Serviço de Andares em Hotelaria – 811-06 – UC1

Aprender com Autonomia

Organização do módulo
- Quadro Síntese -

Unidades de Competência

Critérios de Evidência

O formando conhece:

- O grupo em que está integrado relativamente às suas experiências, desejos e aspirações no campo da educação e Formação
- As regras princípios e funcionamento da instituição
- Os objectivos do módulo de formação

O formando socializa as suas expectativas face ao módulo

O formando contribui para o ajustamento entre as expectativas socializadas e os objectivos do módulo

Integração
 O formando:
- Implica-se no processo de definição das regras de funcionamento do grupo
- Descobre cumplicidades e entre-ajudas no grupo
- Escuta, compreende e respeita a lógica dos outros
- Desenvolve características de trabalho em equipa, tais como: cooperação, comunicação, liderança, mediação entre outras.

Relacionamento
Interpessoal

O formando explora as suas características e qualidades pessoais relacionadas com a aprendizagem

O formando analisa os mecanismos potenciadores e bloqueadores da aprendizagem

O formando reflecte sobre formas de reforçar e ultrapassar, respectivamente, os mecanismos potenciadores e os bloqueadores

da sua aprendizagem

Aprender a aprender
Integração

O formando reflecte sobre a organização do seu quotidiano no sentido de planificar a sua aprendizagem

O formando desenvolve capacidades facilitadoras da aprendizagem, a nível de expressão, memorização, ...

1

Serviço de Andares em Hotelaria – 811-06 – UC1
Aprender com Autonomia

Planificação da Unidade
- Quadro Síntese Unidade de Competência

Objectivos Específicos

- Aprofundar o conhecimento entre os elementos do grupo
- Tornar claras as regras, princípios e funcionamento da instituição formadora
- Possibilitar que os formandos exprimam os seus sentimentos e expectativas
pessoais em relação aos resultados do módulo

Integração

- Possibilitar o ajustamento entre os objectivos do módulo de formação e as
expectativas dos formandos

Duração do Módulo

Total: 4 horas
Formação sócio-cultural: 4
horas
Prática simulada: 0 m.
TIC: 0 m.

Integração

Actividades

- Exercícios de aprofundamento do conhecimento mútuo

- “Chuva de ideias” para a clarificação das regras, princípios e funcionamento da
instituição formadora
- Exercícios de socialização e ajustamento das expectativas socializadas e os
objectivos dos módulos
- Socialização e ajustamento das expectativas e os objectivos dos módulos

2

Acção Educativa – 28-875-UC1/2/3
Aprender com Autonomia

Aprofundamento do Conhecimento

Objectivos:
Proporcionar o conhecimento mútuo entre os elementos do grupo
Mostrar que todos os elementos do grupo são importantes e que nenhum pode
passar despercebido
Favorecer a formação de uma primeira ideia sobre os valores e interesses dos
elementos do grupo
Procedimentos:
Fase 1:
1 O formador introduz brevemente a actividade explicando que perante a
necessidade de as pessoas se conhecerem para trabalhar em grupo é importante criar
oportunidades que favoreçam o crescimento de uma relação de confiança e colaboração
entre os participantes e orientador bem como promoção de um clima de conhecimento
mútuo, abertura e investimento afectivo que facilite a auto-revelação por parte dos
alunos. Num primeiro momento, solicita às pessoas que preencham um exemplar do
cartão EU... comunicando-lhes que deverão completar individualmente a lista com uma
frase ou com uma palavra. Por exemplo, “Eu sou... o filho mais velho da minha família”
ou “Eu sou... generoso”. O preenchimento dos cartões deve focar preferencialmente
aspectos que os outros participantes não conheçam.
Fase 2: Quando todos os participantes tiverem completado a lista de frases do cartão,
o formador convida as pessoas a agruparem-se duas a duas e se entrevistarem
mutuamente abordando aspectos relacionados com o que preencheram nos cartões e
com as suas expectativas, desejos e aspirações no campo da educação e da formação.
Voltando ao grupo único, cada pessoa fará a apresentação do colega entrevistado, sendo
que nenhum poderá fazer a sua própria apresentação. Cada pessoa deve estar atenta e
Integração

3

Acção Educativa – 28-875-UC1/2/3
Aprender com Autonomia

verificar se a sua apresentação feita pelo outro é correcta e corresponde aos dados
fornecidos. Por fim o formador pede aos participantes que se manifestem sobre
apresentação feita e sobre a importância do exercício. O formador pode então fazer uma
síntese sobre a coerência do grupo ou sobre a riqueza da sua diversidade e
complementaridade.
Material necessário:
Cartão EU...
Duração aproximada:
1h.10m

Integração

4

Durante cerca de 5 – 7 minutos o formador regista em painel o que for dito.Acção Educativa – 28-875-UC1/2/3 Aprender com Autonomia Funcionamento da Instituição Objectivos: Tornar claras para todos os elementos do grupo. Por fim o formador apresenta as regras de funcionamento e princípios da instituição comparando com o resultado da chuva de ideias Material necessário: Folhas de papel A2 e marcadores Duração aproximada: 40 minutos Integração 5 . princípios e funcionamento da instituição formadora Procedimentos: O formador introduz o exercício explicando que todas as instituições têm as suas regras e formas de funcionamento. Uma vez que os formandos estabeleceram um contrato de formação com a instituição formadora com a qual vão estar em contacto durante meses e necessário que a conheçam bem. as regras. O formador dá início ao exercício perguntando o que os formadores já sabem a esse respeito.

intimamente ligada à anterior. Os formados estão de pé e fazem perguntas uns aos outros simultaneamente. Fase 2: Depois de pedir às pessoas para parar..Acção Educativa – 28-875-UC1/2/3 Aprender com Autonomia Bingo Humano Objectivos: Encorajar os formandos a conhecerem-se mutuamente ao mesmo tempo que se focam algumas questões a serem desenvolvidas no módulo Procedimentos: Fase 1: Distribuir uma fotocópia (. Indica a necessidade de se trabalhar por pares sugerindo que o façam com a pessoa que estiver mais próxima. Se a resposta for sim. Depois de os pares estarem formados. Explicar que cada pessoa deve tentar pôr em cada quadrado o nome de outra.) a cada pessoa. Se for não o participante passa a outra pessoa. um representante de cada grupo comenta as conclusões a que chegaram e o formador justifica para todo o grupo a escolha dos temas abordados demonstrando que Integração 6 . pede que se sentem juntos e reflictam sobre algumas questões. o formador solicita que iniciem uma nova tarefa. o participante escreve o nome dessa pessoa no quadrado. Questões: Porque é que pensa que se escolheram estas frases? Como é que elas poderão estar relacionadas com o módulo? Teria pensado noutras frases? No final.. Trata-se de um processo adequado para promover o conhecimento mútuo no grupo. para esta actividade. perguntando-lhe se a frase lhe diz respeito. Sugere-se um tempo limite de 10 m.

trabalho em grupo) que vão ser explorados por forma a que o formando perspective o seu percurso pessoal e profissional de modo mais autónomo e activo Material necessário: Ficha Individual Tempo aproximado: 25 minutos Integração 7 . cumprimento de regras.: gestão do tempo.Acção Educativa – 28-875-UC1/2/3 Aprender com Autonomia são temas relacionados com lógicas de vida impeditivas/facilitadoras de uma real inserção no mundo do trabalho (ex.

Note-se que através desta ficha o formador pode avaliar o investimento que os formandos estão dispostos a fazer. neste momento sobre esta experiência? Cada formando deve responder individualmente a estas questões. especificar a ajuda que cada um pretende obter e tentar perceber qual o grau de consciência que tem relativamente ao problema. Seguidamente. formam-se grupos de 3-4 formandos que devem analisar as respostas de cada um dos seus elementos e chegar a um consenso. As respostas de cada grupo devem ser registadas numa folha A3. a qual deve ser afixada na parede. Se as expectativas dos formandos não coincidirem com os objectivos definidos para o módulo de formação o formador deverá encetar um processo negocial no sentido Integração 8 .Acção Educativa – 28-875-UC1/2/3 Aprender com Autonomia Sentimentos e Expectativas Objectivos: Possibilitar que os formandos exprimam os seus sentimentos e expectativas pessoais em relação aos resultados do módulo Possibilitar o ajustamento entre os objectivos do módulo de formação e as expectativas dos formandos Procedimentos: O formador distribui uma ficha com questões tais como: O que eu espero que aconteça neste módulo de formação? O que posso fazer se não acontecer o que estou à espera? O que eu espero que não aconteça neste módulo? O que eu penso. O formador comenta as conclusões dos grupos e acrescenta os objectivos definidos para o módulo que não tenham sido assinalados apresentando a organização do módulo (usar o acetato1) com referência às diferenças e convergências entre este e as expectativas expressas pelos formandos.

Acção Educativa – 28-875-UC1/2/3 Aprender com Autonomia de alterar alguns pontos planificados inicialmente e assim estabelecer uma relação de compromisso com os formandos. Material necessário: Folhas de papel A4. A2 e marcadores Duração aproximada: 30 minutos Integração 9 .

marcadores Duração aproximada: 35 minutos Integração 10 .. e que analisem pormenorizadamente (em comparação com os objectivos anteriormente apresentados) de que forma aspectos como a qualidade do relacionamento interpessoal. a capacidade de gestão do tempo. Criados estes pequenos atliers de partilha de experiências é também pedido a cada grupo que crie um “ABC da formação” (ver exemplo em anexo) remetendo para aspectos como os seus objectivos e a sua ligação estreita com a vida quotidiana.. o formador deve elaborar a listagem das experiências de vida mencionadas pelos formandos como exemplos claros de que os conteúdos a abordar encerram em si mesmos uma grande utilidade prática e conduzir uma discussão relativa às palavras a incluir no “ABC da Formação”. os hábitos de leitura.Acção Educativa – 28-875-UC1/2/3 Aprender com Autonomia Consolidar Objectivos Objectivos Possibilitar o ajustamento dos objectivos do módulo com as experiências de vida diárias do indivíduo Responsabilizar cada um dos participantes para uma participação activa nas sessões Procedimentos: O formador solicita aos formandos que em grupos de ¾ recordem experiências de vida que actualmente consideram como tendo sido verdadeiras escolas de formação. Material necessário: Folhas de papel A4.. Concluído o trabalho em pequenos grupos. se revelaram úteis ou foram adquiridos nas mesmas.

. cooperação e capacidade de liderança no seio de um grupo . ideias...Acção Educativa – 28-875-UC1/2/3 Aprender com Autonomia Planificação da Unidade . Integração 11 . posturas. culturas.Actividades de desenvolvimento da coesão.Actividades que mostrem a pluralidade e diversidade de pontos de vista.Quadro SínteseUnidade de Competência Objectivos Específicos -Identificar obstáculos ao bom funcionamento do grupo .Mostrar a importância do trabalho em equipa a nível de apoio.Actividades facilitadoras da comunicação .Reflectir sobre as dificuldades inerentes à comunicação -Identificar os factores facilitadores de uma comunicação autentica e eficaz Relacionamento Interpessoal Actividades Total: 16 horas Formação sócio-cultural: 11 horas Prática simulada: 5h. TIC: 4h. . liderança e cooperação -Desenvolver competências de socialização Duração do Módulo .Simulação de situações que exijam capacidades de negociação .

Por fim. Material necessário: Folhas de papel A2 e marcadores Duração aproximada: 50 a 60 minutos Integração 12 . define-se as regras daquele grupo. têm sentido.Acção Educativa – 28-875-UC1/2/3 Aprender com Autonomia Funcionamento do grupo Objectivos: Implicar todos os elementos do grupo no processo de estabelecimento das regras de funcionamento Identificar obstáculos ao bom funcionamento do grupo Fomentar o respeito pelos outros Procedimentos: O formador introduz o exercício realçando a importância da definição de regras para o bom funcionamento de um grupo e da necessidade destas serem claras para todos os seus membros. Cada formando indica as regras que. deve falar uma pessoa de cada vez sem qualquer tipo de sequência estabelecida. discutindo-se as que são polémicas ou não consensuais. as quais o formador regista num outro painel que fica definitivamente afixado na sala de formação. Após o tempo dado para a chuva de ideias procede-se à análise do resultado. O formador dá início ao exercício com a formulação da pergunta: “Quais as regras deste grupo?” e a partir daí regista todas as ideias expressas pelos formandos num painel. para ele. O formador explicita as regras de funcionamento: pretendese durante 10 m. obter o máximo de regras possíveis para o funcionamento daquele grupo. durante o exercício não se podem tecer comentários ou criticas ao que os outros dizem. dizer o que vem à cabeça sem ter a preocupação de ver se já foi dito.

. liderança e cooperação Procedimentos: Formar grupos de 3-4 formandos.. os elementos do grupo trocam de papeis e assim sucessivamente. Os outros elementos do grupo colaboram impedindo que o colega vendado choque com algum obstáculo do percurso. A um elemento de cada grupo é vendado os olhos. aviso.) A que conclusão podemos chegar com este exercício? Material necessário: Venda para os olhos Tempo aproximado: 50 a 60 minutos Integração 13 .) Confiou no seu líder? Porquê? Confiou nos outros colegas? Porquê? Do que sentiu necessidade quando estava vendado? (apoio. inseguro. Quando o percurso está completo. Um outro elemento é o líder que dá as instruções ao primeiro para se deslocar de um ponto para outro ponto do local onde se encontram.Acção Educativa – 28-875-UC1/2/3 Aprender com Autonomia Confiança e cooperação Objectivos: Mostrar a importância do trabalho de equipa a nível de apoio.. segue-se um debate em torno de questões tais como: Como se sentiu quando estava vendado? (tonto.. Depois de todos os elementos do grupo terem desempenhado todos os papeis..

. Ninguém pode fazer comentários. Cada aluno tira um papel e lê em voz alta a frase nele escrita. Completada uma volta. registando-se as conclusões no quadro.. Material necessário: Caixa e cartões Tempo aproximado: 20 a 25 minutos Integração 14 . Pode acrescentar outras frases. Procurar-se-ão encontrar soluções para esses medos. inicia-se uma discussão para apuramento dos maiores medos.” . Colocam o cartão numa caixa e sentam-se em círculo.Acção Educativa – 28-875-UC1/2/3 Aprender com Autonomia Caixa dos medos Objectivos: Desenvolver as relações interpessoais Antever obstáculos ao bom funcionamento do grupo Procedimentos: Os alunos completam a frase que se encontra escrita no cartão: “Neste grupo tenho medo que.

Os alunos deverão reconhecer o formando tratado. Depois de cada representação que durará no máximo 4 min.Acção Educativa – 28-875-UC1/2/3 Aprender com Autonomia Reconhecer qualidades Objectivos: Desenvolvimento da sociabilidade Procedimentos: Fase 1: O formador pede aos formandos para formarem pares. Fase 2: O formador pede para que cada formando registe numa folha uma qualidade de cada um dos seus companheiros. não referindo contudo eventuais aspectos negativos. Cada par deve preparar uma dramatização sobre uma característica dominante de um colega à sua escolha. No final refere que esse registo servirá para que lhes seja entregue um documento com todas as qualidades identificadas pelos colegas Material necessário: Nenhum Tempo aproximado: 30-35 minutos Integração 15 .

Solicita que 10 pessoas se ofereçam como voluntários para constituir os grupos que vão realizar as tarefas. têm 20 minutos para realizar o trabalho.Acção Educativa – 28-875-UC1/2/3 Aprender com Autonomia Construção em equipa Objectivos: Analisar os elementos básicos do trabalho em equipa: a circulação da informação. O formador enuncia em voz alta as regras: cada pessoa vai receber três peças de cartolina com formas geométricas variadas e o objectivo é construir cinco quadrados iguais. o contributo pessoal e a inter-relação entre os objectivos da equipa e os objectivos pessoais Procedimentos: O formador explica que se trata de um exercício em que duas equipas de 5 pessoas vão executar uma tarefa. As restantes pessoas vão observar esse trabalho. a atitude de inter-ajuda e de cooperação. para tal. não podem falar. fazer sinais ou pedir peças. só podem dar e receber peças dos outros jogadores. Cada equipa senta-se em círculo em volta de uma mesa. O formador reúne em separado com o grupo de observadores esclarecendo-os sobre as suas funções: cada observador deve observar 1 ou 2 participantes nos seguintes aspectos: Quantas peças tem a pessoa observada: no inicio e no fim do jogo? Se recebe e entrega peças ou se só as recebe sem entregar peças aos outros? Se dificulta ou favorece a realização do objectivo a atingir pela equipa: em quê e porquê? Integração 16 .

sobre a experiência concreta (dificuldades para alcançar objectivo da equipa. como os objectivos particulares podem dificultar ou facilitar a consecução do objectivo da equipa Material necessário: Folha de cartolina na qual se recortam as peças dos 5 puzzles de dimensões idênticas Duração aproximada: 1h . Voltando ao grande grupo inicia-se a análise ouvindo os participantes que se deve pronunciar individualmente sobre como se sentiram. Por fim.Acção Educativa – 28-875-UC1/2/3 Aprender com Autonomia Os observadores devem distribuir-se em torno das duas equipas. Seguem-se os observadores que relatam o que observaram. a que objectivo procuraram responder. generaliza-se o debate. dá inicio ao exercício o qual termina atingido o objectivo (os cinco participantes realizarem o seu quadrado ) ou passados 20 minutos. a importância da circulação da informação. que obstáculos se lhe depararam.1h15 minutos Integração 17 . soluções possíveis) e a seguir sobre questões tais como: o papel da comunicação. numa primeira fase. O formador distribui aleatoriamente três peças dos puzzles.

formam-se pequenos grupos de 4/5 pessoas cada a quem podem ser colocados as seguintes questões: Como se sentiram durante o exercício? Quais foram as vossas reacções ao pedido de fecharem os olhos durante a conversação? Integração 18 . Solicita aos formandos que se agrupem dois a dois e que comuniquem durante 5 minutos sem falar. e o olhar. Devem utilizar somente o gesto. No final do exercício convida-se os participantes a pronunciarem-se sobre a experiência devendo trocar opiniões sobre o que se passou: o que sentiram. Fase 2: O formador solicita aos formandos que voltem a agrupar-se por pares. Quando todos os pares já se encontrarem dispersos pela sala e sentados. se conseguiram perceber os colegas. Uma vez constituídos os pares estes são convidados a dispersaram pela sala de modo a terem alguma “privacidade”. De seguida. o que comunicaram e que dificuldades sentiram. o tacto.Acção Educativa – 28-875-UC1/2/3 Aprender com Autonomia Comunicar Objectivos: Reflectir sobre as dificuldades inerentes à comunicação Identificar alguns factores facilitadores de uma comunicação autêntica e eficaz Procedimentos: Fase 1: O formador introduz o exercício realçando a importância da comunicação e a necessidade de se desenvolver uma atitude facilitadora da comunicação interpessoal. o formador pede-lhes que fecham os olhos e permaneçam nesse estado durante cerca de três minutos. Durante esse período de tempo devem procurar manter uma conversação com o seu colega.

15 – 1h. os obstáculos e bloqueios que se podem verificar e como os ultrapassar. O formador não deve deixar de referir que este tema irá ser aprofundado com maior pormenor no decorrer dos próximos encontros. inicia-se um debate em grande grupo reflectindo sobre as dificuldades inerentes à comunicação. Material necessário: Nenhum Duração aproximada: 1h. 20 minutos Integração 19 .Acção Educativa – 28-875-UC1/2/3 Aprender com Autonomia Foi fácil ou difícil ter os olhos fechados durante a conversa? Porquê? De que modo esse aspecto influenciou a vossa comunicação com o parceiro? No final.

embora todos os elementos devam dar sugestões ao colega escolhido de modo a auxiliá-lo na palavra/ situação que este tem de transmitir. convida cada participante a retirar um cartão.Acção Educativa – 28-875-UC1/2/3 Aprender com Autonomia Comunicar sem palavra Objectivos: Consciencializar os participantes para a importância da comunicação não verbal no relacionamento interpessoal. em vez de ser individualizada. expressão facial) que foram importantes para decifrar a mensagem. Em cada cartão está escrita uma palavra ou uma situação que o participante tem de transmitir (representar) ao grupo sem falar. deverá comunicar a cada grupo que este tem de escolher um representante para a tarefa. gestos. Se o educador optar pela segunda modalidade. Material necessário: Cartões não verbais. Sugere-se que ao longo das representações haja uma discussão sobre os elementos da comunicação não verbal (ex: postura corporal. Ficha: “comunicação não verbal” Tempo aproximado: 40-50 minutos Integração 20 . À medida que cada participante/grupo procura transmitir o conteúdo descrito no cartão os restantes participantes procuram identificar esse mesmo conteúdo. poderá ser feita por pequenos grupos de 3 a 4 elementos. De seguida. A distribuição dos cartões. olhar. Ajudar os participantes na identificação dos componentes da comunicação não verbal Reflectir sobre as funções da linguagem não verbal Procedimentos: O formador coloca num recipiente os cartões Não verbais.

Os elementos do grupo que se oferecem como voluntários são convidados a sais da sala. Na sala. À medida que este fala. o educador. Refere também que para cada uma das apresentações devem comportar-se de modo diferente. Para esta demonstração solicita um voluntário.Acção Educativa – 28-875-UC1/2/3 Aprender com Autonomia Escutar activamente Objectivos: Reflectir sobre as diferenças entre “ouvir e escutar activamente” Consciencializar os formandos para a importância da escuta activa no contexto das relações interpessoais Procedimentos: Fase 1: O formador faz uma demonstração do que é escutar activamente. através da sua actuação. convidando-o a falar sobre um tema à sua escolha. As instruções para cada apresentação são as seguintes: Apresentação do primeiro formando: Devem aplicar os princípios da escuta activa mencionados na primeira fase Apresentação do segundo formando: Integração 21 . sendo-lhes pedido que durante o tempo em que permanecem no seu exterior pensem numa pequena história/acontecimento que gostassem de partilhar com o grupo. o formador explica aos restantes elementos que cada um dos seus colegas que se encontra no exterior lhes vai contar uma pequena história. procura aplicar alguns dos princípios da escuta activa. A elaboração desta lista poderá também ser realizada em grupos de 5/6 elementos Fase 2: O formador solicita três voluntários. “Antes e “depois” da adopção destes princípios/regras necessários para se escutar activamente.

Acção Educativa – 28-875-UC1/2/3 Aprender com Autonomia No início da apresentação devem aplicar os princípios da escuta activa. Passado algum tempo deixam de aplicar esses mesmos princípios e começam a adoptar comportamentos paralelos (ex. desenhar no caderno. semicerrar os olhos. O momento a partir do qual os formandos deixam de escutar activamente deve de ser indicado pelo formador mediante sinal prévio. podendo ser colocadas questões como: Sentiu que o grupo o estava a escutar (1º participante). Apresentação do terceiro formando: Não se aplicam os princípios da escuta activa e adoptam-se os comportamentos paralelos referidos anteriormente No final do exercício explicam-se as instruções aos participantes voluntários. percebeu quando o grupo deixou de o escutar? Como chegou a essa conclusão? Como se sentiu antes e depois? (2º participante). inicia-se uma discussão em plenário sobre o valor do exercício no contexto das relações interpessoais Material necessário: Ficha: “princípios da escuta activa” Tempo aproximado: 1h. conversar com um colega. -20 minutos Integração 22 .: ver as horas. etc. convidando-os a pronunciarem-se sobre o que sentiram durante as apresentações. O que é que sentiu durante a sua apresentação? Disse tudo o que pretendia ou desistiu a meio? Porquê? De seguida.). Um exemplo de sinal poderá ser o formador pegar numa folha de papel.

ao ouvido de um formando. De seguida.Acção Educativa – 28-875-UC1/2/3 Aprender com Autonomia Mensagem Objectivos: Mostrar como se pode perder ou alterar uma informação durante a sua transmissão Procedimentos: O formador solicita que todos os formados formem um círculo ou uma fila. o formador conta uma pequena história. o formador solicita a este que repita a mensagem em voz alta. Chegado ao último formando do círculo ou fila. Integração 23 . O formando deve contar o que ouviu ao outro colega do mesmo modo e assim sucessivamente até ao fim do círculo ou linha. com 5/6 frases. Por fim comparam-se as duas versões e analisa-se o resultado. O formador anuncia também em voz alta o que disse ao primeiro formando. Material necessário: Nenhum Duração aproximada: 35 minutos. de modo que só este o ouça.

Material necessário: Fotocópias de uma imagem Duração aproximada: 20-30 minutos Integração 24 .Acção Educativa – 28-875-UC1/2/3 Aprender com Autonomia Diferentes Perspectivas Objectivos: Salientar a pluralidade e coexistência de pontos de vista diversos sobre o mesmo assunto Procedimentos: O formador distribui uma imagem fotográfica igual a todos os membros do grupo. Segue-se um debate em que se reflecte sobre o facto de sobre um mesmo assunto haver uma variedade de leitura e interpretações eventualmente todas plausíveis. O formando solicita a cada formando a “sua Leitura” daquela imagem. Cada formando analisa a imagem e tenta descrever e interpretar o que vê.

responder ou comentar a sua frase. Cada participante deverá ler o seu cartão e em função do que nele está inscrito deverá completar.Acção Educativa – 28-875-UC1/2/3 Aprender com Autonomia Expressar opiniões Objectivos: Sensibilizar para a importância de saberem expressar/defender publicamente ideias/opiniões e valores Fomentar a liberdade de expressão. ou afirmações que traduzam dimensões/preocupações no âmbito do relacionamento interpessoal Duração aproximada: 60. Material necessário: Cartões com frases incompletas. Antes dos formandos começarem a reflectir/responder ao conteúdo do seu cartão. sugere-se que o formador sublinhe a importância dos comentários reflectirem as opiniões defendidas pelos formandos de modo a que estes não se limitem a reproduzir “frases feitas” ou “socialmente correctas”. No final da reflexão cada formando é convidado pelo formador a ler o conteúdo do seu cartão e a expor os seus comentários sobre o mesmo. De seguida solicita a cada um dos participantes que retire ao acaso um cartão de dentro do saco.70 minutos Integração 25 . consciencializando os participantes para diversidade de opiniões perante a mesma Reflectir sobre a importância de uma escuta activa na compreensão da perspectiva defendida pelo outro Procedimentos: O formador coloca dentro de um saco/caixa cartões de modo a que o seu conteúdo não seja lido pelos participantes (o número de cartões depositado deve ser igual ou superior ao número de participantes).

Material necessário: Nenhum Duração aproximada: 40-50 minutos Integração 26 . Segue-se um espaço de debate sobre os estilos de liderança e de comunicação.Acção Educativa – 28-875-UC1/2/3 Aprender com Autonomia Resolução de conflitos Objectivos: Consciencializar os formandos para o facto que o desenvolvimento pessoal se promove através da interacção social Identificar o conflito como elemento inerente à interacção social Eliminar o autoritarismo como forma de relacionamento com os outros evitando as atitudes de domínio e submissão Promover a utilização do diálogo na resolução de conflitos Procedimentos: O formador solicita voluntários para representar (jogos de papeis) para o grupo situações específicas que se encontram descritas em cartões.

O formador informa os formandos de que dispõem de 15 minutos para escreverem uma história subordinada ao tema. que entretanto vai registando no quadro. enquanto os colegas dos restantes grupos a ouvem atentamente e verificam se as regras do jogo (a utilização das tais 20 palavras) foram ou não cumpridas. integrando nela aquelas 20 palavras. Elege-se a história mais criativa. folhas brancas e lápis Duração aproximada: 40-50 minutos Integração 27 . O formador pede aos formandos para lhe ditarem 20 palavras relacionadas com um tema de interesse para o grupo.Acção Educativa – 28-875-UC1/2/3 Aprender com Autonomia História Inacabada Objectivos: Desenvolver a sociabilidade e criatividade Procedimentos: Organizam-se em grupos de cinco elementos. Material necessário: Quadro. Cada secretário lê a história elaborada pelo respectivo grupo.

canetas Duração aproximada: 60.Acção Educativa – 28-875-UC1/2/3 Aprender com Autonomia Solução para um problema Objectivos: Fomentar a cooperação Estimular a comunicação no grupo Procedimentos: O formador pede aos grupos anteriormente formados e distribui a cada grupo um problema diferente. resolução de conflitos e trabalho em equipa forma assimilados. Material necessário: Ficha com problemas. Encontrada a solução. cada grupo expõe o problema que lhe foi apresentado e regista as soluções encontradas para esse problema. Segue-se uma reflexão entre todo o grupo sobre a forma como os conteúdos relativos à comunicação. Cada grupo disporá de 6 minutos para tentar resolver o problema.70 minutos Integração 28 .

cooperação e capacidade de Total: 20 horas liderança no seio de um grupo Formação sócio-cultural: 15horas .Actividades de desenvolvimento da coesão. liderança e cooperação -Desenvolver competências de socialização .Mostrar a importância do trabalho em equipa a nível de apoio.Quadro SínteseUnidade de Competência Objectivos Específicos -Identificar obstáculos ao bom funcionamento do grupo . ideias.Reflectir sobre as dificuldades inerentes à comunicação -Identificar os factores facilitadores de uma comunicação autentica e eficaz Aprender a aprender Duração do Módulo Actividades Duração . Integração 29 .. posturas. .Acção Educativa – 28-875-UC1/2/3 Aprender com Autonomia Planificação da Unidade .Actividades facilitadoras da comunicação Prática simulada: 5h. .Actividades que mostrem a pluralidade e diversidade de pontos de vista. culturas.Simulação de situações que exijam capacidades de negociação TIC: 6 h...

Acção Educativa – 28-875-UC1/2/3 Aprender com Autonomia Hábitos de estudo Objectivos: Tomar conhecimento dos hábitos que podem facilitar a aprendizagem. analisam os factores que podem impedir a adopção de alguns hábitos de estudo. ela deverá continuar a ter um peso determinante para o resto da nossa vida”. cada grupo regista as suas conclusões em painel que é afixado na parede. Identificar os hábitos que melhor se adequam às suas características e contexto promovendo a mudança das crenças/mitos sobre os mesmos Procedimentos: Cada formando elabora uma lista com seis hábitos de estudo que considera importantes para o seu processo de aprendizagem. elaboram uma lista comum e analisam um documento (“a fórmula do sucesso”) que procura alertar para necessidade de se planear e organizar cuidadosamente o estudo.. e conduza a discussão focando aspectos como: Integração 30 . Neste debate pode ser útil que o formador tome em consideração (não exponha) estratégias como a de levá-los a reconhecer algumas crenças irracionais (“a ideia de que a história passada determina o comportamento presente e porque alguma coisa que aconteceu no passado nos afectou. segue-se um debate alargado em que cada pessoa partilha com o grupo a reorganização que pensa introduzir no seu quotidiano de forma a adoptar alguns hábitos e estudo que o ajudará nesta e em futuras formações.). De seguida. em subgrupos de 3/4 pessoas.. procurando identificar as formas de ultrapassar esses impedimentos. os formandos partilham e discutem o trabalho realizado.

A necessidade de se conhecerem os pontos fortes e fracos. A necessidade de organização de um horário semanal e de elaboração de um plano individualizado de trabalho 2. A relevância de se saber lidar com os fracassos e frustrações desenvolvendo a sua capacidade de persistência e de utilização de estratégias adequadas Gestão do tempo e espaço 1.. 2.. de modo a através de uma análise objectiva e autocrítica. os exercícios que vão ser resolvidos.: o que vai ser estudado.Acção Educativa – 28-875-UC1/2/3 Aprender com Autonomia Os distratores internos 1. potenciar os recursos necessários para um melhor aproveitamento da formação 3. Identificação e organização dos contextos que poderão optimizar ou influenciar negativamente o estudo Material necessário: Folha A2 e marcadores Duração aproximada: 80-90 minutos Integração 31 . A importância de antes de se iniciar o estudo se traçarem objectivos (ex..) e verificar no final se estes forma cumpridos.

continua-se o debate reflectindo sobre como potenciar as qualidades assinaladas no processo de aprendizagem. em subgrupos de ¾ elementos. Material necessário: Ficha: Qualidades pessoais Duração aproximada: 40 –50 minutos Integração 32 . de seguida. Por fim.Acção Educativa – 28-875-UC1/2/3 Aprender com Autonomia Qualidades pessoais Objectivos: Tomada da consciência das aptidões e características pessoais facilitadoras da própria aprendizagem Procedimentos: O formador entrega a ficha qualidades pessoais pedindo aos formandos que reflictam e respondam individualmente. os formandos dão a conhecer entre si o que fizeram. em grande grupo. questionando-se mutuamente sobre as respostas dadas.

Nesta linha de Integração 33 . orientado-os em caso de alguma incompreensão em relação à tarefa proposta. como por exemplo: o prazer. Fase 2: Todos temos a possibilidade de escolha.. a redução dos trabalhos escolares em função de resultados positivos... a possibilidade de definirmos objectivos que funcionam como estímulo à definição do nosso percurso pessoal. o desafio.Acção Educativa – 28-875-UC1/2/3 Aprender com Autonomia Motivação Objectivos: Identificar os factores responsáveis pela motivação para o estudo Aprender a relacionar os projectos de vida e de carreira com o percurso de formação Procedimentos: Fase 1: O formador incentiva os formandos a realizarem individualmente a lista das actividades de que mais gostam e vai circulando entre as carteiras para ver se objectivo foi bem cumpridos. satisfação e sucesso. Após este trabalho o formador abre a discussão ao grupo sobre as actividades que mais os motivam e quais as razões pelas quais se sentem motivados para realizar tais actividades. Ao mesmo tempo. a curiosidade. a investigação. o formador vai organizando a informação no quadro de modo a realçar os factores motivacionais das actividades escolhidas. aprender coisas novas. a valorização do formando pelo formador. Com base no debate faz-se uma síntese onde se realça a importância da motivação para o desempenho de qualquer actividade (de trabalho ou de lazer) com qualidade. É por isso essencial que se estabeleçam objectivos pessoais de vida que nos motivem a trabalhar tendo em vista a sua concretização.

nomeadamente a etapa escolar. folhas brancas e canetas Duração aproximada: 40 –50 minutos Integração 34 . é aberto um debate em que se reflecte sobre a concretização destes objectivos e sobre a ligação entre as aprendizagens e o exercício profissional numa determinada área.Acção Educativa – 28-875-UC1/2/3 Aprender com Autonomia pensamento. as aprendizagens ai efectuadas e competências desenvolvidas. É importante que os formandos compreendam que todas as pessoas têm uma história de vida e que todas as etapas pelas quais passam são importantes para o futuro. Material necessário: Quadro.

A tarefa termina com a apresentação em grande grupo das séries e elaboração após discussão de duas listas de comportamentos positivos e negativos na recolha de apontamentos. Material necessário: Cartões sobre como tira apontamentos Duração aproximada: 40-50 minutos Integração 35 . Cada grupo deve ordenar em duas séries os cartões que possam ser aconselháveis para tirar apontamentos e os não aconselháveis.Acção Educativa – 28-875-UC1/2/3 Aprender com Autonomia Participação Objectivos: Sensibilizar o formando para a importância de uma escuta activa e participativa na formação Incitar o aluno para a tomada de apontamentos e para uma atitude activa de selecção da informação Procedimentos: Fase 1: Esta actividade tem por objectivo sensibilizar cada formando para a importância de se ser assíduo às aulas e de se maximizar a presença nesse contexto. Divide o grupo em dois subgrupos e distribui os 16 cartões por cada grupo. o psicólogo procede à apresentação de uma nova tarefa. Fase 2: Após uma breve exploração do modo como cada elemento habitualmente tira apontamentos na formação.

pedindo também que reflictam e respondam individualmente. Material necessário: Folha A2 e marcadores Fichas: “Não consigo concentrar-me porque.Acção Educativa – 28-875-UC1/2/3 Aprender com Autonomia Concentração Objectivos: Detectar as causas que impedem a concentração Detectar as situações que favorecem a capacidade de concentração Procedimentos: Formar grupos de ¾ elementos. os formandos discutem as diferenças e semelhanças existentes nas respostas que deram. cada grupo regista em painel a principal situação que favorece a concentração de cada um dos elementos do grupo..”.” pedindo aos formandos que reflictam e respondam individualmente.. o formador distribui a ficha: ”não me consigo concentra porque. Em grande grupo dá-se continuidade ao debate. em pequeno grupo.. “Consigo concentrar-me bem em quê?” Duração aproximada: 50-60 minutos Integração 36 . seguidamente o formador distribui a ficha “Consigo concentrar-me bem em quê?”..

Os formandos viram a folha todos ao mesmo tempo e lêem as palavras durante um minuto. ao introduzir o exercício o formador explica que este se vai realizar em varias fases. É dado um tempo para que cada um dos formandos toque os objectos sem os ver tentando identificá-los. Integração 37 . 3.Acção Educativa – 28-875-UC1/2/3 Aprender com Autonomia Memória Objectivos: Identificar diferentes processos de memorização (leitura. O formador distribui uma folha a cada formando com 10 palavras escritas colocando-a virada para baixo. 2. Cada formando tira o seu saco com os 10 objectos. O formador procede do mesmo modo no sentido de os formandos verificarem as palavras que não memorizaram. visão e tacto) Procedimentos: O formador deve pedir no dia anterior a cada formando que traga um saco opaco e 10 objectos do dia-à-dia. Passados alguns minutos (o formador deve tentar introduzir uma actividade neste intervalo) 0s formandos registam numa folha o nome dos objectos de que se lembram. que troca com um dos seus colegas. Procede-se novamente do mesmo modo até ao registo dos objectos identificados e da verificação dos objectos não memorizados. audição. O formador mostra mais uma vez os objectos para que os formandos verifiquem aqueles que não memorizaram. O formador mostra 10 objectos que tem dentro de um saco. a saber: 1.

Divisão dos formandos em dois grupos. as da lista 2 estão organizadas por categorias. A cada um é fornecida uma lista de palavras. Os alunos não se deverão aperceber das diferenças entre as duas listas. para os grupos A e B. Após a sequência destes exercícios os formandos registam numa ficha os resultados que obtiveram com a leitura. Corrige as palavras evocadas (determina o nº de certas e erradas) com base nas listas iniciais e calcula a media de evocação dos dois grupos. Folha com 10 palavras Lista de palavras (a e b) Duração aproximada: 70-80 minutos Integração 38 . Segue-se um debate sobre os diferentes tipos de memória e formas de memorização. As palavras da lista 1 não apresentam qualquer tipo de organização. Após este período distribui uma folha branca aos formandos e pede para escreverem o maior número de palavras de que forem capazes de se lembrar. respectivamente. visão e tacto. Material necessário: 10 objectos e um saco opaco. lista 1 e lista 2. audição.Acção Educativa – 28-875-UC1/2/3 Aprender com Autonomia 4. É de esperar que a média de evocação seja superior no grupo em que o material se encontra organizado. Cada grupo tem dois minutos para fixar o maior número de palavras possível.

destacar. Este debate terá o objectivo de clarificar o conceito “leitura activa” e identificar vantagens neste tipo de procedimento. No final da tarefa. Esquematizar.Acção Educativa – 28-875-UC1/2/3 Aprender com Autonomia Leitura Objectivos: Sensibilizar e promover o desenvolvimento de competências no âmbito da leitura de um texto escrito Valorizar. O formador poderá pedir sugestões aos formandos e apresentar aquelas que não tenham sido referenciadas. Fase 2: Esta tarefa pretende dar a conhecer ao formando um modo estruturado de leitura activa. O colocar em prática do método em questão não só favorece a comparação com métodos próprios como também uma compreensão critica do processo. rever. Para que a apresentação desse método seja realizada de uma forma dinâmica o grupo é subdividido em dois cabendo a cada um ordenar as várias fases que o método pretende seguir na leitura de um texto específico. Melhorar) mas que pode ser adoptado e alterado de acordo com as necessidades específicas de cada indivíduo. é pedido que expressem essas reflexões pessoais e de grupo em forma de Integração 39 . Uma vez discutidos aspectos sobre o conceito a discussão deverá centrar-se nas técnicas facilitadoras da leitura activa. identificar e desenvolver técnicas referentes a uma “leitura activa” do texto Procedimentos: Fase 1: O formador propõe uma reflexão sobre a forma como cada um dos formandos lê para um posterior debate em grupo. Trata-se de um método que compreende seis passos (análise geral. devendo todas elas ser objecto de comentários que clarifiquem a sua função e utilidade. Perguntar.

É importante que se debatam questões como a dificuldade de ser colocado em prática. a utilidade e eficácia do mesmo. Material necessário: Documento proposto pelo formador.Acção Educativa – 28-875-UC1/2/3 Aprender com Autonomia plenário. Cartões (passos de uma leitura activa) Duração aproximada: 60-70 minutos Integração 40 .. a necessidade de ser utilizado na integra..

partilham-se debatem-se as conclusões obtidas Material necessário: Folhas A2 e marcadores Ficha de trabalho “processo de informação” e “planificação de um trabalho sobre. Cada grupo regista as suas conclusões numa folha tamanho A2. a qual deve ser afixada na parede.. Como o fazem? É possível distinguir algumas etapas. preenchendo uma ficha de trabalho. Constituem-se grupos de 4 elementos que vão apresentar uma proposta fundamentada sobre um tema a pesquisar e simular a planificação do mesmo. desta vez com a coluna da direita vazia (em anexo).” Duração aproximada: 60 minutos Integração 41 . que dificuldades sentem.Acção Educativa – 28-875-UC1/2/3 Aprender com Autonomia Escrita Objectivos: Identificar as etapas fundamentais na realização de um trabalho escrito Simular a planificação de um trabalho de pesquisa sobre um determinado tema Procedimentos: Formandos e formador procuram reflectir sobre o modo como procederiam na elaboração de um trabalho escrito. Em grande grupo.. Na sequência do debate o formador distribui a cada um dos formandos a ficha processo de informação (em anexo) e explica o seu conteúdo. o que podem melhorar.

. Desenvolve a capacidade de comunicação. ele encerra todo o conjunto de potencialidades anteriormente exploradas. quer materiais (. os grupos ensaiarão com o apoio do formador. O ensaio será realizado durante um tempo previamente estabelecido após o qual se passará à apreciação do produto e à análise das dificuldades encontradas.Acção Educativa – 28-875-UC1/2/3 Aprender com Autonomia Projecto Objectivos: Incitar os alunos para o trabalho de pesquisa Ajudar a reconhecer as vantagens e dificuldades do trabalho de grupo e sugerir pistas para o seu sucesso Procedimentos: Fase 1: Tendo em conta a planificação de um tema anteriormente efectuada. O tratamento da informação deve ser realizado com o recurso a fontes como a Internet e Biblioteca e materiais e equipamentos como o computador e retroprojector. a sua aplicação..) Integração 42 . o formador destina várias horas sucessivas para a realização do mesmo. quer humanos. Como este ensaio se assemelha com um trabalho de projecto. Fomenta a cooperação Ensina a trabalhar em equipa Ensina a gerir conflitos Ensina a tomar decisões Contribui para o aprender fazendo Ajuda a ligar os conhecimentos escolares à vida do dia-à-dia Apela à interdisciplinaridade Permite resolver alguns problemas a partir dos recursos existentes. Tendo em conta a complexidade do processo.

Fase 2: Trabalho de pesquisa na biblioteca Fase 3: Trabalho de pesquisa na internet Fase 4: Tratamento. de uma checklist para os próprios utilizarem como instrumento de orientação e avaliação do trabalho do grupo. junto com os formandos. Para o efeito. processamento (no computador) e breve simulação de uma exposição dos resultados aos colegas Material necessário: Computadores Livros Checklist para avaliação Duração aproximada: 120 minutos Integração 43 . é importante que o formador tenha em vista a criação. deve também constituir-se como uma fonte de auto e heteroavaliação do trabalho anteriormente realizado.Acção Educativa – 28-875-UC1/2/3 Aprender com Autonomia Por esta razão.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful