Você está na página 1de 12

CENTRO DE CIÊNCIAS EMPRESARIAIS E SOCIAIS APLICADAS

ENGENHARIA ELÉTRICA

AMAURI XAVIER
LUIZ HENRIQUE KIKUITI TANNO
WAGNER AUGUSTO F. SILVA

AMPLIFICADORES OPERACIONAIS

Londrina
2010
AMAURI XAVIER
LUIZ HENRIQUE KIKUITI TANNO
WAGNER AUGUSTO F. SILVA

AMPLIFICADORES OPERACIONAIS

Trabalho de Eletrônica II apresentado à Universidade


Norte do Paraná – UNOPAR.

Orientador: Prof. Rodrigo Bacco de Oliveira

Londrina
2010
LISTA DE ILUSTRAÇÕES

Figura 1 – Circuito Integrador .5


Figura 2 – Circuito Diferenciador .6
Figura 3 – Efeito de tensão desequilíbrio de entrada. .7
Figura 4 – Gráfico de ganho versus freqüência. .8
SUMÁRIO

LISTA DE ILUSTRAÇÕES...........................................................................................3
sumário.........................................................................................................................4
1 INTRODUÇÃO...........................................................................................................4
2 Circuitos AMP-op práticos..........................................................................................5
3 especIFICAÇÕES DO AMP- OP ...............................................................................7
4 CONCLUSÃO.............................................................................................................9
4

1 INTRODUÇÃO

Um amplificador operacional possui um ganho muito alto com uma


impedância de saída muito baixa, utilizado para se obter variações de tensão, para
construção de osciladores, circuitos de instrumentação e alguns modelos de filtros.
Um amp-op prático pode ser conectado em a uma grande variedade de circuitos
estabelecendo várias possibilidades de operação, algumas delas veremos no
trabalho como integrador e diferenciador, além de algumas especificações.
5

2 CIRCUITOS AMP-OP PRÁTICOS

Devido à grande variedade de aplicações de um amp-op prático ele


estabelece várias possibilidades operacionais, algumas como:
Amplificador Inversor
Amplificador Não-Inversor
Amplificador Somador
Seguidor Unitário
Integrador
Diferenciador
Analisando as aplicações de Integrador e Diferenciador.

2.1 INTEGRADOR

Um circuito integrador possui ao invés de resistores como


componentes de realimentação capacitores. A operação de integração é semelhante
à operação de somar.

Figura 1 – Circuito Integrador.

2.2 DIFERENCIADOR

Um circuito diferenciador, não é utilizado tanto como os outros, mais


possui uma razão resultante para o circuito igual á:
6

Onde o fator de escala é –RC.

Figura 2 – Circuito Diferenciador.


7

3 ESPECIFICAÇÕES DO AMP- OP

Alguns parâmetros usados para definir a operação do componente,


possuem especificações que incluem características dc, de transiente e de
freqüência.

3.1 PARÂMETROS DE DESIQUILIBRIO DC

A saída do amp-op deve ser de 0 V quando a entrada for de 0 V, no


entanto na prática, verifica-se na saída a existência de uma tensão de desequilíbrio.
A tensão de desequilíbrio de saída é determinada pela tensão de desequilíbrio de
entrada, e o ganho do amplificador, dependerá da maneira que a conexão for
estabelecida. A equação demonstra a relação da tensão de desequilíbrio de saída
com a de entrada:

Figura 3 – Efeito de tensão desequilíbrio de entrada.

3.2 PARÂMETROS DE FREQUÊNCIA

Um amplificador é projetado para ser um de alto ganho, com ampla


banda-passante, essa operação pode apresentar instabilidade, devido aos efeitos de
8

realimentação positiva, para assegurar uma operação estável, os amp-ops são


fabricados com circuitos de compensação interna, que podem reduzir o ganho de
malha aberta com o aumento da freqüência.
Devido aos circuitos de compensação interna existentes, o ganho de
tensão cai com o aumento de freqüência, as especificações fornecem uma descrição
do ganho versus freqüência:

Figura 4 – Gráfico de ganho versus freqüência.


A freqüência de corte e a freqüência de ganho estão relacionadas
por:
9

4 CONCLUSÃO

Os amplificadores operacionais possuem várias aplicações e podem ser


utilizados em conjunto aos mais variados circuitos, algumas de suas aplicações
como os circuitos integradores e diferenciadores, possuem suas características um
pouco variadas, e as especificações devem ser observadas, como no caso do
desequilíbrio dc e de freqüência, para uma melhor obtenção de resultado esperado
para determinada aplicação.
10

REFERÊNCIAS

1. Dispositivos eletrônicos e teoria dos circuitos, Boylestad, Robert Louis Nashelsky


Ed 6º.
11

Perguntas:
1- Calcule a tensão de desequilíbrio de saída do circuito:

2- Calcule a frequência de corte sabendo-se que: f1= 2MHz e Avd = 300 V/mV.
3- Cite uma diferença do circuito integrador para os demais circuitos estudados
com amp-ops.
4- Calcule a tensão de desequilíbrio de saída do circuito: