Você está na página 1de 7
CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL O CÁLCULO COMO FERRAMENTA NO ESTUDO

CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL

O CÁLCULO COMO FERRAMENTA NO ESTUDO DA ECONOMIA

MANAUS

2016

GABRIEL ARAÚJO - 16095952 GABRIEL FREIRE 16251776 ISMAEL ALMEIDA - 16212908 KENNEDY SENA - 16228006 MICAEL MAIA - 16258169

CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL

O CÁLCULO COMO FERRAMENTA NO ESTUDO DA ECONOMIA

Trabalho para obtenção de nota parcial do 2º semestre na disciplina de Cálculo Diferencial e Integral do Curso de Ciência da Computação, ministrado no Centro Universitário do Norte Uninorte, sob orientação do Prof. Francisco Dinóla.

MANAUS

2016

INTRODUÇÃO

Historicamente, o Cálculo Diferencial e Integral de uma variável estuda dois tipos de problemas: os associados à noção de derivada, antigamente chamados de tangências e os problemas de integração, antigamente chamados de quadraturas. Os relativos à derivação envolvem variações ou mudanças, como por exemplo, a extensão de uma epidemia ou os comportamentos econômicos. Como exemplos de problemas relacionados à integração, destacam-se o cálculo das áreas de regiões delimitadas por curvas, do volume de sólidos e do trabalho realizado por uma partícula.

Na economia o cálculo permite, por exemplo, a determinação do lucro máximo fornecendo uma fórmula para calcular facilmente tanto o custo marginal quanto a renda marginal.

Na vida nos deparamos com inúmeras situações que exigem de nós decisões racionais e não racionais, de modo similar ocorre no mundo dos negócios. Porém, neste as pessoas buscam pelas informações que as conduza a soluções ou pensamentos inovadores. É fato, que atualmente essas decisões no mundo dos negócios têm sido pautadas com mais frequência nas orientações racionais da Matemática, em especial na Matemática das Finanças, que por sua vez, utiliza-se em diversas de suas teorias o suporte que o Cálculo oferta.

Em fase de uma imensa quantidade de dados estatísticos, dependendo de centenas

ou mesmo de milhares de diferentes variáveis, analistas de negócios tem cada vez mais buscado

métodos matemáticos para descrever o que está acontecendo, para prever os efeitos de várias políticas alternativas e decidir sobre estratégias razoáveis entre um enorme número de possibilidades. Entre os métodos empregados está o cálculo aplicado aos negócios. Os modelos matemáticos utilizam do cálculo diferencial e integral para expressar relações financeiras. É,

onde, o papel do emprego do cálculo nestes modelos tem por finalidade estruturar o processo decisório auxiliando pessoas a eliminar o improviso e ampliar o grau da certeza na opinião de escolhas. Neste contexto, cresce a compreensão do uso instrumental do cálculo justificado não só pelo seu suporte às diversas atividades da gestão de negócios (produção, venda, financiamento, empréstimos e créditos), mas aliado às inovações tecnológicas. Nas quais, os métodos matemáticos aplicativos tornaram-se ferramenta de trabalho indispensável para diversos profissionais. Ou mesmo, passam a ser usados de forma automática no cotidiano de pessoas, que em muitas vezes não dominam as técnicas que lhe dão suporte as tomadas de decisões.

Dentro da própria economia existe o cálculo, sem ele nada poderia ser feito e nenhuma das inúmeras teorias poderia ser realizada.

A economia em si, divide-se em duas áreas nas quais o cálculo tem um papel de suma

importância: microeconomia e macroeconomia.

A Microeconomia estuda as interações que ocorrem nos mercados em função da informação existente e da regulação estatal. Dentro desta área, o cálculo oferece fórmulas, métodos e instrumentos para a utilização de algumas teorias econômicas como por exemplo:

A Teoria do Consumidor ou Teoria da Escolha busca descrever quais critérios o consumidor usa para tomar decisões de compra sendo os principais fatores as escolhas dos consumidores estão basicamente ligados à sua restrição orçamental e preferências.

Os principais instrumentos para a análise e determinação de consumo são a curva de indiferença e a restrição orçamentária.

A Teoria da Firma ou Teoria da Empresa segundo essa teoria, as firmas trabalham com o lado da oferta de mercado, ou seja, com os produtos que vão oferecer aos consumidores, como bens e serviços produzidos.

A Macroeconomia é uma das divisões da ciência econômica dedicada ao estudo, medida e observação de uma economia regional ou nacional como um todo.

Dentro desta divisão, o cálculo oferece ferramentas para estudo de cinco mercados que compõem a estrutura macroeconômica:

Mercado de Bens e Serviços: determina o nível de produção agregada bem como o nível de preços.

Mercado de Trabalho: admite a existência de um tipo de mão-de-obra independente de características, determinando a taxa de salários e o nível de emprego.

Mercado Monetário: analisa a demanda da moeda e a oferta da mesma pelo Banco Central que determina a taxa de juros.

Mercado de Títulos: analisa os agentes econômicos superavitários que possuem um nível de gastos inferior a sua renda e deficitários que possuem gastos superiores ao seu nível de renda.

Mercado de Divisas: depende das exportações e de entradas de capitais financeiros determinada pelo volume de importações e saída de capital financeiro.

CONCLUSÃO

A economia se tornou cada vez mais dependente de métodos matemáticos e as ferramentas que ela emprega se tornaram mais sofisticadas. Como um resultado, o cálculo tornou-se consideravelmente mais importante aos profissionais em economia e finanças. Programas de graduação em economia e finanças exigem uma forte preparação de pós- graduação em matemática para admissão e, por esta razão, atraem um crescente número de matemáticos. Os cálculos aplicados usam princípios matemáticos para problemas práticos, tais como a análise econômica e outros assuntos relacionados à economia, sendo que muitos problemas econômicos são definidos como integrados no escopo da matemática aplicada.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

[1] Vilches, Mauricio A. Cálculo para economia e administração: Volume I. Rio de Janeiro : Departamento de Análise IME, (2014). [2] Barros, Luiz Eduardo Wanderley Buarque de. Cálculo: um Estudo de suas Aplicações às Áreas Financeira e Econômica. João Pessoa : Rede Nacional PROFMAT CCEN-UFPB, (2013). [3] https://pt.wikipedia.org/wiki/Economia [4] http://knoow.net/cienceconempr/economia/producao/ [5] https://pt.wikipedia.org/wiki/Macroeconomia [6] https://pt.wikipedia.org/wiki/Microeconomia