SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS Data-Base - 31/03/2010 ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS EMPRESA COMERCIAL

, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária

O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA , SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA VERACIDADE DAS INFORMAÇÕES PRESTADAS.

01.01 - IDENTIFICAÇÃO
1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ

02048-6
4 - NIRE

CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A.

67.203.208/0001-89

35300194411 01.02 - SEDE
1 - ENDEREÇO COMPLETO 2 - BAIRRO OU DISTRITO

RUA FUNCHAL, 160
3 - CEP 4 - MUNICÍPIO

VILA OLÍMPIA
5 - UF

04551-903
6 - DDD

SÃO PAULO
7 - TELEFONE 8 - TELEFONE 9 - TELEFONE 10 - TELEX

SP 13 - FAX

011
11 - DDD

3841-5002
12 - FAX

14 - FAX

011
15 - E-MAIL

3841-5671

-

-

ri.ccdi@camargocorrea.com.br

01.03 - DIRETOR DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES (Endereço para Correspondência com a Companhia)
1 - NOME

Leonardo de Paiva Rocha
2 - ENDEREÇO COMPLETO 3 - BAIRRO OU DISTRITO

RUA FUNCHAL, 160
4 - CEP 5 - MUNICÍPIO

VILA OLÍMPIA
6 - UF

04551-903
7 - DDD

SÃO PAULO
8 - TELEFONE 9 - TELEFONE 10 - TELEFONE 11 - TELEX

SP 14 - FAX

011
12 - DDD

3841-5002
13 - FAX

15 - FAX

011
16 - E-MAIL

3841-5671

-

-

ri.ccdi@camargocorrea.com.br

01.04 - REFERÊNCIA / AUDITOR
EXERCÍCIO SOCIAL EM CURSO 1 - INÍCIO 2 - TÉRMINO 3 - NÚMERO TRIMESTRE ATUAL 4 - INÍCIO 5 - TÉRMINO 6 - NÚMERO TRIMESTRE ANTERIOR 7 - INÍCIO 8 - TÉRMINO

01/01/2010

31/12/2010

1

01/01/2010

31/03/2010

4

01/10/2009 00385-9

31/12/2009

9 - NOME/RAZÃO SOCIAL DO AUDITOR

10 - CÓDIGO CVM

Deloitte Touche Tohmatsu Auditores Independentes
11 - NOME DO RESPONSÁVEL TÉCNICO

12 - CPF DO RESP. TÉCNICO

José Roberto P. Carneiro

760.705.308-53

10/05/2010 12:01:26

Pág:

1

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS Data-Base - 31/03/2010 ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea 01.01 - IDENTIFICAÇÃO
1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL

Legislação Societária

3 - CNPJ

02048-6

CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A.

67.203.208/0001-89

01.05 - COMPOSIÇÃO DO CAPITAL SOCIAL
Número de Ações 1 - TRIMESTRE ATUAL 2 - TRIMESTRE ANTERIOR 3 - IGUAL TRIMESTRE EX. ANTERIOR

(Unidades) Do Capital Integralizado 1 - Ordinárias 2 - Preferenciais 3 - Total Em Tesouraria 4 - Ordinárias 5 - Preferenciais 6 - Total

31/03/2010 113.000.000 0 113.000.000 10.000 0 10.000

31/12/2009 113.000.000 0 113.000.000 10.000 0 10.000

31/03/2009 113.000.000 0 113.000.000 0 0 0

01.06 - CARACTERÍSTICAS DA EMPRESA
1 - TIPO DE EMPRESA

Empresa Comercial, Industrial e Outras
2 - TIPO DE SITUAÇÃO

Operacional
3 - NATUREZA DO CONTROLE ACIONÁRIO

Privada Nacional
4 - CÓDIGO ATIVIDADE

3110 - Emp. Adm. Part. - Const. Civil, Mat. Const. e Decoração
5 - ATIVIDADE PRINCIPAL

Incorporação Imobiliária

6 - TIPO DE CONSOLIDADO

Total
7 - TIPO DO RELATÓRIO DOS AUDITORES

Sem Ressalva 01.07 - SOCIEDADES NÃO INCLUÍDAS NAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONSOLIDADAS
1 - ITEM 2 - CNPJ 3 - DENOMINAÇÃO SOCIAL

01.08 - PROVENTOS EM DINHEIRO DELIBERADOS E/OU PAGOS DURANTE E APÓS O TRIMESTRE
1 - ITEM 2 - EVENTO 3 - APROVAÇÃO 4 - PROVENTO 5 - INÍCIO PGTO. 6 - ESPÉCIE E CLASSE DE AÇÃO 7 - VALOR DO PROVENTO P/ AÇÃO

01

AGO/E

14/04/2010

Dividendo

30/04/2010

ON

0,1219284490

10/05/2010 12:01:26

Pág:

2

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 31/03/2010 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea 01.01 - IDENTIFICAÇÃO
1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL

Legislação Societária

3 - CNPJ

01.09 - CAPITAL SOCIAL SUBSCRITO E ALTERAÇÕES NO EXERCÍCIO SOCIAL EM CURSO
1- ITEM 2 - DATA DA ALTERAÇÃO 3 - VALOR DO CAPITAL SOCIAL (Reais Mil) 4 - VALOR DA ALTERAÇÃO (Reais Mil) 5 - ORIGEM DA ALTERAÇÃO

. . /

-

7 - QUANTIDADE DE AÇÕES EMITIDAS (Unidades)

8 - PREÇO DA AÇÃO NA EMISSÃO (Reais)

01.10 - DIRETOR DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES
1 - DATA 2 - ASSINATURA

10/05/2010

10/05/2010 12:01:27

Pág:

3

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS Data-Base - 31/03/2010 ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea 01.01 - IDENTIFICAÇÃO
1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL

Legislação Societária

3 - CNPJ

02048-6

CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A.

67.203.208/0001-89

02.01 - BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO (Reais Mil)
1 - CÓDIGO 2 - DESCRIÇÃO 3 - 31/03/2010 4 - 31/12/2009

1 1.01 1.01.01 1.01.01.01 1.01.01.02 1.01.02 1.01.02.01 1.01.02.02 1.01.02.02.01 1.01.03 1.01.03.01 1.01.04 1.01.04.01 1.01.04.02 1.01.04.03 1.02 1.02.01 1.02.01.01 1.02.01.01.01 1.02.01.02 1.02.01.02.01 1.02.01.02.02 1.02.01.02.03 1.02.01.03 1.02.01.03.01 1.02.01.03.02 1.02.01.03.03 1.02.01.03.04 1.02.02 1.02.02.01 1.02.02.01.01 1.02.02.01.02 1.02.02.01.03 1.02.02.01.04 1.02.02.01.05 1.02.02.02 1.02.02.03 1.02.02.04

Ativo Total Ativo Circulante Disponibilidades Caixa e equivalentes de caixa Aplicações Financeiras Créditos Clientes Créditos Diversos Partes Relacionadas Estoques Imóveis a comercializar Outros Impostos a recuperar Adiantamento a fornecedores Outros créditos Ativo Não Circulante Ativo Realizável a Longo Prazo Créditos Diversos Contas a receber de clientes Créditos com Pessoas Ligadas Com Coligadas e Equiparadas Com Controladas Com Outras Pessoas Ligadas Outros Imóveis a comercializar Imp. de Renda e Contr. Social Diferidos Despesas Antecipadas Outros Ativo Permanente Investimentos Participações Coligadas/Equiparadas Participações Coligadas/Equiparadas-Ágio Participações em Controladas Participações em Controladas - Ágio Outros Investimentos Imobilizado Intangível Diferido

1.510.271 590.200 213.129 3.046 210.083 157.065 157.065 0 0 94.139 94.139 125.867 2.154 3.922 119.791 920.071 261.488 50.817 50.817 58.217 0 58.217 0 152.454 146.373 5.764 0 317 658.583 654.454 0 0 644.938 9.516 0 2.512 1.617 0

1.458.503 640.576 273.728 4.128 269.600 154.167 154.167 0 0 94.760 94.760 117.921 3.347 2.438 112.136 817.927 301.236 34.053 34.053 61.033 0 61.033 0 206.150 202.697 3.160 0 293 516.691 512.385 0 0 502.869 9.516 0 2.619 1.687 0

10/05/2010 12:01:27

Pág:

4

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS Data-Base - 31/03/2010 ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea 01.01 - IDENTIFICAÇÃO
1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL

Legislação Societária

3 - CNPJ

02048-6

CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A.

67.203.208/0001-89

02.02 - BALANÇO PATRIMONIAL PASSIVO (Reais Mil)
1 - CÓDIGO 2 - DESCRIÇÃO 3 - 31/03/2010 4 - 31/12/2009

2 2.01 2.01.01 2.01.02 2.01.03 2.01.04 2.01.05 2.01.06 2.01.07 2.01.08 2.01.08.01 2.01.08.02 2.01.08.03 2.01.08.04 2.02 2.02.01 2.02.01.01 2.02.01.02 2.02.01.03 2.02.01.04 2.02.01.05 2.02.01.06 2.02.01.06.01 2.02.01.06.02 2.02.01.06.03 2.02.01.06.04 2.03 2.05 2.05.01 2.05.02 2.05.02.01 2.05.02.02 2.05.03 2.05.03.01 2.05.03.02 2.05.04 2.05.04.01 2.05.04.02 2.05.04.03 2.05.04.04 2.05.04.05

Passivo Total Passivo Circulante Empréstimos e Financiamentos Debêntures Fornecedores Impostos, Taxas e Contribuições Dividendos a Pagar Provisões Dívidas com Pessoas Ligadas Outros Salários e Encargos a Pagar Pis e Cofins Diferidos Dividendos Propostos Outras Obrigações Passivo Não Circulante Passivo Exigível a Longo Prazo Empréstimos e Financiamentos Debêntures Provisões Dívidas com Pessoas Ligadas Adiantamento para Futuro Aumento Capital Outros Fornecedores e contas a pagar Imp. de Renda e Contr. Social Diferidos Pis e Cofins Diferidos Outras Obrigações Resultados de Exercícios Futuros Patrimônio Líquido Capital Social Realizado Reservas de Capital Reservas de Capital Ações em tesouraria Reservas de Reavaliação Ativos Próprios Controladas/Coligadas e Equiparadas Reservas de Lucro Legal Estatutária Para Contingências De Lucros a Realizar Retenção de Lucros

1.510.271 157.463 51.660 10.180 58.384 1.441 0 0 1.831 33.967 10.064 3.910 13.777 6.216 611.971 611.971 24.263 398.828 0 1 0 188.879 175.204 0 8.508 5.167 0 740.837 540.189 84.784 84.844 (60) 0 0 0 50.538 3.311 0 0 0 0

1.458.503 135.938 43.290 116 40.968 16.960 0 0 2.076 32.528 8.991 4.200 13.777 5.560 647.196 647.196 31.524 398.623 0 1 0 217.048 195.517 0 8.004 13.527 0 675.369 540.189 84.642 84.702 (60) 0 0 0 50.538 3.311 0 0 0 0

10/05/2010 12:01:28

Pág:

5

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS Data-Base - 31/03/2010 ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea 01.01 - IDENTIFICAÇÃO
1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL

Legislação Societária

3 - CNPJ

02048-6

CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A.

67.203.208/0001-89

02.02 - BALANÇO PATRIMONIAL PASSIVO (Reais Mil)
1 - CÓDIGO 2 - DESCRIÇÃO 3 -31/03/2010 4 -31/12/2009

2.05.04.06 2.05.04.07 2.05.05 2.05.05.01 2.05.05.02 2.05.05.03 2.05.06 2.05.07

Especial p/ Dividendos Não Distribuídos Outras Reservas de Lucro Ajustes de Avaliação Patrimonial Ajustes de Títulos e Valores Mobiliários Ajustes Acumulados de Conversão Ajustes de Combinação de Negócios Lucros/Prejuízos Acumulados Adiantamento para Futuro Aumento Capital

0 47.227 0 0 0 0 65.326 0

0 47.227 0 0 0 0 0 0

10/05/2010 12:01:28

Pág:

6

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS Data-Base - 31/03/2010 ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea 01.01 - IDENTIFICAÇÃO
1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL

Legislação Societária

3 - CNPJ

02048-6

CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A.

67.203.208/0001-89

03.01 - DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO (Reais Mil)
1 - CÓDIGO 2 - DESCRIÇÃO 3 - 01/01/2010 a 31/03/2010 4 - 01/01/2010 a 31/03/2010 5 - 01/01/2009 a 31/03/2009 6 - 01/01/2009 a 31/03/2009

3.01 3.01.01 3.01.02 3.01.03 3.01.04 3.02 3.03 3.04 3.04.01 3.04.02 3.04.03 3.05 3.06 3.06.01 3.06.02 3.06.02.01 3.06.02.02 3.06.03 3.06.03.01 3.06.03.02 3.06.04 3.06.05 3.06.06 3.07 3.08 3.08.01 3.08.02

Receita Bruta de Vendas e/ou Serviços Venda de Imóveis Aluguéis de Imóveis Prestação de Serviços Outras Receitas Deduções da Receita Bruta Receita Líquida de Vendas e/ou Serviços Custo de Bens e/ou Serviços Vendidos Venda de Imóveis Aluguéis de Imóveis Prestação de Serviços Resultado Bruto Despesas/Receitas Operacionais Com Vendas Gerais e Administrativas Despesas Gerais e Administrativas Outras Financeiras Receitas Financeiras Despesas Financeiras Outras Receitas Operacionais Outras Despesas Operacionais Resultado da Equivalência Patrimonial Resultado Operacional Resultado Não Operacional Receitas Despesas

57.735 56.872 0 593 270 (2.944) 54.791 (41.353) (41.353) 0 0 13.438 50.337 (1.249) (11.671) (11.910) 239 (3.935) 7.795 (11.730) 0 0 67.192 63.775 0 0 0

57.735 56.872 0 593 270 (2.944) 54.791 (41.353) (41.353) 0 0 13.438 50.337 (1.249) (11.671) (11.910) 239 (3.935) 7.795 (11.730) 0 0 67.192 63.775 0 0 0

50.545 48.754 0 846 945 (1.794) 48.751 (29.700) (29.700) 0 0 19.051 (7.638) (1.383) (12.510) (12.510) 0 (1.297) 2.989 (4.286) 0 0 7.552 11.413 0 0 0

50.545 48.754 0 846 945 (1.794) 48.751 (29.700) (29.700) 0 0 19.051 (7.638) (1.383) (12.510) (12.510) 0 (1.297) 2.989 (4.286) 0 0 7.552 11.413 0 0 0

10/05/2010 12:01:29

Pág:

7

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS Data-Base - 31/03/2010 ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea 01.01 - IDENTIFICAÇÃO
1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL

Legislação Societária

3 - CNPJ

02048-6

CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A.

67.203.208/0001-89

03.01 - DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO (Reais Mil)
1 - CÓDIGO 2 - DESCRIÇÃO 3 - 01/01/2010 a 31/03/2010 4 - 01/01/2010 a 31/03/2010 5 - 01/01/2009 a 31/03/2009 6 - 01/01/2009 a 31/03/2009

3.09 3.10 3.11 3.11.01 3.11.02 3.12 3.12.01 3.12.02 3.13 3.15

Resultado Antes Tributação/Participações Provisão para IR e Contribuição Social IR Diferido Provisão para IR Diferido Provisão para CS Diferido Participações/Contribuições Estatutárias Participações Contribuições Reversão dos Juros sobre Capital Próprio Lucro/Prejuízo do Período NÚMERO AÇÕES, EX-TESOURARIA (Unidades) LUCRO POR AÇÃO (Reais) PREJUÍZO POR AÇÃO (Reais)

63.775 (1.052) 2.603 1.914 689 0 0 0 0 65.326 112.990.000 0,57816

63.775 (1.052) 2.603 1.914 689 0 0 0 0 65.326 112.990.000 0,57816

11.413 0 (1.421) (1.043) (378) 0 0 0 0 9.992 113.000.000 0,08842

11.413 0 (1.421) (1.043) (378) 0 0 0 0 9.992 113.000.000 0,08842

10/05/2010 12:01:29

Pág:

8

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS Data-Base - 31/03/2010 ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea 01.01 - IDENTIFICAÇÃO
1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL

Legislação Societária

3 - CNPJ

02048-6

CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A.

67.203.208/0001-89

04.01 - DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA - METODO INDIRETO (Reais Mil)
1 - CÓDIGO 2 - DESCRIÇÃO 3 - 01/01/2010 a 31/03/2010 4 - 01/01/2010 a 31/03/2010 5 - 01/01/2009 a 31/03/2009 6 - 01/01/2009 a 31/03/2009 8.501 8.973 11.413 330 630 (7.552) 49 4.051 52 0 2.359 (7.392) 4.234 1.992 0 1.496 5.000 1.608 (3.316) 450 0 (170) (1.543) (2.831) (159) (2.672) (47.946) 8.501 8.973 11.413 330 630 (7.552) 49 4.051 52 0 2.359 (7.392) 4.234 1.992 0 1.496 5.000 1.608 (3.316) 450 0 (170) (1.543) (2.831) (159) (2.672) (47.946)

4.01 4.01.01 4.01.01.01 4.01.01.02 4.01.01.03 4.01.01.04 4.01.01.05 4.01.01.06 4.01.01.07 4.01.01.08 4.01.02 4.01.02.01 4.01.02.02 4.01.02.03 4.01.02.04 4.01.02.05 4.01.02.06 4.01.02.07 4.01.02.08 4.01.02.09 4.01.02.10 4.01.02.11 4.01.02.12 4.01.03 4.01.03.01 4.01.03.02 4.02

Caixa Líquido Atividades Operacionais Caixa Gerado nas Operações Lucro líquido antes do Ir e C. Social Depreciações e amortizações Constituição (reversão) de provisões Resultado de equivalência patrimonial Pis e Cofins Difereidos - Líquidos Encargos Financeiros Baixa do Permanente Ganho participação societária Variações nos Ativos e Passivos Contas a receber de clientes Imóveis a comercializar Adiantamento a fornecedores Despesas Antecipadas Impostos a Recuperar Dividendos a receber Outros Créditos Fornecedores e Contas a Pagar Salários e Férias a Pagar Adiantamento de Clientes Impostos e Contribuições a recolher Outras contas a pagar Outros Imposto de renda e contrib. social pagos Juros pagos para construção Caixa Líquido Atividades de Investimento

(25.294) 9.075 63.775 231 245 (67.192) 217 11.982 0 (183) (15.378) (19.221) 13.031 (1.484) 0 1.192 550 (7.682) (3.440) 1.073 0 (172) 775 (18.991) (16.399) (2.592) 22.226

(25.294) 9.075 63.775 231 245 (67.192) 217 11.982 0 (183) (15.378) (19.221) 13.031 (1.484) 0 1.192 550 (7.682) (3.440) 1.073 0 (172) 775 (18.991) (16.399) (2.592) 22.226

10/05/2010 12:01:29

Pág:

9

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS Data-Base - 31/03/2010 ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea 01.01 - IDENTIFICAÇÃO
1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL

Legislação Societária

3 - CNPJ

02048-6

CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A.

67.203.208/0001-89

04.01 - DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA - METODO INDIRETO (Reais Mil)
1 - CÓDIGO 2 - DESCRIÇÃO 3 -01/01/2010 a 31/03/2010 4 -01/01/2010 a 31/03/2010 5 - 01/01/2009 a 31/03/200901/01/20096a- 31/03/2009 a 31/03/200901/01/2009 a 31/03/2009 01/01/2009

4.02.01 4.02.02 4.02.03 4.02.04 4.02.07 4.03 4.03.01 4.03.02 4.03.03 4.03.04 4.04 4.05 4.05.01 4.05.02

Aplicações financeiras Aquisições de investimento Recb. dividendos e redução de capital Partes relacionadas Aquisição de Imobilizado e Intangível Caixa Líquido Atividades Financiamento Pagamento de Dividendos Captação de financiamentos Amortização de financiamentos Amort. custos na emissão de debêntures Variação Cambial s/ Caixa e Equivalentes Aumento(Redução) de Caixa e Equivalentes Saldo Inicial de Caixa e Equivalentes Saldo Final de Caixa e Equivalentes

59.517 (5.297) 0 (31.940) (54) 1.986 0 10.326 (8.544) 204 0 (1.082) 4.128 3.046

59.517 (5.297) 0 (31.940) (54) 1.986 0 10.326 (8.544) 204 0 (1.082) 4.128 3.046

(6.494) (7.315) 0 (33.883) (254) 41.454 0 69.983 (28.529) 0 0 2.009 1.881 3.890

(6.494) (7.315) 0 (33.883) (254) 41.454 0 69.983 (28.529) 0 0 2.009 1.881 3.890

10/05/2010 12:01:29

Pág:

10

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea 01.01 - IDENTIFICAÇÃO
1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL

Data-Base - 31/03/2010

Legislação Societária

3 - CNPJ

02048-6

CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A.

67.203.208/0001-89

05.01 - DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO DE 01/01/2010 a 31/03/2010 (Reais Mil)
1 - CÓDIGO 2 - DESCRIÇÃO 3 - CAPITAL SOCIAL 4 - RESERVAS DE CAPITAL 5 - RESERVAS DE REAVALIAÇÃO 6 - RESERVAS DE LUCRO 7 - LUCROS/ PREJUÍZOS 8 - AJUSTES DE ACUMULADOS AVALIAÇÃO PATRIMONIAL 50.538 0 50.538 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 50.538 0 0 0 65.326 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 65.326 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 9 - TOTAL PATRIMÔNIO LÍQUIDO

5.01 5.02 5.03 5.04 5.05 5.05.01 5.05.02 5.05.03 5.06 5.07 5.07.01 5.07.02 5.07.03 5.08 5.09 5.10 5.11 5.12 5.12.01 5.13

Saldo Inicial Ajustes de Exercícios Anteriores Saldo Ajustado Lucro / Prejuízo do Período Destinações Dividendos Juros sobre Capital Próprio Outras Destinações Realização de Reservas de Lucros Ajustes de Avaliação Patrimonial Ajustes de Títulos e Valores Mobiliários Ajustes Acumulados de Conversão Ajustes de Combinação de Negócios Aumento/Redução do Capital Social Constituição/Realização Reservas Capital Ações em Tesouraria Outras Transações de Capital Outros Opções de compra de ações Saldo Final

540.189 0 540.189 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 540.189

84.642 0 84.642 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 142 142 84.784

0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

675.369 0 675.369 65.326 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 142 142 740.837

10/05/2010 12:01:30

Pág:

11

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea 01.01 - IDENTIFICAÇÃO
1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL

Data-Base - 31/03/2010

Legislação Societária

3 - CNPJ

02048-6

CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A.

67.203.208/0001-89

05.02 - DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO DE 01/01/2010 a 31/03/2010 (Reais Mil)
1 - CÓDIGO 2 - DESCRIÇÃO 3 - CAPITAL SOCIAL 4 - RESERVAS DE CAPITAL 5 - RESERVAS DE REAVALIAÇÃO 6 - RESERVAS DE LUCRO 7 - LUCROS/ PREJUÍZOS 8 - AJUSTES DE ACUMULADOS AVALIAÇÃO PATRIMONIAL 50.538 0 50.538 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 50.538 0 0 0 65.326 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 65.326 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 9 - TOTAL PATRIMÔNIO LÍQUIDO

5.01 5.02 5.03 5.04 5.05 5.05.01 5.05.02 5.05.03 5.06 5.07 5.07.01 5.07.02 5.07.03 5.08 5.09 5.10 5.11 5.12 5.12.01 5.13

Saldo Inicial Ajustes de Exercícios Anteriores Saldo Ajustado Lucro / Prejuízo do Período Destinações Dividendos Juros sobre Capital Próprio Outras Destinações Realização de Reservas de Lucros Ajustes de Avaliação Patrimonial Ajustes de Títulos e Valores Mobiliários Ajustes Acumulados de Conversão Ajustes de Combinação de Negócios Aumento/Redução do Capital Social Constituição/Realização Reservas Capital Ações em Tesouraria Outras Transações de Capital Outros Opções de compra de ações Saldo Final

540.189 0 540.189 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 540.189

84.642 0 84.642 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 142 142 84.784

0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

675.369 0 675.369 65.326 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 142 142 740.837

10/05/2010 12:01:30

Pág:

12

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS Data-Base - 31/03/2010 ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea 01.01 - IDENTIFICAÇÃO
1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL

Legislação Societária

3 - CNPJ

02048-6

CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A.

67.203.208/0001-89

08.01 - BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO CONSOLIDADO (Reais Mil)
1 - CÓDIGO 2 - DESCRIÇÃO 3 - 31/03/2010 4 - 31/12/2009

1 1.01 1.01.01 1.01.01.01 1.01.01.02 1.01.02 1.01.02.01 1.01.02.02 1.01.02.02.01 1.01.03 1.01.03.01 1.01.04 1.01.04.01 1.01.04.02 1.01.04.03 1.01.04.04 1.02 1.02.01 1.02.01.01 1.02.01.01.01 1.02.01.01.02 1.02.01.02 1.02.01.02.01 1.02.01.02.02 1.02.01.02.03 1.02.01.03 1.02.01.03.01 1.02.01.03.02 1.02.01.03.03 1.02.01.03.04 1.02.02 1.02.02.01 1.02.02.01.01 1.02.02.01.02 1.02.02.01.03 1.02.02.02 1.02.02.03 1.02.02.04

Ativo Total Ativo Circulante Disponibilidades Caixa e equivalentes de caixa Aplicações financeiras Créditos Clientes Créditos Diversos Partes Relacionadas Estoques Imóveis a Comercializar Outros Despesas Antecipadas Impostos a recuperar Adiantamento a Fornecedores Outros Créditos Ativo Não Circulante Ativo Realizável a Longo Prazo Créditos Diversos Contas a Receber de Clientes Títulos e Valores Mobiliários Créditos com Pessoas Ligadas Com Coligadas e Equiparadas Com Controladas Com Outras Pessoas Ligadas Outros Imóveis a Comercializar Imp. de Renda e Contr. Social Diferidos Despesas Antecipadas Outros Ativo Permanente Investimentos Participações Coligadas/Equiparadas Participações em Controladas Outros Investimentos Imobilizado Intangível Diferido

2.287.189 1.434.005 362.668 119.409 243.259 490.842 490.842 0 0 435.377 435.377 145.118 711 7.273 9.311 127.823 853.184 720.139 208.430 208.430 0 126 0 0 126 511.583 504.832 5.969 9 773 133.045 6 0 0 0 89.984 43.055 0

2.166.388 1.192.829 318.942 19.969 298.973 360.000 360.000 0 0 380.656 380.656 133.231 835 8.837 4.439 119.120 973.559 843.004 248.121 248.121 0 58 0 0 58 594.825 592.198 1.875 9 743 130.555 6 0 0 6 89.660 40.889 0

10/05/2010 12:01:30

Pág:

13

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS Data-Base - 31/03/2010 ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea 01.01 - IDENTIFICAÇÃO
1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL

Legislação Societária

3 - CNPJ

02048-6

CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A.

67.203.208/0001-89

08.02 - BALANÇO PATRIMONIAL PASSIVO CONSOLIDADO (Reais Mil)
1 - CÓDIGO 2 - DESCRIÇÃO 3 - 31/03/2010 4 - 31/12/2009

2 2.01 2.01.01 2.01.02 2.01.03 2.01.04 2.01.05 2.01.06 2.01.07 2.01.08 2.01.08.01 2.01.08.02 2.01.08.03 2.01.08.04 2.01.08.05 2.01.08.06 2.02 2.02.01 2.02.01.01 2.02.01.02 2.02.01.03 2.02.01.04 2.02.01.05 2.02.01.06 2.02.01.06.01 2.02.01.06.02 2.02.01.06.03 2.02.01.06.04 2.03 2.04 2.05 2.05.01 2.05.02 2.05.02.01 2.05.02.02 2.05.03 2.05.03.01 2.05.03.02 2.05.04 2.05.04.01 2.05.04.02

Passivo Total Passivo Circulante Empréstimos e Financiamentos Debêntures Fornecedores Impostos, Taxas e Contribuições Dividendos a Pagar Provisões Dívidas com Pessoas Ligadas Outros Salários e Encargos a Pagar Imp. de Renda e Contr. Social Diferidos Pis e Cofins Diferidos Adiantamento de Clientes Dividendos Propostos Outras Obrigações Passivo Não Circulante Passivo Exigível a Longo Prazo Empréstimos e Financiamentos Debêntures Provisões Dívidas com Pessoas Ligadas Adiantamento para Futuro Aumento Capital Outros Fornecedores e Contas a Pagar Imp. de Renda e Contr. Social Diferidos Pis e Cofins Diferidos Outras Obrigações Resultados de Exercícios Futuros Part. de Acionistas Não Controladores Patrimônio Líquido Capital Social Realizado Reservas de Capital Reservas de Capital Ações em tesouraria Reservas de Reavaliação Ativos Próprios Controladas/Coligadas e Equiparadas Reservas de Lucro Legal Estatutária

2.287.189 367.318 119.750 10.180 170.307 12.108 0 0 4.132 50.841 15.605 11 4.116 5.270 13.777 12.062 1.179.034 1.179.034 123.201 398.828 0 1 0 657.004 613.202 17.850 25.290 662 0 0 740.837 540.189 84.784 84.844 (60) 0 0 0 50.538 3.311 0

2.166.388 272.691 86.495 116 110.855 22.610 0 0 4.515 48.100 13.271 6 4.409 5.655 13.777 10.982 1.218.328 1.218.328 115.407 398.623 0 1 0 704.297 667.629 13.919 22.194 555 0 0 675.369 540.189 84.642 84.702 (60) 0 0 0 50.538 3.311 0

10/05/2010 12:01:31

Pág:

14

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS Data-Base - 31/03/2010 ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea 01.01 - IDENTIFICAÇÃO
1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL

Legislação Societária

3 - CNPJ

02048-6

CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A.

67.203.208/0001-89

08.02 - BALANÇO PATRIMONIAL PASSIVO CONSOLIDADO (Reais Mil)
1 - CÓDIGO 2 - DESCRIÇÃO 3 -31/03/2010 4 -31/12/2009

2.05.04.03 2.05.04.04 2.05.04.05 2.05.04.06 2.05.04.07 2.05.05 2.05.05.01 2.05.05.02 2.05.05.03 2.05.06 2.05.07

Para Contingências De Lucros a Realizar Retenção de Lucros Especial p/ Dividendos Não Distribuídos Outras Reservas de Lucro Ajustes de Avaliação Patrimonial Ajustes de Títulos e Valores Mobiliários Ajustes Acumulados de Conversão Ajustes de Combinação de Negócios Lucros/Prejuízos Acumulados Adiantamento para Futuro Aumento Capital

0 0 0 0 47.227 0 0 0 0 65.326 0

0 0 0 0 47.227 0 0 0 0 0 0

10/05/2010 12:01:31

Pág:

15

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS Data-Base - 31/03/2010 ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea 01.01 - IDENTIFICAÇÃO
1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL

Legislação Societária

3 - CNPJ

02048-6

CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A.

67.203.208/0001-89

09.01 - DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO CONSOLIDADO (Reais Mil)
1 - CÓDIGO 2 - DESCRIÇÃO 3 - 01/01/2010 a 31/03/2010 4 - 01/01/2010 a 31/03/2010 5 - 01/01/2009 a 31/03/2009 6 - 01/01/2009 a 31/03/2009

3.01 3.01.01 3.01.02 3.01.03 3.01.04 3.02 3.03 3.04 3.04.01 3.04.02 3.04.03 3.05 3.06 3.06.01 3.06.02 3.06.02.01 3.06.02.02 3.06.03 3.06.03.01 3.06.03.02 3.06.04 3.06.05 3.06.06 3.07 3.08 3.08.01 3.08.02

Receita Bruta de Vendas e/ou Serviços Venda de Imóveis Aluguéis de Imóveis Prestação de Serviços Outras Receitas Deduções da Receita Bruta Receita Líquida de Vendas e/ou Serviços Custo de Bens e/ou Serviços Vendidos Venda de Imóveis Aluguéis de Imóveis Prestação de Serviços Resultado Bruto Despesas/Receitas Operacionais Com Vendas Gerais e Administrativas Despesas Gerais e Administrativas Outras Financeiras Receitas Financeiras Despesas Financeiras Outras Receitas Operacionais Outras Despesas Operacionais Resultado da Equivalência Patrimonial Resultado Operacional Resultado Não Operacional Receitas Despesas

274.294 271.754 0 1.521 1.019 (10.695) 263.599 (167.297) (166.853) 0 (444) 96.302 (25.105) (4.559) (16.797) (17.043) 246 (3.749) 9.558 (13.307) 0 0 0 71.197 0 0 0

274.294 271.754 0 1.521 1.019 (10.695) 263.599 (167.297) (166.853) 0 (444) 96.302 (25.105) (4.559) (16.797) (17.043) 246 (3.749) 9.558 (13.307) 0 0 0 71.197 0 0 0

113.761 111.273 0 892 1.596 (4.127) 109.634 (73.486) (73.340) 60 (206) 36.148 (21.952) (4.403) (18.311) (18.305) (6) 762 5.849 (5.087) 0 0 0 14.196 0 0 0

113.761 111.273 0 892 1.596 (4.127) 109.634 (73.486) (73.340) 60 (206) 36.148 (21.952) (4.403) (18.311) (18.305) (6) 762 5.849 (5.087) 0 0 0 14.196 0 0 0

10/05/2010 12:01:31

Pág:

16

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS Data-Base - 31/03/2010 ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea 01.01 - IDENTIFICAÇÃO
1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL

Legislação Societária

3 - CNPJ

02048-6

CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A.

67.203.208/0001-89

09.01 - DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO CONSOLIDADO (Reais Mil)
1 - CÓDIGO 2 - DESCRIÇÃO 3 - 01/01/2010 a 31/03/2010 4 - 01/01/2010 a 31/03/2010 5 - 01/01/2009 a 31/03/2009 6 - 01/01/2009 a 31/03/2009

3.09 3.10 3.11 3.11.01 3.11.02 3.12 3.12.01 3.12.02 3.13 3.14 3.15

Resultado Antes Tributação/Participações Provisão para IR e Contribuição Social IR Diferido Provisão para IR Diferido Provisão para CS Diferido Participações/Contribuições Estatutárias Participações Contribuições Reversão dos Juros sobre Capital Próprio Part. de Acionistas Não Controladores Lucro/Prejuízo do Período NÚMERO AÇÕES, EX-TESOURARIA (Unidades) LUCRO POR AÇÃO (Reais) PREJUÍZO POR AÇÃO (Reais)

71.197 (5.913) 42 218 (176) 0 0 0 0 0 65.326 112.990.000 0,57816

71.197 (5.913) 42 218 (176) 0 0 0 0 0 65.326 112.990.000 0,57816

14.196 (994) (3.210) (2.259) (951) 0 0 0 0 0 9.992 113.000.000 0,08842

14.196 (994) (3.210) (2.259) (951) 0 0 0 0 0 9.992 113.000.000 0,08842

10/05/2010 12:01:31

Pág:

17

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS Data-Base - 31/03/2010 ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea 01.01 - IDENTIFICAÇÃO
1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL

Legislação Societária

3 - CNPJ

02048-6

CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A.

67.203.208/0001-89

10.01 - DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA CONSOLIDADO - METODO INDIRETO (Reais Mil)
1 - CÓDIGO 2 - DESCRIÇÃO 3 - 01/01/2010 a 31/03/2010 4 - 01/01/2010 a 31/03/2010 5 - 01/01/2009 a 31/03/2009 6 - 01/01/2009 a 31/03/2009 (48.338) 23.077 14.196 2.357 630 0 1.571 4.251 72 (67.596) (52.881) (4.152) 3.633 318 1.319 589 (13.285) 939 (1.233) (1.046) (1.797) (3.819) (1.020) (2.799) 3.842 8.435 0 (48.338) 23.077 14.196 2.357 630 0 1.571 4.251 72 (67.596) (52.881) (4.152) 3.633 318 1.319 589 (13.285) 939 (1.233) (1.046) (1.797) (3.819) (1.020) (2.799) 3.842 8.435 0

4.01 4.01.01 4.01.01.01 4.01.01.02 4.01.01.03 4.01.01.04 4.01.01.05 4.01.01.06 4.01.01.07 4.01.02 4.01.02.01 4.01.02.02 4.01.02.03 4.01.02.04 4.01.02.05 4.01.02.06 4.01.02.07 4.01.02.08 4.01.02.09 4.01.02.10 4.01.02.11 4.01.03 4.01.03.01 4.01.03.02 4.02 4.02.01 4.02.02

Caixa Líquido Atividades Operacionais Caixa Gerado nas Operações Lucro líquido antes do IR e C. Social Depreciações e amortizações Constituição (reversão) de provisões Resultado de equivalência patrimonial Pis e Cofins diferidos - Líquidos Encargos Financeiros Baixa do permanente Variações nos Ativos e Passivos Contas a receber de clientes Imóveis a comercializar Adiantamento a fornecedores Despesas Antecipadas Impostos a recuperar Outros créditos Fornecedores e contas a pagar Salários e Férias a pagar Adiantamento de clientes Impostos e contribuições a recolher Outras contas a pagar Outros Imposto de renda e contrib. social pagos Juros pagos para construção Caixa Líquido Atividades de Investimento Aplicações financeiras Aquisição de ações em tesouraria

4.049 89.336 71.197 495 (87) 0 2.803 14.928 0 (60.391) (90.933) 77.363 (4.872) 124 1.563 (8.733) (39.681) 2.334 (385) 1.642 1.187 (24.896) (18.170) (6.726) 52.277 55.714 0

4.049 89.336 71.197 495 (87) 0 2.803 14.928 0 (60.391) (90.933) 77.363 (4.872) 124 1.563 (8.733) (39.681) 2.334 (385) 1.642 1.187 (24.896) (18.170) (6.726) 52.277 55.714 0

10/05/2010 12:01:32

Pág:

18

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS Data-Base - 31/03/2010 ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea 01.01 - IDENTIFICAÇÃO
1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL

Legislação Societária

3 - CNPJ

02048-6

CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A.

67.203.208/0001-89

10.01 - DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA CONSOLIDADO - METODO INDIRETO (Reais Mil)
1 - CÓDIGO 2 - DESCRIÇÃO 3 -01/01/2010 a 31/03/2010 4 -01/01/2010 a 31/03/2010 5 - 01/01/2009 a 31/03/200901/01/20096a- 31/03/2009 a 31/03/200901/01/2009 a 31/03/2009 01/01/2009

4.02.03 4.02.04 4.02.05 4.02.06 4.02.07 4.02.08 4.03 4.03.01 4.03.02 4.03.03 4.03.04 4.04 4.05 4.05.01 4.05.02

Aquisições de Investimento Recb. dividendos e redução de capital Partes relacionadas Obrigações por compra de controlada Agio na aquisição de controlada Aquisição de imobilizado e Intangível Caixa Líquido Atividades Financiamento Pagamento de dividendos Captação de financiamentos Amortização de financiamentos Amort. custos na emissão de debêntures Variação Cambial s/ Caixa e Equivalentes Aumento(Redução) de Caixa e Equivalentes Saldo Inicial de Caixa e Equivalentes Saldo Final de Caixa e Equivalentes

0 0 (452) 0 (2.250) (735) 43.114 0 56.419 (13.509) 204 0 99.440 19.969 119.409

0 0 (452) 0 (2.250) (735) 43.114 0 56.419 (13.509) 204 0 99.440 19.969 119.409

0 0 (1.167) 0 0 (3.426) 48.109 0 76.777 (28.668) 0 0 3.613 9.497 13.110

0 0 (1.167) 0 0 (3.426) 48.109 0 76.777 (28.668) 0 0 3.613 9.497 13.110

10/05/2010 12:01:32

Pág:

19

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea 01.01 - IDENTIFICAÇÃO
1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL

Data-Base - 31/03/2010

Legislação Societária

3 - CNPJ

02048-6

CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A.

67.203.208/0001-89

11.01 - DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO CONSOLIDADO DE 01/01/2010 a 31/03/2010 (Reais Mil)
1 - CÓDIGO 2 - DESCRIÇÃO 3 - CAPITAL SOCIAL 4 - RESERVAS DE CAPITAL 5 - RESERVAS DE REAVALIAÇÃO 6 - RESERVAS DE LUCRO 7 - LUCROS/ PREJUÍZOS 8 - AJUSTES DE ACUMULADOS AVALIAÇÃO PATRIMONIAL 50.538 0 50.538 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 50.538 0 0 0 65.326 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 65.326 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 9 - TOTAL PATRIMÔNIO LÍQUIDO

5.01 5.02 5.03 5.04 5.05 5.05.01 5.05.02 5.05.03 5.06 5.07 5.07.01 5.07.02 5.07.03 5.08 5.09 5.10 5.11 5.12 5.12.01 5.13

Saldo Inicial Ajustes de Exercícios Anteriores Saldo Ajustado Lucro / Prejuízo do Período Destinações Dividendos Juros sobre Capital Próprio Outras Destinações Realização de Reservas de Lucros Ajustes de Avaliação Patrimonial Ajustes de Títulos e Valores Mobiliários Ajustes Acumulados de Conversão Ajustes de Combinação de Negócios Aumento/Redução do Capital Social Constituição/Realização Reservas Capital Ações em Tesouraria Outras Transações de Capital Outros Opções de compra de ações Saldo Final

540.189 0 540.189 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 540.189

84.642 0 84.642 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 142 142 84.784

0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

675.369 0 675.369 65.326 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 142 142 740.837

10/05/2010 12:01:32

Pág:

20

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea 01.01 - IDENTIFICAÇÃO
1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL

Data-Base - 31/03/2010

Legislação Societária

3 - CNPJ

02048-6

CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A.

67.203.208/0001-89

11.02 - DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO CONSOLIDADO DE 01/01/2010 a 31/03/2010 (Reais Mil)
1 - CÓDIGO 2 - DESCRIÇÃO 3 - CAPITAL SOCIAL 4 - RESERVAS DE CAPITAL 5 - RESERVAS DE REAVALIAÇÃO 6 - RESERVAS DE LUCRO 7 - LUCROS/ PREJUÍZOS 8 - AJUSTES DE ACUMULADOS AVALIAÇÃO PATRIMONIAL 50.538 0 50.538 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 50.538 0 0 0 65.326 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 65.326 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 9 - TOTAL PATRIMÔNIO LÍQUIDO

5.01 5.02 5.03 5.04 5.05 5.05.01 5.05.02 5.05.03 5.06 5.07 5.07.01 5.07.02 5.07.03 5.08 5.09 5.10 5.11 5.12 5.12.01 5.13

Saldo Inicial Ajustes de Exercícios Anteriores Saldo Ajustado Lucro / Prejuízo do Período Destinações Dividendos Juros sobre Capital Próprio Outras Destinações Realização de Reservas de Lucros Ajustes de Avaliação Patrimonial Ajustes de Títulos e Valores Mobiliários Ajustes Acumulados de Conversão Ajustes de Combinação de Negócios Aumento/Redução do Capital Social Constituição/Realização Reservas Capital Ações em Tesouraria Outras Transações de Capital Outros Opções de compra de ações Saldo Final

540.189 0 540.189 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 540.189

84.642 0 84.642 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 142 142 84.784

0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

675.369 0 675.369 65.326 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 142 142 740.837

10/05/2010 12:01:32

Pág:

21

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

67.203.208/0001-89

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS DE 31 DE MARÇO DE 2010 (Valores expressos em milhares de reais – R$, exceto quando mencionado de outra forma) 1. CONTEXTO OPERACIONAL A Camargo Corrêa Desenvolvimento Imobiliário S.A. (“Companhia”) é uma sociedade anônima de capital aberto, com sede na cidade de São Paulo. Tem como objetivo o desenvolvimento, incorporação, prestação de serviços de assessoria, locação e construção de imóveis residenciais ou comerciais, diretamente ou por meio de participações em Sociedades de Propósito Específico – SPEs, consórcios e outras sociedades. Atualmente, a Companhia desenvolve empreendimentos residenciais e comerciais, e atua na região metropolitana da cidade de São Paulo, no litoral e no interior do estado de São Paulo, e nos estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo e Paraná. É, desde outubro de 2008, controladora integral da HM Engenharia e Construções S.A. (“HM”), empresa especializada no desenvolvimento e construção de unidades habitacionais, horizontais e verticais, destinadas ao segmento de baixa renda. A HM tem operações concentradas no interior do estado de São Paulo. Em 31 de janeiro de 2007, a Companhia concluiu a oferta pública inicial de ações no novo mercado da Bolsa de Valores de São Paulo – Bovespa, mercado em que suas ações são negociadas com a sigla CCIM3. Em 22 de dezembro de 2009, a Companhia efetivou a venda total da participação que detinha na controlada em conjunto Projeto Rio Empreendimentos Ltda. (“Projeto Rio”), subsidiária responsável pelo desenvolvimento do Ventura Corporate Towers (“Ventura”), empreendimento localizado na cidade do Rio de Janeiro. A venda ocorreu para a BTS Participações e Investimentos Ltda. (“BTS”), entidade que possui os mesmos controladores da Companhia. A Companhia alienou a sua participação no Projeto Rio pelo valor de R$211.000. Esta transação está descrita em detalhes na nota explicativa nº 7.

10/05/2010 12:01:35

Pág:

22

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

67.203.208/0001-89

2.

APRESENTAÇÃO DAS INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS As informações trimestrais individuais e consolidadas foram elaboradas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, as quais abrangem a legislação societária brasileira, os pronunciamentos, as orientações e as interpretações emitidas pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis - CPC e as normas emitidas pela Comissão de Valores Mobiliários - CVM. Alterações nas práticas contábeis adotadas no Brasil Com o advento da Lei nº 11.638/07, que atualizou a legislação societária brasileira, para possibilitar o processo de convergência das práticas contábeis adotadas no Brasil com as normas internacionais de contabilidade (IFRS), novas normas e pronunciamentos técnicos contábeis vêm sendo expedidos pelo CPC. Durante o exercício de 2009, novos pronunciamentos técnicos foram emitidos pelo CPC e aprovados por Deliberações da CVM, para aplicação mandatória em 2010. A Deliberação CVM nº 603/09, aprovada em 10 de novembro de 2009, facultou às companhias abertas a apresentação das informações trimestrais durante o exercício de 2010 conforme as normas contábeis vigentes até 31 de dezembro de 2009. Devido a complexidade dos cálculos e à relevância dos possíveis efeitos que a adoção dos novos pronunciamentos possa gerar nas demonstrações financeiras, a Companhia optou por apresentar as informações trimestrais para o trimestre findo em 31 de março de 2010 de acordo com as normas vigentes até 31 de dezembro de 2009. A seguir estão apresentados os CPCs que poderão ser aplicáveis à Companhia, considerando suas operações, bem como os principais impactos sobre suas demonstrações financeiras:
CPC 17 18 20 21 22 24 25 26 27 28 30 32 33 36 37 38 39 40 43 ICPC 02 Título Contratos de construção Investimento em coligada e em controlada Custos dos empréstimos Demonstração intermediária Informação por segmento Evento subseqüente Provisões, passivos contingentes e ativos contingentes Apresentação das demonstrações contábeis Ativo imobilizado Propriedade para investimento Receitas Tributos sobre o lucro Benefícios a empregados Demonstrações consolidadas Adoção inicial das normas internacionais de contabilidade Instrumentos financeiros: reconhecimento e mensuração Instrumentos financeiros: apresentação Instrumentos financeiros: evidenciação Adoção inicial dos pronunciamentos técnicos CPC 15 a 40 Contrato de construção do setor imobiliário
Pág:

10/05/2010 12:01:35

23

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS
ICPC 03 ICPC 04 ICPC 05 ICPC 08 ICPC 09 ICPC 10 ICPC 11

67.203.208/0001-89

Aspectos complementares das operações de arrendamento financeiro Alcance do Pronunciamento Técnico CPC 10 – Pagamento baseado em ações Pronunciamento Técnico CPC 10 - Pagamento baseado em ações – Transações de ações do grupo e em tesouraria Contabilização da proposta de pagamento de dividendos Demonstrações contábeis individuais, demonstrações separadas, demonstrações consolidadas e aplicação de equivalência patrimonial Esclarecimentos sobre Pronunciamentos Técnicos CPC 27 – Ativo imobilizado e CPC 28 – Propriedade para investimento Recebimento em transferência de ativos de clientes

A Administração da Companhia está analisando os impactos decorrentes da aplicação dos novos pronunciamentos técnicos emitidos pelo CPC, destacando a análise da Interpretação Técnica ICPC 02 - Contrato de Construção do Setor Imobiliário, uma vez que o registro das receitas de contratos de venda decorrentes da incorporação de unidades imobiliárias poderá ser substancialmente alterado. De acordo com o ICPC 02, a Companhia deverá analisar se, para as receitas de contratos de venda decorrentes da incorporação de unidades imobiliárias, devem ser aplicados os critérios de reconhecimento de receita de acordo com pronunciamento técnico CPC 30 – Receitas, ou aplicar o CPC 17 – Contratos de construção. Até o período findo em 31 de março de 2010, a Companhia tem adotado os critérios de reconhecimento de receita que se aproximam das normas constantes do CPC 17, ou seja, utiliza-se o método do percentual de conclusão de cada empreendimento, sendo esse percentual mensurado em razão do custo incorrido em relação ao custo total orçado. Entretanto, caso a aplicação do ICPC 02 venha a determinar que o CPC 30 deva ser aplicado, a receita provavelmente seria reconhecida somente na conclusão do empreendimento, quando as seguintes condições fossem atendidas: (a) a entidade tenha transferido para o comprador os riscos e benefícios mais significativos inerentes à propriedade dos bens; (b) a entidade não mantenha envolvimento continuado na gestão dos bens vendidos em grau normalmente associado à propriedade nem efetivo controle de tais bens; (c) o valor da receita possa ser confiavelmente mensurado; (d) for provável que os benefícios econômicos associados à transação fluirão para a entidade e; (e) as despesas incorridas ou a serem incorridas, referentes à transação, possam ser confiavelmente mensuradas. A aplicação dessa norma envolve mudança significativa de sistemas e recálculos da receita e custos de anos anteriores, e assim, o efeito da possível adoção não era conhecido até a emissão destas informações trimestrais. A Companhia irá reapresentar as informações trimestrais de 2010, comparativamente com as informações trimestrais de 2009, também ajustadas às normas contábeis aprovadas em 2009, até a data de apresentação das demonstrações financeiras para o período a findar em 31 de dezembro de 2010.

10/05/2010 12:01:35

Pág:

24

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

67.203.208/0001-89

3.

SUMÁRIO DAS PRINCIPAIS PRÁTICAS CONTÁBEIS a) Caixa e equivalentes de caixa São representados por fundo fixo de caixa, recursos em contas bancárias de livre movimentação, e por investimentos de curto prazo, com vencimentos originais de noventa dias ou menos ou com compromissos de recompra, prontamente conversíveis em caixa e com riscos insignificantes de mudança de valor, sendo avaliadas ao valor justo. Na data de encerramento dos balanços apresentados, os saldos de caixa e equivalentes de caixa eram compostos exclusivamente por fundo fixo de caixa e recursos em contas bancárias de livre movimentação. b) Aplicações financeiras As aplicações financeiras são investimentos temporários de curto prazo, representados por títulos de alta liquidez por meio de mercado ativo. A Companhia classifica suas aplicações financeiras em títulos: (i) mantidos para negociação; (ii) mantidos até o vencimento; (iii) empréstimos e recebíveis e (iv) disponíveis para venda, vinculados à finalidade das referidas aplicações. Na data de encerramento dos balanços apresentados, todas as aplicações financeiras foram classificadas como mantidas para negociação, pois foram adquiridas com a finalidade de venda ou recompra no curto prazo. As aplicações mantidas para negociação são avaliadas ao valor justo, com seus efeitos reconhecidos no resultado. c) Imóveis a comercializar Incluem os imóveis em construção pelo custo incorrido durante a fase de construção dos empreendimentos, unidades concluídas e terrenos. Os saldos em aberto nas datas de encerramento dos balanços não excedem os respectivos valores líquidos de realização. A Companhia adquire parte dos terrenos através de operações de permuta, nas quais, em troca dos terrenos adquiridos, compromete-se a: (i) entregar unidades imobiliárias de empreendimentos em construção; ou (ii) entregar o percentual da parcela de contas a receber provenientes das vendas das unidades imobiliárias dos empreendimentos. Os juros dos empréstimos e financiamentos diretamente ligados aos empreendimentos imobiliários são capitalizados como custo dos imóveis a comercializar quando as atividades necessárias para preparar o imóvel para comercialização e/ou construção estão em progresso. Os juros capitalizados são apropriados ao resultado observando o mesmo critério adotado para reconhecimento das receitas e dos custos das unidades vendidas.

10/05/2010 12:01:35

Pág:

25

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

67.203.208/0001-89

A classificação de terrenos entre circulante e não circulante é realizada pela Administração com base na expectativa de prazo do lançamento dos empreendimentos imobiliários. A Administração revisa periodicamente as estimativas de lançamentos. d) Contas a receber e provisão para devedores duvidosos Demonstrados ao custo, acrescido de atualização monetária e descontado ao valor presente conforme observado no item “s”. A provisão para devedores duvidosos é constituída, quando aplicável, com base na avaliação da Administração quanto à expectativa de perdas na realização das contas a receber, considerando a expectativa de recuperação do bem financiado e histórico de perdas. e) Ativos e passivos sujeitos à indexação Ativos e passivos em reais e contratualmente sujeitos à indexação estão atualizados pela aplicação dos índices correspondentes nas datas de encerramento dos balanços. Ganhos e perdas cambiais e variações monetárias são reconhecidos no resultado. f) Investimentos Os investimentos em controladas e controladas em conjunto são avaliados pelo método da equivalência patrimonial nas demonstrações financeiras da controladora. Os demais investimentos estão avaliados ao custo de aquisição, deduzido de provisão para ajustá-los ao valor de realização, quando aplicável. g) Intangível Representado por licenças de uso de softwares e ágio relacionado à aquisição de participação no capital de controladas. A amortização por licenças de uso de softwares ocorre pelo método linear em cinco anos, a partir do momento em que os benefícios começam a ser auferidos. O ágio relacionado à aquisição de participação em controlada tem como fundamento econômico a expectativa de rentabilidade futura. A partir de 1º de janeiro de 2009, conforme OCPC 02, a amortização contábil desses ágios cessou completamente. A Administração efetua, anualmente, análise sobre a recuperação dos valores de ágio, de acordo com o CPC 01, e registra, quando aplicável, redução ao valor recuperável, quando não há expectativa de benefícios econômicos futuros que superem o valor do ágio registrado nas demonstrações financeiras.

10/05/2010 12:01:35

Pág:

26

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

67.203.208/0001-89

h) Imobilizado Demonstrado pelo valor de custo de aquisição ou construção, líquido de provisão para perdas para os bens paralisados e sem expectativa de reutilização ou realização, deduzido das depreciações que são computadas pelo método linear, de acordo com a vida econômica dos bens, às seguintes taxas anuais: imóveis - 4%; móveis e utensílios, benfeitorias em imóveis de terceiros, instalações e maquinismo - 10% (ou prazo do contrato de arrendamento, dos dois o menor); e equipamentos de informática e veículos - 20%. A Companhia analisa se existem evidências de que o valor contábil de um ativo não será recuperado. Caso tais evidências sejam identificadas, a Companhia estima o valor recuperável do ativo. O valor recuperável de um ativo é o maior valor entre: (a) valor justo menos custos que seriam incorridos para vendê-lo; e (b) valor de uso. O valor de uso é equivalente aos fluxos de caixa descontados (antes dos impostos) derivados do uso contínuo do ativo até o fim da vida útil. Quando o valor residual contábil do ativo excede o valor recuperável, a Companhia reconhece uma redução do saldo contábil desse ativo (“impairment” ou redução ao valor recuperável). i) Apuração do resultado de incorporação e venda de imóveis Nas vendas a prazo de unidade concluída, o resultado é apropriado no momento em que a venda é efetivada, independentemente do prazo de recebimento do valor contratual. Os juros pré-fixados são apropriados ao resultado observando o regime de competência, independentemente de recebimento. Nas vendas de unidades não concluídas, o resultado é apropriado de acordo com os critérios estabelecidos pela Resolução CFC nº 963/03, detalhados a seguir: (i) As receitas de vendas e os custos de terrenos e construção e as comissões de vendas são apropriados ao resultado utilizando o método do percentual de conclusão de cada empreendimento, sendo esse percentual mensurado em razão do custo incorrido em relação ao custo total orçado dos respectivos empreendimentos.

10/05/2010 12:01:35

Pág:

27

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

67.203.208/0001-89

(ii) Os recebimentos antecipados referentes à venda das unidades, são registrados no passivo circulante ou no não-circulante, como “adiantamento de clientes”. Caso o valor da receita de vendas apropriada no período calculado conforme mencionado no item (i), seja superior ao valor efetivamente recebido pela venda das unidades, o saldo remanescente permanece na conta “clientes por incorporação”, no ativo circulante ou no realizável a longo prazo. j) Prestação de serviços de construção Consistem basicamente à atividade de prestação de serviços de construção reconhecidas em virtude da evolução de cada obra. Os serviços referentes à administração técnica e de bens imóveis são reconhecidos à medida que os serviços são prestados. k) Despesas com garantias A empresa subcontratada pela Companhia para executar as obras tem a responsabilidade primária de garantir a qualidade estrutural dos empreendimentos vendidos. A Companhia e suas controladas fornecem garantias solidárias limitadas pelo período de cinco anos, cobrindo os mesmos riscos. l) Imposto de renda e contribuição social sobre o lucro O imposto de renda (25%) e a contribuição social (9%) são calculados pela Companhia observando-se suas alíquotas nominais, de acordo com os critérios estabelecidos pela legislação fiscal vigente. Conforme facultado pela legislação fiscal, certas controladas e controladas em conjunto optaram pelo regime de lucro presumido. Para essas sociedades, a base de cálculo do imposto de renda é calculada à razão de 8% e a da contribuição social à razão de 12% sobre as receitas brutas e sobre a totalidade da receita financeira, sobre os quais se aplicam as alíquotas regulares de imposto de renda e da contribuição social. O imposto de renda e a contribuição social diferidos obedecem aos critérios mencionados na nota explicativa nº 17, sendo que a Companhia avalia e reduz os tributos diferidos ativos na medida em que identifica que não é provável a existência de lucro tributável futuro suficiente para utilização total ou parcial desses créditos. Não foram constituídos tributos diferidos relacionados a prejuízos fiscais, uma vez que a Companhia não auferiu lucro tributável em pelo menos três dos cinco últimos exercícios sociais.

10/05/2010 12:01:35

Pág:

28

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

67.203.208/0001-89

m) Uso de estimativas As estimativas contábeis foram baseadas em fatores objetivos e subjetivos, de acordo com julgamento da Administração para preparação das demonstrações financeiras. Itens significativos sujeitos a essas estimativas e premissas incluem vida útil do ativo imobilizado, custo orçado das obras, provisão para devedores duvidosos, provisão para contingências, expectativa de lançamentos de empreendimentos imobiliários, etc. A liquidação das transações envolvendo essas estimativas poderá resultar em valores divergentes devido a imprecisões inerentes ao processo de cálculo. A Companhia revisa as estimativas e premissas no mínimo trimestralmente. n) Lucro por ação Calculado com base na quantidade de ações em circulação na data de encerramento dos balanços. o) Consolidação As demonstrações financeiras consolidadas foram elaboradas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, sendo as principais descritas nesta seção. A Companhia e suas controladas mantêm práticas contábeis uniformes. Para as controladas em conjunto, mediante acordo de acionistas, a consolidação incorpora as contas de ativo, passivo e resultado, proporcionalmente à participação total detida no capital social da respectiva controlada em conjunto. Os saldos e as transações com controladas e controladas em conjunto, assim como os lucros não realizados, foram eliminados na consolidação, incluindo investimentos, contas correntes, dividendos a receber, receitas e despesas entre sociedades consolidadas e resultados não realizados. As transações e os saldos com partes relacionadas, acionistas e investidas, estão descritos na nota explicativa nº 14. p) Programas de outorga de opções de ações Os efeitos decorrentes dos planos de outorga de opções de ações são estimados trimestralmente e reconhecidos no resultado.

10/05/2010 12:01:35

Pág:

29

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

67.203.208/0001-89

q) Arrendamento mercantil Os arrendamentos mercantis de imobilizado que tenham por objetivo bens corpóreos destinados à manutenção das atividades da Companhia e de suas controladas, inclusive os que decorrem de operações e aqueles que transfiram à Companhia os benefícios, os riscos e o controle dos bens, são classificados como arredamento financeiro. Os arrendamentos financeiros são registrados como compras financiadas, reconhecendo, no momento da aquisição, um ativo imobilizado e um passivo de financiamento (arrendamento). r) Empréstimos e debêntures Registrados pelos valores nominais, incluindo os encargos financeiros incorridos até as datas de encerramento dos balanços. Tais instrumentos estão classificados como empréstimos, e contabilizados pelo método do custo amortizado. s) Ajuste a valor presente de contas a receber e fornecedores Os saldos de contas a receber de unidades não concluídas e de fornecedores (terrenos a pagar por permuta financeira) foram calculados considerando o prazo até a entrega das chaves dos imóveis comercializados, utilizando-se a taxa de desconto de 6,15 % em 31 de março de 2010 e 6,26% em 31 de dezembro de 2009, que representa a taxa livre de risco, baseada pela projeção do NTN-B - Nota do Tesouro Nacional, título com rentabilidade vinculada à variação do IPCA, acrescida de juros definidos no momento da compra. Os valores do ajuste a valor presente de contas a receber e fornecedores são registrados no resultado nas rubricas receita de vendas e custos das vendas, respectivamente. As reversões dos ajustes a valor presente de contas a receber foram apropriadas como receitas financeiras e de fornecedores apropriadas como despesas financeiras. t) Reclassificações De acordo com o Pronunciamento Técnico CPC 03 (R1) – Demonstração dos Fluxos de Caixa, a Companhia classificou como Equivalentes de Caixa somente os investimentos de curto prazo, de liquidez imediata ou com vencimento em até 90 dias, que são conversíveis em um montante conhecido de caixa e que estão sujeitas a um risco insignificante de mudança de valor. As aplicações financeiras são investimentos temporários de curto prazo, representados por títulos de liquidez imediata.

10/05/2010 12:01:35

Pág:

30

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

67.203.208/0001-89

As reclassificações feitas entre as rubricas de caixa e equivalentes de caixa e de aplicações financeiras resultaram no seguinte:
Controladora 31.03.09 Caixa e bancos Títulos e valores mobiliários Total de caixa e equivalentes de caixa (anteriormente apresentado) Caixa e equivalentes de caixa (reapresentação) Aplicações financeiras (reapresentação) 3.890 15.896 19.786 3.890 15.896 Consolidado 31.03.09 13.110 48.353 61.463 13.110 48.353

4.

APLICAÇÕES FINANCEIRAS Os recursos estão aplicados conforme demonstrado a seguir:
Controladora 31.03.10 31.12.09 Consolidado 31.03.10 31.12.09

Fundos de aplicação financeira (a)

210.083

269.600

243.259

298.973

(a) Fundo constituído na forma de condomínio aberto, que se enquadra na categoria “Renda Fixa”, e tem como objetivo buscar valorização de suas cotas através da aplicação dos recursos em uma carteira diversificada de ativos financeiros, com alta liquidez por meio de mercado ativo, e demais modalidades operacionais disponíveis no âmbito do mercado financeiro. De acordo com o regulamento do fundo, o patrimônio líquido está representado por: I. No mínimo 80% de títulos públicos federais de emissão do Tesouro Nacional e/ou do Banco Central do Brasil.

10/05/2010 12:01:35

Pág:

31

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

67.203.208/0001-89

II.

No máximo 20% de títulos e valores mobiliários de renda fixa de empresas financeiras cujo emissor (ou emissão, se for o caso) esteja classificado, na data da aquisição, na categoria de baixo risco de crédito ou equivalente, com certificação por agência de classificação de risco localizada no Brasil. Caso o título ou valor mobiliário receba classificações diferentes, prevalecerá aquela mais conservadora.

O fundo não pode realizar operações especulativas, ou operações que exponham o fundo a obrigações superiores ao valor de seu patrimônio líquido. Além disso, o fundo não pode estar exposto a determinados ativos, tais como ações, índice de ações e derivativos referenciados nestes, com exceção de operações que se utilizem de tais instrumentos para produzir rendimentos pré-determinados. A carteira do fundo de aplicações financeiras está composta conforme descrito abaixo:
Controladora Consolidado 31.03.10 31.12.09 31.03.10 31.12.09 Certificados de Depósito Bancário Letras Financeiras do Tesouro – LFT Letras Financeiras do Tesouro Nacional – LTN Total de aplicações financeiras 30.126 126.596 53.361 210.083 4.583 98.808 166.209 269.600 34.876 146.593 61.790 243.259 5.083 109.574 184.316 298.973

5.

CONTAS A RECEBER DE CLIENTES
Controladora 31.03.10 31.12.09 Clientes por incorporação de imóveis (*) Prestação de serviços de construção Provisão para devedores duvidosos Total Parcela do circulante Parcela do não circulante 208.656 (774) 207.882 157.065 50.817 188.994 (774) 188.220 154.167 34.053 Consolidado 31.03.10 31.12.09 698.524 2.810 (2.062) 699.272 490.842 208.430 606.701 3.482 (2.062) 608.121 360.000 248.121

10/05/2010 12:01:35

Pág:

32

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

67.203.208/0001-89

(*) Os valores relativos a contas a receber de imóveis concluídos são garantidos pelos próprios imóveis negociados e estão atualizados conforme cláusulas contratuais, como segue: • Até a entrega das chaves dos imóveis comercializados, pela variação do Índice Nacional de Construção Civil – INCC (exceto na controlada HM, no valor de R$131.742 em 31 de março de 2010 e R$117.052 em 31 de dezembro de 2009, líquido de ajuste a valor presente, sem qualquer atualização). • Após a entrega das chaves dos imóveis comercializados para as unidades que tiveram a opção por financiamento direto com a Companhia, a condição de amortização é pelo prazo de até 72 meses, corrigidos monetariamente pelo Índice Geral de Preços de Mercado - IGP-M mais juros de 12% ao ano. Os saldos de clientes por incorporação de imóveis estão apresentados líquidos de ajuste a valor presente, em 31 de março de 2010, no montante de R$3.435 (R$3.876 em 31 de dezembro de 2009) na controladora e R$25.170 (R$25.389 em 31 de dezembro de 2009) no consolidado. O ajuste a valor presente foi calculado sobre as unidades não concluídas, conforme CPC12 e OCPC 01, utilizando-se a taxa de desconto de 6,15% em 31 de março de 2010 e 6,26% em 31 de dezembro de 2009, que representa a taxa livre de risco. Os vencimentos dos saldos do não circulante, anualmente, são os seguintes:
Controladora 31.03.10 2011 (nove meses) 2012 2013 2014 2015 em diante Total 34.651 1.780 14.383 3 50.817 Consolidado 31.03.10 160.360 27.801 19.326 162 781 208.430

10/05/2010 12:01:35

Pág:

33

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

67.203.208/0001-89

6.

IMÓVEIS A COMERCIALIZAR Referem-se aos custos de aquisição dos terrenos, imóveis concluídos e de construção dos empreendimentos a serem comercializados, incorridos até as datas de encerramento dos balanços.
Controladora 31.03.10 31.12.09 Imóveis concluídos Imóveis em construção Terrenos para incorporação Terrenos disponíveis para venda Outros (-) Provisão para ajuste a valor recuperável Total Parcela do circulante Parcela do não circulante 7.547 67.402 160.806 4.000 757 240.512 94.139 146.373 11.210 64.034 217.334 4.000 879 297.457 94.760 202.697 Consolidado 31.03.10 31.12.09 10.272 228.994 670.415 35.011 2.077 (6.560) 940.209 435.377 504.832 14.008 220.567 708.253 35.011 1.575 (6.560) 972.854 380.656 592.198

A parcela do ativo não circulante da conta “Imóveis a comercializar” está representada substancialmente por terrenos para lançamentos de empreendimentos com o seguinte cronograma anual:
Controladora 31.03.10 2011 (nove meses) 2012 2013 2014 2015 em diante Total 498 3.585 71.810 69.973 507 146.373 Consolidado 31.03.10 65.124 269.299 99.929 69.973 507 504.832

Destacamos os seguintes aspectos envolvendo os imóveis a comercializar: (a) Em 31 de março de 2010 e em 31 de dezembro de 2009, a Companhia, por meio de sua controlada em conjunto Camargo Corrêa - Cyrela Empreendimento Imobiliário Ltda., possui um terreno adquirido por contrato definitivo de compra e venda no montante de R$9.900 ($4.950 proporcional a participação de 50% na controlada). O contrato está sendo questionado judicialmente pela parte vendedora. O contrato de compra e venda de terreno entre as partes é irretratável; portanto, a Administração da Companhia, em conjunto com seus assessores jurídicos externos, considera tal questionamento impróprio e não representa custos adicionais à Companhia.
10/05/2010 12:01:35 Pág:

34

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

67.203.208/0001-89

(b) Em fevereiro de 2007, a Companhia lançou na Península de São Lourenço, em Bertioga, Estado de São Paulo, o empreendimento Cassis. Todas as licenças, aprovações e registros para tal lançamento foram formalmente concedidas pelas autoridades responsáveis. Em janeiro de 2008, a Companhia foi notificada pelo IBAMA – Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis, de que estava impedida de dar inicio às obras, o que estava programado para abril daquele ano. A Companhia buscou, judicialmente e extrajudicialmente, reverter esta situação, buscando resguardar seus direitos e os direitos dos compradores das unidades do empreendimento. Ato contínuo, os compradores das unidades foram formalmente avisados, em tempo adequado, da situação e das iniciativas da Companhia para reverter a decisão do órgão federal, buscando preservar as datas de entrega do empreendimento, previstas em contratos. Durante o exercício findo em 2009, como maneira de preservar o interesse de seus acionistas, a Administração da Companhia decidiu reconhecer em resultado a baixa contábil das unidades comercializadas que ainda não haviam sido rescindidas, devido às incertezas quanto a continuidade do empreendimento. Destacamos que a Companhia ainda busca, judicialmente, reaver seu direito de desenvolver o empreendimento, garantido pelas licenças e autorizações obtidas quando do lançamento do projeto. (c) Em 31 de março de 2010, a Companhia, por intermédio de sua controlada Morumbi Empreendimento Imobiliário SPE Ltda., celebrou instrumento particular de compromisso de venda e compra de imóvel, com o Itaú Unibanco S.A., de terrenos situados nas Ruas Tuiuti e Santa Catarina na cidade de São Paulo - SP. A venda foi decidida tendo em vista que o projeto que estava previsto para os terrenos exigiria um longo ciclo de aprovações, estando em desacordo com a nova estratégia estabelecida pela Administração. O valor total da transação foi de R$100.000, recebido à vista em parcela única. O ganho contábil apurado na venda foi de R$56.084.

10/05/2010 12:01:35

Pág:

35

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

67.203.208/0001-89

(d) Em 10 de novembro de 2009, o Conselho de Administração da Companhia ratificou a recomendação feita pela Administração da Companhia, sobre a descontinuidade do desenvolvimento dos seguintes projetos: • • • • • • • • Anglo - Aclimação; Aldeia Xavier; Alphasítio; Apipucos; Camping (Bertioga); Itaguaré (Bertioga); Villa São Paulo; e Lote 27.

Não ocorreu o lançamento dos projetos destacados acima. Os efeitos contábeis decorrentes dos projetos descontinuados foram reconhecidos no terceiro trimestre de 2009. Os principais projetos descontinuados estão detalhados a seguir: a) ANGLO – ACLIMAÇÃO A decisão de descontinuar este projeto deve-se, principalmente, aos seguintes fatores: 1. Por determinação do CONPRESP (Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo), ocorreu a restrição de altura máxima para as edificações localizadas no perímetro do Parque da Aclimação para 10 metros. Esta decisão do órgão público interferiu na capacidade de desenvolvimento do projeto originalmente proposto e concebido para as áreas de propriedade da Companhia localizadas no entorno do Parque. 2. Posteriormente, o Projeto de Lei nº 561/07 foi aprovado pela Câmara Municipal de Vereadores de São Paulo e sancionado. Consequentemente, em 24 de maio de 2008, foi promulgada a Lei 14.719/08, que declarou o imóvel situado na Rua Muniz de Souza nº 1051, que corresponde a parte do terreno onde seria desenvolvido o projeto, como de utilidade pública (DUP), o que acarreta a sua potencial desapropriação e posterior incorporação ao Parque Municipal da Aclimação.

10/05/2010 12:01:35

Pág:

36

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

67.203.208/0001-89

Durante 2008 e 2009, a Administração da Companhia tentou viabilizar alternativas de desenvolvimento dos imóveis, que incluíram, mas não se limitaram a, tratativas com oficiais e membros da Prefeitura Municipal de São Paulo. Em um primeiro momento, tentou-se reverter a DUP e a decisão do CONPRESP. Entretanto, a Administração da Companhia não obteve sucesso junto a esses órgãos governamentais. Concomitantemente, a Administração da Companhia estudou alternativas de comercialização, reforma e venda, ou demolição e desenvolvimento de novas unidades imobiliárias, na fração da propriedade que não foi objeto de nenhuma das duas intervenções dos órgãos públicos citadas anteriormente. Porém, nenhuma alternativa apresentada mostrou-se factível ou financeiramente viável, o que prontificou a recomendação de descontinuar este projeto. b) ALPHASÍTIO A decisão da Administração da Companhia de descontinuar o desenvolvimento do projeto deve-se a um conjunto de fatores que incluem: 1. Questionamentos judiciais sobre: 1. A validade jurídica da mudança de loteamento, condição essencial para a viabilidade do projeto. Esta mudança havia sido anteriormente aprovada pela Prefeitura de Barueri e registrada pelo cartório imobiliário; 2. A legitimidade do exercício do direito de construção de prédios (unidades habitacionais verticais) em parte dos lotes. 2. Alterações significativas nas condições de mercado na região, que alteram profundamente as premissas utilizadas quando da aprovação do projeto. Nenhum pagamento foi efetuado aos proprietários do terreno, pois a aquisição foi contratada através de permuta financeira. Em conseqüência dos fatores acima, a Companhia, em 6 de novembro de 2009, firmou instrumento de distrato junto aos proprietários dos terrenos, ficando as partes desvinculadas dos direitos e obrigações previstos contratualmente.

10/05/2010 12:01:35

Pág:

37

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

67.203.208/0001-89

c) CAMPING (BERTIOGA) A desistência do processo de incorporação do projeto desenvolvido para esta área deriva do aumento significativo, observado após a aquisição do terreno, do volume e complexidade das restrições ambientais imputadas pelos Órgãos Ambientais e pelo Ministério Público. As condições para aprovação e licenciamento legal de projetos em regiões litorâneas do Estado de São Paulo alteraram-se significativamente desde o início deste projeto, comprometendo a viabilidade econômica dos projetos ali desenvolvidos. O principal questionamento dos órgãos públicos refere-se ao enquadramento ou não da área dentro do conceito de “Área de Preservação Permanente - APP”, o que impossibilitaria a aprovação de quaisquer projetos de desenvolvimento imobiliário e urbanístico na área. Outro fator que ocasionou esta decisão foi o embargo efetuado pelo IBAMA em outro projeto da Companhia, que se situa próximo a este (Projeto Cassis – vide item 6 (b) acima). Desta maneira, a Administração entendeu que os riscos de desenvolvimento do projeto, devido principalmente as incertezas quanto às normas ambientais vigentes, inviabilizam economicamente o projeto, o que ensejou a recomendação da Administração para descontinuar. d) ITAGUARÉ (BERTIOGA) A decisão da Administração da Companhia de descontinuar o projeto deve-se à existência de estudos no Ministério do Meio Ambiente que visam a: (i) tornar a área na qual está localizada a praia de Itaguaré, e, por conseguinte, o imóvel, em um Parque da Vida Silvestre; e (ii) legislar sobre o zoneamento costeiro do litoral do Estado de São Paulo, alterando significativamente os coeficientes de utilização de área por desenvolvimentos imobiliários. Outro fator que ocasionou esta decisão foi o embargo efetuado pelo IBAMA em outro projeto da Companhia, que se situa próximo a este (Projeto Cassis – vide item 6 (b) acima). Desta maneira, a Administração entendeu que os riscos de desenvolvimento do projeto, devido principalmente às incertezas quanto às normas ambientais vigentes, inviabilizam economicamente o projeto, o que ensejou a recomendação de descontinuar pela Administração.

10/05/2010 12:01:35

Pág:

38

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

67.203.208/0001-89

e) LOTE 27 A desistência do processo de incorporação do projeto original deriva da não implementação de todas as condições listadas na “Escritura de Promessa de Compra e Venda e Outras Avenças”, na cláusula 4ª, item 4.1 e na cláusla 6ª. Especificamente: 1. Não foi obtida pela Companhia a aprovação do projeto junto aos órgãos competentes; 2. Não ocorreu o julgamento final do mandado de segurança nº 1671/05, impetrado pelo vendedor do terreno, que se insurgiu contra alteração de aproveitamento de área na região; e 3. Os débitos de Imposto Territorial Predial e Urbano - IPTU anteriores a 2006, não foram quitados pelo vendedor. Com base no contrato entre as partes, devido à descontinuidade deste projeto pelos motivos expostos anteriormente, este valor deve ser reembolsado pelo vendedor à Companhia. Adicionalmente, os valores já pagos pela Companhia estão garantidos por hipoteca do próprio terreno. A Administração entende que o valor líquido de venda do terreno é potencialmente maior do que o valor registrado em suas demonstrações financeiras. 7. OUTROS CRÉDITOS
Controladora 31.03.10 31.12.09 Valores a receber pela venda de participação à BTS Participações e Investimentos Ltda. Outros Total Parcela do circulante Parcela do não circulante Consolidado 31.03.10 31.12.09

112.705 7.403 120.108 119.791 317

111.000 1.429 112.429 112.136 293

112.705 15.891 128.596 127.823 773

111.000 8.863 119.863 119.120 743

Em 22 de dezembro de 2009, a Companhia firmou contrato de compra e venda com a BTS, entidade que possui os mesmos controladores da Companhia, referente à alienação da totalidade das quotas de sua titularidade na controlada em conjunto Projeto Rio, que correspondem a 50% do capital social dessa sociedade.
10/05/2010 12:01:35 Pág:

39

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

67.203.208/0001-89

A Projeto Rio é uma sociedade de propósito especifico, tendo por objeto social, desenvolver, sob regime de incorporação imobiliária, e administrar o empreendimento imobiliário denominado Ventura, no imóvel localizado na Avenida Chile, nº 300, na cidade do Rio de Janeiro, no estado de mesmo nome. O preço de aquisição das quotas foi estabelecido em R$211.000, na forma e condições estabelecidos conforme segue: (a) primeira parcela no valor de R$100.000, recebida em 23 de dezembro de 2009; (b) segunda parcela no valor de R$60.000, a ser recebida em 30 de abril de 2010; (c) terceira parcela no valor de R$51.000, a ser recebida em até 2 dias úteis contados da conclusão das obras da fase II do projeto Ventura. A conclusão das obras é estimada para o mês de junho de 2010. Os valores da segunda e terceira parcelas do preço estarão sujeitos à correção pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - IPCA, apurado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas - FIPE, a partir de 1º de janeiro 2010, pro rata die, e, em caso de atraso, a BTS estará obrigada a pagar à Companhia multa no valor 0,15% ao dia, limitada a 5% da respectiva parcela em atraso, corrigida pelo IGP-M, até o efetivo pagamento pela BTS. Para garantir o recebimento das parcelas, a BTS, por intermédio de sua controladora PMV, ofereceu contas garantidas junto a instituições financeiras, cujos valores serão depositados e liberados em favor da CCDI pelas instituições financeiras contratadas, por ocasião do eventual não pagamento da segunda e terceira parcela do preço. Até a data de conclusão das obras, a Companhia é responsável por indenizar e manter indene a BTS, contra quaisquer demandas, execuções, processos, ações, procedimentos, arbitragens, julgamentos, obrigações, despesas, perdas, e danos de qualquer natureza direta ou indiretamente incorridos, cujo fato gerador ocorra até a data de conclusão do Empreendimento. Esta responsabilidade não é aplicável se os danos decorrerem exclusivamente de ações ou omissões da BTS que contrariem as obrigações assumidas nos documentos de constituição da Projeto Rio. Tendo em vista a necessidade de aportes adicionais para a conclusão da Fase II do projeto Ventura, de acordo com o orçamento do empreendimento, ficou determinada a necessidade de aporte de capital da BTS na Projeto Rio, proporcional à sua participação, no montante de R$36.000, até a conclusão das obras.

10/05/2010 12:01:35

Pág:

40

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

67.203.208/0001-89

No prazo de 30 dias contados da data do cumprimento integral pela Projeto Rio do que foi previsto no orçamento do empreendimento Ventura, programada para ocorrer em janeiro de 2012, haverá a verificação se os aportes de capital realizados pela BTS foram inferiores ou superiores ao valor das obrigações assumidas, no montante de R$36.000. Caso os aportes apresentem-se inferiores às obrigações assumidas, a Companhia fará jus a receber da BTS, a título de prêmio, a exata quantia relativa à diferença entre o valor das obrigações assumidas e os aportes de capital da BTS. Caso contrário, a BTS fará jus a receber da Companhia, a título de reembolso, a exata quantia relativa à diferença entre o valor das obrigações assumidas e os aportes de capital da BTS. A Companhia deverá contratar, quando do recebimento da terceira parcela, conta vinculada a favor da BTS, no valor de R$7.000, que poderá ser movimentada pela BTS a qualquer tempo, caso os aportes de capital sejam superiores às obrigações assumidas. O preço de venda da Projeto Rio foi determinado através de laudo de avaliação, emitido por avaliador independente. As condições incluídas no contrato de venda são similares aos termos incluídos em propostas recebidas de partes não relacionadas durante o exercício.

8.

PARTICIPAÇÕES EM CONTROLADAS
Dados das investidas Ações/ Resultado de cotas Patrimônio Resultado equivalência Participação possuídas líquido do trimestre patrimonial 31.03.10 31.03.10 31.03.10 31.03.10 31.03.10 % Mil Controladas em conjunto (1): Camargo Corrêa - Cyrela Empreendimento Imobiliário Ltda. (3) e (6) Camargo Corrêa - Cyrela Paulista 1230 Empreendimento Imobiliário Ltda. (3) e (6) Camargo Corrêa - Rodobens Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. (6) CCDI Itapoã Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. (3) CCDI Jaw Holding Participações Ltda. CCDI Praia Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. (3) CCDI TPA Taboão da Serra I Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. Central Park - Alto de Pinheiros Empreendimento Imobiliário Ltda. Jardim Sul Ribeirão Preto Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. Quadra 142 Jardim Sul Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. Ralien Empreendimentos Imobiliários Ltda. Saldo dos investimentos Controladora 31.03.10 31.12.09

50 50 50 50 50 50 70 55 90,02 50 55

4.310 31.460 10.962 816 5.140 1.500 11.153 5.976 44.207 1.320 7.217

5.968 62.278 35.872 1.466 11.026 894 20.972 4.889 48.360 3.322 15.182

3.610 4 633 (149) 2.424 149 634 366 2.320

1.805 2 315 (74) 1.697 82 571 183 1.276

2.984 31.139 17.936 733 5.513 447 14.680 2.689 43.533 1.661 8.350

2.934 31.008 16.131 732 5.197 522 9.868 2.607 42.962 1.018 7.624

10/05/2010 12:01:35

Pág:

41

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

67.203.208/0001-89

Dados das investidas Ações/ Resultado de cotas Patrimônio Resultado equivalência Participação possuídas líquido do trimestre patrimonial 31.03.10 31.03.10 31.03.10 31.03.10 31.03.10 % Mil Controladas integrais (2): Aclimação Empreendimento Imobiliário Ltda. (3) Aldeia da Serra Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. (3) Almeida Torres 119 Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. (3) BH Buritis Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. BH Caiçara Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. (3) Caieiras Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. (3) CCDI Hummock Desenvolvimento Imobiliário Ltda. e controladas (3) e (8) CCDI Rababe Holding Participações Ltda. (3) CCDI Rigveda Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. (3) CCDI 01 Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. (3) Clube Aquático Pinheiros Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. (3) Curitiba Água Verde Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. Curitiba Barigui Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. (3) Curitiba Capanema Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. (3) Empresarial Jardim Sul Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. Guaratuba Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. (3) HM Engenharia e Construções S.A. (9) Interlagos Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. João Ramalho Empreendimentos Imobiliários Ltda. JSL Participações Ltda. (4) e (5) Litoral Enseada Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. (3) Lote 27 RJ Empreendimentos Imobiliários Ltda. (3) Morumbi Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. (3) e (10) Pereskia Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. (3) e (5) Ponta da Praia Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. Quadra 39 Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. (3) Quadra 41 Empreendimeto Imobiliário SPE Ltda. Quadra 129 Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. (3) Quadra 137 Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. (3) Quadra 138 Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. 10/05/2010 12:01:35 99,99 99,99 99,99 99,99 99,99 99,99 99,99 99,99 99,99 99,99 99,99 99,99 99,99 99,99 99,99 99,99 19 99,99 99,99 99,99 99,99 99,99 99,99 99,99 99,99 99,99 99,99 99,99 99,99 99,99 16.057 2.644 26.806 9.196 3.000 29.790 145.146 3.512 2.465 3.531 2.111 2.585 3.493 60 15.647 249 6.530 17.869 5.391 11.042 9.616 18.733 94.491 11 22.660 3.330 3.706 570 4.725 8.942 5.352 2.149 25.993 8.302 2.747 29.600 141.149 3.296 269 3.324 2.099 2.048 3.278 31 17.484 118.349 25.959 7.638 (4.228) 8.783 18.466 94.189 (215) 26.007 3.245 3.315 573 4.669 10.896 (146) (3) (34) 730 (5) (8) 3.305 29 (6) (12) (1) 264 (3) (7) 1.798 (2) 4.086 2.086 624 (1.603) (68) (2) 49.359 (221) 2.049 (4) (265) (1) (1) 752 (146) (3) (34) 730 (5) (8) 3.305 29 (6) (12) (1) 264 (3) (7) 1.798 (2) 776 2.086 624 (1.603) (68) (2) 49.359 (221) 2.049 (4) (265) (1) (1) 752 Pág:

Saldo dos investimentos Controladora 31.03.10 31.12.09

5.352 2.149 25.993 8.302 2.747 29.600 141.149 3.296 269 3.324 2.099 2.048 3.278 31 17.484 22.486 25.959 7.638 8.783 18.466 94.189 26.007 3.245 3.315 573 4.669 10.896

5.498 2.153 25.463 7.574 2.323 29.608 135.250 1.955 275 3.074 2.100 523 3.221 38 15.686 2 21.711 21.003 7.014 8.460 18.468 44 7 22.158 3.249 2.677 414 4.670 3.827

42

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

67.203.208/0001-89

Dados das investidas Ações/ Resultado de cotas Patrimônio Resultado equivalência Participação possuídas líquido do trimestre patrimonial 31.03.10 31.03.10 31.03.10 31.03.10 31.03.10 % Mil Quadra 150 Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. Quadra 165 Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. (3) Quadra 167 – A Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. Quadra 190 Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. (3) Quadra 193 Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. (3) Recife Boa Viagem Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. (3) Rio de Janeiro - Niterói Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. Rudbeckia Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. (3) Santista Empreendimentos Imobiliários Ltda. SV Jacob Emerich Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. Tonilho Holding Participações Ltda. (3) Viveiro Jardim Sul Camargo Corrêa Desenvolvimento Imobiliário Ltda. Vila São Francisco Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. Zolma Holding Participações Ltda. (3) Zunkie Holding Participações Ltda. (3) Outros. (3), (4) e (5) Subtotal Ágio em controladas - rentabilidade futura (7) Total 99,99 99,99 99,99 99,99 99,99 99,99 99,99 99,99 99,99 99,99 99,99 99,99 99,99 99,99 99,99 4.958 1.398 3.110 1.188 4.125 55 11.519 11 8.595 7.106 10 1.408 6.383 440 490 3.553 1.288 1.033 1.097 3.803 26 8.528 7 4.368 8.865 6 339 8.307 298 408 (70) 11 (3) (12) (2) 108 (1) 623 916 (1) 13 391 (2) (2) (70) 11 (3) (12) (2) 108 (1) 623 916 (1) 13 391 (2) (2) (14) 67.192 67.192

Saldo dos investimentos Controladora 31.03.10 31.12.09

3.553 1.288 1.033 1.097 3.803 26 8.528 7 4.368 8.865 6 339 8.307 298 408 644.938 9.516 654.454

133 615 645 1.101 2.216 27 8.421 8 3.745 7.948 7 325 7.918 301 411 502.869 9.516 512.385

(1) Controladas consolidadas proporcionalmente à participação. (2) Controladas consolidadas integralmente. (3) Sociedades que tem como objetivos específicos a construção, incorporação e venda de unidades imobiliárias localizadas nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo e Paraná. A previsão de lançamento dos empreendimentos é entre os exercícios de 2010 e 2015. (4) Investimentos reclassificados para a rubrica “outras obrigações”, no passivo não circulante, de R$13.229 em 31 de dezembro de 2009. (5) Investimentos reclassificados para a rubrica “outras obrigações”, no passivo não circulante, de R$4.750 em 31 de março de 2010. (6) A data base das demonstrações contábeis utilizadas é 31 de janeiro de 2010, e a administração efetuou, quando aplicável, os ajustes relevantes entre o período compreendido entre a data das referidas demonstrações financeiras e o período findo em 31 de março de 2010. (7) A Companhia adquiriu participação na HM Engenharia e Construções S.A. com ágio no montante de R$9.516. O ágio tem como fundamento econômico a expectativa de rentabilidade futura. (8) Em 27 de agosto de 2007, a Companhia adquiriu 99,99% de participação na empresa subseqüentemente denominada CCDI Hummock Desenvolvimento Imobiliário Ltda. (“Hummock”). A Hummock tem por objetivo a participação em outras sociedades na qualidade de cotista ou acionista e foi utilizada na aquisição de 51%, ao preço de R$50.600, da empresa HM Engenharia e Construções S.A. (“HM”), construtora e incorporadora, no interior de São Paulo.

10/05/2010 12:01:35

Pág:

43

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

67.203.208/0001-89

Em 7 de março de 2008, a Hummock adquiriu mais 25,72% do capital social da HM, ao preço de R$72.167. Adicionalmente, a Hummock adquiriu uma opção de compra de outros 4,28% do capital social da HM. Em 30 de maio de 2008, a Hummock exerceu a referida opção por um preço preliminar de R$5.877. Em 10 de agosto de 2009 e 17 de fevereiro de 2010, ocorreram pagamentos no valor de R$4.885 e R$2.250, respectivamente, de acordo com a performance da HM quanto à geração de Valor Geral de Vendas - VGV, bem como da margem líquida decorrente da comercialização de lotes e/ou unidades autônomas condominiais integrantes de empreendimentos imobiliários lançados pela HM no exercício de 2008. Adicionalmente, com base na performance dos anos de 2009 e 2010, estima-se que a Hummock deverá desembolsar R$2.418 em 2010 e 2011. (9) Em 7 de outubro de 2008, a Companhia adquiriu os 19% restantes do capital social da HM mediante o pagamento de R$12.400, mais 3.900 mil ações representativas do capital social da Companhia que estavam em tesouraria, alienadas sem ônus aos sócios da HM. (10) Em 29 de março de 2010 a Companhia aumentou o capital da controlada Morumbi Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. mediante integralização de terrenos no valor total de R$43.916, alienados em 31 de março de 2010 conforme detalhado na nota explicativa nº6.

9.

IMOBILIZADO
Controladora 31.03.10 Depreciação Custo Acumulada residual (137) (370) (134) (544) (1.185) 565 1.002 343 602 2.512 31.12.09 Custo residual 583 1.036 355 645 2.619

Custo Instalações Benfeitorias em imóveis de terceiros Móveis e utensílios Equipamento de informática Total 702 1.372 477 1.146 3.697

Custo Terrenos (a) Edifícios e instalações Benfeitorias em imóveis de terceiros Móveis e utensílios Veículos Equipamento de informática Maquinismo Imobilizações em andamento Outros Total 79.480 6.588 1.573 969 2.550 1.165 1.029 63 897 94.314

Consolidado 31.03.10 Depreciação Custo Acumulada residual (623) (421) (418) (1.357) (552) (618) (341) (4.330) 79.480 5.965 1.152 551 1.193 613 411 63 556 89.984

31.12.09 Custo residual 79.007 6.019 1.089 580 1.306 658 367 63 571 89.660

10/05/2010 12:01:35

Pág:

44

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

67.203.208/0001-89

(a) Terreno adquirido em 28 de dezembro de 2006 pela controlada em conjunto Camargo Corrêa - Cyrela Paulista 1230 Empreendimento Imobiliário Ltda. (“Camargo Paulista”), atualmente arrendado para exploração comercial de estacionamento de veículos. O contrato de arrendamento será finalizado durante o exercício de 2010, ano em que a Camargo Paulista pretende iniciar a construção/incorporação de um empreendimento comercial e alugar o imóvel. A movimentação do imobilizado no período findo em 31 de março de 2010, foi como segue:
Controladora
31.12.09 Instalações Benfeitorias em imóveis de terceiros Móveis e utensílios Equipamento de informática Total 583 1.036 355 645 2.619 Adições 8 8 Baixas Depreciação (18) (34) (12) (51) (115) 31.03.10 565 1.002 343 602 2.512

Consolidado
31.12.09 Terrenos Edifícios e instalações Benfeitorias em imóveis de terceiros Móveis e utensílios Veículos Equipamento de informática Maquinismo Imobilizações em andamento Outros Total 79.007 6.019 1.089 580 1.306 658 367 63 571 89.660 Adições 473 5 108 8 78 17 689 Baixas Depreciação (59) (45) (29) (113) (53) (34) (32) (365) Transferências 31.03.10 79.480 5.965 1.152 551 1.193 613 411 63 556 89.984

10/05/2010 12:01:35

Pág:

45

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

67.203.208/0001-89

10. INTANGÍVEL
Controladora 31.03.10 Amortização Custo acumulada residual (1.421) 1.617 31.12.09 Custo residual 1.687

Custo Direitos sobre sistemas e aplicativos 3.038

Custo Direitos sobre sistemas e aplicativos Ágio em controladas - rentabilidade futura (a) Total 3.410 47.912 51.322

Consolidado 31.03.10 Amortização Custo acumulada residual (1.462) (6.805) (8.267) 1.948 41.107 43.055

31.12.09 Custo residual 2.032 38.857 40.889

(a) A Companhia e sua controlada CCDI Hummock Desenvolvimento Imobiliário Ltda. adquiriram participação na HM Engenharia e Construções S.A. com ágios nos montantes de R$9.516 e de R$38.396, respectivamente. Os ágios têm como fundamento econômico a expectativa de rentabilidade futura. A movimentação do intangível nos período findos em 31 de março de 2010, é como segue:
Controladora
31.12.09 Direitos sobre sistemas e aplicativos 1.687 Adições 46 Baixas Amortização (116) 31.03.10 1.617

Consolidado
31.12.09 Direitos sobre sistemas e aplicativos Ágio em controladas - rentabilidade futura Total 2.032 38.857 40.889 Adições 46 2.250 2.296 Baixas Amortização (130) (130) 31.03.10 1.948 41.107 43.055

10/05/2010 12:01:35

Pág:

46

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

67.203.208/0001-89

O ágio registrado em 31 de março de 2010 foi alocado à controlada HM, que é considerada como uma unidade geradora de caixa. A Administração efetua, anualmente, análise sobre a recuperação dos valores de ágio. As análises efetuadas pela Administração em 31 de dezembro de 2009 indicaram que não há necessidade de constituição de provisão para redução ao valor recuperável, pois o valor em uso é superior ao valor registrado. O valor em uso foi calculado através de fluxos de caixa descontados para os próximos cinco anos, apenas para os projetos em andamento na HM em 31 de dezembro de 2009. A taxa média de custo de capital utilizada nestas projeções, antes dos efeitos dos impostos, foi de 11%.

10/05/2010 12:01:35

Pág:

47

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

67.203.208/0001-89

11. FINANCIAMENTO PARA CONSTRUÇÃO A composição dos empréstimos e financiamentos é como segue:
Controladora Créditos imobiliários (a) Unibanco S.A. Banco Itaú S.A. Banco Itaú S.A. Banco Itaú S.A. Banco Itaú S.A. Banco Itaú S.A. Banco Itaú S.A. Banco Itaú S.A. Banco Itaú S.A. Banco Itaú S.A. Banco Itaú S.A. Banco Itaú S.A. Banco Itaú S.A. Banco Itaú S.A. Banco Itaú S.A. Banco Bradesco S.A. Banco Bradesco S.A. Banco Bradesco S.A. Banco Bradesco S.A. Banco Bradesco S.A. Banco Bradesco S.A. Banco Santander S.A. Banco Santander S.A. Caixa Econômica Federal Caixa Econômica Federal Caixa Econômica Federal Caixa Econômica Federal Caixa Econômica Federal Caixa Econômica Federal Caixa Econômica Federal Subtotal Arredamento financeiro (b) Total Parcela do circulante Parcela do não circulante (*) TR - taxa referencial Empreendimento Forte do Golf Cyprae Praças de Sumaré Corcovado Passarim Wave Cristais da Terra Reserva da Mata Refúgio da Mata Ribeirão Preto Marília Vogt Oficina Vista Pacaembu Jardim Sul Aqua Clube João Ramalho Jacob Emerich Vila Rica Empresarial Jardim Sul Ecos’s Natureza Vila Marina Innova III Innova I Franca Campina Verde Brisas da Mata Jaguariúna I Sumaré Bom Retiro Carioba Cosmópolis Encargos financeiros (*) 10,5% a.a. + TR 10,6% a.a. + TR 10,9% a.a. + TR 10,6% a.a. + TR 10,6% a.a. + TR 10,6% a.a. + TR 10,6% a.a. + TR 10,9% a.a. + TR 10,9% a.a. + TR 10,5% a.a. + TR 10,6% a.a. + TR 9,6% a.a. + TR 10,5% a.a. + TR 10,5% a.a. + TR 10,0% a.a + TR 10,0% a.a. + TR 10,0% a.a. + TR 10,0% a.a. + TR 10,8% a.a. + TR 10,5% a.a. + TR 10,0% a.a. + TR 9% a.a. + TR 9% a.a. + TR 8% a.a. + TR 8% a.a. + TR 6% a.a. + TR 8% a.a. + TR 8% a.a. + TR 8% a.a. + TR 6% a.a. + TR Vencimento final 03/2010 11/2010 04/2011 05/2011 07/2011 08/2011 11/2011 04/2011 04/2011 10/2011 01/2012 03/2012 07/2012 07/2012 04/2013 01/2011 01/2011 03/2011 04/2011 11/2011 06/2012 08/2011 12/2010 03/2012 07/2012 09/2012 10/2012 01/2013 01/2013 07/2013 31.03.10 7.870 19.735 14.752 28.769 797 4.000 75.923 75.923 51.660 24.263 31.12.09 2.934 9.250 18.228 19.609 23.646 1.147 74.814 74.814 43.290 31.524 Consolidado 31.03.10 17.264 18.822 7.870 19.735 14.752 28.769 7.531 1.683 18.095 5.125 797 3.701 4.000 8.070 7.043 6.618 3.566 8.873 20.431 18.080 972 7.533 1.302 3.402 4.371 741 1.364 650 1.500 242.660 291 242.951 119.750 123.201 31.12.09 2.934 16.705 18.294 9.250 18.228 19.609 23.646 7.531 1.683 12.144 3.486 2.113 1.147 6.362 5.038 2.768 7.639 13.994 14.313 236 2.964 1.302 2.367 5.316 905 1.500 201.474 428 201.902 86.495 115.407

1,2% a.m.

08/2010

10/05/2010 12:01:35

Pág:

48

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

67.203.208/0001-89

(a) A Companhia poderá amortizar ou liquidar o saldo devedor dos financiamentos antecipadamente, devidamente reajustado monetariamente, utilizando: (i) o saldo porventura existente na conta-caução, após liquidação dos juros e encargos incidentes dos financiamentos; (ii) os recursos decorrentes dos financiamentos a serem concedidos aos adquirentes e da venda das unidades imobiliárias; e (iii) os recursos decorrentes da venda de créditos pela Companhia ao banco e dos financiamentos decorrentes de escritura definitiva de compra e venda de imóvel com garantia de alienação fiduciária. Os créditos imobiliários estão garantidos por hipotecas dos respectivos imóveis. (b) Refere-se a contratos de arrendamento financeiro para aquisição de bens na controlada HM Engenharia e Construções S.A. Em 31 de março de 2010, os saldos de financiamentos de longo prazo possuem o seguinte cronograma de vencimento anual:
Controladora 2011 (nove meses) 2012 2013 Total 22.756 1.507 24.263 Consolidado 108.569 12.833 1.799 123.201

A movimentação dos empréstimos e financiamentos no período findo em 31 de março de 2010 está demonstrada a seguir:
Controladora Saldo em 31 de dezembro de 2009 Captações de empréstimos e financiamentos Encargos provisionados Amortização de juros Amortização do principal Saldo em 31 de março de 2010 74.814 10.326 1.919 (2.592) (8.544) ___ __ 75.923 Consolidado 201.902 56.419 4.865 (6.726) (13.509) ______ 242.951

10/05/2010 12:01:35

Pág:

49

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

67.203.208/0001-89

12. DEBÊNTURES
Controladora e Consolidado 31.03.10 31.12.09 400.000 10.878 (1.870) 409.008 10.180 398.828 400.000 813 (2.074) 398.739 116 398.623

Descrição

Vencimento

Principal (a) 23 de dezembro de 2012 Encargos (b) Saldo de custos de transação a amortizar (c) Total das debêntures Classificados no circulante Classificados no não circulante

(a) Refere-se à 1ª emissão de 400 debêntures simples, em 23 de dezembro de 2009, não conversíveis em ações, da espécie quirografária, em série única, com valor nominal unitário de R$1.000, objeto de distribuição pública, em regime de garantia firme, com esforços restritos de colocação nos termos da Instrução CVM nº 476, de 16 de janeiro de 2009, e dispensa de registro na CVM. Essas debêntures vencem em 36 meses(23 de dezembro de 2012), ressalvadas as hipóteses de vencimento antecipado previstas na escritura de emissão, dentre as quais destacamos: (i) descumprimento, pela Companhia, de qualquer obrigação não pecuniária relacionada ás debêntures; (ii) mudança ou transferência, a qualquer título, do controle societário da Companhia; e (iii) transformação da Companhia em sociedade limitada. (b) As debêntures fazem jus ao pagamento de juros remuneratórios correspondentes a 100% da variação acumulada das taxas médias diárias dos Depósitos Interfinanceiros DI, “over extra grupo” (“Taxa DI”), calculadas e divulgadas pela CETIP, acrescida de 2%, expressa na forma percentual ao ano, base 252 dias úteis.O pagamento dos juros remuneratórios será realizado semestralmente, a partir da data de emissão, sendo o primeiro pagamento devido em 23 de junho de 2010 e o último em 23 de dezembro de 2012. (c) Refere-se aos custos de transação incorridos na emissão de debêntures, que estão sendo apropriados ao resultado conforme a fluência do prazo, pelo método taxa efetiva de juros.

10/05/2010 12:01:35

Pág:

50

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

67.203.208/0001-89

13. FORNECEDORES E CONTAS A PAGAR
Indexador Controladora 31.03.10 31.12.09 Consolidado 31.03.10 31.12.09

Obrigações pela compra de terrenos: Espécie Permuta física Permuta financeira Total Fornecedores Total Parcela do circulante Parcela do não circulante

INCC/IGP-M INCC INCC

229.138 229.138 4.450 233.588 58.384 175.204

231.416 231.416 5.069 236.485 40.968 195.517

20.964 48.162 694.373 763.499 20.010 783.509 170.307 613.202

26.196 43.568 690.329 760.093 18.391 778.484 110.855 667.629

Valores líquidos de ajuste a valor presente, em 31 de março de 2010, no montante de R$1.510 (R$2.053 em 31 de dezembro de 2009) na controladora e R$5.675 (R$5.664 em 31 de dezembro de 2009) no consolidado. O ajuste a valor presente foi calculado sobre as unidades não concluídas, e contabilizado o montante apropriado proporcionalmente, conforme CPC12 e OCPC 01. Em 31 de março de 2010, as parcelas de fornecedores e contas a pagar de longo prazo são classificadas pela Administração com base na expectativa dos prazos de lançamentos dos empreendimentos imobiliários e possuem o seguinte cronograma anual de vencimento:
Controladora 2011 (nove meses) 2012 2013 2014 2015 em diante Total 35.249 11.694 499 2.463 125.299 175.204 Consolidado 120.946 65.487 117.557 98.275 210.937 613.202

10/05/2010 12:01:35

Pág:

51

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

67.203.208/0001-89

14. SALDOS E TRANSAÇÕES COM PARTES RELACIONADAS
Controladora Ativo Circulante Classificados como outros créditos, fornecedores e contas a pagar: BTS Participações e Investimentos Ltda. (e) Conquista Imobiliária Ltda. (d) Pessoas físicas (d) Regimar Comercial S.A. (d) Fazenda Guariroba S.A. (d) Triunfo Imobiliária Ltda. (d) Total em 31 de março de 2010 Total em 31 de dezembro de 2009 Classificados como partes relacionadas: Camargo Corrêa S.A. Construções e Comércio Camargo Corrêa S.A. (b) AFAC (a): Aclimação Empreendimento Imobiliário Ltda. Almeida Torres 119 Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. BH Buritis Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. BH Caiçara Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. Camargo Corrêa - Rodobens Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. CCDI Hummock Desenvolvimento Imobiliário Ltda. CCDI Praia Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. CCDI Rababe Holding Participações Ltda. CCDI Rigveda Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. CCDI TPA Taboão da Serra I Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. CCDI 01 Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. Central Park - Alto de Pinheiros Empreendimento Imobiliário Ltda. Curitiba Água Verde Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. Curitiba Capanema Empreedimento Imobiliário SPE Ltda. Cyrela Paulista 1230 Empreendimentos Imobiliários Cyrela Commercial Properties S.A. Empreend. e Participações HM Engenharia e Construções S.A. Itaguaré Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. Litoral Enseada Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. Quadra 41 Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. Quadra 43 Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. Quadra 137 Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. Quadra 138 Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. Quadra 142 Jardim Sul Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. Quadra 150 Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. Quadra 190 Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. Reserva São Lourenço Empreendimentos Imobiliários Ltda. Rio de Janeiro - Niterói Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. Vila São Francisco Empreendimento Imobiliário SPE Ltda. Não circulante Passivo Circulante Não circulante

112.705 112.705 111.000

-

11.481 12.525 1.647 7.484 33.137 29.028

24.581 328 1.162 60 11.661 37.792 58.269

-

92 310 1.680 2.030 4.001 450 10.330 814 332 144 6.715 60 1.091 1.375 200 9.065 5.684 40 80 690 964 125 1.860 960 141 42 3.760 2.440 220

1.644 187 -

1 -

10/05/2010 12:01:35

Pág:

52

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

67.203.208/0001-89

Controladora Ativo Circulante Viveiro Jardim Sul Camargo Corrêa Desenvolvimento Imobiliário Ltda. Zolma Holding Participações Ltda. Zunkie Holding Participações Ltda. Outros Total em 31 de março de 2010 Total em 31 de dezembro de 2009 Não circulante Passivo Circulante Não circulante

-

110 1.066 705 641 58.217 61.033

1.831 2.076

1 1

Controladora Resultado Custos Despesas administrativas Construções e Comércio Camargo Corrêa S.A. (b) Camargo Corrêa Cimentos S.A. (c) Total em 31 de março de 2010 Total em 31 de março de 2009 2.602 2.602 267 1.041 1.041 1.202

10/05/2010 12:01:35

Pág:

53

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

67.203.208/0001-89

Consolidado Ativo Circulante Classificados como outros créditos, fornecedores e contas a pagar: BTS Participações e Investimentos Ltda. (e) Conquista Imobiliária Ltda. (d) Pessoas físicas (d) Regimar Comercial S.A. (d) Fazenda Guariroba S.A. (d) Triunfo Imobiliária Ltda. (d) Total em 31 de março de 2010 Total em 31 de dezembro de 2009 Classificados como partes relacionadas: Camargo Corrêa S.A. Camargo Corrêa Cimentos S.A. (c) Construções e Comércio Camargo Corrêa S.A. (b) Cyrela Commercial Properties S.A. Empreend. e Participações Interlakes Empreendimentos Total em 31 de março de 2010 Total em 31 de dezembro de 2009 Não circulante Passivo Circulante Não circulante

112.705 112.705 111.000

-

11.481 12.525 1.647 7.484 33.137 29.028

24.581 328 1.162 60 11.661 37.792 58.269

-

126 126 58

8 187 3.937 4.132 4.515

1

1 1

Consolidado Resultado Custos Despesas administrativas 5.111 5.111 891 1.041 1.041 1.202

Construções e Comércio Camargo Corrêa S.A. (b) Camargo Corrêa Cimentos S.A. (c) Total em 31 de março de 2010 Total em 31 de março de 2009

(a) AFAC - adiantamento para futuro aumento de capital. (b) Refere-se à prestação de serviços administrativos, contábeis, financeiros, e de tecnologia da informação. (c) Refere-se a compra de insumos relativos à realização dos empreendimentos.

10/05/2010 12:01:35

Pág:

54

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

67.203.208/0001-89

(d) Contratos de compra e venda de terreno, com partes relacionadas indiretas, valorizados entre 11% e 18% do valor geral de vendas (“VGV”), liquidados em moeda corrente, de acordo com os recebíveis decorrentes das vendas das unidades imobiliárias autônomas de cada empreendimento constituído sobre o terreno objeto. Os cronogramas de vencimento são vinculados aos contratos de venda de unidades imobiliárias. (e) Refere-se a alienação de participação acionária da Companhia na controlada em conjunto Projeto Rio Empreendimentos Ltda., conforme mencionado na nota explicativa nº 7. 15. PROVISÃO PARA CONTINGÊNCIAS A Companhia e suas controladas estão sujeitas a contingências fiscais, legais, trabalhistas e cíveis, entre outras. Em bases periódicas, a Administração revisa o quadro de contingências conhecidas, avalia as chances de perdas prováveis e ajusta a respectiva provisão considerando a opinião de seus assessores legais e demais dados disponíveis nas datas de encerramento dos balanços, tais como a natureza dos processos e a experiência. Em 31 de março de 2010 e 31 de dezembro de 2009, a provisão para contingências, classificada na rubrica “outras obrigações”, é composta como segue:
Controladora 31.03.10 31.12.09 Trabalhistas Tributárias Cíveis Total 10 13 23 13 13 Consolidado 31.03.10 31.12.09 212 58 270 211 58 269

Em 31 de março de 2010, a Companhia e suas controladas estão envolvidas em processos no montante de R$6.343 (R$2.481 em 31 de dezembro de 2009), relacionados a contingências cuja probabilidade de perda é considerada como “possível”, referentes substancialmente a auto de infração de Programa de Integração Social - PIS e Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social - COFINS gerado em virtude de compensações não homologadas através de processos administrativos.

10/05/2010 12:01:35

Pág:

55

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

67.203.208/0001-89

A movimentação da provisão para contingências em 31 de março de 2010 é como segue:
Controladora Saldo em 31 de dezembro de 2009 Adições Saldo em 31 de março de 2010 Consolidado Saldo em 31 de dezembro de 2009 Adições Reversões Saldo em 31 de março de 2010 Trabalhistas 10 10 Trabalhistas 211 10 (9) 212 Cíveis 13 13 Cíveis 58 58 Total 13 10 23 Total 269 10 (9) 270

16. PATRIMÔNIO LÍQUIDO a) Capital social Em 31 de março de 2010 e 31 de dezembro de 2009, o capital social subscrito é de R$540.189, representado por 112.990.000 ações em circulação ordinárias nominativas sem valor nominal. Em 14 de janeiro de 2009, os acionistas aprovaram o cancelamento, sem redução no valor do capital social, de 3.900.000 ações ordinárias da Companhia, conforme mencionado no item “e”. Cada ação ordinária dá direito a um voto nas deliberações da Assembléia Geral. A Companhia poderá aumentar o capital social, mediante a emissão de ações ordinárias, respeitando o limite do capital autorizado de até 50.000.000 ações, estabelecido na legislação societária e em seu estatuto social. b) Reserva legal Representa parcela de 5% do lucro líquido do exercício observado o limite estabelecido em lei. c) Destinação do lucro líquido Aos acionistas são assegurados dividendos mínimos obrigatórios calculados à razão de 25% do lucro líquido ajustado em conformidade com o estatuto social e com a Lei das Sociedades por Ações.
10/05/2010 12:01:35 Pág:

56

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

67.203.208/0001-89

d) Reserva para investimentos Tem por objetivo a aplicação em futuros investimentos da Companhia, fundamentada em orçamento de capital aprovado em Assembléia Geral Ordinária. e) Ações em tesouraria O Conselho de Administração da Companhia aprovou em 28 de dezembro de 2007, a aquisição de ações da própria empresa, para posterior manutenção em tesouraria ou cancelamento, utilizando-se os recursos disponíveis para investimento (oriundos das contas “reserva de lucros” e “reservas de capital”). Em 14 de janeiro de 2009, os acionistas aprovaram o cancelamento, sem redução no valor do capital social, de 3.900.000 ações ordinárias de emissão da Companhia adquiridas no âmbito do Programa de Recompra de Ações de Emissão da Própria Companhia aprovado em reunião do Conselho de Administração. Em 16 de outubro de 2009, o Conselho de Administração aprovou a aquisição, pela Companhia, de ações de sua própria emissão para manutenção em tesouraria, que tem por objetivo prover a Companhia de um lote de ações para venda quando do exercício das opções outorgadas aos seus administradores participantes do Programa de Incentivo de Longo Prazo - ILP. Poderão ser adquiridas pela Companhia até 150.000 ações ordinárias, portanto, abaixo do limite de 10% do total de ações em circulação no mercado. Em 31 de março de 2010 e 31 de dezembro de 2009, a Companhia possuía 10.000 ações ordinárias em tesouraria, as quais foram adquiridas pelo custo médio de R$6,02 por lote de mil ações. Em 31 de março de 2010, o valor de mercado das espécies e classes das ações em tesouraria, calculado com base na última cotação em bolsa anterior à data de encerramento do período, é de R$55 (R$56 em 31 de dezembro de 2009). 17. IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL O imposto de renda e a contribuição social diferidos são constituídos sobre as diferenças temporárias, incluindo a diferença entre os critérios para reconhecimento das receitas, dos custos e das despesas pelo método do custo incorrido da obra comparados com os critérios utilizados para fins fiscais. Não foram constituídos tributos diferidos relacionados a prejuízos fiscais uma vez que Companhia não apresentou lucro tributável em pelo menos três dos cinco últimos exercícios sociais. As controladas e coligadas que optam pelo regime de lucro presumido não podem compensar prejuízos fiscais de um período em anos subseqüentes. A expectativa de realização do imposto de renda e da contribuição social diferidos é de até seis anos, em virtude do prazo de realização dos recebíveis. 57

10/05/2010 12:01:35

Pág:

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

67.203.208/0001-89

Os saldos dos impostos diferidos são como segue:
Controladora 31.03.10 31.12.09 Não Não circulante circulante No ativo: Diferenças temporárias Diferença no reconhecimento do resultado da venda de unidades imobiliárias Consolidado 31.03.10 Circulante Não circulante 31.12.09 Circulante Não circulante

2.348

1.875

-

2.348

-

1.875

3.416 5.764

1.285 3.160

-

3.621 5.969

-

1.875

No passivo: Diferença no reconhecimento do resultado da venda de unidades imobiliárias

-

-

11

17.850

6

13.919

A apuração dos impostos diferidos e correntes para os trimestres está apresentada a seguir:
Controladora 31.03.10 31.03.09 Lucro antes do imposto de renda e da contribuição social Alíquota combinada Expectativa de despesa de imposto de renda e contribuição social Efeito do imposto de renda e da contribuição social sobre as diferenças permanentes: Equivalência patrimonial Adições permanentes, líquidas das exclusões Compensação de prejuízo fiscal e base negativa durante o período, não reconhecido em exercícios anteriores Outros Imposto de renda e contribuição social diferidos não constituídos sobre prejuízos fiscais Lucro (exceto resultado financeiro) das controladas cuja tributação é feita com base no lucro presumido: Reversão do efeito da tributação lucro real, das empresas optantes pelo lucro presumido Tributação pelo regime de lucro presumido, utilizando a receita bruta de vendas como base para cálculo Despesa contabilizada 63.775 34% (21.684) 11.413 34% (3.880) Consolidado 31.03.10 31.03.09 71.197 34% (24.207) 14.196 34% (4.827)

22.845 (137) 72 455

2.568 (115) 6 -

(137) 17 (380) 455 -

(115) (696) 3

1.551

(1.421)

25.002 (6.621) (5.871)

3.626 (2.195) (4.204)

10/05/2010 12:01:35

Pág:

58

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

67.203.208/0001-89

18. RESULTADO FINANCEIRO
Controladora 31.03.10 31.03.09 Despesas financeiras: Variação monetária Despesas bancárias Descontos concedidos Juros sobre empréstimos Juros sobre debêntures Multa e juros sobre obrigações Imposto sobre Operações Financeiras – IOF Outras Total de despesas financeiras Receitas financeiras: Juros ativos Descontos obtidos Rendimento financeiro Variação monetária Outras Total de receitas financeiras Resultado financeiro Consolidado 31.03.10 31.03.09

(617) (259) (515) (198) (10.065) (36) (12) (28) (11.730)

(488) (34) (1.202) (1.405) (41) (1.116) (4.286)

(1.026) (502) (671) (703) (10.065) (117) (97) (126) (13.307)

(637) (213) (1.362) (1.492) (254) (1.129) (5.087)

1.155 8 4.851 1.728 53 7.795 (3.935)

2.245 579 165 2.989 (1.297)

1.648 56 5.360 1.750 744 9.558 (3.749)

2.456 5 1.723 1.665 5.849 762

19. BENEFÍCIOS A EMPREGADOS a) Previdência Privada A Companhia possui um plano de previdência privada, na modalidade de contribuição definida, cujos custos são perfeitamente previsíveis e passíveis de controle pela administração, para o qual a Companhia e o colaborador contribuem igualmente até o limite de 4% do salário nominal. Para contribuições acima do limite estabelecido, não há contribuição por parte da Companhia. No trimestre findo em 31 de março de 2010, a Companhia contribuiu com o montante de R$43 (R$52 em 31 de março de 2009). b) Outros Benefícios a Empregados São concedidos ainda outros benefícios aos empregados, tais como: auxílio médico, auxílio alimentação, seguro de vida em grupo, auxílio acidente de trabalho, auxílio transporte, treinamentos e outros. 59

10/05/2010 12:01:35

Pág:

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

67.203.208/0001-89

20. REMUNERAÇÃO DOS ADMINISTRADORES Em 14 de abril de 2010, o valor da remuneração dos administradores e do Conselho de Administração, acrescido de encargos sociais e provisão de férias, foi fixado em até R$4.500, conforme deliberação das Assembléias Gerais Ordinária e Extraordinária. O montante pago até 31 de março de 2010 foi de R$1.165 (R$531 em 31 de março 2009), sendo, (i) R$1.146 (R$519 em 31 de março de 2009) referente a benefícios de curto prazo como salários, encargos e outros benefícios e (ii) R$19 (R$12 em 31 de março de 2009) referente a benefícios pós emprego (de longo prazo), principalmente relacionados à previdência privada e opções de ações. 21. INSTRUMENTOS FINANCEIROS Em 31 de março de 2010 e 31 de dezembro de 2009, a Companhia e suas controladas possuíam os seguintes instrumentos financeiros: a) Exposição a riscos de taxas de juros A Companhia e suas controladas estão expostas a taxas de juros flutuantes, principalmente relacionadas às variações da TR (Taxa Referencial) e CDI (Certificado de Depósito Interbancário), nos empréstimos e debêntures. As aplicações financeiras são na sua maioria vinculadas à variação do CDI. Nos clientes por incorporação de imóveis, pela variação do Índice Nacional de Construção Civil – INCC, até a entrega das chaves, e após a entrega pelo Índice Geral de Preços de Mercado - IGP-M, adicionalmente um contrato com partes relacionadas exposto ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – IPCA, demonstradas a seguir:
Controladora 31.03.10 31.12.09 Ativo: CDI IPCA INCC IGP-M Ativo exposto Passivo: TR CDI Passivo exposto Consolidado 31.03.10 31.12.09

210.083 112.705 161.081 47.126 530.995

269.600 111.000 164.454 24.091 569.145

243.259 112.705 515.877 48.119 919.960

298.973 111.000 461.791 25.329 897.093

75.923 410.878 486.801

74.814 400.813 475.627

242.660 410.878 653.538

201.474 400.813 602.287

10/05/2010 12:01:35

Pág:

60

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

67.203.208/0001-89

Análise de sensibilidade dos instrumentos financeiros Em 31 de março de 2010, a análise de sensibilidade dos instrumentos financeiros, ativos e passivos expostos às variações de taxas de juros da Companhia e de suas controladas, é conforme segue:
Operação Risco Cenário provável Controladora Cenário possível Cenário remoto

Exposição à índices variáveis: Ativo: CDI Passivo: TR CDI

Decréscimo do indice

232.457

226.863

221.270

Acréscimo do índice Acréscimo do índice

77.259 454.637

77.593 465.576

77.927 476.516

Consolidado Operação Exposição à índices variáveis: Ativo: CDI Passivo: TR CDI Risco Cenário provável Cenário possível Cenário remoto

Decréscimo do indice

269.166

262.689

256.213

Acréscimo do índice Acréscimo do índice

246.931 454.637

247.999 465.576

249.066 476.516

O cenário provável reflete as expectativas para 360 dias, a partir da data do balanço, disponibilizadas no mercado financeiro para cálculo dos valores futuros de tais operações. O cenário possível considera uma alta ou queda dos índices variáveis, dependendo da natureza do risco, de 25% e o cenário remoto de 50%. Em 31 de março de 2010 e 31 de dezembro de 2009, não há contratos vigentes relativos a operações com derivativos e “hedge” na Companhia. b) Concentração de risco de crédito Instrumentos financeiros que potencialmente sujeitam à Companhia e suas controladas a concentrações de risco de crédito consistem primariamente de aplicações financeiras. A Companhia e suas controladas mantêm contas correntes bancárias e aplicações financeiras com instituições financeiras aprovadas pela Administração, de acordo com critérios que mitigam os riscos de crédito.
10/05/2010 12:01:35 Pág:

61

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

67.203.208/0001-89

c) Compromissos A Companhia compromete-se a entregar as unidades imobiliárias por construir em troca de terrenos adquiridos. A Companhia também assume o compromisso de concluir as unidades vendidas, assim como atender às leis que regem o setor da construção civil, incluindo a obtenção de licenças das autoridades competentes. d) Valor de mercado de instrumentos financeiros Os valores de mercado informados em 31 de março de 2010 e 31 de dezembro de 2009 não refletem as mudanças subseqüentes na economia, tais como taxas de juros e alíquotas de impostos e outras variáveis que possam ter efeito sobre sua determinação. • Aplicações financeiras Os valores contábeis informados nos balanços patrimoniais correspondem aos valores de mercado, pois são classificados como mantidos para negociação. • Empréstimos, financiamentos e debêntures Conforme descrito nas notas explicativas nº 11 e nº 12, os financiamentos referem-se a instrumento de crédito para construção de empreendimentos imobiliários, para os quais os saldos contábeis se aproximam dos valores de mercado; e as debêntures foram emitidas em 23 de dezembro de 2009, com taxas variáveis de mercado, e, portanto, os saldos contábeis se aproximam dos valores de mercado. 22. SEGUROS A Companhia e suas controladas mantêm política de efetuar cobertura de seguros de forma global para os bens do imobilizado sujeitos a riscos para incêndio, roubos, danos materiais e lucros cessantes, de acordo com a avaliação da Administração e de seus assessores legais e consultores especializados. 23. PROGRAMAS DE OUTORGA DE OPÇÕES DE AÇÕES Em 30 de abril de 2008, o Conselho aprovou a implantação e administração de Programa de Incentivo de Longo Prazo (“Programa”) da Companhia.

10/05/2010 12:01:35

Pág:

62

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

67.203.208/0001-89

O Conselho determinará, periodicamente, quem são os administradores ou empregados em posição de comando da Companhia (“beneficiários”) a quem serão oferecidas as opções. O Conselho poderá outorgar as opções, quando referenciadas em ações, até o limite máximo de 10% (dez por cento) do capital social da Companhia. O limite máximo de vinculação do capital social da Companhia ao Programa só poderá ser ampliado por deliberação dos seus acionistas, reunidos em Assembléia Geral Extraordinária. Ficará a critério do Conselho a forma de disponibilização das ações para posterior transferência aos beneficiários, que poderá se dar mediante: (a) aumento de capital para subscrição pelo beneficiário das novas ações que serão então emitidas pela Companhia; (b) venda de ações mantidas em tesouraria pela Companhia, observadas as normas da CVM aplicáveis à matéria; ou, (c) excepcionalmente, liquidação por diferença financeira, observada a legislação aplicável, as condições previstas no Programa e nos instrumentos de outorga. Os acionistas, nos termos do que dispõe o artigo 171, §3º, da Lei nº 6.404/76, não terão direito de preferência à aquisição ou subscrição de ações decorrentes do exercício de opções vinculadas ao Programa. O preço de exercício das opções equivalerá, no mínimo, a média do valor de mercado das ações ordinárias da Companhia nos últimos 30 (trinta) pregões da Bolsa de Valores de São Paulo - BOVESPA do exercício anterior à data da celebração do instrumento de outorga, cabendo ao Conselho de Administração, a seu exclusivo critério, estabelecer o preço de exercício, conforme venha a ser definido em cada caso específico. O preço de exercício constante do instrumento de outorga será corrigido monetariamente pela variação do Índice de Preços do Consumidor Amplo - IPCA do período entre a data do contrato de opção e a data da efetiva subscrição. Os planos possuem prazo de até cinco anos para elegibilidade ao exercício das opções, sendo até 25% no fim do segundo ano, até 50% no fim do terceiro ano, até 75% no fim do quarto ano e até 100% no fim do quinto ano, havendo ainda um prazo máximo, às 18 horas do dia 31 de agosto de 2014, para o exercício das opções.

10/05/2010 12:01:35

Pág:

63

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

67.203.208/0001-89

Evolução dos planos de opção de compra de ações Resumo da evolução dos planos de opção de compra de ações em 31 de março de 2010: Preço de exercício médio ponderado (R$) 2,51 2,51 5,46 ____ 3,41

Quantidade de opções Opções outorgadas em 24 de agosto de 2009 Opções outorgadas em 26 de agosto de 2009 Opções outorgadas em 20 de novembro de 2009 Opções outorgadas em 31 de março de 2010 194.225 87.783 122.872 ______ 404.880

Impacto na conta de resultados Para fins contábeis, o valor justo das opções foi estimado utilizando-se um modelo de avaliação “Binomial”. A despesa contábil registrada na conta de resultados relativa aos planos de opção de compra de ações foi de R$142 no trimestre findo em 31 de março de 2010. As principais hipóteses utilizadas no cálculo são apresentadas a seguir: Opções outorgadas em 24 de agosto 26 de agosto 20 de novembro de 2009 de 2009 de 2009 Preço da ação na data da outorga Preço de exercício Volatilidade esperada (ao dia útil) Taxa livre de risco (real) Valor justo R$5,65 R$2,53 4,59% 12,20% R$4,48 R$5,53 R$2,53 4,59% 12,00% R$4,36 R$5,60 R$5,48 3,51% 12,54% R$3,12

10/05/2010 12:01:35

Pág:

64

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

67.203.208/0001-89

24. INFORMAÇÕES ADICIONAIS AOS FLUXOS DE CAIXA
Controladora 31.03.10 31.03.09 Transações de investimentos e financiamentos que não envolveram caixa: Aumento de investimentos com adiantamento para futuro aumento de capital efetuado em exercícios anteriores Aumento de investimento com integralização de terrenos Aquisição de terrenos através de permutas financeiras Total Consolidado 31.03.10 31.03.09

34.510 43.916 78.426

14.472 14.472

44.717 44.717

-

10/05/2010 12:01:35

Pág:

65

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

67.203.208/0001-89

25. DEMONSTRAÇÕES DO VALOR ADICIONADO As demonstrações do valor adicionado e da respectiva distribuição pelos agentes que contribuíram para a sua criação referentes aos períodos findos em 31 de março de 2010 e de 2009 são como segue:
Controladora 31.03.10 31.03.09 RECEITAS Vendas de imóveis e serviços Outras receitas Provisão para créditos de liquidação duvidosa Consolidado 31.03.10 31.03.09

57.465 270 57.735

49.600 945 (630) 49.915

273.275 1.019 274.294

112.165 1.596 (630) 113.131

INSUMOS ADQUIRIDOS DE TERCEIROS Custo de imóveis e serviços prestados Materiais, energia, serviços de terceiros e outros

VALOR ADICIONADO BRUTO DEPRECIAÇÃO E AMORTIZAÇÃO VALOR ADICIONADO LÍQUIDO PRODUZIDO PELA COMPANHIA VALOR ADICIONADO RECEBIDO EM TRANSFERÊNCIA Resultado de equivalência patrimonial Receitas financeiras

(41.353) (4.370) (45.723) _______ 12.012 (231) _______ 11.781

(29.700) (5.149) (34.849) _______ 15.066 (330) _______ 14.736

(167.297) (4.225) (171.522) _______ 102.772 (495) _______ 102.277

(63.286) (9.888) (73.174) _______ 39.957 (2.357) _______ 37.600

VALOR ADICIONADO TOTAL A DISTRIBUIR DISTRIBUIÇÃO DO VALOR ADICIONADO Pessoal Remuneração direta Benefícios FGTS Impostos, taxas e contribuições Federais Estaduais Municipais Remuneração de capitais de terceiros Juros Aluguéis Remuneração de capitais próprios Lucros retidos do período

67.192 7.795 74.987 _______ 86.768

7.552 2.989 10.541 _______ 25.277

9.558 9.558 _______ 111.835

5.849 5.849 _______ 43.449

5.313 456 347 2.502 289 11.730 805 65.326

5.042 494 442 4.212 1 68 4.286 740 9.992

9.749 2.136 720 19.242 47 447 13.307 861 65.326

11.463 2.999 1.011 11.790 172 79 5.087 856 9.992

10/05/2010 12:01:35

Pág:

66

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 06.01 - NOTAS EXPLICATIVAS

67.203.208/0001-89

26. SUMÁRIO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONSOLIDADAS DA HM A seguir encontra-se um sumário das demonstrações financeiras consolidadas da HM, relativas ao trimestre findo em 31 de março de 2010. BALANÇO PATRIMONIAL
Ativo Circulante Não circulante Realizável a longo prazo Permanente Total 31.03.10 31.12.09 Passivo 219.467 13.808 7.760 241.035 173.026 Circulante 34.017 Não circulante 7.806 Patrimônio líquido 214.849 Total 31.03.10 31.12.09 44.572 78.114 118.349 241.035 35.185 65.397 114.267 214.849

DEMONSTRAÇÕES DE RESULTADO
31.03.10 Receita operacional líquida Custo das vendas de imóveis e dos serviços prestados Lucro bruto Despesas operacionais, líquidas Lucro operacional Imposto de renda e contribuição social sobre o lucro Lucro líquido 32.600 (23.232) 9.368 (4.274) 5.094 (1.008) 4.086 31.03.09 22.477 (16.041) 6.436 (3.504) 2.932 (592) 2.340

Fundada em 1977 na cidade de Barretos (SP), a HM Engenharia e Construções é uma incorporadora e construtora com forte atividade no segmento de “Baixa Renda” (unidades de R$ 40 mil até R$ 100 mil). Com escritórios em Barretos e Campinas, a empresa conta com aproximadamente 1.000 colaboradores.

10/05/2010 12:01:35

Pág:

67

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A.

67.203.208/0001-89

07.01 - COMENTÁRIO DO DESEMPENHO DA COMPANHIA NO TRIMESTRE

Vide comentário de desempenho consolidado.

10/05/2010 12:01:41

Pág:

68

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A.

67.203.208/0001-89

12.01 - COMENTÁRIO DO DESEMPENHO CONSOLIDADO NO TRIMESTRE

MENSAGEM DA ADMINISTRAÇÃO
O primeiro trimestre de 2010 evidencia a continuidade dos bons resultados decorrentes da reformulação estratégica implementada no final de 2009. Iniciamos o ano com três lançamentos, sendo um no segmento de Baixa Renda (unidades até R$130 mil) e os outros dois no segmento Médio-Alto (unidades com preço médio de R$350 mil a R$500 mil) totalizando R$ 174,9 milhões de Valor Geral de Vendas (VGV). Vale lembrar que no 1T09, a CCDI não realizou lançamentos.

As Vendas Contratadas do 1T10 foram excelentes, superando em 59,7% o resultado obtido no 1T09, com destaque para as vendas do empreendimento In Berrini lançado em fevereiro deste ano. A demanda por unidades imobiliárias no âmbito do programa “Minha Casa, Minha Vida” continuou em expansão, o que resultou na manutenção da alta velocidade de vendas da HM Engenharia e Construções.

Como já anunciado em março de 2010, vendemos o terreno Itautec por R$100.000.000,00 (cem milhões de reais), com pagamento à vista, em parcela única. Esta negociação gerou um impactou positivo de R$49,4 milhões no nosso Lucro Líquido que será explicado ao longo deste release.

No 1T10, registramos Receita Líquida de Vendas de Imóveis de R$263,6 milhões, Lucro Bruto de R$96,3 milhões e Margem Bruta de 36,5%. O Lucro Líquido ficou em R$65,3 milhões, com Margem Líquida de 24,8%.

Encerramos o 1T10 com uma posição de caixa e aplicações financeiras de R$362,7 milhões, perfeitamente compatível com os planos de crescimento da CCDI para 2010. O Endividamento Líquido da Companhia é de R$289,3 milhões, que corresponde a 39,0% do Patrimônio Líquido.

Para os próximos períodos, pretendemos acelerar nossos lançamentos e continuar com o ritmo crescente das vendas, tanto no segmento de Baixa Renda quanto no segmento Tradicional. As atividades de prospecção de terrenos pela CCDI e HM Engenharia estão em expansão, tendo a HM adquirido no início de abril um terreno em Guarulhos com VGV potencial de R$ 240 milhões. Ambas as empresas seguem trabalhando na integração total de processos a fim de buscar ganhos de escala. As atividades de implementação da célula de construção estão em curso, estando o início de obras no novo modelo previsto para o final do terceiro trimestre.

Em abril de 2010 a CCDI/HM teve aprovado seu Limite Global para operações de crédito para habitação junto a CEF. Este é um projeto piloto da CEF que confere às maiores empresas do setor no Brasil uma condição especial para aprovação de empreendimentos habitacionais, sobretudo aqueles enquadrados dentro do PMCMV. Com o Limite Global aprovado, a CCDI/HM terá maior agilidade, simplicidade e, conseqüentemente, redução do ciclo de aprovação de seus empreendimentos pela CEF, antecipando o fluxo de liberação dos recebíveis dos contratos de financiamento de Pessoa Física.
10/05/2010 12:01:44 Pág:

69

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A.

67.203.208/0001-89

12.01 - COMENTÁRIO DO DESEMPENHO CONSOLIDADO NO TRIMESTRE Na ponta do repasse das Pessoas Físicas para o agente financeiro, a CCDI/HM está participando ativamente de outro projeto piloto da CEF que transfere parte do processo de aprovação de crédito e emissão de contratos para seus correspondentes bancários.

Ainda em Abril, a companhia retomou a prática de divulgação do Release Operacional e também anunciou a projeção de lançamentos para o ano de 2010. O total de lançamentos deve situar-se R$1,35 bilhão e R$1,55 bilhão de VGV, sendo que de 45% a 55% será executado pela HM Engenharia, com projetos dentro do programa “Minha Casa, Minha Vida”. Também em abril, a HM Engenharia lançou mais 4 empreendimentos totalizando R$102,0 milhões de VGV.

De acordo com o objetivo de fortalecer o relacionamento com os nossos diversos “stakeholders”, a CCDI realizou, no dia da divulgação do Release Operacional e do “Guidance” de Lançamentos, dois eventos, sendo um com analistas de mercado, que representaram sete instituições financeiras que cobrem regularmente o setor de “Real Estate”, e outro com jornalistas envolvendo dez veículos especializados em mídia financeira.

A Governança Corporativa da CCDI foi reforçada com a instalação do Conselho Fiscal em 14/04, composto por três membros efetivos, sendo um indicado pelos acionistas minoritários.

COMENTÁRIO DE DESEMPENHO OPERACIONAL
No 1T10, a CCDI realizou 3 lançamentos totalizando um VGV de R$174,9 milhões. No 4T09, o volume de lançamentos foi de R$393,7 milhões, distribuídos em 6 empreendimentos. No 1T09, a CCDI não realizou lançamentos. Dos R$174,9 milhões lançados no 1T10, 86,3% foram lançados no segmento Médio-Alto, unidades com preço médio que variam de R$350 mil a R$500 mil, na faixa de uso do FGTS. Os 13,7% restantes, foram lançados pela nossa subsidiária integral, HM Engenharia, na cidade de Pedreira, dentro do Programa Minha Casa, Minha Vida. Todos os lançamentos do 1T10 foram realizados no Estado de São Paulo. Se considerarmos os lançamentos já realizados no 2T10, a CCDI possui VGV total lançado em 2010 de R$276,9 milhões (20,5% da projeção de lançamentos divulgada em 15/04), sendo 45,5% no segmento de Baixa Renda.

10/05/2010 12:01:44

Pág:

70

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A.

67.203.208/0001-89

12.01 - COMENTÁRIO DO DESEMPENHO CONSOLIDADO NO TRIMESTRE As Vendas Contratadas da CCDI atingiram R$192,9 milhões no 1T10, valor 4,3% superior às Vendas Contratadas do 4T09 e 59,7% superior aos R$120,8 milhões registrados no 1T09. O maior volume de vendas, deve-se sobretudo ao sucesso de vendas do empreendimento In Berrini (unidades com preço médio de R$350 a R$500 mil), lançado em 27 de fevereiro. No mesmo dia de seu lançamento, a CCDI comercializou quase a totalidade das unidades. Em 31 de março, o empreendimento contava com 81% das unidades vendidas, já com contratos assinados e registrados.

Analisando-se as Vendas Contratadas do 1T10 por período de lançamentos, verifica-se que 33,1% das Vendas foram originadas de empreendimentos lançados no 1T10 e que os 66,9% restantes foram de unidades que estavam em estoque.

Em termos de segmento de mercado, 60,3% das unidades comercializadas são dos segmentos Médio Alto, Alto e Altíssimo (unidades de preço médio acima de R$350 mil), 20,9% referem-se às vendas do segmento de Baixa Renda (unidades até R$130 mil), 16,1% ao segmento Médio (unidades com preço médio entre R$200 mil a R$350mil) e 2,7% ao segmento econômico (unidade com preço médio de R$130 mil a R$200 mil). A análise por localização, indica que as vendas de unidades no Estado de São Paulo foram responsáveis por 86,6% das vendas contratadas totais. A Velocidade de Vendas da CCDI (VSO) foi de 19,3% no 1T10, 0,8 pontos percentuais superior a VSO de 18,5% apresentada no 4T09 e 7,1 pontos percentuais superiores a VSO do 1T09 (12,2%). A VSO exclusiva da HM Engenharia foi de 37,7% no 1T10 contra 45,4% no 4T09 e 13,% no 1T09. No decorrer do 1T10, a CCDI lançou três empreendimentos que constavam no land bank com valor potencial de vendas de R$149 milhões e adquiriu um terreno com VGV total de R$133 milhões. O terreno adquirido consta no Land bank da HM Engenharia e está localizado na cidade de Cajamar. O terreno possui área total de 50.678,42 m² e está dividido em 4 quadras para construção de 1.132 apartamentos com metragem que variam de 47 a 49 m².

Além das duas movimentações acima mencionadas, a CCDI vendeu o terreno Itautec, o qual constava em nosso Banco de Terrenos com Valor Potencial de Vendas de R$477 milhões. Desta forma, o atual Banco de Terrenos da Companhia passou a ser de R$8,6 bilhões em valor geral de vendas (VGV) para futuro desenvolvimento. Deste montante; R$1,3 bilhão é referente a terrenos exclusivos da HM Engenharia.

Mais informações podem ser obtidas no site da CCDI (www.ccdi.com.br/ri).

10/05/2010 12:01:44

Pág:

71

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A.

67.203.208/0001-89

12.01 - COMENTÁRIO DO DESEMPENHO CONSOLIDADO NO TRIMESTRE

COMENTÁRIO DE DESEMPENHO FINANCEIRO
RECEITA, LUCRO BRUTO E MARGEM BRUTA
No 1T10, a RECEITA LÍQUIDA da CCDI atingiu R$263,6 milhões, valor 57,8% superior aos R$167,0 milhões registrados no 4T09 e 140,4% superior a Receita Líquida do 1T09. Tal aumento, deve-se principalmente ao reconhecimento de R$96,4 milhões em Receita Líquida referente à venda do Terreno Itautec em Março de 2010. Desconsiderando esta venda, a Receita Líquida da CCDI teria sido de R$167,2 milhões; em linha com o 4T09.

Vale ressaltar que, a CCDI reconhece sua receita com base no complemento físico-financeiro de cada um dos seus projetos (conforme instrução 963 do Conselho Federal de Contabilidade) e reporta, desde o 4T08, seus números de acordo com as normas da OCPC-01/08 e da Lei 11.638/07.

O LUCRO BRUTO do 1T10 foi de R$96,3 milhões; 123,9% superior ao Lucro Bruto registrado no 4T09 e 166,4% superior ao registrado no 1T09. O aumento do Lucro Bruto está diretamente relacionado à venda do terreno Itautec mencionada anteriormente. Excluindo-se este efeito, o Lucro Bruto da CCDI no 1T10 teria sido de R$43,9 milhões.

A MARGEM BRUTA do 1T10 foi de 36,5%; 10,8 pontos percentuais acima da Margem Bruta do trimestre anterior e 3,6 pontos percentuais superiores a Margem Bruta do 1T09. Excluindo-se o efeito da Venda do terreno Itautec, a Margem Bruta da CCDI teria sido de 26,2%.

EBITDA
O EBITDA da CCDI no 1T10 foi de R$75,4 milhões e a MARGEM EBITDA foi de 28,6%. Na comparação com o 4T09, o EBITDA do 1T10 teve uma redução de 42,3% devido à venda de nossa participação na SPE Projeto Rio, subsidiária responsável pelo desenvolvimento do empreendimento Ventura Corporate Towers – Fase 2 em Dezembro de 2009.

Na comparação 1T10/1T09, o EBITDA teve um aumento de 377,7% devido principalmente à venda do terreno Itautec em Março de 2010. Desconsiderando este efeito, o EBITDA teria sido de R$23,0 milhões (Margem EBITDA de 13,8%), R$7,2 milhões superior ao EBITDA apresentado no 1T09.

10/05/2010 12:01:44

Pág:

72

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A.

67.203.208/0001-89

12.01 - COMENTÁRIO DO DESEMPENHO CONSOLIDADO NO TRIMESTRE

REPORTADO (R$MM) LUCRO LÍQUIDO DESPESA (RECEITA) FINANCEIRA IMP. RENDA E CONTRIB. SOCIAL DEPRECIAÇÃO/AMORTIZAÇÃO RESULTADO NÃO OPERACIONAL PARTICIPAÇÃO DE MINORITÁRIOS EBITDA MARGEM EBITDA (%)

1T10 65,3 3,7 5,9 0,5 75,4 28,6%

4T09 102,2 6,0 22,1 0,5 130,8 78,3%

1T09 10,0 (0,8) 4,2 2,4 15,8 14,4%

1T10/4T09 -36,1% -37,7% -73,4% -0,4% -----42,3% -49,7pp.

1T10/1T09 553,8% -592,0% 39,7% -79,0% ----377,7% 14,2pp.

O EBITDA não é uma medida de desempenho financeiro segundo as práticas contábeis adotadas no Brasil, tampouco deve ser considerado isoladamente, como alternativa ao resultado do período, medida de desempenho operacional, ou alternativa aos fluxos de caixa operacionais, ou medida de liquidez. O EBITDA não possui significado padronizado, e nossa definição de EBITDA pode não ser comparável àquelas utilizadas por outras empresas. A Administração acredita que o EBITDA fornece uma medida útil de seu desempenho, que é amplamente utilizada por investidores e analistas para avaliar desempenho e comparar empresas. Outras empresas podem calcular o EBITDA de maneira diferente da Companhia.

LUCRO/PREJUÍZO LÍQUIDO
No 1T10 a CCDI apresentou LUCRO LÍQUIDO de R$65,3 milhões contra Lucro de R$102,2 milhões no trimestre imediatamente anterior e R$10,0 milhões no 1T09. O Lucro Líquido do 4T09 sofreu o impacto da Venda de nossa participação na Projeto Rio conforme explicado anteriormente e o Lucro Líquido do 1T10 foi impactado pela venda do terreno Itautec em Março de 2010. Excluindo-se este efeito, o Lucro Líquido do 1T10 teria sido de R$16,0 milhões.

A MARGEM LÍQUIDA do 1T10 foi de 24,8%, contra Margem Líquida de 61,2% no 4T09 e 9,1% no 1T09. Excluindo-se os efeitos da venda do terreno Itautec, a Margem Líquida do 1T10 teria sido 9,5%.

RECEITAS E RESULTADOS A APROPRIAR
Em 31 de Março de 2010, as Receitas de Venda de Imóveis a Apropriar totalizavam R$991,3 milhões. Resultado da venda de imóveis a apropriar ficou em R$265,1 milhões, com Margem sobre a venda de imóveis a apropriar de 26,7%.

FLUXO DE CAIXA
Por mais um trimestre, a Companhia manteve sua dívida líquida equacionada, com capacidade de financiar seus projetos com recursos do Sistema Financeiro de Habitação e possibilidade de captar financiamento de capital de giro.
10/05/2010 12:01:44 Pág:

73

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A.

67.203.208/0001-89

12.01 - COMENTÁRIO DO DESEMPENHO CONSOLIDADO NO TRIMESTRE No 1T10, a CCDI gerou R$4,0 milhões em atividades operacionais devido à venda do terreno Itautec por R$100,0 milhões em Março de 2010. O fluxo de caixa das atividades de investimentos, excluindo-se o efeito do resgate de aplicações financeiras no valor de R$55,7 milhões, foi negativo em R$3,4 milhões devido principalmente ao pagamento de R$2,2 milhões referente ao complemento de preço definido no contrato aquisição da HM Engenharia e Construções. O fluxo de caixa das atividades de financiamento gerou R$43,1 milhões devido à liberação de R$56,4 milhões e a amortização de R$13,5 milhões referentes às parcelas de financiamento à construção (SFH) e R$0,2 milhões de amortização de custos referente à emissão de debêntures.

ENDIVIDAMENTO E POSIÇÃO DE CAIXA
No final do 1T10, a DÍVIDA BRUTA da CCDI era de R$652,0 milhões (sendo R$242,7 milhões referente a financiamento à Construção – SFH) contra R$600,6 milhões no 4T09. O incremento da Dívida Bruta deve-se principalmente a liberação de parcelas de financiamento à construção dos projetos que estão com obra em andamento; e aos juros da emissão de R$400,0 milhões em debêntures em Dezembro de 2009. A CCDI encerrou o primeiro trimestre de 2010 com uma POSIÇÃO DE CAIXA e APLICAÇÕES FINANCEIRAS de R$362,7 milhões, valor R$R$43,7 milhões superior à posição de caixa e aplicações financeiras do final de 2009.

A DÍVIDA LÍQUIDA da CCDI era de R$289,3 milhões ao final do 1T10. A CCDI não possui dívida em moeda estrangeira. Todos os recursos de caixa são aplicados em fundo exclusivo administrado por instituição privada. A carteira é diversificada, com aplicações em ativos de renda fixa e variável de emissão pública e privada.

(R$ MM) POSIÇÃO DE CAIXA E APLICAÇÕES FINANCEIRAS FINANCIAMENTOS DÍVIDA LÍQUIDA CONTAS A RECEBER DOS PROJETOS FINANCIADOS (DÍVIDA) CAIXA LÍQUIDO PROJETADO

1T10 362,7 (652,0) (289,3) 475,9 186,6

4T09 318,9 (600,6) (281,7) 396,3 114,6

1T09 61,5 (159,9) (98,5) 169,3 70,9

1T10/4T09 13,7% 8,5% 2,7% 20,1% 62,8%

1T10/1T09 490,1% 307,6% 193,8% 181,0% 163,3%

AUDITORIA INDEPENDENTE
A Deloitte Touche Tohmatsu Auditores Independentes foi contratada pela Camargo Corrêa Desenvolvimento Imobiliário S.A. para a prestação de serviços de revisão das informações trimestrais referentes ao trimestre findo em 31 de março de 2010 da Companhia. Em atendimento à Instrução CVM nº 381/03, informamos que essa empresa de auditoria externa não prestou, no período, serviços não-relacionados à auditoria externa cujos honorários fossem superiores a 5% do total de honorários recebidos por esse serviço.

10/05/2010 12:01:44

Pág:

74

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A.

67.203.208/0001-89

12.01 - COMENTÁRIO DO DESEMPENHO CONSOLIDADO NO TRIMESTRE

A CCDI
A Camargo Corrêa Desenvolvimento Imobiliário, empresa de incorporação do Grupo Camargo Corrêa, atua da baixa renda até os segmentos mais sofisticados de mercado, desenvolvendo empreendimentos residenciais e comerciais em várias regiões do Brasil. Desde 2008 é controladora da HM Engenharia, empresa com mais de 100 mil unidades incorporadas e construídas em 30 anos de experiência, com foco exclusivo para o segmento de baixa renda. Foi responsável pelo desenvolvimento de projetos de destaque no segmento imobiliário brasileiro, como o Ventura Corporate Towers, edifício de escritórios padrão “AAA” localizado no centro do Rio de Janeiro; a linha de produtos residenciais “Innova”, cujo sucesso comercial ultrapassa as duas mil unidades vendidas no segmento econômico; e o “Arquitetura de Morar – Bairro Jardim Sul”, projeto de reurbanização do bairro de mesmo nome, na zona sul de São Paulo, que compreende mais de uma dezena de empreendimentos residenciais lançados. A CCDI tem banco de terrenos com áreas destinadas a futuros desenvolvimentos, com destaque para o terreno de 5,2 milhões de m² em Caieiras, na Região Metropolitana de São Paulo, em local servido por extensa malha rodo-ferroviária (rodovias Anhanguera, Bandeirantes e Rodoanel e linha “A” da CPTM).

Este relatório contém considerações futuras referentes às perspectivas do negócio, estimativas de resultados operacionais e financeiros, e às perspectivas de crescimento da Camargo Corrêa Desenvolvimento Imobiliário. Estas são apenas projeções e, como tal, baseiam-se exclusivamente nas expectativas da administração da Camargo Corrêa Desenvolvimento Imobiliário em relação ao futuro do negócio e seu contínuo acesso a capital para financiar o plano de negócios da Companhia. Tais considerações futuras dependem, substancialmente, de mudanças nas condições de mercado, regras governamentais, pressões da concorrência, do desempenho do setor e da economia brasileira, entre outros fatores, além dos riscos apresentados nos documentos de divulgação arquivados pela Camargo Corrêa Desenvolvimento Imobiliário e estão, portanto, sujeitas a mudanças sem aviso prévio.
As informações no relatório de desempenho sobre vendas contratadas, VGV (Valor Geral de Vendas), EBITDA, margem EBITDA, receitas e resultado de venda de imóveis a apropriar, venda potencial, velocidade de vendas e metragem de terrenos não foram objeto de revisão especial pelos auditores independentes.

10/05/2010 12:01:44

Pág:

75

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A.

67.203.208/0001-89

20.01 - OUTRAS INFORMAÇÕES QUE A COMPANHIA ENTENDA RELEVANTES ACIONISTAS COM MAIS DE 5% DAS AÇÕES DE CADA ESPÉCIE E CLASSE – ITR
POSIÇÃO ACIONÁRIA DOS DETENTORES DE MAIS DE 5% DAS AÇÕES DE CADA ESPÉCIE E CLASSE DA COMPANHIA, ATÉ O NÍVEL DE PESSOA FÍSICA Posição em 31/03/2010 (Em unidades de Ações) Companhia: Camargo Corrêa Desenvolvimento Imobiliário S/A Empreendimentos e Participações CNPJ 67.203.208/0001-89 Ações Preferenciais Ações Ordinárias Total Acionista Quantidade % Quantidade % Quantidade % Camargo Corrêa S.A. CNPJ 01.098.905/0001-09 Conselho de Administração Diretoria Outros Total 74.698.795 1.071 81.500 38.218.634 113.000.000 66,11 0,00 0,07 33,82 100,00 74.698.795 66,11 0,00 0,07 33,82 100,00

1.071 81.500 - 38.218.634 - 113.000.000

POSIÇÃO ACIONÁRIA DOS DETENTORES DE MAIS DE 5% DAS AÇÕES DE CADA ESPÉCIE E CLASSE DA COMPANHIA, ATÉ O NÍVEL DE PESSOA FÍSICA Posição em 31/03/2010 (Em unidades de Ações) Companhia: Camargo Corrêa S.A. CNPJ 01.098.905/0001-09 Ações Preferenciais Ações Ordinárias Total Acionista Quantidade % Quantidade % Quantidade % Participações Morro Vermelho SA CNPJ 03.987.192/0001-60 Outros Total 48.941 5 48.946 99,99 0,01 100,00 93.099 1 93.100 99,99 0,01 100,00 142.040 6 142.046 99,99 0,01 100,00

10/05/2010 12:01:49

Pág:

76

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A.

67.203.208/0001-89

20.01 - OUTRAS INFORMAÇÕES QUE A COMPANHIA ENTENDA RELEVANTES
POSIÇÃO ACIONÁRIA DOS DETENTORES DE MAIS DE 5% DAS AÇÕES DE CADA ESPÉCIE E CLASSE DA COMPANHIA, ATÉ O NÍVEL DE PESSOA FÍSICA Posição em 31/03/2010 (Em unidades de Ações) Companhia: Participações Morro Vermelho S.A. CNPJ 03.987.192/0001-60 Ações Ações Ordinárias Total Preferenciais Acionista Quantidade % Quantidade % Quantidade %
RCABON Empreendimentos e Participações S.A. CNPJ: 09.594.448/0001-55 RCABPN Empreendimentos e Participações S.A. CNPJ: 09.594.459/0001-35 RCNON Empreendimentos e Participações S.A. CNPJ: 09.594.570/0001-21 RCNPN Empreendimentos e Participações S.A. CNPJ: 09.594.480/0001-30 RCPODON Empreendimentos e Participações S.A. CNPJ: 09.594.541/0001-60 RCPODPN Empreendimentos e Participações S.A. CNPJ: 09.594.468/0001-26 RRRPN Empreendimentos e Participações S.A. CNPJ: 09.608.284/0001-78

749.998 749.998 749.998 6 2.250.000

33,33 33,33 33,33 0,01 100,00

-

-

749.998 11,11 1.498.080 22,19 749.998 11,11 1.498.080 22,19 749.998 11,11 1.498.080 22,19 5.760 0,09

1.498.080 33,29 -

1.498.080 33,29 -

1.498.080 33,29 5.760 0,13

Outros Total

4.500.000 100,00

6 0,01 6.750.000 100,00

POSIÇÃO ACIONÁRIA DOS DETENTORES DE MAIS DE 5% DAS AÇÕES DE CADA ESPÉCIE E CLASSE DA COMPANHIA, ATÉ O NÍVEL DE PESSOA FÍSICA Posição em 31/03/2010 (Em unidades de Ações) Companhia: RCABON Empreendimentos e Participações S.A. CNPJ 09.594.448/0001-55 Ações Preferenciais Ações Ordinárias Total Acionista Quantidade % Quantidade % Quantidade % Rosana Camargo de Arruda Botelho CPF: 535.804.358-68 Outros Total 749.850 749.850 100,00 100,00 150 150 100,00 100,00 749.850 150 750.000 99,98 0,02 100,00

POSIÇÃO ACIONÁRIA DOS DETENTORES DE MAIS DE 5% DAS AÇÕES DE CADA ESPÉCIE E CLASSE DA COMPANHIA, ATÉ O NÍVEL DE PESSOA FÍSICA Posição em 31/03/2010 (Em unidades de Ações) Companhia: RCABPN Empreendimentos e Participações S.A. CNPJ 09.594.459/0001-35 Ações Preferenciais Ações Ordinárias Total Acionista Quantidade % Quantidade % Quantidade % Rosana Camargo de Arruda Botelho CPF: 535.804.358-68 Outros Total 1.499.890 110 1.500.000 99,99 0,01 100,00 1.499.890 110 1.500.000 99,99 0,01 100,00

10/05/2010 12:01:49

Pág:

77

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A.

67.203.208/0001-89

20.01 - OUTRAS INFORMAÇÕES QUE A COMPANHIA ENTENDA RELEVANTES
POSIÇÃO ACIONÁRIA DOS DETENTORES DE MAIS DE 5% DAS AÇÕES DE CADA ESPÉCIE E CLASSE DA COMPANHIA, ATÉ O NÍVEL DE PESSOA FÍSICA Posição em 31/03/2010 (Em unidades de Ações) Companhia: RCNON Empreendimentos e Participações S.A. CNPJ 09.594.570/0001-21 Ações Preferenciais Ações Ordinárias Total Acionista Quantidade % Quantidade % Quantidade % Renata de Camargo Nascimento CPF: 535.804.608-97 Outros Total 749.850 100,00 749.850 100,00 150 150 100,00 100,00 749.850 150 750.000 99,98 0,02 100,00

POSIÇÃO ACIONÁRIA DOS DETENTORES DE MAIS DE 5% DAS AÇÕES DE CADA ESPÉCIE E CLASSE DA COMPANHIA, ATÉ O NÍVEL DE PESSOA FÍSICA Posição em 31/03/2010 (Em unidades de Ações) Companhia: RCNPN Empreendimentos e Participações S.A. CNPJ 09.594.480/0001-30 Ações Preferenciais Ações Ordinárias Total Acionista Quantidade % Quantidade % Quantidade % Renata de Camargo Nascimento CPF: 535.804.608-97 Outros Total 1.499.890 99,99 1.499.890 110 1.500.000 99,99 0,01 100,00

110 0,01 1.500.000 100,00

POSIÇÃO ACIONÁRIA DOS DETENTORES DE MAIS DE 5% DAS AÇÕES DE CADA ESPÉCIE E CLASSE DA COMPANHIA, ATÉ O NÍVEL DE PESSOA FÍSICA Posição em 31/03/2010 (Em unidades de Ações) Companhia: RCPODON Empreendimentos e Participações S.A. CNPJ 09.594.541/0001-60 Ações Preferenciais Ações Ordinárias Total Acionista Quantidade % Quantidade % Quantidade % Regina de Camargo Pires Oliveira Dias CPF: 153.204.398-81 Outros Total 749.850 749.850 100,00 100,00 150 150 100,00 100,00 749.850 150 750.000 99,98 0,02 100,00

POSIÇÃO ACIONÁRIA DOS DETENTORES DE MAIS DE 5% DAS AÇÕES DE CADA ESPÉCIE E CLASSE DA COMPANHIA, ATÉ O NÍVEL DE PESSOA FÍSICA Posição em 31/03/2010 (Em unidades de Ações) Companhia: RCPODPN Empreendimentos e Participações S.A. CNPJ 09.594.468/0001-26 Ações Preferenciais Ações Ordinárias Total Acionista Quantidade % Quantidade % Quantidade % Regina de Camargo Pires Oliveira Dias CPF: 153.204.398-81 Outros Total 1.499.890 99,99 1.499.890 110 1.500.000 99,99 0,01 100,00

110 0,01 1.500.000 100,00

10/05/2010 12:01:49

Pág:

78

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A.

67.203.208/0001-89

20.01 - OUTRAS INFORMAÇÕES QUE A COMPANHIA ENTENDA RELEVANTES
POSIÇÃO ACIONÁRIA DOS DETENTORES DE MAIS DE 5% DAS AÇÕES DE CADA ESPÉCIE E CLASSE DA COMPANHIA, ATÉ O NÍVEL DE PESSOA FÍSICA Posição em 31/03/2010 (Em unidades de Ações) Companhia: RRRPN Empreendimentos e Participações S.A. CNPJ 09.608.284/0001-78 Ações Preferenciais Ações Ordinárias Total Acionista Quantidade % Quantidade % Quantidade % Rosana Camargo de Arruda Botelho CPF: 535.804.358-68 Renata de Camargo Nascimento CPF: 535.804.608-97 Regina de Camargo Pires Oliveira Dias CPF: 153.204.398-81 Total 1.980 1.980 1.980 5.940 33,33 33,33 33,33 100,00 1.980 1.980 1.980 5.940 33,33 33,33 33,33 100,00

10/05/2010 12:01:49

Pág:

79

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A.

67.203.208/0001-89

20.01 - OUTRAS INFORMAÇÕES QUE A COMPANHIA ENTENDA RELEVANTES POSIÇÃO DOS CONTROLADORES, ADMINISTRADORES E AÇÕES EM CIRCULAÇÃO
POSIÇÃO ACIONÁRIA CONSOLIDADA DOS CONTROLADORES E ADMINISTRADORES E AÇÕES EM CIRCULAÇÃO Posição em 31/03/2010 Acionista Controlador Administradores: Conselho de Administração Diretoria Conselho Fiscal(1) Outros Acionistas Total Ações em Circulação (1) Ainda não instalado Quantidade de Ações Ordinárias (Em Unidades) 74.698.795 1.071 81.500 0 38.218.634 113.000.000 38.218.634 Quantidade Total de Ações (Em Unidades) 74.698.795 1.071 81.500 0 38.218.634 113.000.000 38.218.634

% 66,11 0,00 0,07 0,00 33,82 100,00 33,82

% 66,11 0,00 0,07 0,00 33,82 100,00 33,82

POSIÇÃO ACIONÁRIA CONSOLIDADA DOS CONTROLADORES E ADMINISTRADORES E AÇÕES EM CIRCULAÇÃO Posição em 31/03/2009 (12 meses atrás) Acionista Controlador Administradores: Conselho de Administração Diretoria Conselho Fiscal(1) Outros Acionistas Total Ações em Circulação (1) Ainda não instalado Quantidade de Ações Ordinárias (Em Unidades) 74.699.795 1.071 22.418 0 38.276.716 113.000.000 34.376.716 Quantidade Total de Ações (Em Unidades) 74.699.795 1.071 22.418 0 38.276.716 113.000.000 34.376.716

% 66,11 0,00 0,02 0,00 33,87 100,00 30,42

% 66,11 0,00 0,02 0,00 33,87 100,00 30,42

De acordo com o Estatuto Social, capítulo XII artigo 46, a Sociedade, seus acionistas, administradores e os membros do Conselho Fiscal da Sociedade, obrigam-se a resolver, por meio de arbitragem, toda e qualquer disputa ou controvérsia que possa surgir entre eles, relacionada ou oriunda, em especial, da aplicação, validade, eficácia, interpretação, violação e seus efeitos, das disposições contidas neste Estatuto Social, nos acordos de acionistas arquivados na sede da Sociedade, na Lei n.° 6.404/76, nas normas editadas pelo Conselho Monetário Nacional, pelo Banco Central do Brasil e pela CVM, bem como nas demais normas aplicáveis ao funcionamento do mercado de capitais em geral, ou delas decorrentes, além daquelas constantes do Regulamento de Listagem do Novo Mercado, do Contrato de Participação do Novo Mercado e do Regulamento de Arbitragem da Câmara de Arbitragem do Mercado, em conformidade com o Regulamento da Câmara de Arbitragem do Mercado instituída pela BOVESPA.

10/05/2010 12:01:49

Pág:

80

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 21.01 - RELATÓRIO DA REVISÃO ESPECIAL - SEM RESSALVA

67.203.208/0001-89

RELATÓRIO DE REVISÃO DOS AUDITORES INDEPENDENTES Aos Acionistas e Administradores da Camargo Corrêa Desenvolvimento Imobiliário S.A. São Paulo - SP 1. Revisamos as informações contábeis contidas nas Informações Trimestrais - ITR, controladora e consolidado, da Camargo Corrêa Desenvolvimento Imobiliário S.A. (“Companhia”) e controladas, referentes ao trimestre findo em 31 de março de 2010, compreendendo o balanço patrimonial, as demonstrações do resultado, das mutações do patrimônio líquido, dos fluxos de caixa e do valor adicionado, as notas explicativas e o relatório de desempenho, elaborados sob a responsabilidade da Administração. Nossa revisão foi efetuada de acordo com as normas específicas estabelecidas pelo IBRACON - Instituto dos Auditores Independentes do Brasil, em conjunto com o Conselho Federal de Contabilidade - CFC, e consistiu, principalmente, em: (a) indagação e discussão com os administradores responsáveis pelas áreas contábil, financeira e operacional da Companhia e de suas controladas quanto aos principais critérios adotados na elaboração das Informações Trimestrais; e (b) revisão das informações e dos eventos subsequentes que tenham, ou possam vir a ter, efeitos relevantes sobre a posição financeira e as operações da Companhia e de suas controladas. Com base em nossa revisão, não temos conhecimento de nenhuma modificação relevante que deva ser feita nas informações contábeis contidas nas Informações Trimestrais referidas no parágrafo 1 para que estas estejam de acordo com as normas contábeis adotadas no Brasil e com as normas expedidas pela Comissão de Valores Mobiliários - CVM, aplicáveis à elaboração das Informações Trimestrais. A Companhia mantém transações em montantes significativos com partes relacionadas. A nota explicativa nº 14 contém informações sobre essas transações, seus impactos nos resultados das operações e sobre os ativos e passivos correspondentes.

2.

3.

4.

10/05/2010 12:01:52

Pág:

81

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea

Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A. 21.01 - RELATÓRIO DA REVISÃO ESPECIAL - SEM RESSALVA

67.203.208/0001-89

5.

Conforme mencionado na nota explicativa nº 2, durante o ano 2009 foram aprovados pela CVM diversos Pronunciamentos, Interpretações e Orientações Técnicas emitidos pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis - CPC com vigência para 2010, que alteraram as práticas contábeis adotadas no Brasil. Conforme facultado pela Deliberação CVM nº 603/09, a Administração da Companhia optou por apresentar suas Informações Trimestrais utilizando as normas contábeis vigentes no Brasil até 31 de dezembro de 2009. Como requerido pela citada Deliberação, a Companhia divulgou esse fato na nota explicativa nº 2, e a qualificação das principais alterações que poderão ter impacto sobre as suas demonstrações financeiras do encerramento do exercício e os esclarecimentos das razões que impedem a apresentação da estimativa dos seus possíveis efeitos no patrimônio líquido e no resultado.

São Paulo, 28 de abril de 2010

DELOITTE TOUCHE TOHMATSU Auditores Independentes CRC nº 2 SP 011609/O-8

José Roberto P. Carneiro Contador CRC nº 1 SP 109447/O-6

10/05/2010 12:01:52

Pág:

2

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea Legislação Societária Data-Base - 31/03/2010

02048-6 CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A.

67.203.208/0001-89

23.01 - DESCRIÇÃO DAS INFORMAÇÕES ALTERADAS

Reapresentação:

Em 10/05/2010 – Alteração do quadro 20.01 – Outras Informações que a Companhia entenda Relevantes. Correção do nº de ações da Diretoria, Outros Acionistas e Ações em Circulação em 31/03/2010.

Em 10/05/2010 – Correção da data do término de preenchimento

10/05/2010 12:01:54

Pág:

83

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea 01.01 - IDENTIFICAÇÃO
1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL

Data-Base - 31/03/2010

Legislação Societária

3 - CNPJ

02048-6

CAMARGO CORRÊA DESENV. IMOBILIÁRIO S.A.

67.203.208/0001-89

ÍNDICE
GRUPO QUADRO DESCRIÇÃO PÁGINA

01 01 01 01 01 01 01 01 01 01 02 02 03 04 05 05 08 08 09 10 11 11 06 07 12 20 21 23

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 01 02 01 01 01 02 01 02 01 01 01 02 01 01 01 01 01 01

IDENTIFICAÇÃO SEDE DIRETOR DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES (Endereço para Correspondência com a Companhia) REFERÊNCIA DO ITR COMPOSIÇÃO DO CAPITAL SOCIAL CARACTERÍSTICAS DA EMPRESA SOCIEDADES NÃO INCLUÍDAS NAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONSOLIDADAS PROVENTOS EM DINHEIRO CAPITAL SOCIAL SUBSCRITO E ALTERAÇÕES NO EXERCÍCIO SOCIAL EM CURSO DIRETOR DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO BALANÇO PATRIMONIAL PASSIVO DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO 04 - DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA 05 - DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO DE 01/01/2010 a 31/03/2010 05 - DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO DE 01/01/2010 a 31/03/2010 BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO CONSOLIDADO BALANÇO PATRIMONIAL PASSIVO CONSOLIDADO DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO CONSOLIDADO 10.01 - DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA CONSOLIDADO 11 - DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO CONSOLIDADO DE 01/01/2010 a 31/03/2010 11 - DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO CONSOLIDADO DE 01/01/2010 a 31/03/2010 NOTAS EXPLICATIVAS COMENTÁRIO DO DESEMPENHO DA COMPANHIA NO TRIMESTRE COMENTÁRIO DO DESEMPENHO CONSOLIDADO NO TRIMESTRE OUTRAS INFORMAÇÕES QUE A COMPANHIA ENTENDA RELEVANTES RELATÓRIO DA REVISÃO ESPECIAL DESCRIÇÃO DAS INFORMAÇÕES ALTERADAS

1 1 1 1 2 2 2 2 3 3 4 5 7 9 11 12 13 14 16 18 20 21 22 68 69 76 81 83

10/05/2010 12:01:55

Pág:

84

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful