Você está na página 1de 1

conscincia algo normativa: "consciencia e seus decretos".

consciencia transitiva: passar daqui para ali, de poder para mais poder.
paralelismo: negao da causalidade real entre espirito e corpo;
recusa de toda eminencia (superioridade) de um sobre o outro.
Moral: empreendimento de dominao das paixoes pela consciencia
descartes dizia: corpo agia, alma padecia, e a alma nao
atuava sem que o corpo padecesse.
espinosa: o que ao na alma, tambm no corpo;
o que paixo no corpo necessariamente na alma.
para espinosa um no superior ao outro, ao contrrio
do que pensava descartes.
Moral est ligada ao transcendente, ao divino
tica = tipologia dos modos de existencia imanentes
compor = unir, dando fora, coeso (poder para ser afetado, mesmo que 'saber do que
somos capazes')
decompor = desunir, separao
"... a consciencia naturalmente o lugar de uma iluso.
A sua natureza tal que ela recolhe efeitos, mas ignora as causas".
"A ordem das causas ento uma ordem de composio e de decomposio
de relaes que afeta infinitamente toda a natureza. Mas ns,
como seres conscientes, recolhemos apenas os efeitos dessas
composies e decomposies: sentimos alegria quando um corpo
se encontra com o nosso e com ele se compe, quando
uma ideia se encontra com a nossa alma e com ela se compe;
inversamente, sentimos tristeza quando um corpo ou uma ideia
ameaam nossa propria coerncia" (p. 25).
No final, conhecemos apenas os efeitos das coisas sobre ns,
mas desconhecemos as suas causas. "Temos apenas ideias
inadequadas, confusas, mutiladas..." (p. 25).
"...ignorante das causas e das naturezas, reduzidos consciencia
do acontecimento, condenados a sofrer efeitos cuja lei lhes
escapa, eles so escravos de qualquer coisa, angustiados e infelizes,
na medida de sua imperfeio" (p. 26).
bom o que convm; mau o que no convm.
bom = o que se esfora para se unir ao que convm sua natureza
para aumentar a sua potncia de agir.
mau = o inverso.
bem vs mal = oposio de valores
bom mau = diferena qualitativa dos modos de existencia
lei moral = dever, obediencia. ela nao nos d conhecimento de nada.
apetite = esforo para preserverar no seu ser
tica III, postulado 1
O corpo humano pode ser afetado de muitos modos, que aumentam ou diminuem sua po
tncia de agir, assim como de
outros que no tornam sua potncia de agir nem maior nem menor.