Você está na página 1de 30

Revisão sobre Estabilidade

aplicada a projetos de navio.

EMB 5714 - Projetos de Navios II 1


O que estudaremos?

 Estabilidade Inicial;

 Estabilidade à grandes ângulos;

 Curvas Cruzadas de Estabilidade;

 Curva de Estabilidade Estática;

 Condições de carregamento em que se devem ser


estudadas a estabilidade estática;

 Critérios de estabilidade de embarcações;

2
O que estudaremos?

 Efeitos de ventos na estabilidade;

 Estabilidade avariada.

3
Estabilidade inicial

Avaliação do valor da altura metacêntrica (GM).

𝐺𝑀 = 𝐾𝐵 + 𝐵𝑀 − 𝐾𝐺

KB depende da geometria submersa do casco.

BM depende da geometria submersa do casco e da


geometria do plano de flutuação.

KG depende da distribuição de massa a bordo (estudo de


pesos e centros).

4
Estab. Inicial – C. E. E.

5
Estabilidade inicial

A análise é feita para ângulos de inclinação até 5 ~10


graus (depende da bibliografia).

Depois desta faixa de ângulos de inclinação, deverá ser


utilizado o estudo de MR ou GZ.

6
Estabilidade à grandes ângulos

7
Momento de estabilidade estática

8
Momento de Estabilidade Estática para pequenos
ângulos de inclinação

Hipótese:

Força de empuxo atua verticalmente para cima em


direção do metacentro (ponto fixo).

9
Momento de Estabilidade Estática para pequenos
ângulos de inclinação

Para qualquer deslocamento em pequenos ângulos


de inclinação, os momentos são proporcionais e variarão
conforme a altura metacêntrica (GM).

Navio duro e navio macio (suave).

Navios com GM iguais, o navio com maior


deslocamento será mais ‘duro’ que o de menor
deslocamento.

10
Momento de Estabilidade Estática para grandes
ângulos de inclinação

Para ângulos de inclinação até a imersão do convés,


GZ pode ser calculado usando a fórmula dos costados
paralelos:

11
Momento de Estabilidade Estática para grande
ângulos de inclinação – Fórmula de Attwood

v  he hi
B0 R 

GZ  B0 R  GB0  sin 
v  he hi
  GB0  sin 

Atwood Formula

12
Condições de Carregamento

De acordo com a NORMAM 01 (item 0726):

A avaliação da estabilidade deverá ser efetuada para as


condições de carregamento nas quais o proprietário pretende
operar a embarcação, além das condições apresentadas na
norma para cada tipo de serviço específico.

Sempre que o proprietário não souber informar com


exatidão as condições usuais de operação da embarcação a
análise poderá ficar restrita às condições de carregamento
padrões apresentados na norma.

13
Curvas Cruzadas de Estabilidade

14
Curvas Cruzadas de Estabilidade

15
Curvas Cruzadas de Estabilidade

http://sailskills.co.uk/Stability/stability_index.html

16
Condições de Carregamento

Na condição de carga total de partida:

Deve-se supor que as embarcações estão carregadas,


com os seus tanques de lastro vazios, até:

(a) a sua marca de borda-livre de verão, caso a embarcação


necessite possuir um Certificado Internacional de Borda-Livre;
(b) a sua marca de borda-livre, caso a embarcação necessite
possuir um Certificado Nacional de Borda-Livre (Navegação de
Mar Aberto); ou
(c) o seu calado máximo permissível, caso a embarcação esteja
isenta da atribuição de uma borda-livre.
17
Condições de Carregamento

Se for necessário o lastreamento com água em qualquer


condição de carregamento, deverão ser analisadas condições
de carregamento adicionais, levando-se em conta o lastro com
água.

A quantidade e a disposição da água de lastro deverão


ser especificadas.

Em todos os casos deve ser assumido que a carga


(inclusive a carga transportada no convés) é inteiramente
homogênea, a menos que esta condição seja inconsistente
com serviço normal da embarcação.

18
Condições de Carregamento – Embarcação de Passageiros

As Embarcações de Passageiros deverão ter sua


estabilidade avaliada para, pelo menos, cada uma das
seguintes condições de carregamento:

(a) embarcação na condição de carga total de partida, totalmente


abastecida em gêneros e óleo, e com a lotação máxima de
passageiros com suas bagagens;
(b) embarcação na condição de carga total de regresso, com o
número máximo de passageiros e suas bagagens, mas com
apenas 10% de gêneros e combustível;
(c) embarcação sem carga, mas com abastecimento total de
gêneros e óleo, e com número máximo de passageiros e suas
bagagens;
19
Condições de Carregamento – Embarcação de Passageiros

(d) embarcação na mesma condição que a descrita em (c), acima,


mas com apenas 10% de abastecimento de gêneros e
combustível;

(e) embarcação na condição de carga total de partida, totalmente


abastecida de gêneros e óleo, porém sem passageiros; e

(f) embarcação na condição de carga total no regresso, com 10%


de gêneros e combustível, sem passageiros.

Considerações específicas: consultar norma.

20
Condições de Carregamento – Embarcação de Passageiros

Resolução A.749(18) - IMO

21
Condições de Carregamento – Embarcação de Carga

As Embarcações de Carga deverão ter sua estabilidade


avaliada para, pelo menos, cada uma das seguintes condições
de carregamento:
(a) embarcação na condição de carga total de partida, com carga
distribuída homogeneamente em todos os espaços de carga e
com abastecimento total de gêneros e combustível;
(b) embarcação na condição de carga total na chegada, com
carga homogeneamente distribuída por todos os espaços de
carga e com 10% do abastecimento de gêneros e combustível;
(c) embarcação na condição de partida, sem carga, mas com
abastecimento total de gêneros e combustível; e
(d) embarcação na condição de chegada, sem carga, mas com
10% do abastecimento de gêneros e combustível.
22
Condições de Carregamento – Outras embarcações

Tanto na resolução da IMO como na NORMAM, outros


tipos específicos de embarcações tem condições de
carregamento estabelecidos para estudos. São elas:

1) Rebocadores e Empurradores;

2) Embarcações de Pesca;

3) Embarcações que Transportam Carga no Convés.

Considerações específicas: consultar norma.

23
Critérios de Estabilidade:

A NORMAM apresenta as seguintes recomendações para a


estabilidade estática de navios de passageiros ou de carga.
Lembrando que a maioria deles utilizam a curva de estabilidade
estática (Braço de endireitamento GZ x Ângulo de banda).

24
Critérios de Estabilidade:

1) A área sob a Curva de Estabilidade Estática compreendida


entre os ângulos de inclinação de 0• º e 30º não devera ser inferior a
0,055 m.rad.
2) A área sob a Curva de Estabilidade Estática compreendida
entre os ângulos de inclinação de 0•º e 40º, ou entre 0•
º e o ângulo de
alagamento (θf), caso este seja menor do que 40• º, não será inferior a
0,090 m.rad.
3) A área sob a Curva de Estabilidade Estática compreendida
entre os ângulos de inclinação de 30• º e 40º, ou entre 30º e o angulo
de alagamento (θf), caso este seja menor do que 40º, não será inferior
a 0,030 m.rad.
4) O braço de endireitamento correspondente ao ângulo de
inclinação de 30•
º não deverá ser menor do que 0,20 m.

25
Critérios de Estabilidade:

5) O braço de endireitamento máximo deverá ocorrer em um


ângulo de inclinação maior ou igual a 25•º.
6) A altura metacêntrica inicial (GMo) não deve ser menor do que
0,15 m.
7) O ângulo de inclinação causado pelo agrupamento de todos
os passageiros em um bordo da embarcação não deverá exceder 10• º.
8) O ângulo de inclinação causado por guinadas não deverá
exceder 10° (somente aplicável às embarcações de passageiros).

26
Considerações sobre o item 6 (GM0)

27
Considerações sobre o item 6 (GM0)

28
Considerações sobre o item 6 (GM0)

Se o braço de endireitamento continuasse a aumentar na


mesma taxa que na origem, isso seria representado por uma reta com
inclinação constante e valor igual a GM.

O valor normalmente é verificado no ângulo igual a 57,3° (1 rad).


Este é o procedimento utilizado para checar o valor de GM inicial a
partir da curva de estabilidade estática.

29
Considerações sobre o ângulo de alagamento (θf)

A definição para ângulo de alagamento (θf) presente na


NORMAM é a seguinte:

Ângulo de Alagamento: É o ângulo de inclinação transversal no


qual submergem as aberturas no casco e/ou superestruturas que não
podem ser fechadas e/ou tornadas estanques ao tempo
(“weathertight”). As pequenas aberturas, através das quais não pode
haver um alagamento progressivo, não precisam ser consideradas
abertas na determinação desse parâmetro.

Portanto, depende de características construtivas da


embarcação que devem ser conhecidas para as análises dos critérios
de estabilidade.

30