Você está na página 1de 1

Beatriz Rufino é arquiteta e ur- banista. Mestre pelo programa de Planejamento e Projecto em Am- biente Urbano da Universidade do Porto (FEUP-UP) e doutora pela Universidade de São Paulo (FAU-USP), atualmente é profes- sora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo.

A compreensão da ampliação da

importância da produção imobi-

liária na transformação das cida-

des brasileiras é a questão central deste livro. Referenciando-se nas mudanças

do contexto nacional, Beatriz Rufino debate o significado desses processos a partir de Fortaleza – Ceará. Nessa me- trópole, verificou-se, durante a primei- ra década do século XXI, um expressivo aumento do número de lançamentos imobiliários e uma intensa diversificação dos empreendimentos, coincidentes ao fortalecimento da atuação de grandes incorporadoras nacionais e locais.

Partindo das relações de produção do imobiliário sob o domínio da incorpora- ção, a autora discute a reorganização do capital no setor, a atuação dos principais agentes envolvidos, suas estratégias para maximizar os ganhos e os reflexos na produção do espaço. O que esse per- curso permite decifrar, é o fortalecimen- to da atividade de incorporação e seu crescente entrelaçamento com o capital financeiro, determinante na condução de um importante movimento de cen- tralização do capital no setor imobiliário que ganhará força na redefinição da ur- banização da metrópole.

tralização do capital no setor imobiliário que ganhará força na redefinição da ur - banização da
INCORPORAÇÃO DA METRÓPOLE N esse livro, a arquiteta e urba- nista Beatriz Rufino nos pre-
INCORPORAÇÃO DA METRÓPOLE
N esse livro, a arquiteta e urba-
nista Beatriz Rufino nos pre-
Transformações na produção imobiliária
e do espaço na Fortaleza do século XXI
senteia com os resultados de sua
pesquisa de doutorado, na qual
abordou com requintes teórico-
-metodológicos o papel do setor
imobiliário na condução do pro-
BEATRIZ RUFINO
cesso de restruturação da cidade
de Fortaleza (CE). Ao investigar
a
complexidade do setor imobili-
ário, a autora identifica e analisa
um conjunto de agentes, segundo
seus papéis, visões e interesses.
Além disso, explica as distintas
formas como o capital imobiliário
e
financeiro se espacializam nas
suas muitas e diferentes frentes de
expansão. Este trabalho preenche
importante lacuna nos estudos so-
bre Fortaleza, permitindo melhor
compreensão das históricas dis-
paridades socioespaciais que as-
solam essa metrópole incompleta,
cada vez mais desigual. Fortale-
za ganha uma nova e reveladora
obra. Apesar das especificidades
locais, o conteúdo deste livro re-
vela um quadro de dinâmicas
espaciais contemporâneas da in-
corporação imobiliária inerente a
muitas outras cidades brasileiras.
Luiz Renato Bezerra Pequeno
Professor Associado do Departa-
mento de Arquitetura e Urbanis-
mo, Programa de Pós-Graduação
em Geografia da Universidade
Federal do Ceará (UFC).
MARKUS BROSEINCORPORAÇÃO
QUANTO VALE
DA A METRÓPOLE
CHUVA?
BEATRIZ RUFINO