Você está na página 1de 8

1- INTRODUÇÃO

Este procedimento fixa conceitos padrões aplicáveis no atendimento emergencial de
incêndios.
MATERIAIS NECESSÁRIOS
Viatura básica de intervenção operacional (AB, ou outras), com os materiais básicos de
entrada forçada (malho, alavanca, machado, picareta, corta frio, etc), primeiros socorros (ambu,
gases, faixas, talas, soro fisiológico, esparadrapo, etc); combate (mangueiras, esguichos, acessórios
hidráulicos, EPI, EPR, etc); proteção de salvados (vassoura, rodos, lona, etc) e rescaldo (pá,
gadanho, enxada, enxadões, etc).
RESIDÊNCIA UNIFAMILIAR
Considera-se a edificação ocupada por uma única família.
CARACTERÍSTICAS CONSTRUTIVAS DAS RESIDÊNCIAS
O material de construção das residências é geralmente de concreto e alvenaria, não se
descartando algumas que são de madeira, porém em proporção muito menor.
A altura média das residências é de um pavimento térreo (3m) ou dois pavimentos (sobrados
6m), que são os tipos mais comuns. Existem casas de até 03 ou mais pavimentos (acima de 9m), as
quais são exceções para nossos padrões construtivos;
A carga de incêndio de uma residência é baixa e baseia-se em móveis de madeira, cortinas e
tapetes, podendo variar em razão do revestimento do piso e das paredes; e
Com base na legislação de segurança contra incêndio, este tipo de edificação não requer
exigências de sistemas de detecção ou combate a incêndios.
2. DESLOCAMENTO
No deslocamento, o motorista e o comandante da guarnição são os principais responsáveis
pela segurança da guarnição. De nada adiantará se acontecer um acidente pois o socorro não
chegará. É muito mais útil, que o motorista conheça a sua área e os principais itinerários e que a
guarnição tenha desenvoltura suficiente para atuar com eficiência e sem perda de tempo. Refletir a
caminho da ocorrência sobre a situação provável com que poderá se deparar de acordo com a
natureza transmitida e solicite outras informações ao COBOM.
3. POSICIONAMENTO DA VIATURA E SINALIZAÇÃO
No local, levando-se em consideração o maior risco de uma residência sinistrada, (explosão de
GLP, incêndio total) devemos parar a viatura
no mínimo a 15 metros de distância do local,
preferencialmente do mesmo lado da rua do sinistro.
A sinalização deve ter como referencial a velocidade desenvolvida pelos veículos naquela via,
sendo certo que quanto maior for a velocidade, maior será a distância de sinalização
Passe no menor tempo possível informações à primeira vista, referindo-se principalmente ao
volume de fogo, à possibilidade de vítimas e a necessidade de apoio.
Tal medida deve ser tomada com objetivo de proteger a equipe que estiver exercendo trabalho
de montagem do equipamento a ser utilizado e também a Vtr.
Utilizamos os seguintes materiais para sinalizar o local:

O Cmt da guarnição deverá colher o maior número de dados possíveis junto à terceiros (populares) com referência à ocorrência. escadas externas e aberturas verticais. volume. e 9) Desligar energia elétrica. pois normalmente ocorrem problemas com o fluxo de veículos e com populares. 8) Incêndio em si: natureza. Podemos ter residências com atividades diversas como pequena indústria. 4) Natureza da ocorrência: incêndio. de colapso de componentes da edificação (telhados e paredes). 5) Possibilidade de propagação. área de maior envolvimento e localização de dispositivos que dificultam a propagação do fogo. as rodas traseiras devem estar com calços bem ajustados aos pneumáticos. o que se não for de conhecimento. aberturas para outras propriedades. cones.. tipo de construção. 9) Condições atmosféricas: vento. fitas zebradas em amarelo e preto. 5. espaços livres e arredores em geral. local envolvido. 8) Vias de acesso para combate. fumaça e vazamento de gases. 5) Perigo de vida: verificar o nº de pessoas que moram e riscos aos vizinhos. que no intuito de auxiliarem acabam prejudicando a ação dos Bombeiros. ao estacionar uma Vtr. intensidade e temperatura. o Cmt da guarnição deverá acompanhado com o chefe da linha um. iniciar o reconhecimento do local. com armazenamento de produtos inflamáveis ou químicos. cabos de isolamento. 6) Volume do fogo 7) Outros riscos possíveis. . 4) Risco de explosão. 7) Residência envolvida: verificar a carga incêndio. São informações imprescindíveis que poderão orientar os bombeiros no combate ao fogo.Lembramos que para maior segurança.. área. acionar Vtr de trânsito e policiamento para o local.Se houver necessidade. fumaça.Lanternas. pisca alerta (da vtr). 3) Aspecto físico do local com relação às condições que possam interferir com fios elétricos. etc. 2) Localização em relação às casas vizinhas. aos bombeiros e aos expectadores. sua direção. b) Análise da situação 1) Localização da emergência. . . EXPLORAÇÃO. onde serão observados os seguintes fatores: 1) Existência de vidas em perigo 2) Material que está em combustão. explosão. 3) Área atingida. 6) Risco de propagação: verificar o risco de propagação do fogo . Obs: Uma linha direta de 38 mm deverá estar em condições para proteção durante a exploração. sistema de ar condicionado. ISOLAR O LOCAL O isolamento do local visa facilitar o trabalho dos Bombeiros e a segurança de terceiros. de explosão. colocará em risco a vida da guarnição. material combustível. ANÁLISE DA SITUAÇÃO a) Exploração Ao chegar ao local. A análise desses dados darão condições de desenvolver uma melhor avaliação do local. 4.

considerando: a) Vítima do lado externo da residência: dar o suporte básico de atendimento. c) A idade. panela ao fogo. 2) Ao entrar deverá estar devidamente equipado com EPI e EPR. há casos em que podemos extinguir o fogo usando a mangueira de jardim da própria residência.. c) Decisão e Ordens Após dispor em uma lógica. deverá o Cmt chegar a uma conclusão sobre os objetivos a serem atingidos e as ações que deverá por em prática para alcançá-los. portanto. viatura. SALVAMENTO DE VÍTIMAS Atenção imediata deverá ser dada às vítimas do local. fogo na mangueira do botijão. Quando da chegada da guarnição do CB ao local. Deverão ser dadas ordens somente a atividades que não foram treinadas e determinadas em um pré-plano. COMBATE A INCÊNDIO a. b. equipamento e suprimento d’água. devendo então ser armado o mangotinho ou linha direta de 38 mm com esguicho regulável fechado. no entanto o mesmo encontra-se apenas em um compartimento. o Bombeiro somente poderá adentrar ao local da seguinte forma 1 ) Nunca adentrar sozinho no ambiente sinistrado.. corte de energia elétrica não resolverem a situação. Incêndio de pequena proporção: Constatado após análise da situação e exploração. 7. bem como os meios disponíveis para controlá-lo.T. assim como impedir que elemento não treinado penetre na residência a fim de auxiliar no salvamento. choque elétrico. H. usando-se a quantidade mínima para a extinção do fogo. 3) Utilizar o cabo guia. etc. e examinados os riscos que o incêndio oferece. b) Vítima no interior da residência com fogo: adentrar com uma linha direta 38 mm de proteção e retirar a vítima para atendimento básico do lado externo. e condições físicas dos ocupantes do prédio influem consideravelmente nas operações de salvamento. sexo. e linha de proteção. retirada de material.) A água nesses casos será usada somente quando métodos como abafamento. d) Deve-se evitar que as pessoas salvas retornem ao local (sinistro). nunca o Cmt deve dar duplo sentido às mesmas. e) É fundamental o horário da ocorrência. Situação: Fogo em balde de lixo. isto requer maior rapidez no combate . cuidado com a explosão da panela de pressão. etc. Incêndio em uma dependência da residência. expondo-se a situações perigosas para as quais não está preparado. Forma de extinção: Deve-se estar atento às ocorrências mais simples. pois as pessoas encontram-se em repouso e está constatado que 2/3 das mortes em incêndios em residência nos EUA ocorreram à noite. Não é raro a água causar um dano maior do que o próprio incêndio. é constatado que houve alastramento do fogo. negligenciando sua segurança e tornando-se uma vítima em potencial (cuidado com o rompimento do plugue fusível do botijão de GLP. pois são as ocorrências em que os bombeiros atuam com displicência. fogo em colchão.10) Meios: pessoal. 6. sob qualquer pretexto. no período noturno a possibilidade de existência de vítimas é muito maior. As ordens devem ser de maneira clara e objetiva. f) Devemos estar atentos para o fato de que estamos lidando com salvamento de vítimas em incêndio. curto circuito na instalação elétrica ou em aparelho eletro-eletrônico.

Deve-se orientar quanto a reparos posteriores. daí a necessidade de uma intervenção imediata e intensa da guarnição. causando danos onde o fogo não atingiu.Atentar para a realização da ventilação (ver item 10 sobre ventilação). .O ataque deve ser direto ao fogo.A quantidade de água terá de ser apenas o suficiente para apagar o fogo no aposento sinistrado.Deverá ser armada uma linha de proteção para isolamento e prevenção com intuito de evitar propagação c. . se o fogo estiver no pavimento superior a guarnição terá que lançar mão da escada prolongável.Somente deverá ser jogado água no foco do incêndio. .Estando a guarnição impossibilitada de adentrar à residência. a não ser de dentro para fora da edificação a fim de fazer a ventilação do local. tendo desligado a energia elétrica.Ter a preocupação da quantidade de água que você dispõe. Quanto tempo o apoio d’agua levará para chegar. Combate . VENTILAÇÃO .restrinja o incêndio somente aos comodos que já foram atingidos.para se evitar que o mesmo propague-se para outros aposentos. para tanto o Bombeiro terá que entrar na edificação. atentando para que seja escolhida a melhor forma de realizá-lo (porta ou janela). o Cmt da Guarnição ordenará um ataque indireto pelo lado externo da residência. c. A energia elétrica deverá ser de imediato desligada.Após realizados os trabalhos de isolamento e confinamento. evitando que o curto circuito comprometa as partes não atingidas. Todos os cuidados já abordados anteriormente devem ser adotados também nesse tipo de incêndio. pois uma quantidade exagerada de água irá causar inundação por toda a residência. . . Incêndio em duas ou mais dependências da residência O incêndio se propaga de um cômodo para outro quando há uma carga de incêndio elevada na residência. tendo-se o cuidado de verificar o perigo de ocorrer o “Back Draft” (explosão ambiental ocorrida com a entrada de oxigênio no ambiente). b. propagação e isolamento.evite que o incêndio progrida para outras residências. jogando-se água somente no cômodo incendiado. .Caso não haja condições de realizar o ataque direto. adotando as atitudes adequadas ao combate. se é suficiente para isolar e combater o fogo sem apoio. .Armar 2 ou mais linhas de ataque. passe a combater o incêndio usando as técnicas adequadas.Inicia-se o ataque com uso de uma linha direta de 38 mm (bombeiro estando equipado com EPI e EPR). . Medidas a serem adotadas em residências de um pavimento. impedindo que atinja outros. . 8. . Medidas a serem adotadas em residências de dois ou mais pavimentos .Ter sempre como prioridade nesta situação o seguinte: a. nunca jogar água na fumaça. Isolar . Confinar .Faz-se necessário ter à mão materiais de arrombamento caso as vias de acesso ao fogo estejam bloqueadas por portas ou janelas. . para realizar o combate indireto pelo lado externo da edificação.

Visualização do foco. . . A salvatagem. Ventilação natural a. 9. .Separação do material não queimado e remoção para lugar seguro. Ventilação natural vertical: Procede-se a abertura do teto para saída dos gases e abre-se uma porta para entrada de ar fresco. PROTEÇÃO DE SALVADOS E RESCALDO Os procedimentos de salvatagem visam a diminuição dos danos causados pelo incêndio e seu combate. . lançado próximo à janela ou porta de dentro para fora da edificação .Resgatar vitimas presas. etc para troca de gases por ar fresco.Retirada do calor e. Vantagens da ventilação .Mais danos que o incêndio.RESCALDO O local de incêndio deve em princípio ser abandonado somente quando todos os riscos estiverem eliminados” Os procedimentos de rescaldo tem por objetivo confirmar a extinção completa do incêndio e deixar o local sinistrado nas melhores condições possíveis de segurança e habitabilidade sem destruir evidências de incêndio. janelas. vassoura.Ventilação aplicada no combate a incêndios é a remoção e dispersão sistemática de fumaça.Aplicar os agentes extintores adequados minimizando os danos causados pelo fogo. com o uso de exaustores ou jato d’agua em chuveiro com 90% de jato. . Ventilação natural horizontal: Procede-se a abertura de portas. água e produto da combustão.Gastos desnecessários de água que poderá faltar no combate ao fogo. . gases e vapores quentes de um local confinado.Perda sensível de tempo. apenas o suficiente para que não provoque uma explosão ambiental. consistirá em: .Ações como jogar água em fumaça ou objetos quentes (sem fogo) devem ser evitadas.Escoamento da água empregada no combate. ou seja: .Atingir o local sinistrado no menor tempo possível. pois acarretarão conseqüências tais como: . . b. . facilitando assim a ação dos bombeiros no ambiente sinistrado. .Localizar focos. . proporcionando a troca dos produtos da combustão por ar fresco.Retirada dos produtos tóxicos da combustão A ventilação facilita o trabalho da guarnição em atingir seus objetivos. (Back Draft) Ventilação forçada Realizada através de métodos e equipamentos para a renovação do ar. etc. pás. . forcados. . O estado de limpeza deixado no local ajudará a repor o estado emocional da vítima. através de um planejamento bem feito.Para execução desses serviços devemos fazer uso de enxadas. rodo.

laje e paredes). A guarnição será conferida para verificar se algum elemento se feriu. retirando-o do local. se sofreram danos.Avaliar a eficiência do rescaldo. se os uniformes sofreram avarias e se o EPI está em condições.Gás liqüefeito de petróleo: procurar botijões de GLP na parte interna e externa da edificação. Nesta inspeção será verificado se ainda há necessidade de escoamento da água ou remoção de escombros e limpeza. . . seja visualmente.Detectar focos de fogo. .Verificar se o rescaldo foi totalmente realizado.PROBLEMAS QUE PODEM SURGIR . antes de iniciar as ações de combate. a guarnição deverá escoar as mangueiras. CONFERÊNCIA DOS MATERIAIS Concluídos a Salvatagem e o rescaldo. 11.Colapso de estrutura: durante as ações de combate poderá ocorrer colapso de estruturas (telhado. As viaturas estarão em condições após abastecidas de combustível e água e a liberação das guarnições dar-se-á pelo elemento de maior posto ou graduação. .Verificar as condições finais de segurança do local sinistrado.Assegurar que a causa do incêndio foi totalmente eliminada. 12. devendo a guarnição estar atenta para os sinais de evidência. procurando observar as medidas de segurança.Remover escombros e efetuar a limpeza do local sinistrado e de objetos não queimados. recolher e conferir todos os materiais que foram usados observando o estudo de cada material.Determinar e sanar (ou isolar) as condições perigosas da edificação.O rescaldo consistirá em: . . por toques ou sons e extingui-los completamente. . .Choques elétricos: atentar para o desligamento da energia elétrica da edificação. . 10 -INSPEÇÃO FINAL A inspeção final visa: .

.

POP .ANEXO .I CARACTERISTICAS DAS LINHAS DE ATAQUE TIPO (DIMENSÃO) VAZÃO LPM ALCANCE DO JATO (METROS) Nº DE BOMBEIROS NO ESGUICHO MANGOTINHO 39 A 114 08 A 15 01 01 LINHA DE ATAQUE DE 38 MM 190 A 454 08 A 15 01 OU 02 02 LINHAS DE ATAQUE DE 38 MM 380 A 980 08 A 15 02 LINHAS DE ATAQUE DE 63 MM CONTROLE DE PERDAS CONTROLE DE DIREÇÃO EXCELENTE EXCELENT E EXCELENTE BOA BOM EXCELENTE MOBILIDADE QUANDO USAR  PEQUENOS FOCOS EM INTERIOR  NÃO EXISTE POSSIBILIDADE DE ROPAGAÇÃO  LIMPEZA FINAL OU RESCALDO  LINHA DE PROTEÇÃO  DESENVOLVIMENTO DO FOGO PEQUENO E CONTINO OU CONFINADO PARA SER EXTINTO COM QUANTIDADE RELATIVAMENTE PEQUENA DE ÁGUA  ATAQUES RÁPIDOS  PESSOAL INSUFICIENTE  CARGA DE INCÊNDIO BAIXA  LINHA DE PORTEÇÃO 08 A 15 02 OU 04 03 OU 06 MODERADA REDUZIDO MODERAD O BOM  DESENVOLVIMENTO DO FOGO GRANDE E DIFÍCIL REDUZIDO BOM CONFINAMENTO E COM POSSÍVEL PROPAGAÇÃO PARA OUTRAS ÁREAS OU QUE NECESSITE DE RAZOÁVEL QUANTIDADE DE ÁGUA PARA EXTINÇÃO  ATAQUES DE MAIOR DURAÇÃO  PESSOAL SUFICIENTE PARA MANOBRA DAS LINHAS DE ATAQUE  CARGA DE INCÊNDIO CONSIDERÁVEL  NESTE CASO HÁ NECESSIDADE DE SUPRIMENTO DE ÁGUA PARA ABASTECIMENTO DO TANQUE  A SOBRECARGA GERADA PELA ÁGUA NÃO VAI POR EM RISCO DE COLAPSO O PISO E AS ESTRUTURAS  DESENVOLVIMENTO DO FOGO INTENSO. IRRADIANDO CALOR PARA ÁREAS VIZINHA  LINHAS EXTERNAS DE ATAQUE  LINHA DE PROTEÇÃO DA IRRADIAÇÃO DO CALOR PARA OUTRAS EDIFICAÇÕES  ATAQUE DE GRANDE DURAÇÃO  PESSOAL SUFICIENTE PARA MANOBRA DAS LINHAS DE ATAQUE  GRANDE CARGA DE INCÊNDIO  NECESSIDADE DE GRANDE SUPRIMENTO DE ÁGUA PARA COMBATE  FONTE DE SUPRIMENTO DE ÁGUA GARANTIDA ÁREA DE APLICAÇÃO ESTIMADA ATÉ UM COMPARTIMENTO DE UM A TRÊS COMPARTIMENTO UM PAVIMENTO OU MAIS TOTALIDADE DA EDIFICAÇÃO EM CHAMAS .