Você está na página 1de 2
DEFININDO O UNIVERSO 0 Universo nao 6 uma “coisa” como uma estrela; estudé-lo significa analisar tudo o que detectamos dentro dele O que é essa coisa que chamamos de Universo? Parece uma daquelas perguntas triviais. Um cinico jé dirla: “E eu com isso, ora? Tenho mais o que fazer!” Na realidade, entender a natureza do Universo é entender quem somos e ‘como nos encaixamos no mundo. Para ver isso, basta considerar como uma pessoa do século XVI pensava o Cosmos. A Terra, inerte, era 0 centro da criagao e tudo girava & sua volta: Lua, planetas, estrelas, cada qual levado por uma esfera cristalina. 0 Cosmos era esférico e finito como uma cebola. Apés a iltima esfera celeste, a esfera das estrelas, encontrava-se outra: a Primum Mobile. Sua fungao era dar movimento a todas esferas internas. Além dela estava 0 Empireo, a parte do céu sob dominio de Deus e suas criaturas divinas. Uma hierarquia vertical definia a vida das pessoas: os virtuosos poderiam finalmente ascender ao céu. A geometria césmica e 0 destino dos, mais pios eram indissoluveis. Tudo mudou quando Copémico e, mais dramaticamente, Galileu, Kepler, Descartes e Newton estabeleceram o Cosmos heliocéntrico. Newton, em particular, afirmou que apenas num Universo infinito 0 colapso gravitacional poderia ser evitado. Num Universo infinito, a verticalidade que havia definido a busca espiritual das pessoas se perdia. Mesmo assim, o Cosmos newtoniano permaneceu estatico. Quando chegamos a Einstein no século XX, as coisas ficaram mais sutis. 0 espago e o tempo formam uma entidade tinica, o espago-tempo. 108 Essa mattiz quadridimensional dinamica, respondendo a distribuigao de matéria e energia, Com Einstein, o espago e o tempo ganharam plasticidade. Estudar 0 Universo nao significava apenas estudar 0 que existia no Universo, mas 0 Universo em si. A separagao entre 0 Universo e as coisas que ele contém nao era mais possivel. Fgura 20 Em A porsieténcia da meméria 193) da escola surest, opintor cata Salvador all expressa seu contato com anova cidncia, segundo a qual tep eespago prescindem derigder ou linearidade, CAPITULO ‘Como, entao, definir 0 Universo? Uma primeira resposta seria “o conjunto das coisas que existem no volume de espaco que podemos medir” Que coisas? Galaxias, estrelas, planetas, aglomerados de galaxias, buracos negros, enfim, os objetos que detectamos com nossos instrumentos, determinando suas propriedades fisicas, como massa, composigao quimica rotagao. Existem também coisas que medimos e nao sabemos ainda 0 que so, como a matéria e a energia escura. E, também, coisas que ainda néo sabemos existir. Mas 0 Universo & mais do que 0 conjunto das coisas que ele contém, certo? © Universo nao é uma “coisa”, da forma que uma estrela é uma coisa. Medimos propriedades que atribuimos ao Universo, como as flutuagoes de temperatura da radiagdo césmica de fundo ou a taxa de expansao césmica. Mas ss essas medidas sao de coisas que existem no Universo. A inferéncia que esse 3 afastamento representa a expansao do Universo vem a posteriori, no contexto 2 da teoria de Einstein que mostra que a geometria cOsmica pode se expandir ou ; ser contraida, Sera, entdo, que 0 Universo 6 a solugao da equagao obtida da teoria de Einstein? Nao, porque para obtermos essa equagao e suas solugdes fazemos a uma série de aproximagdes. Nao devemos cair no erro de equacionar um : modelo com a coisa que ele modela. 0 Universo & mais um conceito do que = uma coisa. Z @ Emrelagao a formagao do Universo, qual a diferenga entre o pensamento de um cientista do século XVI para um dos dias atuais? Copérnico, Galileu, Kepler, Descartes © Newton e varios outros estudiosos defenderam 0 modelo de Cosmos heliocéntrico, ou seja, 0 Sol no centro do Universo. Quais caracteristicas diferenciam a interpretagéo do cosmos para Newton da interpretagdo de Einstein? 0 texto comenta que, para definirmos o que Universo, nao basta simples- mente conhecer propriedades fisicas das coisas que existem no volume de espago. Por que somente esse conhecimento nao ¢ suficiente? NAO ESCREVA NO LIVRO,