Você está na página 1de 2

O Crente e o Trem

Violo: Principal

9.823 exibies
Tom: C
C
G7
C
Olhando sobre os dormentes, no trilho que corre o trem.
C
G7
C
Eu fico a meditar, na vida que o crente tem.
F
G
Pois o crente o como o trem e nos trilhos tem que andar.
G
C
G7
C
Mesmo que haja tempestade no devemos desviar.
C
G7
C
Tem crente que fala muito criticando seu irmo
C
G7
C
Mas no tem a vida certa, s vive em murmurao
F
G
igual locomotiva, que apita sem ter razo
G
C
G7
C
Fazendo muito barulho, mas no chega na estao
C
G7
A televiso ligada na novela
C
G7
Faz o irmo chegar na igreja
F
Esse crente mais parece como
G
C
Quando chega na ladeira quer

C
e filme tambm.
C
s na hora do amm.
G
o velho e fraco trem
G7
C
subir fora no tem.

C
G7
C
Hoje em dia a mocidade esta perdendo o temor
C
G7
C
Cortando os seus cabelos entristecendo o Senhor
F
G
igual locomotiva com ferrugem no injetor
G
C
G7
C
Que no anda quase nada e s sabe soltar vapor.
C
G7
C
Tem irm que muito crente, mas vive de cara fechada
C
G7
C
Na frente a saia ta longa e atrs est rachada
F
G
um trem com a roda solta, que precisa concertar,
G
C
G7
C
Pois nas curvas perigosas pode at descarrilar.
C
G7
C
Tem crente que bebe muito, ate se embriagar
C
G7
C
Esse ai tem a certeza que no cu no vai entrar
F
G
Pois a porta l estreita e difcil de passar.
G
C
G7
C
Por que est cheio de lcool mais fcil pra queimar

C
G7
C
Por aqui vou encerrando a minha comparao
C
G7
C
Meditando neste verso, muitos vo me dar razo
F
G
Vou seguindo a minha trilha com destino a estao
G
C
G7
C

Jesus Cristo o maquinista, e o trem a congregao.