Você está na página 1de 3
INDICIOS, OBSERVAÇÕES E DISCUSSÕES – REAÇÕES INORGÂNICAS. SEMINÁRIO UNIDADE I – POR UELDER JEFERSON PARTE

INDICIOS, OBSERVAÇÕES E DISCUSSÕES REAÇÕES INORGÂNICAS.

SEMINÁRIO UNIDADE I POR UELDER JEFERSON

PARTE A

A.1. Colocou-se cerca 0,5g dióxido de chumbo (PbO2) numa tampinha metálica, segurou-se com uma pinça a aqueceu-se num bico de Bunsen. Aproximou-se um palito de fósforo aceso e observou-se.

INDICIO DE OCORRÊNCIA DE REAÇÃO: observou a mudança de coloração, onde o PbO2 de coloração preta para um tom amarelo. E desprendimento de um gás inodoro.

OBSERVAÇÕES E DISCUSSÕES

Ao aquecer o sistema, proveniente da ação do calor houve a decomposição do dióxido de chumbo em oxido inferior e gás oxigênio. Sendo que o O2 age como um comburente que “alimenta” a chama do fósforo. A mudança de coloração de preto para amarelo indica que houve sua transformação de um oxido superior para um inferior ou menos oxidado.

de um oxido superior para um inferior ou menos oxidado. A.2 Colocou-se num tubo de ensaio

A.2 Colocou-se num tubo de ensaio 2g de carbonato de cobre II (CuCo3 II) e aqueceu-se com cuidado. Aproximou um palito de fosforo acesso na boca do tudo de ensaio.

INDICIO DE OCORRÊNCIA DE REAÇÃO:

Mudança de coloração do carbonato de cobre II de cinza claro para um preto intenso e desprendimento de um gás inodoro.

OBSERVAÇÕES E DISCUSSÕES

Ao aquecer o sistema notou-se a ocorrência de uma reação de decomposição, pois o carbonato de cobre II por ação do calor se decompôs em oxido de cobre (CuO) e gás carbônico (CO2). A mudança de coloração de (cinza claro) para (preto intenso) indica que houve sua transformação de um oxido superior para um inferior ou menos oxidado.

claro) para (preto intenso) indica que houve sua transformação de um oxido superior para um inferior

PARTE B

B.1. Num tubo de ensaio colocou-se 1 mL de sol. de KMnO4 e 1 mL de sol. 6 mol/L de HCl.

INDICIO DE OCORRÊNCIA DE REAÇÃO:

Mudança tardia da coloração que passou de rosa a marrom quase amarela

esverdeada,

OBSERVAÇÕES E DISCUSSÕES

Percebeu-se que houve uma reação evidenciada pela mudança de coloração do sistema que passou de rosa a marrom quase amarela esverdeada, cor

característica do cloreto de manganês. O kmno4 é muito oxidante, e por isso não ocorre à formação de outro acido e outra base. É uma reação de oxirredução, onde ocorre a variação de nox nos produtos formados. Ocorre ainda a liberação de cloro molecular, que tem odor característico. Nesta reação

o KMnO4 é o agente oxidante, que faz com que ocorra a oxidação ao aceitar

elétrons (com isso ele fica reduzido) e HCl é o agente redutor que causa a redução perdendo elétrons( e assim ele fica oxidado).

a redução perdendo elétrons( e assim ele fica oxidado). B.1.1. Colocou-se uma pequena quantidade de dióxido

B.1.1. Colocou-se uma pequena quantidade de dióxido de manganês em um tubo de ensaio e juntou-se a 1 mol de ácido clorídrico concentrado, sentiu-se o odor e colocou-se imediatamente papel de filtro umedecido em uma solução de iodeto de potássio.

INDICIO DE OCORRÊNCIA DE REAÇÃO:

Mudança de coloração do sistema, que adquiriu coloração verde escuro, e a formação de bolhas, sendo que se trata de cloreto de hidrogênio.

DISCUSSÕES

Esta é uma reação de oxirredução, onde o MnO2 é o agente oxidante e o HCl é

o agente redutor. O agente oxidante se decompõe em MnO e O2 , sendo que o

gás oxigênio ira reagir com o agente redutor e formar água e cloro molecular. Este Cl2 ira reagir com o papel embebido de iodeto de potássio, podendo

deslocar o iodo, por ser mais reativo que ele, formando assim KCl e I2.

o papel embebido de iodeto de potássio, podendo deslocar o iodo, por ser mais reativo que

B.2.