Você está na página 1de 571
Dados de Catalogngio na Publicagho (CIP) Internacional ‘Camara Brasileira do Livro, SP, Brasil) ‘eal, Goes ‘nr de ita: De rrantine at ee dis Given eae Dash Anos ~ Sb Palo "PAULUS, 181. (Cleto Conti 1 Angad ade Média 2. Do Hamano ane ve Romantsmo ate noe ie SBN 85.05 010760 (cbra complet) 1. Flea, oni Hi cope spans 100 {indices pare catilog sstemtco: 1 ein 100 2 Poof: Hite 108 ‘catego ILOSOFIA + Ohomem. Quem és? Etemantr de atop asi, B. Mondin Inorg lon: Prebemas, sistemas, aire, bas 1 1 Gare ssp lay iri de lof win Oval ReaksDars Anti 1 Plane da ree, ano ee GIOVANNI REALE/DARIO ANTISERT HISTORIA DA FILOSOFIA Do Romantismo até nossos dias VOLUME 3 2aticio Tpeeier aiden dalla ra a et ‘ber ee ari dona, arta, Gartmore Rv tte Ream Gani wimmeee, PREFACIO “*Nenhum sistema filossfico definitive, porauea propria vida ndo definitive. Um Elatema flosfic resolve um grupo de pro: blemas historicamente dada e prepara ae ‘condigdes para a proposigdode outros pro- biemas, ito, de novos sistemas, Sempre foie sempre sed assim” Benedetto Croce Como se justifiea um tratado téo vasto da histria do pensa: ‘mento flosfic ecientifico? Observando 0 tamanho dos trés vol: ‘mes, taloez sepergunte oprofssor:como¢possivel nas poucas horas Somanais a disposigaa enfrentare devenvolver programa ldo ricoe onseguir levaro estudante a domind lo? ‘Naturalmente se medirmos estelisropela nimeradepdginas, -podese dizer que é livre longo. Mas sera ocaso de recordar a bela Sentonca doabade Terrasson, citada por Kant no prefaiie& Critica da Razto Pura: “Se medirmeso tamanhodo livre nao pelo mimero ‘de paginas sim pelo tempo necrasdrio para entendé lo, de muitos Tisros poder:se-ia dizer que seriam muito mats breves se no fossem (a0 reves.” ‘Bem muitos casos, verdadeiramente,o¢ manuais de losofia ‘demandariam muito menos esforgs se tivessem algumas pdginas ‘mais sobre uma série de aesuntos, Com efit, na exposigdo da roblemdticafilosdfica, a brevidade nao simplifiea ascoisas,e sim ‘ascomplieae, por vezes, as orna poucocompreensiveis, quando ndo fatd incompreenctveis. Em fodo caso, em manual de floofta, & brevidade leva fatalmente ao nocionismo, ao relacionamento de ‘opinises, ao mero panorama do “que” diseeram sucrasivamente 08 ‘eras flisofos—instruiva, seassim sequiser, maspoucoformativa. Pois bem, esta historia do pensamento filosbfic e cientifico -pretende chegar pelo menos a tres nfeisalém do simploy “> que” Gisseram os fildofos, ou sea, além do nivel que os antigos chara ‘bam de daxogrfico" (nel da comparaedo de opinides), procuran- do explicar 0 “por que” 0s filésofes disseram 0 que disezram, ‘buscando ademais dar sentido adequad de “como o disseram e, por fim, indicando alguns dos “efettos" provocados pelas teorias losofieasecienifieas, ‘0 “por que" das afirmactes dos flésofos nunca éalgo simples, visto que motives socinie, econdmicos culturaisfrgitentemente st ‘ Prefcio ‘enirelagam com motivos teéricos ¢ expeculativos. Pouco a pouco, amos mostranda ofundo do qual emergiram as toorias dos fléso- os, maseoitando oeperigosdasreduessolologistas,psicologisias C'historiistas (que noe iltimos anos chegaram a excessos ‘iperbicoe, quase @ ponto de anular a identidade especifica do ‘lecurso filosoficaeeuidenciandlo as concatenagdes dos problemas {edricos e dos nezosconceituas , portanto, as motivagoe iicas, racionaiseertieas que, em iltima andlise, constituem geubstancia das idtias flosficasecintificas. “Tambim procuramos dar o sentido do “como” os pensadores © cientistas propuseram suas doutrinas,fazendo amplo uco de suas Droprias palavras. Por vezes, quando se trata de textos faces, @ laure vivadoe pensadores ol utilizada nomesmomarcoespostio ‘riginal, ao passo que, outras veze, odo citadoe trechos de barios ‘autores (os mais complexas e difcela) & mancira de reforgo da ‘expesigaoe, comotalconformeonivaldeconhecimentodoautar que ‘se pretende aleangar), podem ser saltados sem prejuizo da cam Dpreenao do conjunto, ‘As citagdes dos texts dos autores foram dosadas de modo a respeitar a pardbola didatica do leltor que, no inteio, entra em Ccantato com diseurso completamente nove, por io, neceasita dx ‘maior simplicidade e, pouco a pouco, adguire as eategorias do Densamento flosfico, aumenta sua eapacidade assim pode se ‘efrontar com tipo mais complesa de exposed e,portanto, compre= ‘ender os teoresdiversos da linguagems com que falaram os filésofos. “Ademais, comodo possivel ter ideia do modo de sentireimaginar de um poeta sem ler alguns fragmentos de sua obre, anataga: ‘mente, também nao é poseivel ter tdeia do modo de pensar de ume {ovofonorandl totalmente o modo como expressava ses Pensa dus ertin 2 fiafs sto importante nda smente plo gue em, mas também pelas tradigoes que geram ¢ Tangam em mo: inet: algumas de ice pone favre newsmen de as, mas, ao mesmo tempo, impedem a génese de outras. Assim, 08fildsofes odo importantes, quar pelo que dieseram, quer pelo que Iimpediram de dizer. Bsse & um dos aspectos sobre os quais as Distérias da flosofiafrequentement silenciam, mas que quisemos ‘videnciar, sobretudo a explieapdo das complexasrelagéesentreas ldéias flosficas e a8 ideias cientificas, religiosas, eséticas © sociopoliticas. 0 ponto de partida do ensino de filoofiaesté nos problemas que ela propos epropoe, Pr isso procuramos particularmente dar Sexposieze a ordenaedo por problemas. E multae vezesprvlegia ‘mos 0 todo sinerdnicoem relagdo ao diacronice, embora repel Tando ete timo now limites do possiel Preficio. 1 (0 ponto de chegada do ensino de filosoiaesté na formagdo de ‘mentesricas em teoria, destras no métedo e capases de propor © éepepperiancs como Thomas 8. Kuhn, Imre Lakato, Pout K. Reerabend, Larry Laudan, William W. Bartley I, Joseph Agassi, TWathineoull Abort Occtenaotrtadodastworiasepistemolagicas Pref ° deve-e ao fato de que sempre mais se percebew ndo ser possivel fnfrentar as questoestesricas de maior importdneia (E potsiel ‘racionalidade diverse taloe superior & das eitncias As eitncias Jrumanas sao verdadeiramentecsncias? O que exete de cienifico rho marzismot Como— se isso for possivel — pode ser clentificn @ hlstoriagraat Podemos fundamentar racionatmente as normas¢ ‘08 valores? — e assim por diante) sem teoria adequada da rocionatidade '6) Havendo-nos det difusamente nas teorias lagico mate iétieas, fisico-naturaistas, psicalégieas © histrico-soctais, dedi ‘camos também nao menor consideragdo, neste volume, a autores © ‘movimentos de pensamentocontemporaneos portadoresdeideias © (eortas que ja constituem instrumentos conceltuais indispensdveis para a formasao de mente bem aparethada e vivas. Trata-se de ‘pensadores como Wertheimer Piaget, Preud, Jung, Adlere Rogers, ‘Menger e Keynes, De Saussure e Comshy, Malinowski, Perelman ‘ou de movimento filosifices como omeamarzismo (russe alzmdo, francés e italiano), a escola de Francoforte, as novas tologiae (provetanteecatclica)a filasofa da linguagem de Cambridge ede Orford, erature ou a hemendutica de Godamer. lume conetui con apéndice que contém, qual complemento indispensdvel, o¢ quadros cronologioos snéticns, «0 indice dos Inomes.Bsseapndieefaiclaborado pelo professor Cloudio Mazzarelt (Gf fim do volume), que, unindo a dupla competéncta de professor de longa data ¢ de pesguisadar eientfico, procurou apresentor 0 Instrumento mais rice mais funcional ao mesme tempo. Tambim devemos ao professor Mazzareli as paginas sobre Hartmann, (s autares desejam destzear de modo especal oe colegas que 4gentilmente aceitaram ler algumas partes deste volume e nos dar ‘lguns consethos: Petro Omodeo, professor de Zoologia na Univer- Sidade de Pédua, lew as partes relativas a histéra da biologi; Giovanni Prodi, professor de Matematicas Complementares na Universidade de Pius, low ae paginas dadioadae & historia de ‘matemdtica; Salvo d'Agostino, docente de Histiria da Psion na Universidade de Roma, eu ax partes refativasa historia das iin {isicas; Vittorio Somenzi, professor de Filosofia da Cigncta também hha Universidade de Roma, leu todos 08 eapltulos sobre as teorias episteroligicas; Fabio Meili, professor de Psicologia na Univer- Sidade de Padua, revisow as paginas relativar & psicologia da forma; Guido Peter, professor de Psicologia da Idade Evolution na Universidade de Pédua, lw as piginas dedicadas a epstemologio {genética de Jean Piaget xciono Pelican, professor de Sociologia 44a Politica na Universidade de Népoles, lew ax segdesrelatioas 20 {desenvolvimento da socologia e da econorita. Expressamos nosso ‘agradecimento ao professor Franco Blesza Univereidadede Padua) 5 Profacio open nottad dain contenpornas ea Lure Penne pane de logutniana Universidade de Pets tor a ele wore cade eae Se LLrrrtr—~— secon hoarse ee —rr————. eee Bree esas nda é masa do prof Os eee rere eee ae sea pec nie Ucar irene porcine B 1 hace carers cca pea dere Fe ee oe ee oir Remo Burd gd ce ase eres atte e soup So ———— te ae dasintacncrpemivspecsd seis, Petiert rticrccarsopaoue Forfa teen ae ——-— hopping aie manpage Sen s es poo e feet pate Ce ade x Cr Coren pe ere eet Cee arenes 0s Autores Primeira parte MOVIMENTO ROMANTICO E FORMACAO DO IDEALISMO “Um deus é 0 homem quando sonka ® rmencdigo quando reflete” Friedrich Holdertin “Aconteceu de um deles levantar 0 véu da deusa de Sats. Pois bem, 0 que via le! Maravitha das maravithas, vu-se Novalis (Friedrich von Hardenberg) “im tudo estd presente o eterno.” Wolfgang Goethe *86 pode ser artista quem tom religio ropria, ou gj, intuigdo do Infinit.” Friedrich Schlegel Goethe (1749-1892) foi o grande dominador da época romantica, ‘cam sua poesia, seu estilo de vida e seu pensamento. Também ‘xeroeu extraordindria influénca sobre a poltioa cultural de sua poce. Capitulo I ROMANTISMO. E SUPERACAO DO ILUMINISMO- 1. 0 movimento romiintico ¢ sous expoentes 1.1, Um antecedente do fendmeno romintico: oSturm und Drang ‘Talvez nunca tenha acontecdo deo fim de um séeulo eo nicio do outro serem marcadcs por mudangas to radieaise tao claras ‘como as mudangas que caracterizam os dltimos anos do século XVII. os primeiros anos do séeulo XIK ‘No campo sociopolitien, tivemos acontecimentos destinados a ‘imprimir nove rams & histria. Em 1769, explodia a Revol Frinoue,poreninesentunanne dovinfelecotismeinieminsioe dde morte, que punha fim as grandes experangas filantrépicas, ‘numanitrae epacifistas acoous pelo século das “Iuzes”-A aycen. se apltrtaque elminy dm 1304 com a poclamago de Império, ¢ as campanhas militares, que puseram ferro a bigs cabverterain todos eotredses poles © weal do ‘Antigo Continente,instaurando nove despotismo,fseram Tui por “ Oremantiome terra todos os restduos de,esperangas iluministas que ainda restavam. "Mas, antes mesmo que explodisse a Revelueto na Frangs, na ‘scala transcorrida entre 1770 0 1780, e intompério cultural Tegistravanna Alemazha as primeiras modifiaptos de valto que, 0 ‘prazo médio,na passagem de século,levariam A superagio total do $aminiamo. O mov ‘expressam conceto Unico com duas ser “impeto empestuoso" tem . as idéin de fando dease movi- ‘mento: a) Anatureza éredescaberta,exaltada come forysonipaten- ‘ee criadora de vida b) Relacona-oe estreltamente com a natureza ‘martiro de certas personagens de Michel Reinhold Lenz (1761- 1782), d) 0 sentimento prio se expres no i wo iano, na ‘exaltagdo da lberdade e no deseo de infringirconvengéese leis ‘exmo James Macpherson (1738-1796), que publicara Pragmentot dde poesia antiga, aribuindo-os a Ossian, bardo antigo. Além da ‘Pousia oesiniea, também houve infludnela da redescoberta de fauior sobre o qual Lessing é chamara a atenipfo dos slomifes.Z Rousseas também eausara grande impress, ej8.com feu novo sentimento da natures, sea com sua nova ‘aja ainda com suas idéias polticas (0 Estado como “eontrato {Ral Dente os eacrtres de ingus lod, alm dein [sing nunc oStarmerasirtudoopenat eich Catied ‘lopatoek (1724-1803), com sua valorizagdo do sentiments Romantiamo eclosiciamo 6 (0 “Sturm und Drang” teria apresentado influéncia bastante ‘ecassa se houvesse sido constituido apenas por figuras como a de ‘linger (que terminou moa vida aventurosa somo general do exér- ito russo) ou a de Lens (que morres lowco na Ras, em plena ‘miséria), quedeixaram herangaliterdra de parco valor. Quem dea ‘entido © relovancia histrica © supranacional ao Sturm foram ‘inguém mais que Goethe, Schiller s fideofos Jacobi e Herder, ‘com sua primeira produsio postica e literdris. Pode-se dizer, inclusive, que as fases mais’ signifcativas do movimento, tom cxatemente Goethe por protagonist, primeiro em Hatrasburgo e ‘depoiner Francoforte, Coma transferéncia de Goethe para Weimar (775), comera a fase de declinio do movimento. 12. O papel desempenhado pelo classicismo fem relagio ao Sturm und Drang e a0 romantismo © Sturm und Drang foi comparado por alguns estudioaos a ‘uma espécie de revolugso que antecipou verbaimente em terras ffermanicas aquilo quo, pouco depois, seria a Revalugto Francesa ‘no campo politics, Por outros extadiosoe, a contraro, fi conside: ‘ado camo uma espécie de reagio antecipada 8 propria Revaluplo, ‘enquanto se apresenta eomo reap contra iuminismo, do qual a ‘Revolugso Francesa fo 0 coroamento. Com cfeit, como jf se ‘observou, tratase de redespertar do espirto alemio depois de ‘séeulos de torpor e de ressurgimento de atitudes pocuis: Ianifestagdes do Sturm und Drang apresentam, em estado ido g incandescent, 9 metal rato que seri fred pela gre [locofia alemas.” & continua ele: "Com efite, a importincia do ‘Sturm ndoéa deepisédi isoladoe cireunserito,cvima de express4o cespirtual coletiva de todo um povo. Nao apenas os Klinger © 08 ‘Lens, mas também os Herder, os Schiller eos Goethe (aos qua se poderia aerescentar 0 préprio Jacobi), pasearam através do Sturm: {5 primeiros se detiveram nelee, por iss, logo foram ultrapasee- ‘dos ot outros, a0 contririo, conseguiram dar forma ao informe, ‘ordem ¢ disciplina ao contetdo eaético de sua propria natureza ‘Para nés, « experiéncia destes utimos ¢ particularmente impor: tante, porque nos permite eetadar nos proprios individuos dus {Tasos euceasivas e opostas do mesmo proceseo histérico. Nao se ‘rata apenas de modo figuradeo dizer quo 0 Sturm representa Jjuventude desordenada oclassicsmo a compostae serena mat ‘dade da alma alemis0 Sturm érealmente ajuventude de Herder “ Oremantiame terra todos os residuos de esperangas iluministas que sinda Sas, antes mesmo que explodisse a Revolugfo na Franga, na cada transeorrida entre 1770 6 1780, 0 intempérie cultural ‘egisirava na Alemanha ea primeiras modifiengdes de rlto que, a ‘rao medi, a passagem de século,levariam Ssuperagdo total do Tfuminiamo.’O movimento que produsiu tais modificapoes nessa ‘cada feoa conheeido sob o nome de Sturm und Drang. que sig: hifiea “Tempestade e Assalta" ou, melhor ainda, “Tempestade-¢ Iinpeto A denominagao derivado titolo de drama escrito em 1776 porum do expoentes domovimento, Friedrich Maximilian Klinger Erts21851, «parece ter sido usd pla primeira vex para desig- ‘nar todoo movimento, por A, Seog, no inicio do século XIX. Os ‘ois termos provavelmiente devem ser entendidos como hendiadi ‘0 seja, como dois termes que expreseam conceit nico com das palavras: assim, osentidodeveri er “impetotempestacee, tem. Pestade do sentimento’,“efervescenca cadtica de sentimentor {O'itulo original dado por Klinger ao seu drama era Wirrwarr, ow ja, “eons cadtica™) ‘Sho a seguintes as posighese as idtias de funde desse movi- ‘mento a) Anatureza Gredescaberta,exatada como forgaanipelen- {ecriadorade vida. b)alacions-e estreitamente comanatureca "nic entendido como orga orgindria:ogeniocriaanalogamente ‘A natureza e, portanto,ndo extra suas normas do exterior, mas € slopréprionorma.c)Aconeapyodeista da Dvindade como nteiecto ‘ou Rezto Suprema, propria do iluminismo, comeya ase contrapor ‘pantetsmo, ao paseo que a religiasidade assumenovasformasque, ‘m seus pontos extremos, a expressa no ttanismo paganizante do Prometeu de Goethe ou no titanismo cristo da santidade © do Imaririo de certas personagens de Michel Reinhold Leng (1751 1792) @) O sentimento patrio se expresoa no 6d: ao iano, na cexaliagio da liberdade eno desejo de infringirconvengoes ells ‘@ternae 0) Apreciam seo sentimentosforteseuapaixbescaloroeas impetuosas, bem como os earactare francs © abertos, "Ease movimento fot influenciado por alguns poets ingleses, ‘como dames Macpherson (1738-1700), que publicara Fragmentat de pocsia ange, atribuindows & Ossian, bardo antigo. Alm da ocsia oesidnies, também houve infiugncia da redeveaberta de Shakespeare, autor sobre o qual Lessing chamara aatengao dos slomaes,E Rousseau também eausara grande impress seja com feu novo sentimento da natireza,sejacom sua nova pedagoEia, fej nda com suas ideas poltias (0 Bsiado como “contrato focial), Dentre os escrtores de Kinga alema, além do jetado {essing nfiuenciou a Starmersobretudooposta Friedrich Goi ‘Klopatock (1724-1803), com sua valorizagao do sentimento Romantismo eclassciomo 16 (0 "Sturm und Drang” teria apresentado influéneia bastante escassa se houvesse sido constituldo apenas por figuras como a de linger (que terminow sua vida aventurosa como general do exer- tito russo) ou a de Lenz (que morrou louco na Russia, em plena ‘miséria), quedeixaram heranga literria de parco valor. Quem deu Sentido ¢ relovaneia histiries e supranacional ao Sturm foram ‘inguém mais que Gocthe, Schiller eas flésofos Jacobi e Herder, fom sua primeira produgio postica e litersria. Pode-se dizer, Inclusive, quo as fases mais significativas do movimento tem ‘exatamente Goethe por protagonista,primeiro em Estrasburgo e ‘depoisem Francofore. Comatransferéncia de Goethe para Weimar (1176) comega a fase de declinio do movimento, 0 Sturm und Drang foi comparado por alguns estudiosos 8 ‘uma espécie de revolugao que antecipou verbalmente em terras {germanicas aquilo que, pouco depois, seria a Revolupao Francose ‘no campo politico. Por outros estudiosos, a contréro, fi consid: ‘ado como uma espécie de reapo anteeipada a prépria Revoluga {enquanto se presenta como reagio contra iluminismo, doqual& Revolugdo Francesa foi o corosmento, Com efeito, como Jé ‘obeorvou, trata-se de redespertar do eapirto alomao depois de ‘séculos do torpor e de ressurgimento de algumasatitudes pecalia- rsd alma germanica, Portanto, encontramo-nos diante de prelidio.aoromantismo, ainda que desalinhado e imaturo. O historiador da filosofia G. de Ruggiero expressou essa viado de modo particalarmente Teli: “As manifestagdes do Sturm und Drang apresentam, em estado fuido ‘© incandescento, o metal bruto que seria forjado pela arte @ a [losofia alemas.” B continua ele: "Com efito, a importincia do ‘Sturm ndoGade episbdioisclado cireunscrivoosimadeenpresato spiritual colotiva de todo um povo. Nao apenaa a2 Klinger © 0s ‘Lenz, mas também os Herder, os Schiller es Goethe (aos quis se poder aerescontaro proprio Jacob), passaram através do Sturm: 0s primeiros ge detiveram nelee, por iss, logo foram ultrapassa- ‘dos; 0s outros, 20 contro, eonseguiram dar forma ao informe, frdam ¢ discipline ao conteddo eadtio de sua propria natureza. Para née, « experiéneia destes sltimos & particilarmente impor: ante, porque nos permite estudar nos propriosindividios das {ases'suceasivas evopastas do mesmo proceaso histriea, Ni se {rata apenas de modo figurado o dizer que o Sturm represent @ Juventude desordenada eo clasccismo a composta o serena matu- Tidade da alma alema:o Sturm ¢ realmente ajuventude de Herder a (0 romantisme ede Gosthe, que se ergue qual simbolo da juventudede odo povo eet a vtoria sobre ele tem significado pestoal queda fundamento Tis intimo eablido Aerize da alma coletiva.” "Ease trecho acena ao classiiamo, que agiu como corrtivo da descompnsturaedocaos dosStlrmer. Comefeito,oclasseismotem [grande importineia na formagio do espirit da época que emer fos a estidar e, pouco a pouc, se imple nio spenas como an~ fecedente, mas atéenme componente doproprioremantismoou até como um de seus pis dis or ise, deveros falar dele, finda que de modo sucinto. I claro que oeulto ao clézsico nfo era estranho ao luminista século XVII Mae tratava-ee de “classes” de modisme, ou sea, de Classco repetition e, portant, privado de elma e de vida. Mas, em Seus escrito acbre'a arte antiga, publicados entre 1755 e 1767, ‘Johann Winekelmain (1717-1768) j4langava as premissas para a ‘superagdo dos limites do classicismo como mera repetigso passiva doantigo. 'Na realidade,& primeira vista, uma de suas méximas parece sue afar citer “Pare Uso camino para noe tornarmos grandes e, se possvel, inimitavets, € a imitagao dos “antigos” Mas exsa“imitagio” que hos torna “inimitaveisconsiste fm readquiri o alhar dos antigos, aquela visto que Michelangelo Rafael souberam readquirir © que Ihes permitia buscar “o bom fosto.em sua fonte” e redescobrir “a norma perfeta da arte”. Esta aro, entto, que para Winckelmann a "umitapao" do cldssico, ‘entandida nesse sentido, leva nlo apenas anatureza, mas também ‘slém da propria natureza, ou sea, a Idéia: “Os conkiecedarese os imitadores das obras grogas encontram nessas obras primas nl somente o mais belo axpecto da natureza, como também mais do (quea naturesa, isto 6 cortas belezas ideals Ga natureza... compos. fas por figuras eriadas somente no intelect.” Hssa Idgia 6 "uma patureza superior” ou se, a verdadeira natureza. ‘Sendo assim, pode-ee comproender muito bem estas impor- tantes conelisdes de Winkelmann: “Soo artista baseia-e em tais fndamentose faz com que sua mfo e teu sentimento se guiem pelas narmas grogas da beleza, encontra-se no caminho que © Tevard sem falta imitaeao da natureza. Os conceitos de unidade ‘ede perfeigso da natureza dos antigos purifcarao suasidéias sobre feaséncia, desigada da nossa natureza, e as tornario mais enafveia, Descobrindo ae belezas da nosea natureza, ele saber Felaciond-las com o baloperfeto , com a ajuda das formas subli Ines, sempre presente para el, oarista tornar-se-d norma pars si "Bese &0 ponto de partda do neoclassicismo romantico. Como cexplica muito bem L. Mitiner (insigne histariador da literatura Romantamo eclassicsmo 1 ‘lema), cle “doveria ter-se formado organicamente da cultura ‘lena, como, segundo Winckelmann, se formara organicamente 0 ‘lasscismo grogo; ou oo, havias aspiragao a um cassiismo que ‘afofosse fpiae repetigan,esim misterosaemiraculosapalingénese ‘dog valores supremos da Antiguidade”, O “renaseimenta do classi ‘Como esereve ainda Mitiner:"Excetuando-se pouguissimas de cuas supremasrealizages, todo o classicism alemde osclaria fentre duas tendéncias opestas:imitapho mecinica da arte grega, {sto mais arte classicsta do que arte substancialmenteclassica, fe aspiragao a novo e genuino classicism, inspirado pelo espritg feo, mas surgido de evolugao organics do espirito alemio.” ‘asim, 0 neoelassiciemo aspirava e transformer © hatureza em forma vidaemarte,nlorepetindo, masrenovandooquecegrog0s hhaviam feito ‘Ainda ha dois pontos muito importantes a destaar. Em primeiro lugar, dove-sonotar o tipo de influéncia que © lassiciemo exeroed sobre os melhores representantes do Sturm, inluencia a que ja acenamos, A marea do cldssieo & "medida", 0 “Timite’, 0 “equiloro". E Herder, Schiller e Goethe procurarsm precisamnenteorganizar as decompostas orgasdaSturmund Drang fm fangao dessa ardem e desea medida, E fol precisamente desse {impacto entre a tempestaosidade « impetuosidade do Sturm ¢ 0 “Iimito" que ¢ elemento caractristico do classico que nasceu © momento espocificamente romintico. Bm segundo lugar, deverse notar que o renascimento dos .grogos, alm da arte, também seria escencial na filosofia: Schleicrmacher traduziiaos didlogosplaténicoseosreintrodusinia rno ago do diseurso filosfic; Schelling retomaria de Plato ‘onceitoe fandamentais como a teoriadas Idéias es concep da ‘alma do mundo, Hegel elaboraria grandioso sistema precisammente {gragasdredescoberta do antigo sentido lasso da “aletica”,com ‘Sacréscimoda novidadedo elemento que clechama“especulaive", como veremos. E muito obteria do seu constante eoldquio com os fldsofosgregos,ndo apenas do coléquio com os grandes pensadores ‘onsagrados por tradieao bimilenar, mas tambem do dilogo com os pré-soertiens, particularmente, por exemplo, com Herdclito, do ‘Qual utlizou quace todos os fragmentas om sua Légica ‘Sem o componente cléssco, portanto, néo se expicariam poesia nem a filasofia da nova epoca, ‘Com o que dissemos, jé dispomos dos elementos que nos permitem determinar os tragos essenciais do romantismo. 1.3. A complexidade do fendmeno roméntico Cas suns earacteriaticas essenciais Define 6 romantismo ¢tarefa deveras diel, havendo até quem lige srela impasse. Alguémchogos.acalear teem ido Gm is de conteecinguonta definigbes diferentes dense fen ‘eno, Miner recorda que o proprio F. Schlegel,» fundador do irclo dos romintce, esrewea ao sow iemo que nao poderia Stviar.he a sua propria deni da palavra “romantic” poraue {ina "195 flea de extensao! Prescindind dos paradoxos, podemos nos orienta om faci dade intrineadisima questo, distinguindo uma serie de prs povtivase de categorie capazos de determina os tragoneasencigis {fo fentmeno do romantismes a) em primeiro Tugar, seria bom txplcara genose cmeldgica do term do ponte de vista ioe {ciples depois, devem se determinaroslimitscronolgicos ‘gegrafeedofenomenord ent, sera precio procurar determina Site categoria psicoldgie 08 moral, como foi chamaa, val dizer, ‘modo peculiar de sentir e as caractriticaspseolgicas proprias iohomemsombatce;d) depois, mister determinar qu contigo {iu que conteados conceituaieo romantica faz seus; o) em segue, unpre daterminaraforma de arte em que tudo isco se express Spor fim, devemos nos peruntarem que sentido se pedo felar ese falade/ilsofa romantica, eque samme grandeimporcancia neste esto. ‘Vejamos a slupio desses problemas, segundo ordem em qu os propomos ‘D Apalavra “romantes” tom longa ¢complexahistri, que se iniea em periodo anterior ao que extadames, no qual se tora {lenica, AC. Baugh (autor de conhecida historia da literatura Ingest resume do seguinte modo:“O adjeti romantic’ spare {Uipetn primera vers Inglaterra por vole Ge mendes do sculo vit como termo usado para indieerofabulso, o extravagant, © fantastico oireal (como 6 encontrado, por exemplo, em certos Fomances de et” lana) Fo reogatado dessa eonotao negativa Fodecorrer do sGculo seguinte, no qual past a ser usado para Indiar conasesituagbes agradaves, do Tipo das que apareeam ‘a tarrativa ena poesia ‘romntin (no sentido acima indieado). ‘Gradativamento, @termo romantismo’pascow a indica onenas ‘mento doinatntn eda omoyio, que oraconalismo predominate frosceuloXVITI nto consegusu suprimir nteiramente-F. Selogel FPlacionoue Tomita comeremance ecm aqilogu ee pou 4 pouco vera a signiicar nos exprestes epeas e lrcas medi ‘ale, 20 romance peiolgic,autablografica e hstrico modo. ‘asim, para Schlegel, "iméntiea” era 2 moderna forma de arte Aspectosfandamentais do romantiomo 19 aque, como evolugio organica da Idade Média até 9 sua época, Fossia marea propria, esac peculiar propria, bean e vera dade propria, diferentes das qu caracteizavamn a grog aco, Pore, noe leva’ outros problemas, dos quais devemos flat diane, 1) Como categoria historiogrsia(egeogréfes)oromantismo designs omovimentoespiritual que envalveundosomentea poesia alfa, mas também as ares figurtivas es mica, ques ‘tcenvolveu na Europe entre fina do aecilo AVI «a prime Imetade do aéculo XIX. Embora possam ser identifcadoe certs Drédromos desse movimento na Inglaterra, ocervo€ que o movi. Into presen rere ort do epi s agentes germanlco.O movimento se expandiy por toda a Europa: na ranga,na Ralia,na Bspanh¢ naturalmenta,na Inglaterra, Em cada um desses' paises 0 romantamo aasuinu eafscertsias Povuliares e sofretransformagiea, O momento paradignstice do Fomantismo¢ o que ao eolcn a eavaleio entre steals XVI XIX. na Aleman, no eirealo consti pelos rmaoe Schlegel em Jena e dopois em Berlin, como je veremos melhor. ©) No fenamene que e verifies nese area de tempo e nesoes paises, mas sobretudona Alemanha ¢posivel denier embora fomasdevidas cauteas erica, algunas constant” que consti fem uma especie de minimo denominador comum. Eas primeira lagar, pode ser apontadoo que constitu oextado de eepirte™, 0 comporamento peicoogio,oethor ou marca eoprituel do homctn {omnteo Tl aitude romantica consist nn condgao de conto interior, na dilacerapio do sentimento que nunca se sents satiate to, que se encontra em eontreste com & realidade e aspire algo mall que, ng entant, eh exeapa continuamente. Ams ef aracterizapio do romantismo como categoria poiolgica fl da da or L. Mittner e, portant, a repistramos em ste propras palavrasEntendido como fat peicolgea,osentinsento romanti- onfogsentimento que eafima acimada aztousentimentods Imodiaticidade atensdade ou volncia particular, corm tae tim ndo6ochamadio sentimental, ist 6, sentimento meld eochatoraplative:¢ muito mais um dado de senabtidade, prec ‘samente ofato puro simples da snsibilidade, ano ele setra dlzem etado de exeesioa wat permanente npresionsbilidade ‘nritabilidade ereatiidade. Na sensibiidade romantien, prods. tina oamor pela irresolugdoe plas ambioalincion, a ingutcaade Etrriguictude que se comprozem de st mesma ee csaurom em of ineamasO vermo que se trnou mas tipo que techico Fara India esses estados do eapinto &"Sehnsucht, que pode ws ox. pressar melhor como “ansiedade” (os sinonimos “deceo ardente’, nse" ouvanclopaixonadsstomenossiguieativos) i Mitte e O romantioms também explica muito bem ease termo com 0 coneeito relative: "A ils earacteristica palavra do romantismo alemao, ‘Sehnsucht, Junge TeimweN, aeaudade('mal isto €, dosejo, do retorno'auma [aicidade antes possuida ou pelomenos conhecidaedeterminavel) lo contrario,¢ desejo que nunea pode alcangar a sua meta, porque do a conheee endo quer ou ndo pode conheetla: 0'mal’(Sucht) ‘Ao deseo'Selinen). Mas o proprio Sehnen’ signifies com bastante froqhencia deseo trealizavel porque indefinivel, desejar tudo € hada ao mesmo tempo nao por acaso Sucht fj reinterpretado(..) ‘ome Suchen, procurar; a Sehnsusht 6 verdadeiramente a busca So desej, desejaro desea, dase que é sentido como inextinguivel fe que, precisamente por isso, encontra em si mesmo a plena ‘adiedade." wenn so 2) Isto, porém, ainda nio basta. A categoria pseolgiea to- rméntica deve ser ligada a categoria do conteddo idea! econcetual {do romantisme, Com efeto, no perfodo de que estamos falando, lalgumas idéiae e representagoes mostram-se as mais das vezes ‘ssociadas ao sentimento a que nos referimos, embora oromantis- ‘mo nfo sea sistema de coneaitos, como jé destacamos varias vezes. 1) Todo romdnti tem sede de infinito e aquela ansiedade, que é dese irealizavel,o6 precisamente porque aquilopeloque snseia, harealidade, €olninio, Btalvex munea comonessa época.se tenha falado tanto de infinito, entendido dos modos mais diversos, Os Tominticos expressam essa tendéneia ao infinite tembém como "Streber" ou se, como perene “tender” que nunca cossa, porque ‘as experiéncias humanas slo todas initas, 20 passo quo weu objeto