Você está na página 1de 4
0 0 5 3 6 1 9 9 7 2 0 1 6 4 0
0 0 5 3 6 1 9 9 7 2 0 1 6 4 0

0

0

5

3

6

1

9

9

7

2

0

1

6

4

0

1

3

4

0

0

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO SEÇÃO JUDICIÁRIA DO DISTRITO FEDERAL

Processo N° 0053619-97.2016.4.01.3400 - 22ª VARA FEDERAL Nº de registro e-CVD 00003.2016.00223400.1.00274/00136

PROCESSO: 53619-97.2016.4.01.3400 CLASSE:EXIBIÇÃO DE DOCUMENTO OU COISA AUTOR: MARIANA CARVALHO PINHEIRO RÉU:ESAF - ESCOLA DE ADMINISTRACAO FAZENDARIA, UNIAO FEDERAL

DECISÃO

Trata-se de medida cautelar de exibição de documentos com pedido de

antecipação de tutela para que seja garantido à autora o acesso ao modelo de resposta

das questões discursivas do Concurso Público para provimento de cargo de Analista de

Planejamento e Orçamento – APO, Edital ESAF nº 32, de 29 de junho de 2015, “seja

através da expedição de mandado de exibição do referido documento, sem a audiência

da parte contrária, pelo prazo suficiente para que sejam extraídas e autenticadas

fotocópias pela Escrivania do Juízo ou de outra maneira garantido o acesso da autora” (fl.

10).

Relata que a banca examinadora do certame para o cargo de Analista de

Planejamento – APO, Edital ESAF nº 32/2015 indeferiu seu recurso em face da correção

da questão discursiva da disciplina Políticas Públicas e a Realidade Brasileira.

Afirma que a justificativa do indeferimento da questão recomenda à

candidata a leitura do “modelo de resposta apresentado pelo examinador junto à ESAF”,

mas, quando solicitada a cópia deste documento pela requerente, a requerida se recusou

a disponibilizar vista desse documento sob a alegação de que aquele documento foi

elaborado por determinação judicial e que “Para o concurso em referência o documento

solicitado não existe, razão pela qual o pedido não poderá ser atendido”.

É o relatório.

Documento assinado digitalmente pelo(a) JUÍZA FEDERAL IOLETE MARIA FIALHO DE OLIVEIRA em 16/09/2016, com base na Lei 11.419 de

19/12/2006.

A autenticidade deste poderá ser verificada em http://www.trf1.jus.br/autenticidade, mediante código 63780883400215.

0 0 5 3 6 1 9 9 7 2 0 1 6 4 0
0 0 5 3 6 1 9 9 7 2 0 1 6 4 0

0

0

5

3

6

1

9

9

7

2

0

1

6

4

0

1

3

4

0

0

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO SEÇÃO JUDICIÁRIA DO DISTRITO FEDERAL

Processo N° 0053619-97.2016.4.01.3400 - 22ª VARA FEDERAL Nº de registro e-CVD 00003.2016.00223400.1.00274/00136

Decido.

Observo que o processo diz respeito apenas à vista de modelo de resposta de questão em certame.

Decido, então, o pedido de liminar.

Conforme disposto no art. 300 do NCPC, para o deferimento da tutela de urgência são necessários elementos que evidenciem a plausibilidade do direito e o perigo de dano ou o risco ao resultado útil do processo. No tocante à prova inequívoca do alegado, observo, nessa primeira análise, que a banca examinadora feriu os princípios administrativos da motivação e da publicidade insculpidos no art. 37, caput, da Constituição Federal do Brasil e no art. 2º, caput, da Lei nº 9.784/99.

Os examinadores, ao mencionarem o “modelo de resposta apresentado pelo examinador junto à ESAF” em suas justificativas para o indeferimento do recurso administrativo, inclusive orientando à candidata recorrente que o lesse, materializaram o direito da candidata ao acesso a esse documento.

Entretanto, o acesso a esse documento foi indeferido sob a justificativa os modelos de resposta divulgados no âmbito do concurso público para

de que

Procurador da Fazenda Nacional foi elaborado por força de ordem judicial. Para o concurso em referência o documento solicitado não existe, razão pela qual o pedido não poderá ser atendido”.

“(

)

Ocorre que o art. 5º, XXXIII, da Constituição Federal determina que “todos têm direito a receber dos órgãos públicos informações de seu interesse particular, ou de interesse coletivo ou geral, que serão prestadas no prazo da lei, sob pena de

Documento assinado digitalmente pelo(a) JUÍZA FEDERAL IOLETE MARIA FIALHO DE OLIVEIRA em 16/09/2016, com base na Lei 11.419 de

19/12/2006.

A autenticidade deste poderá ser verificada em http://www.trf1.jus.br/autenticidade, mediante código 63780883400215.

0 0 5 3 6 1 9 9 7 2 0 1 6 4 0
0 0 5 3 6 1 9 9 7 2 0 1 6 4 0

0

0

5

3

6

1

9

9

7

2

0

1

6

4

0

1

3

4

0

0

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO SEÇÃO JUDICIÁRIA DO DISTRITO FEDERAL

Processo N° 0053619-97.2016.4.01.3400 - 22ª VARA FEDERAL Nº de registro e-CVD 00003.2016.00223400.1.00274/00136

responsabilidade, ressalvadas aquelas cujo sigilo seja imprescindível à segurança da sociedade e do Estado”.

Também o art. 3º da Lei nº 12.527/2011 (Lei de Acesso à Informação) estabelece como diretriz para a atuação da Administração a “observância da publicidade como preceito geral e do sigilo como exceção”.

Assim, não pode a Administração negar-se a fornecê-lo à requerente.

A princípio, o fato de haver sido produzido por força de ordem judicial não o torna sigiloso, a não ser que haja determinação judicial para tanto, inclusive porque “todos os julgamentos dos órgãos do Poder Judiciário serão públicos, e fundamentadas todas as decisões, sob pena de nulidade, podendo a lei limitar a presença, em determinados atos, às próprias partes e a seus advogados, ou somente a estes, em casos nos quais a preservação do direito à intimidade do interessado no sigilo não prejudique o interesse público à informação” (art. 93, IX, da CF/88).

Quanto ao periculum in mora, o mesmo decorre de que o certame está em andamento sem a participação da requerente, sendo possível que outros candidatos preencham a vaga pretendida por ela.

Ante o exposto, DEFIRO A LIMINAR para que a ré exiba os documentos pretendidos pela autora, ou seja, o modelo de resposta das questões discursivas mencionado às fls. 59 e 63 pela banca examinadora dos recursos do Concurso Público para provimento de cargo de Analista de Planejamento e Orçamento – APO, Edital ESAF nº 32, de 29 de junho de 2015.

A exibição poderá ser feita nos autos ou mediante disponibilização dos documentos no sítio da ESAF na internet (com a comunicação do mesmo por telefone ou

Documento assinado digitalmente pelo(a) JUÍZA FEDERAL IOLETE MARIA FIALHO DE OLIVEIRA em 16/09/2016, com base na Lei 11.419 de

19/12/2006.

A autenticidade deste poderá ser verificada em http://www.trf1.jus.br/autenticidade, mediante código 63780883400215.

0 0 5 3 6 1 9 9 7 2 0 1 6 4 0
0 0 5 3 6 1 9 9 7 2 0 1 6 4 0

0

0

5

3

6

1

9

9

7

2

0

1

6

4

0

1

3

4

0

0

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO SEÇÃO JUDICIÁRIA DO DISTRITO FEDERAL

Processo N° 0053619-97.2016.4.01.3400 - 22ª VARA FEDERAL Nº de registro e-CVD 00003.2016.00223400.1.00274/00136

por email da disponibilidade).

Intime-se, com urgência, a ESAF para cumprimento da liminar, citando-a

para, querendo, apresentar contestação no prazo legal.

Publique-se.

Brasília, DF, 16 de setembro de 2016.

IOLETE MARIA FIALHO DE OLIVEIRA Juíza Federal Titular da 22ª Vara/DF

Documento assinado eletronicamente

Documento assinado digitalmente pelo(a) JUÍZA FEDERAL IOLETE MARIA FIALHO DE OLIVEIRA em 16/09/2016, com base na Lei 11.419 de

19/12/2006.

A autenticidade deste poderá ser verificada em http://www.trf1.jus.br/autenticidade, mediante código 63780883400215.