Você está na página 1de 18
ANAMNESE
ANAMNESE

Prof. Ivan da Costa Barros

A HISTÓRIA CLÍNICA

ou ANAMNESE

Figura pela qual recordamos de coisa esquecida. Reminiscência, recordação.

Informação acerca do princípio e evolução de determinada doença, até a

primeira observação do médico.

Aspectos Históricos
Aspectos Históricos
Aspectos Históricos •   Adotado desde a Grécia Clássica; •   Recomendados com interesse diagnóstico n

Adotado desde a Grécia Clássica; Recomendados com interesse diagnóstico no último século; Diagnósticos eram baseados nas crenças gregas da existência de um desequilíbrio entre a bile amarela , bile negra, sangue e fleuma; Hipócrates (460-375 a.C ) inclui a inspeção e a palpação dos pacientes como parte do exame dos doentes;

Aspectos Históricos (2)
Aspectos Históricos (2)
Aspectos Históricos (2) •   Montanus introduz em Pádua, em 1543, o ensino prático à beira

Montanus introduz em Pádua, em 1543, o ensino prático à beira do leito;

Morgani, Corvisart, Laennec e outros, adotam estas mudanças em Paris, depois da revolução francesa;

Sir Willian Osler (1647) valoriza, na Inglaterra, o ensino à beira do leito;

Avanços na fisiologia, patologia, farmacologia e microbiologia promovem o desenvolvimento da medicina atual.

O método clínico
O método clínico
O método clínico •   Diagnóstico - coleta sistemática de dados : •   Anamnese, •

Diagnóstico - coleta sistemática de dados :

Anamnese, Exame físico (inspeção, palpação, percussão e ausculta do paciente). Análise de exames complementares Tratamento :

A meta principal do médico continua a ser o alívio do sofrimento dos seus pacientes.

Desenvolvimento de um banco de dados
Desenvolvimento de um banco
de dados
Desenvolvimento de um banco de dados •   História – Exame físico – Exames ü  
Desenvolvimento de um banco de dados •   História – Exame físico – Exames ü  

História – Exame físico – Exames

ü

ü

ü

ü

ü

complementares Elabore uma lista de problemas Selecione os dados significativos Agrupe esses dados em síndromes Formule suas hipóteses diagnósticas Teste a validade de suas hipóteses

Estrutura formal da História Médica

Estrutura formal da História Médica Início da entrevista: •   Apresente-se nominalmente •   Dê um
Estrutura formal da História Médica Início da entrevista: •   Apresente-se nominalmente •   Dê um

Início da entrevista:

Apresente-se nominalmente Dê um aperto de mão Explique o que vai fazer

Crie um VÍNCULO !!

Assegure privacidade e sossego

Condição da entrevista:

Condição da entrevista: - Encorajamento narrativo - Deixe o paciente concluir seu pensamento •   -
Condição da entrevista: - Encorajamento narrativo - Deixe o paciente concluir seu pensamento •   -

-

Encorajamento narrativo

-

Deixe o paciente concluir seu pensamento

- Perguntas complementares somente no

final do relato completo de cada sintoma. - Organização cronológica dos fatos !!

- Síntese e Atenção – Atitude respeitosa

- Formule um plano diagnóstico, terapêutico

e educacional - Explique SEMPRE o próximo passo !

Algumas considerações

Algumas considerações •   Considerar o perfil do paciente : •   - Considerar o estresse
Algumas considerações •   Considerar o perfil do paciente : •   - Considerar o estresse

Considerar o perfil do paciente:

- Considerar o estresse da consulta ! - É um paciente CASUAL, AGUDO ou CRÔNICO ?

- Tem experiência prévia ou MEDO de doença ??

- Adaptar o nível da entrevista de acordo com o perfil CULTURAL, EDUCACIONAL e ECONÔMICO

- Paciência com respostas pouco claras (fragilidade)

- EMPATIA sempre !

Qualidades do médico:

Qualidades do médico: •   HUMANO - SIMPÁTICO •   SISTEMÁTICO - OBSERVADOR •   Abordagem
Qualidades do médico: •   HUMANO - SIMPÁTICO •   SISTEMÁTICO - OBSERVADOR •   Abordagem

HUMANO - SIMPÁTICO SISTEMÁTICO - OBSERVADOR

Abordagem deve ser: gentil, competente,

segura e com confiança

Medicina: sem humanidade é incompatível sem estudo é uma temeridade e sem moral é tenebrosa

Identificação do paciente
Identificação do paciente
Identificação do paciente •   Nome ( iniciais se estiver ausente) •   Idade / sexo
Identificação do paciente •   Nome ( iniciais se estiver ausente) •   Idade / sexo

Nome ( iniciais se estiver ausente) Idade / sexo / cor da pele Estado civil (real = como vive ? Profissão / Religião / Escolaridade Endereço / telefone ( seu e dos familiares) Nacionalidade e Naturalidade Hábitos de vida ( como passa o dia ?)

Rotina Semiológica
Rotina Semiológica
Rotina Semiológica •   Queixa principal: •   História da doença atual •   Forma de
Rotina Semiológica •   Queixa principal: •   História da doença atual •   Forma de

Queixa principal:

História da doença atual

Forma de início - qualidade - intensidade – localização - evolução - fatores agravantes e de alívio – sintomas associados – ritmo e período.

Seqüência temporal dos sintomas

Rotina Semiológica
Rotina Semiológica
Rotina Semiológica •   História Patológica pregressa •   Doenças comuns da infância •   Vacinas
Rotina Semiológica •   História Patológica pregressa •   Doenças comuns da infância •   Vacinas

História Patológica pregressa

Doenças comuns da infância Vacinas Procedimentos cirúrgicos Internações Medicamentos, Alergias Traumatismos

Historia familiar

Perfil social e fisiológico
Perfil
social e fisiológico
Perfil social e fisiológico •   Nível educacional •   História ocupacional •   Estrutura e

Nível educacional História ocupacional Estrutura e suporte familiar Hábitos: dieta e exercícios, fumo, álcool, uso de drogas, hábitos e interesses pessoais desenvolvimento fisiológico, atividade sexual e correlatos (gestações, abortos, etc) Problemas e hábitos da vida diária

Reconhecendo uma unidade de álcool
Reconhecendo uma unidade de álcool
Reconhecendo uma unidade de álcool •   Os drinques contém diferentes quantidades de álcool. A ingestão
Reconhecendo uma unidade de álcool •   Os drinques contém diferentes quantidades de álcool. A ingestão

Os drinques contém diferentes quantidades de álcool. A ingestão semanal não deve ultrapassar 21 unidades para os homens e 14 unidades para as mulheres. Uma unidade de álcool é equivalente a aproximadamente 8-10 g de álcool puro. Um cálice de licor = 1 unidade Uma taça pequena de vinho = 1 unidade Um copo de cerveja = 1 unidade Uma dose de aperitivo/destilado = 1 unidade

A Entrevista
A Entrevista
A Entrevista •   Roupa adequada (uniforme branco). •   Assegure privacidade e sossego. •  
A Entrevista •   Roupa adequada (uniforme branco). •   Assegure privacidade e sossego. •  

Roupa adequada (uniforme branco). Assegure privacidade e sossego. Só interrompa após a conclusão do pensamento. Contatos oculares e físicos com naturalidade. Senso de humor e interesse. Uso do silêncio em questões polêmicas. Fechar encontro com esclarecimentos apropriados.

CONDIÇÕES ESSENCIAIS PARA UM BOM EXAME CLÍNICO:
CONDIÇÕES ESSENCIAIS PARA UM
BOM EXAME CLÍNICO:
CONDIÇÕES ESSENCIAIS PARA UM BOM EXAME CLÍNICO: •   POSTURA CORPORAL COMPATÍVEL •   ESPAÇO ADEQUADO
CONDIÇÕES ESSENCIAIS PARA UM BOM EXAME CLÍNICO: •   POSTURA CORPORAL COMPATÍVEL •   ESPAÇO ADEQUADO

POSTURA CORPORAL COMPATÍVEL ESPAÇO ADEQUADO e SUFICIENTE ARRUMAÇÃO DO EQUIPAMENTO POSICIONAMENTO CONFORTAVEL

ATENÇÃO

olhos, ouvidos, nariz e mãos PACIÊNCIA e RESPEITO AO PACIENTE

EFICIÊNCIA E TÉCNICA APURADAS

utilize

máximo

ao

-

seus

Conclusão

Conclusão •   “ A doctor who cannot take a good history and a patient who
Conclusão •   “ A doctor who cannot take a good history and a patient who

A doctor who cannot

take a good history and a

patient who cannot give one are in danger of giving and receiving bad treatment.