Você está na página 1de 18
A indústria extrativa tem sido responsável pelo desenvolvimento de muitas regiões, refletindo-se na cultura e no
A indústria extrativa tem sido responsável pelo desenvolvimento de
muitas regiões, refletindo-se na cultura e no modo de vida das populações
que dependiam dessa atividade, o que permite atualmente a valorização
económica dessas áreas assente no desenvolvimento sustentável, através
da valorização dos recursos endógenos, da potencialização do turismo e
de atividades de lazer e da aposta nas energias renováveis.

Complexo Mineiro de Neves Corvo

I – MEDIDAS PARA POTENCIALIZAR O SETOR DAS MINAS
I – MEDIDAS PARA POTENCIALIZAR O SETOR DAS MINAS

A descoberta de novos minérios e de novas jazidas em Portugal, nos últimos anos, tem levado a um aumento do investimento no setor mineiro, o que acaba por favorecer ...

As atividades relacionadas com a exploração das minas;

O desenvolvimento regional;

A melhoria das condições de vida da população.

I – MEDIDAS PARA POTENCIALIZAR O SETOR DAS MINAS
I – MEDIDAS PARA POTENCIALIZAR O SETOR DAS MINAS

As medidas para potencializar a indústria

extrativa nacional são por exemplo:

A requalificação e valorização turística;

A reutilização das cavidades de exploração;

O redimensionamento das empresas;

I – MEDIDAS PARA POTENCIALIZAR O SETOR DAS MINAS
I – MEDIDAS PARA POTENCIALIZAR O SETOR DAS MINAS

As medidas para potencializar a indústria extrativa nacional são por exemplo:

A utilização de novas tecnologias;

A aplicação de novos métodos e técnicas de prospeção e investigação;

A definição de regras ambientais;

A promoção e valorização dos recursos minerais no mercado nacional e internacional.

I – MEDIDAS PARA POTENCIALIZAR O SETOR DAS MINAS
I – MEDIDAS PARA POTENCIALIZAR O SETOR DAS MINAS

Dadas as potencialidades em termos de recursos de subsolo,

a promoção do desempenho da indústria extrativa passa:

1. Pela requalificação das áreas mineiras degradadas, através, por exemplo:

a) Da revalorização e aproveitamento das áreas reabilitadas, através de projetos turísticos, aproveitando a componente lúdico-cultural.
a) Da revalorização e
aproveitamento das áreas
reabilitadas, através de
projetos turísticos,
aproveitando a
componente lúdico-cultural.
Isso, poderá dar origem a
novas atividades
económicas.

b) Da sua transformação em depósitos de

resíduos industriais

tratados ou resíduos

radioativos de baixo nível de atividade aproveitando as

cavidades de exploração.

2. Por projetos de investimento, que visem a pesquisa, a exploração e a

produção de vários

recursos como as águas, as pastas cerâmicas e argilas, o zinco, o volfrâmio,

o estanho, o ouro e

a prata.

II. MEDIDAS PARA POTENCIALIZAR AS ÁGUAS MINERAIS NATURAIS E DE NASCENTE E AS ESTÂNCIAS TERMAIS
II. MEDIDAS PARA POTENCIALIZAR AS ÁGUAS MINERAIS
NATURAIS E DE NASCENTE E AS ESTÂNCIAS TERMAIS
1. As águas minerais naturais e de nascente podem, apesar da evolução positiva, ser potencializadas a
1. As águas minerais naturais e de nascente podem,
apesar da evolução positiva, ser potencializadas a partir:
Da realização de estudos que permitam um melhor e
maior conhecimento dos recursos hidrológicos;
Da modernização das indústrias de captação de águas
engarrafadas, visando a manutenção da qualidade das
águas e o aumento da competitividade nos mercados
externos.
II. MEDIDAS PARA POTENCIALIZAR AS ÁGUAS MINERAIS NATURAIS E DE NASCENTE E AS ESTÂNCIAS TERMAIS 2.
II. MEDIDAS PARA POTENCIALIZAR AS ÁGUAS MINERAIS
NATURAIS E DE NASCENTE E AS ESTÂNCIAS TERMAIS
2.
Quanto às estâncias termais, a sua
potencialização pode passar por medidas como:
O alargamento do período de
funcionamento das termas;
A diversificação das ofertas;
A criação de infraestruturas de
apoio ao lazer e ao turismo;
O desenvolvimento de atividades
turísticas paralelas;

O aproveitamento energético do calor das águas.

Termas de S. Pedro do Sul

III. MEDIDAS PARA POTENCIALIZAR OS RECURSOS ENERGÉTICOS

Nas sociedades modernas, onde Portugal se insere, o

modelo energético continua a basear-se em energias não renováveis, o que acarreta consequências significativas.

A nível internacional...

A comunidade internacional tem dado alguns passos para diminuir

as consequências ambientais resultantes do atual modelo energético, que se traduziram:

No assumir de um compromisso de redução de emissões de gases como

efeito de estufa através da ratificação do Protocolo de Quioto;

Em promover o uso de energias renováveis e o abandono dos hábitos de

consumo incorretos, privilegiando a eficiência energética e a utilização racional da energia;

III. MEDIDAS PARA POTENCIALIZAR OS RECURSOS ENERGÉTICOS

Nas sociedades modernas, onde Portugal se insere, o

modelo energético continua a basear-se em energias não renováveis, o que acarreta consequências significativas.

A nível internacional...

A comunidade internacional tem dado alguns passos para diminuir

as consequências ambientais resultantes do atual modelo energético, que se traduziram:

No assumir de um compromisso de cumprimento do Acordo de

Copenhaga (2009) que estipula o limite máximo de 2ºC para o aumento da temperatura média da Terra no futuro;

No prolongamento do protocolo de Quioto, até 2020, que foi a principal

medida anunciada na Conferência das Nações unidas sobre o clima realizada em Qatar em novembro de 2012.

III. MEDIDAS PARA POTENCIALIZAR OS RECURSOS ENERGÉTICOS

Nas sociedades modernas, onde Portugal se insere, o

modelo energético continua a basear-se em energias não renováveis, o que acarreta consequências significativas.

A nível nacional...

Este passo foi também seguido por Portugal e, em 2001, o nosso país adotou a Estratégia Nacional para as Alterações Climáticas.

Assim, face ao compromisso assumido, Portugal:

Não poderá ultrapassar 27% de emissões com gases de efeito de estufa, entre 2008 e 2012;

A produção de eletricidade terá que ser obtida em 39% a partir de fontes renováveis.

III. MEDIDAS PARA POTENCIALIZAR OS RECURSOS ENERGÉTICOS

A nível nacional...

Nesse sentido estão presentes no Programa de Atuação para reduzir a dependência de Portugal face aos combustíveis fósseis, sobretudo ao petróleo, medidas como por exemplo:

A eliminação de obstáculos nos processos de licenciamento

das energias renováveis, visando o aumento da produção de eletricidade a partir das fontes de energia renovável;

Estimulação do aumento da eficiência energética através da melhoria de processos industriais;

III. MEDIDAS PARA POTENCIALIZAR OS RECURSOS ENERGÉTICOS

A nível nacional...

Nesse sentido estão presentes no Programa de Atuação para reduzir a dependência de Portugal face aos combustíveis fósseis, sobretudo ao petróleo, medidas como por exemplo:

A promoção do transporte público, visando a diminuição da circulação automóvel, sobretudo nas cidades;

A introdução de fontes de energia alternativas ao petróleo nos meios de transporte;

A adoção de novos regulamentos de eficiência energética de edifícios, para minimizar o consumo de energia por habitante.

III. MEDIDAS PARA POTENCIALIZAR OS RECURSOS ENERGÉTICOS

A nível nacional...

Estas medidas estão inseridas na POLÍTICA ENERGÉTICA NACIONAL que assenta em três vetores: 1. A segurança
Estas medidas estão inseridas na POLÍTICA
ENERGÉTICA NACIONAL que assenta em três vetores:
1. A segurança e o
abastecimento
2. O fomento do
desenvolvimento
3. A promoção da
competitividade
nacional
sustentável
nacional

III. MEDIDAS PARA POTENCIALIZAR OS RECURSOS ENERGÉTICOS

A nível europeu...

A Política Energética Nacional é fundamental, não só a nível interno, como no enquadramento e integração de Portugal nas redes transeuropeias de energia (eletricidade e gás natural) e na Política Energética Comum.

A Política Energética Comum visa, entre outros domínios, a redução da dependência externa. Esta estará assente em seis domínios prioritários:

A realização de um mercado interno de energia;

A segurança do aprovisionamento no mercado

interno de energia;

III. MEDIDAS PARA POTENCIALIZAR OS RECURSOS ENERGÉTICOS

A nível europeu...

A Política Energética Nacional é fundamental, não só a nível interno, como no enquadramento e integração de Portugal nas redes transeuropeias de energia (eletricidade e gás natural) e na Política Energética Comum.

A Política Energética Comum visa, entre outros domínios, a redução da dependência externa. Esta estará assente em seis domínios prioritários:

A existência de um cabaz energético mais sustentável, eficiente e diversificado;

O plano de ação para reduzir o aquecimento global;

III. MEDIDAS PARA POTENCIALIZAR OS RECURSOS ENERGÉTICOS

A nível europeu...

A Política Energética Nacional é fundamental, não só a nível interno, como no enquadramento e integração de Portugal nas redes transeuropeias de energia (eletricidade e gás natural) e na Política Energética Comum.

A Política Energética Comum visa, entre outros domínios, a redução da dependência externa. Esta estará assente em seis domínios prioritários:

A criação de um plano estratégico para as tecnologias energéticas;

A criação de uma verdadeira política energética

externa comum, para fazer face ao aumento dos preços da energia, ao aumento da dependência das importações e às alterações climáticas.

Melhorar a acessibilidade e infraestruturas Nas minas Criar incentivos ao investimento Garantir a qualidade Engarrafadas Apostar
Melhorar a acessibilidade e
infraestruturas
Nas minas
Criar incentivos ao
investimento
Garantir a qualidade
Engarrafadas
Apostar na diversidade
Apostar na conquista de
mercados externos
Nas águas
Diversificar a oferta turística
(saúde, bem-estar, lazer, etc.)
Termais
Potencializar a geotermia
Diminuir a dependência
energética
Apostar nas energias renováveis
endógenas
Nos recursos
energéticos
Aumentar a eficiência
energética
Desenvolvimento
sustentável

Em suma…

Potencialização dos recursos do subsolo

- Que medidas?