Você está na página 1de 7

DEFINIÇÕES DE SOCIEDADE ANÔNIMA

Um dos tipos societários mais utilizados é a Sociedade Anônima. Devido a sua


complexidade torna-se muito importante para o nosso país. E também interferem
diretamente no mercado financeiro.
Caracteriza-se sociedade anônima como capital aberto e não atribuído a um nome
específico, capital dividido em ações ao público caso ela for capital aberto¹ e ou dividido
em ações aos próprios acionistas caso ela for capital fechado².

(de acordo com a Lei 6.404, de 15 de dezembro de 1976):

“A companhia ou Sociedade Anônima terá o capital dividido em ações e a


responsabilidade dos sócios ou acionistas será limitada ao preço da emissão das ações
subscritas ou adquiridas.”

E são divididas em;

• Subscrição pública (capital aberto)¹


Capta recursos junto ao público em geral. Porém, a empresa precisa de um
registro de emissões de títulos na Comissão de Valores Imobiliários e necessita
de intermediação de alguma instituição financeira.
• Subscrição particular (capital fechado)²
O capital social da empresa também é dividido em ações mas não para o
público em geral,ou seja obtém seus recursos de seus próprios acionistas. As
negociações desses títulos poderão somente se dar através da deliberação dos
subscritores (acionistas) em assembléia geral ou por escritura pública.

CARACTERÍSTICA DA SOCIEDADE ANÔNIMA

a. É uma sociedade de capitais;


b. Divisão do capital em partes iguais, de igual valor nominal. Ou seja, as ações que
se concretizam a participação dos acionistas;
c. Responsabilidade do acionista limitada apenas ao preço das ações subscritas ou
adquiridas. Isso significa dizer que uma vez integralizada a ação o acionista não
terá mais nenhuma responsabilidade adicional, nem mesmo em caso de falência,
quando somente será atingido o patrimônio da companhia;
d. Livre acessibilidade das ações. As ações são títulos circuláveis, tal como os títulos
de crédito;
e. Possibilidade de subscrição do capital social mediante apelo ao público;
f. Uso exclusivo de denominação social ou nome de fantasia;
g. Companhia ABERTA ou FECHADA. Na Companhia ou Sociedade ABERTA os
valores mobiliários de sua emissão são admitidos à negociação no mercado de
valores mobiliários. Na FECHADA, não. Há necessidade de que a Sociedade
registre a emissão pública de ações no órgão competente – Comissão de Valores
Mobiliários.

ESTRUTURA ORGANIZACIONAL

Sociedade Anônima é composta por três órgãos, ASSEMBLÉIA GERAL,


CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO, DIRETORIA e CONSELHO FISCAL. Sendo os
dois primeiros de funcionamento e o último conforme despuserem os estatutos.
Os acionistas tem obrigações em caráter patrimonial e pessoal;
Dentre os acionistas também destacam-se o controlador, aqueles que são titulares
de direitos de voto que lhes assegurem de modo permanente, a função de controlador trata-
se do poder de eleger administradores e deliberar funções aos mesmos.
Os administradores podem ser ou não acionistas não comprometendo seu
patrimônio pessoal, porém no tempo em que eles estiverem exercendo a função de
administrador eles são responsáveis pelo abuso que cometerem no exercicio de suas
funções.
VALE DO RIO DOCE

A Vale é uma mineradora pioneira que trabalha com paixão, transformando


recursos minerais em ingredientes essenciais para o dia a dia das pessoas.
Buscando a melhoria contínua e a superação de padrões de excelência na
produção de matérias-primas que integram uma vasta cadeia produtiva mundial. O
resultado deste trabalho está em tudo que cerca as pessoas: celulares, utensílios
domésticos, aparelhos de TV, computadores. Minério de ferro e manganês, por exemplo,
são necessários para a construção de casas e prédios, e a fabricação de automóveis,
máquinas e equipamentos.
A Vale é uma empresa global sediada no Brasil, com mais de 60 mil empregados,
entre próprios e terceirizados.
A missão de transformar recursos minerais em riqueza e desenvolvimento
sustentável orienta as ações no relacionamento com stakeholders e na gestão dos impactos
nas atividades, pois acreditam serem co-responsáveis na busca do desenvolvimento
sustentável.
A Vale é comprometida com o desenvolvimento dos empregados, que, com seu
espírito dinâmico e persistente, contribuem para as constantes buscas por respostas e pela
melhor forma de fazer as coisas.
Sua filosofia é pautada pela atuação socioambientalmente responsável se
empenham para que a trajetória de crescimento da Vale potencialize o desenvolvimento
das comunidades onde estão presentes.
A Vale tem compromisso com a geração de valor para seus acionistas e o foco na
melhor relação entre qualidade e entrega para seus clientes.

ATUAÇÃO

A Vale pesquisa produz e comercializa minério de ferro e pelotas, níquel,


concentrado de cobre, carvão, bauxita, alumina, alumínio, potássio, caulim, manganês,
ferroliga, cobalto, metais do grupo platina e metais preciosos. Sempre com foco no
crescimento e diversificação de suas atividades em mineração, investimos em pesquisa
mineral e tecnologias voltadas para a melhoria contínua de suas atividades nos cinco
continentes.
Para dar suporte ao desenvolvimento e escoamento da produção, atua como uma
operadora logística e prioriza projetos de geração de energia voltados para o autoconsumo,
de forma a garantir competitividade.

MARCA

Em novembro de 2007, passamos a ter um só nome: Vale. A nova marca surgiu


para celebrar todas as nossas conquistas e transformações, expressando a personalidade da
nossa organização em âmbito global.

Consultorias especializadas ouviram nossos empregados, realizamos um estudo


de mercado global e identificamos os atributos que melhor representam a Vale e tudo o que
nos diferencia das demais empresas. O nome e a marca Vale traduzem isso.

A LOGÍSTICA DA VALE

Uma das principais estratégias é fazer com que a produção ganhe o mercado
global, encurtando distâncias e criando diversos corredores de exportação.
No Brasil, sua estrutura integrada de logística é formada por cerca de 10 mil
quilômetros de malha ferroviária, cinco terminais portuários – localizados em Vitória,
Sergipe e Maranhão – e um terminal rodo-ferroviário.
Em 2008, seus portos e terminais marítimos movimentaram 26.176 milhões de
toneladas de carga geral e seus serviços de logística geraram receita bruta de US$ 1,607
bilhão, 5,3% a mais do que em 2007. O transporte ferroviário de carga geral contribuiu
com US$ 1,303 bilhão, os serviços portuários, com US$ 255 milhões, a navegação de
cabotagem e os serviços de transporte marítimo, com US$ 49 milhões.
As ferrovias que a Vale Administra – Estrada de Ferro Carajás (EFC), Estrada de
Ferro Vitória a Minas (EFVM), Ferrovia Centro-Atlântica (FCA) e MRS Logística (MRS)
– transportaram 25,966 bilhões de toneladas quilômetro útil (tku) de carga geral para
clientes.
As principais cargas transportadas foram: insumos e produtos siderúrgicos
(46,8%), produtos agrícolas (40,1%), combustíveis (5,3%), material de construção e
produtos florestais (3,3%) e outros (4,5%).
O programa de investimentos para 2010 prevê que a ferrovia de Carajás será
ampliada em 100 km para se conectar à serra sul de Carajás, sendo que 605 km de trilhos
serão duplicados e haverá a construção do quarto píer no Terminal Marítimo de Ponta
Madeira (TMPM). O investimento estimado no terminal marítimo é de
US$ 2,6 bilhões, o maior em infraestrutura portuária da América Latina.
A implementação da nova política de marketing para o minério de ferro envolve
investimentos adicionais. Foram orçados US$ 631 milhões para continuar a construção de
um portfólio de frete marítimo de baixo custo, com o objetivo de aumentar a
competitividade no mercado asiático.
Outro componente importante da nossa estratégia de marketing é a construção de
centros de distribuição na Ásia. Esses centros funcionarão como “minas virtuais”, que
darão maior flexibilidade à capacidade de atendimento aos clientes, aumentando, portanto,
a competitividade, o que é especialmente relevante diante da grande distância geográfica
entre as minas de minério de ferro no Brasil e a Ásia.
Simultaneamente, usarão esses centros para customizar nosso minério de ferro
com o propósito de aumentar sua penetração no mercado asiático, que cresce em ritmo
acelerado. Em 2010 iniciará a construção de um centro de distribuição na Malásia, em
Teluk Rubiah, próximo ao estreito de Malacca, estado de Perak, projeto ainda sujeito à
aprovação do Conselho de Administração. O projeto na Malásia compreende um terminal
marítimo, com profundidade suficiente para receber navios de 400.000 dwt de capacidade
e pátios com capacidade de movimentação de até 30 milhões de toneladas métricas de
minério de ferro na fase inicial, com potencial de expansão para até 90 milhões de
toneladas métricas no futuro. O capex (investimentos em bens de capital) para a primeira
fase é de US$ 900 milhões, com desembolsos de US$ 98 milhões em 2010. O início das
operações está previsto para o primeiro semestre de 2013.
BIBLIOGRÁFIAS

http://www.franca.unesp.br/artigos/Di_genes.pdf
http://www.produzindo.net/o-que-e-uma-sociedade-anonima/
http://pt.wikipedia.org/wiki/Sociedade_an%C3%B3nima
http://pt.wikipedia.org/wiki/Sociedade_anónima
http://www.vale.com/vale/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?sid=59
Integrantes
Aline Gerboni 02
Carolina Cunha 06
Gustavo Gozzi 13
Tatiane Borges 30

3º Log B