Você está na página 1de 6

PRIMEIRO TEXTO

Jornal Laboratório do 3º semestre de Jornalismo (FaAC) - Manhã - Ano XIII nº 3 - Março 2010

MEIO AMBIENTE

Este copinho é seu? Simone Menegussi Simone Menegussi

Situação do jardim da Rua Lobo Viana nas manhãs de sexta e sábado,após noitada de universitários

Funcionário do Super Centro Boqueirão retira o excesso de lixo


Simone Menegussi
Tempo de decomposição de alguns Materiais

T
Sua colega de curso, Ka- o que é lamentável”, criti-
odas as manhãs Embalagens de Papel Sacos e copos plásticos ren Guerra, tem um blog ca.
de sextas-feiras 1 a 4 meses 200 a 450 anos www.karenguerra.word- O gerente de administra-
e sábados cal- Guardanapos de papel Latas de alumínio press.com onde aborda os ção do Super Centro Co-
çadas ao redor 3 meses 100 a 500 anos problemas que as sacolas mercial Boqueirão, Julio
da UNISANTA amanhecem plásticas causam ao meio Ramos, afirma que o pró-
Pontas de cigarro Tampas de garrafas
cobertas de lixo reciclável. ambiente. prio condomínio teve que
A cena é desoladora. Lo- 2 anos 100 a 500 anos Karen acredita na frase colocar lixeiras nos pos-
jistas dizem não entender Fósforo Pilhas ‘Uma andorinha faz verão tes de iluminação, pois a
como um público jovem, 2 anos 100 a 500 anos sim’ e por isso recolhe todo prefeitura de Santos não
bonito e universitário con- Chicletes Garrafas e frascos de seu lixo e deposita em sua atendeu os seus pedidos.
segue ser protagonista de 5 anos vidro ou plástico mochila para mais tarde E mesmo assim o proble-
uma cena tão triste. indeterminado dispensá-lo em um lixo re- ma não foi resolvido, pois
Nas noites de quintas e www.redeambiente.org.br
ciclável. a quantidade de copos é
sextas-feiras, os bares e as Outra estudante de En- grande.
calçadas próximas à Uni- suas pontas de cigarro nas copinho sem o menor peso genharia Química que não Alguns lojistas acreditam
versidade ficam repletos de calçadas e jardins como se na consciência. “O proble- ingere bebida alcoólica, Mi- que a única solução seria
alunos a fim de relaxarem fosse o ato mais normal do ma é de educação. As pes- lene Lucena, é categórica. um novo comportamento
após uma semana cansa- mundo. soas depois de uns goles “As pessoas acham que a por parte dos universitá-
tiva. Depois de tomarem O estudante de Enge- perdem a pouca educação mídia exagera, que a situa- rios. Se todos se unirem
suas ‘geladíssimas cerveji- nharia Química, Daniel Mo- que tem”, reconhece. Se- ção não é tão grave assim, uma boa parte de plástico
nhas’ simplesmente jogam raes, frequentador de um gundo ele, a obrigação é pois um copo a mais ou a não iria parar nos oceanos,
seus copinhos plásticos e dos bares, diz que joga o da prefeitura cuidar do lixo. menos não alteraria nada, a grande lixeira do mundo.
WWW.BLOG DO RAUL.COM

PALESTRA

Jornalista do ESPN Brasil é


exemplo de superação
Isabella Paschoal lista, independente da área. o José Trajano, diretor da
Em 2006, quando estava ESPN, me convidou para
O ex - aluno de Jornalis- prestes a se formar, con- a cobertura. Foi uma expe-
mo, Frederico Marcondes, seguiu emprego na ESPN riência maravilhosa. Pude
28 anos, é exemplo a ser Brasil. “Lá eu sou produtor conhecer todo o complexo
seguido. Fred, como é co- do Pontapé Inicial, participo esportivo, desde o Enge-
nhecido, sofreu falta de oxi- das reuniões de pauta dan- nhão ao Maria Lenk”, con-
genação no cérebro no nas- do idéias e músicas para as ta.
cimento e por consequência matérias e sou moderador “Mesmo com as minhas
leva consigo dificuldades do blog do programa”, diz limitações, não desisti do
para falar e locomover-se. Marcondes. meu objetivo. Todos, porta-
Ao entrar na faculdade, Além de produzir, já co- dores ou não de deficiência,
Fred tinha certa afinidade briu as Paraolimpíadas devem correr atrás ao invés
com radialismo, mas sua de 2007, no Rio de Janei- de ficar apenas sonhando”,
vontade real era ser jorna- ro. “Não acreditei quando aconselha o jornalista. Frederico Marcondes, da ESPN Brasil, falou aos estudantes de Jornalismo
2 Primeiro Texto Março 2010
COMPORTAMENTO FOTOS: KARINA CARNEIRO

Escola feita para as crianças da aldeia mantém as tradições da cultura indígena em Peruíbe O cacique Ubiratan ocupa a função há três anos na aldeia

Tecnologia influencia povos


indígenas da região
Karina Carneiro

A
tecnologia vem in- quecer de nossa língua na-
fluenciando muitos tiva, pois essa é nossa ver-
povos e culturas e dadeira essência” conta.
com os indígenas da re- Guaciane, sobrinha do
gião não seria diferente. cacique, conta que foi cria-
Apesar de a cultura própria da com a noção de que a
ser ainda bem influente em cultura e a modernidade
suas vidas, os novos equi- podem andar juntas “Hoje
pamentos tecnológicos an- tenho 15 anos e sempre fui
dam lado a lado com a tra- ao centro de carro, além
dição indígena. de usar a internet. Mas
Na Aldeia Bananal, meu tio fez questão que
Oca inutilizada ao lado da nova moradia dos indígenas da aldeia : passado e presente no mesmo espaço
em Peruíbe, eles moram estudássemos como todos
em casas feitas de alve- pessoas é pensar que nós cacique da tribo, também é membros da família. e, principalmente, apren-
naria, possuem carros, não podemos evoluir com professor da escola da tri- Porém, mesmo com essa dessemos o máximo sobre
televisões,DVD´s, internet, o tempo. Não é porque so- bo e por conta disso acaba visão avançada, o cacique nossa raiz, porque isto é o
celulares e a própria esco- mos indígenas que não fa- se tornando um funcionário conta que não pode dei- mais importante”, destaca.
la da tribo. O cacique Ubi- zemos uso da tecnologia. público. Com esse salário, xar a tecnologia influenciar Deste modo, Ubiratan
ratan conta que a idéia de Podemos aproveitar essa também faz artesanatos completamente na criação acredita que esta influên-
agregar a cultura do povo parte da modernidade sem para venda como uma fon- de seus filhos. “Eles preci- cia positiva da tecnologia
com a tecnologia avan- se esquecer de nossa cul- te de renda extra. O caci- sam aprender a mesclar as só tende a crescer, pois o
çada dos últimos tempos, tura e tradições”, conta. que conta que hoje podem duas coisas. Os benefícios povo indígena jamais aban-
deve-se ao seu pai, que Além das próprias fun- escolher quando precisam e confortos que os tem- donaria sua real essência
sempre teve uma visão fu- ções do povo com a tri- caçar sua própria comida, pos modernos podem tra- e que as próximas gera-
turista sobre o tema, pois bo, os indígenas da aldeia ou quando querem ir ao zer, porém nunca esque- ções que vierem só irão se
a modernidade vinha para possuem profissão e salá- supermercado comprar os cer quais são suas raízes, beneficiar com essa cau-
somar a todos os tipos de rio remunerado. Ubiratan alimentos e até tomar uma como pescar e caçar seus sa iniciada por gerações
cultura. “O problema das conta que além de ser o “cervejinha” com os outros alimentos. E nunca se es- passadas.

CULTURA DIVULGAÇÃO

Gibiteca, espaço de
lazer e diversão
Caio Augusto Em 2007, a gibiteca passou trabalhos de artistas e tam-
por reformas. Em seu acer- bém diversos tipos de oficinas.
A gibiteca de Santos vo apesar de não ter um nú- Apesar de não existir um
é um lugar para todas as mero certo de gibis, existem sistema de empréstimo há
pessoas que gostam de atualmente “23 mil exempla- o sistema de trocas. A pes-
ler gibis, HQs e mangás. res tombados pela gibiteca”, soa leva um gibi, HQ ou
Inaugurada em 8 de de- diz a bibliotecária Tania Silva. mangá e pode trocar. Além
zembro de 1992 com o nome Em seu acervo também exis- disso, ela aceita doações.
de Marcel Rodrigues Paes, tem coleções de gibis doados Marcos Assunção um fre-
jornalista formado pela Uni- pelos familiares de Marcel. qüentador da gibiteca nas
santos que trabalhava na A gibiteca, apesar do es- horas vagas, aproveita o es-
editoria policial do jornal A Tri- paço pequeno, conta com paço para ler jornais. ”Quan-
buna, e que tinha uma gran- mesas e cadeiras para que do não tem, eu leio HQs”.
de paixão pelas histórias em o público possa ler tranqui- A gibiteca, única em San-
quadrinhos. Marcel nasceu lamente. Além disso, todo tos, fica localizada no Posto
em 1966 e morreu em 1992. o acervo está arrumado em 5 na Orla da Praia do Bo-
Com sua morte, decidiram prateleiras de fácil acesso. queirão.Funciona de segun-
inaugurar a gibiteca e dar o seu Mensalmente, ela promove da a sábado, das 9h às 19h
nome para homenageá-lo. eventos como exposição de e domingo, das 14h às 18h.
A Gibiteca fica no Posto 5, na praia do Boqueirão, em Santos
Março 2010 Primeiro Texto 3

ESPORTE

Natação traz melhorias


para a saúde do bebê
MARIANA SERRA
Mariana Serra são para as crianças de 4 e 5
anos, na qual preparamos os
Sono perturbado, falta de alunos para a piscina gran-
apetite e problemas respi- de. Às 9h, é o horário que
ratórios. Esses são alguns eles aprendem a flutuação
dos sintomas frequentes em de frente e de costas, usam
bebês, mas que hoje podem prancha, bóia e espague-
ser solucionados por meio te. E às 9h50, é a iniciação,
da atividade física. na qual as crianças de 2 a 5
A natação para bebês anos aprendem a respiração,
traz de volta o contato com flutuação e a ambientação
o meio líquido, que a criança com a água”, explica.
estava acostumada durante Os resultados podem
a gestação. A água morna, surgir com poucos meses
a música e o contato físico de aulas. Para Francenei-
com os pais montam um de de Morais Santos e Sil-
ambiente de conforto e se- va, mãe de Isabel Cristina,
gurança para o bebê, que de 5 anos, já são muitas
aproveita cada instante de as mudanças no compor-
relaxamento e novas des- tamento da filha depois de
cobertas. seis meses de aula. “Ela ti-
“O esporte pode ser ini- nha dificuldade para dormir,
ciado aos seis meses. É respirar e comer. A natação
quando ele se adapta, gos- melhorou nisso”, diz.
ta, sente prazer”, afirma a O mais importante é não
professora de natação para forçar a criança a fazer algo
bebês, Tânia Garcez Jorge, Além de incentivar o esporte, a natação diverte os alunos, estimulando-os à prática da modalidade que desgosta. “Ela gosta da
que atua há 28 anos nesta natação. É um lazer, pois o
função. Mas o esporte vai outras, aprende a lidar em de natação para bebês acon de acordo com a idade da esporte entrou naturalmen-
além. Por intermédio dele, grupo e a ouvir. cecem todos os dias em criança e com a adaptação te em sua vida. Ninguém a
a criança tem contato com Na UNISANTA, as aulas três horários, classificados às aulas. “Às 8h20, as aulas forçou”, revela.
SAÚDE

Power Pool traz qualidade de vida


e músculos mais firmes
Mariana Terra necessitam de liberação
Mariana Terra

médica, e no caso da tercei-


Queimar calorias, tonificar ra idade só é recomendado
os músculos e ter mais dis- àqueles que sempre pratica-
posição no seu dia a dia de ram exercícios físicos, como
maneira dinâmica e aeróbi- no caso citado pela profes-
ca. Estas são as promessas sora, “Eu tenho um aluno
do Power Pool. “Trata-se de com mais de 60 anos e nada
uma hidroginástica mais pu- aqui há mais de 20. Ele fez
xada”, define a professora uma aula quando nós lança-
de Educação Física e espe- mos um novo mix, adorou e
cializada em esportes aquá- hoje está fazendo aqui com
ticos, Carla Maria Santos da a gente.”, diz
Silva. O aposentado Kenji Tu-
Carla explica que na zuki, 73 anos, que nada
aula de 45 minutos, na há mais de 20 confirma as
qual ela segue um progra- palavras da professora,
ma de exercícios pré core- “Vim matar a curiosidade e
ografados com nove mú- gostei. O Power Pool veio
sicas conhecidas, ambos complementar o que estava
da Body System, cada um faltando depois que sai da
deles músicas tem a fun- musculação e fiquei fazendo
ção de trabalhar uma área apenas natação”, lembra.
diferente do corpo. Desde A atividade além de quei-
o aquecimento, picos de mar calorias e trabalhar
intensidade, onde os bati- a musculatura, melhora a
mentos cardíacos são mais capacidade cardiorrespira-
elevados, até o relaxamen- tória, coma afirma a aluna
to trabalha-se a musculatu- Bruna Mazzini da Silva, 20
ra em geral e os exercícios anos, estudante de Educa-
de suspensão são os únicos ção Física, “Antes eu não
os quais utilizam material, fazia nada, e quando come-
como o macarrão. cei aqui passei a ter mais
O exercício é indicado a disposição, melho rou meu
todas as pessoas, as que condicionamento cardior-
possuem algum problema respiratório, cardiovascular Power Pool é uma esécie de hidroginásticca mais agitada, que trabalha com áreal diferentes do corpo
como artrite ou de coluna e me sinto mais disposta”.
Março 2010 Primeiro Texto 4
POPULAÇÃO

Santos, a cidade da Plano de


MÉDICOS

terceira idade carreira é


solução para
Caue Matos Goldberg viver muito bem e com me-
suprir falta de
http://rackel-oliveira.blogspot.com/

nos stress e preocupações

profissionais
Em razão de sua qualida- que tinham quando eram
de de vida, Santos é esco- mais novas. “Muitos idosos
lhida por muitos idosos para são capazes de viver muito
desfrutar de sua aposenta- bem após os 60 anos (épo-
doria. A cidade tem hoje um ca em que começa a Tercei- Willian Roemer
total de 66 mil idosos que ra Idade) praticar esportes
representam cerca de 17% e outras atividades ajudam O secretário de Saúde
da população. no desenvolvimento social Pública de Praia Gran-
Casos como o de Julio e pode até aumentar a auto- de, Adriano Bechara,
de Melo Rabello, que se que também é médico,


mudou para Santos há três
anos, e também não se ar- Muitos ido- acredita que se os mé-
dicos pudessem contar
repende de sua escolha.
Rabello é aposentado há
sos são ca- com um plano de carrei-
ra como acontece com
10 anos e decidiu morar em pazes de vi- magistrados e promo-
Santos por ser uma cidade Nunca é tarde para ser feliz, especialmente entre idosos ver muito bem tores a evasão de pro-


fissionais de Medicina
após os 60
http://gisantossilva.blogspot.com/

Eu achava seria muito menor. As


declarações foram fei-
que ia ficar anos praticar tas durante o programa
triste quan- esportes e ou- Ação Entre Amigos, da
Rádio Boa Nova FM. “A
do chegasse tras atividades partir do momento que

nessa idade, ajudam no de- for criada uma carreira


de médico no serviço
mas percebi senvolvimento público, o Poder Público
vai ter melhores condi-
que agora é a social.” ções de remunerar es-
ses profissionais”, diz
melhor fase da Patricia Khogo, ele.
minha vida” psicologa Questionado sobre a
possibilidade de médi-
Juracy, aposentado cos vindos do exterior
atuarem como os de
que oferece boa qualidade estima”, afirma a psicóloga Cuba, que tem tradição
de vida, longe do caos de Patrícia Khogo. de formar bons profis-
São Paulo onde costumava Devido a grande quanti- sionais, o secretário
morar. “Andar na praia to- dade de idosos em Santos. afirma que não há ne-
dos os dias com um jardim A chama da paixão permanece acesa, onde a idade não é um obstáculo A cidade conta com várias cessidade, pois basta
lindo e grande como esse para amar atrações voltadas para a reconhecer os médicos
é muito bom. Não tem jeito Terceira Idade como pro- formados no Brasil.
melhor de acordar do que mais feliz. “Eu achava que ia risadas. Outra “vovó” que gramas sociais que vão de Bechara ressalta que
olhar pela janela e ver tudo ficar triste quando chegasse vivencia um momento de ginástica na praia à inclusão o assunto é polêmico
isso”, completa Rabello. nessa idade, mas percebi felicidade na Terceira Idade de digital para idosos como e declara que há muito
Há quem pense que de- que agora é a melhor fase é Elza Maria Paraíba dos o Vovônauta, que é um pro- mais oferta de empre-
vido a grande quantidade da minha vida. Não tenho Santos, de 65 anos, mora- grama de inclusão digital go no mercado do que
de idosos isso faz de San- mais preocupações com fi- dora do José Menino e mora criado pela Secretaria da médicos para ocupar
tos uma cidade velha, mas lhos, pois já estão bem cres- em Santos há 12 anos, ela Cultura no CEMID (Centro essas vagas. “Existem
está enganado. Muitos ale- cidos e netos muito menos. faz hidroginástica, aulas de Municipal de Inclusão Di- locais que oferecem X
gam que estão na melhor Estou livre para fazer o que dança, de ginástica no Pos- gital), EJA (Educação de pelos serviços e outros
fase de suas vidas livres de quiser na hora que quiser”, to 2 todas as manhãs e ain- Jovens e Adultos). Santos que oferecem a meta-
qualquer preocupação, re diz Juracy, com um sorriso da tem um sonho, aprender ainda conta com quatro re- de disso e esses locais
cusam a vestir a camisa de no rosto. Ela também con- a surfar “É um sonho, sem- públicas para idosos man- que geralmente são os
velhinhos frágeis e afirmam ta que costuma freqüentar pre fico vendo os meninos tidas pela Seas (Secreta- municípios mais pobres,
estar vivendo uma segunda bailes para a Terceira Idade novos na praia e pretendo ria de Assistência Social):a com mais escassez de
adolescência redescobrin- no Clube Sírio Libanês e diz realizar esse sonho em bre- Bem-viver ( inaugurada no recursos acabam fican-
do tudo de uma maneira que existem várias pessoas ve”, acredita. ano passado ), Renascer, do sem médicos”, diz.
dife rente e sem pressão. como ela felizes e de bem A situação de segunda Fraternidade e Vitória, que “Abrir o país para médi-
Juracy Alvarenga é viúva e com a vida, ela também a dolescência de dona Ju- ajuda a idosos que residem cos de fora é um gran-
residente do bairro da Pom- ressalta que “o baile é um racy e dona Elza não é um em Santos e não tem casa de risco, porque são
péia há mais de 75 anos e ótimo lugar para arranjar caso único. Muitas pessoas própria e nem moram com pessoas formadas, mas
alega que não poderia estar um namorado” afirma entre acima dos 60 anos afirmam a família. não conhecemos a for-
mação. Você vai trazer
SONHO profissionais para cá
Nunca é tarde para voltar a estudar que terão a obrigação
de cuidar da saúde das
anos, resolveu voltar, e en- no EJA há cerca de 3 anos, de ser uma obrigação e sim pessoas e por um pre-
Lais Tamashiro
trar no EJA (Educação de alguns alunos têm dificulda- um objetivo. Muitos alunos ço menor. Fica difícil de
As dificuldades financei- Jovens e Adultos) da rede de em auxiliar o horário do comentam que ao termina- confiar”, relatou o se-
ras fazem com que as pes- pública, onde as pessoas trabalho com o da escola, e rem o Ensino Médio preten- cretário.
soas parem de estudar para que não têm idade escolar acabam faltando às aulas dem arrumar um emprego Por fim, Bechara re-
trabalhar e ajudar no sus- passam por uma avaliação diariamente, dificultando na melhor e cursar a faculda- lembra que o melhor
tento da família. É o caso e a partir do resultado é de- alfabetização. de. para a saúde pública é
da dona de casa Maria Ba- cidido para qual série esse A professora afirma que É o caso do José Batista o plano de carreira para
tista que freqüentou a es- aluno deverá ser encami- os alunos que voltam a es- que aos 34 anos voltou a es- os médicos, pois é um
cola até os 13 anos e teve nhado. tudar depois de tanto tempo cola e pretende ser advoga- meio de incentivar e va-
que abandonar os estudos Segundo a professora longe da sala de aula tem do. “Nunca é tarde para se lorizar os profissionais.
para trabalhar. Hoje, aos 60 Adinea Batista, que leciona mais otimismo porque deixa realizar um sonho”, afirma.
Março 2010 Primeiro Texto 5

MODA

Brechó: a moda que


é o maior barato!
Lívia Fer������
nandes e roupas vintage.
Lívia Fernandes

Tudo selecionado sob o

T
ecidos nobres, es- olhar aguçado e crítico de
tilo retrógrado, eti- Silvia Simões e sua irmã,
quetas de butiques Julia Simões, que garan-
famosas e peças originais tem a qualidade de suas
de décadas passadas: Sim, peças.
ainda é possível ter um “ar- A jornalista de moda
mário” com todas essas ca- Thalita Peres diz que, para
racterísticas sem precisar ir ao brechó, tem que ir com
pagar os preços abusivos “paciência e tempo para
que as lojas pedem. Bas- garimpar”. Silvia Simões
ta dar um volta em sua ci- acrecenta ainda que, em
dade que, provavelmente, bazares beneficentes, deve
você encontrará aquelas procurar com calma “mas
“lojinhas acanhadas” que você vai encontrando boas
todos nós conhecemos: os peças, muito em conta tam-
brechós! bém. Só não dá para ter ri-
Criado no século XIX, nite”, brinca Silvia.
no Rio de Janeiro, por um Além dos preços acessí-
mascate chamado Belchior veis, que são o carro-chefe
(o nome brechó vem origi- desse tipo de loja, os con-
nalmente de Belchior), os sumidores de brechó vêem
brechós eram associados à outras vantagens. Thalita
falta de dinheiro e, por isso, Peres diz que gosta de bre-
não eram muito bem vistos chó para achar peças vin-
Araras do brechó cheias de roupas para serem “garimpadas” pelo público, especialmente pelas mulheres
pelos nobres da época. Po- tage: “Inclusive já achei um
rém, esses preceitos e pre- blazer Christian Dior e uma Lívia Fernandes

conceitos foram se diluindo calça jeans Balmain.”


ao longo do tempo e, hoje, Serviço - Em Santos, os
é comum vermos pessoas bazares beneficentes são
de todas as classes sociais comuns e, além de garim-
usando roupas de segun- par peças bacanas, o di-
da-mão. nheiro das vendas é rever-
Mas não é difícil saber o tido para uma instituição de
porquê, já que é possível caridade. O mais famoso é
encontrar peças de marcas Bazar de Roupas Ismênia
famosas que podem ser até de Jesus, localizado à Ave-
cinco vezes mais baratas nida Conselheiro Nébias,
do que nas butiques, segun 393 – Encruzilhada – San-
do Silvia Simões, dona do tos. Funciona de 2a à 6a -
brechó Castelinho Magazi- 9h às 18 h.
ne Retrô. No segmento há Já o brechó Castelinho
15 anos, em seu brechó é Magazine Retrô encontra-
possível encontrar marcas se à Rua Guaibê, 68 – Apa-
como Carmim, Le Lis Blanc, recida – em Santos. Fun-
Opera Rock, entre outras. ciona de 2a à 6a, das 14h
Além de acessórios, bol- às 20h e aos sábados, 10h
sas, sapatos, óculos de sol às 18h. Peças Vintage, que podem ser encontradas em brechós, chamam a atenção pelos projetos

MULTIMÍDIA

Oficina de Stop Motion é realizada no Expediente


PRIMEIRO TEXTO é o Jornal

Sesc por ex-alunas da UNISANTA


laboratório do Curso de Jornalis-
mo. Redação, edição e diagra-
mação dos alunos do 2º ano de
Jornalismo do período diurno.
Juliana Kucharuk diente. o fim de um ciclo”. O curta Segundo as graduadas, Diretor da FaAC: Humberto Ia-
O sonho a leva a uma fullo Challoub.
foi produzido em Stop Mo- na oficina, as cenas se- Coordenador de Jornalismo: Ro-
Graduadas no curso de reflexão sobre sua vida, tion. Agora as graduadas rão fotografadas quadro- bson Bastos.
Produção Multimídia, em como conta Aline “A Carto- ensinam essa técnica às a-quadro. Cada aluno leva Professores Responsáveis: Fer-
2009, pela UNISANTA, mante traz consigo a ques- outras pessoas. sua câmera fotográfica e nando Claudio Peel (diagrama-
tão das grandes decisões ção), Fernando De Maria (tex-
Aline Benedito Lima e Tai- O Stop Motion é uma aprende a fotografar, edi- tos).
sa Nobre Lira realizam ofi- sobre o rumo de nossas técnica de animação feita tar e finalizar o curta. O Editores: Mariana Terra, Lívia
cina sobre Stop Motion, no vidas, o rito de passagem, quadro a quadro, fotogra- produto final será um vídeo Fernandes, Caio Augusto, Caue
ma a fotograma. A anima- de um minuto, contando a Goldberg, Mariana Serra, Juliana


Sesc Santos. A oficina foi
iniciada na terça-feira (16) A Cartomante ção pode ser feita de várias história da lenda do folclo- Kucharuk e Simone Menegussi.
Editora gráfica: Mariana Serra,
e prosseguirá até o dia 1º traz consigo formas como fotografias, re brasileiro, O Curupira. Mariana Terra, Caue Goldberg
de abril. a questão das filmadoras e pelo com- As aulas estão ocorren- (Primeira página), Karina
As aulas estão acompa- putador, utilizando vários do duas vezes por sema- Oliveira, Caue Goldberg e Caio
nhadas da exposição do grandes deci- materiais, como desenhos na (terças e quintas-feiras, Augusto (Página 2),Mariana
Serra e Mariana Terra (Página
Trabalho Final de Curso sões sobre o no papel, no computador e das 19h30 às 21h30) com- 3), Mariana Terra (Página 4),Lí-
(TFC), desenvolvido pelas bonecos de vários tipos. pletando seis aulas no final
alunas na faculdade.
rumo de nossas Esse tipo de animação é do curso. As inscrições es-
via Fernandes, Juliana Kucha-
ruk e Willian Roemer (Página 5),
O TFC das formadas foi vidas, o rito de freqüentemente visto nos tão encerradas. Para saber Mariana Terra e Lívia Fernandes
(Página 6).
um filme, de cerca de nove passagem, o fim cinemas, como nos filmes mais sobre outros cursos, O teor das matérias e artigos
minutos, contando a his- “A Fuga das Galinhas”, “A acesse o site: http://www.
tória de uma jovem carto- de um ciclo” Noiva Cadáver”, “O Fan- sescsp.com.br ou ligue
são de responsabilidade de seus
autores não representando, por-
mante que tem um sonho Aline Lima, produtora de tástico Sr. Raposo”, entre para o Sesc no telefone tanto, a opinião da instituição
mantenedora.
durante um dia de expe- multimídia outros. (13) 3278 9800.
Março 2010 Primeiro Texto 4

CAMPUS

Projeto Não por Acaso


continua em 2010
João Henrique faça parte do projeto, é neces-
http://culturaativa-unisanta.blogspot.com

I
sário abri-lo na primeira página
dealizado pelas bibliote- e verificar se há o lembrete do
cárias Cibele Fernandes Não por Acaso.
de Oliveira, Ana Maria A novidade deste ano é a
Silveira Racciopi e pelo jorna- criação do Cultura Ativa, um
lista Eduardo Ricci, Não por blog que permite ao estudante
Acaso permite aos alunos da escrever comentários sobre a
Universidade Santa Cecília um obra que encontrou e da leitu-
encontro “ao acaso” com obras ra feita, o que antes podia ser
de escritores famosos, como realizado por e-mail. “O blog
o colombiano Gabriel Garcia informa a programação das ati-
Marquez. vidades que ocorrem na biblio-
“Nos últimos meses recebe- teca, como o Sarau e outros
mos de voluntários 50 livros encontros. Também é permitido
para serem “esquecidos” pela ao aluno mandar por e-mail po-
universidade. A ação acontece esias de sua autoria, que de-
em todos os blocos da UNI- pois de avaliadas, postamos no
SANTA e distribuímos as obras blog”, ressalta.
nos banheiros, bancos do pátio Para reconhecer um livro que
e salas de aula”, conta Cibele faça parte do projeto, é neces-
Fernandes. sário abri-lo na primeira página
A ideia do projeto é o incen- e verificar se há o lembrete do
tivo à leitura e as obras não Não por Acaso, com as ins-
fazem parte do acervo das bi- truções de como proceder.
bliotecas. Cibele observa que As doações de livros podem
em 2009, em uma das ações ser encaminhadas às bibliotecas,
do Não por Acaso, os livros localizadas no 1º andar do Bloco
sumiram em 15 minutos. “Nós M e no 5º andar do Bloco E.
deixamos os livros e não temos “Esperamos que as pessoas
o costume de ficar vigiando a que peguem os livros, após a
atitude de quem os encontre. leitura, deixem recados no blog”,
Na época, tínhamos 25 livros acredita. Mais informações, aces-
diversos e ficamos surpresos se http://culturaativa-unisanta.
com o resultado”, explica. blogspot.com. Banner do projeto na biblioteca central da UNISANTA,localizada no 1° andar do bloco M
Para reconhecer um livro que
http://culturaativa-unisanta.blogspot.com

Sem querer, você pode encontrar um livro “esquecido” em cantos da Universidade, como nos bancos e até na capela: o objetivo é estimular a leitura