Você está na página 1de 4

Advocacia Cível e Empresarial

ÚTEIS CONTATO LOCALIZAÇÃO Advocacia Cível e Empresarial inventário e partilha Passo a passo do inventário 1.

Passo a passo do inventário

inventário e partilha Passo a passo do inventário 1. Abertura do inventário no prazo de 60

1. Abertura do inventário no prazo de 60 dias após o falecimento do autor da herança. Na petição, deve-se comunicar o falecimento, comprovado com a juntada da certidão de óbito, e requerer a abertura do inventário, bem como a nomeação de inventariante.

2. Nomeação do inventariante, que será a pessoa responsável por cuidar do inventário, administrar o

patrimônio (espólio) e representá-lo até ser julgada a partilha de forma definitiva. O inventariante deverá prestar compromisso de bem e fielmente desempenhar o cargo, no prazo de até 5 dias de sua nomeação.

3. Apresentação das primeiras declarações do inventário, no prazo de 20 dias, a contar da data em que o

inventariante prestar compromisso. As primeiras declarações apresentarão informações sobre o falecido, o cônjuge sobrevivente e o regime de bens do casamento, sobre os herdeiros e sua qualidade, bem como sobre todos os bens que compõem o espólio.

4. Citação (convocação) dos herdeiros para acompanhar o inventário. Caso os herdeiros discordem das

declarações iniciais apresentadas pelo inventariante, devem de manifestar no prazo de 10 dias, a fim de apontar erros e omissões, reclamar contra a nomeação do inventariante ou contestar a qualidade de quem foi incluído como herdeiro.

5. Se houver contestação e o juiz aceitá-la, as declarações iniciais do inventário serão corrigidas.

6. Avaliação dos bens do espólio por perito, se necessário. A avaliação pode ser dispensada quando, por

exemplo, todos os herdeiros forem maiores e capazes e estiverem de acordo com o valor dos bens apresentado nas primeiras declarações ou se tiver havido informação do Fisco acerca do valor dos bens, sem impugnação.

7. Concluída a fase das avaliações, seguem-se as declarações finais do inventário, apresentadas pelo

inventariante. Nessa etapa, devem ser completadas, emendadas ou corrigidas as primeiras declarações. Não

havendo nada a corrigir ou a acrescentar, o inventariante somente ratificará as declarações iniciais.

8. Após a manifestação dos herdeiros sobre as declarações finais, está concluída a fase do inventário e

deverá ser feito o cálculo do imposto que incidirá sobre a herança (imposto mortis causa e inter vivos – ITCMD). A base de cálculo deverá abranger todos os bens, móveis ou imóveis, da herança, porém não deve ser incluída a meação do cônjuge sobrevivente. No Estado de São Paulo, o imposto é regulado pela Lei n. 10.992/2001, e a sua alíquota é de 4% do valor de avaliação dos bens na data da abertura da sucessão.

9. Os herdeiros têm cinco dias para se manifestar sobre o cálculo do imposto feito pelo contador e que será

apresentado à Fazenda Pública.

10. O juiz julga o cálculo do imposto.

11. Nos casos em que houver credores do espólio, estes podem requerer o pagamento das dívidas. Se

houver consentimento dos herdeiros, estes credores serão incluídos na partilha. Se os herdeiros não estiverem de acordo com a inclusão, a questão deverá ser decidida judicialmente. Nesse último caso, o juiz separará os bens necessários para o pagamento da dívida até que o assunto seja resolvido.

12. Resolvida a questão referente a eventuais credores, as partes têm o prazo de 10 dias para formular seu

pedido de quinhão, isto é, da parte dos bens que lhes cabe, e o juiz tem 10 dias para autorizar o início da

partilha.

13. O partidor (pessoa responsável pela partilha) elabora um esboço de partilha sobre o qual as partes

devem se manifestar em 5 dias.

14. Pago o imposto de transmissão dos bens, o juiz julga a partilha por sentença. Com a aporvação da

partilha, os herdeiros recebem um documento denominado “formal de partilha”, que indicará os bens que cada um receberá.

Assine nossa Newsletter

Enviar Buscar
Enviar
Buscar

Digite seu eMail

Assine nossa Newsletter Enviar Buscar Digite seu eMail Pesquisar Especializações Divórcio extrajudicial -

Pesquisar

Especializações

Especializações

Especializações
Newsletter Enviar Buscar Digite seu eMail Pesquisar Especializações Divórcio extrajudicial - celeridade e agilidade
Separação e divórcio União estável Contrato de convivência Herança (Direito Sucessório) inventário e partilha
Separação e divórcio União estável Contrato de convivência Herança (Direito Sucessório) inventário e partilha
Separação e divórcio União estável Contrato de convivência Herança (Direito Sucessório) inventário e partilha
e divórcio União estável Contrato de convivência Herança (Direito Sucessório) inventário e partilha
Contrato de convivência Herança (Direito Sucessório) inventário e partilha inventário e partil Passo a passo do
Herança (Direito Sucessório) inventário e partilha inventário e partil Passo a passo do inventário 1.

Passo a passo do inventário 1. Abertura do inventário no prazo

a passo do inventário 1. Abertura do inventário no prazo Herança (Direito Su Quando alguém morre

Quando alguém morre sem deixar testamento, todo o seu patrimônio

alguém morre sem deixar testamento, todo o seu patrimônio Contrato de convivê Dado o significativo aumento

Dado o significativo aumento de relações familiares informais, cabe ressaltar

Contrato de convivê Dado o significativo aumento de relações familiares informais, cabe ressaltar União estável

A união estável consiste na união de fato entre duas

A união estável consiste na união de fato entre duas Separação e divór Qual a diferença

Qual a diferença entre separação e divórcio? Muitas pessoas confundem a

entre separação e divórcio? Muitas pessoas confundem a Divórcio extrajudic Muito tem se falado sobre o

Muito tem se falado sobre o divórcio e a separação

Fabiana Garcia Advocacia Avenida Paulista, 726 - 17º andar - cj. 1707D - Bela Vista - São Paulo - SP (11) 3254-7637 (11) 5058-5281