Você está na página 1de 438

FII•••• n Fitlbl: el. Mera••

I

r

col.o po•.•••••• fácil, fácil

FII••••on Félix d. Mora ••

Professor de Linguo Portuguesa

Autor de:

Gram6tica Objetiva Cad.mo de Exercícios Int.rpret~o de Textos Redo~o Objet;vo

Curso Bósico de Gramática

Cuno Prótico de Portuguis Manual Prótico de Análise Sintótica

Manual Prático d. Redo~o Oficiol

Manual

Pr6tico d. Dices d. Portugu&s

Manual Prótico d. Coniuga~o Verbal Guia Prútico de Ortografio Oficial & Acentuo~o Gráfica

Guia Pr6tico d. Fiemo Nominal & Coloca~o Pronominal

Guia Prótico d. Concord6ncia Yerbol & Concord6ncia

Nominal

Guia Prótico d. RegAncio & erase Guia Prótico d. Pontuo9io & Estilística

Novo Acordo OrtogrórlCO da Unguo Portuguesa Comentado

O Sorriso

dos Olhos de Tholita (poemos)

Azul Profundo (contos e cr6nicas) Meias Verdades (contos) Cortos Frotemos (cr6nicas) Outros Lampejos (poesia)

6 8 edl~áo Brcuílla,lnverno de 2013

@ 2005 by Fitemon Félix de Moraes

Edi-;ao de texto Prepara-;ao dos originais Projeto gráfico

Curso Professor Filemon Filemon Félix de Moraes Saulo Maciel (Curso Professor

Fifemon)

Capa

Saulo Maciel (Curso Professor

Filemon)

Diagrama-;ao Revisao Revisao Impressao e acabamento

Saulo Macie! (Curso Professor Thalita Lima de Moraes Rosicleide Gongalves Duque Grafor Gráfica e Editora

Fifemon)

Dados lnternacionais

de Cataloga~ao

na Publica~ao

(CIP)

(Cámara Brasileira

do Livro, SP, Brasil)

Moraes, Filemon Félix de Gramática Objetiva / Filemon Félix Brasilia: Editora Lima e Félix, 2005.

de Moraes.

1. Portugués - Gramática (Ensino

médio)

1.Titulo.

índice para catálogo

sistemático:

1. Gramática: Portugues: Ensino médio

Todos os direitos desta obra sao reservados e protegidos por lei. É proibida a reprodugao de qualquer parte deste livro, sem autorizagao prévia expressa por

escrito do autor, ou da Editora Lima e Félix

Ltda.: SCRN 702/703, bloca A, laja 61,

Asa Norte, Brasília-DF. Fone (61) 3327-1375. Internet: www.professorfilemon.com.br

Impresso no Brasil

Deus quer. o homem sonha, A obra nasce.

(Fernando Pessoa)

Dedicatória

Dedico este livro 80S meus irmaos: 8enedito,

Walfrido (in memorian),

Rita, Sebastiao,

Queíza (in memorian),

Francisca (in memorian) e Gonc;alina.

Apresenta~ao

Esta Gramática a discutir os aspectos

Objetiva. como

o próprio nome indica. é um trabalho que visa

gramaticais de forma direta. clara e. acima de tudo. objetiva.

Destina-se. sobretudo. a candidatos que pretendem ingressar nos órgaos públicos

ou na universidade. por intermédio de concursos e vestibulares. e também

aos que

buscam reciclar seus conhecimentos de portugués. atividade a que nos dedicamos há muito tempo.

A obra abrange todo o programa de Lingua

Portuguesa nos seus aspectos

fundamentais. baseando-se em autores clássicos. modernos e contemporaneos.

sempre tendo como norte o que está consignado na Nomenclatura

Gramatical

Brasileira e nos ensinamentos dos grandes filólogos brasileiros. Nossa inten9ao foi.

no entanto. elaborar uma obra atual. com

uma Iinguagem acessivel a todos. que

procura cobrir a lacuna existente entre as gramáticas disponiveis no mercado _

quase todas de excelente nível. por sinal- matéria em sala de aula.

e a nossa maneira de expor e ensinar a

Nesta nova edi9ao. inserimos exercicios. separados em dois niveis: Exercícios de Apoío. que procuram dar ao estudante a possibilidade de revisar. por intermédio de questoes discursivas. os assuntos recém-estudados; e Questoes de Provas. que permitem ao estudante aprofundar-se nos assuntos de seu interesse. por intermédio de ques16es de provas de concursos públicos e vestibulares. tendo como norte a realidade dos exames aplicados pelas mais renomadas bancas examinadoras do País.

No momento em que um consulente procura um livro para esclarecer qualquer ponto. evidentemente busca encontrar explica90es bastantes para entender o assunto. Em vista disso é que inserimos. concomítantemente com a teoria. vários exemplos. no intuito de dar mais subsidios ao estudante para dirimir quaisquer dúvidas que possa ter acerca do conteúdo.

Com a entrada em vigor. a partir de janeiro de 2009. do Novo Acordo Ortográfico da Lingua Portuguesa. inserimos no livro as mudan9as ocorridas. mormente no que se refere á acentua9iio gráfica e ao emprego do hifen. Entao. nesta edi9iio. o estudante já encontra todas as altera90es contidas no referido Acordo. para poder colocá-Ias em prátíca.

Acreditamos ser as explica90es deste Iivro suficientes para esclarecer as dificuldades porventura encontradas pelo consulente e esperamos sinceramente ter chegado pelo menos próximo daquilo a que nos propusemos. Aguardamos críticas e sugestoes para o posterior aprimoramento desta obra.

o autor.

PARTE 1 - FONOLOGIA

Capítulo 1 - Fonologia

Sumário

15

Fonología, fonema e letra 15; Transcri¡Y3o fonética 16; Classific8¡yao dos fonemas 16; Vogais 16;

Consoantes 16; Semivogais 17; Classifica¡yao

das vogais 17; Classifica¡yao das consoantes 18; Encontro

vocálico 18; Ditongo 18: Tritongo 19; Hiato 19; Encontro consonantal 19; Sílaba. 20; Classificat;áo quanto

80 número de silabas 20; Divisao silábica 20; Regras prátic8S para a divisao silábica 20; Acento tónico

21; Classifica¡yao das palavras quanto á tonicidade 22; Oxítonas 22; Paroxítonas 22; Proparoxítonas

Prosódia 23; Ortoepía 24: Exercícios

de Apoio 25; Questoes de Pravas 28.

22;

Capítulo 2 - Acentuacao

gráfica •

 

•••

•••

••• •

••• •••

•••••

••

••

30

...........

.....

............

....

............

...

............

....

...............

Regras de aeentuafYClo gráfica 30; Acentua980 dos monossilabos 30; Acentua980 dos vocábulos oxítonos

30; Acentua980 dos vocábulos paroxítonos 30; Acentuayao dos vocábulos proparoxítonos 31; Acentua9ao

dos ditongos abertos 31; Acentua980

das letras i e u 31; Acentua980

diferencial 31; Exercícios

de

Apoio 33; Questoes

de Provas 35.

 

Capítulo 3 - Ortografia

••

••

••• •••

•• •••

 

•••••

••

••

•••

 

••.

37

 

...

....................

....

............

...

...........

...

.....

............

 

.....

O alfabeto portugues

37; Nota9óes léxicas

37; Empregos de letras 38; Formas variantes 41; Uso do til

42; Uso do apóstrofo

42; Uso do hifen 43; Hifen com prefixos 43; Uso das íniciais maiúsculas 45; Uso

das iniciais minúsculas 46; Uso facultativo de maiúsculas e minúsculas 46; Abreviayao, abreviaturas e

siglas 47; Exercícios

de Apoio 53; Questoes

de Provas 55.

 

PARTE 2 - SEMÁNTICA

 

Capítulo 4 - ReJacoes

semanticas

 

••• ••

 

•••

••••

••••

• ..

••••

..

•••.• • ....

61

........

....

..............

....

....

....

...........

Rela9óes semanticas 61; Sinónimos 61; Antónimos 61; Parónimos 61; Homónimos 61; Usta de vocábulos

parónimos 62; Usta de vocábulos homónimos 62; Denota980 e conota980 63; Exercícios

 

de Apoio 64;

Questoes de Provas 65.

 

Capitulo 5 - Dificuldades

semanticas e ortográficas

 

•••

• ...

•••• •

 

67

...................

.....................

 

....

Dificuldades semánticas e ortográficas 67; Uso dos porques 67; Onde/aonde 67; Mal/mau 68; Mas/mais

68; Cessao/sess8o/se980/sec980

68; Senao/se nao 68; Em vez de/ao invés de 69; Em principio/ a

principio 69; Afim / a fim de 69; Demais/ de mais 69; Há/ a 70; Acerca de / cerca de 70: Aa encontro de

/ de encontro a 70; Tao pouco/tampouco

70; Exercícios

de Apoio 71; Questoes

de Pravas 73.

 

PARTE 3 -

MORFOLOGIA 1

Capítulo 6 - Estrutura

e forma~ao das palavras ....

.....

••••

......

................

•••••••

....

••••

...............

•.•••

77

Estrutura das palavras 77: Radical 77; Vogal

temática 77; Tema 77; Desinencias 78; Afixos 78; Vogal e

consoante de liga980 78; Radicais e prefixos

78; Sufixos 83; Forma980 das palavras 85; Deriva9ao 85;

Prefixal

85; Sufixal 85; Parassintética 85; Regressiva 85; lmprópria 85; Composi9Bo 86; Por justaposiyao

86; Por aglutina98:0 86; Hibridismo 86; Exercícios

de Apoio 87; Questoes de Pravas 89.

Capítulo 7 - Substantivo

••

.....

•••

....................

••

....

•••

....

•••

....................

•••

.....

•••

...................

•••

....

••

....

••••.

91

Defini980 91; Forma980 dos substantivos 91; Classifica980 dos substantivos 91; Substantivos coletivos

92; Flex80 de género 93; Substantivos biformes 93; Substantivos uniformes 93; Substantivos epicenos

93; Substantivos comuns de dois generos 94; Substantivos sobrecomuns 94; Substantivos que costumam

causar dúvidas quanto ao género 94; Oposiyao de género e de sentido 95; Flex80 de número

95; Plural

de metafonia 95; Plural dos substantivos simples 96; Plural dos diminutivos em ~zinho e -zito 98; Plural

dos substantivos compostos 99; Flexao de grau 101; Aumentativos

sintéticos que merecem destaque

101: Diminutivos sintéticos que merecem destaque 101; Diminutivos eruditos 102; Exercícios

de Apoio

103; Questoes

de Pravas 105.

Capitulo

8 - Artigo ................

•.••

•••

...

•••• •••

...

.............

•••

•••

...

••••• ..........................

••••

..

••••

....

••• .........

• ...

108

Defini980

108; Classifica9ao

dos artigos 108; Emprego dos artigos 108; Exercícios

de Apoio 112;

Capítulo 9 - Adjetivo

..........

••••••

..

••••••

...

•••••

...

..

••

.........................

•••••.•••••••

...

••••

•••

...

• ...

.....................

114

Definic;ao 114; Classificac;:ao dos adjetivos 114; Adjetivos pátrios 114; Outros adjetivos pátrios 115;

Adjetivos pátrios compostos 116; locuryao adjetiva 117; Flexao

Plural dos adjetivos compostos

119; Flexao de grau 120; Grau

de genero 118; Flexao de número 119;

comparativo 120; Grau superlativo

121;

Exercícios

de Apoio 123; Quest6es

 

de Provas 125.

 

Capitulo

10 - Numeral ......

•••

...

•••••

..........................

• ..

•••••••.••

••••

...

•••.••••

...............

127

Definic;ao 127; Cardinais 127; Ordinais 127; Multiplicativos

127; Fracionários

127; Flexao dos

numerais 128; Emprego dos numerais 129; Exercicios

de Apoio 130; Quest6es

de Pravas 132.

 

PARTE 4 - MORFOLOGIA

11

Capítulo 11- Pronome

••

••.•

•••

..

•••.••

....................

•••••••

•••

..

••••••••.•••

..........

135

Definiryao 135; Classifica~o

dos pronomes 135; Pronomes pessoais 135; Emprego dos pronomes

pessoais 136; Pronomes de tratamento 138; Pronomes demonstrativos

139; Pronomes possessivos

141; Emprego dos pronomes possessivos

139; Emprego dos demonstrativos

141; Pronomes indefinidos 142;

Emprego dos pronomes indefinidos 142; Pronomes interrogativos 142; Pronomes relativos 143; Emprego

dos

pronomes relativos 144; Exercícios

de Apoio 146; Quest6es

de Provas 150.

Capitulo

12 - Verbo .•••••

........

••

....

•••••

...

•••

......

•••••

...

••••••

..

..............

.....

••••

..................

••••

...

••.••

..........

153

Definiyao 153; Elementos estruturais 153; Quadro das desinencias modo-temporais

das desinencias número-pessoais

154; Flexóes verbais 155; Modos verbais 155; Forma~o

154; Quadro

do imperativo

155; Formas nominais 155; Tempos verbais 156; Flexao de número 156; Flexao de pessoa 157; Flexao de

voz 157; Paradigmas dos verbos regulares 158; locu9ao verbal 161; Conjugaryao dos verbos auxiliares

161; Forma9ao dos tempos verbais 165; Classificayao

dos verbos 167; Verbos regulares 167; Verbos

irregulares 167; Verbos defectivos 167; Verbos anómalos 168; Verbos abundantes 168; Verbos pronominais

169; Classifíca~o

quanto á fun~o

169; Verbo principal 169; Verbo auxiliar 169; Verbo vicário 170; Formas

rizotónicas 170; Formas arrizotónicas

170; Aspectos do verbo 170; Verbos paradigmas

notáve¡s 171;

Emprego dos tempos e modos verbais 176; Emprego do infinitivo 180; Exercícios de Apoio 182; Questoes

de Pravas 186.

Capítulo

13 - Classes gramaticais

invariáveis .........

•••••

..............

•••••

••• •

.................

..........

189

Advérbio

189; Classificaryao dos advérbios 189; Advérbio interrogativo 189; locu~o

adverbial 190;

Grau do advérbio 190; Palavras denotativas

191; Preposiyao 191; Classifica9ao

das preposic;oes 192;

locu~o

prepositiva 192; Combinarrao. contraryao e fusao 192; Conjunryao 193; Conjun90es coordenativas

193; Conjunrroes subordinativas

194; lnterjeiryao 194; Exercícios de Apoio 196; Questoes de Provas

198.

PARTE 5 - TERMOS DA ORAc;:Ao

Capitulo

14- Frase, ora4;ao e período ......

••

..

•••••

..............

•••••

..............

••••••

...

•.•

...........

••••

...

••

........

Análise sintática 203; Frase 203; Frase nominal 203; Frase verbal 203; Oraryao 204; Periodo

203

204;

Predicaryao verbal 204; Verbos significativos e nao significativos 205; Verbo intransitivo 205; Verbo transitivo

direto 205; Verbo transitivo indireto 205; Verbo transitivo direto e indireto 205; Verbo de liga9ao 205;

Exercicios

de Apoio 206; Questoes de Provas 206.

Capitulo

15- Termos essenciais

da ora4;ao ••••

............

••••••••

..............

••.•

....

••

....................

•••

.......

210

Defini~o

210; Sujeito e predicado 210; Métodos para identificaryao

do sujeito 210; Núcleo do sujeito

211; Morfossintaxe

do sujeito 211; Classificarrao do sujeito 212; Sujeito

agente e paciente 213; Oraryao

sem sujeito 213; Sujeito indeterminado

214; Os pronomes pessoais e a fun~o de sujeito 214; Predicado

215; Tipos de predicado 215; Predicado verbal215;

Predicado nominal 216; Predicado verbo-nominal 216;

Predicativo 216; Tipos de predicativo 217; Exercícios

de Apoio 216; Questoes de Provas 220.

Capítulo

16 - Termos integrantes

da ora4;ao

...............

......

••••

...............

••••

...

••••

...........

••

..

•••

...

••.

Definirrao 223; Objeto direto 223; Objeto direto pleonástico 223; Objeto direto preposicionado

223

223;

Objeto direto interno 225; Objeto indireto 225; Objeto indireto pleonástico 226; Os pronomes oblíquos e a

funryao de objeto 226; Complemento

nominal 226; Diferen9a entre objeto indireto e complemento

nominal

227; Agente da passiva 227; Características do agente da passiva 227; Exercícios de Apoio 226; Questoes

de Provas 232.

Capítulo 17 - Termos acessórios

da

ora-;ao ••

•••••••

................

....................

•••

...

•••

•••••.

234

Definiryao 234; Adjunto adnominal 234; Diferen~

entre adjunto adnominal e complemento nominal

234; Adjunto adverbial 236; Aposto 237; Vocativo 238; Exercícíos

de Apoio 239; Quest6es

de Provas

PARTE 6 - PERioDO

COMPOSTO

Capítulo 18 - Período campasto

por coordena~ao

247

Período compasto 247; Periodo campasto por coordenac;ao 247; Classificayao das oracoes coordenadas

248; Gragees coordenadas assindéticas 248; Oral(Óes coordenadas sindéticas 248; Aditiva 248; Adversativa

248; Alternativa 248; Conclusiva 249; Explicativa 249; Gravao intercalada ou interferente 249; Exercícios

de Apoio 250; Questóes de Pravas 253.

Capítulo 19 - Período campasto por subordinac;ao •

••

••••

••

•••••.•••

•.••••

••••••

••255

Período composto por subordinagao

........

...

.......

255: Orac;:ao principal 255: DragaD subordinada

..

255; Oral):80

desenvolvida 255; Orar;ao justa posta 256; Orar;ao reduzida 256; Classificar;ao das oral):Óes subordinadas

256; Oral):80 substantiva

256; Oral):80 adjetiva 256; Oral):30 adverbial 256; Classificar;ao

das oral):6es

subordinadas substantivas 256; Orar;ao

subjetiva 257; Orar;ao

objetiva direta 257; Orar;ao objetiva indireta

258; Oraryao completiva nominal 258; Ora¡y8o predicativa 258; Orar;ao apositiva 258; Exercícios

de Apoio

259; Questoes de Provas 262.

Capítulo 20 - Orac;ao subordinada

adjetiva ••

...

••

........

•.•••••••

•••

..........

..

••••

..........

•••••.••.•

..........

••.•••••

.........

265

Definil):30 265; Classifical):30 das oral):oes subordinadas

adjetivas 265; Orar;ao restritiva 265; Oral):80

explicativa 265; Funl):oes sintáticas do pronome relativo 266; Exercícios

Provas 271.

de Apoio 267; Questoes

de

Capitulo 21 - Ora(¡ao subordinada

adverbial ...

•••• ••

•••

•••

• ...

•••

••••

••••.••••

•.•.••••.•.

273

...

.......

..

 

...

.........

Defini980 273; ClassificaC;80 das orac;oes subordinadas

adverbiais

273; Oral):80 causal 273; Oral):80

comparativa

273; Orar;ao concessiva 274; OraC;80 condicional

 

274; Orar;ao

conformativa 274; Ora~o

consecutiva 275; Oral):8o final 275; Ora~o proporcional 275; Oral):8o temporal

276; Polissemia conjuntiva

276; Período composto por coordena~o

Questóes de Provas 281.

e subordinar;ao (periodo misto) 278; Exercicíos de Apoio

279;

Capitulo

22 - Ora(¡ao subordinada

reduzida .........

•••

....

••.•

.......

• ..

••••

...

••

...........

•••••.••

............

• ..

•••••• .........

285

Identifica~o

da ora~o reduzida 285; Ora980 reduzida de infinitivo 285; Orar;ao reduzida de participio

285;

Ora~o reduzida de gerundio 285; Análise da ora~o reduzida 286; Exercícios de Apoio 287; Questóes de

Provas 289.

PARTE 7 - SINTAXE

Capitulo 23 - Concordancia

verbal ........

••••

••

••••

••••

 

••

•••• •••

•••

293

 

............

..

...........

 

...

...........

..

............

..

Concordancia

293; Concordancia verbal 293; Regra geral 293; Casos especiais 294; Sujeito cotetivo 294;

Nomes que s6 se empregam no plural 294; Pronomes de trata mento 294; Pronome relativo que 295;

Pronome relativo quem 295; Um dos que/uma das que 295; Mais de/ menos del cerca de/ perto de 295;

Alguns de n6s/ poucos de v6s 295; Dar! bater/ soar 296; Porcentageml fral):80 296; ¡ndice de indeterrnina~o

do sujeito se 296; Particula apassivadora se 297; Haver/ fazer 297; Sujeito oracional 297; Haja vista 298;

Parecer + infinitivo 298; Sujeito composto anteposto 298; Sujeito composto posposto 298; Sujeito

compasto

resumido por pronome indefinido 299; Sujeito composto de pessoas diferentes 299; Sujeito composto com

ou 299; Sujeito composto ligado por com 299; Sujeito composto um e outral nem

outro 300; Verbo ser 300; Exercicios

de Apoio 302; Quest6es de Provas 305.

um nem outral um ou

Capitulo 24 - Concordancia

nominal ...

••

••••

• ...

••••

••• ••••

••••.•

31 O

 

..

..............

..

Definil):ao 310; Regra geral 310; Casos especiais 310; Um único adjetivo referindo-se

a mais de um

substantivo 310; Um único substantivo determinado por mais de um adjetivo 311; As expressoes é bom/é

necessário / é proibido 311; As pafavras adjetivas 312; As palavras menos / pseudo / alerta 312; As palavras

bastante / meio / caro / barato / muito / pouco /Ionge 312; A palavra s6 313; A palavra possível313;

Substantivo empregado como adjetivo 314; Pronomes de tratamento 314; Participios 314; Concordancia

ideológica 315; A expressao tal e qua/315; As expressoes um e outro / nem um nem outro / um ou outro

315; Exercicios

de Apoio 316;

Quest6es de Provas 319.

 

Capitulo 25 - Regencia verbal e nominal •••.•.•

...........

• ..

•••••.•.••••

.......

• ...

••••.•.•••

...............

•••.••••

.................

323

Defini~o

323; Principais dificuJdades na regéncia 323; Regéncia verbal 324; Verbos que apresentam o

uso popular em desacordo com a norma culta 324; Verbos locativos 324; Implicar 324; Namorar 325;

Obedecer/desobedecer 325; Pedir 325; Preferir 326; Responder 326; Simpatizar/antipatizar 327; Aconselhar

327; Custar 328; Ser 328; Verbos que

apresentam mais de urna regéncia 328; Aspirar 328; Assistir 329;

Chamar 329; Esquecerllembrar 330; Informar 331; Pagar/perdoar/agradecer/dever

331; Proceder 332;

Querer 333; Visar 333; Agradar 334; Regencia nominal 334; Observal):oes finais 335; Exercícios

de Apoio

Capítulo 26 - Crase

•••

•.•

 

•.•

 

•••

••• •••

••

•••

•••

••••

•••.

345

 

.....

.....

......

...................................

.....

.....

....

.....

...

...

..

...

Definicao 345: Regra geral346; Casos especiais 346: LocUlyoes adverbiais. prepositivas e conjuntivas

346; Nomes de lugar 347; Numerais 348; Casa e terra 348; Demonstrativos

aqueJe, aqueta. aquito 349;

Pronomes relativos 349; Pronomes de tratamento 350; Crase facultativa 350; Crase com a palavra distancia

351; Crase diante de pronomes 351; Exercícios de Apoio 352; Questoes de Provas 354.

Capítulo 27- Colocac;ao pronominal

..

••••

.....

••

......................

•.•••

..

•••••••

...

•••••

....

••••• .......................

356

Definiry80 356: Próclise 356: Mesóclise 358; ~nclise 358; Apossinclise 359; Colocacao nas locutyOes

verbais 360; Exercícios

de Apoio 361; Questoes de Provas 363.

PARTE 8 - APENDICE

Capitulo

28 - Pontuac;ao .•

.......... ....

•••••

...

••••••

...

•••••

.....................

••••

....

•••••

....

••••

.....

••

....

................

369

Os sinais de pontuacao 369; Uso do ponto 369; Uso do ponto de interrogacao 369: Uso do ponto de

exclamatyao 369; Uso da vírgula 369; A vírgula entre os termos da orary80 370; A vírgula no período composto

372; Uso do ponto e vírgula 373; Uso de dais-pontos 373: Uso de aspas 374; Uso de travessao 374; Uso

das reticencias 374; Uso dos parenteses 375; Exercícios de Apoio 376; Questoes de Pravas 379.

Capitulo 29 - Funt;ao das palavras que, se e como •••

...

••••

...

••••• • .........

....

.....

• ..

••

...

•••••

...

•• ......

382

A palavra que 382; A palavra se 384; A palavra como 386; Exercicios

de Apoio 387; Questoes de

Pravas 390.

Capitulo 30 - Figuras e vicios de Iinguagem

.••••

.....................

•••••

.....

•••

................

••

.....

••

....

••

...

393

Qualidades e defeitos de linguagem 393: Figuras de linguagem 393; Figuras de som 393; Aliteraryao

393; Assonancia 393; Paronomásia 393; Onomatopeia 394; Figuras de construtyao 394; Elipse 394; Zeugma

394; Polissíndeto 394; Assindeto 394; Inversao 394; Silepse 395; Anacoluto 396; Pleonasmo 396; Anáfora

396: Epíteto 396; Figuras de pensamento 396; Antitese 396; Paradoxo 396; lronia 396; Eufemismo 397;

Hipérbole 397; Prosopopeia ou personificaC;80 397; Apóstrofe 397; GradaC;8o 397; Figuras de palavras

397; ComparaC;8o 397; Metáfora 398; Metonimia 398; Sinédoque 398; Catacrese 398; Antonomásia

ou

perifrase 399; Sinestesia 399; Vicios de Iinguagem 399; Barbarismo 399: Solecismo 399; Ambiguidade ou

anfibologia 399; Cacófato 399: Pleonasmo 400: Neologismo 400; Arcaísmo 400; Eco 400; Exercícios

de

Apoío 401; Questoes de Pravas 402.

 

GABARITO DE RES POSTAS ...............

•••

•.•

•••• •••

 

•••

•••

••••

407

 

.....

................

......

 

...

................

...

..........

BIBLlOGRAFIA

...

••

....

•••••

....

•••

.....................

•••

.....

.................

••

.....

•••

................

••

••••

....

•••

..............

447

parte

1

ca

--

"QG O

 

O

e,

:.

capítulo 1

FONOLOGIA

FONOLOGIA

Fonologia é a parte da gramática que estuda os sons da Iíngua, ou seja, os fonemas.

Fonema é o elemento sonoro mais simples da palavra. O fonema propriedade de estabelecer distin~o entre palavras de uma Iíngua.

tem a

Letra ou grafema é a representay80 escrita do fonema.

Observe a sequéncia de exemplos:

casa

cama

pa~o

passo

fieo

'ixo

carro

caro

mola

moya

Pelos exemplos acima, verificamos que numa palavra:

  • a) o número de letras pode ser igual ao de fonemas, como em casa (kaza) e cama [kamaj, em que ocorrem 4 letras e 4 fonemas;

  • b) o número de letras pode ser maior que o de fonemas, como em passo [pasu) e carro [karo), em que ocorrem 5 letras e 4 fonemas;

  • c) o número de letras pode ser menor que o de fonemas, como em fixo [fiksuj, em que ocorrem 4 letras e 5 fonemas, pois a letra x representa dois fonemas [ks);

  • d) uma mesma letra pode representar fonemas distintos, como em mola (ó) e moya (o);

  • e) o fonema pode ser representado por uma única letra, como em casa/cama e mola/moya.

  • f) o mesmo fonema pode ser representado por letras distintas, como em pac;o e passo.

Filemon Félix de Moraes

15

Transcric;;ao fonetica

-
-
 

101

Dote

IDotel

Ibl

bota

Ibotal

IU

tela

Itelal

Idl

dedo

Idedol

IkJ

casa

Ikasal

l/l

al

101

gato

loatol

Ifl

fono

Ifonol

     

-

Ivl

vaca

Ivakal

r::

 

sela

Iselal

C1l

151

     

O

IzJ

mesa

Imezal

l/l

/JI

ficha

Ifi I al

r::

hale

103 el

O

le. 1

     

U

Iml

mola

Imolal

Inl

nota

Inotal

Inl

ninha

Ininol

1I1

luta

Ilutal

IAI

milho

ImiAol

Irl

ora

loral

 

IRI

roca, carro

lrosal, Ikarol

semi~

Iyl

boj

Iboyl

yogais

Iwl

mau

Imawl

lal

ola

lolal

1E 1

teto

ItEtol

lel

medo

Imedol

l/l

lil

vida

/vidal

C1l

101

Dola

Ibolal

Cl

lul

muia

Imu al

O

lal

manta

Imatal

>

lel

pente

loetel

 

ITI

tinta

ltital

 

lül

fundo

lrudol

Classificac;;ao dos fonemas

Vogais

Sao fonemas pronunciados sem obstáculo á passagem de ar e constituem a base da sílaba. Cada sílaba da palavra apresenta so mente uma vogal e nao existe, em portugués, silaba sem vogai.

ca-s a

sa-pa-to

te-m;-do

bo-ne-ca

de-do

Consoantes

Sao fonemas pronunciados mediante algum obstáculo á passagem de ar; sem as vogais, as consoantes sao ruidos.

ca-sa

16

sa-pa-to

te-mi-do

bo-ne-ca

de-do

Gramática Objetiva

Semivogais

Sao os fonemas i [y] e u [w), que nao constituem base de silaba. Por exemplo, na palavra bo;, há urna consoante b + vogal + semivogal - a palavra tem uma silaba;

sendo o o vogal, consequentemente semivogal.

Observa~Ao

o fonema i [y]

pode ser analisado como

As semivogais i e u recebem, respectivamente, os names de iode e vau. O iode pode

ser representado pelas

ser

representado pelas

letras i, e, m, n

letras

u, 0, 1, m

(Iei, mae, amém, hifen), 80 passo que o vau pode

(mau, pao, sinal, ama m).

Classifica~¡¡o das vogais

Segundo a Nomenclatura

Gramatical

Brasileira (NGB), as vogais devem ser

classificadas de acordo com os seguintes critérios:

  • 1. Quanto á zona de articula~¡¡o

    • a) anteriores - a ponta da lingua dirige-se gradualmente em dire9ao ao palato duro (a parte anterior do céu da boca): pelo, menino, vivo;

    • b) médias - a lingua permanece baixa, quase em repouso: cama, mala, saco;

    • c) posteriores - a parte posterior da lingua dirige-se gradualmente em direyao ao palato mole (a parte mola.

posterior

do céu da boca); boca, bule,

  • 2. Quanto ao timbre

    • a) abertas - pronunciadas com a cavidade pólen;

bucal mais aberta: cara, laja,

  • b) fechadas - pronunciadas com a cavidad e bucal mais fechada: menino, cinema, bonito, puxado;

  • c) reduzidas - pronunciadas com pouca sonoridade. É um meio termo entre as abertas e as fechadas; medo, pendente, asa.

  • 3. Quanto ao papel das cavidades bucal e nasal

    • a) orais - a corrente de ar passa apenas peJa cavidade bucal: marido, tela, luxo, bica, mudo, mola;

    • b) nasais - a corrente

de ar, encontrando o véu palatino abaixado,

ressoa

também na cavidad e nasal: irma, atento, presunto, infante, órfa.

  • 4. Quanto á intensidade

    • a) tónicas - sao aquelas proferidas com mais intensidade; bolo, pote, vida;

    • b) átonas - sao aqueJas proferidas com menor intensidade: bolo, pote, vida.

Filemon Félix de Maraes

17

Classificae<ao das consoantes

A Nomenclatura Gramalical Brasileira elassifiea as eonsoanles da seguinle forma:

  • 1. Quanto ao modo de articulae<ao

    • a) oclusivas

    • b) eonslrilivas

1. friealivas

11. lalerais

111. vibranles

  • 2. Quanto ao ponto de articulae<ao

3.

  • a) bilabiais

  • b) labiodenlais

  • e) linguodenlais

  • d) alveolares

  • e) palalais

  • f) velares

Quanto ao papel das cordas vocais

  • a) surdas

 
  • b) sonoras

  • 4. Quanto

ao papel

das

cavidades bucal e nasal

  • a) orais

 
  • b) nasais

Veja, a seguir, o quadro de c1assificacyao das consoantes da Iíngua portuguesa.

Classificae<ao das consoantes A Nomenclatura Gramalical Brasileira elassifiea as eonsoanles da seguinle forma: 1. Quanto ao

cavidades bucal e nasal

orals

nasalS

modo de

artícula¡yao

constrilivas

oclusivas

oordas vocais

i labiodentais

bilabiais

surdas

101

sonoras

Ibl

surdas

ffI

seno

sonoras

Ivl

sonoras

sonoras

Iml

fricativas

laterais

vibrantes

¡ liauodentais

alveolares

palatais

N

Idl

IsI

Ip

IzJ

131

ni

IAI

'"

Inl

mi

~

velares

I

I

I

ENCONTROS VOCÁLICOS

Ditongo

 

Dilongo é Oeneonlro de dois sons vocálicos na mesma silaba. Subdivide-se em:

a) decrescente:

enconlro de vogal com semivogal; o dilongo decreseenle pode

ser:

 

oral: lei, mal, mau, véu;

• nasal: amam, amem, nao, também.

18

Gramática Objetiva

b) crescente: encontro de semivogal com vogal; O ditongo crescente pode ser:

oral: água, sábio, série;

• nasal: frequente, pingulm, quando.

Observae<ao

Em vocábulos como séria, cárie, sábio, água, tenue, árduo, área, aéreo e mágoa, os

encontros vocálicos átonos finals, podem, segundo a Nomenclatura Gramatical Brasileira,

ser interpretados como ditongos crescentes ou hiatos. Dessa forma, essas palavras

admltem duas possibilidades de dlvisao silábica:

sá-bio ou sá-bi-o; sé-ría ou sé-n-a; ár-duo ou ár-du-Q, etc.

É praferlvel, entretanto, a primelra análise porque descrave melhor a nossa pronúncia

natural.

Tritongo

Tritongo é o encontro de trés sons vocálicos na mesma sílaba: semivogal + vogal + semivogal. Os tritongos podem ser:

  • a) orais: iguais, averiguei, Uruguai, desaguou; nasais: quao, deságuam, saguao, enxáguem.

b}

Hiato

Hiato é o encontro de duas vogais pronunciadas destacadamente:

cair (ca-Ir), creem (cre-em), Saara (Sa-a-ra), saida (sa-í-da), voo (va-o)

ENCONTRO CONSONANTAL

Encontro consonanta' é o encontro de consoantes na palavra, que representam

sons distintos. Os encontros consonanta;s imperfeitos (separáveis).

podem ser perfeítos (inseparáveis)

ou

  • a) perfeitos (inseparáveis) - quando as consoantes pertencem á mesma sílaba: bra.yo. pri-mo, tlo-res, psi-co-lo-gi-a, blu.sa;

  • b) imperfeitos

(separáveís) - quando as consoantes

pertencem a sílabas

diferentes: carota, ar-far, ad-ven-to, af-ta, ab-so-iu-to.

DíGRAFO

Digrafo ou digrama é a ocorréncia de duas letras que representam um único fonema. Os dígrafos podem ser:

a}

consonantais: quera, seguinte, quilo, chave, pilha, manha, exeeto, naseer, creslYo, aterro, pássaro;

  • b) vocálicos:

campo, pente, lempo, Iimpo, tinta, canto, ponte, bomba, bumbo,

mundo, santa.

Filemon Félix de Moraes

19

Observa~Ao

  • 1. Em palavras como quemo quilo e guerra, o u nao é pronunciado, nao podendo,

portanto. ser interpretado como semivogal ou vogaL

  • 2. Dá-se o nome de dífono a ocorrencia de urna só letra representando dois fonemas:

táxi (táksi), fixo (fiksu), etc.

SÍLABA

Silaba é o fonema ou conjunto de fonemas emitidos em um s6 impulso de voz. Toda silaba tem por base uma vogal (nao existe silaba sem vogal):

ca-sa, te-Ie-fo-ne. cum-pri-men-to. te-nen-te. des-con-cen-tra-.yao

Classificac;:ao quanto ao número de sílabas

Quanto ao número de silabas, as palavras podem ser:

  • a) - as que tem uma s6 silaba: p6, luz, véu, sol, mais, bem, tu:

monossílabas

  • b) - as que tem duas silabas: café, peixe, capa, bonde, minha, tarde,

dissílabas

moer;

  • e) trissílabas - as que tem tres silabas: médico, lampada, carnaval, medida, tinteiro, estranho;

  • d) - as que tem mais de tres sílabas: casamento, empacotador,

polissilabas

paralelepípedo, antigamente.

DIVISAD SILÁBICA

A divisao silábica é feita pela soletrayao, isto é, pronunciando as palavras por silabas. Na escrita, separam-se as silabas com o hifen:

a-fhei-o, di-nhei-ro, ar-gui-~ao. te-sou-ro, con-te-ú-do, ad-mi-tir, mai-se-na

Regras práticas para a divisao sílábica:

  • a) a consoante inicial nao seguida de vogal junta-se á silaba seguinte:

pneu, pneu-má-ti-co, czar, cza-ri-na

  • b) a eonsoante medial nao seguida de vogal junta-se á silaba anterior: tungs-te-nio, ad-ver-tir, as-pec-to, nt-mo, ist-mo, felds-pa-to

  • e) nao se separam elementos dos digrafos eh, Ih, nh, qu e gu: cha-ve, mi-fho, ni-nho, que-n-da, guei-xa

  • d) separam-se as letras

dos digrafos rr, ss, se, s~, xc e xs:

car-ro. pas-so, nas-cer, nas-~o.ex-ce-to, ex-su-dar, car-ros-sel

20

Gramática Objetiva

  • e) duas letras iguais sao sempre separadas na divisao silábica:

ca-a-tin-ga, xi-;-ta. oc-ci-pi-tal, VD-O, ere-em, zo-o-/ó-gi-co

  • f) a vogal atrai para sua silaba a consoante final do prefixo anterior:

de-sa-ten-to, tran-sa-tlan-ti-co, su-pe-ra-mi-go, in-te-rur-ba-no, su-bi-fem

  • g) nao se separam, na divisao silábica, as vogais de ditongos e tritongos:

pai-xao, i-guais, S8-gUaO, dei-xar

  • h) separam-se as vogais dos hiatos: sa-í-da, ba-Ia-ús-tre, sa-ú-de, fa-ís-ca

  • i) separa-se o ditongo do hiato, quando aparecem juntos:

mei-a, ¡-dei-a, as-sem-blei-a,

S8-jU

ACENTO TÓNICO

Num vocábulo de duas ou mais silabas, há, em geral, uma que se destaca por

ser proferida com mais intensidad

e que as outras: é a sílaba tónica. Nela é que está o

acento tónico da palavra. Nos exemplos seguintes, as silabas tónicas estao em destaque:

caFÉ - jaNEla - comparat;;ÁO - dificilMENte - LÁMpada -PindamonhanGAba

Observe que nem sempre

a silaba tónica recebe acento gráfico.

Certas palavras derivadas, além da silaba tónica, possuem uma silaba subtónica,

que na palavra primitiva era tónica. Nos exemplos seguintes, as silabas subtónicas estao em destaque:

caFEzinho - SOmente - RApidamente - aVOzinha - diFlcilmente

As silabas que nao sao tónicas nem subtónicas chamam-se átonas (pronunciadas de forma fraca). Podem ser pretónicas (quando vem antes da silaba tónica) ou postónicas (quando vem depois da silaba tónica). Nos exemplos seguintes, as silabas átonas estao em destaque:

MONtaNHA - CAfeziNHO - JAneLA - COMPARA9ao - somenTE

Analisando as silabas de uma palavra, temas, por exemplo, em:

dificilmente

silaba tónica: roen;

silaba subl6nica: fi; sílabas átonas: di, cíl e te;

sílabas pretónicas: di e eH;

sílaba postónica: te.

Filemon Félix de Maraes

cafezinho

sílaba tónica: zi; sílaba sublónica: fe;

sílabas átonas: ca e nho; silaba pret6nica: ca:

silaba post6nica: nho.

21

Classifica\fao

das palavras quanto a tonicidade

Quanto a tonicidade, as palavras podem ser:

Oxítonas

Palavras

oxitonas sao aquelas cuja sílaba tónica é a última:

café, sofá, campar, partir, carnaval, Jacarepaguá

Paroxítonas

Palavras paroxítonas sao aquelas cuja silaba tónica é a penúltima:

casa, livro, reitoria, psicología, medonho, táxi

Proparoxítonas

Palavras proparoxitonas sao aquelas cuja silaba tónica é a antepenúltima:

cómodo, lépido, úmido, ónibus, paralelepipedo, tetraplégico

Observac;io

lndependentemente da quantidade de sílabas que urna palavra contenha. o acento tonico s6 pode acorrer em urna das tres últimas sílabas:

dificilmente, paraletepípedo, Anhangabaú, independentemente, etc.

Em palavras como seniores, juniores (plurais de senior e júnior), a silaba tónica é a penúltima (sao paroxítonas, por conseguinte); em palavras como Lucíferes, Jupíteres

(plurais de Lúcifer e Júpiter), a silaba tónica é a antepenúltima (sao proparoxitonas, por

conseguinte). Em hipó tese alguma se admitem as formas seniores, júniores, Lúciferes, Júpiteres, pais estaríamos colocando acento tónico na pré-antepenúltima silaba, algo

impossivel em portugués.

Quanto a tonicídade, os monossílabos ciassificam-se em ato nos e tónicos:

a) tónicos - quando pronunciados fortemente; em geral os monossílabos tónicos sao verbos, substantivos, adjetivos, advérbios e pronomes retos ou oblíquos tónicos:

vi, li, por, ser, má, mim, ti, tu, eu, lá, cá, nó,

b) átonos - quando pronunciados fracamente; em geral os monossilabos atonos sao artigos, conjungóes, preposigóes e pronomes demonstrativos ou obliquos átonos:

o, a, e, OU, me, te, de, sem, sob, os, as

22

Gramática Objetiva

PROSÓDIA

Prosódia é a parte da fonética que trata da correta acentua~o tónica das palavras. Ao deslocamento do acento tónico, dá-se o nome de silabada. Por exemplo, quando alguém diz "rúbrica" em vez de "rubrica", está cometendo uma silabada. Para identificar a silaba tónica, eis alguns vocábulos de difícil pronúncia:

Nabel

recém

ruim

cateter

hangar

ureter

sao palavras oxítonas

novel

refém

sutil

obus

mister

condor

sao palavras paroxítonas

ambrosía

austero

barbaria

boémia

cíclope

efebo

filantrapo

gluten

inaudito

libido

maquinaria

meteorito

ploglote

quiromancia

refrega

tulí a

autópsia

aziaga

batavo

caracteres

decano

exegese

gratuito

ibero

látex

misantropo

Madagáscar

necropsia

pudico

recorde

rubrica

textil

Filemon Félix de Moraes

sao palavras proparoxítonas

aerolito

antídoto

amálgama

anódino

ariele

azáfama

chávena

elétrodo

ímprobo

ínterim

leuc6cito

omega

protótipo

reverbero

transfuga

zéfiro

aeróstato

ágape

anátema

arquétipo

autóctone

bátega

égide

etiope

ínclito

levedo

noctívago

périplo

quadrúmano

sátrapa

vermífugo

zenite

23

A seguir há uma lista de palavras que apresentam dupla pronúncia.

palavras que apresentam dupla prosódla (dupla pronúncia)

ORTOEPIA

acrobata

áfono

anidrido

hieroglifo

homilia

Oceanía

ortoepía

polipo

projetil

reptil

sáfan

sóror

xérox

zan ao

acróbata

afano

anídrido

hier6glifo

homilía

Oceanía

ortoepía

pólipo

projétil

reptil

safári

soror

xerox

zan 30

Ortoepia ou ortoépia é a parte da Fonologia que cuida da correta produ9ao oral das palavras. Quando pronunciamos róbo em vez de roubo, estamos incorrendo em erro de ortoepia. Também constitui erro de ortoepia a pronúncia de consoante muda de

maneira forte:

palavras

pSlcologla

poeu

advogado

opto (verbo optar)

desi no

pronúnciaerrada

plslcologla

pineu ou peneu

adivogado ou adevogado

6píto ou apito

desiguino

pronúnciacarreta

p slcologla

p'neu

ad'vagado

op'to

desíg'no

A seguir listaremos palavras que costumam gerar dúvidas na pronúncia. Procure le-las em voz alta para que voce se familiarize com a pronúncia correta de acordo com

o padrao culto da Iíngua portuguesa.

aforismo

aterrissagem

adivinhar

babadouro

bebedouro

bandeja

barganha

beneficencia

beneficente

cabe9alho

cabeleireiro

caranguejo

cataclismo

digladiar

disenteria

empecitho

engajamento

estourar

fratricidio

frustra¡;:ao

frustrar

infligir

lagarto

lagartixa

manteigueira

mendigar

mendigo

meritíssimo

meteorologia

mortadela

perturbar

prazeroso

prazerosamente

privilégio

propriedade

próprio

problema

prostrat:;:ao

prostrar

queijo

reivindicar

roubar (roubo, roubas, etc.)

salsicha

tireoide

umbigo

24

Gramática Objetiva

EXERCfclOS DE APOIO

o Das palavras a seguir. destaque as oxítonas:

laranjal, sabao, repor, digno. ritmo, lavoura, cachorro, pastel, saci, pontapé

e Classifique os vocábulos, assinalando: A - para os oxítonos; B - para os paroxítonos; e _ para os proparoxítonos:

japonés

lampada

lápis

cadeira

urubu

caderno

tesoura

meJancia

química

insólito

e Da rela980 abaixo, transcreva apenas:

  • a) os vocábulos que apresentam ditongo: calmaría, maisena, demencia, trégua, pai, leita, mamae, disp6e, raízes, saúva, tesoura, ¡rmao, psicologia, instancia, ignorancia, pente, balaústre

  • b) os vocábulos que apresentam hiato: Saara, sábio, raiz, meJancia, céu, chapéu, herói. heroico, meu, saida, paj, assembleia, paraíso, rainha, saudade, boí, dia

saúva, retribuimos,

  • e) os vocábulos que apresentam tritongo: Paraguai, Uruguai, saguao, maio, meja, aguavam, enxaguou, veia, joia

  • d) os vocábulos que apresentam ditongo crescente: pai, chapéu, herói, padaria, lirio, diário, régua, boi, coisa, lousa, vaidoso

  • e) os vocábulos que apresentam ditongo decrescente: véu, anéis, vou, sábio, loira, espécie, raízes, juízes, sumário, inglório, rei

  • f) os vocábulos que apresentam digrafo: chapéu, ninhada, carroca, quilo, guerra, esquilo, sagui, marco, brasa

o Divida as sílabas das patavras seguintes:

separa9ao

silaba

fáceis

gávea

lirio

chapéu

heroico

lingui9a

quente

quilo

cheiroso

brasiteiro

mensageiro

saimos

raizes

cooperar

Fileman Félix de Maraes

25

 

caatinga

excey80

exceto

carro

carroi;a

canhoto

Uruguai

assassino

assado

mestre

apto

digno

grisalho

ritmo

cápsula

elipse

silepse

psicologia

perspectiva

álcool

maia

malo

assembleia

apoio

epidemia

barro

e Separe as sílabas das palavras abaixo:

 

creem

absolutismo

tungsténio

adjunto

adverbial

egipcio

abscissa

obsessao

obcecado

quiromancia

G

Classifique as e e - para as

palavras abaixo, assinalando: A - para as oxítonas, B - para as paroxítonas proparoxítonas:

novel

recém

(

refém

sutil

(

ureter

avaro

(

decano

efebo

(

erudito

aerólito

(

anátema

ariete

(

levedo

ibero

(

textil

pegada

(

omega

interim

(

rubrica

tulipa

(

o Qual das palavras abaixo apresenta mais fonemas que letras?

carro, assim, gaúcho, fixo, lixo

o Da relar;ao abaixo, destaque

apenas as palavras que contenham

ditongos crescentes:

várias, cárie, OUyO, véu, leu, herói, caí, vai, roupa, grau, tábu8, tenue, árduo

O Na palavra cal~ado existe:

  • a) ditongo

  • e) e) tritongo

hiato

  • b) encontro consonantal

  • d) digrafo

G) Quantos fonemas há na palavra impressionante?

a) 13

26

b) 12

e) 11

d) 10

e) 14

Gramática Objetiva

G Ouantos fonemas há na palavra passarinho?

a) 11

b) 10

e) 9

d) 8

e) 7

CE)Que palavra tem o masmo número de fonemas de choque?

táxi

  • a) lixo

  • e) e) ilha

  • b) caixa

  • d) sapato

mQual palavra tem o masmo número de fonemas de camba da?

  • a) filha

  • b) falange

  • e) agulha

  • d) lucro

  • e) revista

e Qual palavra tem o mesma número de fonemas de látex?

  • a) milho

  • b) laranja

  • e) baixo

  • d) quilo

  • e) fósforo

_

Qual palavra tem o masmo

número de fonemas de guerra?

  • a) máximo

  • b) bicho

  • e) cabelo

  • d) sensato

  • e) papel

e Ouantos fonemas há em cachorrinha?

a) 11

b) 10

e) 9

d) 8

e) 12

_ Quais das palavras apresentam mais letras que fonemas?

tóxico, apto, quilo, música, vaso, prolixo, táxi, capataz, pássaro, carro

Filemon Félix de Moraes

27

QUESTOES DE PROVAS

O(PUC-SP)

Nas palavras enquanto, queim.r, folh.s, hábil e grossa, constatamos a seguinte

sequencia de tetras e fonemas:

 

a)

8-7,7-6,6-5,5-4,6-5

b)

7-6, 6-5, 5-5, 5-5, 5-5

 

e)

8-5,7-5,6-4,5-4,5-4

d)

8-6,7-6,6-5,5-4,6-5

e)

8-5, 7-6, 6-5, 5-5, 5-5

 

o (C. NAVAL) Assinale a palavra que, segundo a Nomenclatura Gramatical Brasileira, admite dupla divisao silabica:

a)

b)

hipnótica

e)

chapé u

d)

ninguém

e)

video

e(TCU-UNB) Assinale a op""o em que o fonema Isl acorre em todas as palavras:

 

a)

exatoria I reconhecido I diversificado

b)

máximo 1 explícita 1 precursor

e)

acionar I sucesso I invisível

d)

manuseávell conceder I auxilio

e)

essenciall éxito 1 patricio

e (PUC-SP) Assinale a alternativa que apresenta tritongo, dígrafo:

hiato, ditongo crescente

e

a)

quais, saúde, perdoe, álcool

b)

cruéis, mauzinho, quais, psique

e)

quao, mais, mandiú, quieto

d)

aguei, caos, magoa, ch.to

e)

n.d.a.

G(CESPE-MPU)

Sabe-se que a letra x pode representar diferentes sonso Assinale a OP9ao

em que as palavras com X, na ordem em que apresentam na frase. tem os masmos sons

de "extraordinário" e ucomplexa", respectivamente.

 

a)

Há excessivas preocupa9óes no exercício profissional.

b)

Existem atividades que afetam a vida sexual dos trabalhadores.

e)

A experiencia mostra ser necessário flexibilizar as jornadas de trabal ha.

d)

É de máxima importáncia que as rela¡;:o8s de trabal ha fiquem bem expressas.

e)

Nao relaxando no trabalho, o f1uxodas informa90es é mais agil.

O(ACAFE-SC)

Assinale a alternativa em que há erro na parti""o de silabas:

a)

en-trar, es-con-der, bis-a-vo, bis-ne-to

 

b)

i-da-de, co-o-pe-rar, es-to-ma-go, ré-gua

c)

des-cen-der, car-ra-da, pos-so, a-tra-vés

d)

des-to-ar, tran-sa-ma-zo-ni-co, ra-pé, on-tem

e)

pre-des-ti-nar, ex-tra, e-xer-ci-cio, dan-9ar

28

Gramática Objetiva

o (lTA-SP) Para a presente questao, observar que:

a acentu8r;80 gráfica foi eliminada;

as sílabas tónicas propostas sao representadas

por letras maiúsculas.

Ex,: caTAStrofe (a silaba t6nica pro posta é TAS)

Aa escular, entao,

ruBRica, aVAro, proTotipo, gratuito, verifica-se que:

a)

apenas urna palavra foi pronunciada corretamenle

b)

apenas duas foram pronunciadas corretamente

e)

tres foram pronunciadas corretamente

d)

todas foram pronunciadas corretamenle

e)

nenhuma foi pronunciada corretamente

O(CESPE-MPU)

Sabe-se que o h é uma letra diferente

das demais, pois nao corresponde a

um fonema. Em cartos casos,

porém, associada a urna consoante, conslitui urn digrafo.

Assinale a opc;ao em que todas as palavras apresentam dígrafos com a letra h.

a)

trabalhava/chegada/horário

b)

horas/havia/chuva

c)

manha/melhoravam/homenagem

d)

trabalho/chapeleiralbanho

e)

homens/ganhavalhotel

o (TRE-MT) A separa,ao das silabas está incarreta

na alternativa:

a)

mi-nis-lé.rio

b)

ab-so-Iu-tas

e)

ne-nhu-ma

d)

té-cni-co

e)

res-sen-ti-men-tos

G)(UEPG-PR) Nesta rela,ao, as silabas tónicas estaD destacadas. Uma delas, porérn, está destacada incorretamente. Assinale-a:

a} interim

 

b)

pudico

c)

rubrica

d)

gratuito

e)

inaudito

Filemon Félix de Moraes

29

capítulo 2

ACENTUAc;Ao GRÁFICA

REGRAS DE ACENTUA<;:AO GRÁFICA

Acentuac;ao dos monossílabos

Aeentuam-se os voeábulos monossílabos tónicos terminados em a, e, o seguidos ou nao de s:

pé, fé, lá, trás, mes, nós, pó.

Acentuac;ao dos vocábulos oxítonos

Aeentuam-se os voeábulos oxitonos terminados em a, e, o (seguidos ou nao de s), em e ens:

gambá, Paraná, atrás, pajé, mercé, fregues, dominó, paletós, vovó, também, parabéns.

Acentuac;ao dos vocábulos paroxitonos

Aeentuam-se os voeábulos paroxítonos terminados em:

  • a) dítongo

oral, seguído ou nao de s: nódoa, água, planicie, história,

superficie, espontáneo, ingenuos, cerimónias, jóquei, túneis, úteis;

  • b) -j, ais, -u, -us: fápis, táxi, júri, biquini, meinácu, bónus, virus;

  • e) -um, -uns: álbum, álbuns, fórum, médiuns;

  • d) -1 -n, -r, -x: móvel, durável, fácil, hifen, pólen, látex:

éter, ámbar, revólver, tórax,

  • e) -on, -on5: canon, eJétmns, ions, cálioo;

  • f) -ps: biceps, fórceps, Quéops;

  • g) -a, -as, -ao, 30S: ¡ma, órfas, órgao, acórdaos, bén980.

Obaerval¡ao

1. Os vocábulos paroxítonos terminados em ens nao devem ser acentuados: po/ens,

hifens. 2. Os prefixos paroxitonos terminados em ; ou r nao devem ser acentuados: semi

(semi-intensivo), super (super-homem), hiper (hiper-herái), inter (inter-helénico).

30

Gramática Objetiva

Acentua<;ao dos vocábulos proparoxítonos

Acentuam-se todos os vocábulos proparoxítonos, sem exce<;ao:

médico, lampada, paralelepípedo, espléndido, andássemos, nigérrimo

Acentua<;ao dos dítongos abertos

Acentuam-se os vocábulos oxítonos e monossílabos que contenham os ditongos aberlos (tónicos) éi, ái, éu, seguidos ou nao de s:

céu, véus, harái, anzóis, chapéu, carretéis, anéis

Observa~.io

o Novo Acordo Ortográfico da Lingua Portuguesa, em vigor desde janeiro de 2009,

aboliu o acento agudo das palavras paroxítonas que contenham os ditongos abertos tónicos

ei, Di, eu. Por ¡sso, a nova grafia dessas palavras é assim: assembleia, ¡deia, heroico, paranoico, etc.

Acentua<;ao das letras i e u

Acentuam-se os vocábulos que contenham as letras i ou u, quando sao tónicas, formam sílabas sozinhas ou com s, formam hiato com a vogal anterior, desde que nao venham seguidas de nh, nem repetidas:

salda, falsea, Piauí, baú, balaústre, saúde, distribuí-lo, caíste, juizes.

Observa~¡lio

Note-se que, se pelo menos urna dessas condi\=óes nao for obedecida, nao haverá o acento gráfico:

  • a) fortuilo (for-tui-to), gratuito (gra-Iu;-Io) - o i nao é lónico nem forma hiato:

  • b) paul (pa-ul), juiz Uu-iz), sair (sa-ir), ruim (ru-im), conlribuinle (con-Iri-bu-in-te) - as

letras i e u nao formam sílabas sozinhas nem com s;

  • c) rainha (ra-i-nha), bainha (ba-i-nha) - o i vem seguido de nh;

  • d) xiila (xi-i-Ia), vadiice (va-di-i-ce), sucuuba (su-cu-u-ba), paracuuba (pa-ra-cu-u-ba)

  • - as letras i e u vem repetidas.

Se as letras i e u vierem precedidas de ditongo decrescente em palavras paroxitonas, também nao haverá acento gráfico. Por exemplo:

feiura, Sauipe, baiuna, bocaiuva

Acentua9ao diferencial

Ocorre acento diferencial, como sinal distintívo de vocábulos homógrafos, nos seguintes casos:

Filemon Félix de Moraes

31

  • a) para distinguir o homógrafo tónico por (verbo) do homógrafo átono por

(preposi9ao );

  • b) excepcionalmente,

para diferenciar o homógrafo tónico fechado pode

(pretérito perfeito do indicativo do verbo poder) do homógrafo tónico aberto pode

(presente do indicativo do mesmo verbo);

  • c) para diferenciar a terceira pessoa do plural dos verbos ter e vir da terceira

pessoa do singular: ele tem I eles lem;

ele vem I eles vem.

Observa~oes final!

o Novo Acordo Ortogrilfico da Lingua Portuguesa, em vigor desde janeiro de 2009,

preve as seguintes mudanC;:8s na acentuac;ao gráfica:

  • 1. fica abolido o acento circunflexo das palavras paroxitonas que contenham os hiatos

00 e ee. Por ¡sso, a nova grafia dessas palavras é assim: enjoas, VDO, abenl;oo, perdoo,

leem, creem, veem. releero, etc;

  • 2. tica abolido

o trema das palavras da Língua Portuguesa. Por ¡sso, a nova grafia

dessas palavras é assim: cinquenta, tranquilo, linguilYa, frequente, unguento, etc;

  • 3. lica abolido o acento agudo dos grupos que, qui, gue, gui, quando a letra u é

pronunciada tonicamente. Por ¡sso, a nova averigue, apazigue, etc;

grafia dessas palavras é assim: arguis, oblique,

  • 4. tica abolido o acento diferencial das palavras paroxitonas. Por ¡sso, a nova grafia

dessas palavras é assim: para (verbo), pera (substantivo), polo (substantivo), coa (verbo), pelo (verbo), pelo (substantivo), etc.

  • 5. fica mantido o acento diferencial de timbre, nas terceiras pessoas do presente do

indicativo, dos verbos nao monossilábicos derivados de vir e ter Essas formas verbais

recebem acento agudo na terceira pessoa do singular e acento circunflexo na terceira

pessoa do plural:

ele provém, intervém, sobrevém, convém, mantém, contém, retém, etc. eles provem, ¡ntervem, sobrevem, convem, mantem, contem, retero, etc.

32

Gramática Objetiva

EXERCfclOS DE APOIO

o Propositalmente,

omitimos os acentos gráficos. Sua tarefa consistirá em acentuar as

palavras de acordo com as novas regras previstas na Reforma Ortográfica da Língua Portuguesa, de 2009.

  • a) "Alem de ser urna regiao com alta concentrayao de peixes nos rios Paraguai e Paraguai- mirim, a Bala do Castelo, no Pantanal, proporciona 80S visitantes a chance de tazer safaris fotograficos."

  • b) "Os voluntarios desenvolverao

material didatico sobre gesta~ e orc;amento. Depois de

testados nas 50 escolas do projeto-piloto, eles deverao, em um ano, ser distribuidos em toda a rede publica de en sino do Pais"

  • e) "Os ratos de laboratorio que tiveram um gene especifico retirado consumiram mais aleDol que os outras e sofrem mais rapidamente seu s efeitas, segundo um estudo publicado ontem no Diario de Neurociencias dos Estados Unidos."

f) Em cada uma das frases seguintes, há pelo menos um erro de acentuac;ao gráfica. Fa9a as corre90es necessárias em cada caso.

  • a) Cai da arvore e feri o pe, mas voce cai e nao machuca nem o tornozelo.

  • b) Os Estados Unidos mantem armas nucleares, mas o Ira nao mantem.

  • c) Voces tem certeza do que estao dizendo ou sera apenas mentira?

  • d) Por que voce nao para de ouvir essa musica?

  • e) Preciso por estes livros na estante e repor o lapis na gaveta.

  • f) Ha urna pera na geladeira e um caqui na fruteira.

  • g) Entre os polos da Terra ha uma grande distancia.

  • h) Inútilmente pedi para ficar sózinho no meu escritorio.

e Acentue graficamente as palavras abaixo, se for o caso.

so - sozinho - somente - pe - pezinho - cafe - cafezinho - cafezal- propria - propriamente - sutil - sutilmente - cortes - cortesmente - saudoso - saudade - vaidoso - cautela - caprichosamente - atona - tonicamente

o Da relac;ao abaixo, transcreva as palavras que devem ser acentuadas.

omega - rubrica - pudico - quiromancia - mercancia - alcool - arquetipo - crisantemo - obolo - pantano - transfuga - vermifugo - efebo - zenite - leucocito - prototipo - aziago - condor - novel - recem - refem - sutil - ureter - avaro - ciclope - filantropo - misantropo - gratuito - fortuito - ibero - maquinaria - pegada - refrega - textil - agape - satrapa - enigma - estigma - zefiro - inaudito - pradaria

e Siga o primeiro exemplo, observando a grafia e a acentuac;ao gráfica:

  • a) Dito tem muito dinheiro, mas as irmas nada

fem

  • b) Sonia ainda ere em milagres, mas Ana e Jairo nao

  • c) o que Sushi ve outros cachorros nao

  • d) Linho