Você está na página 1de 10
Licenga de uso exclusiva para Petrobras S.A. 01.046 ELETRODOS DE ACO-CARBONO E FLUXOS PARA A. ‘SOLDAGEM A ARCO SUBMERSO NBR 10617 JAN/1989, Classificagao SUMARIO. 1 Objetiva 2 Normas complementares ANEXO A — Guie para a clasificago de eletrodos de ago-carbono ¢ de fluxos para soldagem a arco submerso ANEXO B — Tabelas 1 oBseTivo Esta Norma classifica os eletrodos de ago-carbono e os fluxos para a soldagem a arco submerso. 2 NORMAS COMPLEMENTARES Na aplicacao desta Norma é necessa. consultar: NBR 10474 - Qualificagao em soldagem - Terminologia NBR 10516 - Consumfveis em soldagem - Terminologia NBR 10618 - Eletrodos de aco-carbono e fluxos para a soldagem a arco submer so ~ Especificagio i NBR 10619 - Eletrodos de ago-carbono e Fluxos para a soldagem a arco submer so - Ensalos - Método de ensaio ANSI 249.1- Safety in Welding and Cutting 3 DEFINIGOES Os termos técnicos utilizados nesta Norma estdo definidos nas NBR 10474 e NBR 10516. Oagoms ABNT — 1: 70102007788 (CE TTS) So em i CE: 701.02 ~ Cami oe trodes and Faxes for Submerged Are Welding — Clasification He 07 Con St Eee rd Fie Some a Bovine: ied a SISTEMA NACIONAL DE ABNT — ASSOCIACAO BRASILEIRA METROLOGIA, NORMALIZAGAO DE NORMAS TECNICAS E QUALIDADE INDUSTRIAL © Palavras-chave: eletrodo. soldagem. NBR 3 NORMAGRASILEIRA REGISTRADA Sree Licenga de uso exclusiva para Petrobras S.A. 2 NBR'10617/1989 4 to 4.1 Clasat ficaedo 0 sistema de classificacdo utilizado nesta Norma est descrito no exemplo a se guir. 0s eletrodos sio classificados com base na sua composicdo quimica, con conforme Tabela 1 do Anexo 8. 0s fluxos sdo clasificados com base nas proprie, dades mecdnicas do metal de solda dos depdsitos efetuados com uma determinada classificacdo de eletrodo, conforme Tabelas 2 e 3 do Anexo 8. EXEMPLO FTAG-EMI2K & uma designacdo completa e se refere a um fluxo que produzird um me tal de solda que, na condi¢do de como soldado, teré uma resisténcia & tragdo nJo inferior a 490 MPa, e uma resisténcia ao impacto Charpy-entalhe V nao menor do que 27J a -51°C, quando depositado com um eletrodo EMI2K, nas condicdes de soldagem estipuladas nesta Norma. =>Designa Fluxo indica a resisténcia minima & traco (em incrementos de 70 MPa) do metat depositado de acordo com as condicdes de soldegem estipuladas nesta Norma, conforme Tabela 2 do Anexo B, e resultante da combinacao do fluxo com uma determinada classificacao do eletrodo. ->Indica a condicdo de tratamento térmico dos corpos de prova para a execu so dos testes: a letra "A" refere-se 4 condicdo de como soldado ea le tra "P", 4 condicdéo de tratado termicamente apds a soldagem. A tc peratu ra e a duragao do tratamento térmico, apds a soldagem, estio indicados nto item 4.1.5 da NBR 10619, ~>Indica a menor temperatura na qual a resisténcia ao impacto do metal depositado, em referéncia, iguala ou excede 27J. [designe eletrodo. FXX XE XXX >Classificacao do eletrodo utilizado para a obtencdo do metal depo sitado, em referéncia, conforme Tabela 1 do Anexo B. = JANEXO A Licenga de u: i 4 ca de uso exclusiva para Petrobras S.A, 19617/1900 : a [ANEXO A - GUIA PARA A CLASSIFICACAO DE ELETRODOS DE AGO-CARBONO E DE FLUXOS PARA SOLDAGEM A ARCO SUBMERSO A-1 intRoDUGAO A1.1 Este guia esta incorperado a esta Norma como uma fonte de informacdes. Ac1.2. 0 sistema de classificacdo usado nesta Norma e as respectivas designa ges seguem, o mais préximo possivel, 0 modelo padronizado utilizado em outras Normas de metais de adigdo, Todavia, a natureza inerente dos materiais clas: ficados nesta Norma requer certas modificacdes deste modelo, a fim de que a classificacdo destes materiais possa ser feita de maneira mais habil. A-2_ CLASSIFICAGAO DOS ELETRODOS (VER EXEMPLO NO ITEM 4.1) Ae2.1 Considera-se, como exemplo, a classificagao EL8K. 0 prefixo "E" indica eletrodos; a letra "L" indica que se trata de um eletrodo com teor de manganés paixo (0,60% miximo); a letra "H",se aplicada ao invés da letra "'L", indicaria um teor intermediario de manganés (1 25% na maioria dos casos), A letra ne dica que 0 eletrodo foi produzido a par que aparece em algunas designacées, 0 digito "8" indica, em centé tir de uma corrida de aco acalmado com silfci simos de porcentagem, 0 teor nominal de carbono contido no eletrodo (neste caso» 0,08%) . A-2.2. 0s eletrodos so clasificados somente com base na sua composicéo quimi ca, conforme indicado na Tabela 1 co Anexo By A-3. CLASSIFICAGAO DOS FLUXOS Ae3.1. 0s fluxos so classificados com base nas propriedades mecdnicas dos me tais depositados, em combinego com ama determinada classificacdo do eletrodo, de acordo com as condigdes dos testes especificos, estipulados na NBR 10619. A-3.2 Como exemplos de classificagdes de fluxos, consideramos os seguintes: F6AO-EL12 F7P6-EMI 2K F6A2-ELBK 0 prefixo "F" designa flixo. Ele é sequido por um digito simples, representan incrementos do a resisténcia minima tracdo requerida para o metal de solda em de 70 MPa, Quando a letra "A" for aplicada apds 0 digito indicador de resistén cia, indica que o metal de solda foi testado (2 classificado) na condigdo de co mo soldado. Quando a letra "'P' for aplicada apés 0 indicador de resisténcia, Licenga de uso exclusiva para Petrobras S.A. NBR 10617/1989 nr indica que o metal de solda foi testado (e classificado) na condicao de tratado termicamente apés a soldagem, conforme estipulado nesta Norma. 0 digito que é aplicado em sequéncia & letra "A" ou & letra "P", serd um nimero ou a letra '1Z' Este digito refere-se & resisténcia ao impacto do metal depositado e¢ indica a temperatura minima na qual o metal depositado atinge ou ultrapassa o limite mf nimo de 27J, requerido para a resisténcia ao impacto (exceto para a letra "Z"', indicativa de que o teste de impacto ndo é requerido - ver Tabela 3 do Anexo 8). Estas designacdes de propriedades mecdnicas so seguidas pela designacéo do ele trodo utilizado para a classificacdo do fluxo conforme Tabela 1 do Anexo B. 0 sufixo (EL12, EMI2K, etc.) incluido apés o hifen, refere-se ao eletrodo com o qual 0 fluxo depositou o metal de solda, cujas propriedades mecanicas atendem aos requisites dos testes estipulados nesta Norma. A-3.3. Deve-se notar que os fluxos de uma designacdo comercial especifica podem ter varias classificacdes. 0 nimero destas classificagdes & limitado apenas pe lo namero das diferentes classificagdes de eletrodos e das condigdes de trata mento térmico do metal de solda (como soldado ou tratado termicamente apds a itos da respectiva classi soldagem), com 0 qual o fluxo pode atender aos requ Ficagdo. A marcacdo do fluxo deve indicar no minimo uma das classificagdes nas quais ele se enquadra. A-3.4 0s eletrodos que tém a mesma classificacdo, conforme item A.2, sdo inter cambidveis quando usados com um fluxo especffico. intretanto, os flux. de mes ma classificagao nao séo intercambiaveis. Ach VENTILAGAO DURANTE A SOLDAGEM Ach.1 A ventilagdo natural é aceitavel para operagées de soldageme corte em dreas que ndo sejam conf inadas. A-4.2 A ventilacdo forcada ou induzida é um pré-requisito para o trabalho em espagos confinados, tais como: a) espacos menores que 300 m? por soldador; b) salas, prédios, barracdes, etc, sendo a altura do teto menor que 5m c) espagos confinados ou onde o espaco para a soldagem contém separacdes, balcGes ou outras barreiras estruturais significativas ma obstrusao da venti lacao. Nota: Para se obter informacd. » mais completas, recomenda-se consultar a Norma ANSI 749.1. Licenga de uso exclusiva para Petrobras S.A. NBR 10617/1989 5 —_—_—————_— ‘A-5 DESCRIGAO DO PROCESSO A-5.1 Na soldagem a arco submerso, 0 arco elétrico é mantido entre a ponta do eletrodo e 0 metal que estiver sendo soldado. 9 eletrodo € normalmente alimen tado a partir de um rolo (com ou sem suporte) ou de um tambor, 3 medida que vai sendo fundido e depositado. 0 arco elétrico e a regiao da soldagem sao sempre envolvidos e protegidos por uma camada de fluxo em estado de fusdo, o qual, por sua vez, é coberto por uma camada de fluxo granular nao fundido. A-5.2 0 fluxo é alimentado independentemente do eletrodo. Ele & usualmente a mentado por gravidade, seja imediatamente a frente do eletrodo ou entao de for ma concéntrica em relagdo ao eletrodo. Uma parte do fluxo é fundida 4 medida que a soldagem é processada. A-5.3 Os fluxos para a soldagem a arco submerso so formulados para suportar elevadas intensidades de corrente de soldagem empregadas no processo. Os fluxos protegem a poca de fusdo da atmosfera e atuam como purificador do metal de sol da. Podem também modificar a composigao quimica do metal de solda e influen ciam a geometria do cordio de solda. A-5.4 A soldagem a arco submerso se caracteriza por permitir a utilizacdo de amplas faixas de intensidade de corrente, tenso e velocidade de soldagem. Cada um desses fatores pode ser controlado separadamente, porém, todos eles devem operar compativelmente para produzir uma solda adequada. Cada um desses fatores influencia a geometria e a aparéncia do cordao de solda, as propried=des do me tal de solda e a atuacdo do fluxo. A-6 TIPOS DE FLUXOS A~6.1 Os Fluxos para a soldagem a arco submerso sdo granulados, compostos de minerais fusiveis em varias proporgées e quantidades, produzidos por diferentes métodos. 0s tipos gerais, de acordo com os seus métodos de fabricacéo, so fly x0s fundidos, aglomerados e mecanicamente misturados. Cada tipo possui certas cargcteristicas peculiares que modificam as propriedades mecdnicas e a composi ¢30 quimica do metal de solda, as caracter{sticas de soldagem e a capacidade do Fluxo de operar com varias condigées superficiais do metal de base. A-6.2 0s fluxos fundidos envolvidos nas classificagdes desta Norma sdo mistu ras de silica e dxidos de metais com pequenas quantidades de sais haldides, to dos eles tendo sido fundidss para formar um composto vitreo. pds o resfriamen to, este composto é reduzido 4 particulas, com granulometrias tais que assequ rem caracteristicas apropriadas de soldagem. De acordo com a sua composi¢ao, esses fluxos podem ser subaivididos em duas cotegorias gerais: Licenga de uso exclusiva para Petrobras S.A. 6 NBR 0617/1989 ne a) fluxos compostos preponderantemente de silicatos de metais alcal ino-ter rosos; b) fluxos nos quais o manganés substitui parte ou quase todos os —_metais alcalino-terrosos. tem de misturas agly A-6.3 0s fluxos aglomerados considerados nesta Norma con tinadas de dxidos, finamente divididos, de metais alcalino-terrosos, —manganés, aluminio, silicio, titanio ou zircdnio; desoxidantes como silicio-maganés, ferro- ilares e pequenas quantidades de certos ‘cio (com ou sem titanio) ou ligas si sais haldides. Os fluxos podem conter elementos de liga na forma de met elemen tares, ligas ferrosas ou ligas metdlicas em forma de pd. Estas misturas sdo combi nadas com um aglonerante adequado e tratadas para formar grdos duros, nos quai os ingredientes individuais sdo distribufdos uniformemente e aglomerados em con junto. A-6.4 0s fluxos misturados mecanicamente podem ser misturas de varios fluxos fundidos ou aglomerados, em varias porporsdes, ou misturas de minerais finamente divididos, desoxidantes metal icos e elementos de liga, em proporgées necessdrias para o desempenho pretendido. ‘A.7 PROPRIEDADES MECANICAS DO METAL DEPOSITADO A.7.1 As Tabelas 2-e 3 do Anexo 8, relacionam es propriedades mecdnicas — reque idas para os metais depositados pelas combinacdes fluxo-eletrodo (os eletrodos estdo classificados na Tabela 1 do Anexo 8). As propriedades mecanicas so deter minadas em corpos-de-prova, preparados de acordo com os procedimentos —estipula dos na NBR 10619, Esses procedimentos minimizam a diluicdo do metal de base ey por esse motivo, cooperam para a determinacdo mais precisa das propriedades do me tal depositado conforme cada uma das combinagoes fluxo-eletrodo, Durante a utili zagdo, os fluxos e eletrodos s3o manuseados separadamente, cada um deles podendo ser alterado, sem que 0 outro seja modificado. Por esse motivo, € necessdrio um sistema de classificacao com métodos de testes padronizados, para relacionar os fluxos e eletrodos com as propriedades dos metais de solda que eles depositam. To das as reagdes quimicas entre a porcao fundida do eletrodo e o fluxo, ea dilui so pelo metal de base, afetam a composi¢ao quimica do metal de solda. A.7.2 As soldas a arco submers: nem senpre so efetuadas com procedimento de passes miltiplos, conforme requerido na NBR 10619. As soldagens a arco sub merso 30 frequentemente efetuadas cm um Gnico passe, dentro de certos Licenga de uso exclusiva para Petrobras S.A. NBR 10617/1989 7 NAA re limites de espessura do metal de base. Quando for requerido um nivel elevado de resisténcia ao impacto, podem ser necessarias soldagens em passes miltiplos. A-7.3. As propriedades mecdnicas de uma solda dependem de sua composicdo quimi ca, da taxa de resfriamento ¢ do tratamento posterior 3 soldagem. As soldas com elevada intensidade de corrente efetuadas em um Unico passe, apresentam maior maior diluigdo pelo metal de base do que as soldas em penetragao e, portanto, A solidi. passes miltiplos, com intensidade de corrente de soldagem mais baixa. Fieagdo € 0 resfrianento das soldas volunosas, feitas em um inico passe, sd mais lentos do que em um cordao, individualmente menor, de uma solda feita em passes miltiplos. Entretanto, os passes subsequentes de uma solda em passes mdltiplos sujeitam o metal depositado nos passes anteriores @ uma variedade re lativamente grande de ciclos térmicos, alterando a estrutura metallrgica, em d Por esta razdo, as propriedades de uma solda em ferentes pontos desses passes. um Gnico passe podem ser diferentes das propriedades obtidas com soldas em pas. ses miltiplos, sendo ambas as soldas efetuadas com a mesma combinacao fluxo-ele trodo. A-8 BASES PARA A SELECAO 00 ELETRODO E DO FLUXO AeB8.1 As combinagdes fluxo-eletrodo abrangidas por esta Norma séo usadas para 4 soldagem de acos carbono, & soldagem desses acos requer un conhecimento das suas propriedades ¢ dos efeitos dos tratamentos térmicos, além dos limites que poderiam ser compreendidos neste Anexo, Entretanto, um pequeno sumdrio dos 6 picos envolvidos pode ser Util; por esta razdo, este sumario é apresentado nes te Anexo. A-8.2 Nesta Norma, as propriedades do metal de solda sao determinadas na condi 30 de como soldado, ou na condicdo de tratadd termicamente apds a soldagem, ov em ambas as condicdes. Esses metais de solda, em sua maioria, sao apropriados para servicos em qualquer una das condicdes; porém, a Norma ndo pode abranger todas as condigdes que tais metais de adigdo podem encontrar durante a fabrica g80, ou quando em servico. Por este motivo, as classificacdes desta Norma re. querem que os metais de solda sejam depositados e testados de acordo com certas condigdes especificas, Estas condigdes podem ser as mesmas ou diferentes em re lagdo as condicdes encontradas na pratica. 0s procedimentos empregados na pri tica podem requerer tens» de arco, intensidade e tipo de corrente © velocidade de soldagem, consideraveinente diferentes dos valores que sao requeriuos onalmente. as diferencas encontradas no didmetro e@ ex na NBR 10619. Adi tensdo do eletrodo a partir do contato elétricy, na configuragdo da junta, nas Licenga de uso exclusiva a ng para Petrobras S.A. oerzisga9 temperaturas de preaquecimento e de interpasse e no ciclo de tratamento térmico apés a soldagem podem exercer um efeito significativo sobre as propriedades da junta soldada. Um demorado tratamento térmico apés a soldagem (convencionalmen te com a duragdo de 20 a 30 h para as secdes extremmmente espessas) exerce uma influéncia consideravel sobre a resisténcia a tracés e a tenacidade do metal de solda, podendo reduzi-los substancialmente. 0 usuario precisa estar ciente des tes detalhes e do fato de que as propriedades mecdnicas do metal de solda de ago carbono, depositado com outros procedimentos de soldagem, podem diferir das propriedades requeridas pelas Tabelas 2 € 3 do Anes 8. JANEXO B Licenga de uso exclusiva para Petrobras S.A. NBR 10617/1989 9 ee ANEXO B- TABELAS TABELA 1 — Requisitos da composi¢ao qui‘nica para os eletrodos Classifi, Composi¢3o quimica, em porcentagen (4) +(8) cacao do eletrodo ¢ ne si $ iE cyl) Eletrodo de aco de baixo manganés £18 0,10 | 0,25/0,60 0,07 | 0,035 | 0,035 0,35 EL8k 0,10 | 0,25/0,60 | 0,10/0,25 | 0,035 | 0,035 0,35 EL12 0,05/0,15 | 0,25/0,60 0,07 | 0,035 | 0,035 0,35 Eletrodo ¢2 ago médio manganés en12 0,06/0,15 | 0,30/1,25 0,10 | 0,035 | 0,035 0,35 EMI2k 0,05/0,15 | 0,80/1,25 | 0,10/0,35 0,035 0,035 0,35 EMI3k 0,07/0,19 | 0,90/1,40 | 0,35/0,75 | 0,035 | 0,035 0,35 EHI5k 0,10/0,20 | 0,80/1,25 | 0,10/0,5> 0,035 0,035 0,35 Eletrodo de aco de zito manganés enh 0,10/0,20 | 1,70/2,20 0,10 | 0,035 | 0,035 0,35 (A) 05 valores simples indicados correspondem a porcentagens méximas. (B) 0s eletrodos devem ser analissdos para a determinagao dos elementos, cu jos valores especfficos estdo indicados nesta Tabela. Deve ser também de elemetos que, embora nao inclufdos nes terminados e relatados os outr ta Tabela, sejam intenc‘onalmente adicionades (com excecao do ferro). 0 total desses elementos e de outros elementos que possam estar presentes, sem terem sido adicionados intencionalmente, n3o deve exceder a 0,50%. (C) 0 teor de cobre inclui o do revestimento do eletrodo (ver item 4.2.2 da NBR 10618, acabamento e, item 5.1 da NBR 10619, andlise quimica). PTABELA2 Licenga de uso exclusiva para Petrobras S.A. NBR 10617/1989 ee stanentesencnaensnenntnsieiten ee 10 TABELA 2 — Requisitos de propriedades mecénicas Classittcagiol) | Resisténcla 3 | Restecdncte aol”) Alonganento(®) do fluxo tracdo (HPa) esecamento (HPa) Winimo (3) (minimo) FOXX-EXXX 415 - 550 330 22 FTXX=EXXX, 480 - 650 400 22 (A) A letra "x", usada em varias posigdes nas classificagoes incluidas nesta Tabela, representa, respectivamente, condiges de tratanento térmico, resis téncia a0 impacto do metal depositado e classificacao do eletrodo (ver exem plo no item (B) Resisténcia minima ao escoamento a 0,2% de deformagao permanente 4a). to medido em comprimento padrdo de 50 mm. TABELA 3 — Requisitos de resisténcia ao impacto Digito Temperatura de Nivel minimo de teste (°C) energia z - Sem requisito de impacto 0 =18 2 -29 4 -40 5 -46 an 6 =i 8 é2 a Nota: Baseado nos resultados dos ensaios de impacto efetuados no metal depositado, o fabricante deve inserir na clas sificacdo (Tabela 2 do Anexo ta Tabela, conforme indicado metal depositado, resul tante ca entre fluxo e eletrodo, & de impacto a uma determinada aos requisitos ie impacto em ta Tabela que sejam supe tal depositado que atends a0 aos requisitos para os di9 8) 0 digito apropriado des no exemplo do item 4.1, 0 de uma combinac3o especifi itos que atende aos requi temperatura, também atende todas as temperaturas des Squela (isto &, um me digito 5, também — atende >4, 2, 0e 2). e alongamen