Você está na página 1de 2
Raio SANTISTA -x ----- Nº I ----- Outubro de 2016 ANO I O Jornal da

RaioSANTISTA-x

-----

Nº I

-----

Outubro de 2016

ANO I

O Jornal da orla de Santos

Nº I ----- Outubro de 2016 ANO I O Jornal da orla de Santos Santistas exaltama

Santistas exaltama glória da Orla

Evento Casa Sênior movimenta a cidade de Santos

A segurança e o monitoramento na praia

10 de Outubro de 2016

CIDADANIA

II

Santistas glorificam a orla da Praia

Para a população, a coleta de lixo é ótima no local

4Arthur Faria

A Orla da Praia é sem dúvidas, um templo para

os santistas e os turis- tas que vêm conhecer a cidade. Nela, está localizada diversas atividades fí- sicas, como: aparelhos para academia, escola de surf e práticas de fu- tebol e futê-volei. O lixo é um dos temas centrais da população. Porém, segundo alguns, isso não é problema nos arredores do lugar. Segundo, Maria Luci- mar da Conceição, de 71 anos, o lugar tem uma organização ótima, em relação ao assunto. ‘‘O lixo não existe, a organi- zação é excelente, e não tenho o que reclamar.’’ Para Marlene de Ré, de 62 anos, a coleta é ex- celente, chegando a elo- giar a pontualidade da coleta. Esse argumento

Gabriel Gatto

giar a pontualidade da coleta. Esse argumento Gabriel Gatto é complementado, pelo seu cunhado Albert Wal-

é complementado, pelo seu cunhado Albert Wal- sh, que é inglês e está na cidade há 20 anos. ‘‘A limpeza na Orlá é mui- to boa, esse é uma das principais vantagens’’, completa o turista. A Terracom é a res-

ponsável por toda essa limpeza. O trabalho é árduo, contando com 75 pessoas limpando em torno da Orla, das 5h50 às 14h20 diariamente. Os setores são divididos em operadores que fa- zem a remoção do lixo mais pesado, varredo-

res, e equipe de rastela- ção manual, removendo

os resíduos na areia.

Para isso, a população deve colaborar e para a

fiscal de limpeza urba- na, Orlândia Rosa Souza

de Almeida, 37 anos, as

pessoas que frequentam o calçadão, têm colabo- rado. ‘’Alguns não cola- boram, porém a maio- ria respeita e até elogia

o nosso trabalho, nos

dando motivação para limpar todos os dias. O cidadão santista é lim- po, higiêncio, tirando al- guns que jogam o lixo de propósito.’’ Há 1 mês e meio, aconteceu uma ressaca na Ponta da Praia, que inundou parte do jardim santista. Se em dia nor- mal trabalham 75 pes- soas, naquela ocasião foram 200 pessoas, bus- cando o apoio de quem varre o interior da cida- de, tendo uma durabili- dade de 4 dias.

A segurança e o monitoramento na praia

4 Arthur Faria

A segurança é um

tema sério que deve ser tratado. O ci- dadão deve se sentir

protegido de riscos e perigos e em San- tos não é diferente. A Guarda Municipal da cidade faz a patrulha com cinco viaturas em torno da Orla do município.

O guarda Leonardo

Silva Moura, 30 anos, contou que a equipe lida diariamente com moradores de rua, pessoas com entor- pecentes e pessoas que jogam em lugar

e hora inadequa-

do. Mesmo que ess-

es problemas sejam

diários, o trabalho é pesado durante o Natal e o Ano Novo e alguns eventos que

ocorrem nos locais.

Questionado so- bre a iluminação nas praias, o Inspetor Júlio, 64 anos, diz que a iluminação é excelente e chega a exaltar a adminis-

tração. As câmeras que fazem parte do jardim, também aux- iliam a operação, afir- ma Matheus Cunha Santos, 21 anos. Em agosto, a ‘’Febre Pokemón’’ atingiu o

mundo todo. Na ci- dade santista, o local escolhido foi a Praça das Bandeiras. Júlio criticou algumas pes- soas. ‘’É legal o jogo, mas tinha gente que pedia pra ser assal- tada. Na unidade do José Menino, tivemos dois casos, um quase causando a morte de um jogador.’’

III

CIDADANIA

10 de Outubro de 2016

Publicidade por: Felipe Rodrigues

10 de Outubro de 2016 Publicidade por: Felipe Rodrigues O bom-senso e a cooperação são essenciais

O bom-senso e a cooperação são essenciais para o convívio

Evento Casa Sênior movimenta a cidade

4Arthur Faria

Os idosos não têm mais desculpas para fi- car em casa. O ‘‘Casa Sênior’’, da Prefeitura em parceria com a Far- mácia Drogasil, está agi- tando a Orla da Praia. O evento começou dia 1º de Outubro, comemo-

rando o Dia do Idoso e terá término em 15 de Outubro.Edith Ribeirão, de 50 anos, secretária de esportes da cidade, diz que o espaço facili- ta para práticas de bons eventos. ‘‘Sempre tem eventos aqui, porque é uma grande área de la- zer e esse, foi pensado nos idosos, para saírem

de casa. Eles merecem, pois fizeram parte da história de Santos.’’ As atividades contam como dança e corrida, e além disso, o idoso que ir, pode fazer exame de sangue gratuito, pra sa- ber como está de saúde. O festival começa às 7h e tem término ao 12h.

Expediente

Textos

Arthur Faria

Publicidade

Felipe Rodrigues

Edição

Gabriel Gatto