Você está na página 1de 12

O QUE É O PHOTOSHOP?

Já sabemos que o Photoshop é um aplicativo. Sabemos também
que a maioria das imagens vistas em publicações, revistas,
jornais e matérias de publicidade têm imagens que foram
retocadas pelo programa. Escutamos muito as pessoas dizerem:
‖-Esta imagem tem photoshop!‖.
A idéia é compartilhar um pouco de informação sobre o aplicativo
e suas funções.
O programa permite ao usuário, por exemplo, modificar
fotografias. Mas como exatamente o Photoshop funciona? Esta é
a pergunta que fica na cabeça dos usuários iniciantes.
O programa esta instalado em seu computador, mas você não
tem idéia de como usar. Não se preocupe, afinal, todos nós já
fomos novatos no Photoshop uma vez e seremos novamente
iniciantes em outros programas desconhecidos. Agora, vamos
direto ao assunto e descobrir o que exatamente este programa
faz.
Photoshop é o nome do software. Adobe Systems é o nome da
empresa que desenvolve o programa. O Photoshop está
disponível para uso nas plataformas Windows ou Mac. Não é
apenas uma ferramenta qualquer de edição de imagens mas,
sim, a mais poderosa e a mais presente ferramenta de edição de
imagens do mundo. Não adianta, é o mais usado, por mais que
outras empresas pipoquem todo o dia para tentar roubar o lugar
ao Sol.

Embora a falta de concorrência transmita uma idéia de que a
empresa líder não se preocupará em desenvolver cada vez mais
o programa, no caso da Adobe esta realidade não é aplicada,
pois está sempre desenvolvendo e reciclando o programa.
Historicamente, ele é o mais vendido e o que mais oferece
vantagens aos usuários. Assim, a Adobe investe fortemente em
novos recursos para o software. Cada versão lançada ao
mercado vem munida de mais recursos, como se o aplicativo
estivesse concorrendo com ele mesmo.
Várias empresas tentaram comercializar outros produtos com as
funções do Photoshop, mas não tiveram sucesso.
Não é difícil de entender porque ele domina o mercado.

Conceito de edição de imagens
Como qualquer programa de edição de imagem, o Photoshop
permite modificar fotografias e realizar outros trabalhos artísticos
digitalizados. Você pode retocar uma imagem, aplicar estilos
especiais, trocar informações entre fotos e textos, ajustar cores e
melhorar foco de uma fotografia. O Photoshop também oferece
várias ferramentas para criar uma arte do zero.

Quem pode usar o Photoshop
O Photoshop foi desenvolvido para atuar em diversos tipos de
trabalho e por diversos tipos de profissionais. Com seus métodos
especializados em pintura e desenho, o programa pode ser
usado para vários fins.

QUANTOS PADRÕES DE CORES VOCÊ CONHECE?
Um dos maiores problemas em trabalhos gráficos se referem a cores. É comum vermos problemas de clientes reclamando que as
fotos saíram verdes, ou com variação no tom da logomarca que foi enviada. A grande maioria das vezes este problema acontece
devido a falta de conhecimento de quem desenvolveu a arte final.
Por isso perguntamos:
 Quantos padrões de cores você conhece?
 O que acontece quando usamos o padrão errado?

Padrões de cores
Observe a figura ao lado. Ela foi retirada de um programa gráfico
Corel Draw e está presente em praticamente todos os programas
gráficos do mercado.
Note que todo programa gráfico permite o uso de mais de um padrão
de cor. Alguns são direcionados para um campo específico como
artes gráficas, web, televisão e outros são mais genéricos como o
próprio Corel Draw, muito citado neste blog.
Certos padrões são amplamente usados. Outros são raramente
usados, servindo para aplicações específicas.
No exemplo ao lado você pode notar os padrões CMY, CMYK, RGB,
HSB, HLS, Lab e YIQ.
Alguns podem se perguntar, e o pantone? O pantone e outros nomes
mais são tabelas de cores padronizadas pelo mercado e serão
citadas em outros posts.
Tela com os padrões de cores no Corel Draw

Vamos falar agora dos principais padrões de cores, suas origens,
como chegaram a nós e onde devem ser usadas.

sendo 0% para o preto e 100% para o brilho. Uma folha verde. O nome RGB vem das cores básicas deste padrão: Red (R – vermelho em inglês). Vemos todo o branco da luz nos causando cegueira. Quando olhamos uma caverna a luz não bate em nada. As cores são a resposta que chega aos nossos olhos quando a luz reflete nos objetos. como aconteceu comigo. Quando se reflete toda luz. Escolheu-se a letra K para diferenciar o B de blue do RGB. A resposta é matriz. só que ele ao invés de ser voltado para a revelação fotográfica. ficando tudo absorvido (ou nada refletido) e vemos o preto. HSL O HSL ou HLS. Nele usávamos vários produtos químicos para realçar as cores e depois trabalhávamos com a saturação e o brilho das fotos. quando se absorve toda a luz. CMYK HSB Agora vocês entendem por que deixei pra falar depois. Mas vai servir para nós entendermos o próximo padrão. Se você tentar mexer nas cores por este processo possivelmente vai sentir alguma dificuldade. Por isso o sol quando bate no espelho nos queima os olhos. Nos programas gráficos geralmente falamos de variações percentuais de 0 a 100 em cada uma delas. 120 graus para verde. Praticamente todas as cores que vemos podem ser impressas no sistema CMYK. Toda entrada de material está em RGB e deve ser convertida para CMYK. tá lá em todo programa de edição de fotos. câmera de filmagem e outros. sempre que se pensa em pintar qualquer substrato (como papel por exemplo). é parecido com o padrão anterior. Nos programas gráficos geralmente falamos de variações de 0 a 255 em cada uma delas. absorve tudo exceto o verde. estes não se prestavam quando se tratavam a serem misturados. Por exemplo você não vê aquele azulão do monitor impresso por aí. 240 graus para o azul. junta as cores de processo gráfico e reforça os tons escuros com uma cor preta. Eu falei no inicio do texto que era usada em fotografia. Saturação (S – aturation) e Brilho (B – Bright). vemos o branco. 300 graus para o lilás e 360 graus de volta para o vermelho. Estas cores não reproduziam bem o preto e por isso foi adicionada uma nova cor ao processo… é o caso do próximo padrão. ou na web em hexadecimal de 00 a FF. Deste este momento. e vemos o verde. Este é o padrão usado por quase todas as gráficas. As cores misturadas mostravam não mais a sua reflexão e sim a absorção das luzes como pode ser observado na figura ao lado. Iluminação (L – Light) e Saturação. CMY O padrão CMY é usado muito raramente. Nos orçamentos gráficos você deve conhecer ele como 4×0 ou 4×4. ou seja Matriz. tendendo a sempre dar uma cor escura próxima ao marrom. Onde usamos o RGB? O RGB está presente em quase todos os dispositívos opticos: Monitor. Aqui você encontra uma das formas de fazer esta conversão.RGB As cores RGB provavelmente são as mais conhecidas. Não é possível atingir aquela cor com os pigmentos. Mesmo tendo as cores do padrão RGB. A soma delas pode ser observada no experimento em que se gira estas cores muito rapidamente e para nossos olhos só aparece a cor branca. 60 graus para amarelo. Isto causa um problema nos trabalhos gráficos. O K vem de blacK. Ainda na origem do homem. Magent (M – magenta ou rosa escuro) e Yellow (Y – Amarelo). pensa-se nas cores CMY. O espectro do RGB é um pouco maior. Ele significa Matriz (H – Hue). Quando batemos uma foto no escuro perde-se matriz (informação de cor) e é necessário iluminar melhor o objeto. vemos o preto. Nós vemos luz. scanner. O HSB é um padrão que já foi muito usado em fotografia. Creio que alguns fanáticos do Photoshop agora vão poder entender agora como tratar aquelas fotos escuras em que o flash não atuou. Minerais e vegetais batidos permitiam a obtenção de corantes que misturados a água ou a óleos permitiram ao homem mostrar o seu mundo através de pinturas. . Quase tudo que é feito na web está em cores RGB. Os bons programas gráficos fazem esta conversão sem o menor problema. Logo o homem viu que três deles permitiam fazer quase todas as cores possíveis. é voltado para o momento que estamos fotografando ou filmando. Eram eles: Cian (C – ciano ou azul claro). Quando capturamos uma imagem em nosso micro (com a tecla Prt Sc SysRq do teclado por exemplo) a imagem fica em RGB. Essas cores nem são citadas pelos programas gráficos comuns. Existem outros padrões que adicionam outras cores ao padrão CMYK para melhorar estas cores. Green (G – verde em inglês) e Blue (B – azul em ingles). Mas são padrões que saem caros devido a grande quantidade de cores e a necessidade de máquinas especiais para executarem os trabalhos. 180 graus para o ciano. Já as direrença entre o RGB e o CMY e CMYK cores CMY permitiam fazer quase todas as cores inclusive o RGB. o homem começou a usar pela primeira vez os pigmentos. Os objetos refletem de maneiras diferentes a luz. saturação e brilho. O carvão foi um destes primeiros pigmentos. máquina fotográfica. O CMYK. na fotografia antiga a revelação era fotoquímica. A matriz nada mais é que um valor que passeia por todas as cores do arco-íris a citar 0 graus para o vermelho. A variação que vai do branco para a cor escolhida é chamada de saturação sendo 0% para o branco e 100% para a cor escolhida. A variação que vai do preto para a cor é chamada de brilho. atingindo algumas cores que o CMYK não consegue reproduzir. O verde também é meio problemático. enquanto descobria as cores pintando nas paredes das cavernas. são usadas em nossos monitores.

: prata usado por algumas montadoras de carros). Ele pode estar atento. Este é o padrão que foi muito usado nestes tempos e equipamentos devido as características ferromagnéticas das fitas cassetes a gravação era oblíqua. O L controla a luz. O ―a‖ varia do verde (G do RGB quando está em -128) até a mistura de R e B que dá o magenta. só teremos preto. outro com a iluminação (L – light) e outro mais largo com a soma dos canais a+b que serão posteriormente sepadrados por filtros eletrônicos. é um padrão desenvolvido pelo mercado como solução para calibração dos diversos padrões e sistemas de cores. O padrão YIQ é muito similar ao Lab. este é o padrão usado pela transmissão analógica de TV. Perdoem-me a brincadeira. . Tente luz natural. HKS. etc. Pelo que me lembro e só agora me toquei. De maneira similar o ―b‖ varia de azul (B – em -128) até a mistura de G e R que é o amarelo (quando em 128) . Quando as cores são mais escuras as variações são menos perceptíveis. O estado do impressor também varia muito. Quando usamos cores CMYK temos 4 cores para variar com o tal grau de ―embriaguês‖ do impressor. Fácil? Eu não acho. lâmpadas incandecentes. Ao chegar no padrão YIQ fiquei em dúvida de qual é o padrão das TVs realmente e posso estar falando besteira. fluerescentes. Não são padrões de cor? O Pantone. A variação numérica deste padrão é similar ao padrão anterior. São usadas comumente por grandes empresas que usam uma cor específica na sua logomarca ou em trabalhos que apresentam uma cor como padrão para impressão (ex. onde na banda utilizada (faixa de frequencia do canal). mas graça a isso o mundo não ficou ainda mais populoso (onde não tem TV as famílias são enormes). Se ficar de 50% a 100% teremos cores claras à pálidas.O I varia de vermelho claro a azul escuro. É muito percepitível na impressão e difícil de controlar (você já viu aquelas caras de ―Hulk‖?). São tabelas de cores padronizadas pela industria que servem para fabricação de tintas especiais a serem usadas na impressão. Mas vamos prosseguir. O canal Y é responsável pela iluminação indo de 0 para as cores escuras e 255 para as cores claras. etc. A padronização e conhecimento destas dificuldades podem nos ajudar muito a evitar estes problemas. em maior ou menor número. Daí para 50% teremos cores escuras atuando na matriz e saturação. Você vai ficar impressionado com o resultado. HKS. percebendo qualquer variação ou estar meio ―desleixado‖.Para se ver plenamente as cores temos que ter saturação 100% e Luz intermediária (50%). Cores como o bege que tem tons suaves de todas as cores quando variam uns 10 pontos (pontos e não percentual como falam muitos) pode oscilar para qualquer uma das cores básicas. Outros “padrões” Aí você se pergunta: E os outros padrões? E o Pantone. Se for escolhida uma destas cores temos duas possibilidades: 1) pagamos mais caro pela impressão usando aquela cor específica (cores pantone custam muito caro). Com a tecnogia digital com seus mais de 100 canais parece brincadeira. Muitos trabalhos diferentes na mesma chapa causam uma dificuldade adicional no controle das cores. lembra? Se for trabalhar em edição de vídeos na globo. mas foi para isso que foi usada e graças a ele temos 13 canais de TV transmitidas por ar ao invés de uns 4 canais. mas o fator humano deve ser realmente questionado. qualquer que seja a matriz ou saturação. mas os marrons ainda são problemáticos (embora tenham-se menos reclamações). YIQ Vou contar um segredo pra vocês. Espalhe diversas cores na sua mesa de trabalho e varie a iluminação do ambiente. TRUMATCH. se transmite um pedaço com o som. Quem é do tempo do video-cassete já deve ter ouvido os termos entrelaçar e desentrelaçar. Ele vai de preto (0%) a Branco (100%). só que agora as variações são entrelaçadas com a iluminação. também passando pelo branco ou preto dependente do L. lembre-se de mim. Ela pode ficar mais escura ou mais clara conforme o grau de ―embriaguês‖ (brincadeira…) do impressor. Como assim variação de cor? Falamos "quase‖ especificamente de impressão gráfica. O próprio trabalho também pode ser propício a variações como no post o segredo do cartão de visita barato. Se você quer fazer cinema ou fotografia profissional. Quando usamos uma cor pantone a cor vai ser sempre a mesma. Exemplo de tabela Pantone 2) aceitamos que seja feita uma aproximação e vivemos com as variações pertinentes do processo CMYK. Faça bom uso da ferramenta. O Q varia de verde claro a magenta escuro. Você pode testar no seu ambiente de trabalho. Nessa situação temos todas as cores disponíveis na matriz. A saturação deixa as cores cinzentas quando é baixa e vivas quando é alta. e esperar para ser corrigido por algum leitor. passando sempre pelo branco ou preto dependendo da atuação do canal L. TRUMATCH. Se a luz estiver em 0%. Você pode notar uma grande similaridade com o padrão anterior. Padrão de cor HSL ou HLS CIE Lab As cores lab (que eu não descobri o significado) usa uma variação do padrão RGB com os conceitos de iluminação dos outros sistemas. deixando passar variações de cor facilmente.

Afinal. para gráfica. Repare na janela de Camadas no canto inferior esquerdo da sua tela. em vez de fazer as alterações direto na imagem. Selecione a camada que tem a máscara inserida e clique no botão da ferramenta Pincel (Brush). Se preferir. Neste primeiro exemplo vamos mostrar como remover partes de uma imagem utilizando a máscara e os seus pincéis (brushes). desde que disponha de opções para a determinada mídia. use a tecla “B” como atalho. Este é um dos meios de se recortar uma imagem sem usar ferramentas de seleção ou métodos de extração. Uma máscara foi adicionada a sua camada. se você quer ver como estas máscaras funcionam. Para cada meio há um padrão de cor que melhor se aplica. Por isso. mas na quantidade pedida nem se sente). muita gente prefere usar máscaras. Portanto. Ela estará vinculada a esta parte da sua imagem a não ser que você clique no ícone das correntes para desvinculá-las. Quase sempre você pode substituir uma cor com as três cores basicas por um tom maior de preto. Se você está começando agora no mundo do Photoshop. Nem todos nós somos do tamanho da Coca-cola que pode exigir de seus fornecedores a cor vermelho coca-cola e ser atendido (eles pagam por isso.DICA CONCLUSÃO A dica é usar cores com menor mistura. powerpoint. pegou o espírito da coisa? Evita-se com isto problemas de cor sem perder qualidade. mas para quem está no início pode ser um pouco trabalhoso. nada mudará na sua máscara. Clique no terceiro botão da esquerda para a direita e observe o que mudou. não há cor principal e sim uso principal. Por exemplo: C 50 M 60 Y 40 K 20 pode ser substituido por C 10 M 20 Y 0 K 60 ficando num tom quase igual e sem a presença do amarelo pra dificultar. Sempre que a cor branca estiver selecionada. se você tiver selecionado a cor preta. Na barra inferior dela existe uma série de ícones. Por isso. Entretanto. é hora de decidir o que você quer fazer com ela. aqui iremos tratar de pontos que para alguns usuários já pode m ser bastante claros. Não é difícil encontrar imagens que ficariam bem em montagens ou então quando é preciso esconder ou exibir apenas uma área desta figura. as máscaras são um tanto desconhecidas de grande parte dos usuários do Photoshop. mas nunca soube o que são ou para que servem? Apesar de serem muito práticas e facilitarem muito vários processos de edição de imagem. precisamos explicar quais são as situações ideais para usá-las. este tutorial é ideal para você. Se o seu programa não tem estes padrões ele não serve para sua aplicação ( word. Quando falamos de cor. Observe o exemplo abaixo: . antes de qualquer outra coisa. as máscaras são meios que podem ser muito bem recomendados. Assim ficará mais fácil identificar o porquê de usar máscaras em vez de atuar diretamente na imagem. Este recurso funciona como se fosse uma película que é colocada sobre a sua imagem e permite que você visualize como ela vai ficar se você decidir aplicar a mascara à figura. quando for necessário recortar algumas áreas da imagem ou fazer seleções minuciosas. Assim. O mesmo programa usado para fazer sites WEB serve para fazer serviços gráficos. as áreas em que você fizer alguns traços irão ser removidas da imagem. escolha qualquer foto e abra-a. Agora que a sua máscara já está criada. O QUE SÃO E PAR A QUE SERVEM AS MÁSCAR AS? Você com certeza já deve ter ouvido falar nelas. Uma vez que você já tenha aberto o seu editor de imagens da Adobe. abra o seu Photoshop para descobrir como elas são úteis e facilitam o cotidiano de quem depende de montagens e seleções. Outro exemplo C 80 M 20 Y 80 K 10 pode ser feito com C 60 M 0 Y 60 K 30. nem pensar!).

Não há um número certo para a regulagem de nenhum dos filtros. Primeiro é necessário explorar bem as propriedades iniciais das máscaras para depois aventurar-se a outras utilizações. São as chamadas barrinhas deslizantes. É bastante fácil operar desta maneira. Ferramenta de Seleção Retangular. em outra. Em seguida. clique no quadrado branco que representa a máscara ao lado da miniatura da imagem original da camada. Do contrário. Lembre-se de que se a cor do pincel for preta. que controlam a intensidade do filtro e como ele vai ser aplicado. É imprescindível lembrar de manter a máscara selecionada enquanto se está fazendo alterações nesta ―película‖. tecle ―Q‖ novamente e decida o que fazer com o que acabou de ser selecionado. Agora. se for branca. Por isso. certifique-se de que a máscara está ativa na camada em que você escolheu. tenha em mente de que você deverá utilizar as barrinhas dos filtros na tentativa — ir ajustando os valores até chegar ao resultado desejado. este tipo de uso do recurso é indicado para usuários mais experientes do Adobe Photoshop. Entretanto. Para efeitos de exemplo. Para fazer isto. Quando terminar de montar a área de seleção. Ou seja. Laço ou qualquer outra que você domine bem. A maioria deles tem opções como para aumentar ou diminuir o tamanho do pincel. afinal tudo depende do que você está fazendo e de qual imagem está usando. Repare que toda a área em volta do círculo ficou vermelha. regular a intensidade de detalhe que será mantida etc. Algumas delas são indispensáveis para a aplicação de alguns filtros do programa. porém. . a região será incluída. você irá alterar a figura. Existem diversas aplicações para as Máscaras. Em seguida. Primeiro. menor. em uma imagem o filtro pode ter um pincel maior e. agora não estamos eliminando as áreas e sim incluindo ou excluindo-as de uma seleção. Circular. utilize a ferramenta Pincel (Brush) para adicionar ou remover partes da seleção assim como fez anteriormente.Outra maneira de utilizar as máscaras é fazê-las colaborar nas seleções de áreas da figura. OS PRINCIPAIS FILTROS DO PHOTOSHOP Os controles de cada filtro Antes de podermos falar de cada filtro. pressione ―Q‖ no seu teclado. usaremos a Seleção Circular. escolha uma das ferramentas de seleção do Photoshop como a Varinha Mágica. devemos levar em conta os controles que são usados para ―regulá-los‖. você irá remover a região e.

se pegasse uma pintura ainda molhada e aplicasse uma esponja por toda ela. como o próprio nome já diz. cruzando-se. mas com a intensidade muito mais escura. são voltados a transformar uma foto que é comum em algo que foi feito com intuito artístico. mas cria rastros de tinta que assemelham-se ao formato de um X. Ink Outlines — Deixa toda a sua imagem com borrifos e traços de tinta. utilizando pontos minúsculos para isso e acabando com qualquer perfeccionismo e suavidade que a foto tenha. Crosshatch — Muito semelhante ao Angled Strokes. Film Grain — Adiciona um pouco de ruído sobre a imagem. definindo também qual deve ser a largura. É possível definir o tamanho do spray e a suavidade da pintura. Underpainting — Como o nome já diz. Angled Strokes — Cria traços que tendem ir para ângulos opostos. Dark Strokes — Transforma os traços do desenha e cria vários novos. Sponge — Imagine se você pegasse uma esponja e começasse a pintar com ela. puxando elementos da imagem para os lados. você ―esculpe‖ a sua imagem. a partir de uma barra de equilíbrio você define se os traços devem estar em níveis iguais (para os dois lados). Palette Knife — É como se a pintura tivesse ―marcas‖ de faca. esse filtro dá a impressão de que você pintou sobre alguma superfície com textura evidente. Quanto menor o tamanho do pincel (Brush Size). mais detalhada fica a pintura. sejam tijolos ou areia. Ou seja. Ou seja. É assim que fica após utilizar esse filtro. Você pode determinar o número de camadas de papel em Number of Levels. Cutout — Deixa a imagem como se tivesse sido feita a partir de pequenos pedaços separados de papel. além do comprimento deles. deixando-os mais reforçados. o brilho e a suavidade delas. . escuros. como se alguém contornasse vários ―pedacinhos‖ da imagem com uma fina caneta preta. mas são filtros que dão um toque como se fosse ―à mão‖. acentuados etc. Ou então. Spatter — A imagem fica com borrifos. como se tivesse sido pintada com vários sprays de tinta. Smudge Stick — É como se alguém tivesse ―borrado uma foto― antes de ela secar. Não que uma foto não possa ser arte. Accented Edges — Com esse filtro você pode acentuar as arestas da imagem.Artísticos (Artistic) Os filtros artísticos. Tracejados de pincel (Brush Strokes) Esses filtros são destinados a modificar os traços da imagem.

Ótima idéia para um ―efeito gibi‖. Ao aplicar esse filtro. mais deformada fica a imagem. Note Paper — Um efeito muito bonito que parece com um desenho feito em papel de caderno ou de carta. Photocopy — Imagine aquela fotocópia malfeita. Chalk & Charcoal — Dá impressão de que é uma pintura toda feita com giz e carvão. são filtros que agem como se fossem rascunhos da imagem. Graphic Pen — Esse filtro utiliza um efeito de pintura com caneta de nanquim. Bas Relief — Aplica um efeito de baixo relevo na imagem. Twirl — Simplesmente cria um redemoinho.Distorções (Distort) O uso da distorção pode ter motivos muito variados. a imagem se transforma em um verdadeiro desenho. com excessão do Water Paper. Ao aplicar algum deles. A maioria é preto-ebranco. que deixa a imagem extremamente incompreensível. sendo que a força vai aumentando das bordas para o meio. Conté Crayon — Cria um efeito de giz na imagem. É possível definir o ângulo. É possível utilizar desde para modifi car o rosto/corpo de uma pessoa até para criar efeitos muito diferentes em uma imagem. Ou seja. Polar Coordinates — São as também chamadas coordenadas polares. como se fosse uma HQ. a imagem fica em preto-ebranco e cheia de quadriculados. com traços rápidos e grosseiros. o programa une todas as pontas da imagem e cria um círculo . Esse filtro junta os elementos que estão mais próximos e deixam eles pretos e lisos. Water Paper — Filtro com efeito muito semelhante a um papel molhado (inclusive é esse o seu nome). Bem. dependendo muito do uso que se faz. . sendo que quanto maior. Esses filtros fazem todo o trabalho por você. explicando melhor. Halftone Pattern — Usa uma matriz de meiotom.praticamente um planeta. Pinch — O filtro pega exatamente o meio da imagem (isso não pode ser regulado) e aplica uma espécie de distorção de encolhimento nessa região. largue ele. Plaster — Cria um ―molde‖ em gesso a partir da sua imagem. Rascunho (Sketch) Pegue um lápis e. deixando a imagem ―encaracolada‖ exatamente no meio.

Mas é diferente do filtro Film Grain. deixando esse granulado mais ―vivo‖ e indo além de deixar a imagem apenas menos perfeita. pois é o mais padronizado. ―quebrando‖ a sua imagem em vários pequenos pedaços de vidro colorido. mas com a diferença de que dá impressão de movimento. Texturizer — Aplica uma textura em cima da imagem. indo desde o efeito craquelé e granulado até um vitral. Motion Blur — Muito semelhante ao desfoque gaussiano. Quanto menor o tamanho dos pedaços. Aqui também é possível escolher o tamanho das partes e o espaço entre elas. parecendo que foi usada uma superfície para ela. dando a impressão de que são vários bordados unidos. Aqui você escolhe qual o ângulo da movimentação e a intensidade (distância) do borrão. . É possível escolher uma textura de tijolos. pois aqui há mais textura. Dar textura (Texture) Essa categoria modifica a imagem no sentido de dar textura a ela. com preenchimento preto aonde não há bordas. Você pode definir o tamanho das rachaduras. Craquelure — Cria um craquelé. borrando a imagem para um lado de sua escolha.Estilizar (Stylize) A maioria dos filtros presentes nesta parte procura dar um efeito diferente. o espaçamento entre elas e o brilho desse espaço. com apenas um controle de intensidade que é capaz de desfocar toda a imagem. Desfoque (Blur) Gaussian Blur — O desfoque gaussiano é o mais utilizado para efeitos e tutoriais. Glowing Edges — Deixa as arestas extremamente brilhantes e coloridas. estilizando a imagem de alguma forma diferente dos outros filtros. se juntam umas às outras. Stained Glass — Cria um vitral em toda a imagem. deixando a imagem toda ―quebrada‖. e criar um muro. É parecido com um efeito neon. Grain — Deixa a imagem granulada. de maneira que as partes. por exemplo. de certa forma. Patchwork — Deixa tudo quadriculado. Wind — Faz uma verdadeira ventania. mais definida fica a imagem. Mosaic Tiles — Transforma a sua imagem em ladrilhos de mosaico.

Lens flare — É como se a lente tivesse queimado por alguma luz extremamente forte (geralmente o sol). dando um efeito especial. Dust and Scratches — Também chamado sujeiras e rabiscos. enquanto há uma grande variedade de extensões gratuitas disponíveis para o Photoshop no Windows. em alguns casos. manchas e geralmente coisas indesejadas e sem uma forma muito definida. Photoshop Elements 8. muitos complementos possuem instalador próprio. incluindo mais a iluminação. adicionando filtros úteis e novas ferramentas à aplicação. E você pode ajeitar cada uma das luzes com muita facilidade: usando as barrinhas deslizantes ou arrastando pontos das bordas. com perfis prontos que podem ser acessados em um menu chamado Style. há alguns plug-ins legais que estão disponíveis gratuitamente. Esta dica consiste em quinze complementos. Apesar de a maioria dessas extensões ter um preço modesto. Uma vez terminado o processo. Lighting Effects — Abre-se uma janela com uma porção (muitas mesmo) de opções para criar luzes em sua foto. Acabamento (Render) São algumas opções basicamente para acabamento da imagem. basta fazer uma seleção com o laço poligonal e aplicar a intensidade adequada para remover com qualidade qualquer tipo de sujeira ou mancha que tenha na foto (imagine aquele café derramado sobre a foto). Com ele. pontinhos. Com essa opção é possível escolher uma opção monocromática e criar estática como se fosse uma TV fora do ar.Ruídos (Noise) Os chamados ruídos são aqueles ―barulhos‖ na imagem. Durante a pesquisa para este texto. ficou claro que. não há muitos para o mesmo programa no OS X. CS4 e CS5 e. PLUG-INS DO PHOTOSHOP Plug-ins são uma ótima maneira para ampliar as funcionalidades do Photoshop. Aqui há uma relação de alguns desses complementos freeware atualmente disponíveis para Photoshop CS3. Se usado com cuidado (sem exageros). e alguns podem ser instalados a partir do Adobe Extension Manager. Add Noise — Nessa opção você simplesmente adiciona muito ou pouco ruído. Contudo. Vale lembrar que alguns complementos são ferramentas de marketing para produtos pagos de seus desenvolvedores. fica muito bonito para tirar a artificialidade de algumas fotos. As extensões podem ser instaladas ao arrastar o arquivo para dentro da pasta de plug-ins da aplicação. . esse filtro é extremamente utilizado justamente para remover o que está em seu nome. o plug-in pode ser encontrado no menu de Filters no Photoshop. Ou seja.

Essa extensão também não é compatível com o Elements. Cianotipia. o Photoshop Edge FX 2. Esse complemento é dificultado por uma interface desajeitada. redimensionar e posicioná-las na imagem. Com o Photoshop Edge FX 2. . B/W Conversion Controle total para converter imagens coloridas para p&b.2 Dreamy Photo Desenvolvido pela Sebastien Piconnier. depois disso. A maioria desses filtros não possui opções (além de desaparecer). Apesar da interface ruim. basta selecionar entre as mais de 60 bordas incluídas. mas os resultados nas imagens são convincentes. No caso do Dreamy Photo.5. Bleach Bypass Trabalha o contraste. toner sépia e vintage. Plug-in da Auto FX Software que permite fundir as imagens de maneira que fiquem com uma qualidade mais suave. o Dreamy Photo é um filtro muito bacana. hexagonais ou octogonais. Mosaic PhotoTools 2. o Mosaic possui a mesma interface truncada do Dreamy Photo. incluindo cross-process (processo cruzado). fica mais fácil de adicionar bordas personalizadas. zoom borrado e uma espécie de borrão rotacional. ele é compatível com o Elements. ele funciona no Elements. As ferramentas padrão incluem brilho suave. para que o usuário possa visualizar o efeito os filtros antes de aplicá-los. Plug-in da Auto FX Software permite personalizar o tamanho. o que preserva a imagem original.5.2. Contudo. Outra extensão interessante da Auto FX Software.4 executa uma tela cheia que exibe as imagens lado a lado em um esquema ―antes e depois‖. seja com telhas quadradas. Para começar.4 Free Esse complemento da onOne Software é uma ótima coleção de filtros fotográficos.2 é um plug-in divertido para Photoshop CS4 e CS5. As bordas são aplicadas como máscaras. Os controles permitem ao usuário configurar o tamanho da célula. Esse complemento não é compatível com o Elements. ela dá ao usuário o recurso de transformar as fotos em mosaicos. deixar o formato aleatório e aplicar profundidade. O PhotoTools 2.Photoshop Edge FX 2. a forma e até a profundidade das peças de mosaico. Novamente. mas não com o CS5. veja como o ficou o efeito na tela "antes e depois". mas eles podem ser combinados com outros para criar efeitos diferentes. como um "sonho". Sem medo: antes de aplicar um filtro. é possível aplicar estilos às camadas como Glow e Drop Shadow. Ele permite ao usuário complementar as fotos com bordas artísticas. mas ainda não é compatível com o CS5.

5. é um complemento que aplica frames gráficos às fotos. EZ Mask Recorte de imagens. experimental) que usa o processador gráfico do computador para literalmente dobrar os pixels. Polaroid e aquarela. Os filtros incluídos são um pouco imprecisos. . e o produto final é aplicado como uma camada. Virtual Photographer 200 efeitos pré-definidos para aplicar em suas imagens. Pixel Bender Moodlight Ajustes na iluminação. O Pixel Bender da Adobe é um add-on para Photoshop CS4 e CS5 (por enquanto. preservando a foto original. como bobina de filme.2 Free também é compatível com o Elements .5. Trabalha as áreas escuras e claras da imagem.PhotoFrame 4. Local Contrast Enhancement Também da onOne Software. mas OilPaint salva o complemento. O PhotoFrame dá ao usuário várias opções de bordas e o controle sobre diversos detalhes. Filtros adicionais para o Pixel Bender podem ser baixados a partir do Adobe Exchange. apesar de o OilPaint pode impressionar o usuário. Plug-in para controlar os detalhes de nitidez e da imagem. O PixelBlender é um pouco impreciso nas bordas. O PhotoFrame 4. Bordas e texturas podem ser combinadas para criar resultados únicos. Similar ao conhecido Corel Knockout.2 Free Xpose Ajuste de exposição.

muito comum em fotos de câmeras digitais. .Fotomatic DeNoise Coletânea de 8 plug-ins com diversos efeitos prontos. Redução de ruído.