Você está na página 1de 5

Impostos sobre Vendas na DRE

Nos tutoriais passados aprendemos a contabilização dos impostos incidentes nas vendas de
mercadorias, no presente tutorial vamos aprender como deve ser apresentada a despesa com impostos
na Demonstração do Resultado do Exercício.

Com o passar do tempo conforme formos progredindo, veremos que cada tipo de despesa e
receita tem um local certo para ser apresentado na DRE, entender o porque dessa apresentação
permitirá uma analise com maiores detalhes da situação da empresa. Vamos lá?

Apresentação dos Impostos na Demonstração do Resultado do Exercício:

Vamos aproveitar os dados do exercício passado para continuar o nosso aprendizado.

Vamos utilizar para tanto os últimos razonetes que tínhamos preenchido que eram esses:
Inicialmente vamos elaborar o zeramento das contas de resultados e levantarmos o balanço
patrimonial do período.

Nossos razonetes ficariam da seguinte forma:

Feito isso temos o processo de zeramento das contas de resultados efetuadas, e sendo assim
podemos elaborar o nosso balanço patrimonial, que ficaria da seguinte forma:
Temos então levantado o nosso balanço patrimonial, pelo zeramento das contas de resultados
que efetuamos acima identificamos claramente que o lucro gerado no período foi no valor de R$ 1.361,30
certo?

Vamos ver agora essa apuração na DRE.

Conforme vínhamos fazendo anteriormente ficaria da seguinte forma a nossa DRE:

Certo?

Vejam que o valor do lucro líquido é idêntico ao lucro que apuramos nos razonetes, vamos
inicialmente aprender uma nova forma de apresentação da DRE já abordando alguns pontos da
formatação exigida pela legislação, pois na verdade o modelo que estamos aprendendo acima, é um
modelo somente para fins didáticos, existe toda uma “forma correta” de se apresentar tal demonstração.
Vamos começar a vê-la.

A formatação correta da DRE será vista por completo numa série de tutoriais especificas para tal
por enquanto estaremos somente começando a aprender ok?

Vamos lá?

Introdução a Formatação da Demonstração do Resultado do Exercício:


O cabeçalho da declaração, onde consta o nome dela, o período que esta abrangendo, e o nome
da empresa é o primeiro passo, e não tem grandes mistérios. Vamos continuar:

A partir desse ponto é que vamos começar a ver a nova formatação da demonstração, a primeira
linha que anteriormente estávamos chamando de RECEITA DE VENDAS, agora se chamará de RECEITA
BRUTA DE VENDAS, e apresentará o saldo de toda a receita de vendas que a empresa ganhou no
período. Na verdade estaremos somente mudando o nome, pois a “lógica” será a mesma. Ficará assim:

Chamamos essa linha de receita bruta de vendas (se a empresa fosse prestadora de serviços,
seria RECEITA BRUTA DE SERVICOS), porque como vimos nos tutoriais que se passaram, não é a
empresa que paga os impostos, e sim que os comprou, pois na verdade o valor do impostos na maioria
das vezes está incluído no preço. Assim esse valor que estamos apresentando contempla tudo o que a
empresa cobrou pelas vendas efetuadas, porem não é todo esse valor que será revertido integralmente a
favor da empresa, então iremos “lapidar“ esse valor para demonstrar quanto que realmente pertence á
empresa, que será a RECEITA LIQUIDA DE VENDAS.

Para tal, antes temos que diminuir do valor da receita bruta de vendas os valores que não
pertencem a empresa, ou seja, que a empresa não ira efetivamente usufruir, podemos dizer então que
estaremos “ajustando”, no bom sentido, a receita da empresa.

O primeiro “ajuste” que já sabemos que temos que fazer, e retirar do valor da receita bruta o
valor dos impostos, pois como dito acima estes não pertence á empresa, esta é mera depositária dos
mesmos, cobra dos compradores, e repassa ao governo.

Então temos que deduzir da receita bruta o valor dos impostos, a fim de chegarmos a receita
liquida que é a que efetivamente será revertida a favor da empresa, ficaria assim:
Vejam que agora demonstramos que apesar da empresa, ter um faturamento (todo valor que
espera receber pelas vendas) na quantia de R$ 2.000,00, o valor que ela usará efetivamente para suprir
os gastos com suas operações será de R$ 1.815,00, os valores dos impostos (PIS e COFINS), foram
deduzidos da receita bruta e chegamos ao valor da receita líquida de vendas.

A partir desse valor, o que consta na linha de liquida de vendas, vamos deduzir o valor do
CUSTO DA MERCADORIA VENDIDA, assim chegaremos ao LUCRO BRUTO.

Afinal se você compra um carro por R$ 6.000,00 e o vende por R$ 8.000,00, chegamos ao lucro
nessa operação diminuindo o valor da venda do custo, certo? A mesma coisa faremos na DRE.

Ficará assim a nossa Demonstração:

Por último temos a linha de LUCRO LIQUIDO, essa linha é a ultima que deve aparecer na
demonstração, em nosso exemplo, ela vem logo após a linha de LUCRO BRUTO e apresentando o mesmo
valor, por acaso, ela virá sempre ao final da demonstração.

Analisando a demonstração acima, rapidamente podemos nota que a empresa faturou (tudo o
que cobrou pela venda) a quantia de R$ 2.000,00, porém somente R$ 1.815,00 é que realmente é da
empresa, desses, R$ 453,70, foram relativos ao custo da mercadoria, é o lucro do período foi de R$
1.361,30.