no Shavu'ot. Os paralelos entre o Sinai e o Pentecoste continuam: (1) Nos dois eventos a Tord foi entregue ao povo de Deus. No Sinai, os Dez mandamentos foram es- critos em tabuas de pedra pelo “dedo de Deus” (Exodo 31:18), enquanto que no Pentecoste a Tord foi escrita na tabua dos coracdes (2 Co 3:6-18) como cumpri- mento das profecias de Jeremias 31:32(31) e Ezequiel 36:26. Longe de substi- tuir, cancelar ou contradizer a Tord de Moisés, o Espirito Santo a confirma para os crentes messianicos (Rm 3:31). (2) Os dois eventos acontecem no Shavu'ot. (3) Os dois eventos sao acompanhados por teofanias. (4) Os dois eventos sao acompanhados por diversas linguas (vozes, falas); veja vv. 1b-13&N. (5) Os dois eventos foram acompanhados por fogo. O fogo no Sinai era visivel para todos; © fogo em Yerushalayim dividiu-se e repousou sobre cada individuo. Assim, no Sinai a Tord foi dada externamente ao povo como um todo, enquanto que, em Yerushalayim, a Tord (vi colocada dentro de cada umn dos crentes, (6) No Sinai uma multidao de estrangeiros (erev rav, Exodo 12:38) acompanhou 0 povo, da mesma forma gente de muitas naces estavam presentes no Pentecoste. (7) Tord significa ensino, e 0 Espirito Santo é 0 mestre (Yn 14:26, 15:26, 16:13). (8) E costume comer comidas preparadas com leite na celebracdo judaica do Shavu‘ot. O Espirito Santo fornece o “leite da Palavra” (1 Ke 2:2, JM 5:12-13). Como sabemos se aquela Tord pode vir tanto de Jerusalém quanto do Sinai? Diversas profecias de Tanakh confirmam isso; porém, a mais bem co- nhecida encontra-se em Isaias 2:3: “Pois de Tziyon surgira a Tord, e a Palavra de Adonai de Yerushalayim.” O Pentecoste cumpriu essa profecia de forma po- derosa. Espero que 0 Novo Testamento judaico e esse comentario sirvam como contribnicées madestas para o pracesso de a Tard emanar de Yerushalayim Pelo fato de o Shavu'ot comemorar a entrega da Tord, as vezes é consi derado o dia de nascimento do judaismo. Da mesma forma, pelo fato de Deus 250 Atos ter enviado o Espirito Santo a seu povo no Shavu’ot, as vezes é considerada © nascimento da comunidade messianica. Mas pode-se igualmente pensar na Pesach como o “nascimento de uma nacéo" para os judcus que, 4 época da primeira Pascua, sao retratados pela primeira vez como um povo unificado em Exodo 12. De forma semelhante, também pode-se argumentar que a comunida- de messianica passou a existir na Pesach, pois foi quando Yeshua morreu e foi ressuscitado. E nés, como comunidade, morremos e fomos ressuscitados com ele (Rm 6:1-8). ?-3 Im sam como de um vento muito forte... linguas de fogo. que se sapararam. Lieus enfatizou a ligacio entre a Tord e a Ruach HaKodesh quando os ofereceu junto com sinais miraculosos semelhantes. O estrondo ¢ 6 fogo em Jerusalém lembravam o fogo, fumaca e sons no Sinai (Exodo 19:18-19, Deuterondmio 5:19-21), Entretanto, em vez de o povo ser mantido a distancia (fxodo 19:21-23; Deuteronémiv 5:22-24), a gloria de Deus, representada pelas lingua de foge, veio sabre cada individu. 4a Ficaram chcios do Ruach HaKodesh. Na época do Janakh certos individuos tinham o Espirito Santo “dentro” de si ou “consigo” (Yn 14:17N). Nes- sa passagemi Lodos ficam cheios do Espirito, tornando realidade a oracéo que: ha tanto tempo Mosheh rinha feito, de que Adonai colucatia seu Espirito sobre todo seu povo (Numeros 11:29), 0 que cumpre a profecia de Yeshua (1c 24:49 Yn 14:16, 20:22; At 1:8). 4-13. O acuntecimenty miraculuso realizado pelo Espirito Santo cquiva le a annlacao das efeitos de Babel (Genesis 11:1-9), Dayuela vez Deus confundiu a fala das pessoas que estavam usando a unidade que tinham para propdsilos pecaminosos. Nessa passagem, Deus capacitou pessoas que falavam linguas diferentes a entendercm 08 louvores oferecidos a Deus. £ adequado usar a uni- dade para esse fim. Como é de costume, houve duas reacées diante do que Deus fez (Yn /:438N), Os judeus religiosos (v. 5) ficaram aténitos e confusos (v. 12), mas receptivos ao aprendizado, Outros (v. 13) ridicularizaram os talmidim Cada um ouvia os crentes falar em sua lingua (¥. 6). Segue-se uma lista representativa das nacdes do Império Romano (vv. 9 11). [sso representa uma cor- respondéncia intima cui 0 conceito talmidico de como Deus trata as nacées: © rabino Yochanan disse: “O que significa 0 versiculo ‘Adonai profere uma palavra; os que a disseminam sao um grande exercito’(Salmo 68:12(1 1)? Sig- nifica que cada palavra que vem do Todo poderoso foi dividida em setenta linguas. A escola do tabino Ishmael ensinava que esse versiculo: {Nao é a mmha palavra...] como umm martelo que despedaya atcha? (Jeremias 23:29), significa que, assim como um martelo é dividide em muiras fafscas [quando sc choca com a rocha ou um pedaco de metall, assim cada palavra que pro- vém do Santo, bendito seja, dividiu se em setenta linguas.” (Shabat 8b) | No pensamento rabinico, setenta € Wradicionalmente o numero de nacdes is @.0 ntimero de linguas da humantdade. Fmbora a quantidade de lin- lencionadas nessa passagem seja bem menor do que setenta, um numero. is ¢ mencionado. Isso nos permite entender que Deus esta falan- dogo mmanidade por meio dos fiéis talmidim de Yeshua. +--+ —-- Atos ++ 252 Mas nao para ai. Em Exodo 19:16, 0 que as pessoas ouviram nao eram “trovées", como consta na maioria das tradugdes, mas *vozes” (de hebraico ko- lot). Exatamente como aprendemos na passagem do midrash citada que a “gran- diosa voz" de Deus no Sinai (Deuterondmie 5:19(22)) foi dividida nas setenta linguas gentilicas, assim também aprendemos explicitamente nessa passagem que, no Pentecoste, os louvores a Deus foram semelhantemente ouvidos em diversas linguas gentilicas. © Midrash Tanchuma 25 afirma que no Sinai as pessoas ficaram confusas quando ouviram as “vozes” de Deus que vinham de todas as direcdes (como se representa habilmente na opera Moses und Aron (Moisés ¢ Ardo), de Arnold Schoenberg). De maneira semelhante, as pessoas que ouviam as linguas das na- (Ges no Pentecoste ficaram aténitas, completamente dominadas e maravilhadas (vv. 5-13) - como sempre acontece quando Deus aparece: compare com Salmo 18:7-15 ¢ J6 38-42. 11 Judeus de nascimento e prosélitos, literalmente “tanto judeus quanto prosélitos’. Os prosélitos gentios no judaismo representavam uma arcela consideravel do povo judeu nos dias de Yeshua, é possivel que até ieee fossem a maioria deles (veja Mt 23:15&N). Portanto, o tema de tra- zer os gentios a fé no Messias judeu (1 :8N) em certo sentido ja surgiu. En uetanto, a multidao reunida nav consistia de gentios vindus desses paises, Jd que os wv. 5-6 afirmam que a multidao era formada de judeus religiosos "ou seja, judeus que seguiam as exigéncias religiosas judaicas a ponto de virem de muito longe até Yerushalayim para a festa de peregrinos do Shavu'ot (v. 1&N, 20:16&N), Da Arabia, Nao os ancestrais dos arabes de hoje, mas os judeus vin: dos da Arabia. Os gentios sao acrescentados a comunidade messianica somente com os samaritanos do capitulo 8; veja 1:8&N. 15 Kefa se livra dos céticos de mentalidade limitada e dos escarnecedo- res antes de se dirigir aos restantes, que tinham mentalidade receptiva, mas estavam desnorteadas 17-21 Nos ultimos dias, em tempos messianicos. Kefa explica que os ltimos dias j4 comecaram (veja também JM 1:2, 1Co 10:11, 1Ke 1:20). Esses dias tém continuidade hoje (1Yn 2:18, Yd 18) ¢ culminarao no Ultimo dia (Yn 6:39ss., 12:48), chamado nessa passagem de © grande e temivel Dia do Ado- nai (compare com Rv 1:10&N). O sol escurecera. Esse é um dos pressagios de Joel que se tornou reali dade: o sol escureceu quando Yeshua estava pendurado na estaca de execucao (Mt 26:45). Mas os outros pressagios, que aparecem em extensas mencGes no Revelacao, estao reservados para o futuro. Todo que invocar 0 nome do ADONAI sera libertado (citado também em Rm 10:13). Essa é a expressao central da profecia de Joel. O restante do dis- curso de Kefa mostra que s6 @ possivel invocar a salvacao Adonai se Yeshua for reconhecido como o Messias. 22-23 Homens de Yisra’el, (...) vocés (...) 0 mataram! A acusacao tras- passou 0 coracdo deles como uma faca, como acontece ao coracdo de qualquer judeu que ja ouviu “Voces, judeus, mataram Jesus!" Mas a acusacao legitima fei- ta por Kefa a seus ouvintes ¢ as acusagdes falsas de que 0 povo judeu cometeu Atos deicidio estao em extremos opostos. Esse versiculo estabelece a responsabili dade com muila precisdo. Em primeiro lugar, a morte do Messias estava de acordo com o plano predeterminado de Deus. Nao foi um acidente, niu [ol um calculo mal feito por parte de Yeshua ou de seus tafmidim. Deus sabia 0 que aconteceria, ¢ plane- jou a morte de Yeshua como propiciacao dos pecados da humanidade. Mas issu nao serve como desculpa pata os assassinos; eles tinham liberdade de escolha ¢ optaram seguir com © assassinato. Compare com Le 22:22: “O Filho do Ho- mem morrera de acordo com o plano de Deus, mas ai do homem por quem ele esta sendo traido!” Assim, a Biblia ensina tanto a predestinacdo quanto a livre escolha. Tal antinomia nunca foi expressa de maneira mais sucinta do que na epigrama mishnaico do rabino Akiva: “Tudo esta previsto, mas 0 livre-arbitrio nos foi dada” (Avar 3:15). A morte de Yeshua nao é culpa de Deus (compare com Rm 9:6-29&NN) nem erro de Yeshua. Em segundo lugar, os gentios ~ Péncio Pilatos e as soldados romanos ~ es- tavam diretamente envolvidos no assassinato de Yeshua. Kefa ndo dé a medida da culpa deles porque n&o esta thes dirigindo a palavra. Mas a propria atitude de Péncio Pilatos de lavar as maos (Mt 27:24) mostrou que ele reconhecia sua propria culpa. A maneira pela qual os soldados romanos zombaram e brutali- zaram Yeshua ¢ uma demonstracdo da mentalidade depravada deles. A questao nao a inocéncia dos gentios versus a culpa dos judeus. Em terceiro lugar, 0 "vocés" que o mataram' eram os judeus que tinbam visto que Yeshua (...) foi um homem que Ihes demonstrou ter sido enviado da parte de Deus. Fles estavam bem cientes disso (vocés mesmos 0 sabem), ¢ estavam cientes de que essa conclusao estava baseadas em fatos, ou seja, as obras poderosas, milagres e sinais que Deus realizou por meio dele, na presenca de vocés (compare com Yn 10:32-38). Isso os distingue do povo judeu que, ao longo da histéria, tem sido acusado maliciosamente de deicidio. Podemos supor que na audiéncia encontravam-se alguns dos que provocaram Yeshua, dizendo "Se voce é 0 Fitho de Deus, desca da estaca” (Mt 27:40). Outros clamaram para libertar Bar-Abba ~ assassino e rebelde - em vez de libertar o Messias, a quem queriam executar (Mt 27:16-26). Outros ainda eram membros do Sanhedrin, que tinha sido convocado ile- galmente, e que sentenciou Yeshua ¢ o entregou aos romanos, pessoas desligadas a Tord, para ser morto (Mt 26:57-27:2). Os judeus que estavam distantes, tanta no espaco quanto no tempo, nao cometeram esses pecados especificos. Tmbora Kefa também fosse judeu ¢ se dirigisse a eles como “irmaos” (v. 29}, mesmo assim ele se expressou da forma mais veemente possivel para provocar arrependimento - assim como Mosheh ¢ os profetas fizeram. Embora as palavras de Kefa, assim como a deles, tivessem a intencao de atingir primei ramente seus contemporaneos, elas podem nus tocar se as ouvirmos com 0 coracao e a mente. Pois temos a responsabilidade de obter conhecimento e de reagir a ele. A posicao do Novo Testamento é de que toda a humanidade ~ judeus e gentios, de ontem e de hoje - matou Yeshua. Fizemos isso quando desobedecemos a Deus, pecado cuja penalidade é a morte (Génesis 2:17). Foi porque nos amou * qué, Yeshua morreu em nosso Sugar. Nesse sentido nos 0 matamos, ¢ a culpa Tepousa sobre cada um de nds enquanto nao aceitarmos sua morte expiatéria € saétifictal, para que Deus nos perdoe (veja Rm 5:12-218N). 34-Contudo, Deus o ressuscitou. 0 fato de Yeshua estar vivo faz parte da esséncia da fé messidnica (1Co 15:12-19). Caso nan estivesse viva, poderia- Atos 253 mos nos lamentar, mas nao seria possivel fazer nada para restaurar o relaciona- mento entre cle ¢ nés, ¢ Kefa niio teria pregado esse sermao. Sofrendo a morte. A expresso hebraica "matzrei-Sh’of' (dores do Sh’ol) en- contra-se no Salmo 116:3. Algumas pessoas que nao estao familiarizadas com a Biblia acham que a morte é 0 fim das agonias da vida. Fis 0 que elas dizem a respeito de uma pessoa enferma: "Foi melhor para ele ter morrido.” Mas a Biblia trata a morte como a tragédia definitiva. Somente daqueles que tém vida eterna por meio de Yeshua, 0 Messias, é que o aguilhao da morte fol retirado (Rm 6:23, 1Co 15:55-56, Fp 1:21). 25-36 Salmo 16:8-11 (citado nos vy. 25-28) é um texto central, juntu com Le 24:44-46 e 1Co 15:4. Eles mostram que o Messias deveria se levantar dentre os mortos; seria dificil aperteicoar a exposicéo que Kela faz do tema (vv. 29-36). 27 Sh’ol, “hades, inferno”. Veja Mt 11:23N, Le 16:23&N. 29 0 patriarca David morreu. De acordo com a tradicao judaica, David morreu durante o Shavu'ol, e a audiéncia de Kefa durante o Shavu‘ot certamente asabla disso. “__ E foi sepultado. O Tanakh afirma que ele foi sepultado na Cidade de “David, a sudeste do atual muro ocidental (1 Rs 2:10) ° Seu timulo esta entre nds até o dia de hoje “A tumha de Navid provavelmente foi destruida na época da revalta de Rar Kokhba (135 E.C.). No entanto, diversas localizacées foram sugeridas pelas tra- digdes populares ao longo das eras. A que teve aceitacao geral foi o local que hoje se chama monte Sido. Essa tradi¢do tem cerca de 1.000 anos, registrada pela primeira vez na época das Cruzadas...” (Encyclopedia Judaica 5:1330) Em outras palavras, 0 local que hoje se chama tumba do rei David ndo & 0 local correto. 30 Deus lhe jurara fazer sentar um de seus descendentes em seu trono, de acordo com Salmo 132:11 e 2 Samuel 7.12-13, veja 13.23, 35 Quanto a Salmo 110:1, que é citado nesse versiculo, veja Mt 22:44N & Mc 16:19N. As interpretacdes rabinicas mais antigas que sobreviveram aplicam esse versiculo a Abraao (falmud: N’darim 32b e Sanhedrin 108b). Mas no Mi drash a respeito dos Salmo, que foi compilado no século XI, vernos que *O rabino Yudan [c. 350 E.C.] disse em nome do rabino Hama [ben-Hina, c 260 E.C.|: ‘No tempo que ha de vir, quando o Unico, bendito seja, fizer sentar © Rei, o Messias, a sua destra, como est dito: “Adonai disse a meu Senhor, ‘Senta-te a minha destra’," e sentar Abrado a seu lado esquerdo, o rosto de Abrado empalidecerd ¢ ele dira a Deus: °O filho de meu filho senta-se a direi- ta, enquanto eu me assento a esquerda” Entao Deus 0 consolara, dizendo: “Verdadeiramente o filho de seu filho esta a minha direita, mas eu mesmo, por assim dizer, estou a tua direita, j4 que ‘O Senhor esta a tua destra’ (Salmo 110:5)"."" (Comentario do Midrash sobre o Salmo 19, seco 29) Essa passagem mastra que havia ‘Amora'im (rabinos do perioda talmidi- co, entre os séculos [Il e V E.C.) que aplicavam o Salmo 110 ao Messias. 254 ATOS 36 Que toda a casa de Yisra’el fique certa de que Deus fez dele, Yeshua, Senhor e Messias. Como poderia a teoria das Duas Aliancas sobre viver ao climax do sermao de Kefa? De fato, essa teoria afirma que Jesus veio para os gentins e Motsés velo para os judeus (veja Yn 14:6&N). Mas 0 argumento central do sermao de Kefa é que todos os Judeus, que toda a casa de Israel, devem reconhecer Yeshua como Senhor e Messias, pois Deus fez cumprir aquelas regras da vida judaica c da historia humana. Veja também 4:12&N. Deus fez dele, Yeshua, Senhor e Messias. Do ponto de vista de Deus e da eternidade, a Palavra tornou-se um ser husmano (Yn 1:1, 14, Fp 2.5-11). Sob o aspecto temporal, na experiéncia de Kefa, Yeshua acahara de ser revelado, mostra: do quem realmente era. O judaismo niio-messianico levanta a seguinte objecao: 0 Novo Testamento afirma que Yeshua, que cra apenas um homem, tornou-se Deus. Mas 0 Novo Testamento nunca faz tal afirma¢ao, nem mesmo nessa passagem. O que o Novo Testamento afirma é que Deus, desde a eternidade. fez Senhor de toda a humanidade @ Messtas prometico, 0 ret do pavo juden, aquele que j4 era igual a Deus antes de 0 universo ser criado (Fp 2:6-8&NN, CI L:15-1/&NN, JM 1:1-3&NN). A quem vocés executaram na estaca. Veja vv. 22-23&N, Mt 10:38N, 37-41 Embora Kefa tenha sido mais duro com seus ouvintes judeus do que qualquer pregador cristéo de hoje ousaria ser, para que ficassem com 0 coracao compungido, ainda assim trés mil pessoas responderam ao apelo de abandonarem o pecado e voltarem para Deus. £ 0 Espirito Santo, agindo sobre quem prega ¢ sobre quem ouve a mensagem, que gera a confianga genui na. Além disso, as boas-novas do perdao de Deus so tém sentido se forem con- Irastadas cam a noticia ruim de que nosso pecado € grave. As pessoas ficaram to Impactadas que perguntaram "Irmfas" ~ elas nan ficaram pessoalmente ofendidas por causa dos que trouxeram as noticias ruins, mas ainda os consi- deravam irmaos ~ “que devemos fazer?” Elas tomaram a iniciativa. 38 A resposta de Kefa, Abandonem o pecado, voltem para Deus. Seis palavras em portugués para traduzir uma tinica palavra em grego, “metanoésa- te’, que significa “arrependam-se’ e expressa 0 conceito hebraico de tshuvah (veja Mt 3:2N). Cada um de vocés seja imerso (ou “batizados", veja Mt 3:1N) pela autoridade de Yeshua, o Messias, (literalmente, “sobre 0 nome (onoma, no grego) de Yeshua, o Mesias”). A ordem é para absorver ¢ aceilar inteiramente a obra, poder, autoridade e pessoa de Yeshua, 0 Messias; quanto a “onoma’ veja 3:16N, Mt 28:19N, 40 Desta geracdo perversa. Yeshua os chamou de impios ¢ adulteros (Mt 16:4). Agora Kefa os chaina de perversus. pois. emiburd teubain vistu € vu- vido Yeshna, a matoria deles a rejettan. Algnns tinham até mesmo atribuido algumas obras do Messias a Satanas (Mt 12:2/-32), que é o maximo da perversao aque se pode alcancar. que isso se deu com a destruicdo do Templo, junto com o massacre de ‘98 deles, realizado pelos romanos em 66-70 E.C., cumprindo, pelo me- artey 0 texto de Le 21:20-24 (veja notas ali). @5 mil pessoas. Alguns acham falta de espiritualidade, ou no mi sitado, registrar as estatisticas de quantas pessoas passaram a Atos 255 crer em Yeshua e que se uniram as congregacées de crentes. Deus pensa dife- rente. No livro de Atos, Lucas delineia o crescimento da comunidade messiani- ca desde quando era composta de 120 pessoas (1:14) até atingir 3.120 (nessa passagem). “Perto de cinco mil", sem contar mulheres e criangas, foram acres- centados logo depois disso (4:4&N). Cerca de vinte anos depois havia “muitas dezcnas de milhares... entre os habitantes de Y'hudah’, contados apenas os de Yerushalayim (21:208N). Além dessas estatisticas, lemos que “o Senhor thes acrescentava os que eram salvos" (v. 47), “o numero de talmidim estava crescen- do’ (6:1), "o mimero de talmidim crescia rapidamente em Yerushalayim” (6:7), “seu mimero era multiplicado” (9.31), € "umm grande ndmere de pessoas con- fiou e se voltou para o Senhor” (11:21). Além disso, Lucas observa importantes subgrupos: “um grande numero de kohanim tornou-se obediente a fe" (6:7), “alguns... dos que chegaram a confiar eram do partido dos p'rushim’ (15:5). Esses dados indicam que 0 evangelismo judeu inicial fo bem-sucedido. um verdadeiro “movimento do povo” surgiu, no qual centenas de milhares de judeus vieram a crer em Yeshua, o Messias judeu (veja At 21:208N). Isso perma- neceu assim até o encerramento do livro de Atos (28:24-25&N). 42-47 Esse quadro da comunidade messianica, que recebeu poder do Espi ‘rito Santo e foi obediente a Deus, permanece como modelo para seu povo hoje. » 42 O ensino dos emissarios. 0 termo grego didaché significa tanto o ato de ensinar quanto a doutrina ensinada. Uma vez que Tord tambem significa “ensino”, a expressao pode ser traduzida por “a Tord dos emissarios" (embora 0 NT} normalmente reserve a palavra “Tord” para traduzir a palavra grega nomos (lel) quando esta se refere 4 Lei de Moisés). Na mente do judeus, a Tord nao é algo morto, eternamente fixe, mas 1m ensine viva a ser aplicado a Juz das cir cunstancias da vida dos individuos. E 0 que Deuteronémio 17:8-13 implica, que da aos "kohanim, aos L'vi'im e ao juiz que vivera naqueles dias” o direito de “declarar-Ihes a sentenca do julgamento”. Essa passagem é o fundamento biblico central para a afirmativa judaica de que existe algo semelhante a Tord Oral, além da que esta escrita. In felizmente, o que é accito no judaismo tradicional como a Tord Oral_0 Mishna, 0 Gemara e as discussdes rabinicas e julgamentos juridicos desde entio ~ nao levam em consideragéo a exposicao que Yeshua fez da Tord (Mt 5:17&N, 1Co 9:214N, GI 6:2&N), 0 ensino dos emissarios - cuja autoridade nesta questao vem do proprio Messias (MU 18. 18-2080) ~ nem a exposicao feita do Novo Tes: tamento, que foi "dado como Tord” (JM 8:68N). Essa @ a primeira vez que 0 Novo Testamento retrata os emissarios enst- nando, transmitindo a verdadeira Tord sh’be‘al peh (Tord Oral). Por que somente agora? Porque so agora eles foram cheios do Ruach HaKodesh, capazes de ter a mente do Messias (1Co 2:16), de lembrar tudo o que Yeshua Ihes tinha dito (Yn 14:26) e de ser guiados a toda a verdade (Yn 16:13). Aquilo que o judaismo tradicional chama de Tord Oral certamente poder ser explorado como uma mina que abriga um tesouro de verdades (Mt 13:52&N). Mas tal como se apresenta, a Tord Oral nao pode estar investida de autoridade, pois seus autores e exposito- res ignoraram a vinda do Messias. Ignoraram também suas interpretagdes e as interpretacées feitas por aqueles que ele designou, assim como o proprio Novo Testamento, que constitui um quarto da Palavra de Deus que esta escrita. A comunhdo (do grego koindnia: ‘comunidade, comunalidade, comu- nhao") inclui dois elementos. Cada um deles estimula o outro, como se explica 256 Atos adiante: (1) aprofundando a amizade, ¢ (2) desenvolvendo visdo, objctivos ¢ prioridades em comum. O partir do pao. Muitos cristéos supdem que isso se refere a “tomar a cela” e ém.a tdéia de crentes primittvos encontrando-se nas casas (Vv. 46) para comer um pequeno pedaco de pao e beber uma porcdo simbdlica de vinho ou de suco de uva, assim como os cristéos de hoje fazem nas igrejas. No entanto, 9 contexto n&o ¢ o do cristianismo do século XXI, mas o judaismo do primeiro século. Para os judeus daquela época ¢ para os de hoje. a comunhao é mediada por refeigdes. Dizer que os judeus messianicns partiam o pan 6 afirmar nada mais, nada menos, que eles faziam as refeicoes juntos. £ preciso captar o significado que comer junto tem. Antes de mais nada, quando € possivel, os judcus rcligiosos comecam a refeicao com pao e recitam 0 b’rakhah (citado em 27:358N, e veja Mt 9:8N). Entao tiram um pedaco do pao € 0 comem, para que a béngdo de Deus, especifica para proviséo do pao para comer, nia tenha sido recitada em vao. Yeshua conhecia e observava essa pratica, mas ele também deu outro sentido ao ato de partir o pao. Ao partir 0 matzd na ultima ceia, cle disse: “Isto | € meu corpo, que é dado por vocés; facam isto em memoria de mim" (Le 22:19: compare com 1Co 11.24). Fica Claro que essa praliva lornou-se parte da “Tord dos emissarios", de forma que os crenres primitivos deveriam rememorar a’ morte de Yeshua por eles quando comecassem a refeicdo - embora alguns nao tivessem atingido esse padrao (1Co 11:20-34). Entdo, depois disso, toda a refi do deveria scr dedicada a comunhao, a “ceia" no sentido comum do termo (veja ‘omunhao”, discutida anteriormente), nao no sentido tecnicamente cristao (pe- daco de pio e calice de vinho) Mas a comunhdo nao deveria ser uma mera socializacao que nao leva Deus em consideracao. Considere esse trecho do Mishna: “O rabino El'azar ben‘Azaryah [séculos I e I] E.C. disse. *...se nado houver refeigdu nao ha [estudo da] Tord, @ se no houver [estudo da] Tord nao ha refeicao'.” (Avot 3:17) Maiménides explica que um elemento auxilia a plena expressio do ou tro elemento, € 0 completa (Commentary on Pirkey-Avot, ad loc.). Em outras palavras, se alguém fica preocupado cum us estudos religiosus e ignora a interacdo social comum, 0 estudo Individual traz poucos beneficios para a sociedade. Mas, inversamente, se no momento principal da socializagao — a reteicao - ignoram-se as coisas de Deus, é sinal de que a verdade religiosa nao penctrou a fundo na vida do individuo. Yeshua, ao identificar-se com 0 pao, poe o foco da refeigau subre si mesiu © tuna possivel 4 reelaburayao da epigrama do rabino Fl'azar: se nan ha inreracan cam outros cristans, a identificagao com Yeshua e 0 estudo da Jord de Deus ficam incompletos. Mas, se 0 momento de interacdo com outros crentes nao estiver relacionado coma athorte de Yeshua por nés, nem com o encorajamento mituo para viver a vida 17:34 no Apéndice, p. 931 voragées, tanto as oracdes judaicas mandatorias, como em 3:1 (adian- to’nos thomentos em que se derrama espontaneamente o coraciio dian- mo em 4:24 30. Veja nota nas duas passagens. itos dos primeiros crentes tinham vindo de outros paises ¢ nao fados para comecar uma nova vida em Yerushalayim. Imediata- Atos --——_______ 257 mente os irmaos que possuiam propriedades e recursos identificaram a neces- sidade de cuidar de scus novos irmaos c irmas no Messias. Certamente esses versiculos ensinam o desapego as posses, o altruismo e a hospitalidade como tracos a serem cultivados em todo lugar e oportunidade, mas ndo creio que re- presentem um selo especial da aprovacao de Deus, seja a vida em comum como estilo de vida, seja ao socialisme com politica. 46 De modo continuo... no patio do Templo. Eles continuaram sendo judeus. 47 Tendo 0 respeito de todas as pessoas. Fles nao foram excluidos da comunidade judaica. 0 Senhor Ihes acrescentava os que eram salvos. Esse é 0 climax do quadro descrito nos wy. 42-47. Por causa da obediéncia a Tord possibilitada pelo Espirito Santo (ou seja, a Tord tal como exposta pelos emissarios), Deus abencoou a comunidade messianica com grande acréscimo de pessoas verda- deiramente salvas, todas elas de origem judaica. Essa comunidade relevante e ,fe crescimento veloz, composta por pessoas que honravam Yeshua, 0 Messias, ‘“e que acreditavam no evangelho, nao ¢ descrita como uma “igreja crista” aliena- ida, mas um movimento dentro do judaismo; os primeiros gentios sem “ligacdo * judaica” prévia so se unem a comunidade messianica no capitulo 10, “ Capiruna 3 1 Certo dia, as trés da tarde, a hora da oracoes de minchah. 0 texto grego diz literalmente “E Kefa e Yochanan subiram ao Templo na hora da oracdo, na hora nona’. Nas contas romanas, 0 dia comegava no nascer do sol; portanto, a “hora nona" era cerca de trés da tarde. De acordo com uma fonte talmédica (B'rakhot 26b), os trés cultos de oracéo foram instituidos depois da destruicao do Primeiro Templo para substituir os sacrificios (veja Daniel 6:11 para um constume equivalente durante 0 exilio na BabilOnia). Os Wes Cultus sau denominados Shacharit (manha), minchah (“tarde"; a palavra significa “dadiva, oferta”) © Mu‘ariv (noite). 2 Porta chamada Formosa. A palavra hebraica para “formosa, bela” “yafeh", e qualquer turista pode entrar na Antiga Cidade de Jerusalém pela “Por- ta de Jaffa’; € o fim da estrada que vem do porto de Yafo (Jatta, Jope), no litoral sul de Tel Aviv, assim chamada por sua beleza. A porta a qual 0 texto se refere pode ser a Porta Nikanor, mencionada na Mishna (Middot 2:3), que saia do patio dos gentios e se estendia até o patio das mulheres no Templo. 11 Colunata de Sh'lomoh. Veja Yn 10:23N. 12 Uma reacao pessoal: 0 inicio do discurso de Kefa é tao judaico! A multidao acabara de testemunhar um milagre inacreditavel e ele pergunta, sem alterar sua expressao: “Por que vocés estao tao admirados?” 13 O Deus de Avraham, Yitz'chak e Ya‘akov, o Deus de nossos pais. Essa frase nao aparece por acidente no discurso de Kefa. Sao duas par tes que constam do primeiro paragrafo da ‘Amidah, a secdo central do culto de ora¢ao minchah (veja v. 1N), que comeca com: “Louvado sejas tu, Adonai 258 Atos nosso Deus e Mens de nossos pais, Deus de Avraham, Deus de Yitz'chak e Deus de Ya'akov,...’, 0 que seus ouvintes teriam acahado de recitar las UraGes min- chah nas minyans em todas as dependéncias do templo, bea parte das quais ainda hoje se fazem no muro ocidental (muro das lamentagoes) na Cidade Aatiga de Jerusalém Oargumento de Kefa, o mesmo Deus para quem vocé acabou de orar com essas palavras glorificou seu servo Yeshua. Av usa « palavra “servo”, Kefa identifica Yeshua com o servo sofredor de Deus mencionada em Isaias 42-53 Ele faz a mesma identificago em Ike 2:21-25 ao citar Isaias 53. 16 No nome nado é uma expressdo magica. O termo grego onoma cor responde ao hebraico shem que, biblicamente, significa mais do que um nome: significa tudo o que 0 individuo chamado pelo name 6 e representa — sua obra, personalidade, poder, autoridade e reputacao. Veja 2:38N, Mt 28:19N Confianca, do grego pistis: “crenga, confianga firme, conviccao firme, £6", que corresponde ao hebraico emunah. O filésofo judeu Martin Buber, embora tenha honrado Yeshua como seu “irima0 mais velho", tentou demonstrar no li vro lwo Jypes of Faith [Dois tipas de f4] que a pistis no Novo Testamento @ a emunah do Tanakh sio diferentes. Ele afirmou que a pistis é principamente um assentimento mental a doutrinas e fatos, enquanto a emunah é uma atitude do curacao de confianca que se expressa em atos de justica. Entretanto, é fato que somenre esta ultima representa o tipo de confianca que Deus honra, tanto no Antigo quanto no Novo Testamento. A natureza da f€ messianica verdadeira nao é diferente da fé do fanakh; significa reconhecer quem Deus é e aquilu gue ele fez, crer cm suas promessas, depender dele para obter o poder de viver uma vida santa para, entao, viver essa vida. O Novo Testamento Iudaico normalmente usa a palavra “confianca’ em vez de “fa” para rraduzir “pistis’, porque “confianga” tem um significado mais claro para os falantes do portugués. Significa a dependéncia confiante em Deus que gera agées santas, em oposi¢ao ao mero assentimento mental a fatos ¢ idéias. O livro de Galatas usa a desajeitada expressdo “fidelidade confiante’, puis a mensagem desse livro mostra grande dependéncia de manter no pri- meiro plano da consciéncia v significado correto de “pistis" (veja Seg&o (1) de Gl 2:16). 17-18 Depois de incriminar seus compatriotas judeus nos wv. 13-15 (veja 2:22-234N, 2:36&N), Kefa novamente os chama de irmaes (como o faz em 2:29; veja também 2:37-416N) e atenua suas palavras: vocés nao entenderam o significado do que fazlam. Na Tord, a expiacav so vale para pecados cometi- dos sem intenc&o; para os: pecados cometidas inrencionalmente ndo ha exvie~ ao (veja Numeros 15:22 31, Levitico 4-5). Ate mesmo os kohanim e os p'rushim envolvidos nos eventos que culminaram na exccugio de Yeshua podem ser sal- Vos se confiarent et Yeshua, e alguns aproveitaram a oportunidade (6:7, 15:5). “Gompare também cam 7°60 e Lc 23:34 “Fs Uma segunda almofada para amortecer o impacto: foi assim que Deus iu o que tinha anunciado de antemao. A morte do Messias nao é 0 ‘toda esperanca; ao contrario, Deus planejou sua morte, ressurreicao ¢ Veja 2.22-238N. sus. (,.) tinha anunciado (...) por meio de todos 0s profetas (...) is haveria de morrer. Sem especificar ay passagens do Tanakh, iat *Gtivisua audiéncia j& esta ciente das passagens relevantes @ que Atos ——_____________ 259 concordam que elas se aplicam a morte do Messias: caso contrario, a essa altura ele ja teria perdido contato com a audiéncia. Veja Mt 26:24N para uma lista com essas profecias do Tanakh e o cumprimento delas no Novo Testamento, 19 Arrependamrse (...) e voltem-se para Deus, literalmente, “mudem de idéia ¢ voltem sc”. A ARA (tradugao de Joao Ferrcira de Almeida revista e atualiza- da) traz “arrependei-vos ¢ convertei-vos", mas, para o leitor de hoje, isso sugere mudar de religiao, exemplo, do judaismo para o cristianismo, que é um assunto di- ferente do qual Kefa esta tratando. Pois naquele tempo 0 “cristianismo” nao existia: havia judaisime com Yeshua ¢ judaismo sem Yeshua (a mesma escolha, junio com a possiblidade de rejeitar ambas, esta diante dos judeus de hoje). 20 Tempos de alivio, ou seja, a era messianica. Compare o Mishna O rabino Ya'akov costumava dizer: "E melhor uma hora de arrependimen- to e boas obras nesse mundo do que a vida inteira no mundo que ha de vir; e é melhor uma hora de satisfacao (korat-ruach, “refrescar o espirito") & no mundo que ha de vir do que toda a vida nesse mundo." (Avot 4.17) Nesses “tempos de alivio” a autonomia sera devolvida a Israel (veja 1:6- +” 8&NN), 0 Messias, designado de anteméo, a saber, Yeshua, voltara. A audién- cia de Kefa, assim como os judeus ortodoxos de hoje, esperava um Messias para . 0 futuro. Kefa afirma que o proprio Messias que eles esperavam revelaria ser Yeshua, ¢ ele prossegue nos versiculos seguintes, explicando por que ele nao vem de uma vez por todas. 21 Ele deve permanecer no céu 4 destra de Deus (Salmo 110:1, citado anteriormente em 2:35) até a chegada do tempo para a restauracao de todas as coisas, tanto em termos sociais quanto naturais (isaias 11:1-12, Rm 8:18- 23), quando Yeshua vira sobre as nuvens do céu (Daniel 7:13-14). Yeshua fez a mesma afirmagdo pelo menos duas vezes, citando Daniel (Mt 24:30, 26:64). 22-23 A mesma passagem - Deuteronémio 18:15-19 - também é citada no sermao de Estévao, em 7:37. Os p'rushim perguntaram a Yochanan, o Imer- sor, se ele era “o profeta" predito nessa passagem (Yn 1:21&N). Os cinco mil que Yeshua tinha alimentado se perguntaram a mesma coisa (Yn 6:14@N), assim como o fez a multidau para a qual ele ofereceu agua viva (Yn 7:40). Fica eviden- te que, naquele tempo, essa passagem dos Cinco Livros de Moises era interpre- tada como um anUnclo messiénico, ¢ 0 povo esperava por seu cumprimento. Mas na literatura rabinica posterior essa passagem da Tord é minimizada em diversos exemplos do que chamo de “teologia defensiva’, que sao inter pretacées desenvolvidas especificamente para contradizer a aplicacdo dessas passagens do Novo Testamento a Yeshua. Seguem-se cinco delas: (1) O comentario de Rashi (1040-1105) afirma que a passagem quer dizer que Deus levantara um profeta no lugar de Moises, “e assim por diante, de pro- feta para profeta”. [sto é, a passagem nao se refere a apenas um unico profeta que vira, mas de muitos profetas do Tanakh, dos quais Malaquias foi 0 ultimo. (2) 0 Midrash Rabbah, compilado entre os séculos VI e XIl, ndo faz nenhu- ma referéncia a essa passagem. Assim, o siléncio nao atica a curiosidade. (3) No Talmud (século V) ha um paragrafo interessante (Yevamot 90b) que © aplica aos profetas em geral, a fim de provar que poderiam revogar um man 260 Atos damento da Tord se a necessidade fosse suficientemente grande ~ usando como exemplu u Templu Coustiuide por Elias no monte Carmelo, perto do que hoje ¢ a regiao de Haifa, e nao em Jerusalém, onde Deus autorizou a construcao, a fim de livrar Israel da idolatria (1 Reis 18°31S8.). (4) E tipico de nossa época um comentario popular sobre a Tord, escrito pelo antigo rabino da Inglaterra, Dr, J. H. Hertz, que faz a seguinte afirmacao a respeito da expressdo “semelhante a mim”: “Nao do mesmo calibre de Moisés, mas da linhagem dos profelas, dos quais Moisés € 0 ‘pai’." Como evidéncia, ele cita Deuterondmio 34:10: “E naa se levanton em Israel profeta semelhante a Moisés, a quem Adonai conheceu face a face.” £ evidente que esse versiculo fol escrito séculos antes de Yeshua e, portanto, é irrelevante para provar se Moises estava ou nao profetizando a respeito de Yeshua. (5) Talvez v exemplo mais Obvio e mais bem conhecido encontre-se no credo de Maiménides, do século XII, especialmente tal como sintetizado no poema Yigdal, recitado diariamente na sinagoga. Na sétima afirmacao do credo de Rambam se lé: Creiv cum fé perfeita que a profecia de Mosheh rabbenu [Moisés, nosso mesrre] ~ a paz esteja com ele ~ estava correla, ¢ que ele era o principal, entre os profetas {literalmente, “pal para os profetas’], tanto dus que 0, precederam quanto dos que surgiram depois dele. O Yigdal reformula desta forma: Nao se levantou em Israel outra semelhante a Mosheh, um profeta que enxergou com clareza sua visao. Yeshua foi um “profeta semelhante a Moisés"? Sim, c além. Um profeta fala em nome de Deus, coisa que Yeshua fez; mas ele também falou na qua lidade de Deus. Fle falon aquilo que o Pai Ihe deu para falat, como todos os profetas tizeram; mas ele ¢ o Pai sao um (Yn 10:31). Masheh explicou o sistema sacrificial para a expiagdo; Yeshua foi o sacriticio detinitivo para o pecado, a ex- piacdo valida pela eternidade. Moshch estabeleccu o sistema de kohanim, junto com seu irmao Arao, que foi o primeiro cohen gadol do tabernaculo; o Yeshua ressurteto 6 0 cohen gadol no tabernaculu celestial que serviu como modelo para o tabernaculo terrestre (judeus Messianicos 7-10). Em nenhum momento Yeshua contradisse o que Mosheh disse; antes, ele aclarou e robusteceu a Tord (Mt 5:17-20&NN), fez uma aplicacdo mais direta (Mt 5:21-7:29) e, por vezes, ele mesmo era a aplicacao. Yeia também 2:42N. Vocés devem ouvi-lo em tudu vo que ele, Yeshua, o profeta semelhante Moshe, Ihes disser. Quem nao anvir esse profera, sera eliminadu du meio do povo e destruido. Mas 0 que acontece se toda a nado detxar de onvi- lo? Entéo isso sc torna o tipo de violagio da Tord cujas conseqiéncias sao as naldicdes de Deuteronémio 28:15-68 (veja Gl 3:13&N). A destruigdo do Templo a expulsdo de Jerusalém (135 E.C.) e os séculos de exilio tipificam as je$ que 0 pavo Juden sofreu, no por causa de deicidiv, nem por rejeitar éfite Yeshua, mas por violar a ordem da Tord para ouvir o profera seme- Moshi¢h, “o objetivo estabelecido pela Tora’ (Rm 1U:4&N). Mas ele ainda 0. Ele fala por meio do Tanakh e do Novo Testamento. Os que Ihe rtiam-se parte do remanescente de Israel (Rm 9-11&NN) ¢ nao sio dgimeio do povo. Atos ———-- - = 26h 24 Todos os profetas anunciaram esses dias. Veja a lista de profecias em Mt 26:24 e na Secao 7 da Introducaéo do NTJ. 25-26 Vocés sao filhos dos profetas, e estéo incluidos na alianca (..) com (...) Avraham. O argumento @ que, por esse mesmo motivo, Deus enviou (...) Yeshua, 0 Messias, primeiramente a vocés. O evangelho é “[para a salvacao] primeiro do judeu” (Rm 1:16, ARA). E é com o evangelho de Yeshua que a promessa do v. 25 se cumpre; pois essa promessa foi feita a Avraham & a seu filho Yitz'chak. Yeshua € ele mesmo, em um sentido midrashico, a des- cendéncia prometida que traz a béncao (G! 3:16&N). A bencao consiste no abandono pessoal dos maus caminhos. Por um lado, vocé precisa se afastar (v. 19); por outro lado, Deus é que provoca o afastamento. Compare com Lamen- tagdes 5:21: *Faz-nos voltar a ti, Adonai, e a ti tornaremos”; e veja o paragrafo 2 de 2:22-23N Diferentemente das audiéncias de hoje, que sao mais defensivas, © povo nao pareceu fazer objecdes quando ouviu que seus caminhos eram maus; aparentemente, eles aceitaram a avaliacdo de Kefa e continuam a ouvir Kefa e Yochanan (4:1). CarituLo 4 1-2 Kohanim. Veja Mt 2:4N. Tz'dukim, “saduceus', que negavam a dou- trina da ressureic¢éo dos mortos. Veja Mt 3:7N, 22:31-328N 4 0 mimero dos homens (andrén do grego, *homens’, por exemplo, no era o niimero de mulheres) chegava perto de cinco mil, Uma vez que Kefa estava se dirigindo a homens, nao a mulheres, que naquele momento es: tavam fazendo a oragao de minchah (3:1&N), isso parece significar que cinco mil homens passaram a crer em Yeshua em conseqiiéncia de seu sermao. Uma interpretacdo menos provavel € que, naquele momento, o niimero de homens ha comunidade messianica totalizava cinco mil, incluindo os que Ja tinham adotado a fé. En qualquer caso, uinham sido acrescentadas mulheres € crian cas, milhares delas. Veja 2:41N. 5 Autoridades do povo, os ancidos e os mestres da Tora, (veja Mt 2:4N), OU seja, 0 Sanhedrin (veja Mt 5:22N). 6 Quanto a Anan e sua familia, veja Yn 18:13&N. 11 Em Mt 21:42, Yeshua também citou o Salmo 118:22. 12 Nao ha salvacdo em ninguém mais! Pois nao existe outro nome, debaixo do céu, dado a humanidade pelo qual devamos ser salvos! Como em 2:36 (veja nota ali), esse versiculo contradiz a teoria das Duas Aliancas. Essa teoria prope que os judeus nao precisam de Yeshua para ser salvos, pois ja estao "com 0 pai” mediante a alianca com Abrado (Yn 14:6N). £ verdade que a alianca com Abraao assegura um lugar de destaque para o povo judeu como nacao, e existem promessas grandiosas e valiosas associadas com essa alianga (veja a discussao que Sha’ul faz do assunta em Romanos 4, 9-11: Galatas 3-4: @ notas nos capitulos). Mas isso nao garante a salvacao para cada individuo judeu; isso nao estd contemplado nos termos da alianga. Kefa, que esta se di- Tigindo aos judeus e nao aos gentios, ¢ fala inspirado pelo Espirito Santo de 262 ——__—____~ [SO eel Deus (v. 8). afirma que Yeshua € a Unica pessoa por quem nés (o povo judeu, Individual e coletivamenrte) devemas (nao ha nenhuma alternativa) ser salvos (da destruicao eterna e do furor de Deus por causa de nossos pecados). E se nao ha nenhuma outra salvacao para os judeus, que ja possuem as promessas ma ravilhosas feitas por Deus, muito menos havera outra salvacao para os gentios (Mt 6:30N). Alem dissu, uma vez que esta falandu avs lideres da navav judia, pode também estar afirmando que a salvagao nacional pode acontecer apenas por meio de Yeshua. Veja Mt 23:37-39&N, Rm 11:23-29&NN, 2 Co 1:20&N. 13 Percebendo a ousadia de Kefa e de Yochanan... ficaram admi rads, Esses “caipiras” da Galil (veja 0 pardgrafo seguinte) ousaram dirigirse a0 niicleo dos lideres tnstiructonats e dizer-Ihes que estavam erradas! Fol 4 operagao do Kuach HaKedesh que lhes concedeu tamanha ousadia (veja wv. 23- 31&NN), e ele faz o mesmo hoje ‘am-ha’aretz sem instrucao, literalmente, “povo da terra”, pessoas co muns, sem educacao formal na Biblia e nas tradigées dos p'rushim nem dos r7'dukim (juntos, eles compunham o Sanhedrin). 0 povo judeu sempre teve & educagao em alta estima, e “educacao” queria dizer principalmente educacio nos assuntos religiosos. Assim, garante-se que um “am-ha‘aretz sem instruao” seria origindrio das classes sociais mais humildes, ¢ pouco se esperaria deles. Os membros do Sanhedrin identificariam com facilidade esses galileus, por cau: sa du solaque interivrano, como pessvas que dificilimente seriam portadoras da verdade religiosa. (Lembro-me da minha juventude quando os norte-amer! canos ficavam surpresos quando uma pessoa com sotaque sulista se mostrava alguém cstudado). Mas a falta de escolaridade dos galilcus nao cra obstaculo para a verdade de sua mensagem: ha sabios sem educacao formal e ha tolos com educacao formal. Para mais detalhes. veja Yn 7.15&N. As vezes os judens messianicos sdo desprezados pela comunidade judal- ca, como se nao tivessem formacao no judaismo. “Se vocé tivesse recebido uma boa educagdo judaica, nao acreditaria nessas bobagens a respeito de Jesus.” A semelhanca de outros judeus, alguns judeus messianicos receberam educacéo judaica, ¢ outros nao. Mas decidir se Yeshua € 0 Messias nao € uma questao tao obscura que exija uma educacdo judaica rigorosa. O Tanakh estabelece alguns critérias que 0 Messias deve satisfazer, e 0 Novo Testamenta demonstra que Yeshua ja satistez alguns destes e promete que, quando voltar, satisfara os cri térios restantes (veja Secdio 7 da Introdugdo do NT)). Além disso, nao importa quanto de educacaéo um judeu possa ter, nao seria suficiente para mudar sua opiniao casv esteja determinady a rejeitar Yeshua. Por exempia, Dantel Zion foi a mais importante rabino da Bulgaria entre 1928 e 1948, Ele escreveu mais de vinte livros, incluindo a primeira traducao do Siddur (0 livro de oragio judaico) para o biilgaro. Em algum momento na década de 1930, ele passou a crer em Yeshua, 0 Messias (veja 9:4N). Quando er quis deportar os judeus da Bulgdtia para os campos de exterminio na je Guerra Mundial, um registro proporcionalmente mais elevado do que ido em.qualquer outro pais ~ com exce¢ao da Dinamarca: a comunidade Atos 263 ele realizava os cultos matutinos regularmente, e ensinava o Novo Testamento ei casa a tarde. Ele manteve o respeito 4 comunidade judeo-builgara em Isra- el, mesmo sendo sua fé em Yeshua bem conhecida. Eu 0 conheci em 1974; ele morreu em 1979, com 96 anos. Como aqueles que depreciam os judeus messi- Anicos, chamando-os de ‘am-ha‘aretz, explicam a proclamacao aberta e ousada que rav Daniel fazia de Yeshua como 0 Mashtach de Israel? Dirao que ele nao tinha “educacao judaica suficiente” para tomar uma decisao refletida? Veja Mt 13:528N. Para mais intormacées a respeito de rav Damel, consulte o livro de Joseph Shulam: “Rabbi Daniel Zion, Chief Rabbi of Bulgaria Jews During World War Il,” no Mishkan #15 (1991), P.O. Box 116, Jerusalém, p. 53-57. 16-17 Como Lucas péde saber o que aconteceu a portas fechadas? Sa- bemos que Yosef de Ramatayim era crente e membro do Sanhedrin (Mc 15:43) Nakdimon, também um crente no assumido, provavelmente era outro membro do Sanhedrin (Yn 7:50). Nas pesquisas que conduziu (Le 1:3), Lucas os teria consultado, ou consultado outros membros do Sanhedrin que posteriormente abracaram a fé. 19 Julguem entre si mesmos se é correto aos olhos de Deus dar ‘aten¢ao ao que vocés dizem ou a Deus. Também em 5:29: “Devemos obe- * decer a Deus, e nao aos homens.” Esses versiculos canstituem-se em um fun- damento solido para a desobediéncia civil em um estado impio, mas ndo ha snénhuma racionalizagdo para 0 comportamento ilegal que nasce do egoismo. 24 Por qual motivo, no come¢o da ora¢do, os judeus messidnicos menci nam para Deus que ele fez o céu, a terra, o mar e tudo o que neles ha? Nao somente porque é inutil para meros humanos lutar contra Deus (wv. 25 28), mas porque os talmidim estéo orando para que Deus soberanamente dé aos “escra- vos" du Messias u poder para “anunciarem a mensagem [de Deus} com ousadia” (vv, 29-31). De maneira semelhante, no Siddur, uma oracao matutina pedindo a Deus 0 reagrupamento do povo judeu que esta nos quatrv cantus do mundo, faz alusao a mesma passagem de Salmo 146:6, pois isso claramente exige 0 po- der soberano de Veus para acontecer (edicao de Hertz, p. 30-31). Mas adiante, em 14:15, a passagem ¢ empregada de maneira diferente, para desviar 0s pa- gAos dos idolos feitos por maos humanas e conduzi-los ao Criador de tudo. 25-26 0 livra de Atos cita o grego da Septuaginta. © hebraico do Salmo 2:1-2 se Ié assim: Por que as nacées ficam alvorocadas? E por que os povos murmuram em vao? Os reis da terra se levantam E 08 governantes se juntam em conselho Contra Adonai e contra seu Messias [ou e contra seu ungido]. Os escritos frequentemente chamam aten¢ao para um texto citando seu inicio; portanto, 0 leitor deve compreender que a oragao do crente citada nos wv. 24-30 esta permeada por todo o Salmo 2, nao apenas por seus versiculos iniciais. Tantos 0s expositores judeus quanto 0s cristdos tém tratado 0 Salmo 2 como um Salmo messianico. No entanto, Rashi, o maior dos comentaristas judeus, afirma: 264 Atos Nossos rahinos o explicam dizenda que se relaciana com o rel Messias; mas, de acordo com seu significado evidente, é apropriado interpretar a pas- sagem fazendo a ligacao com David, a luz da expressao ‘E quando os filisteus ouviram que David tinha sido ungido rei sobre Israel, todos os filisteus subiram para buscar a David’ (2 Samuel 5:17). No entanto, mesmo que o sentido evidente (pShat, Mt 2:15N) realmente se refira a David, os escritos biblicos e os eventos da historia da salvacao nor- malmente possuem um significado mais profundo, que é esclarecido somente quando a histéria sc beneficia do que ja foi revclado, 0 tema do Salmo 2 é que, embora os homens possam fazer planos de acordo seus proprios propésitos. é Deus quem define 0 curso dos acontecimentos. F por isso que os talmidim se dirigiam a Deus como “Mestre” (v. 24), e se recordavam em oracao que ele crioti terra, céu, mar e todas as criaturas viventes. Isso traz a seguranca necessaria de que, a despeito das adverténcias ¢ da oposigio do Sanhedrin (v. 17), Deus vindicard seu Mesias e aqueles que proclamam sua mensagem. A oracdo é res pondida imediatamente (v, 31). 27 Herodes Antipas, filho de Herodes, o Grande (Mt 2:1-22, Le 1:5). Go- vernante de Galil. Veja também Mt 14:1-12&NN, Me 6;14-29, 8:15; Le 3:1,19-20; 8:3, 9:7-9, 23:7-15; At 13:1. Péncio Pilatos, procurador da Judéia (Mt 27:2N) é, junto com Herodes, identificado por desempenhar um papel especifico na morte de Yeshua (veja Mt 27:16-24N). Goyim, “nacées, pagaos, nao-judeus"; veja 5:47N. No texto hebraico do Salmo 21 (vv. 25-26N) a palavra traduzida por “nacdes" é “goyim’. 0 povo de Yisra’el. Nessa passagem, 0 povo de Israel e os “goyim repre~ sentam toda a humanidade, que estava unida contra (...) Yeshua. Servo. Voja 3:13N A quem constituiste Messias ou, literalmente, “a quem vocés ungiram" (do grego on echrisas). Mas nessa passagem refere se ao Salmo 2 ¢ mostra, ase melhanga do resto do v. 27, o cumprimento de suas profecias (veja vv. 25-26N). Veja MU L:1N a respeito do “Mesias”, 31 Todos ficaram cheios do Ruach HaKodesh. Alguns deles ficaram cheios antes (2:4), mas Ef 5:18 instrui os cristios a estarem continuamente cheios do Espirito Santo. Anunciaram a mensagem de Deus com ousadia. Esse é um sinal se- guro de estar cheio do Espirito Santo (compare com vy. 8. 13&N), € € também o propésito de ficar cheio do Espirito (1:8) 33 Eles eram tidos em alta conta pelos judeus ndo-cristdos, assim como cm At 2:47. Apesar disso, ter grande considcragio pclos crentes nao é suficiente para salvar os ndo-crentes. Ou, dizendo a mesma coisa usando as palavras do ex-primeiro ministro de Israel, Menachem Begin, “Ha una grande iiferenca entre ohter uma boa impressan e adatar a visa carrera’ (The Revolt, a quem os emissarios chamavam Bar-Nabba (que signi- for”). “O exortador” é a traducao da expressao grega ios pa- ode significar "filho do conselho", “filho do consolo”, “tilho da —- Atos 265 exortacdo”, “filho do encorajamento”. 0 aramaico bar (filho, fiho de) normal- mente tem esse sentido: “aquele que possui a qualidade de” (veja Mt 1:1N). A palavra “nabba” aparentemente esta relacionada 4 raiz hebraica “profeta’, e © profeta é aquele que aconselha, consola, exorta e encoraja. Aparentemente Yosef estava sempre consolando e exortando seus colegas talmidim, por isso vs eniviadus deraim-Ihe esse apelido. Ele se torna uma figura proeminente nos capitulos 9-15. Carituta 5 1-2 0 pecado de Hananyah e Shappirah nao foi o de terem guardado parte do valor da venda para si mesmos, mas 0 de tentar criar a impressao de que deram tudo (v. 4). 3-4, O Adversario, Satands. Veja Mt 4:1N Se vocé mentir ao Ruach HaKodesh... vocé (...) mentiu (...) a Deus. ‘Assim, o Espirito Santo é igualado a Deus. 5 As vezes se apresenta como uma doutrina crista uma heresia do sécu Ho Ii proposta por Marciao. Segundo ele, o Novo Testamento prega um Deus de * amor que é superior, enquanto o Deus do Antigo Testamento é uma divindade inferior que se preocupa com julgamento, ira, justiga e que executa os deta- _. ies da Lei. Nesse incidente ¢ nas vv. 10-11 vemos que o Novo Testamento, até onde ele se manifesta a respeito da justica e do julgamento, é equivalen- te ao Tanakh. Deus é Um. Ele nao pode tolerar 0 pecado. Fraude é pecada & recebe punicao. As vezes a punicao pelo pecado é adiada, mas nesse caso 0 julgamento imediato mostra a todos que Deus é real e leva a sério essas coisas (compare com 1Co 5:5, embora o contexto seja diferente). 0 amor no Novo Testamento nao é scntimento c sim agdo, como o judaismo sempre ensinou. “Filhos, néo amemos de palavra nem de boca, mas com a¢ées e em verdade' (Yn 3:18). 15-16 O que sua comy golpe de um charlatéo aos ouvidos modernos, foi algo que refletiu f@ genuina e foi recompensada pelo sucesso de uma cura completa. Deus opera curas milagrosas hoje? Algumas pessuas supdem que todos os ministérios de cura s4o conduzidos por embusteiros que vao atras de dinheiro faci!. Mas até mesmo os médicos, que nao acreditam em Deus ou em milagres, atestarao curas extraordinarias e inexplicaveis nas quais nao tém cré- dito algum. Eles concordam que 0 rotulo “psicossomatico” nao chega ao ponto de explicar tais curas. Em outras palavras: sim, Deus ainda cura. 27-39 Na época de Herodes Agripa, apenas trés dos setenta membros do Sanhedrin nao eram tz'dukim. Portanto, ao oprimir 0 evangelho, 0 Sanhedrin o estava julgando com dois critérios dos saduceus: (1) 0 evangelho proclamava a ressurreicao, coisa que os tz'dukim rejeitavam:; (2) o evangelho proclamava “ou tro rei, Yeshua” (17:7). coisa que, se fosse verdade (compare com Yn 18:33-38), seria politicamente subversivo e destruiria o relacionamente confortavel que os saduceus mantinham com os romanos dominantes. 0 evangelho é politico de duas outras maneiras - diz para amar seus Inimigo e pagar 0 mal com o bem, e ir A guerra (mas nZo com armas carnais ~ 2Co 10:3-5; nossos adversarios nao so pessoas, ¢ sim deménios ~ Ef 6:10-17) 266 Atos 28-29 Neste nome... a morte desse homem. O nome de Yeshua nao € mencionado em uma citacao direta do cohen hagadol. Hoje em dia alguns judeus ortodoxos recusam-se a falar os nomes “Yeshua”, “Jesus" ou mesmo “Yeshu", mas dizer apenas “ayuele hymen”. Veja MU 1.21N. 29-32 Kefa nunca perde uma oportunidade de proclamar o evangetho Dessa vez ele sabe que precisa ser breve (assim como em 4:8-12), pois o Sanhe- drin nao tera paciéncia para ouvir um sermao. Mas, até mesmo para os oponen tes decididos, sua mensagem é portadora de esperanga e oferece salvacao. Devemos obedecer a Deus, e nao aos homens. Veja 4:19N. Vocés o mataram. Veja 2:22-23N. 30 Estaca. do grego xulon. que a ARA traduz por “madeiro” nessa e em outras quatro passagens (10:39, 13:29; GI 3:13; 1Ke 2:24), todas se referindo onde Yeshua ficou pendurada até morrer Yeshua nao foi pendurade em uma arvore, mas em uma stavros, comumente traduzido por “cruz” e traduzide no NT} como “estaca de execucio", como explicado em Mt 10:38N. Usa-se a pala- vra "xulon” em vez de stavros nessas cinco passagens porque todas elas citam ou fazem alusées a Deuteronémio 21:22 23, onde a palavra hebraica é "ete", normalmente traduzida na Septuaginta grega por “xulon". Tanto o hebraico ‘etz quanto o grego xulon significam “arvore, madeira, poste, bastao", dependendo do contexto. Em Deuteronémio 21:22-23, em que 0 assunto ¢ ser pendurado no madetro, um ‘etz é um pedaco de madeira no qual uma pessoa pode ser enforca: da, por exemplo, uma estaca {se houvesse forcas feitas de metal naquela epoca, lalvez fosse empregada uma palavra diferente). Se Lucas quisesse dizer arvore em vez de estaca, os gregos tinham uma palavra para isso ~ “dendron" — que po: deria ser usada, mas ele ndo a escolheu. Portanto, enquanto em Mt 26:47 ¢ em Mc 14:48 xulon significa “vara”, em Le 23:31 e em Rv 18:12 significa “madeira’, e em Rv 2:7 tem que significar "arvore’; nessa passagem significa “estaca”. Veja também Gl 3:13N € 1Ke 2:24N. 34 Gamliel (Gamaliel) |, conhecido na historia judaica por rabban Gamli'el, 0 Ancido. Ele foi o primeiro a portar o titulo de "rabban' (nosso mes tre, nosso grandioso) em vez do titulo mais comum “rabbi (meu mestre, mett gtandioso). Seu nome significa “Deus também é por mim’. Ele € "o Anciao” por ter sido o primeiro de seis Gamii'els, entre os quais Gamli’el II, seu neto, foi o mais conhecido. Gamii'el | era neto de I lillel e lider de sua escola de discipulos, Beit-Hillei (veja Mt 19:3N). Pode-se inferir do titulo “rabban’ que, a certa altura, foi o prin- Gipal lider do Sanhedrin, emboura fusse apenas um deles na época do presente versiculo. Ele era um parash (‘fariseu"; veja Mt 3:7N) e mestre da Tord (do gre- go nomodtdaskaios, “professor da lef’). Sha’ul (Paulo) de Tarso estudou a seus pés (22:3&N). A Mishna confirma que ele era muite respeitado por todo 0 povo da Tord chegou ao eparacao”, relacio- Quando o rabban Gamli’el, o Ancido, morreu, a glori ,\. fim; e a pureza e a santidade [do hebraico p'rishut, ‘al nado a parush] chegaram ao fim. (Sotah 9:15) one », Enquanto o segundo Templo ainda estava de pé, Gamli'el lancou fun- damento-para o triunfo do farisaismo sob a orientacéo do rabino Yochanan ben,7akkai, depois que o segunda Templo foi destruido. Fntre suas takkanot ATOS 267 (regulagées rabinicas que modificavam e aplicavam a Tord Escrita; literalmente, "melhoramentos, reparos”) estavam decretos que permitiam mats liberdade de movimentacao a determinados grupos no Shabat (Mishna, Rosh HaShanah 2:5), a proibicdo de um marido anular o processo de divarcio sem 0 conhecimento da esposa (Gittin 4:2), e a permissao para uma esposa casar-se novamente depois que uma testemunha (em vez de duas) testificasse a morte de seu marido (Ye- vamot 16:7). Ele tinha contato intimo com os judeus da diaspora, pois trés de suas cartas a diversas comunidades de Israel no estrangeiro estao preservadas no Talmud. O conselho de Gamli’el pedindo moderacao (vv. 35-39) foi acatado na épo- ca (vv. 39-40). mas deixado de lado sob o que foi considerado uma acao mais provocadora (7:51-58). Sua modera¢ao pode ter sido motivada por um espirito de generosidade, um desejo de proteger os fariseus da hostilidade dos sadu- ceus, ou uma sensibilidade genuina a operacdo do Espirito de Deus, mesmo que ele nao fosse crente. A literatura crista apdcrifa, valendo-se do tratamento relativamente otimista que dispensou aos judeus messianicos, relata que ele passou a crer em Yeshua, mas nao ha evidéncias independentes disso. 36 Todah (versées em portugués: “Teudas"). Nao é o Todah mencionado *por Josefo (Antiquities of the Jews 20:5:1), j4 que isso implicaria um erro du- * plo de Lucas, o historiador mcticulose. O Todah mencionado por Josefo viveu depois de Y'hudah HaG'lili (v. 37) e depois de Gamli'el. O Todah mencionado -nesse versiculo, desconhecido na historia exceto por essa atuagao, lidcrou um dos muitos levantes durante os anos que se seguiram 4 morte de Herodes, 0 Grande, em 4 E.C. 37 Yhudah HaG'ili, “judas, o galileu"; de acurdy con Josefo, ele era conhecido como Judas de Gama, que fica nas Colinas do Golan. Em razao dessa revolta, no tempo do registro para 0 pagamento do imposto aos roma- nos, que aconteceu em 6 E.C. (veja Lc 2:28N), o partido dos zelotes foi fundado (Mt 10:4N) e tornou-se uma provocagao notavel, o que levou os romanos a des- truirem Jerusalém em 66-70 E.C. Ou, como F. F. Bruce escreveu em The Acts of the Apostles [Os atos dos apéstolos|: “Gamaliel estava indevidamente otimista se estava pensando que [0 levante de Y'hudahj tinha dado em nada’ (p. 148), De acordo com Josefo (Wars of the Jews |Guerras dos judeus) 7:8:1), Yhudah HaG'lili foi avé de El'azar ben-Ya'ir, o defensor de Matzada (73 E.C.) ~ evidente- mente a familia tinha a insurreicdo no sangue. 38-39 Polemistas cristos tém se valido desses versiculos para mostrar que 0 mero fato da sobrevivéncia ¢ o crescimento da igreja sda 0 cumprimento da profecia de Gamli'el. Por outro lado, os polemistas judeus afirmam que o fato de a comunidade judaica ter sahrevivide sob pressao e perseguicao duran te dois mil anos é uma prova de que os judeus sdo 0 povo de Deus. E evidente que a mera sobrevivéncia de um povo nao prova que isso se den por causa de Deus. Mas creio que, no fundo, os dois grupos esto corretos. Pelo menos um autor cristo aplica esses versiculos ~ com um tom mi- drashico, poderia se dizer - ao judaismo messianico de hoje: £ cedo demais para avaliar plenamente o significado desse movimento crescente. A comunidade judaica inevitavelmente o enxerga como uma ameaca e, surgindo em uma época de varias espécies de inseguranca, 268 Atos gerou uma certa dose de intranqdiilidade. Algumas igrejas e grupos cris laos genlios, que normalmente daria grande apoio aos cristaus judeus, consideraram igualmente perturbador esse novo desdobramento. Alguns consideraram que o correto é atacar o novo movimento, outros o aceita ram com certa relutancia. Uma coisa € certa: nada igual a isso aconteceu desde os dias dos Atos dos Apostolos. 0 conselho de Gamaliel aos lideres do povo judeu (Atos 5) pode igualmente ser um bom conselho para os cristéos gentios de hoje: 'Se esse empreendimento for humano ele fracas. sara, mas, se for divino, vocés nao sero capazes de subverté-lo’. (Walter Barker, A Fountain Opened: A Short History of the Church’ Ministry Among the Jews [Uma fonte aberta: uma breve historia do ministério cristéo en tre os judeus}, 1809-1982, Londres: Olive Press, 1983, p. 4) Al Por causa de Yeshua, literalmente, “por causa do nome’ e, portanto, outra alternativa é "ern favor do HaShem”. HaShem (o Nome) é um eufemismo para YHVH. Outra opgdo é que "o nome” significa Yeshua nessa passagem: veja 28-298N. Veja também 3 Yn 7&N. Sofrer em favor de Deus é assunto discutido cm 7:59-60N. Carttuto 6 1 Talmidim. Veja Mt 5:1N. Judeus de lingua grega... judeus de lingua hebraica. No grego, as palavras sao “eflénist6n’ e “ebraious" (helenistas € hebraistas), e 0 significado preciso delas é tema de debate. E possivel que a énfase recaia menos na lin- guagem, ou mesmo na geografia, e mais na cultura ~ quer os judeus fossem nativos da diaspora, quer da Fretz-Israel. F mesmo que a referéncia principal seja a linguagem, alguns acreditam que o hebraico nao era uma lingua comum na época de Yeshua ¢ que o texto se refere ao aramaico, uma linguagem semita aparentada que era falada na Babilénia e aprendida por muitos judeus durante © exilia babilénico. Fmbora as duas coisas sejam possiveis, estou convencida de que o hebraico ainda era uma lingua disseminada na época do Novo Testa- mento; veja Mc $:41N. A divisao entre os judeus de lingua grega ou hebraica (ou os de cultura grega ou hebraica) data da conquista de Eretz-israel por Alexandre, o Grande, em 323 E.C. Ele e seus sucessores introduziram a lingua e a cultua gregas nos territérios sob seu dominio. Cmbora a influéncia dos helenistas tenha produ zido frutos como a Septuaginta, Filo de Alexandria e Josefo, os “hebraistas” consideravam que os “helenistas” desenvolveram um judaismo adulterado que assimilou elementos das culturas pagas que os cercavam - embora o judaismo dos falantes de hebraico também nao tenha evitado essas influéncias. A revolta dos macabeus (veja Yn 10:22N) contém elementos de conflitos intra-judaicos relacionados a essa questao. Seja como tor, grupos diferentes entre si normal: mente conseguem encontrar desculpas para depreciar o outro. 2 Servir as mesas. Entenda essa expresséo como uma metonimia: “ga- rantir que as necessidades das vitivas sejam atendidas’, ou "ocupar-se de ques- ‘tégg financeiras e administrativas’, 5 O que eles disseram agradou a todo o ajuntamentn, incluindo os que falavam hebraico, que aparentemente se juntaram para proteger os interes- ses dos que falavam grego, pois os sete indicados tinham nomes gregos. Quan. Atos) —- 269 to a “Nicolau, veja Rv 2:6N; quanto a “prosélito”, veja Mt 23:15N e as notas mencionadas naquela passagem. 6 Impuseram as maos sobre eles, conferindo os deveres e privilégios de seu cargo; veja Mt 21:23N quanto a “s’mikhah’ (a imposicao de méos). 7 Quanto ao crescimento da comunidade messianica, veja 2:41N. Um grande numero de kohanim (sacerdotes: veja Mt 2:4N) tornou-se obediente a fé. Embora a maioria dos kohanim seja apresentada no Novo Tes: tamento em oposicao a Yeshua, isso nao era valido para todos. Havia homens santos no sacerdocio, tais como Z’kharyah, 0 pai de Yochanan, o Imersor (Lk 1:5-25, 57-59). Existe a teoria de que os kohanim que passaram a crer em Yeshua nao faziam parte do establishment, mas eram os que tinham se desencantado e, por isso, tinham se unido aos essénios em Qumran. O raciocinio é que a teo- logia dos manuscritos do mar Morto é bem mais proxima do Novo Testamento do que a dos t2’dukim que controlavam o sacerdocio de Yerushalayim. Faltam ‘A teoria evidéncias no Novo Testamento para apoia-la. Além disso, uma vez que a atividade dos crentes messianicos ainda nao tinha se espalhado para outras partes da Terra além de Yerushalayim, parece mais provavel que os kohanim que obedeciam a fé naquele tempo eram os que trabalhavam em Ye~ rushalayim, em vez de sacerdotes que se retiravam para o deserto, Pois Deus pode alcan¢ar até mesmo 0 coracao dos que possuem vinculas « assaciacdes que, imagina-se, podem coloca-los na oposicao. Em At 15:5 também somos informados de p'rushim que creram, 9 Sinagoga chamada dos escravos libertos. Pessoas que possuem his- térico cultural e social semelhantes normalmente optam por adorar juntas. Os escravos libertos provavelmente eram judeus de Cirene e de Alexandria, da Cilicia e da provincia da Asia, que tinham sido capturados e escravizados pelos romanos ou por seus descendentes, O general Pompeu, que capturou Ye~ tushalayim em 63 E.C., fez prisioneiros diversos judeus e os libertou em Roma. Entretanto, pode ser que alguns tenham sido gentios que se cunverteram ao judaismo; o fendmeno do zelo proselitista é bem conhecido em todas as comu- nidades religiosas. 11 Afirmarem: “Nés 0 ouvimos falar de modo blasfemo contra Mo- sheh e contra Deus.” Qual teria sido o conteudo da alegada blasfémia? As duas possibilidades mais provaveis sao: (1) Yeshua é maior do que Mosheh (veja 3:22-23N), (2) a Tord tinha sido modificada (veja vv. 13-14&N). 13-14 Contra este lugar santo, o Templo, onde o Sanhedrin se reunia (v. 12). N6s © ouvimos dizer que Yeshua (...) destruira este lugar. Para mostrar quantas interpretacdes equivocadas podem ser levantadas, veja Le 21:5-6 e Mc 14:57-59. Nessas passagens, embora Yeshua nao tenha dito que ele pessoalmente destruiria o Templo, acertou ao prever que seria destruido. Veia também Yn 2:19-22&NN, em que Yeshua usou 0 termo “templo” metaforicamen te para se referir a seu proprio corpa, emhora tenha se pensado que ele estava se referindo a estrutura erigida por Herodes. De forma semelhante, as palavras de Estévao poderiam ser entendidas de uma maneira diferente da pretendida (veja 7:44-50). 270 Atos Contra a Tord. Em outras passagens expliquei que o judaismo messié- nico reconhece que a Jord € eterna, e que Yeshua nav a revogou (2:42N, Mt S:L7N, 12:12N, 15:2-3N). Mas 0 que fazer Com uma acusac¢ao mais especifica, a de que Estévao afirmou que Yeshua (...) mudara os costumes que Mosheh nos outorgou? I. Howard Marshall, um erudito cristo, esta certo ao afirmar que: Os costumes sem ditvida so a tradicdo Oral que fornecem a interpretacao dos escribas para a lei; considerava-se que eles tinham origem em Mol- sés, tanto quanto a lei Escrita. Um ataque 4 lei Oral era, entio, equivalen- te a atacar a lei como um todo. (Acts: An Introduction and Commentary, [Atos: uma introdugao e comentario] p. 130) As primeiras palavras de Mishna Pirkey-Avot sao: Mosheh recebeu a Tord no Sinai ¢ a entregou a Y'hoshua, ¢ Y’hoshua aos An. cidos, € os Anciaos aos Profetas; ¢ os Profetas a cntrcgaram aos Homens da Grande Sinagoga. Eles disseram trés coisas: seja ponderado ao julgar, levan- te muilos talnidim e cunstua uma cerca em volta da Tord. (Avot 1:1) A Tord mencionada nessa cita¢ao ¢ a Tord Oral; outorgada dessa manei- ra é considerada imutavel. Considera-se que até mesmo a “cerca” de regras & costumes, que os rabinos sdo instruidos a continuar levantando, com o fim de impedir que a Tord Escrita seja inadvertidamente violada, ja contém “organica- mente” 0 que Mosheh recebeu de Deus no monte Sinai Considera-se divina, com origem no Sinai, toda interpretacdo da Tora fei ta por uma autoridade reconhecida universalmente, no sentido de ser uma interpretacdo do texto original e divinamente desejada (gottgewoll- ta); pois 0 Deus onisciente e repleto de sabedoria incluiu em sua Tord revelada todas as nuangas de significado que inspiraram divinamente as interpretacées descobertas depois disso... Portanto, toda interpretagao é chamada derash, a ‘busca’ por aquilo que Deus colocou ali originalmen- tc... Toda interpretacao feita pelos estudiosos do Talmud, Moisés recebeu no monte Sinai, pois ele tinha recebido a Tord, € a interpretacdo nela con- tida, nao de forma mecanica, mas organica, assim como o fruto da arvore esta contido na semente da qual a arvore se desenvolveu (Saul Kaatz, Muendliche Lehre und Ihr Dogma, Berlin, 1923, p. 48, (al cory citadu em George Horowitz, The Spirit of the Jewish Law [0 espirito da lei judaical, Nova York: Central Book Company, 1973, p. 92). Apesar disso, ha no judaismo uma persistente escola de pensamento, € esta afirma que, quando o Messias vier, ele expord a Tord de forma mais completa e até mesmo a modificara. Seguem-se trés citagdes que tratam desse assunto, retiradas do,Midrash Rabbah, aue foi redigido entre os séculos VI e XI, mas que contém a produzido muito antes, alguns deles anteriores a Yeshua. A primeira é de is Rabbah 98:9 (sobre Génesis 49:1, “seu jumento e seu jumentinho"): Quando trata a respeito de quem est4 escrito ‘Humildemente montado ‘sgbre um jumento, sobre um jumentinho, filho de jumenta’ [Zacarias 9:9, » ‘citado em Mt 21:2-78N, Yn 12:15], ele combinara as palavras da Tord... e Atos 271 indicaré os erros que eles cometeram [na compreensao da Tordl... O rabi- no Chanin disse: ‘Israel néo precisara do ensino do rei Messias no futuro, pois diz “A ele [a raiz de Yishai] os goyim recorrerdo” (Isaias 11:10) - os gentios, ¢ nao Israel.” Se é assim, porque o Messias vira, € o que ele fara? Ele vira para ajuntar os exilados de Israel e dar-lhes trinta mitzvot. A passagem prossegue derivando o numero trinta das trinta moedas de prata de Zacarias 11:12 (citadas em Mt 26:15 ¢ 27:9). Segue-se uma discussao: os trinta mandamentos servem para os gentios ou para os judeus? Leviticus Rabbah 9:7 (sobre Levitico 7:11-12) diz que: Os rabinos Pinchas, L'vi e Yochanan afirmaram em nome do rabino Mena- chem da Galacia: ‘No Tempo da Chegada, todos os sacrificios serao aboli. dos, exceto a oferta de gratidao. Todas as oragdes serao abolidas, exceto a oracao de gratidao,” que é a oracdo proxima ao término do Shmoneh-Esreh. Veja JM 13:15- -1G&N. Eclesiastes Rabbah a respeito de Eclesiastes 11:8: "Tudo o que se sucede ge vaidade’, simplesmente afirma que: A Tord que se aprende nesse mundo ‘é vaidade' em comparacéo com a Tord do Messias, ou seja, em comparacdo com o que se aprendera quando o Messias vier e ensinar sua compreensao sobre a Jord. Sua maneira de interpretar a Tord pro- duziraé uma “mudanca" substancial na Tord eterna e imutavel. Também ¢ isso que significa a mesma cxpressido “Tord do Messias” (ARA: “lei de Cristo") quando Sha'ul a emprega (Gl 6:2&N). Raphael Patai condensou o material relativo as altcragécs messidnicas da Tord no capitulo “New Worlds and a New Tora”, em The Messiah Texts {Os textos do Messias] (Avon, 1979). Ele cita o Alphabet Midrash of Rabbi Akiva, \Alfabeto Midrash do Rabbi Akiva], escrito no século IX: No futuro o Santo, bendito seja,... expora os significados [piedosos] da nova fora, que ele Ihes dara por meio do Mesias. Tirando conclusées com base nessa tradi¢ao, 0 Midrash Talpiyot (cerca de 1700 E.C.) explica que a “nova Tora” quer dizer 0s segredos € mistérios da Tord, que permaneceram acultos até ago- ra. Nao se refere a outra Tora - que os céus nos livrem disso! pois certamente a Tora que ele nos deu por meio de Moisés, nosso Mestre ~a paz esteja sobre ele ~ 6a Tord eterna; mas a revelacao de seus segredos é chamada de ‘nova Tora’. Entdo se explica que as proprias palavras encontradas na Tord de Mosheh serdo rearranjadas, e que dessa maneira a “nova Tora’ sera a Lei Mosaica “inalte- rada”, Cita-se outro autor, L'vi Yitz'chak de Berditchev (cerca de 1740-1810), por dar a mesma explicacan. Cita-se também um midrash iemenita sem datacao No futuro 0 Santo — bendito seja - assentara o Messias no Yeshiva supremo. 0 chamara de ‘o Senhor’, assim como 0 chamam de Criador... E 0 Messias no u 5 Atos se sentara no Yeshiva, e os que andam sobre a terra virdo € se sentarao diante dele para ouvir a nova Tora, 05 novos mandamentos € a sabedoria profunda que ele ensina a Israel... F 0 Santo - bendito seja ele, revelara as regras da vida, regras de paz, regras de vigilanicia, regras de pureza, 1: gras de abstinéncia, regras de santidade, regras de caridade... E nenhuma pessoa nunca esquecera o ensino que ouve da boca do Messias, pois 0 San- to - bendito seja ~ vai se revelar na casa de estudo do Messias, e derramara seu Espirito Santo sobre aqueles que andam sobre a terra, e seu Espirito Santo estar sobre cada um e sobre todos. E cada um na sua casa de estudo entendera o halakhot [leis, regras] por si mesmo, 0 midrashot [estudos, in- terpretacées, lendas] por si mesmo, 0 tosafot fanotacdes, normalmente re- ferindo-se aos comentarios sobre o Talmud e o Rashi, produzidos entre os século XH a XIV] por si mesmo, o aggadot (historias. contos populares] por si mesmo, as tradicdes por si mesmo, e cada um conhecera por si mesmo [compare com Jeremias 31:32-33(33-34)]... E até mesmo os escravos e es- cravas de Israel, que foram comprados por dinheiro das naces do mundo, sobre eles o Espirito Santo repousara, e eles mesmos darao explicagies. Esses textos nao "provam" quc o judaismo ortodoxo normativo necessa riamente espera por uma nova Tord quando o Messias vier, mas, de fato, mostra que tais expectativas foram aceitas dentro da estrutura de pensamento judaico ortodoxo durante um periodo de pelo menos 1.500 anos. Se essa corrente de pensamento também existiu no seculo I, nao € uma exagero esperar que Yeshua, 0 Mesias, poderia justificadamente “mudar os costumes que nos foram outor gados por Mosheh”. No entanto, tais mudangas - estejam de acordo com a compreensdo judat- co ortodoxa da Tord ou de acordo com as explicacées da Tord oferecidas nesse comentario ~ ocorrem dentro da estrutura de pensamento judaico que afirma a existéncia de apenas uma Tord eterna outorgada a Israel. E essa Tord eterna que o Messias explica ¢ aplica, ¢ até mesmo as “modificacdes” estéo contempladas nela de maneira organica. Para mais detalhes, veja Mt 5:17&N, 1Co 9:218N, Gl 6:28N. Giro 7 2-53 Estévao foi acusado de ensinar contra Mosheh, Deus, 0 Templo e a Tord (6:11 14&NN) - em outras palavras, contra tudo © que o judaismo repre- senta, Demonstrando que a melhor defesa é um bom ataque, ele pée a culpa hos lideres religiosos usando 0 estilo dos profetas, dizendo que foram eles quem abandonaram cada uma desses pilares sagrados. 2 Irmios e pais. A semelhanca de Kefa (2:29, 3:17), Estévao fala como um judeu, como um dos que pertencem a familia. Sua critica em nada é mais anti-semita do que a feita por seus antecessores, os profetas. © Deus da gloria. Suas primeiras palavras retutam a acusagao de que ele “falou de modo blasfemo (...) contra Deus" (6:11). Seu respeito pelo Deus ‘injgo é consistentemente demonstrado ao longo de seu discurso. “age Avraham avinu, "Abrado, nosso pai”, uma expresso comum no discurso judaico. Na Mesopotamia, em “Ur dos caldeus" (Genesis 15:7). nao na cidade mais bem-conhecida, também chamada de Ur, na foz do rio Eufrates, que nao fica,n@ Mesopotamia. Atos 273 3. Estévao cita Génesis 12:1, palavras registradas tais como foram profe- ridas por Deus para Avraham, em Haran, mas presume-se que também tenham sido proferidas em Ur. 4 Depois da morte de seu pai. Estaria Estévao enganado quanto as in- formacoes biblicas? Genesis 11:26 parece afirmar que Terach, pal de Avraham, tinha 70 anos quando Avraham nasceu. Génesis 12:4 afirma claramente que Avraham tinha 75 quando saiu de Haran; desses dados decorre que Terach tinha 145 anos naquela época. Mas Genesis 11:32 diz que Terach morreu com 205 anos, sessenta anos depois. Duas explicacées pata essa inconsisténcia tém sido dadas: (1 Talvez Génesis 11:26 signifique que Terach nao tinha 70 anos quando Avraham nasceu, mas quando seu irmao Nachor nasceu. plausivel que Nachor fosse consideravelmente mais velho que Avraham, jé que sua neta Rivkah casou com Yitz'chak, filho de Avraham. (2) Estévao estava usando um texto do Pentateuco no qual a idade de Terach informada era 145. nao 205. O texto samaritano do Pentateuco de fato ginforma 145. Portanto, nao estamos lidando com um deus ex machina. Alem tdisso, alguns estudiosos ~ Avraham Spero e Jakbo Jervell entre eles - acredi- tam que o proprio Estévao fosse samaritano. Isso também explicaria o v. 16, no qual se diz que Avraham foi sepultado em Sh’khem, j que isso também se deriva da tradicao samaritana. Explica uma possivel tendéncia contraria a0 “Templo nos vv, 47-50 (compare com Yn 4:20-22&NN). Assim, tem logica inse- rir a historia da disseminasao do evangelho em Shomron logo na passagem seguinte (8:4-26). Na pior das hipétescs, se Estévio sc enganou por estar sob pressdo, seus enganos seriam o que no judaismo se conhece como ta‘uyot bitom-lev, enganos honestos. Filo, o judeu alexandrino do século I, em sua obra De Migratione Abraha ‘mi, também fala que Avraham deixou Haran depois da morte de Terach. 6-44 Estévao pinta um quadro que mostra a maioria do povo de Is- rael recusando-se a dar honra 4queles que Deus escolheu para lhes levar a salvacao que tinha sido prometida - especialmente Mosheh (wv. 17-4) e Yo- sef (vv. 9-16), que foi reconhecido por farao, um gentio, mas ndo por seus proprios irmaos 14 Setenta e cinco pessoas, de acordo com a Septuaginta, mas setenta de acordo com 0 texto hebraico massorético (Génesis 46:27, Exodo 1:5). Gé- nesis 46:20 explica a discrepancia. Nesse versiculo a Septuaginta di o nome de quatro netos e um bisneto de José, ao passo que o texto Massorético nao menciona nomes. 16 De acordo com o texto hebraico do Fanakh, Avraham comprou em He- vron uma caverna para usar como sepultura (Génesis 23:2-20). na qual Yosef se pultou Ya'akov (Génesis 49:29-50:13). Ya'akov comprou de Hanor um campo em Sh’khem (Génesis 33:18-19), no qual as assns de Yosef foram colocados séculos mais tarde. Fontes nao biblicas (os livros pseudo-epigraficos de Jubileus e Tes tamentos dos 12 Patriarcas, a Mekhilta e Antiquities of the Jews [Antiguidades dos judeus), de Josefo] dizem que, em algum momento, os ossos dos irmaos de José foram retirados e sepultados em Israel; a maioria das fontes afirma que foi em Hevron. Estévao esta condensando esses eventos em sua revisao ligeira e 274 ——_______ Atos feita sob pressao, ou esta usando outro texto que no o hebraico, talvez o texto samaritano (veja v. 4N). 29 Dois filhos, Gershom ¢ Eliezer (Exodo 2.22, 18.3-4). 30 De acordo com Jubileus 1:27, 29; 2:1, “0 anjo da Presenca” conversou com Mosheh no monte Sinai. Esse parece ser 0 anjo de Adonai, ao qual o Tanakh se refere repetidamente (por exemplo, em Génesis 22:11, 48:15). Alguns acre- ditam que 0 anjo de Adonai era uma aparicao pré-encarnada da Palavra eterna que se fez carne em Yeshua, o Messias. Veja wy. 35, 38, 53&N, e especialmente Yn 1:14N. 35-38 Esses versiculos refutam a acusacdo de que Estévao falou contra Mosheh (6:11). Nessa passagem, Estévao o enaltece como lider, resgatador, aquele que falou com o anjo, aperador de milagres, profeta e aquele que rece beu palavras viventes. 37 Veja 3:22-23N 38 Assembleia, do grego ekkiésia. Literalmente, a palavra quer dizer “os convucados”, quer tenbam sido convocados para sair do Cgito ou do pecado; traducoes satisfatorias séo “assembléia’, “congregacdo” e “comunidade”. Acompanhado do anjo que Ihe falava no monte Simai por meiv da sarca ardente (v. 30&N), nao os anjos que se imaginavam ter mediado a outorga da Tora (v. 53&N). Palavras vivas, ou seja, a Tord. Claramente Estévao nao esta ensinando contra a Tord; isso refuta a terceira acusa¢do (6:13-14&N). 42-43 Deus... os entregou... Veja Rm 1:24-28N. O livro dos profetas, ou scia, 0 livro dos 12 “profetas menores”, consi derado um dnico livro na contagem judaica do Tanakh. A citacao que Estévao faz de Amés tem uma correspondéncia muito préxima com a Septuaginta, que difere em detalhes do texto massorético. Entretanto, “além de Bavel” em lu- gar de “além de Damasco” pode ser um midrash de Fetévao, indicanda que a penalidade por terem se afastado do unico Deus verdadeiro sera pior do que 0 exilio babildnico. 44-50 Ustévao refuta a acusacao final de que ele inadequadamente falou contra o Templo (6:13-148N), ao mostrar que foi o povo, nao Deus, quem quis uma habitagao ou casa mais substancial que a tenda do testemunho original: mente autorizada na Tord. O establishment ficou propenso a “templolatria”, em vez de adotar a atitude de Deus. Ele cita Isafas para dar apoto a crilica que faz. A5b-47 Veja 1Reis 8:12-21; Salmo 132:5, 7. 51 Teimoso. Esse termo é usado seis vezes no Tanakh: Exodo 32:9; 33:3, ; Deuteronémio 9:6, 13. E sempre Adonai descrevendo os israelitas para Moshieh, ou Mosheh descrevendo-os para Deus ou para eles mesmos. Os gen- tios ndo podem chamar os judeus de teimosos sem se suieitarem a acusacéo de sérem-anti-semitas. Mas os judeus podem - em conflitos internos familiares aplica-se um conjunta diferente de regras. Atos “ey Ouvidos (Jeremias 6:10) e coracao incircuncisos (Levitico 26:41; Deu- terondmio 10:16, 30:6; Jeremias 4:4, 9:25(26); Ezequiel 44:7, 9). Essas sdo duas caracterizac¢Ges que o Tanakh faz de Israel: 0 povo exibe o sinal externo da alianga com Avraham (v. 8), mas por dentro sao pagaos, impuros e rebeldes {compare com Rm 2:17-3:2&NN). Vocés se opdem de modo continuo ao Ruach HaKodesh. Veja Mt 12:31-328N, Le 12:8-10&N 52 Yeshua fez a mesma acusacao (Mt 23:29-32, 35). Yochanan, o Imersor, foi 0 ultimo profeta; ele tambem foi morto (Mt 14:1-12), Quanto a aplicacdo das pro- fecias do Tanakha Yeshua. veja a Secdo 7 da Introducaa ao NTJ e Mt 26:248N. Do Tzaddik, do grego tou dikaiou, literalmente “o Justo”. Veja Mt 13:1 7N. Vocés se tornaram traidores e assassinos, nao diretamente - como esto a ponto de se tornarem por causa de Estévao — mas por meia de Poncio Pilatas ¢ do governo romano. Veja 2:22-238N. 53 0 versiculo do Tanakh que mais se aproxima de afirmar sem rodeios flue a Tord (...) foi recebida por intermédio de anjos encontra-se no dis- ‘curso final de Mosheh antes de morrer: "Adonai veto do Sinai ¢ alvoreceu sobre eles desde Seir; ele resplandeceu desde o monte Paran; ¢ ele veio da miriades de * santos;... a sua dircita eshdat amo” (Deuterondmio 33:2). Alguns comentaristas judeus consideram que a expressao hebraica eshdat lamo significa “era uma lei .“dbrasadora (esh-dat) para eles”. A Septuaginta Uaduc assiin essa passagein: “a sua destra estavam seus anjos com ele.” Rashi diz que as “miriades de santos” eram anjus. Strack and Billerbeck, no Commemtary on the New Testament from the Talmud and Midrash (Comentario do Novo testamento do Talmud e do Mi- drash] de seis volumes (Munich: C. H. Beck’sche, reimpressao de 19/9 do origi- nal de 1926, em alemao), fornecem 12 citacdes da literatura rabinica mostrando que era dissemmnada a ideta de que a Tora era mediada por anjos. Por exemplo, 0 Midrash Rabbah faz um jogo de palavras com 0 texto do Salmo 68: O rabino Abdimi de Haifa disse: “Vinte e dois mil |anjos] desceram com Deus no Sinai, como se diz: “As carruagens de Deus sao vinte mil, milha- tes de shin‘an” [normalmente traduzido por “anjos"| (Salmo 68:18(17)}. Os melhores entre os melhores, os mais excelentes (sh'na’an) desceram’. (Exodo Rabbah 29:2). Salmo prossegue: “Adonai esta entre eles, Sinai no lugar santo.” Mas os rabinos nao sdo unanimes em afirmar que a Tord foi mediada por anjos. A seguinte passagem assume uma posicaa tealdgica defensiva (veja ¥?-?3N) contra © gnosticismo e contra 0 que os rabinos supunham ser o pensamento cristao: Quando [Deus] entregou os mandamentos no monte Sinai, em principio ele os articulou em voz alta todos de uma vez, e disse: ‘EF Deus falou todas essas palavras {simultaneamente; veja o tiltimo paragrafo de 2:4b-13N], dizendo...’ (Exodo 20:1). Entdo [o anjo| Mikha’cl disse: ‘Ele me incumbird de explicar suas palavras.’ F [o anjo| Gavri'el disse: ‘Ele me incumbira de explica-las.’ Mas tao logo ele continuou, dizendo: ‘Lu sou Adonai seu Deus’ (Exodo 20:2), eles disseram: ‘A medida que da a seus filhos a Tord, ele esta confiando a eles seus mandamentos, plenamente explicados, di retamente a seu filho Israel. (Pesikta Rabbati 21:5) 276 Atos Em duas outras passagens o Novo Testamento faz referéncia a mediacao da Tord feita por anjos (Gl 3:198N, JM 2.2&N). A mengao de anjos nesse versicu lo enfatiza que, apesar de a ford ter sido outorgada sobrenaturalmente ~ algo que demonstra a alta estima que Estévdo nutria por ela - seus ouvintes, que tomaram posicdo para julgé-lo, nao a guardaram! Vocés (...) nado a guardaram! Estévéo lanca qualquer precaugao aos ares, ¢ esse é o climax resultante de seu discurso. © Sanhedrin era a autoridade final em questées da Tord; por isso, foi como se Estévao se colocasse diante da Suprema Corte e chamasse seus membros de criminosos. Ele nao trata da pergunta “Yeshua de Natzeret.., vai ou nao modificar os costumes que Mosheh nos outorgou?” (6:14). Por que deveria fazé-lo? Se os lideres nao observam os costumes hoje, que diferenga far se Yeshua os modificar? Compare com as criticas que Yeshua fez a um grupo de p'rushim e de mestres da Tord em MI 23:13-368NN. 54 Ouvindo essas coisas, eles ficaram furiosos. Obviamente as ob servacées de Estévao foram plancjadas para produzir uma reagdo, assim como aconteceu com o sermao de Kefa no Shavu‘ot, quando as multidées foram “fer- ruatlas” ens seus Loragdes (2:37). Mas naquela oportunidade a mensagem pro- duziu arrependimento e fé; aqui gerou raiva e aria. 55-56 Quanto a Sh’khinah de Deus, sua gloria manifesta, veja o pard- grafo (3) de JM 1:2-3N. A direita de Deus. 0 texo de Salmo 110:1 (veja Mt 22:44N) diz: "Adonai disse a meu Senhor: ‘Sente-se a minha destra..’," mas Est@vao 0 vé em pé. Uma vez que a funcao de Yeshua nos céus com Deus é ser o kohen gadol para todos os cristaos e interceder por eles (IM 2:16-188N, 7:25&N e passim), & possivel que essa postura indique a visao de Estévao de que Yeshua desempenha as fun- des de alto sacerdécio, para os quais ficar sentado seria inadequado. Contra essa Idéia veja JM 10:11-148N. . Filho do Homem, ou seja, Yeshua, o Messias. E tiltimo emprego desse titulo ne Nove Testamento. Veja Mt 8:20N. 57 Eles comegaram a gritar... todos juntos (ou: “unanimemente’; veja 1:14N), langaramrse contra ele. Dificilmente esse é 0 comportamento que se espera do tribunal mais elevado da nagao. Nao esta claro se os que dispararam ha direcdo de Estévao incluiam alguns acusadores de fala grega, ao lado dos membros mais raivosos do Sanhedrin (que nao linha declarado um veredito) De qualquer forma, juristas experimentados deveriam ter percebido o perigo latente que havia na situacao e tomado providéncias para proteger Estévao em vez de se unirem a turba. Ou o Sanhedrin ja tinha decidido tirar Estévao do caminho sem um julgamento honesto, ou os juizes permitiram que a emocao prevalecesse sobre a razdo depois de seu discurso inflamado. 58 Arrastaram-no para fora da cidade e comecaram a apredeja-lo. ‘As testemunhas... Deuterondmio 17:2-7 afirma que o apedrejamento deveria aegntecer do lado de fora da cidade, e as testemunhas do ato criminoso deve rlaih ser as primeiras a apedrejar o sentenciado. Levitico 24:14 diz a mesma coisa:.Leve para fora do arraial aquele que foi amaldicoado; ¢ que todos os que © ouviram.coloquem as maos sobre a cabeca deles, e que toda a congregacao 0 apedréje." A Mishna trata da puni¢ao por apedrejamento: ATOS 277 © local do apedrejamento era da altura de dois homens. Uma das testernu- nhas © empurrava para baixo pelos quadris. Se caisse com 0 rosto para bai- xo, a testemunha o colocava de costas para o chao. Se morresse com o golpe a queda, isso era suficiente. Caso contrario, a segunda testemunha pegava uma pedra e largava-a sobre seu peito. Se morresse assim, era suficiente. Caso contrario, 0 apedrejamento tinha que ser levado até o fim por todo Israel, como se diz: ‘A mao das testemunhas deve ser a primeira a mata-lo e, depois disso, a mdo de todo o povo' (Deuteronémio 17:7). (Sanhedrin 6:4) Deixaram seus mantos. Compare com 0 que o Taimud diz a respeito de executar a sentenca de apedrejamento: Quando o julgamento terminar, eles levam [0 condenado] para fora a fim ser apedrejado. O local do apedrejamenta era distante do tribunal, como esta dito: ‘Leve para fora aquele que foi amaldicoado' (Levitico 24:14). Um homem se pée de pé na entrada do tribunal; em sua mao esta a bandeira de sinalizacao [do hebraico sudarin = sudar, “estola, suéter"). Um cavalari- 60 ficava a postos, bem longe, mas ao alcance da vista. Se um (dos juizes] disser: ‘Tenho algo [a mais] para dizer em seu favor: ele [o sinalizador] agita o sudarin, e 0 cavalarico corre e os impede [de apedreja-lo}. Mesmo que cla [a pessoa condenadal diga: ‘Tenho algo a dizer em meu favor’, eles 0 trazem de volta, até mesmo quatro ou cinco vezes, bastando apenas que . suas palavras tenham alguma consisténcia. (Sanhedrin 42b) Aos pés de um jovern chamado Sha’ul. Essa ¢ a primeira vez no Novo Testamento que o nome Paulo de Tarso é mencionado (Sao Paulo). Atos 13:9 informa seus dots nomes; veja nota naqueta passagem. O proprio Sha’ul recor- da-se desse evento em 22:20. Um outro detalhe da a base para uma especulacao interessante. De acor- do com o Talmud, é 0 tribunal que deve providenciar 0 sudarin, no 0 acusado (Sanhedrin 43a, comentando sobre o paragrafo citado anteriormente). joseph Shulam acha que sudar, no hebraico antigo, também pode significar “manto". Assim, ele conjetura que o tradutor de Atos, que presumivelmente verteu para © grego a partir de um texto hebraico, néo compreendeu o contexto judaico e, portanto, escreveu que os mantos foram deixados aos pés de Sha'ul, embora de fato Shaul fosse um membro do Sanhedrin, especificamente, aquele que segurava o sudar (para mais detalhes sobre a possibilidade de Sha'ul ter sido membro do Sanhedrin, veja 8:1&N. 9:1-2N. 23:18N. 26:10&N: Gl 1:148N). Por outro lado, o apedrejamento de Estévao foi algo tao conturbado que parece im- provavel que qualquer tipa de sinalizacao tenha acorrida 59-60 Senhor Yeshua, receba meu espirito!... Nao leve em conta este pecada contra eles. Fstvao foi o primeiro jude messianico a morrer ‘al kiddush-HaShem (Iiteralmente, “em santificacao do Nome" de Deus), ou seja, como um martir de sua fé. A prontidao para 0 martitio J se vé no Tanakh; Hananyah, Misha'el ¢ ‘Azaryah (Shadrakh, Meishakh ¢ ‘Aved-n'go) preferiram ser lancados na “forna Iha de fogo ardente” a se curvarem diante dos idolos do rei Nevukhadnetzar (Daniel 3}. Dentre os livros apocrifos, 2 Macabeus relata que, ao receberem or- dens de Antioco IV para renunciar ao judaismo, a mae ¢ a sete filhos, um apés © outro, optaram pela morte. A Encyclopedia Judaica comenta: “Essas figuras tornaram-se prototipos ¢ simbolos do martirio e dos martires, tanto no judais- 278 Aus mo quanto no cristianismo" (10:982). Ao longo dos séculos, indmeros judeus perseguidos pela cristandade morreram ‘ai kiddush-HaShem; da mesma forma, indmeros cristaos enfrentaram a morte por causa da fé que tinham. Estévao aprendeu a enfrentar a morte com o proprio Yeshua, o Messias, que nao foi martir, mas veio a terra em igualdade com Deus (Fp 2:6-8) para “dar sua vida como resgate por muitos" (Mc 10:45). Pregado a estaca de execucdo, Yeshua disse: "Pai, nas tuas mos entrego meu espirito” (Lc 23:46, citando Sal- mo 31:6(5)). Ele também orou: “Pai, perdoa-lhes; cles nao entendem o que es- tho favendo" (Ic 23:348N). Claude G. Montefiore. um estudioso judeu, escreve que desconhece quaisquer sentimentos comparaveis em qualquer dos estudos rabinicos sobre os martirios, que essa declaracaa de perdao constitui um “pro- gresso religioso” (Rabbinic Literature and Gospel Teachings, [Literatura rabinica ¢ chsinamentos evangélicos] p. 372). O martirio por causa da fé sempre é nobre, ea morte ‘al kiddush-HaShem de Estévao, imitando com fidelidade seu Senhor, € absolutamente nobre. Ao mesmo tempo, deve-se observar que o martirio nao constitui um "va- lor cristao", como alguns autores judeus supdem. O martirio pelo martirio é um valor ligado a seitas, um valor que nao é cristéo nem judeu. O culto Musaf para © Yom Kipur inclu uma martirologia dos rabinos Ishmael, Akiva ¢ de vulrus vito que morreram ‘al kiddush-HaShem sob o dominio do imperador romano Adria- no em 135 E.C., ao fim da rebeliao de Bar-Kosiba. U livro dos martires, de John Foxe, uma obra do século XVII que descreve muitos cristéos sendo mortos por causa da sua fé, ainda hoje é editado. Tanto o judaismo quanto 0 cristianismo honram seus martires, mas sem fazer do martirio uma virtude ou objetivo. Crete 8 1 E Sha’ul aprovou, aparentemente por meio de seu voto no Sanhedrin. Veja 7:58&N, 26:10&N. 3 Esse versiculo ¢ 9:1-2, junto com o pano de fundo de 7:58 e 8:1, mos- tram que Sha’ul, em seu zclo pelo judaismo tradicional (Rm 10:2&N; Gl 1:13- 14&NN, 4:18) foi um perseguidor formidavel dos judeus messianicos (Fp 3:6), possiveliuente o pior dos perseguidores (1 Tm 1:13-16&NN). 4-26 Veja Paragrafo (2) de 7:4N. 4 Para 0S propositos firmados pelo Messias (1:8), a dispersao dos cristaos (v. 1), que parecia ser um desastre, provou ser uma béncdo, pois anunciavam as boas-novas da Palavra, falando a respeito de Yeshua, aonde quer que fossem. Como Yosef disse a seus irmaos depois de ter sido perguido: “Voces intentaram o mal para mim, mas Deus intentou o bem” (Génesis 50:20). Com- pare com Rm 8:28. 5 Filipe. Nio 0 emissario, mas o judeu da fala grega (6:5), poraue os ‘emssarios permaneceram em Yerushalayim (v. 1) ' Shomron. Veja Yn 4:9N. “40 Este homem é 0 poder de Deus, chamado “O Grande Poder” Shim‘on.pode ter sido apenas um magico que gostava de ter poderes e de con- wolar’as peSsoas. Ou ele pode ter sido o lider de uma scita gnéstica judaica Atos 279 considerada herética. Os gnésticos normalmente postulavam diversas entida- des espirituais entry de uma hierarquia que levava a Deus. Eles prescreviamn praticas ascéticas ou orgiasticas como meio de alcancar niveis espirituais mais elevados na hierarqula. “O Grande Poder” teria sido um dos nivels nesse siste- ma doutrindrio. Ele bem pode ter entrado em contato com o sobrenatural; mas teria sido um contato com demonios, nao com o poder de Deus, 0 pecado de Shimon (vv. 18-23) confirma que ele era impio. 13 Shim‘on crew... ¢ foi imerso. Alguns diriam que ele tinha “crido” apenas em termos intelectuais, mas nao tinha verdadeiramente nascido de novo (veja Ya 2:14-26). Assim, ao fazer Filipe de tolo, ele foi imerso por engano. Outros consideram que sua salvacdo foi genuina, mas que ainda era “carnal”, ou seja, ele ainda nao tinha renunciado aos padrées de comportamento que obvia- mente eram pecaminosos. A opiniao de uma pessoa pode afetar sua atitude em relacdo ao v. 24&N. 24 Nao esta claro se as palavras de Shim‘on brotaram de um arrependi- mento genuino ou se representavam apenas fraude, engano e hipocrisia. Veja fv. 138N ? 7 26 A estrada que desce de Yerushalayim a ‘Azah. A estrada de ‘Azah € uma importante via piiblica na Jerusalém moderna; a antiga estrada sdeguia na direcdo ao mar, a oeste-sudoeste abaixo de Manahat (1Crénicas 8:6), onde moro hoje, através do ‘Emek Refayim (o vale de Refaim). La os fi listeus levantaram acampamento contra o rei David antes de este os derrotar (Crénicas 14:8-16). 27 Um etiope, do grego aethein (queimar) e ips (rosto) - um "rosto-quei- mado". O Novo Testamento da atengao especial a esse proeminente homem negro, que era judeu (veja adiante) Eunuco. Em todo 0 Oriente Proximo, era comum que homens ocupando posicdes de poder fossem castrados. O Tanakh traz varios exemplos, incluindo 0 de ‘ved-Melekh, 0 cuxita (etiope), em Jeremias 48:/. O termo também pode se referir a um oficial de posto elevado. Kandake (ARA, “Candace”, sem o artigo “a’). A semethanca de “farao” u “cesar”, é um titulo, e ndo um nome; quer dizer “rainha" ou ‘rainha-mée’. A monarquia da Etiopia afirma que sua genealogia vem do rei Salomao e da rainha de Saba (1 Reis 10), por meio do filho que eles tiveram, Menelik { - ha cerca de trés mil anos ~ até o rei Haile Selassie, que foi deposto em 1974. Os judeus etiopes, que chamam a si mesmos de “Beta Israel” (casa de Israel), mas que também sao conhecidos como Falashas (a palavra aramaica para “exila dos”), consideram ser descendentes dos judeus que vieram com Menelik | Isso € lenda, mas “as crénicas etiopes mostram que o judaismo era dissemina- do antes de a dinastia Axum converter-se ao cristianismo durante o século IV" (Encyclopedia Judaica 6:1143) Ele estivera em Yerushalayim para adorar. 0 capitulo 8 lida com duas categorias de pessoas que, em certo sentido, esta vinculadas ao povo judeu. Se a perspectiva adotada for diferente, o vinculo nao existe. Os samari- tanos (wv. 4-24) no eram judeus, mas tinha ancestrais judeus (Yn 4:9N); eles nao adoravam em Jerusalém (Yn 4:20-21). Esse etiope era judeu de nascenca ou era um judeu prosélito, ja que o primeiro gentio legitimo s6 foi alcancado pelo 280 Atos — evangelho no capitulo 10. Mas, por ser eunuco, ele foi proibido de adorar na congregacao do povu de Deus (Deutcronémio 23:1). O fato de ter viajado para tao longe a fim de adorar, mesmo sendo privado disso, atesta sua piedade. Em trechos biblicos posteriores, Deus deu atencao especial a eunucos picdosos (Isaias 56:4-5, Mt 19:10-12). 30 Lendo o profeta Yesha‘yahu. Deus esta fazendo esse homem ler uma das principais profecias messianicas que apontam para Yeshua: Isaias 52:11-53:12, 30-31 Vocé entende o que esta lendo? £ impressionante como se pode ler e reler a Biblia sem enxergar nela a realidade de Deus e de seu filho Yeshua: essa foi a minha experiéncia pessoal até 05 37 anos. £ minha esperanca que 0 Novo Testamento Judaico e esse comentario auxiliem judeus e gentios em todos 0s lugares a compreenderem melhor 0 que estao lendo. Tenho uma preocupa- cdo especial com os que buscam com sinceridade, que respondem 4 pergunta de maneira semelhante ao cunuco etiope: Como posse, (...)a menos que al- guém me explique? 32-33 A citacéo é conforme a Septuaginta. O livro de Atos ja se referiu quatro vezes a Yeshua como servu de Deus (3-13, 26; 4:27, 30). Quatro passa- gens em Isaias 42-53 mencionam o servo sofredor de Deus. Boa parte da inter- pretacdo judaica moderna entende que esse servo 0 povo de Israel, nau v Mes- sias. Mesmo assim, isso me parece teologia defensiva (3:22-23N), ja que muitos dos primeiros expositores judeus nao enxergavam o assunto dessa perspectiva, As polémicas sobre essa questo foram alternadas, especialmente em relacao a quarta passagem do "servo", Isaias 52:11-53:12. Minha posicdo é que a passagem aponta tanto para Israel quando para Yeshua, e que é inapropriada qualquer interpretacéo que exclua um ou outro. Fm Mr 2:15N expliquei como a citacéo que Mattityahu faz de Oséias 11:1 - 0 p’shat (sentido evidente), que claramente se refere a Israel ~ poderia ser “cum- prida” por Yeshua. Ha em meu livro Messianic Jewish Manifesto (Manifesto dos judeus messianicos] uma seco intitulada “Yeshua Is identified With the People of Israel” (Yeshua é identificado com o povo de Israel], que lida com aspectas individuais e corporativos do evangelho. La expliquei como Israel e Yeshua, 0 Messias, podem ser o servo sofredor. O restante dessa nota é, em grande medi da, uma citagdo daquele trecho, Um jeite interessante de pensar no evangelho simultaneamente om ter mos individuais e corporativos é considerar as maneiras pelas quais 0 Messias Yeshua representa e esta Intimamente Identificado com seu povo Israel. O indi- viduo que confia em Yeshua se une com ele ¢ é “imerso” (batizado) em tudo 0 que Yeshua , incluindo sua morte e ressurreicao. Assim, Deus constdera que a natureza pecaminosa do individuo morreu, e sua nova natureza, que recebe poder do Espirito Santo, esta viva. Assim como a identificacao intima com 0 Messias é valida para o individuo, semelhantemente o Messias se identifica com Israel e corporifica a nacdo. <,. A primeira vez que essa nocao aparece no Novo Testamento ¢ em Mt 2:1$8N. A idéia de uma pessoa representar todas pode ser encontrada por toda a Biblia, as vezes para a hem e as vezes para o mal: na historia do pecado de Acd (Josué ,7), no relacionamento entre Israel e seu rei (em muitos trechos no Ta- nakh, por exemplo, 1Reis 9:3-9), no relacionamento entre Ado e Yeshua de um Atos 261 lado e toda a humanidade de outro (Rm 5:12-21, 1Co 15:45-49), e no debate a respeito das “passagens do servo" (Isaias 42:1-9, 49:1-13, 50:4-11, 52:11-53:12). Considere, por exemplo, essas frases tiradas de Isaias 49:1-6: Adonai...) me disse: ‘Tu és meu servo, Israel, em quem serei glorificado’. (...) E agora Adonai diz, (...): 'E muito pouco que sejas meu servo para restaurar as tribos de Ya‘akov e renovar o que de Israel foi preservado; dar-lhe-ei como luz para as nacées, para que minha salvacao alcance os confins da terra.” “Israel” renova “o que de Israel foi preservado"? Quem é a “luz das na- ces"? O judaismo entende que esse é um objetivo a ser alcancado pelo povo judeu. Os cristaos imediatamente pensam em Yn 8:12, em que Yeshua afirmou a respeito de si mesmo: “Eu sou a luz do mundo." Creio que 0 povo judeu sera a luz para as nacées, Somente o seremos quando tivermos dentro de nds aquele que éa luz do mundo, Yeshua Esse conceito - 0 Messias que corporifica 0 povo judeu ~ nao deveria soar astranho aos ouvidos dos cristdos, pois é precisamente isso que 0 Novo Testa- Mento ensina a respeito de Yeshua e da igreja. Que outra coisa pode significar “quando se fala que a Igreja é 0 corpo cuja cabega é o Messias (Cl 1:18)? Ou um J Templo do qual ele é a pedra angular (Ef 2:20-22)? O conceito de um represen: -Y tando todos ¢ familiar. Mas a Igreja ndo captou com clareza a mensagem de que into de Israel, Yeshua, no esta unido apenas com a Igreja (Yochanan 17), . Has também com o povo judeu. Quando os cristéos tiverem digerido isso in- teiramente, quando conseguirem comunicar aos judeus que, mediante Yeshua, © Messias, devido a sua idemtificagao com Israel, 0 povo judeu chegaré a seu destino (2Co 1:20&N) e, entéo, o povo judeu tera sido apresentado a um evan gelho que Ihe € menos estranho € mais atraente, Ea Igreja tera sido mais fiel € esse evangelho. Os judeus que leram o Novo Testamento também nao foram mais eficazes na hora de captar esse conceito. Caso tivessem sido, a controvérsia a respeito de Isaias 53 - 0 texto se refere a0 povo judeu ou a um Messias que ainda nao nasceu? ~ teria se dissolvido, pois se compreenderia que o Messias de Israel corporifica seu povo e que o povo de Israel é um exemplo arrematado de seu Messias. Os paragrafos acima sao dirigidos a cristaos alienados de suas raizes ju- daicas e do povo judeu. Entretanto, Filipe falou ao etiope ndo sobre o inter-rela cionamento entre Israel e Yeshua, mas simplesmente sobre o que precisava sa- ber naquele momento, ou seja, “as boas-novas a respeito de Yeshua” (v. 35&N). 33 Quem pode falar a respeito de seus descendentes? Isto ¢. uma vez que esta morto, como podemos ver nas frases citadas anteriormente, ele nao tera nenhuma descendéncia, nenhuma pasteridade. Isso é um lamento. Mas. o lamento se mostra injustificado no caso de Yeshua, pois ele foi levantado de entre os mortos, e nele estéo muitos filhos espirituais, como Isaias predisse pouces versicuios depois (Isaias 53:11): “Ele vera sua descendéncia.” Deus rea- liza o inesperado, providenciando descendéncia para aquele que morreu sem esposa nem filhos. 34 De quem o profeta esta falando? De si mesmo ou de outra pes- soa? Isaias nao preenche os requisitos da passagem, embora seja um servo de Deus. Veja vv. 32-33N. 282 Atos 35 Filipe @ chamado de evangelista (21:8) e, assim cama qualquer evan- gelista sdbio, ele comecou a comunicar as boas-novas a respeito de Yeshua a partir dos interesses e preocupacécs de scu ouvinte. Evangelistas imprudentes, assim como vendedores imprudentes, as vezes usam um “gancho” que nao se prende aos interesses de seu “cliente”, a mensagem que tem a comunicar mos- tra-se irritante, como cogar um lugar onde nao tem coceira. 36 Quanto a imersio ¢ a ordem de Yeshua para que os talmidim fossem imeisus, veia Mt 3.1N, 28:19&N; Mc 16:168N. 39-40 O Espirito do Senhor arrehaton Filipe, evidentemente de forma miraculosa, tal como sugerido pelas palavras que se seguem: Filipe (...) apare- ceu cm Ashdod. Ashdod é hoje uma das trés cidades portuarias de Israel, jun- to com Ilaifa e Lilat. Localiza-se a cerca de 40 quilémetros ao sul de Tel Aviv. 40. Filipe conrinuou realizando o trabalho de um evangelista por todas as cidades do litoral norte até chegar a Cesaréia, a uns 64 quilémerros do ; norte de Tel Aviv. La ele se casou e fixou moradia (21 Uma cidade antiga que foi reconstruida por Herodes, o Grande, Cesaréia tinha um porto e tornou-se a capital dos procuradores romanos. Desordens vio” lentas entre judeus e geritivs marcaram v inicio da guerra judaica contra Roma * em 66 E.C. Parcialmente escavada por arqueologistas, foi encontrada nessa ci- dade a inica inscrigdo com o nome de Poncio Pilatos. Hoje em dia, o anfitearro construido por Herodes é usado para concertos. Nas proximidades do anfitea- Uu furait Cunstiuidas casas para pessoas de posses. Carina 9 1:2 Sha'ul estava tio enfurecido por causa dos judeus messianicos (8:3) que nao se satisfez de conduzir suas inquisicées ¢ perseguigdes apenas em Ye- rushalayim. Cartas escritas pelos kohen hagadol tinham peso na Diaspora. Sob 9 dominio romano, 0 Sanhedrin nao possuia poder temporal. Mas, em questdes judaicas internas, 0 Sanhedrin era respeitado até mesmo fora das frontetras de Israel como, por exemplo, em Damasco (Vv. 3). Qualquer pessoa (...) que pertencesse ao “Caminho”. Evidentemente essa ¢ a forma pela qual os cristéos primitivos referiam-se a si mesmos (19:9, 23; 22:4; 24:14&N, 22). Outros judeus, av chamd-los de Natzratim ou Notzrim, os identificavam como uma dentre muitas escolas ou selras judaicas (24:5&N). Mas v termo "O Caminho” é uma atirmacao da validade universal da doutrina ea pratica de Yeshua. De fato, Yeshua chamava a si mesmo de “o Caminho” (Yn 14:6). Levando-as de volta para Yerushalayim para julgamento ¢ puni ao (22:5). Aparentemente, Sha’ul nha se twinadu o advogado de acusacéo do Sanhedrin (quanto a Paulo fazer parte do Sanhedrin, veja 7:586N, 8.18N. 26:1 0&N). * Ele queria extraditar as pessoas de Damasco para Jerusalém, atravessan- as fronteiras. O fundamento juridico para tal acao pode ter sido a acusa- ygue ounessianismo nao era uma religio licita, uma “religiao legal” como idaismo, que recehta determinadas protevGes dos rumanos, Contra essa 0 de que os imperadores romanos Nero e Claudio enxergavam ‘como uma seita judaica; assim, eles teriam sido incluidos na 3 judeus. Atos -——________ 283 3-19 A historia de como Sha‘ul passou a crer em Yeshua é novamente con- tada cm 22:5 16, ¢ uma terccira vez cm 26:13-18, com variacéo nos detaihes. Veja 26:13-14N quanto a forma de harmonizar as diferencas. Compare também as visdes descritas em Rv 1:9-20 e em Daniel 10-4ss. 4 Uma voz. A mais conhecida das muilas histrias rabinicas a respel- to de uma bar-kol (voz vinda do céu, literalmente “filha de uma voz"; veja Yn 12:28N) encontra-se no Talmud. Certa vez, na disputa a respeito de um ponto do Halachd (lei judaica) O rabino Eh'ezer apresentou em defesa de sua opinido todos os argu: mentos do mundo, mas a audiéncia de rabinos nao os aceitava. Ele disse: ‘Se estou certo a respeito desse ponto da Halacha, que essa alfarrobeira sirva-me de prova!’ Em seguida a alfarrobeira moveu-se 70 metros de seu lugar ‘Uma al- farrobeira’, redargiiiram eles, ‘nao prova coisa alguma!" Entdo ele Ihes disse: 'Se a Halacha concorda comigo, que a corrente de gua sirva como provat’ E a corrente comecou a correr no sentido contrario. ‘A Agua nao prova coisa alguma’, disseram eles. “ Novamente ele disse: ‘Se a Halacha concorda comigo, que as paredes des «8a beltmidrash {casa de estudol sirvam como prova'’ Entao as paredes da casa se icurvaram para o lado de dentro, como se estivesse prestes a ruir. Mas 0 rabino \” Yhoshua repreendeu as paredes e disse: ‘Se os estudiosos dehatem a Halachd, 0 que vocés tém a ver com isso?’ Entdo, para honrar o rabino Y'hoshua as pa ..ofédes nao ruiram, mas para honrar o rabino Eliezer elas nao se endireitaram totalmente, e permanecem inclinadas até hoje. Entao o rabino Eliezer disse aos outros rabinos: ‘Se estou certo, que os céus sirvam como prova!’ Em seguida ouviu se uma bat kol: ‘Por que vo cés disputam com 0 rabino Eliezer? Ele sempre esta certo a respeito da Halachd!' Mas o rabino Y'hoshua levantou-se € disse: ' “Nao esta nos céus!” (Deuterondmio 30:12) O que ele quis dizer com isso? O rabino Yirmiyahu explica: o que ele quis dizer fol que a Tord ja tinha sidu vutuigatla nu aur te Sinai; pertanto, nao damos atencao a bat-kol, uma vez que ha muito tem- po Deus disse na Tord escrita: ‘Voces devem decidir pela matorta’ (Exodo 23:2, na interpretacéo da tradi¢ao judaica). O rabino Natan encontrou-se com Eliyahu, 0 profeta, e Ihe perguntou: ‘O que o Santo, bendito seya, fez quando isso aconteceu?’ Eliyahu respondeu: 'Ele deu risada e disse: "Meus filhos herdaram o que tenho de melhor!” (Bava Metzia 59b) 0 sentido da resposta atribuida a Deus é: “Eu dei a eles uma opiniio por meio de uma bat-kol (como um teste, ou por meio de uma revelacao nova); mas eles acharam um jeito de, fundamentados na légica implicita nas revela- Goes que fiz anteriormente, negar o impacto da bat-kol, e tenho que admitir que légica é légica!” O argumento da passagem como um todo é que Deus, semelhanca de um executivo-chefe que delega autoridade a seus subordina dos, dobra-se as regulamentacées rabinicas que aplicam a Tora a vida judaica de todo dia. Mas é errado concluir, como o fazem alguns oponentes do Novo Testa mento, que depois do mante Sinai Neus nao mais revela sua verdade direta- mente. Relata-se que Deus, no Tanakh, teria falado nao somente com Avraham, Yitz'chak, Yaakov e Mosheh, mas com muitos dos profetas e com outras pes- soas séculos depois do Sinai, No Novo Testamento, ouviu-se uma bat-kol na 284 Atos imersdo de Yeshua (Mt 3:17), no monte da tranfiguracdo (Mt 17:5) ¢ em resposta ao pedido de Yeshua para que Deus glurifique seu nome em Yeshua (Yn 12:28). Aqui a bat-kol termina sendo a voz do proprio Yeshua; aparentemente, nada menos que isso teria bastado para fazer Sha’ull dar uma volta de 180 gratis deixando de lado a persegui¢do zelosa e tornado-se ele mesmo um judeu mes- sidnico, Desde entdo, muitos tém testemunhado a propria mudanga, passando acrer em Jesus depois de vé-lo ou de ouvirlo. Uma das aparigdes de Yeshua mais impressionantes foi para v ex-rabino principal da Bulgaria, Daniel Zion (veja 4:13N). Certa manha, durante o nascer do sol, enquanto estava orando a Shacharit (3:1N), ele viu Yeshua. A visao se repetiu em diversas ocasides; no periodo que se seguiu, & semelhanca de Sha'ul, ele passou a crer que Yeshua é o Messias de Israel. 5 Quem é 0 senhor? Ou: “Senhor, quem é vocé?" A palavra grega “kurios’ pode significar tanto “senhor" (tratamento formal) quanto “Senhor" (nome de Deus). A tradugio correta depende do grau em que Sha’ul, naquele momento, tinha consciéncia a respeito de quem estava falando com ele. Ele obviamente nao tinha consciéncia plena, ou nao teria feito a perguntal Vocé esta me perseguindo. Como? Ao perseguir os judeus messianicos: Isso demonstra quao intimamente 0 Messias se identifica com seu povo (veja\ 8:32-33N e Yochanan 17). Yeshua @ 0 “cabeca” do "Corpo do Messias”; quando 0 corpo padece, a cabega acusa. 7 Compare com Daniel 10.7, Yn 12.28-29. 10 Hananyah (Ananias) ¢ descrito em 22:12 como “um seguidor obedien- te da Jord, que era muito estimado por toda a comunidade judaica” de Damas- co, Um zelote da Tord como Shaul (22:3, Gl 1:13-14; também em At 21:20, Rm 10:2) nao teria dado credibilidade a ninguém mais. “Eis-me aqui”, do grego Idou egé (eis, eu), que corresponde ao termo he- braico hment. Hananyah juntou-se a uma companhia seleta quando deu essa res posta, que expressou submissao a Deus pronta e cheia de expectativa. Avraham respondeu “Hineni” quando Deus dissc Ihc para sacrificar seu filho Yitz’chak (Gé nesis 22:1), e também quando 0 anjo de Adonai disse-lhe para nao desferir 0 golpe (Génesis 22:11), Mosheh respondeu “Hinenif’ ao chamado de Deus que vinha do arhusto em chamas (Fxodo 3°4). Shmuel fez a mesmo quando Neus falou com ele pela primeira vez (1 Samuel 3:4-10); Yesha'yahu fez 0 mesmo quando a voz de Adonai perguntou: “A quem enviarei?" (Isaias 6:8). Hoje, qualquer um pode dizer “Hinenif para Deus ao concordar que ele nos fala por meio da Biblia, ao se arrepen: der de seus pecadus, av aceilar o perddu de Deus mediante a morte expiatoria de Yeshua ean afererer-se Incandicianalmente a Nelis am cult ahediiente @ santa 13-14 Embora Hananyah tivesse se oferecido a Deus, ele ainda tinha re »servas quanto a cumprir a ordem de Deus - exatamente como Mosheh (Exo- 3:13; 4:1, 10, 13) e Yesha'yahu (Isaias 6:5), Deus nao exige obediéncia sem curipreensdo, nem obediéncia diante de medos esmagadores. Se nos voltarmos J¢com humildade, ele acalmara nossos medos e fara de nos instrumentos S, assim como fez com Mosheh, Yesha'yahu, o profeta Yirmiyahu (Jeremias Atos 285 15 Para levar meu nome aos goyim, do grego ethné, “nacdes, pagdos, gen- tios" (veja Mt 5:47N). Essa reviravolta impressionante dos acontecimentos, depois de dois mil anos nos quais a operacao de Deus na historia humana foi mediada primariamente pelo povo judeu, ¢ 0 tema principal do livro de Atos (veja 1:8&N). 20-22 Veja Mt 13:528N. 22-23 Judeus ndo-crentes. A palavia yrega € loudauivi nos duis casos, e "que nao criam" nao esta no texto grego. Veja Yn 1:19N, passagem em que se argumenta que, quando o contexto é a terra de Israel, “foudator’ deve ser normalmente traduzido por “habitante de Y'hudah”, ¢ quando o contexto ¢ a Diaspora, deve ser traduzido por “judeus’. Mas no versiculo 24 surge a confu sdo se a palavra “judeus" nao foi modificada, pois tanto os cristéos quanto seus opositores eram judeus. Portanto, nesse versiculo ¢ em outras 11 passagens de Atos (13:45, 50; 14-4, 19; 17:5, 13; 18:12, 28; 20:3, 19: 21:27) a palavra “ndo- crentes”, “incrédulos” ou expressdes equivalentes ¢ adicionada a “judeus", a fim de deixar claro a quais judeus 0 texto se refere: veja também 14:2&N. Para .98 primeiros leitores, a palavra “foudaioi” sem modificagdes provavelmente era clara o suficiente; mas os leitores de hoje, devido a vinte seculos de historia, podem facilmente ler na palavra “judeus” sem modificadores uma tendéncia ~“ anti-semita que ndo estava presente no texto escrito por Lucas. Veja tambem a Segdo 5 (Questées relativas a traducdo) na Introducao do NTJ. 23-31 Quanto as diferencas entre esse relato da historia da vida de Sha'ul e 0 relato de Gl 1-2:11, veja as notas ali Sha'ul causava tumulto onde quer que fosse, quer estivesse se opondo (7:58-8:3) ou proclamando o evangelho (esse versiculos e outros adiante). Os irmaos o enviaram a Tarso para que outros aspectos da vida espiritual de Sha'ul pudessem ficar tio robustos quando seu zelo (v. 30). Foi somente depois disso que a comunidade messianica desfrutou de paz (v. 31). 29 Judeus de lingua grega. Veja 6:1N. 32 A narrativa volta para Kefa. A ultima referéncia a ele estava vinculada av seu retorno de Shomron (8:25). Lud ou Lod; outras versées em portugués trazem Lida. Fica na planicie abaixo de Yerushalayim, a uns 16 quilémetros a oeste de Yafo (v. 386N) e da atual Tel Aviv, e a pouco mais de 3 quilémetros do aeroporto David Ben-Gurion. Tem hoje uma populacao mista, composta por arabes e judeus. 35a Um movimento em massa, ocortido entre 0 povo judeu, de assumir a fé em Yeshua, fendmeno semelhante ao relatado no v. 42, na area de Yafo. Sha- ron é uma planicie reta, que fica entre o norte de Lud e 0 norte de Yafo. 35b-36. Tavita (que significa “gazela”). A maioria das versdes em por- tugués nao traduz o grego dorkas, que é 0 equivalente grego do nome hebraico Tavita, mas simplesmente faz a transliteracdo que resulta em “Dorcas”. Fazendo tzedakah, obras de caridade: veja Mt 6:1-4N. 38 Yafo ou Jaffa: outras versGes em portugués trazem Jape. £ uma cida- de costeira, vizinha da atual Tel Aviv no lade sul, onde um promontério forma 286 Atos um porto natural, que fica protegido dos fortes ventos de sudoeste que podem levantar ondas com quasc 5 metros de altura nas tempestades de inverno. 43 Shimon, um curtidor de coury, cheitava mal o tempo todo; sua profissao era garantia disso. A simplicidade de Kefa, sua identificacao direta com pessoas comuns, @ demonstrada por ele ter permanecido em Yafo duran- te mais algum tempo com ele; na giria hebraica moderna, Keta seria chamado de “amkha’ (seu [tipo de] gente). Corinto 10 2 Um “temente a Deus”. A expressdo grega phoboumenos ton theon, “aquele que teme a Deus”, € considerada por muitos estudiosos um termo que descreve um gentio que se vinculou ao judaismo, mas que escolheu nao se submerer 4 conversdo formal, que incluia circuncisdy e imersao publica (batismo do prosélito). Essa classe de gentios, conhecida na judaismo camo 05 *prosélitos do portdo”, era bastante numerosa nessa época. Eles eram atra- idos pela nobreza do culto judaico ¢ pela verdade do Deus tinico que tinha se revelado na Biblia, mas, por diversos motivos, nao tinham se tornado judcus, Veja 13:16N. Fle contributa de forma generosa para ajudar os judeus pobres. 0 texto nao diz “o judeu pobre”, mas “o povo", do grego Jaos. Entretanto, “iaas’ ¢ freqiicntemente um termo técnico que se refere a0 povo judeu, o povo de Deus, nao as pessoas em geral; por isso optou-se por essa tradugio. E orava com regularidade a Deus. A semelhanca de Rute no Tanakh (Rute 1°16), esse gentio temente a Neus tinha aceitado dois aspectus esseuciais do culto verdadeiro (veja discussao anterior, em 2:1N): (1) “Sell povo sera meu povo.” Embora Cornélio nao tenha se unido oficialmente ao povo judeu, ele cu: dava deles como sc fossc scu proprio povo, (2) “E seu Deus sera meu Deus.” Ele orava ao Deus de Israel. Ou, olhando de outra perspectiva, ele tinha obras que eram fruto da fé (Rm 1:5, 16:26; Gl 5:6; Ef 2:10; Ya 2:14) - que é como o Novo Iestamento define a religiao verdadeira (Ya 1:27), assim coma faz 0 Tanakh (Miquéias 6:8, Eclesiastes 12:13). 12-14 Levitico 11 especifica que apenas animais de quatro patas, que ruminaim € gue tém o casco fendido, sao kosher (adequado) para o povo judeu comer. Nenhum reprll pode ser comido, e as aves permitidas sao listadas pelo nome. Na visdo de Kefa todas as espécies de criaturas apareceram, incluindo as que nao eram kosher ou treif. A palavra “treif’ significa “rasgado” e, na ver dade, refere-se a animals abatidos por predadorcs c que ndo foram sacrificados de acuidu cum a pidlica judaica. O “judeu-portugués” moderno (veja Secdéo 4 da Introducao ao NT estende esse significado para incluir alimentos que. por algum motivo, nao sao kosher. a 17-19 Kefa ainda estava reflctindo profundamente sobre o signi- o.da visdo que tivera... A mente de Kefa ainda estava ocupada com Q que isso poderia significar? Deus estabeleu uma alianga com 0 povo ; dewthes a Tord eterna no mante Sinat, ¢ é tmurAvel. Fstarla Deus mudan- un tornar impuros os animais kosher? Esse é 0 significado aparen: mentaristas crist&os afirmam que, de fato, esse é o significado. a afirmacdo clara que aparece poucos versiculos depois que, Atos por fim, resolvem a perplexidade de Kefa: “Deus me mostrou que nao devo cha- mar nenhuma pessoa de vulgar ou impura” (v. 28&N). Por isso, a visdo se refere a pessoas € nfo a comida. Deus nao revogou as leis judaicas que tratam da dieta. Yeshua disse: “Nao pensem que vim abolir a Tord’ (Mt 3:17-208NN). Yeshua aboliu a kashrut? Lssa questao especifica ja foi levantada em Me 7:198N, ld se conclui que ele nao a aboliu, Na visdo de Kefa, 0 lenco! que desceu dos ces continha todos os Upos de animais: animais selvagens, répteis ¢ aves. No entanto, nao conhe¢o nenhum intérprete da Biblia insistindo que aguia, abutres, corujas, morcegos, doninhas, camundongos, lagartos, crocodilos, camaleoes, cobras, aranhas € insetos devem agora tornar-se comestiveis. Deus especifica em Levitico 11 0 que os judeus devem considerar “alimento”. Mais tarde, a forma pela qual as leis da kashrut se adequaram a Nova Alianca é esclarecida para Kefa e para nds {G1 2:12b@N, 14b&N), 20 Nao receie em ir com o grupo de gentios. Veja v. 28N. 21. Eis-me aqui. Veja 9:10N. 25-26 Caiu prostrado a seus pés para darlhe boas-vindas, também para honra-lo como mensageiro de Deus, mas ndo para ‘adora-lo” (como consta emalgumas versdes em portugués). Na qualidade de "temente a Deus", Cornelio agiria de forma mais adequada. Ele agiria de maneira semelhante a esposa do rabino Akiva, que se prostrou e beijou seus pés quando ele retornou depois de 12 anos de estudo yeshivah, mas certamente nao o adorou (Talmud, Ketubot 63a). No entanto, a reacdo de Kefa - "“Levante-se! Eu sou apenas um homem’ — mostra que ele interpretou equivocadamente como ato de idolatria a reagao de Cornélio, coisa que se esperaria de um pagdo: provavelmente o pescador vindo de Galil nunca tinha presenciado algo semelhante. 28 Vocés tém conhecimento de que para um judeu ter uma asso- ciagao menos formal com alguém que pertence a outro povo, ou mesmo lo, é algo que nao deve ser feito. Antes de examinar se, Ue fato, os judeus se mantém afastados dos gentios, observe como Kefa foi cuidadoso na hora de escolher as palavras. Ele nao usa “erhné’, a palavra comumente usada do Novo Testamento para “gentios”, equivalente a goyim no hebraico, pois isso poderia transmitir nuancas depreciativas (Mt :4/N). O termo usado for “atlo- phulos’, “alguém que pertence a outra tribo”, um termo que s6 aparece nessa passagem do Novo Testamento. O mesmo vale para o termo “athemitos’, usado apenas duas vezes no Novo Testamento. O termo nao significa “ilicito, proibido, contra a lei judaica’, como consta de outras versdes em portugués. Em vez dis: so, o termo significa “tabu, fora de quest4o, algo que nao é considerado correto, contra a pratica tipica, contrario as normas culturais”. Nao é dificil encontrar evidéncias nas fontes judaicas para as coisas das quais os gentios “tém conhecimento”. Embora nada na lei judaica afirme que os gentios sejam vulgares ou impuros, muitos de seus produtos e praticas eram considerados veiculos de impureza ritual ou, por outros motivos, eram proibidas aos judeus. A certa altura a Mishna afirma de maneira direta: As habitacdes dos gentios [literalmente “cananeus”, significando gentios na terra de Israel] sdo ritualmente impuras, (Ohalot 18:7) 288 Atos Boa parte do tratado ‘Avodah Zarah (Adoragao aos idolos) da Mishna é Uevotada a limitar os contatos que os judeus podem ter com os gentios (lite ralmente, “adoradores de idolos"). Pur exemplo, de acordo com 0 capitulo 2, os Judeus nao podem ficar sozinhas com gentlos, detxar gado em suas estre- barias, ajuda-los no parto, amamentar seus filhos, fazer negécios com eles quando estiverem viajando para festividades idolatras, beber leite, vinagre ou vinho produzido por eles (é por isso que existe “vinho kosher”, 0 Tanakh nao fala nada a respeilo disso), nem usar o leo, comer pao ou vegetais em conserva nem (na Gemara dessa secao) a comida cozida. A Biblia limita os judeus a comerem comida kosher (Levitico 11), sacrificada de acordo com a lei judaica (Deuteronémio 12:21), sobre a qual 9 dizimo tenha sido pago (Levitico 22:15). Na Gemara, o Sanhedrin 104 afirma quc o rei Ezequias, por ler cunvidado pagdos a entrar em sua casa e comer em sua mesa, fez que seus filhos fassem para 0 exilio. No entanto, a Mishna nao trata da comunhao a mesa entre judeus e gentios como algo inteiramente estranho, j4 que uma essio se inicia com a expressdo “Se um israelita estiver comendo 4 mesa com um gentio”, antes de declarar uma lei que trata do vinho que pode ger bebido nessa ocasiao (‘Avodah Zarah 5:5). Dois aspectos devem ser observadus. Em primeiro lugar, ao longo da maior parte do periodo coberto pelo Tanakh, a principal forma pela qual 0 povo judeu se rebelou contra Deus foi seguir idolos. Embora 0 Janakh exija que os judcus tratem bem os gentios que vivem no meio deles, os judeus que andam apés os gentios correm 0 risco de serem eliminados de seu povo ¢ das promes sas de Deus. Foi por isso que Nehemyal insistiu para que os homens judeus se divorciassem dle suas esposas gentias (Neemias 13°23-31). Na époea do periodo do segundo Templo, quando a maioria dos judeus vivia em ambientes gentios (ou seja, na Didspora) e o proprio povo de Israel era governado por gentios, a ameaca de a identidade judaica ser assimilada tornou sc ainda mais intensa, lamito em seu aspecto nacional quanto religioso. Assim, embora a observancia dos detalhes das lets de mpureza ritual ndo fosse disseminada, a énfase geral da vida na sociedade judaica promovia esse tipo de afastamento dos gentias, 0 afastamento auto-imposto mencionado por Kefa. Tm segundo lugar, embora nao seja dificil encontrar passagens nos esc tos judaicos que déem suporte a afirmacdo de que os proprios judeus mantém- se separados dos genlivs, fiz cilaydes seletivas do Talmud para fundamentar minha argumentacao, Durante a Idade Média, as autoridades cristas abusaram dessa citacdo seletiva, com consequiéncias horrendas para as comunidades ju- dias daquela época. Nao se ensinava para as pessoas que o Talmud, assim como © oceano, contém um pouco de cada coisa. Clas aprendiam que o Talmud cn sina a xenofobla © que deprecia os nau-judeus. Fizeram vista grossa para as passagens que ensinam a igualdade de Todas as pessoas diante de Deus. 0 mesmo aconteceu com as passagens que sustentam padres éticos elevadas e imparciais. Esse retrato deformado do judaismo intlamou cristaos professos a perpetrar atos de violéncia contra os judcus. Pclo mesmo motivo, milhares de eOpias do Talmud foram queimados. Entretanto, Deus me mostrou que ndo devo chamar nenhuma pes- fos gentios. A maior parte dessas atitudes teria sido captada no ar citamente ensinada, teria sido absorvida do ambiente em geral; de tais altitudes leria rapidamente permeado tudo. Foi por isso Atos. 289 que se fez necessaria uma intervencdo direta de Deus para sacudir Kefa e fazé- lo se livrar dessa influéncia. Atém disso, como se explicou nos wy. 17-19N, esse versiculo prova que © significado da visio de Kefa nada tinha a ver com a revogacao das leis de kashrut. Com essa afirmacao, ¢ sua expansao nos vy. 34-35, Kefa coloca sua con- duta com Cornélio e seus amigos em outro nivel: removeu-se uma barreira que 9s dois lados poderiam considerar insuperdvel, que impossibilitaria a verdadel- ra comunhao espiritual. 30 Eu estava fazendo as oracdes de minchah em minha casa. Lite- ralmente: “Eu estava orando na minha casa na hora nona.” Veja 3:1N. 34-35 Deus é imparcial; todos os que o temem e fazem o que é cer- to Ihe so aceitaveis, sem importar a qual povo - ou, como diriamos hoje, ndo importa a que grupo étnico ~ pertencem. 0 judaismo dos rabinos tem um _ensino comparavel: entre as nacdes ha pessoas justas “que tém sua porcao no undo que ha de vir" (Tosefta, Sanhedrin 13:2), onde a justica para os gentios reqiientemente é definida como a observancia das sete leis estabelecidas des- de 08 tempos de Nog (veja 15:208N). \’ 36-43 Os pontos do sermao que Kefa pregou para esses gentios tementes