Você está na página 1de 6

INSTITUTO FEDERAL DE GOIAS - IFG BACHARELADO EM QUÍMICA CARLOS EDUARDO KÁSSIO DE AQUINO

RELATÓRIO: DETERMINAÇÃO DA PUREZA DA SODA CAUSTICA COMERCIAL

GOIÂNIA

2016

INSTITUTO FEDERAL DE GOIAS - IFG

BACHARELADO EM QUÍMICA CARLOS EDUARDO

KÁSSIO DE AQUINO

RELATÓRIO: DETERMINAÇÃO DA PUREZA DA SODA CAUSTICA COMERCIAL

Relatório

científico

apresentado à

Coordenação de Química do Instituto Federal Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás- campus Goiânia, sob orientação da Profa. Msa. Joema Cardoso

1. INTRODUÇÃO

GOIÂNIA

2016

A soda caustica, NaOH, é uma substancia branca e uma base forte, pois seu cátion é um metal alcalino. Esta substância é muito instável, pois absorve água da atmosfera muito rapidamente e reage com o dióxido de carbono (CO²) presente no ar. Sua utilidade é em grande escala e nos mais variados setores

como produções de: Papel, sabões, detergente, tratamento de água, cosméticos, alvejamento de tecidos e também é a base para produção de hipoclorito de sódio. Porém existe um problema, na maioria dos casos as substâncias estudadas apresentam algumas impurezas e elas devem ser desprezadas, pois podem contaminar o processo ou formar produtos secundários os quais podem não ser de interesse para o procedimento químico ou até atrapalhar os resultados ou o procedimento feito. Dessa maneira, quando aparecer impurezas em qualquer reagente devemos extraí-la para poder efetuar a estequiometria apenas com reagentes puros para quando efetuarmos os cálculos, estes saiam com os valores reais de nossa substância, sem interferentes.

  • 2. OBJETIVO

Determinar o teor (concentração) de hidróxido de sódio (NaOH) na soda cáustica, verificando por meio deste a pureza da amostra analisada.

  • 3. MATERIAIS E MÉTODOS

  • 3.1 Materiais

Béquer de 400mL

Espátula e bastão de vidro

Proveta de 250mL

Balão volumétrico de 1000mL

Erlenmeyer de 250mL

Pipetas volumétricas de 50mL

Manta aquecedora e reostato

Termômetro

Bureta de 50mL

Pipeta graduada de 10mL

  • 3.2 Reagentes

Soda cáustica comercial

Fenolftaleína 1%

Solução de ácido clorídrico 0,1 mol/L

Solução de cloreto de bário 5%

Alaranjado de metila 1%

Foi pesado num béquer de 400mL cerca de 5g de soda cáustica e adicionado cerca de 250mL de água destilada para dissolver a amostra. Agitou- se com cuidado, pois a amostra é corrosiva! Foi transferido quantitativamente para um balão volumétrico de 1000 mL. Lavou-se o béquer com porções de água destilada e completou-se o menisco no traço de aferição. logo em seguida agitou-se bastante o balão.

Pipetou-se duas alíquotas de 50 mL da solução da amostra que foi transferido para dois erlenmeyer de 250 mL. No primeiro erlenmeyer, foi adicionado duas gotas do indicador alaranjado de metila. Lavou-se a bureta com a solução de HCl 0,1 mol/L e foi acertado o menisco. Titulou-se a amostra do primeiro erlenmeyer até mudança de cor de alaranjado para vermelho (rosado). O volume foi anotado. No segundo erlenmeyer, foi aquecido outra alíquota de 50 mL até 50C e foi-se adicionando gota a gota, com o auxílio de uma pipeta, solução de cloreto de bário 5% até que não se forma-se precipitado.

foi resfriado a temperatura ambiente, e adicionando duas gotas de fenolftaleína 1%. Acertou-se e titulou-se com solução de ácido clorídrico 0,1 mol/L muito lentamente, com agitação constante.

  • 4. RESULTADOS E DISCUSSÃO

Após a realização dos experimentos os resultados dos volumes gastos

nas titulações foram esquematizados da forma abaixo, onde

Foi pesado num béquer de 400mL cerca de 5g de soda cáustica e adicionado cerca de

é

o

Foi pesado num béquer de 400mL cerca de 5g de soda cáustica e adicionado cerca de

volume gasto na titulação com fenolftaleína e é o volume gasto na titulação com alaranjado de metila.

  • 1. V - 2(V - v) = 0,0115 - 2(0,0115 - 0,0113) = 0,0111

  • 2. V - 2(V - v) = 0,0113 - 2(0,0113 - 0,0112) = 0,0111

  • 3. V - 2(V - v) = 0,0114 - 2(0,0114 - 0,0113) = 0,0112

De posse dos volumes gastos em cada uma das titulações, foi possível tirar uma média aritmética destes volumes:

X = 0,0111 + 0,0111 + 0,0112 = 0,01113

3

Obedecendo

a

fórmula:

%NaOH

VacMacF40100÷ Massa da amostra0,1

, Temos que:

0,011130,089640100 ÷ 0,5640,1

¿

77,2

=

De posse dos volumes gastos em cada uma das titulações, foi possível tirar uma média aritmética
De posse dos volumes gastos em cada uma das titulações, foi possível tirar uma média aritmética

Onde

ficou comprovado que a soda cáustica em estudo, possui 77,2% de pureza.

5. CONCLUSÃO

Com as devidas análises, foi possível determinar a quantidade de matéria (pureza) da soda cáustica que apresentou 77,2% de pureza e assim avaliar se ele atende ou não as especificações e necessidades de quem o utilizarão.

6. REFERÊNCIAS

DERBLY, Jorge; Estequiometria, rendimento, pureza; Disponível em:

http://quimica10.com.br/10/wp-content/uploads/2009/01/20-e28093-

estequiometria-e28093-rendimento-pureza.pdf Acesso em: 07 de abril de 2013.