Você está na página 1de 13

24/3/2009

Mapa de Roma com principais centros de influencia cultural. Século I.

HISTÓRIA DA ARQUITETURA E
URBANISMO
04. Arquitetura clássica - ROMA

Arquitetura do Império Romano Arquitetura do Império Romano


300 a.C. – 300 d.C. 300 a.C. – 300 d.C.

Populonia: Necropoli di San Capitel toscano. A ordem Toscana dos Romanos


Dupla herança: Etruscos e gregos Cerbone Dupla herança: Etruscos e gregos inspirou-se na arquitetura etrusca, que, aliás,
baseava-se na Ordem Dórica Grega.

… Os conhecimentos técnicos e de engenharia dos etruscos


na construção de estradas, pontes e túneis foram
aperfeiçoados. Conheciam o arco de meio ponto, a
abóbada de canhão, e a cúpula, elementos que
utilizaram – entre outras coisas – p
para a
construção de pontes. Também construíram canais
para drenar as zonas baixas, levantaram muralhas
defensivas de pedra, mas, sobretudo, destacou a
arquitetura funerária, em forma de
impressionantes hipogeus.
… Os templos estavam inspirados no modelo grego,
embora apresentassem notáveis diferenças:
costumavam ser menores, de planta quadrangular,
fechados, sem peristilo, somente com uma fileira de
colunas da ordem chamada "toscano" a jeito dos
pronaos gregos, e o altar estava sobre um fojo,
chamado pelos latinos mundus -limpador,
purificador- (a palavra talvez seja de origem
etrusca), é dizer, um orifício que, simbolicamente,
serviria para botar os restos dos sacrifícios.

Características da arquitetura romana

… Para Roma, a arquitetura era expressão de domínio. O poder mandava


erigir (pelo exército) edifícios públicos para funções civis.
… Tendência ao monumentalismo e efeitos decorativos. O capitel coríntio,
muito apreciado durante o helenismo, se tornou o preferido de Roma.
… Para o tornar ainda mais suntuoso foi aumentado de modo a formar um
capitel
it l compósito
ó it no qual,l sobre
b a coroa ded folhas
f lh de
d acanto,t sobressaem
b
volutas altamente trabalhadas.
… Também se tornaram típicos os entablamentos contracurvados,
perpendicularmente salientes sobre colunas sem função dispostas à frente
da fachada.
… Estes últimos, tal como os dos etruscos, eram construídos sobre um podium
elevado com escadarias na fachada privilegiada, enquanto que a
fachada posterior da cella e as paredes laterais eram mantidas simples ou
apenas decoradas com colunas adossadas.

1
24/3/2009

Capitéis romanos Capitel romano das ruínas de Óstia

Capitel
toscano e
Capitel
compósito no
qual, sobre a
coroa de
folhas de
acanto,
sobressaem
volutas
altamente
trabalhadas

Arquitetura Romana

OPUS
ROMANOS
Opus
erraticu
m

PRINCIPAIS ORDENS
COLUNARIAS ROMANAS

Arquitetura Romana Planta dos Foros Imperiais romanos, Roma.

Planta de Foro romano, Roma.

2
24/3/2009

Arquitetura
Foro Romano Romana

Foro romano.
Restos da
colunata

do templo de
Saturno e da
basílica Júlia.

Roma.

Arquitetura
Arquitetura Romana
Romana

Foro romano. Foro Romano


Restos da
colunata

do templo de
Saturno e da
basílica Júlia.

Roma.

Casa romana
Arquitetura Romana

Modelo ideal de uma domus romana.

3
24/3/2009

Casa romana Casa romana em Herculano

Restos da casa do Fauno: Impluvio e ao fundo peristilo. Século II a. C.


Arquitetura
Pompéia, Nápoles.
Romana

Domus das
“Vodas de
Prata”:
Impluvio.

s II a.C.
s. aC

Pompeia,
Nápoles.

Arquitetura
Maison Carreé. 16 a.C. Nimes, França.
Romana

Reconstrucción e restos dunha


insula ostiense. Ostia.

4
24/3/2009

Templo da Fortuna Viril. Primeira metade do s. I a.C. Roma.


Arquitetura Romana

Templo de Vesta, 142 a.C. Roma.

Templo romano Templo romano

Templo de Templo de Hercules Capitel coríntio


Hércules

Arquitetura Teatro Marcelo - Roma –


Marcus Marcellus, sobrinho do imperador Augusto -13BC
Romana

Planta e
seções do
Teatro
Marcelo

13 a.C.
aC

Roma.

5
24/3/2009

Teatro Marcelo - Roma Detalhe da fachada do Teatro Marcelo. 13 a.C. Roma.

Vista da cavea e do Scenae frons do Teatro de Mérida. Iniciado no s. I a.C., Badajoz.


Arquitetura Romana

Planta e vista aérea do Teatro de Mérida. Iniciado no s. I a.C., Badajoz.

Vista da cavea e do Scenae frons do Teatro de Mérida. Iniciado no s. I a.C., Badajoz.


Teatro Romano de Amman

6
24/3/2009

Teatro de Pompéia
Teatro de Timgad – Norte da África

Arquitetura Romana Coliseu romano

Planta e Anfiteatro
seccións do romano
Anfiteatro inaugurado no
Flavio ano 80 d.C. A
(Coliseo) fachada
apresenta três
72 - 80 fileiras
sobrepostas de
Roma. 80 arcos cada
uma, com três
ordens
arquitetônicas,
e um ático no
qual havia
estátuas e
escudos.

Coliseu romano Coliseu romano

7
24/3/2009

Interior do Anfiteatro Flavio (Coliseo). 72 – 80. Roma. Fachada do Anfiteatro Flavio (Coliseo). 72 – 80. Roma.

Fachada do Anfiteatro Flavio (Coliseu. 72 – 80. Roma.


Arena de Verona

Arquitetura Romana Arquitetura romana

Reconstrução de um circo romano … A Pont du Gard é um aqueduto romano construído no século I


a.C., situado no sul da França, construído em três níveis que
trazia água de Uzès até Nîmes na travessia do rio Gard.
Porta triumphalis
Podium

Cárceres

Meta primera
Spina

Meta segunda

8
24/3/2009

Aqueduto Pont du Gard Arquitetura Romana


Ponte do Gard. Fins do século I, Vers, França

Arquitetura Arquitetura
Romana Romana

Ponte de Detalle do
Alcântara. Acueducto de
Segovia.
s. II.
s. II.
Cáceres.
Cáceres
Segovia.

Termas de Caracalla. 216. Roma.

9
24/3/2009

Roma - Panteão de Roma Roma - Panteão de Roma

Panteão de
Roma

Fachada do
Panteón. 128.

Roma - Panteão de Roma

Roma - Panteão de Roma

Interior do Panteón. 128. Roma.

10
24/3/2009

Arquitetura
Roma - Panteão de Roma Romana

Panteão de
Roma

Restos da Basílica de Maxêncio. 307 – 330. Roma.

Reconstrucción da Basílica de Maxencio. 307 – 330. Roma.

Arquitetura
Romana Características da arquitetura romana

Ponte do … O arco foi o elemento Anfiteatro El Djem Tunísia


Bibei. marcante da arquitetura
romana. Os conjuntos de
S. II. arcos, as arcadas, são
movimentados e
Pobra de dinâmicos; os arcos
Trives, elevam-se, regressam à
Ourense terra e aí formam o
início de um novo arco.
Esta característica dá ao
arco um caráter
expansivo, impelindo-o
para paragens
distantes, o que
corresponde, na íntegra,
ao desejo de expansão
do Império Romano.

11
24/3/2009

Características da arquitetura romana Arcos romanos

… Ao aplicarem a sua técnica de


construção de abóbadas e cúpulas
de dimensões cada vez maiores, os
romanos conseguiram criar espaços
fechados enormes, sem apoios
intermédios. Para isso foram
auxiliados pela sua versão de um
material
t i l construtivo
t ti hhojej onipresente:
i t
o concreto. Produzido a partir de
cal, areia, pedaços de calcário,
pozolana. cascalho e água era
vertido em moldes., deixado
solidificar e usado na construção.
Este foi o material utilizado na
construção da cúpula do Panteão.
Como primeiro grande espaço de
culto da antiguidade, esta
construção de planta centrada é
totalmente dirigida para o seu Arco de Sétimo Severo – Foro Romano
interior.

Arquitetura
Arquitetura Romana
Romana

Arcos de triunfo de Tito e Constantino. Séculos I e IV. Roma.


Arco de
Tito

Fins do
séc. I

Roma

Arquitetura
Urbanismo no Império romano Romana

… No que se refere ao
urbanismo, os romanos Arco de
também se basearam na
malha de retícula regular Bará
formada pelas ruas das
cidades etruscas e das
colônias gregas, completando 102 – 107
esse sistema com um eixo
norte-sul (cardo) e outro este- Tarragona
-oeste (decumanos).
… Perto do cruzamento dessas
duas ruas principais
localizava-se o fórum - uma
evolução da agora grega - o
centro da vida pública da
polis.

12
24/3/2009

Urbanismo
Urbanismo no Império romano no Império
Romano

… Os romanos fecharam este espaço,


agrupando, geralmente segundo o
seu eixo principal, os edifícios Plano teórico
públicos, tais como a basílica, de um
utilizada sobretudo como mercado acampamento
ou tribunal, arcos de triunfo ou militar
templos.
romano.
… O uurbanismo
ba s o revelava-se
eve ava se também
a bé na a
construção de teatros, termas e
estádios magníficos, assim como na
edificação de villae que, com os seus
jardins, terraços, colunatas e
pavilhões, davam ao setor privado
uma importância determinante. O
forte crescimento da população
urbana tomou necessária a
edificação de células habitacionais:
surgia assim a construção
massificada.

Plano de
Timgad

13